Page 1


TRATAMENTO DE PISOS


Índice  Porque fazer um tratamento de piso?  Fases do tratamento de piso  Tipos de pisos  Vantagens do tratamento  Conceitos técnicos  Equipamentos e acessórios  Etapas do tratamento  Produtos

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Porque fazer um tratamento de piso?

1- Para conservação do substrato natural; 2- Melhorar o nivelamento da superfície; 3- Diminuir o fator atrito, consequentemente o desgaste; 4- Melhorar a estética, aumentando o nível de brilho; 5- Prıncıpalmente facılıtar a lımpeza e manutenção.

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Fases do tratamento

1- DIAGNÓSTICO; 2- PLANEJAMENTO; 3- PROCESSAMENTO; 4- MANUTENÇÃO.

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Tipos de piso

POUCO POROSOS

P

r

o

j

e

t

POROSOS

 Vulcapiso

 Granilite

 Paviflex

 Granito

 Fórmica

 Marmorite

 Plurigoma

 Concreto

 Granito polido

 Cerâmica

 Mármore polido

 Ardósia

o

Tratamento de piso


Vantagens do tratamento

 Média e alta resistência e durabilidade  Propriedades antiderrapantes  Maior brilho (brilho molhado)  Maior nivelamento  Maior resistência à abrasão

 Menor tempo de trabalho

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Conceitos

DOMÉSTICO

INSTITUCIONAL

 Alta capacidade de selagem

 Baixa capacidade de selagem

 Sem cultura de remoção

 Cultura de remoção

 Aplıcação manual

 Aplıcação técnıca

 Baixa e média dureza

 Média e alta dureza

 Maior porcentagem de ceras

 Maior porcentagem de polímeros acrílicos

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Conceitos Componentes do acabamento acrílico

 Emulsões de cera Formadores do filme, redutores de atrito.  Resınas álcali-solúveis Promotores de brilho, nivelamento e remoção  Polímeros acrílicos

Formadores de filme.

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Conceitos Componentes do acabamento acrílico

 Coalescentes Ajustam o tempo de secagem e espalhamento.  Nıvelantes Ajustam a tensão superfıcıal.  Antıespersantes

Evıtam bolhas de ar durante a aplıcação.

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Conceitos Processo de formação do fılme Ceras lustráveıs em baıxas rotações - deposıção de sólıdos Película de cera mole logo após a secagem

Película de cera mole após Polimento em baixa velocidade

Piso

Piso

Acabamentos acrílicos - coalescência Veículo Líquido

Partículas de Polímero acrílico

Piso

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

Pressão capilar

Gravidade

Filme formado


Conceitos Processo de formação do fılme Ceras lustráveıs em baıxas rotações - deposıção de sólıdos Reflexo difuso brilho opaco

Reflexo difuso brilho opaco

Luz incidente

Luz incidente

Piso

Piso

Reflexão difusa em piso resiliente

100% de reflexão Brilho excelente Luz incidente

Piso

REFLEXÃO IDEAL

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

Absorção de luz em Acabamento ımpróprıo


Equipamentos e acess贸rios

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Equipamentos e acessórios Velocidades das enceradeiras

Velocidades (rpm)

P

r

o

j

e

t

o

Brasil

175 – 300

LS

1500 – 2400

HS

ACIMA DE 2500

UHS

3000

PROPANO

Tratamento de piso


Equipamentos e acess贸rios Velocidades das enceradeiras

DISCOS REMOVER

AZUL OU PRETO

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

LIMPAR

LUSTRAR

VERMELHO OU

BRANCO, CHAMPAGNE

VERDE

PELO DE PORCO


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

PREPARAÇÃO  LIMPEZA  REMOÇÃO  SELAGEM ACABAMENTO MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

PREPARAÇÃO  LIMPEZA  Varredura do local para remoção de poeira, terra  (Utilização de mop pó)

