Page 1

évoralocal

89

Câmara Municipal de Évora / Director: José Ernesto D’Oliveira // Semanário, 15 Março de 2012

Pelas mãos de chef’s de renome

Show Cooking na Praça de Giraldo A Praça de Giraldo, em Évora, vai ser palco no próximo sábado, dia 17 de março, de um “show cooking” pelos chef’s António Nobre, responsável pelos restaurantes do grupo hoteleiro Mar d’ Ar, e Luís Mourão, do Convento do Espinheiro, numa iniciativa integrada na edição deste ano da Rota de Sabores Tradicionais.

Deliberações

da C.M. de Évora

pág.05

Sabia que...A Convento dos iniciou em 1602?

pág.07

construção do Remédios se

TEATRO

Garcia de Resende

pág.09


évoralocal / pág. 02


Pelas mãos de chef’s de renome

Show Cooking na Praça de Giraldo

A Praça de Giraldo, em Évora, vai ser palco no próximo sábado, dia 17 de março, de um “show cooking” pelos chef’s António Nobre, responsável pelos restaurantes do grupo hoteleiro Mar d’ Ar, e Luís Mourão, do Convento do Espinheiro, numa iniciativa integrada na edição deste ano da Rota de Sabores Tradicionais. A Câmara Municipal de Évora pretende com esta iniciativa trazer para a rua a arte de cozinhar mas ao vivo, “num espetáculo” que se quer interativo entre os cozinheiros e o público, havendo lugar à troca de opiniões e naturalmente à degustação dos pratos confecionados. O “Show Cooking” – a arte de cozinhar ao vivo, da Rota de Sabores Tradicionais vai estar presente no tabuleiro da Praça de Giraldo entre as 10h00 e as 16h00, contando com o apoio da empresa Evoracor (cozinhas Teka), Azeites do Alentejo e da Associação Comercial de Évora.

Esta iniciativa da Rota de Sabores Tradicionais culminará com a realização de uma conferência temática (16h00), na sede da Associação Comercial do Distrito de Évora, com o apoio da ASAE, subordinada ao tema “A Colher de Pau e a Couve de Bruxelas”.

évoralocal / pág. 03


évoralocal / pág. 04


Deliberações da Câmara Municipal de Évora Em reunião pública Câmara de Évora aprovou empreitada da Acrópole XXI

adjudicação

de

A Câmara Municipal de Évora aprovou, em reunião pública ocorrida no passado dia 22, a deliberação de adjudicação do concurso público “Empreitada de intervenção no espaço público do Centro Histórico de Évora – Acrópole XXI” ao agrupamento de concorrentes, constituído pelas empresas Vibeiras, Sociedade Comercial de Plantas, S.A., e Mota Engil, Engenharia e Construção, S.A., de acordo com o Relatório Final, pelo valor de 1.777.408,34 euros (acrescido de IVA). A proposta recebeu quatro votos favoráveis (PS e PSD) e três contra (CDU). Adaptação jurídica do Regulamento de Publicidade e Ocupação do Espaço Público Foi aprovado o Projeto de Regulamento de Publicidade e Ocupação do Espaço Público”, por forma a adaptar e ajustar a política municipal de ocupação do espaço público e de publicidade ao regime jurídico do Licenciamento Zero; e também o “Projeto de alteração ao Regulamento e Tabela de Taxas e Outras Receitas do Município de Évora”, por forma a adaptar e ajustar a política municipal de taxas ao regime jurídico do Licenciamento Zero, nas prestações ligadas à exploração de estabelecimentos que envolvam finalidades de ocupação de espaço público. Ambos os projetos foram aprovados com três votos favoráveis e o voto de qualidade do Presidente, uma abstenção (PSD) e três votos contra (CDU). Com esta atualização, o Município de Évora procura dar cumprimento efetivo à facilitação da iniciativa dos cidadãos e empresas nestas áreas de suporte às atividades económicas, desenvolvendo as necessárias adaptações na organização e métodos de trabalho e funcionamento que favoreçam esse objetivo, pugnando para, com os mecanismos de controlo e reativos ao dispor, garantir um ambiente urbano harmonioso e a qualidade de vida no Concelho.

