Issuu on Google+

naturais.indd 1

07/05/12 10:27


naturais.indd 2

07/05/12 10:27


EDITORIAL

Diretor Presidente Pedro Zidoi Diretora Administrativa Abigail J. C. Maglio Diretor Institucional Nelson Grecov Diretor Financeiro José Carolino Campos Jornalista responsável Celso Arnaldo Araújo (MTB: 13.064) Gerente de Marketing e Vendas Graziele C. Lucato Diagramação e arte Dawis Roos (dawisroos@gmail.com) Colaboração Amora Comunicação (Assessoria de Imprensa Aspen Pharma), Dr. Rodrigo Rebelo Peters Editora Lison Rua Santa Isabel, 160, 4º andar Vila Buarque, São Paulo/SP CEP: 01221-010 • (11) 3361-5705 Fale com a gente fitoterapicos@abcfarma.org.br ABCFARMA Rua Santa Isabel, 160, 5º andar Vila Buarque, São Paulo/SP CEP: 01221-010 • (11) 3223-8777 www.abcfarma.org.br Distribuição ABCFARMA Publicidade Lison Editora Impressão e acabamento Gráfica PGE

A evolução dos produtos fitoterápicos, ou fitomedicamentos, são uma realidade marcante no mercado atual. Produtos naturais com eficácia comprovada, e devidamente registrados e aprovados pela ANVISA, representam uma forma de tratamento alternativo de inúmeras doenças. Há uma legião cada vez maior de profissionais de saúde e consumidores que estão aderindo a esta prática, que torna-se uma alternativa terapêutica a ser avaliada. Por outro lado, farmácias, drogarias e empreendedores do setor vislumbram nessa categoria de produtos uma excelente opção de rentabilidade para seus estabelecimentos. Nossas matérias buscam informar e orientar o modo mais seguro e ético de se fazer uso dos produtos desse segmento específico, que ocupam um posicionamento cada vez mais sólido e rentável no mix de medicamentos do mercado brasileiro. Nesta edição, apresentamos as propriedades terapêuticas de alguns fitoterápicos e o poder das plantas no combate ao stress, o grande mal de nossos dias, além da nova força das ervas e o poder terapêutico dos fitoterápicos em outras moléstias. Aproveite bem sua leitura e ofereça a seus clientes o que há de mais moderno e eficaz em termos de fitoterapia.

100 95 75

25 5 0

Pedro Zidoi Presidente da ABCFARMA ABCFARMA Especial Fitoterápicos 3 logos_retratos_17

sexta-feira, 29 de julho de 2011 11:34:14

naturais.indd 3

07/05/12 10:27


FITOTERÁPICOS

A NOVA FORÇA DAS ERVAS OS MÉTODOS QUE A CIÊNCIA TRADICIONAL DEVE USAR PARA ENTENDER O PODER TERAPÊUTICO DA MEDICINA FITOTERÁPICA Por Claus Peter Simon

F

armacólogos ligados ao pensamento mecanicista da medicina química olham para a concorrência verde como se fosse uma “criancinha bonitinha, mas de procedência duvidosa”. Outros pesquisadores tentaram isolar e sintetizar substâncias de conteúdos distintos das plantas, para delas desenvolver medicamentos químicos – mas fracassaram. No caso da valeriana, por exemplo, partiu-se do pressuposto que os valepotriatos seriam as substâncias realmente importantes para 4

naturais.indd 4

sua afamada eficácia: acalmar os nervos. Foram então extraídos os valepotriatos e receitados como medicamento. Para surpresa dos pesquisadores, esse remédio levou repentinamente a uma excitação do sistema nervoso. De forma semelhante aconteceu com a Erva de São-João: quando se isolaram os hiperforins, considerados responsáveis únicos pelo efeito estimulador da disposição, o concentrado fabricado dessa forma foi menos eficiente do que um produto obtido de uma planta inteira.