 Remoção de sujidades aderidas ao piso (gomas, graxas – uso de espátulas)

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

PREPARAÇÃO  REMOÇÃO 6 MESES APÓS O TRATAMENTO

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

PREPARAÇÃO  REMOÇÃO REMOÇÃO

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

PISO REMOVIDO


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

PREPARAÇÃO  REMOÇÃO PISO REMOVIDO

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

PISO NÃO REMOVIDO


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

PREPARAÇÃO  SELAGEM  Aplicar uma camada de espessura média uniformımente, recobrindo toda área. Aguardar a secagem entre as demãos (2 à 3 demãos) tempo de secagem = 45 minutos.

 A aplicação deve cobrir toda área em movimentos uniformes (retos e paralelos) evitando-se deixar espaços sem produto.

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

ACABAMENTO  TIPOS  Lustráveis baixo tráfego: composto por resinas acrílicas de baixo sólidos, necessita de lustro com máquina low speed, recomendado para baixo tráfego;

 Lustráveıs médio tráfego: composto pela combinação de polímeros acrílicos, proporciona auto brilho, pode ser lustrado, aumentando mais o seu brilho, recomendado para médio e baixo tráfego;  Lustrável Alto Tráfego: composto por polímeros acrílicos de última geração, proporciona altíssimo índice de brilho, resistência ao tráfego e lavagens, pode ser polido com máquinas HS ou UHS, indicado para alto tráfego. P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

ACABAMENTO  Aplicar uma camada de espessura média uniformemente recobrindo toda área;  Serão aplicadas de 3 a 4 camadas de impermeabilizante de acordo com a necessidade;

 Aguardar a secagem entre as demãos 30 à 45 minutos;  A aplicação deve cobrir toda área em movimentos uniformes (retos e paralelos) evıtando-se deixar espaços sem produto.

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

ACABAMENTO TRATAMENTO UHS ELFEN

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

ACABAMENTO TRATAMENTO UHS

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO MANUTENÇÃO DIÁRIA – LAVAGEM  Varrer o pıso (mop pó), retirar resíduos sólidos  Fazer diluição do NEUTRON ou E200 e aplicar no piso, espalhar com mop umido  Esfregar com enceradeira e disco vermelho  Enxaguar o piso e deixar secar  Polimento com enceradeira HS ou UHS com disco champagne, para tratamentos HS e UHS

 Depois de 20 dias de aplicação, utilizar disco pêlo de porco para polimento P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Etapas do tratamento Etapas do tratamento

MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO PROBLEMAS MAIS COMUNS  Falta de aderêncıa – mal enxague, tempo secagem inadequada, excesso de camadas;

 Formação de pó – falta de aderência, o pıso trinca com o tráfego, esfarela a película;  Estrias – observa-se marcas dos acessórios utilizados na aplicação, pouco produto no piso, mop sujo, resíduo de removedor;  Escorregamento – presença de resíduos (pó, grãos), não secagem completa do produto. P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Linha TRATAMENTO DE PISOS

P

r

o

j

e

t

o


Linha MANUTENÇÃO DE PISOS

P

r

o

j

e

t

o


Produtos Trรกfego Reflexo difuso brilho opaco Microfissuras

Piso

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

Microfissura Causada pelo Trรกfego sobre O piso sujo


Produtos High Speed

Microfissuras

Piso

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

Microcorte com polimento High speed


Produtos Brilho X Tempo

RECAMADAS

APLICAÇÃO

BRILHO

POLIMENTO SECO

TEMPO P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso


Tratamento de pisos

PRODUTOS QUÍMICOS ELFEN

MÃO DE OBRA

P

r

o

j

e

t

o

Tratamento de piso

EQUIPAMENTOS


ELFEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA 019 3862 5423 COMERCIAL@ELFEN.COM.BR WWW.ELFEN.COM.BR

Tratramento de Pisos  

Tratramento de Pisos

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you