Issuu on Google+


01> TRABALHOS ACADÉMICOS

02

1.1> casa para duas familias | vila nova de gaia | 2000 | regente: arq.to José Mário

p. 4 | 5

1.2> conjunto de habitações + atelier | vila nova de gaia | 2001 | regente: arq.to José Mário

p. 6 | 7

1.3> habitação colectiva | porto | 2002 | regente: arq.to Jorge Patrício Martins

p. 8 | 9

1.4> art store | porto | 2002 | regente: arq.to Jorge Patrício Martins

p. 10 | 11

1.5> habitação colectiva |porto | 2003 | regente: arq.to Michele Cannatà

p. 12 | 13

1.6> frente urbana | porto | 2003 | regente: arq.to Michele Cannatà

p. 14 | 15

1.7> casa para um professor | porto | 2003 | regente: arq.to Michele Cannatà

p. 16 | 17

1.8> igreja + centro paroquial | porto | 2004 | regente: arq.to Michele Cannatà

p. 18 | 19

1.9> marina seca | valencia, espanha | 2004 | regente:arq.to Carlos Ferrater

p. 20 | 21

1.10> lar de terceira idade | porto | 2005-2006 | regente: arq.to Sérgio Antão

p. 24 | 25


02> CONCURSOS 2.1> requalificação do estaleiro do ouro e zona envolvente | porto | 2007 | arq.to Miguel Regueiras, Diva Cruz, Ines Almeida, Joana Costa e Lissette Gonçalves

p. 30| 31

03> TRABALHOS REALIZADOS EM COLABORAÇÃO 3.1> projecto de habitação colectiva | zurique, suiça | 2007| arq. weberbrunner architekten

p. 32 | 33

3.2> concurso Tourismusresort Sportcenter Gotthard | andermatt, suiça | 2007| arq. weberbrunner architekten

p. 34| 35

3.3> concurso Hospital Público |solothurn, suiça | 2007| arq. weberbrunner architekten

p. 36| 37

04> CURRICULUM

p. 38| 39

03


1.1 1. CASA PARA DUAS FAMILIAS, 2000 Entre a escarpa da Serra do Pilar e o Rio Douro como cenário encontra-se o local de intervenção: um espaço contíguo á Capela do Senhor do Além.Uma habitação conjunta para duas famílias, constituídas respectivamente por um padre e um casal com dois filhos, que respeita a privacidade total de cada uma. Composta por volumes que se multiplicam consoante as suas funções intrínsecas, esta casa oferece uma leitura agradável ao mesmo tempo que se enquadra na temática da malha urbana e morfológica do local. O habitáculo do Padre revela-se num volume puro que se fecha em si próprio, ao mesmo tempo que o seu pé-direito duplo encimado por um rasgo zenital lhe confere uma ascensão aos céus. Um pequeno volume contíguo, de carácter mais espiritual, volta-se de frente para a igreja, transformando-se em oratório. Em contraste surge a habitação da outra família que se abre para o rio estabelecendo uma relação mais íntima com o espaço exterior. Um volume intermédio estabelece a comunicação entre ambas as habitações de forma natural.

Localização Escarpa da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, Portugal 04


Planta piso 1

Planta piso rés-do-chão

Alçado entrada 05


1.2 1. CONJUNTO DE HABITAÇÕES + ATELIER, 2001 Situado na escarpa da Serra do Pilar, este conjunto de habitações adapta-se ao terreno de forma peculiar criando várias formas de apropriação. Escondidas nesta encosta estas habitações oferecem o melhor da paisagem sobre o Rio Douro. No interior o jogo de transparências liga o jardim e o rio como parte integrante da casa. A fragmentação deste volume contínuo de habitações encontra um novo ritmo pela existência de um atelier e habitações de tipologias diferentes. Todos eles comunicam entre si através de um espaço exterior que convida á socialização entre todos os usuários destes diversos espaços.