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 10:27


Ao que tudo indica, não apenas uma única substância de conteúdo é responsável pela eficácia dos preparados, mas a interação de várias substâncias. “O modo de agir da medicina fitoterápica é fundamentalmente diferente daquele da medicina química”, diz o médico holístico alemão Volker Fintelmann. A medicina convencional apresenta sempre sucesso quando há um distúrbio local no corpo, provocado por uma causa -- por exemplo, um adoecimento por salmonela ou uma

infecção bacteriana. Se os agentes patogênicos desapareceram após o tratamento, o medicamento fez efeito. Os fitofármacos, contudo, visam o organismo como um todo, não uma única bactéria ou um vírus. Por essa razão, o modo de agir é difícil de mensurar e é essa a causa de os preparados falharem com tanta frequência diante dos critérios de avaliação da medicina convencional. A força dos procedimentos de cura natural, segundo Fintelmann, mostra-se ABCFARMA Especial Fitoterápicos

naturais.indd 5

5

07/05/12 10:27


FITOTERÁPICOS

Procedimentos médicos alternativos mostram com frequência bons resultados na prática, mesmo quando são pouco plausíveis cientificamente. em desordens da autorregulação do corpo. Por exemplo, processos inflamatórios crônicos ou um sistema imunológico deficiente. Mas também no caso de indisposições com mais ou menos gravidade,

por exemplo, resfriados, insônia, problemas estomacais, de menopausa e intestinais. Em resumo, em todos os processos patogênicos, nos quais a passagem entre doente e sadio, na maioria dos casos, é corrente.

COM MAIS CRITÉRIO

Volker Fintelmann é co-autor do “Manual da Fitoterapia” junto com Rudolf Fritz Weiss. O texto desta obra é embasado em pesquisas científicas. A divisão do conteúdo, organizada para facilitar a leitura, apresenta primeiro os conceitos dos vegetais e depois explica detalhadamente qual a prescrição para diversos casos clínicos. Há um índice para consulta rápida com a relação de todas as plantas citadas na obra. As abordagens são descritas a partir de casos clínicos. A obra é uma fonte de consulta também para alopatas que querem conhecer os conceitos e as indicações dos fitoterápicos.

6

naturais.indd 6

Volker Fintelmann pôde fazer uma constatação: os pacientes costumam seguir a ingestão de remédios fitoterápicos com muito critério, porque eles tomaram a decisão para isso, pagaram por eles e acreditam em sua eficácia, ou porque consideram que os médicos, que lhes prescreveram tais remédios, os levam a sério. É uma medicina holística no melhor sentido, na qual os pacientes não recebem pílulas que um médico lhes prescreveu após uma breve consulta e que depois engolem com maior ou menor disposição. “Procedimentos médicos alternativos mostram com frequência bons resultados na prática, mesmo quando são pouco plausíveis cientificamente”, diz Klaus Linde, do centro para pesquisa de cura natural na Universidade Técnica de Munique. Pode-se dar a isso o

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 09:33


nome de efeito placebo? No caso da raiz chinesa ginseng, que seria capaz de aumentar a capacidade ativa e as defesas naturais do organismo, a resposta para Gerd Glaeske, especialista alemão em medicamentos farmacêuticos, é indubitavelmente “sim”. “O ginseng vive principalmente de seu exotismo e das expectativas das pessoas. Ligam ao ginseng o envelhecimento sadio e um efeito de aumento da potência”. Não existem estudos confiáveis, tãosomente o conhecimento de que camundongos alimentados com ginseng nadam mais rápido e por mais tempo. Glaeske considera a raiz coreana um “preparado placeboforte”. Mas nem todos os especialistas o enxergam dessa forma.

