Issuu on Google+

EVOLUÇÃO I Profª Mary Ann Saraiva Fornelos


EVOLUCIONISMO X FIXISMO


TEORIA DA EVOLUÇÃO: VISÃO GERAL • As espécies vivas são passíveis de modificações que alterem sua morfofisiologia ao longo dos séculos ou milênio. • As espécies existentes atualmente originaram-se de outras preexistentes. • A linha evolutiva ocorre no sentido de possibilitar a adaptação das espécies às condições existentes num determinado ambiente.


1. AS IDEIAS SOBRE EVOLUÇÃO – SÉC. XIX • ESTUDO DOS FÓSSEIS • EMBRIOLOGIA COMPARADA • ANATOMIA COMPARADA PRINCIPAIS TEORIAS – SÉC XIX: - LAMARCKISMO - DARWINISMO


1.1. A IMPORTÂNCIA DOS FÓSSEIS NO ESTUDO DA EVOLUÇÃO • Nicolau Steno – italiano: 1669 – Teoria orgânica fósseis são marcas dos seres vivos do passado • Charles Lyell – Inglês: 1830 livro: Princípios da Geologia - A Terra era muito mais antiga e passara por mudanças lentas - Organizou estratos geológicos: Cambriano>Siluriano>Carbonífero


LAMARCK


1.2. Primeiros Pensadores sobre Evolução • Vallisneri (italiano, 1661-1770): fósseis da Itália • Leclerc – Conde de Buffon – reuniu plantas e animais de todo o mundo: obra com 44 volumes - 1776: os animais precedem de outros animais


Jean Baptiste Pierre Antoine de Monet, Cavalheiro de Lamarck ( 1774 – 1829 ) • Zoologista e botânico francês - Philosophie Zoologique (1809)

• Seres vivos se transformavam com o tempo e criavam novas espécies – TENDÊNCIA AO APERFEIÇOAMENTO • Ideias centrais: 1. Adaptação ao meio; 2. Lei do Uso e desuso; 3. Hereditariedade dos caracteres adquiridos.


Pensamento Lamarkista Segundo Lamarck, as girafas teriam, a princípio, pescoços curtos e viveriam em ambientes onde a vegetação rasteira era relativamente escassa.

“Um caráter adquirido, como resultado do uso ou desuso, seria transmitido aos descendentes.”


OUTROS ESTUDOS DE LAMARCK • Classificação de grupos de artrópodes de forma correta. Lamarck retirou Tunicados (hoje cordados) e cracas (hoje crustáceos) do filo dos moluscos.

• Escreveu ainda no início do século XIX, por volta de 1810, que “nada pode ter vida se suas partes constituintes não forem tecidos celulares”.


CHARLES DARWIN


A Viagem de Darwin – 1831 a 1836


DARWIN E OS FÓSSEIS • 1836: visita a Lyell com fósseis coletados no Chile - 3000m, Villavicencio, Chile – fósseis de árvores perfeitos - Eram fósseis mais recentes que o Carbonífero: Triássico - 1834 vivenciou o terremoto + tsunami (+/- = 2010) - Opôs-se ao CATASTROFISMO. - Acreditava no UNIFORMISMO: os fatores de mudança geológica que atuaram no passado são os mesmos que atuam hoje.


DARWIN EM GALÁPAGOS


TENTILHÕES DE GALÁPAGOS •Segregação geográfica de espécies muito aparentadas: ilhas diferentes eram ocupadas por espécies diferentes.

•Segregação de hábitos entre espécies que vivem juntas: ocupam o mesmo hábitat, mas exploram recursos alimentares diferentes.


Charles Darwin ( 1809 – 1882)

•LIVROS: - A origem das espécies por meio da seleção natural (1859); - A descendência do homem e a seleção em relação ao sexo (1871);

Nestes livros fundamentou a Teoria da Evolução por meio da seleção natural


Em linhas gerais as ideias de Darwin consideravam que: • Os indivíduos de uma mesma espécie mostram muitas variações na forma e na fisiologia;

• Parte destas variações são transmitidas à prole; • Se todos os indivíduos de uma espécie se reproduzissem, o crescimento das populações seria exponencial;

• Por causa do limite nos recursos naturais, os indivíduos de uma população lutam pela sua sobrevivência e dos seus descendentes; • Logo, apenas os mais aptos, sobrevivem e deixam filhos; • Pela seleção natural, as espécies serão representadas por indivíduos cada vez mais adaptados.


Influência nas ideias de Darwin • Thomas Malthus ( 1766-1834, sociólogo) população humana tende a crescer para além das possibilidades do meio, cresce exponencialmente, geometricamente , enquanto que os recursos alimentares crescem em progressão aritmética” “

Livro sobre as populações (1798), afirma que muitas espécies produzem um grande nº de descendentes, mas apenas alguns poucos sobrevivem.