Localização Escarpa da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia, Portugal 06


Planta piso rĂŠs-do-chĂŁo

Planta piso 1

07


1.3 1. CASA PARA UM PROFESSOR, 2003 Situada no coração do centro histórico do Porto, esta célula de habitar encaixa-se num pequeno lote de 8m de largura por 10m de profundidade. O acesso a esta habitação só é possivel de forma pedonal e a rua devido á sua reduzida largura não favorece a entrada de luz directa na casa. A entrada é feita pela cota da cobertura estando, deste modo também, mais próxima da via automóvel. Resume-se num volume puro, onde a luz é trabalhada de forma a ser a principal protagonista.

Localização Centro Histórico do Porto, Portugal 08


Alรงado sul

Alรงado norte

Corte transversal

09


1.4 HABITAÇÃO COLECTIVA, 2002 Conjunto de habitação colectiva formado por um edifício de 4 pisos [A] e uma torre de 24 pisos [B] que pontua este espaço de gaveto entre duas ruas. O espaço libertado é aproveitado como espaço de praça, espaço de estar e de acesso ao piso comercial ao nivel do rés-do-chão. O volume da torre pode-se dizer que é formado por três corpos: de um lado uma tipoloçia simples de um piso e do outro uma tipologia duplex. O corpo central, onde estão localizadas as comunicações verticais [escadas e elevadores] cose os dois volumes atribuindo um carácter mais escultórico ao mesmo.

Localização Rua Antonio Cardoso, Porto, Portugal 10


pO

LâMIN

Planta edifício [A]

Plantas torre [B]

[A]

[B]

Implantação

Corte transversal

Alçado entrada 11


1.5 1. HABITAÇÃO COLECTIVA, 2003 A habitação surge de frente para uma praça e divide-se em dois núcleos. O maior estabelece uma relação volumétrica com o edifício dos anos 50 pelo alinhamento e cércea que adquire ajudando a defenir o espaço de praça. O outro núcleo que se separa visualmente é como se apontasse para outra realidade próxima: as habitações unifamiliares. A unificá-los uma escadaria, pensada á escala da cidade, como se de um anfiteatro se trata-se, virada para o palco das representações sociais que é a praça, estabelece também o acesso á galeria de distribuição do edificio. Este edifício tem, á cota da rua, um piso de carácter comercial e 3 pisos de carácter habitacional.. As células de 70m², que se encontram no 1º piso, são espçaos livres e flexiveis, um open-space que pode eventualmente ser moldado através de painés móveis. As células dos outros pisos apresentam-se como duplex, sendo sempre as áreas de carácter social viradas para a praça. A poente , no 2º piso debruçam-se da galeria umas pequenas células individuais, as quais funcionam como pequenos lofts. O cheio e o vazio, a luz e a sombra... é em torno desta dilática que todo o edificio mantém o seu diálogo com a envolvente.

Localização Rua de António Galvão, Porto, Portugal 12


Planta piso 3

Planta piso 2 [duplex]

Corte transversal 13


1.6 1. FRENTE URBANA, 2003 Recuperar uma frente urbana e revitaliza-la, para que um novo uso fosse mote ao futuro usufruto deste local no centro da cidade. Uma assosiação de volumes que se debruçam sob a fachada existente, de modo a anunciar um novo momento: um espaço de lazer onde se pode tomar um sumo á sombra duma árvore ou tomar um café ao mesmo tempo que se lê um livro. Sistemas abertos em constante relação com o exterior, que permitem que enquanto se passeia pelo jardim se consiga contemplar o espaço de exposição no interior.

Localização Rua da Constituição, Porto, Portugal 14


ef

cd db

ab a

Rua

Rua

a

b

Cunha

Antero

de

Junior

Quental

Frente Urbana

Planta

Secção aa

Secção bb 15


1.7 1. ART STORE, 2002 Um equipamento que alberga espaços multiusos, espaços de arte para exposições ou ainda oficina de workshops e espaço de livraria e café. Um ponto de encontro cultural no centro de negócios e comércio da cidade do Porto. Uma área totalmente livre, onde as paredes e o chão se difundem num branco pleno de luminosidade.