E encontram-se em revistas e jornais científicos de renome, como The Lancet ou American Journal of Epidemology, trabalhos não comprobatórios, mas que atestam que uma ingestão regular de produtos de ginseng suficientemente dosados pode proteger até contra alguns tipos de câncer. Além disso, há indícios de que a quimioterapia e a radioterapia são mais bem-suportadas com o uso de ginseng. Em culturas de células, o ginseng conseguiu deter o crescimento de células cancerígenas. “Experimentos em tubos de ensaio”, revidou Gerd Glaeske, “nada têm a ver com o efeito em seres humanos”. E ressalta: “A questão sobre um efeito preventivo do ginseng em caso de câncer poderia ser mais bem-estudada”. ABCFARMA Especial Fitoterápicos

naturais.indd 7

7

07/05/12 09:33


FITOTERÁPICOS

DIAS MAIS FRIOS: SAIBA COMO PROTEGER A SAÚDE

C

om a aproximação de dias mais frios, as doenças respiratórias começam a atacar. O clima mais gelado e seco é bastante propício ao surgimento de gripes, resfriados, bronquites e outros incômodos. Segundo especialistas, uma boa forma de se prevenir desses males é lavar sempre as mãos e evitar levá-las ao nariz e à boca, quando estiverem lugares com grandes aglomerações. Outra dica fundamental é beber bastante água. Especialistas recomendam ainda o cuidado com a manutenção periódica do ar condicionado, tanto do carro, quanto

8

naturais.indd 8

de ambientes, já que o aparelho acumula poeira, bactérias e fungos. Quando essa manutenção não está em dia, pode causar problemas respiratórios, como a rinite. De acordo com médicos, nos dias mais frios, é fundamental proteger também as extremidades do corpo (cabeça, pés e mãos), porque a perda de calor acontece por meio dessas regiões, sendo as primeiras áreas afetadas pelo frio. Por isso, é importante se aquecer para facilitar o trabalho do organismo em manter a temperatura corporal entre 36º e 37º. Para combater os malefícios da gripe forte e bronquite, há fitomedicamentos na indústria farmacêutica que podem ser alternativas seguras, tais como os produtos à base de mel e abacaxi. As enzimas presentes no abacaxi atuam sobre a secreção, diminuindo a viscosidade e promovendo sua expectoração. Além disso, as enzimas ajudam na absorção de antibióticos, o que aumenta a eficácia do tratamento. Fitomedicamentos elaborados a partir do extrato seco da Hederahelix, planta indicada no tratamento sintomático de afecções broncopulmonares, também são boas opções.A substância possui efeito expectorante, mucofluidificante e broncodilatador.

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 09:33


naturais.indd 9

08/05/12 10:10


MEDICAMENTOS

MEDICAMENTOS FITOTERÁPICOS: DECIFRANDO SEUS CÓDIGOS Dr. Rodrigo Rebelo Peters

O

mercado brasileiro de medicamentos fitoterápicos está apenas se preparando para garantir que seu crescimento seja sustentável. Esta preparação deve-se aos avanços da regulamentação, das políticas públicas e de investimentos em pesquisa por empresas do setor farmacêutico. Os medicamentos Fitoterápicos devem ser considerados como uma questão de soberania nacional, dada a imensa quantidade de espécies vegetais presentes no Brasil -- algo em torno de 55 mil. Mas ainda estamos literalmente dormindo sob um grande arsenal terapêutico. Ao avaliarmos a definição de Medicamento Fitoterápico tal como descrito na RDC 14/2010 podemos entender as nossas deficiências. De acordo com a RDC 14/2010, “os Medicamentos Fitoterápicos são considerados os obtidos com emprego exclusivo de matérias-primas ativas vegetais, cuja eficácia e segurança são validadas por meio de levantamentos etnofarmacológicos, de utilização, documentações tecnocientíficas ou evidências clínicas. Os medicamentos fitoterápicos são caracterizados pelo conhecimento da 10

naturais.indd 10

eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade. Não se considera medicamento fitoterápico aquele que inclui na sua composição substâncias ativas isoladas, sintéticas ou naturais, nem as associações dessas com extratos vegetais (RDC No 14, DE 31 DE MARÇO DE 2010)”. As matérias-primas ativas vegetais empregadas na elaboração dos fitoterápicos são obtidas através de processos de extração. De uma forma simplificada, nestes processos são empregados solventes (água, álcool, mistura de água e álcool) que favorecerão a retirada dos princípios ativos da planta. Geralmente, os extratos obtidos passam por processo de concentração. As matérias-primas ativas vegetais são comercializadas na forma de tintura, extrato fluido, extratos secos e óleos, entre outros. Embora tenhamos uma vasta quantidade de plantas no Brasil, não temos produtores de extratos que atendam às demandas internas. Os extratos obtidos de plantas nativas e comercializados no Brasil têm uma grande variabilidade entre fabricantes

