Page 1

Ilha dos sonhos e o dragão alado Ao sul da Colômbia, as criaturas mágicas esconderam do mundo com um feitiço, a Ilha dos Sonhos, que já é conhecida pelos anciões. Mas por que abandonar um lugar de paz, juntando aos humanos?Naquela existe à criatura das trevas com mais poder, o Dragão alado. E só um (a) elfo mestiço entre trevas e luz tem o poder suficiente para enfrentá-lo, sendo assim deixando a ilha livre de todo mal. Esta já nasceu seu nome é Holanda!

Capítulo 1: Chegada à ilha O mundo todo já foi mapeado, não? Mas existem indícios de que ao sul da Colômbia exista uma ilha deserta, cheia de belezas naturais e mitos... Ninguém ao menos conhece, com exceção dos anciões das criaturas mágicas. Os anciões suspeitam de que ali, resida o incrível Dragão alado, com quatro cabeças, sendo que cada uma delas tem uma característica particular. Uma é de fogo, a outra de gelo, uma tem dentes enormes e a outra pode te confundir profundamente, você ousaria ir a um lugar assim? Com uma criatura tão perigosa...? Ao norte da Colômbia mora Holanda, esta é uma fada de grande poder, cheia de sonhos, desejos e com uma vontade enorme de explorar. Ela é muito persistente e não desiste antes de conseguir o que quer. Uma menina loira, alta, delicada, meiga, gentil e muito educada, mas o que esconde por trás desta menina? Sua família vem de uma antiga e poderosa linhagem de elfos e fadas, ela é mestiça entre um elfo de luz (mãe) e um das trevas (pai), sendo que é considerada uma princesa e a fada existente com maior poder... Sua família vive normalmente com os humanos, eles sempre mudam de lugar, afinal tem uma vida extensa e alguns conseguem ser imortais, graças à pedra de jasmim. Holanda faz parte da linhagem eterna, mas só tem 232 anos, uma pequena idade quando se comparada a outros. Certo dia Holanda acorda e vai até ao armazém Dream perto de sua casa, este é o armazém que os elfos costumam frequentar, afinal seu dono Jorge é um elfo, lá Holanda escuta uma tal Ilha dos Sonhos... Enquanto Holanda pega seus produtos lentamente, Seu Jorge conversa com um cliente sobre a tal. -Sim, lá é muito perigoso. Depois que saímos de lá, ninguém sequer ousa chegar perto.-Diz Seu Jorge em tom manso. -Mas, por quê? O que houve lá?-Um cliente curioso pergunta -Ninguém sabe ao certo, mas ali tem magia negra, muita magia negra. É perigosíssimo.-Alerta Jorge. Holanda então começa pensar... -Será que existe mesmo? Irei encontrar aventuras? Ela então aproveita que está sozinha em sua casa, sobre rapidamente ao quarto de sua mãe e começa a procurar algo relacionado... Então numa jogada de sorte, dentro de um fundo falso na cômoda de sua mãe, ela encontra um mapa com todas coordenadas de onde fica a tal ilha. Detalhes sobre criaturas das trevas que possa residir ali dentre outras informações; Todas as informações sobre a ilha estão ali, exceto sobre o Dragão alado... O qual tem um enorme poder destrutivo. Holanda sabe que lá deve haver aventuras, mas não espera o que irá encontrar posteriormente. Ela então convence seu primo Amadeu um jovem sagaz, forte e belo a ir contigo nesta aventura, o qual leva sua irmã Diana uma garota baixa, de olhos brilhantes, mas que por dentro esconde uma brava guerreira, esta também é amiga de Holanda. Mas eles não podem ir estão sem mantimentos, barco, sem seus arcos... E agora? Holanda então tem uma incrível idéia, ela rouba o barco de seu vizinho na praia. Quanto aos armamentos e mantimentos? Um jovem elfo, que é considerado “nerd” e muito rico da redondeza empresta tudo o que eles necessitam. Mas mesmo assim, Holanda leva seu antigo arco, junto às outras ferramentas... No quinto dia do mês, com o pensamento persistente os três decidem partir, afinal já tem tudo. Eles acertam os últimos detalhes e partem em direção à praia, chegando lá... Holanda tem uma incrível surpresa o barco foi roubado por um grupo de jovens bêbados, ela então lança um feitiço contra o barco, o qual volta com