Localização Rua Antonio Cardoso, Porto, Portugal 16


TORE.COM

ART

ADMINISTRAÇÃO

FUNCIONÁRIOS

ATELIER

WORKSHOP

SANITÁRIOS

auditorio

Planta piso -1

D

C

B

A AUDITÓRIO/ESPAÇO_EXPOSIÇÕES

CAFE

Planta piso entrada PISO DE ENTRADA_COTA69.8

AB

Corte ab

CD

Corte cd 17


1.8 1. IGREJA + CENTRO PAROQUIAL, 2004 “A arquitectura é a vontade de uma época concebida em termos espaciais. Nem o passado nem o futuro, só o dia de hoje se pode fixar. Só assim a arquitectura se pode realizar. Criar a forma com a essência do problema e os meios da nossa época, esta é a nossa tarefa.”

Mies van der Rohe

1234 56

789

10 1.pavimento contínuo à base de grãos de sílica coloridos ligados através de uma resina epoxy 2.betonilha de regularização 3.massame de betão 4.terreno regularizado e compactado 5.grelha_saida de ar 5mm 6.chapa de aço 7.linóleo cinza claro 3mm 8.lajetas de betão 33mm 9.apoios reguláveis 10. laje 300mm

18

Localização Rua da Constituição, Porto, Portugal


Alรงado Igreja_nascente

Corte Igreja_sul-norte

Alรงado Centro Paroquial_sul

Alรงado Centro Paroquial_poente

Corte transversal Centro Paroquial

Corte longitudinal Centro Paroquial 19


1.9 MARINA SECA, 2004 DIVERSIDADE: proporcionar outros espaços outras vivências mantendo a escala da cidade. ESPAÇO PÚBLICO: devolver a darsena á cidade através da continuade duma área pedonal com zonas verdes e zonas de ócio. EQUIPAMENTOS: criar vários tipos de equipamentos, comércio, restauração de modo a que toda esta zona seja vivida não só, pelas pessoas que tem o seu barco na marina seca, como pelo público em geral.

Localização Valencia, Espanha

20


Planta Marina Seca + Zona Comercial

Alรงado marina seca

Corte transversal marina seca

Alรงado zona comercial

Corte transversal zona comercial + marina seca 21


“(...) A ARQUITECTURA TEM UM CARÁCTER AMBIGUO. É UM MODELO DE IDEIAS ABSTRACTO E AO MESMO TEMPO É ALGO QUE EXISTE NA SOCIEDADE.” TOYO ITO


1.10 10 LAR DE TERCEIRA IDADE, 2006

2.80

6.00

Este equipamento, Lar de Terceira Idade, assume-se como um monumento escultórico reflectindo a condição mutante e heterógenea da urbe comtemporânea. Apresenta-se como referência singular dentro da envolvente na tentativa de recuperar a qualidade do perfil urbano através da sua forma emblemática. O edifício surge como uma massa de betão branco que emerge dum manto verde, tornandose um corpo articulado ao sabor da paisagem, resultando a cobertura numa abstração que varia de sentido ritmando os espaços interiores, individualizando-os de acordo com as funções de cada um.

Alçado entrada de serviço 24

Localização Campanhã, Porto, Portugal


Corte_area de estar e refeicoes

Corte transversal_ginasio

Planta

Corte transversal_ginasio

Corte transversal_quarto tipo 25


1.10 10

27


27


“SOMOS NÓS QUE TEMOS DE TOCAR A TERRA DE MANEIRA INAUGURAL, DE FORMA NOVA… COM UMA NOVA VISÃO DE PAISAGEM.” Paulo Mendes da Rocha, Exercício da Modernidade, AU nº8, 1996


2.1 REQUALIFICAÇÃO DO ESTALEIRO DO OURO E ZONA ENVOLVENTE, 2007 Um estudo entre os cheios e os vazios e o que deveria ser uma zona de estar ou de passagem deliniaram os limites da intervençao, ajudando a defenir os espaços na sua qualidade e vivências. Um espaço para ser vivido no presente e ao mesmo tempo uma memória do passado com o espaço-museu que foi criado de modo a dar a conhecer a rica história que este local comporta consigo.