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 09:33


medicamento fitoterápico. Isso preconiza que pesquisas etnofarmacológicas podem resgatar informações valiosas que irão corroborar os estudos farmacológicos préclínicos. Coletar e registrar o uso popular de forma sistemática, através de pesquisas etnofarmacológicas, pode contribuir para ampliar as opções terapêuticas fitoterápicas. Os resultados dos estudos pré-clinicos e clínicos muitas vezes são necessários a fim de garantir que a formulação e a forma farmacêutica produzida possam atender e reproduzir os achados populares. Temos muitos estudos sobre plantas que foram publicados em revistas indexadas nacionais e internacionais. Estes estudos revelam o potencial terapêutico de muitas plantas. No entanto, a maioria desses estudos ficaram restritos aos ensaios pré-clínicos. A realização de estudos clínicos é necessária, não para validar o conhecimento popular, mas para complementá-los. e entre lotes de produção. Extratos obtidos de plantas exóticas geralmente vêm de fora. E a história se repete: onde está a nossa expertise em desenvolver extratos vegetais? Será que as fórmulas estão presas nas gavetas das universidades? Será que também já estamos dependentes de extratos produzidos no exterior? A eficácia e a segurança são validadas por meio de levantamentos etnofarmacológicos de utilização, documentações tecnocientíficas ou evidências clínicas. A grande riqueza do medicamento fitoterápico é a possibilidade de unir os saberes populares e acadêmicos. O uso popular pode contribuir para a garantia da qualidade, segurança e eficácia de um

Os medicamentos fitoterápicos são caracterizados pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade. A qualidade do medicamento fitoterápico se dá, na sua grande parte, pela qualidade do extrato utilizado em sua formulação. Na obtenção do extrato temos muitas variáveis a serem controladas e estas se iniciam no cultivo da matéria-prima vegetal. A variabilidade do teor de princípios ativos das plantas cultivadas no Brasil é um ponto crítico. Ainda temos poucas iniciativas que possam garantir uma produção controlada e em larga escala. O respeito pelos conhecimentos, sabedorias e práticas baseadas em histórias, crenças e ABCFARMA Especial Fitoterápicos

naturais.indd 11

11

07/05/12 10:28


MEDICAMENTOS

experiências de diferentes culturas unidas ao conhecimento científico de excelência deve ser norteador das nossas ações para o desenvolvimento de Fitoterápicos Brasileiros eficazes, seguros e de qualidade. Você compreende tudo que está escrito numa embalagem de Fitoterápico? As embalagens dos medicamentos fitoterápicos deverão conter informações importantes como: 1. O nome do produto (marca) 2. Logo abaixo do nome do produto, o nome científico da planta medicinal... 3. seguido pela quantidade de extrato obtido desta planta por ml ou mg de produto 4. E a padronização do princípio ativo/ marcador por ml ou mg do produto.

BularioEletronico/) encontramos diversos xaropes à base de Mikania glomerata e também diversas padronizações. Essas diferenças certamente podem comprometer o tempo e o custo do tratamento.

Dizer que um Medicamento Fitoterápico é mais concentrado que outro apenas pela quantidade de extrato é um erro. O que determina essa diferença é a padronização do extrato pela determinação do marcador ou do princípio ativo. Por exemplo, no Bulário Eletrônico da ANVISA (http://www4.anvisa.gov.br/

*Farmacêutico, Doutor em Farmacologia pela Universidade de Santa Catarina (UFSC), diretor da Austen Farmacêutica, coordenador do Curso de Farmácia da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), pesquisador do Grupo de Pesquisa em Produtos Naturais (Grupnat/UNISUL).

