Page 1

évoralocal

67

Câmara Municipal de Évora / Director: José Ernesto D’Oliveira // Semanário, 13 Outubro de 2011

Melhorias no parque escolar no ano lectivo de 2010-2011 Câmara de Évora investiu mais de 200 mil euros só em pequenas reparações

A Câmara Municipal de Évora concluiu recentemente um relatório sobre as intervenções realizadas nos estabelecimentos de educação e ensino da rede pública do concelho referente ao ano lectivo de 2010-2011, tendo o custo total dos trabalhos ultrapassado os 200 mil euros. Escola de Santa Clara

Deliberações

da C.M. de Évora

pág.05

pág.07

Sabia que...No Centro Histórico

de Évora existem 16 estruturas de abastecimento de água (fontes, chafarizes e bicas)??

TEATRO

Garcia de Resende

pág.09


évoralocal / pág. 02


Melhorias no parque escolar no ano lectivo de 2010-2011 Câmara de Évora investiu mais de 200 mil euros só em pequenas reparações

A Câmara Municipal de Évora concluiu recentemente um relatório sobre as intervenções realizadas nos estabelecimentos de educação e ensino da rede pública do concelho referente ao ano lectivo de 20102011, tendo o custo total dos trabalhos ultrapassado os 200 mil euros. No contexto da sua intervenção em matéria de educação, a Câmara considera a manutenção/requalificação do parque escolar do concelho como uma área prioritária de intervenção. Deste modo, além das obras de média e grande dimensão, assumem especial relevância na gestão diária dos estabelecimentos de ensino e educação as pequenas reparações, as quais são asseguradas, na sua maioria, pelo município. No referido ano lectivo, o agrupamento alvo de mais intervenções foi o nº 2 André de Resende, podendo este facto derivar deste agrupamento ser composto quase na totalidade por escolas urbanas, com elevado número de alunos, seguido do nº 3 Stª Clara, o que encontra justificação por este agrupamento enquadrar a EB1 S. Mamede, escola que, pelas características do seu edifício centenário, mais necessita de pequenas requalificações. O tipo de intervenções feitas em 2010-2011 nos diversos estabelecimentos incluiu variados trabalhos, como por exemplo inspecção de equipamentos desportivos; reparações de portas de salas de aula e de vidros em portas interiores e janelas, de fechaduras, de pavimento do campo de jogos e de iluminação de exterior, bem como cedência de tintas e de material de construção civil.

Escola de São Mamede

Houve também intervenções nas infra-estruturas; marcação de linhas de jogo em campos desportivos; manutenção de extintores; instalação de iluminação de emergência; alteração de abertura de portas, reparação de pavimento e colocação de fitas reflectoras nos degraus de refeitório; manutenção de equipamento lúdico; reparação de quadros eléctricos; execução de caixilhos basculantes e de guarda para as escadas e conservação de telhados. O valor total de investimentos no Agrupamento nº 1 (Malagueira) foi de 50.075,06 euros; no nº 2 (André de Resende) atingiu os 69.335,57 euros; no nº 3 (Stª Clara) chegou aos 39.855,10 euros; e no nº 4 (Conde Vilalva) somou 50.145,51 euros; perfazendo no conjunto de agrupamentos um total de 209.411,24 euros. A Câmara Municipal procura responder o melhor possível a todas as solicitações feitas pelos Agrupamentos, pese embora reconheça que nem sempre consegue atender todos os pedidos nos tempos pretendidos.

évoralocal / pág. 03


évoralocal / pág. 04


Deliberações da Câmara Municipal de Évora Em reunião de 3 de Outubro Câmara de Évora aprovou venda de lotes municipais em hasta pública A Câmara Municipal de Évora decidiu, na sequência de propostas que transitaram da anterior reunião camarária, aprovar a realização de hastas públicas para venda de um conjunto de lotes municipais e adequação de outros a futuras propostas de venda. De acordo com o Presidente da Câmara Municipal, José Ernesto d’ Oliveira, estas operações são essenciais para a minoração dos cortes que as receitas municipais têm vindo a sofrer, mercê da política de transferências do Orçamento de Estado para as autarquias locais, e das consequências que tem a situação económica que se vive em todo o país e no nosso concelho. Os Directores do Departamento de Ordenamento e Gestão do Território e do Departamento de Apoio Jurídico e Notariado especificaram, nesta reunião, os fundamentos técnicos das operações agora aprovadas. Foram também aprovadas, por unanimidade, as propostas referentes ao estudo de loteamento de parte da Herdade de Almeirim, integrada no Bairro de Almeirim; e ao estudo prévio de ocupação urbana da Quinta do Bacelo dos Pretos. Tratam-se de situações criadas há mais de 30 anos e que esta decisão reabre a possibilidade de, a curto prazo, serem regularizadas, permitindo agora aos moradores verem legalizadas as suas propriedades, designadamente casas que foram entretanto construídas.

