Page 1


1 – Vídeo Educativo

 A tecnologia educacional oferece diversos caminhos para promover um ambiente de aprendizagem mais adequada. Assim, existem vários recursos que podem ser utilizados para fins de ensino, dentro deles podemos citar o Vídeo Educativo.  O vídeo é um meio tecnológico que explora capacidades expressivas, desenvolve a motivação e pode ser adequado a qualquer faixa etária, pois, o ser humano está em constante processo de aprendizagem ao longo da vida, o que torna o vídeo uma valiosa ferramenta de aprendizagem.  O vídeo educativo já vem sendo utilizado há longa data, com provas dadas no terreno, por possibilitar uma exploração diferente dos temas abordados bem como uma melhor visualização dos conteúdos lecionados.


1 – Vídeo Educativo

 O vídeo educativo pode despertar na pessoa ou aluno curiosidade e interesse pela investigação, bem como diversas outras competências, desde que utilizado de forma adequada e adaptada aos objetivos de aprendizagem.  A combinação de linguagens áudio e visual permite uma maior retenção mnésica e por isso, uma maior facilidade na aprendizagem. O vídeo educativo proporciona o desenvolvimento do pensamento crítico, promove a expressão e a comunicação, favorece a visão interdisciplinar, a integração de diferentes capacidades e inteligências bem como a valorização do trabalho de grupo.  Contudo, o vídeo nem sempre é utilizado com o intuitivo formativo, ou seja, muitas das vezes é usado para preencher os tempos livres ou sem objetivo bem definido, tal como qualquer outra tecnologia, se o vídeo não for utilizado de forma adequada dificilmente irá proporcionar uma aprendizagem adequada.


2 – Classificação de Vídeos Educativos

 Tendo em conta o conceito global que envolve o termo vídeo educativo, é necessário propor uma categorização, que considera todas as possíveis aplicações que podem tirar de vídeo. Portanto, um vídeo educativo pode ser classificado da seguinte forma:  Vídeo Documentário: uma forma ordenada mostra informações sobre um tópico específico (por exemplo: um vídeo sobre a mineração).  Narrativa Vídeo: narrativa através da qual se apresenta informação relevante para os alunos (por exemplo: um vídeo sobre a vida de uma pessoa histórica).  Lição Mono Conceitual: é um curto vídeo que se concentra em apresentar um conceito particular (por exemplo: um vídeo sobre o conceito de cadeia alimentar, ou a simular o voo de um pássaro).


2 – Classificação de Vídeos Educativos

 Tema da Lição: o vídeo educativo clássico que é sistematicamente apresentando com profundidade e destinatários e define gradualmente as diferentes seções de um tema específico (por exemplo: um vídeo sobre as influências da arte numa sociedade).  Vídeo Motivador: destina-se principalmente a provocar impacto, motivar os espectadores interessados, mesmo que isso signifique fazer uma apresentação sistemática de conteúdo e um certo grau de rigor científico (por exemplo: um vídeo que tem como objetivo alertar sobre os perigos da SIDA). Eles geralmente têm uma estrutura narrativa.


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Outra forma de criar vídeos educativos é através da combinação de animação e transição de imagens estáticas, utilização de personagens reais, entre outros. A criação de vídeos é uma prática muito comum entre os jovens, porém a criação de vídeos educativos é uma atividade mais complexa e obedece a determinadas etapas.  Exige uma Sinopse: é uma síntese relativa à narrativa ou ao conteúdo do vídeo, é um sumário ou uma versão mais curta de um texto original. O objetivo da sinopse é fazer com que o leitor entenda os pontos principais da narrativa e é essencial para fazer com que os indivíduos se interessem pelo conteúdo do Vídeo.

 Geralmente, a sinopse começa com o título, traz também o nome do autor, a ideia principal do texto, não contém a interpretação e nem opinião da pessoa que escreveu.


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Um Argumento: construção da narrativa com os detalhes relativos ao conteúdo ou matéria escolhida para explorar no vídeo. A narrativa deve ter a seguinte estrutura:  Introdução: o autor apresenta as personagens e dá indicações sobre o lugar e o tempo em que decorre a ação.  Desenvolvimento: é contado o desenrolar da ação e são feitas descrições de personagens, locais, entre outros.  Conclusão: é contado o desfecho da história.  Autor: pessoa que escreve a história.  Narrador: ser imaginado pelo autor para contar a história.