Medicamento

Concentração do Extrato no Xarope

Concentração do Princípio Ativo/Marcador no Xarope

Guacoflus Austen Farmacêutica

0,5 mL/5,0 mL

0,0800 mg/mL

Guacoplex Vitamed

0,0833 mL/mL

0,0700 mg/mL

Guacolin Kress

0,4165 mL/ 5 mL

0,0500 mg/mL

Peitoral Martel Kley Hertz

0,08 mL/mL

0,0352 mg/mL

Xarope de Guaco Herbarium

0,5 mL/5,0 mL

0,0350 mg/mL

Guacotoss Ifal

0,05 mL/mL

0,0300 mg/mL

12

naturais.indd 12

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 10:28


ABCFARMA Especial Fitoterรกpicos

naturais.indd 13

13

07/05/12 10:28


CONTRA PARASITOSES

O PODER DA MENTHACRISPA, A “HORTELÃ-DO-CAMPO”

C

onhecida popularmente no Brasil como Hortelãdo-campo ou Hortelã-de-folha-miúda, a Menthacrispa é uma planta de folhas crespas, redondas, opostas, com cheiro forte e agradável. Estudos científicos comprovam sua eficácia no combate à infestação por giardíase e amebíase, parasitoses que atingem principalmente as crianças. No Brasil, estimase que somente a giardíase atinja entre 12,4% e 50% da população, acometendo, principalmente, crianças de até quatro anos. Segundo dados da OMS, a infestação por ameba leva ao óbito cerca de 100 mil pessoas por ano, sendo superada apenas pela malária em número de mortes por protozoários. De acordo com o pediatra Dr. José Gonçalves Mataruna, o uso de antiparasitários em crianças pode impedir a evolução do quadro clínico. “A maioria dos infectados por ameba e giárdia não apresenta sintomas. Quando sintomática, a giardíase leva a um quadro clínico que inclui diarreia, dor abdominal, fadiga e falta de apetite. A má absorção de nutrientes causada por esta infecção pode ocasionar perda de peso e anemia. Já a amebíase, quando não diagnosticada e tratada a tempo, pode colocar em risco a vida do paciente”, explica Dr. Mataruna. Entre os tratamentos disponíveis está o fitomedicamento à base de Menthacrispa. Segundo Dr. Mataruna, a “Menthacrispa tem como principal benefício sua alta eficácia no tratamento da amebíase e da giardíase, além de apresentar baixo risco de efeitos adversos”. Conheça a amebíase e a giardíase:

14

naturais.indd 14

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 10:28


AMEBÍASE GIARDÍASE Protozoose limitada ao intestino, atingindo principalmente a porção superior do intestino delgado de adultos e crianças. Sintomas: Na sua forma aguda, os pacientes apresentam enterite aguda, acompanhada de dores abdominais. Já a forma crônica inclui a eliminação de fezes amolecidas, com aspecto gorduroso, fadiga, falta de apetite, acúmulo e eliminação excessiva de gases (distensão abdominal e flatulência). A má absorção de nutrientes pode ocasionar perda de peso e anemia.

Protozooze que pode se apresentar em forma intestinal ou extraintestinal, através da invasão de tecidos. Sintomas: Variam de acordo com a forma e a gravidade da doença: na amebíase intestinal, os sintomas vão desde um leve a moderado desconforto abdominal, com eliminação de fezes com muco e sangue, até uma diarreia aguda e fulminante, de caráter sanguinolento e mucoide, acompanhada de febre e calafrios. Podem ocorrer períodos de remissão. Em casos graves, formas do protozoário chamadas de trofozoitas, se disseminam pela corrente sanguínea, provocando abscessos no fígado (com maior frequência), nos pulmões ou no cérebro. Quando não diagnosticadas a tempo, estas formas de amebíase extraintestinal podem pôr em risco a vida do paciente.