Maior Colaborador : Charles Lyell -As leis naturais são constantes no espaço e no tempo; -Deve-se explicar o passado a partir dos dados do presente; -As mudanças geológicas que ocorreram na Terra foram lentas e graduais; A obra De Lyell popularizou o conceito de que a configuração da Terra se deve a processos físicos, químicos e biológicos desenvolvidos durante longos períodos e não a acontecimentos catastróficos e repentinos. Em Elements of Geology (1838, desenvolveu uma ampla descrição de rochas e fósseis europeus.


Colaborador • Alfred Russel Wallace (18231913, cientista) Obra “A tendência das variedades de se afastarem indefinidamente do tipo original”


Seleção Artificial • Darwin reforçou sua Teoria usando o exemplo da seleção artificial que o homem fazia com raças de bovinos e cães, por exemplo. Nesse caso o homem atua selecionando as variedades que considera vantajosa. • Darwin faleceu em 1882 de Doença de Chagas, que contraiu na América do Sul quando realizou expedições.


Exemplo do Darwinismo?

A explicação para a evolução do pescoço das girafas se deve ao fato de que já existiam girafas que apresentavam pescoço com tamanhos diferentes, havendo, portanto, variação nessa característica.


EXPLICAÇÕES DE DARWIN E LAMARCK PARA HERANÇA DAS CARACTERÍSTICAS

A - Teoria de Lamarck da progressão orgânica. Ao longo do tempo, as espécies se originam por geração espontânea e cada uma delas “evolui” estabelecendo uma escala de organização, que parte das formas mais simples, originadas recentemente, em direção as formas mais complexas, de origem mais antiga. No esquema de Lamarck, as espécies não se originam de um ancestral comum. B - Teoria de Darwin, da descendência com modificação, representada por uma árvore filogenética. Linhagens (espécies) descendem de um ancestral comum, sofrendo várias modificações ao longo do tempo. Algumas espécies (representadas pelo ramo esquerdo) podem sofrer menos modificação com relação à condição ancestral do que outras (como as linhagens representadas pelo ramo direito).


Darwin defendeu a Teoria da Pangênese •Hipócrates, 400aC •Gêmulas ou pangenes Afirmava que todos os órgãos e células produziriam pequenas cópias – gêmulas ou pangenes. Essas cópias seriam levadas pelo sangue até os ovários e testículos, participando da formação dos gametas; as gêmulas eram passadas para os descendentes no momento da concepção. Se um órgão ou célula fosse modificada por ação ambiental, as gêmulas modificadas iriam transmitir tais modificações para os gametas, ou seja, para a descendência.


Teoria do Germoplasma •August Weismann – NEODARWINISMO - 1875

Baseava-se no estudo de células. Weismann observou que a cromatina do núcleo se condensava em cromossomos que eram igualmente repartidos na mitose e, reduzidos pela metade na meiose. Assim, Weismann estava convencido e propôs a independência entre células somáticas e germinativas e que, somente as mudanças nas células germinativas era transmitida à descendência.


As 5 Teorias de Darwin – Ernest Mayr • • • • •

Mudança Perpétua - evolução é contínua Descendência Comum – árvores filogenéticas Multiplicação das espécies – Cladogênese Gradualismo – Anagênese Seleção Natural (baseia-se em três proposições)

- Existe variação entre os organismos (no interior de populações), em caracteres anatômicos, comportamentais e fisiológicos. - A variação é pelo menos parcialmente herdada e assim a prole tende a ser semelhante aos pais. - Organismos com formas variantes diferentes deixam proles com números diferentes para as futuras gerações. As variedades que permitem aos seus possuidores explorar mais efetivamente os seus ambientes, preferencialmente, sobreviverão e seus caracteres serão transmitidos às futuras gerações.


PESQUISA BRASILEIRA APOIA DARWIN • Fritz Müller (alemão, naturalizado brasileiro) - estudos com crustáceos, realizados no litoral do Estado de Santa Catarina. • pesquisa que visava acompanhar o desenvolvimento embrionário de um microcrustáceo do gênero Tanais. • Depois de apanhados no mar, os animaizinhos eram levados à casa do cientista para serem analisados por longos períodos. • Ele observou que na época em que alcançavam a maturidade sexual, os machos se pareciam com as fêmeas e depois sofriam modificações. • Após um tempo, restavam apenas duas formas de machos - e uma delas predominava sobre a outra. Na briga por alimento e comida, a grande maioria dos sobreviventes apresentava “pinças” gigantes (usadas para capturar o alimento).

• Com isso, concluiu que, mesmo sendo da mesma espécie, os animais competiam entre si. Mas apenas um grupo ganhava a briga, levando ao desaparecimento do outro, menos apto a sobreviver.



Evolução