Page 1

CITOPLASMA Profª. Mary Ann Saraiva Fornelos


CITOPLASMA: INTRODUÇÃO REGIÕES DO CITOPLASMA •Hialoplasma ou Citosol: sistema coloidal, aquoso onde estão imersos o núcleo, as organelas e as inclusões. •Inclusões (paraplasma ou deutoplasma) - grãos de amido e lipídios (cél. vegetal), - grânulos de glicogênio, gotículas lipídicas e pigmentos (cél. Animal).

•Organóides: estruturas com funções específicas.

Video... A seguir


CITOESQUELETO

•MICROFILAMENTOS actina

MÓVEIS

• MICROTÚBULOS tubulina

•FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS (suporte)


CITOESQUELETO NO ME

CITOESQUELETO - ESQUEMAS

MICROFILAMENTOS EM CÉLULA EPITELIAL

MICROTÚBULOS FIL. INTERMEDIÁRIOS EM CÉLULA EPITELIAL EM CÉLULA EPITELIAL


CONSTITUINTES DO CITOESQUELETO • MICROTÚBULOS

• MICROFILAMENTOS

F. INTERMEDIÁRIOS

• formados de tubulina; • partem do centrossomo (região central da célula que atua como centro organizador de microtúbulos-MTOC );

• formados por actina; • ficam na periferia celular, próximos à membrana;

o constituídos por várias proteínas, principalmente a queratina; são fibrosas oTonofilamento(c. epit) oNeurofilamentos oDesmina(c. muscular)

• FUNÇÕES: -dá suporte estrutural; -forma os fusos mitótico e meiótico (divisão celular); -forma centríolos, cílios e flagelos. - transp. Vesículas - mudança de cor em polvos, peixes.

• FUNÇÕES: - suporte para microvilosidades; - atua nos movimentos de ciclose, ameboide e de citocinese (separação das células-filhas na divisão celular); - agem com a miosina na contração muscular em animais.

FUNÇÕES: - dão força mecânica às células; - são estruturas estáveis, não participando dos movimentos celulares; - participam de desmossomos; -atuam na ancoragem 5 -formam lâmina nuclear


MOVIMENTOS CELULARES Movimento ameboide

Ciclose

Proteínas motoras: interagem com os microtúbulos e os microfilamentos que funcionam como trilhos de um trem e movem estruturas celulares para locais específicos da célula. Uma dessas proteínas motoras é a quinesina e nas células vegetais, a quinesina arrasta os cloroplastos para longe da luz muito intensa ou em direção à fonte de luz sob condições de menor luminosidade.


RIBOSSOMOS Citosol

Retículo endoplasmático granuloso

Esquema de célula animal

Subunidade maior Ribossomos

Micrografia eletrônica de varredura mostrando numerosos ribossomos. Foto colorida artificialmente.

25 nm Subunidade menor

Esquema simplificado do ribossomo


RIBOSSOMOS

LOCALIZAÇÃO E DESTINO DAS PROTEÍNAS SINTETIZADAS Proteína Polissomo livre Enzima livre no citosol no citosol

Mitocôndria

Proteína do citoesqueleto

Cloroplasto Peroxissomo

Proteína nuclear

8


RIBOSSOMOS - REG


CENTRÍOLOS • Formação de cílios e flagelos • Coordenação do movimento ciliar e flagelar • Relaciona-se à formação do fuso mitótico


CÍLIOS E FLAGELOS (UNDULIPÓDIOS) CÍLIOS: numerosos e curtos

FLAGELOS:

poucos e longos

CÍLIO PRIMÁRIO: Um cílio também pode atuar como uma “antena” que recebe sinais para a célula. Os cílios que possuem essa função em geral não são móveis e se apresentam em 11 número de um por célula, sendo dito cílio primário, tendo o padrão “9 x 2 + 0”, isto é, sem o par central de microtúbulos.


CÍLIOS E FLAGELOS: A IMPORTÂNCIA DA DINEÍNA E A SÍNDROME DE KARTAGENER


RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO GRANULOSO  Formado por um sistema de membranas intracelulares.  Função: síntese e transporte de proteínas.


RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO NÃO-GRANULOSO Esquema

Ribossomos

Esquema de célula animal

Retículo endoplasmático não-granuloso


RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO NÃO-GRANULOSO • Síntese de lipídios

• Desintoxicação • Controle da ação muscular (reserva de Ca++) • Participa da autofagia (auxilia lisossomo)

• Armazena substâncias na cél. Vegetal (forma vacúolos) • Aumenta superfície intracelular (+ ação enzimática)

• Regulação osmótica – retira substâncias do citosol e facilita a entrada de água por osmose. •Comunicação entre organelas via vesículas. •Glicogenólise.