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

naturais.indd 15

15

07/05/12 10:28


ANTI-STRESS

SOSSEGA, LEÃO O PODER DAS PLANTAS CONTRA O STRESS

A

fitoterapia, que utiliza plantas medicinais para corrigir desequilíbrios do organismo, é uma alternativa para quem quer tratar o estresse de forma mais natural. Com chás e preparações feitas em farmácias de manipulação é possível reduzir diversos sintomas, como cansaço, tristeza, dor de cabeça, agitação, tensão e angústia. Para escolher as plantas mais adequadas para cada caso, um médico especializado em fitoterapia precisa identificar de onde vem o stress. “Investigamos o estilo de vida da pessoa, o ambiente em que vive, a qualidade do seu sono, o hábito alimentar, o funcionamento da memória e a forma como lida com as emoções, além, claro, dos sinais físicos que apresenta, tais como dores na coluna e no pescoço e alterações nos sistemas respiratório e cardíaco”, explica o naturólogo Luís Gustavo Viderman. Seguindo o tratamento de forma correta, diz Viderman, os resultados são satisfatórios em 80% dos casos. “Se é muito crônico, demora uns dois a três meses para estabilizar. O estresse mais simples já melhora em uma semana”, afirma. De acordo com o profissional, na maioria dos casos de stress, precisam ser tratados os sintomas psicológicos ou neurológicos, 16

naturais.indd 16

endocrinológicos e imunológicos, já que o distúrbio afeta o cérebro, os hormônios e as defesas do organismo. Entre as principais plantas utilizadas no tratamento de stress estão ginseng coreano, folha de maracujá, valeriana, pfaffia, carqueja e melissa. Viderman explica como cada uma delas age:

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 09:33


GINSENG COREANO (RAIZ) Propriedades: afrodisíaca, antidepressiva, anti-inflamatória, antioxidante, diurética, estimulante, fortificante e revitalizante. Indicações: anemia, cansaço, baixa capacidade aeróbica, convalescença, deficiência de libido e ereção, depressão, falta de concentração, função imunológica falha, inflamação na garganta, hemorragia, menopausa, estresse, infecções e doenças de pele.

MARACUJÁ (FOLHA) Propriedades: antiespasmódica, antifebril, calmante, refrescante, sedativa e sonífera. Indicações: alcoolismo crônico, ansiedade, crise nervosa, fadiga, insônia, stress, asma, cólica, dor de cabeça, espasmo muscular, convulsão infantil, pressão alta e tosse.

VALERIANA (RAIZ) Propriedades: antiespasmódica, anti-inflamatória, sedativa, relaxante muscular, sonífera e vasodilatadora. Indicações: estresse, angústia, ansiedade, cansaço mental, insônia, nervosismo, hiperexcitabilidade, asma, espasmos, palpitações cardíacas e problemas circulatórios. ABCFARMA Especial Fitoterápicos

naturais.indd 17

17

07/05/12 09:33


ANTI-STRESS

PFAFFIA (RAIZ) Propriedades: analgésica, ansiolítica, anti-inflamatória, antioxidante, estimulante da circulação periférica, revitalizante e tranquilizante. Indicações: anemia, baixa imunidade, falta de força muscular, falhas na circulação periférica, estresse, fadiga física e mental e problemas de memória.

CARQUEJA

(ERVA INTEIRA) Propriedades: antiespasmática, antibiótica, antiviral, anti-inflamatória, antioxidante, digestiva, emoliente e estimulante hepática. Indicações: anemia, anorexia, asma, estresse e problemas nos sistemas hormonal e imunológico.

MELISSA (FOLHAS) Propriedades: adstringente, analgésica, antialérgica, antiespasmódica, antiinflamatória, estimulante, relaxante e sedativa. Indicações: ansiedade, insônia, stress, dor de cabeça, nervosismo, fadiga, depressão, hipertensão, taquicardia, distúrbios no sistema circulatório e espasmos.

18

naturais.indd 18

ABCFARMA Especial Fitoterápicos

07/05/12 09:33


naturais.indd 19

07/05/12 09:33


anuncio-EPAv11 FINAL.pdf

1

3/22/12

3:25 PM

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

2

naturais.indd 20

07/05/12 09:33


ABCFARMA Fitoterápicos #4