Issuu on Google+

évoralocal

14

Câmara Municipal de Évora / Director: José Ernesto D’Oliveira // Semanário, 16 de Julho 2010

Primeiro Festival Alentejo – Évora 2010 Alphaville, Swing out Sister, Peter Murphy e Waterboys A Turismo Alentejo, a Câmara Municipal de Évora e a produtora On Stage apresentam em Évora o primeiro Festival Alentejo – Évora 2010, que se realiza de 30 de Julho a 1 de Agosto, na Zona Industrial da cidade, com um cartaz que inclui nomes da música internacional, como a banda alemã Alphaville, os britânicos Swing Out Sister ou Peter Murphy.

Deliberações

da C.M. de Évora

pág.05

Sabia que...

pág.07

O Inventário Artístico do Concelho de Évora é da autoria de Túlio Espanca

CINEMA

Programação

pág.09


évoralocal / pág. 02


Primeiro Festival Alentejo – Évora 2010 Alphaville, Swing out Sister, Peter Murphy e Waterboys

A Turismo Alentejo, a Câmara Municipal de Évora e a produtora On Stage apresentam em Évora o primeiro Festival Alentejo – Évora 2010, que se realiza de 30 de Julho a 1 de Agosto, na Zona Industrial da cidade, com um cartaz que inclui nomes da música internacional, como a banda alemã Alphaville, os britânicos Swing Out Sister ou Peter Murphy. Segundo a organização, trata-se do primeiro evento musical do género no interior alentejano a ser realizado na linha do Festival do Sudoeste, mas será “mais transversal em termos de idades”. O Peter Murphy é a actuação principal do cartaz no primeiro dia do Festival Alentejo, um cantor que ganhou notoriedade na sua passagem pelos Bauhaus, considerada uma banda de culto em Portugal, e que conseguiu transportar a legião de fãs da banda para a sua carreira a solo. Há muito tempo que se esperava o regresso do cantor a terras lusas e vai ser na planície alentejana que esse regresso vai acontecer.

Os Waterboys, uma banda escocesa que faz uma fusão de música folk/celta com a música rock/pop e que nos anos 80 saiu do anonimato com o tema "The Whole of the Moon", encerrará este primeiro Festival Alentejo juntamente com os portugueses Easyway. O Festival Alentejo espera atrair milhares de visitantes e de turistas com o seu cartaz de três dias, que corresponde a um investimento que ronda os 400 mil euros. Os bilhetes diários têm um custo 10 euros e podem ser adquiridos em www.ticketline.pt, na FNAC, na Worten, papelarias Évora e no Posto de Turismo de Évora, na Praça do Giraldo.

No segundo dia do festival, o destaque vai para os Swing Out Sisters e os Alphaville, duas bandas de música pop muito conotadas com os anos 80. Os Swing Out Sisters alcançaram o seu sucesso com temas como “Breakout”, “Forever blue” e “Am I the Same Girl” e já contam com 25 anos de carreira e 10 álbuns de originais editados. Os Alphaville surgiram em 1983 e tornaram-se famosos com os temas “Big in Japan” e “Forever Young”, canções que continuam a fazer furor no alinhamento dos seus concertos.

évoralocal / pág. 03


évoralocal / pág. 04


Deliberações da Câmara Municipal de Évora Em reunião pública de 14 de Julho Câmara de Évora aprovou moção sobre suspensão do reordenamento escolar

Felicitado Grupo Desportivo Diana pela conquista da Taça de Portugal em Xadrez

A Câmara Municipal de Évora aprovou por unanimidade uma moção apresentada pela Vereadora Cláudia Sousa Pereira no seguimento da recente aprovação na Assembleia da República da suspensão do reordenamento escolar previsto.

Foi aprovado por unanimidade um voto de felicitação, proposto pelo Vereador Manuel Melgão, ao Grupo Desportivo Diana que venceu a Taça de Portugal em Xadrez, época 2009/2010, cuja Final Four se disputou no passado dia 10, na cidade da Gaia.

Neste âmbito, a autarquia eborense propõe que “qualquer intenção de encerramento de escolas ou alteração de funcionamento das mesmas deve ser precedido de discussão com a Câmara Municipal de Évora, a Junta de Freguesia, representantes de pais e encarregados de educação e demais comunidade escolar em causa, sendo obrigatório a emissão de parecer pelas mesmas”.

Perante a precária situação financeira que o clube atravessa, o Vereador afirmou que a Câmara está atenta e procurará ajudar na medida do possível, apesar reconhecer que o modelo de funcionamento terá de ser reformulado e que há um conjunto de apoios que não passam só pela autarquia.

Decidiu igualmente que “quando seja deliberado pelo Ministério de Educação o encerramento de alguma escola, os encarregados de educação possam optar entre matricular os alunos em escolas de uma outra freguesia mais próxima, não necessariamente do mesmo Agrupamento, ou em Centro Escolar do Agrupamento a que pertencem, sendo-lhes dadas as mesmas condições no que diz respeito a transportes, alimentação e condições de usufruir da escola a tempo inteiro”.

Um voto de pesar pela morte da escritora Matilde Rosa Araújo, apresentado pela Vereadora Cláudia Sousa Pereira, obteve aprovação unânime.