REL e a tolerância ao álcool e às drogas Superfície de RE (m²/100g de tecido)

Dias de tratamento

RE

Dias após o tratamento


Funções:

COMPLEXO GOLGIENSE

•Armazena e secreta (glicosilação) •Síntese de Glicídios •Formar o lisossomo (digestão celular) •Formar o acrossoma (espermatozoide) •Formar a lamela média (cél. vegetal)

Face CIS (formativa): voltada para o REG Face TRANS: mudanças epigenéticas Psiu!! Secretar X excretar (resíduo)


REG/ GOLGI EM CÉLULAS SECRETORAS Ácino

Vesícula eliminando secreção (exocitose)

Lúmen do ácino

Célula acinosa do pâncreas

Núcleo

Célula caliciforme do epitélio intestinal

Vesículas cheias de secreção soltando-se do complexo golgiense

Cavidade intestinal Vesículas contendo muco

Complexo golgiense

Retículo endoplasmático granuloso: síntese e transporte Entrada de aminoácidos

Núcleo

Porção apical

Porção basal


AÇÃO INTEGRADA: SÍNTESE E SECREÇÃO


LISOSSOMO

DIGESTテグ INTRACELULAR

AUTOFAGIA


LISOSSOMOS: AUTOFAGIA EM HEMÁCIAS Célula nucleada da medula óssea vermelha (eritroblasto) O núcleo é eliminado por exocitose Autofagia das organelas citoplasmáticas

-ÚTERO -METAMORFOSES -SILICOSE

-ARTRITE

DIGESTÃO EXTRACELULAR FRATURAS ÓSSEAS

xx/xx

Hemácia (célula anucleada)

AUTÓLISE

21


PROTEASSOMAS: DIGESTÃO PROTÉICA


PEROXISSOMOS -Desintoxicação celular (enzimas peroxidase e catalase) -Transforma lipídios e proteínas em acetil-CoA (para mitocôndria). -Oxidam ácidos graxos > acetil > usados na síntese do colesterol.

-Degradam radicais livres. -Têm enzimas que catalisam a formação de fosfolipídios do estrato mielínico ( adenoleucodistrofia)

•GLIOXISSOMOS (sementes) •GLICOSSOMOS (tripanossomos – glicose>ATP) Os peroxissomos dividem-se por fissão.

23


REAÇÃO NO PEROXISSOMO •

RH2 + O2 peroxidase

(molécula orgânica tóxica

R

+

(molécula não tóxica)

H2O2 (peróxido de H2)

como o etanol)

2 H2O2 catalase

2H2O + O2

24


HIDROGENOSSOMOS E MITOSSOMOS

alguns protozoários flagelados e ciliados, além de alguns fungos que vivem em ambientes pobres em oxigênio ou em anoxia

algumas amebas e giárdias primitivas, consideradas os primeiros eucariotos e não possuidoras de mitocôndrias

CINETOPLASTO: mitocôndria primitiva de alguns protozoários

25


RETÍCULO NUCLEOPLASMÁTICO • Ativa genes • Multiplicação celular

•Diferenciação celular •Apoptose


VACÚOLOS Vacúolos de digestão intracelular Vacúolos contráteis ou pulsáteis: ocorrem apenas em protistas de água doce, participando do controle osmótico desses organismos. Vacúolos de suco alimentar ou vacúolos vegetais: são organelas citoplasmáticas exclusivas das células vegetais; são delimitados por uma membrana lipoprotéica denominada Tonoplasto. - Surgem do C. golgiense ou REL - Armazena metabólitos primários e secundários (usam na defesa)

vacúolos


LEITURAS PARA QUEM QUER SABER MAIS...


ENZIMAS LISOSSÔMICAS SUBSTRATO

TIPO DE ENZIMA LISOSSÔMICA

Proteínas.............. catepsinas, dipepdases, carboxipeptidases e colagenase. Lipídios ................lípases lisossômicas, esterases e fosfolipases. Glicídios .............. glicosidases, galactosidades, hialuronidase e lisozima.

Ácidos nucléicos..desoxirribonuclease e ribonuclease Sulfatos ................arisulfatases Fosfatos ...............fosfatases ácidas, pirofosfatases

29


COMUNICAÇÃO CELULAR • A sinalização celular desencadeia:  o desenvolvimento embrionário;  a diferenciação celular;  as respostas celulares a hormônios;  a regulação da divisão celular e a apoptose.

• Há dois tipos gerais de sinalização celular:  a local: células animais se comunicam por contato direto ou secreção de reguladores locais, como os neurotransmissores  a de longa distância: células animais e vegetais utilizam hormônios.


ESTÁGIOS DA COMUNICAÇÃO CELULAR 1. RECEPÇÃO 2. TRANSDUÇÃO DE SINAIS 3. RESPOSTA CELULAR proteína receptora que abre ou fecha a passagem de íons, como o Na+ ou o Ca2+.

Citoplasma 2016 - BioS  

Material Didático BioS

Citoplasma 2016 - BioS  

Material Didático BioS

Advertisement