Localização Campanhã, Porto, Portugal 30


31


3.1 EDIFÍCIO DE HABITAÇÃO COLECTIVA, 2007 Numa pequena cidade pertencente ao cantão de Zurique, Scheliren, nasce um complexo habitacional que enquadra desde habitação a escritórios e comércio. Este edificio desenvolve-se de forma continua em volta do quarteirao criando um pátio interno de acesso exclusivo aos moradores. A sua aproximação com a linha de caminhos de ferro levou a um estudo mais especifico do isolamento sonoro, contudo este alçado foi previlegiado para apartamentos pequenos destinados a jovens estudantes. Este complexo absorve assim varias tipologias desde as mais economicas destinadas a javens como as consideradas de luxo com 3 e 4 assoalhadas.

Localização Schlieren, Zürich, Suiça 32


33


3.2 SPORTCENTER GOTTHARD, 2007 Uma proposta para fazer um resort de luxo pelo Egipcio Samih Sawiris do Orascom Group desenvolve a necessidade de criar um masterplan para a estancia de esqui de Andermatt e por conseguinte de lançar um concurso por convite para as diferentes especificidades deste projecto. Numa área total de 977.000m2, este masterplan inclui 400 unidades residênciais, 50 casas de campo privadas, e alguns hoteis de 5 e 6 estrelas com capacidade para mais de 800 convidados e pavilhão de desportos e lazer. Este último o qual desenvolvemos o projecto, correspode a uma área de 19.000m3 que icluía,não só piscinas, spas, como também uma pista de gelo coberta.

Localização Andermatt, Suiça 34


35


3.3 HOSPITAL PÚBLICO , 2007 Concurso publico para ampliação e recuperação dos edificios antigos do Hospital Público da cidade de Solothurn. Devido á sua localização previlegiada no topo de uma colina, decidimos criar um edificio que ao mesmo tempo fosse um icone para o novo skyline da cidade e mantivesse as relaçoes com os edificios de época onde funcionara o hospital até agora., de modo a manter uma relação histórica entre estes dois espaços situdaos cronologicamnete em épocas diferentes.

Localização Solothurn, Suiça 36


37


DADOS PESSOAIS NOME MORADA CÓDIGO POSTAL TEL. DATA DE NASCIMENTO NATURALIDADE NACIONALIDADE ESTADO CIVIL B.I. CONTRIBUINTE CARTA DE CONDUÇÃO E-MAIL

Diva Antunes Freitas Martins da Cruz Rua da Constituição 746, 3ºdireito 4200-195 Porto +351.222418293 +351.933229358 09.11.1980 Massarelos, Porto Portuguesa Solteira 11758349 224931989 P1237358 8 divacruz@gmail.com

FORMAÇÃO ACADÉMICA 2006_ Licenciada em Arquitectura pela Escola Superior Artística do Porto - Cooperativa Árvore [ESAP], concluindo o projecto final de carreira com média de 14 2003/2004_Erasmus na Escola Técnica Superior de Arquitectura de Barcelona, concluido a cadeira de projecto com média de 16 2002_Participação no XVI Seminário Internacional de Projetação Arquitectónica e Urbana do Politécnico de Milão 38


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Outubro de 2006 a Abril de 2007_ Colaboração enquanto arquitecta-estagiária com o arquitecto Álvaro Leite Siza Vieira, Porto, Portugal Maio de 2007 a Novembro de 2007_ Colaboração enquanto arquitecta-estagiária no gabinete da dupla de arquietctos Weberbrunner Architekten, Zurique, Suiça

IDIOMAS Inglês: fluente (falado e escrito) Espanhol: fluente (falado e escrito) Francês: básico (falado e escrito) Italiano: básico (falado)

INFORMÁTICA Word, Autocad 2D e 3D Corel Draw Photoshop inDesign PowerPoint

39


POR T FOLIO


portfólio