Terrenos do antigo aterro sanitário com nova finalidade Aprovação unânime mereceu ainda a proposta para cedência de Direito de Superfície para Instalação de Central Fotovoltaica à empresa Glintt, sobre uma parcela de terreno na Herdade da Barbarrala (Horta das Figueiras), no antigo aterro sanitário. O terreno em causa não é próprio para construção, porém é viável para este tipo de utilização, sendo esta decisão de significativa importância, pois permite o aproveitamento daqueles solos e contribui também para gerar emprego. Trata-se de um projecto de carácter sustentável, inovador e indutor, nomeadamente ao nível de progresso tecnológico e desenvolvimento económico da região, constituindo uma rampa de lançamento de um novo paradigma que colocará Évora ao nível das mais desenvolvidas do mundo no que respeita ao aproveitamento da energia solar de concentração. Esta central é uma das quatro licenciadas pelo Ministério do Ambiente para Évora, concelho que viu o maior número destes projectos inovadores a ser instalados na sua área. Outros assuntos tratados No final da reunião do dia 28, falou-se sobre a situação do Canil Municipal e foram prestados esclarecimentos sobre o evoluir do inquérito em curso. Após o término da reunião de dia 3, foi abordado o incidente registado esta semana em Torre de Coelheiros com os alunos que beneficiam de transportes escolares, tendo o Presidente da Câmara de Évora esclarecido a injustificada e prepotente acção desencadeada pela Rodoviária e que irá merecer futuras decisões da autarquia eborense.

évoralocal / pág. 05


évoralocal / pág. 06


Sabia que

No Centro Histórico de Évora existem 16 estruturas de abastecimento de água (fontes, chafarizes e bicas)?

Bicas, Chafarizes e Fontes, elementos ainda marcantes do espaço público em Évora A água é vital para o desenvolvimento sustentável das comunidades, sendo sinónimo de sobrevivência num contexto mais elementar e prosperidade num contexto mais específico. A ocupação do território, a construção de paisagens, cidades e o florescimento de civilizações foram, ao longo do tempo, condicionados ou incentivados pela disponibilidade de recursos hídricos. Neste sentido, os sistemas de captação e condução de água assumiram particular importância, sobretudo em regiões onde a disponibilidade deste recurso foi sempre irregular, devido ao regime pluviométrico e hidrológico. É esta a realidade da generalidade da bacia do Mediterrâneo e também do Sul de Portugal. A importância do abastecimento de água para as populações expressou-se, desde a antiguidade, na dignificação e, por vezes, monumentalização dos sistemas de captação e condução, gerando assim riqueza patrimonial também ao nível da engenharia hidráulica, onde confluem valores artísticos, estéticos e científicos, traduzidos nos aspectos funcionais de estruturas como os grandes aquedutos, as caixas de água, os reservatórios, as fontes e os chafarizes. No concelho de Évora a relevância do património hidráulico é notória nos diversos e consideráveis vestígios de estruturas datadas do período romano. Merece também uma referência especial o Aqueduto da Água da Prata (século XVI) e o sistema de distribuição público a ele associado, que substituiu o conjunto de poços e cisternas medievais (há referência à existência de cerca de uma dúzia). Na cidade chegaram aos nossos dias dezasseis estruturas entre fontes, chafarizes e bicas situados intramuros e destinados ao abastecimento de água potável à população, e seis chafarizes extramuros. No seu conjunto, os diversos elementos que constituem o património hidráulico do concelho testemunham a evolução dos sistemas de abastecimento, da técnica e da tecnologia de construção, do gosto e das opções formais das diferentes épocas. Possuíram sempre importância ornamental, simbólica, e de memória da própria história da cidade.

Fonte da Praça do Geraldo

Relativamente à sua origem e época de construção podemos subdividir estes elementos existentes no Centro Histórico em dois grupos principais: - As fontes e chafarizes monumentais edificadas aquando do desenvolvimento do sistema de abastecimento do Aqueduto da Água de Prata (século XVIeXVII). - Os Chafarizes e bicas construídos ou reconstruídos durante o processo de melhoramentos urbanos e infra-estruturação do século XIX/XX, em que foram aplicados novos materiais, como o ferro. Pelo seu valor patrimonial individual, merecem referência: - As três fontes, Praça do Geraldo, Porta de Moura e Largo de Aviz. - Os chafarizes oitocentistas com superfícies cromáticas, Alconchel e S. Mamede. Os chafarizes mais antigos, de origem tardo-medieval, localizam-se na cidade extramuros, junto dos antigos caminhos que conduziam às portas das muralhas (subsistindo três no total e um quarto muito adulterado). As fontes monumentais encontram-se implantadas no centro dos espaços urbanos; os chafarizes maioritariamente na sua periferia, adossados ou não a fachadas de edifícios, observando-se uma grande diversidade de tipologias construtivas e materiais, sobretudo de origem local e regional – mármore e superfícies caiadas. As bicas, chafarizes e fontes mantêm parcialmente utilizações de abastecimento, podendo ser encaradas como pontos de reserva em situações de necessidade, mas assumem sobretudo um papel ornamental e de animação dos espaços públicos. Foi implementado um primeiro programa de valorização, recuperação e restauro em 2005/2006 e, posteriormente, em 2010. Susana Coelho e Eduardo Miranda – Departamento do Centro Histórico

évoralocal / pág. 07


évoralocal / pág. 08


TEATRO Garcia de Resende

Agenda Outubro′11

12 a 15 Festival de Expressões, pela Cercidiana Sala Principal do Teatro Garcia de Resende

17 a 22 Festival Internacional de Dança Contemporânea, pela Companhia de Dança de Évora Sala Principal do Teatro Garcia de Resende

évoralocal / pág. 09


évoralocal / pág. 10


évoralocal / pág. 11


Évora Local n.º 67  

Évora Local n.º 67

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you