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Presente ou Participante: conta uma história em que participa como personagem. Fala na 1ª pessoa quando se refere a si como personagem.  Ausente ou Não Participante: limita-se a contar a história, sem participar como personagem. Fala sempre na 3ª pessoa.  Personagens: seres que atuam na história responsáveis pelo desenrolar da ação.  Personagem Principal: tem grande importância no desenrolar da história.  Personagem Secundária ou Figurantes: têm menor importância no desenrolar da história.


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Retrato Físico: descrição dos aspetos físicos de uma personagem: cor dos olhos, estatura, o que veste, entre outros.  Retrato Psicológico - descrição da maneira de ser de uma personagem: sentimentos, emoções, feitio, reações, entre outros.  Um Roteiro: uma descrição detalhada de tudo o que vai acontecer no vídeo, conhecido também por Guião, que é um texto escrito que estabelece os critérios que ajudarão na realização do vídeo, tais como: os diálogos, informação sobre os cenários, os planos das personagens, os movimentos de câmara e outras indicações técnicas que se considerem relevantes.


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Em cinema e televisão, pelo facto de a narrativa decorrer alternadamente em diferentes cenários, saltando instantaneamente de um para outro, implica uma designação diferente para os elementos que compõem a descrição narrativa.

 O termo Sequência designa as divisões mais extensas da narrativa (os maiores blocos em que se pode dividir), cada uma podendo integrar diversas Cenas (cenários narrativos), cuja Acão se representa através de uma sucessão de Planos (unidades de imagem e de som) a que corresponde diversas Tomadas de Vista (pontos de observação/colocação da câmara).


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias doVídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo - Planos


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 A etapa seguinte é a elaboração do Storyboard: pode ser considerado uma das etapas finais, a par do Guião, integrando desenhos e indicações técnicas associadas ao texto. O storyboard consiste numa forma ilustrada de planificação das sequências em quadros desenhados, funcionando como ferramenta de pré-visualização antes da rodagem, permitindo ver com maior clareza a relação dos vários elementos descritivos, bem como comunicar melhor as ideias a toda a equipa.  Normalmente cada sequência de planos é agrupada numa mesma página, reproduzindo em cada plano o ponto de vista e enquadramento, os intervenientes e objetos de ação, elementos do cenário, diálogos, locuções, sons, ambiente, duração, entre outros. Podem ser feito a partir de desenhos, fotografias, colagens, ou outras técnicas, sendo a sua prioridade a comunicação visual.


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Gramática do Storyboard


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo

 Exemplos de Storyboards


3 – Etapas Necessárias do Vídeo Educativo


4 – Vantagens que os Vídeos podem trazer para a Educação

 Os vídeos despertam interesse no aluno e nas pessoas que assistem ao mesmo;  Fixa a atenção das pessoas;  Torna o processo de aprendizagem mais dinâmico e motivador;  Estimula a intelectualidade e curiosidade;  É bom na educação à distância, podendo levar a informação a lugares de pouco acesso;  Melhora a abordagem dos assuntos;  Facilita a aprendizagem e favorece o enriquecimento dos assuntos abordados;  Fornece informação de forma ilustrada e apelativa;


5 – Cinema de Animação

 O Cinema de Animação refere-se ao processo segundo o qual cada fotograma de um filme é produzido individualmente, podendo ser gerado quer por computação gráfica, quer fotografando uma imagem desenhada repetidamente fazendo pequenas mudanças na mesma, esta técnica é conhecido por : claymation ou stop motion.  Quando os fotogramas são ligados entre si e o filme resultante é visto a uma velocidade de 24 frames por segundo, existe a ilusão de movimento contínuo.


5.1 – Cinema de Animação na Educação

 O Cinema de Animação passa a ser um espaço de ensino e aprendizagem de fundamental importância para a formação das gerações presentes e futuras, firmandose como um novo sistema de linguagem no registro da realidade social e muito útil na educação escolar e não só.  O termo “educatement” está cada vez mais em voga e é relativo à utilização de conteúdos educativos que promovem e facilitam a aprendizagem de forma lúdica.

 O Cinema de Animação deixa de ter somente um caracter lúdico infantil e começam a adaptar-se às faixas etárias mais elevadas, como forma de entretenimento e, sobretudo, de transmissão de valores morais de caracter coletivos e tão necessários nos dias de hoje.

Vídeo Educativo  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you