Especificou também que “sejam tidas em consideração nestas decisões duas condicionantes, uma de índole pedagógica, outra de preocupação com as freguesias rurais e o seu eventual despovoamento, sendo que o encerramento de escolas deve ser considerado do lado das consequências para a formação das crianças na actual sociedade em que crescem e devem ser integradas, mas também do lado da causa do despovoamento do território que é cada vez mais uma ameaça para estas populações”.

Voto de pesar pelo falecimento de Matilde Rosa Araújo

Este voto, além de salientar em traços gerais os principais pontos do percurso profissional e literário desta autora, sublinha também que Matilde Rosa Araújo “não apenas dedicou a sua vida literária ao público infantil e juvenil, tornando-se uma autora de excelência reconhecida nacional e internacionalmente, como exerceu civicamente um papel fundamental na defesa dos direitos das crianças”, tendo sido professora e sócia fundadora do Comité Português da UNICEF e do Instituto de Apoio à Criança e “escrevendo inúmeras vezes sobre a importância da infância na criação literária para adultos e sobre o papel da literatura infantojuvenil na formação dos mais novos”. Financiamento para concretizar escolas e parque aeronáutico

No que diz respeito a preocupações com a qualidade do ensino/aprendizagem, para a qual contribui o factor de contacto com outras realidades promovida pela melhor socialização dos alunos em escolas com maior número e diversidade de origens de alunos, deverá ter-se em conta que “havendo apenas um limite fixado em número de alunos por escola e num máximo de dois níveis de escolaridade por sala, seja negociado como principal factor a considerar neste campo o número de alunos por ano de escolaridade, devendo este ser fixado num mínimo de três alunos por nível de sala” e também que “a escola para a qual serão encaminhados os alunos das escolas a encerrar deverá ser sempre uma escola que tenha melhores condições no que diz respeito a infra-estruturas como cantina, biblioteca e equipamentos informáticos de que usufruíam na escola a encerrar”.

Foi aprovada por unanimidade a autorização para consulta de seis entidades bancárias com vista à contracção de um empréstimo de longo prazo no montante de dois milhões e oitocentos e trinta e um mil euros para o financiamento da construção das escolas EB/JI dos Canaviais e Bacelo e Loteamento do Parque da Indústria Aeronáutica de Évora.

A Câmara considerou ainda que, no que diz respeito ao contributo que a existência de uma escola numa freguesia rural traz no combate à desertificação, motivo de preocupação de uma política municipal atenta, “importa chamar a atenção para a necessidade de sensibilização dos habitantes das zonas rurais no sentido de matricular as crianças na escola da freguesia e que à Junta de Freguesia cumpra também promover essas acções de sensibilização juntamente com a comunidade educativa local”.

Além destes pontos, foram ainda aprovados diversos outros referentes ao avanço na concretização de projectos de obras particulares e também à concessão de apoios a um conjunto de instituições que realizam trabalho de natureza cultural, educativa, social e desportiva.

A contracção deste empréstimo de longo prazo ao abrigo dos artigos 38º e 39º, nº 6 da Lei 2/2007 de 15 de Janeiro (LFL) enquadra-se na comunicação recebida do Secretário de Estado Adjunto e do Orçamento em que foi autorizado o “excepcionamento de 2,831 milhões de euros para os projectos: Dois centros escolares e loteamento do Parque da Indústria Aeronáutica de Évora”.

évoralocal / pág. 05


évoralocal / pág. 06


Sabia que

O Inventário Artístico do Concelho de Évora é da autoria de Túlio Espanca

O Inventário Artístico de Portugal é uma obra de referência sobre o património nacional, que vendo sendo editado desde 1943 pela Academia Nacional de Belas-Artes. Como refere Reinaldo dos Santos “O cadastro do património artístico foi sempre aspiração de todas as Juntas, Sociedades e Comissões de Belas-Artes, consignado como objectivo dos Conselhos de Arte e Arqueologia e da própria 6ª. Secção da Junta Nacional de Educação.” Mas vinha já do século XIX o embrião de um Inventário, ainda que esparso e parcelar, e não obedecendo a um critério integrador. O Inventário Artístico do Concelho de Évora, de autoria de Túlio Espanca, foi editado em 1966, é constituído por 2 volumes: um de texto e outro de fotografia. Abrange o Concelho de Évora compreendendo a própria cidade, e constitui uma contribuição essencial para o cadastro do património artístico dum dos focos mais notáveis e originais da história e da arte portuguesa através dos séculos. Túlio Espanca foi também o autor dos Inventários dos outros concelhos do distrito de Évora: Zona Norte (Arraiolos, Estremoz, Montemor-o-Novo, Mora e Vendas Novas) e Zona Sul (Alandroal, Borba, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Viana do Alentejo e Vila Viçosa), editados, respectivamente, em 1975 e 1978. Em 2000, esta Obra foi digitalizada e está disponível em CD-rom e encontra-se disponível para consulta no Núcleo de Documentação da Câmara Municipal de Évora

évoralocal / pág. 07


évoralocal / pág. 08


CINEMA Programação

évoralocal / pág. 09


évoralocal / pág. 10


évoralocal / pág. 11



Évora Local 14 Julho 2010