Apoio municipal à instalação da TDT para os mais desfavorecidos Foi aprovada por unanimidade uma proposta de apoio municipal à instalação da Televisão Digital Terrestre (TDT) para os beneficiários do Cartão Social do Munícipe aderentes ao sistema municipal de distribuição de TV instalado na década de 90 no Centro Histórico com o objetivo de desativar as antenas colocadas nos telhados dos edifícios, sistema que agora se tornou inoperacional com a mudança do sinal analógico para o digital. Tendo em conta as implicações destas alterações, sentidas principalmente ao nível da população mais idosa e com menos recursos, o município assumirá a 100% os custos inerentes à instalação do sistema TDT para uma televisão na residência dos beneficiários portadores de Cartão Social do Munícipe válido. De forma a reduzir os custos a suportar pelo município e a melhorar a eficiência e eficácia da medida, a aquisição destes equipamentos e serviços será realizado pela autarquia. Esta proposta mereceu aprovação unânime. Évora empenhada na melhoria climática A Câmara aprovou por unanimidade o Plano de Ação para a Energia Sustentável, o qual surge no âmbito da adesão do Município de Évora ao Pacto de Autarcas. Recorde-se que a União Europeia lançou o referido pacto em 2008 com a finalidade de alinhar as autarquias nos objetivos do Pacote Energia-Clima. Os seus signatários representam os municípios que assumiram o compromisso de, na sua área, reduzir em 20% as emissões de gases com efeito de estufa até 2020. Évora aderiu ao Pacto de Autarcas em Fevereiro de 2011, tendo os serviços técnicos elaborado agora este documento que inclui um inventário de referência das emissões carbónicas e o plano de ação, no qual se descrevem as medidas que permitirão atingir a meta de redução das emissões de CO2.

évoralocal / pág. 05


évoralocal / pág. 06


Sabia que A construção do Convento dos Remédios se iniciou em 1602?

O ESPAÇO CONVENTUAL DOS REMÉDIOS Devendo a sua fundação a D. Teotónio de Bragança que obteve a autorização necessária de Filipe II, o convento foi construído para a instalação definitiva dos carmelitas descalços que ocupavam um pequeno edifício no interior da cidade. Tendo por projetista Francisco de Mora, arquiteto espanhol autor do projeto do primeiro dos conventos fundados por Sta. Teresa de Ávila, a construção teve início em 1602, instalando-se os monges em 1606, quando o espaço conventual já oferecia condições para a sua permanência. Com a morte de D. Teotónio de Bragança, a comunidade religiosa perdeu o seu grande benfeitor, prosseguindo contudo as obras de construção, essencialmente devido às esmolas oferecidas para o efeito. Inestimável auxílio para os religiosos prestou Álvaro de Miranda Henriques, morador no Paço dos Mendanhas, próximo do convento, que doou em 1613, uma avultada esmola de 200 mil reis, com a qual foi possível terminar as obras. O Convento foi alvo de importantes obras de ampliação em 1719, com a construção do 1º andar que possibilitou a instalação de um novo dormitório e alterações na Sala do Capítulo e no Refeitório. Este projeto foi aprovado em Carnide, em 9 de Fevereiro do mesmo ano por Frei António de Santo Eliseu. A igreja, composta por uma só nave ostenta uma notável obra de talha dourada, no altar-mor, nas capelas laterais e também no púlpito. De destacar a sacristia, que possui um paramenteiro de grandes dimensões que em conjunto com o relicário preenchem por completo uma das paredes, e a capela sepulcral de D. João de Maldonado A. Gama Lobo. Dispersos pela igreja e claustro encontram-se os túmulos de famílias nobres e ilustres, evidenciando-se no transepto o de D. José de Melo, Padroeiro do Convento.

Foto: Espaço Conventual dos Remédios

Com a vitória do liberalismo e a extinção das ordens religiosas, os monges desocuparam o convento, passando este para a posse da Câmara Municipal, por Carta de Lei assinada pela Rainha D. Maria II, em 30 de Julho de 1839. Deveu-se este facto a um pedido da edilidade, como forma de resolver os problemas que a cidade enfrentava relativamente à necessidade de instalação de um novo cemitério que respondesse às modernas normas de higiene e saúde públicas. O novo Cemitério Municipal de Nª Srª dos Remédios foi inaugurado em 1840, nele sendo colocadas magníficas peças vindas de conventos extintos ou demolidos, como são os casos do majestoso portal renascentista do Convento de S. Domingos, atribuído a Nicolau Chanterene e várias imagens de santos católicos colocadas em diversos quarteirões a que deram o nome. Típico cemitério oitocentista, composto por avenidas e praças, com sepulturas e jazigos de vários estilos adornados por estatuária, mármores, ferros e outros materiais, atualmente é formado por 25 quarteirões. Não havendo possibilidade de ampliação, encontra-se atualmente em funcionamento, conjuntamente com o Cemitério do Espinheiro, inaugurado em 1989. évoralocal / pág. 07


évoralocal / pág. 08


Cinema no Auditório Soror Mariana | Março

évoralocal / pág. 03


évoralocal / pág. 10


évoralocal / pág. 11


Évora Local n.º 89  

Évora Local n.º 89

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you