aqueles ladrões; Holanda não excita em jogar os quatro garotos, um gordo e careca, outro era bonito e de olhos verdes, também havia um que parecia um jogador de basquete, por último vinha um de óculos, baixo e magro que parecia ter sido raptado pelos outros. O jovem garoto gordo diz: -Quem é você, uma bruxa? Holanda não mede suas palavras e diz: -Não meu jovem, sou apenas uma jovem em busca de aventuras... Os três Holanda, Amadeu e Diana sobem no barco e partem, Amadeu como sempre vai ao comando do barco, enquanto Diana e Holanda arrumam tudo... Afinal terá três dias de viajem até chegar à ilha dos sonhos. Na mesma noite, eles decidem deixar o barco em piloto automático e vão jantar. Diana é considerada uma ótima cozinheira, ela prepara a ceia daquela noite. Então quando todos estão se reunindo um grande barulho é ouvido, semelhante à de um raio. Amadeu sobe rapidamente até a superfície do barco, e o que era? Começara a chover e aquilo era apenas uma trovoada, então o mar fica agitadíssimo, balançando o barco loucamente! Diana fica assustada, mas como sempre Holanda ajuda-a, acalmando: -Fique em paz Diana, é apenas uma pequena tempestade. Tudo ficará bem. Em contra partida Diana diz: -Será? Holanda prefere não rebater, afinal percebia o nervosismo de Diana. Com isso resolve descer novamente as escadas, ficando na parte inferior do barco. Logo após Diana faz o mesmo, sendo assim as mesmas ficam lá durante a tempestade. Elas vão repousar, enquanto Amadeu segue controlando o barco bravamente. No dia seguinte todos acordam, mas ainda faltam dois dias até a chegada na ilha. Todos vão tomar seu desjejum preparado pela cozinheira Diana. Eles se mostram confiantes e muito ansiosos até a chegada na ilha dos sonhos, Holanda diz: -Diana, você cozinha muito bem. Sem você passaríamos “mau” nesta jornada. [risos] Diana então em um tom engraçado diz: -Com certeza, por isso eu vim. Gosto de ajudá-los. [risos] Todos estão muito felizes e confiantes... Passado dois dias, na chegada à ilha [...] Amadeu então é o primeiro a descer, ele ancora o barco na praia. Diana e Holanda lançar um feitiço no barco, tornando-o invisível. Afinal eles ficarão ali, mas não eternamente. Com todas as mochilas nas costas, garrafas com água, arcos em mãos e muita coragem eles vão adentrando na ilha... Quando de repente um grande estrondo é ouvido. Amadeu então diz para Holanda: -O que será isso? Ela sem resposta apenas diz: -Vamos, não podemos perder um minuto sequer aqui... Eles saem em disparada, afinal já está anoitecendo e precisam de um local para passar à noite. Holanda consegue achar um riacho, com um bom lugar para acampar. Ela então chama Amadeu e Diana, eles montam rapidamente a barraca e vão dormir. Afinal no dia posterior eles terão quer achar comida e terminar de arrumar o “lar”. No meio da noite, o mesmo estrondo é ouvido novamente, mas eles se perguntam: -O que poderá ser isso? Pensando não ser nada demais, voltam a dormir. Afinal terão um imenso dia pela frente. No dia seguinte... Ainda faltam alguns ajustes no acampamento, então enquanto Amadeu vai atrás de comida, Diana e Holanda terminam de fazer os últimos ajustes. Amadeu pega seu arco e vai adentrando a floresta, quando ele avista um ser “estranho”, desconhecido até então pelo mundo elfo. O que será? Este tinha enormes garras, um olhar penetrante, ele andava como os humanos, mas não era humano. Era peludo e sombrio. Amadeu não espera o primeiro movimento, sem remediar atira uma flecha em direção a ele. Ele subitamente pula em direção ao Amadeu, os dois brigam loucamente. Mas Amadeu é um elfo dominador do fogo, ele então cria uma serpente de fogo e afasta seu inimigo: -Sai daqui ser maligno, nunca poderá nos deter! Após o ocorrido, Amadeu vê uma árvore com deliciosas maças ele então vai até lá e as pega. Voltando assim ao acampamento... Chegando lá, ele conta o ocorrido na floresta. Diana fica assustada, sem reação! Mas como sempre Holanda, lhe conforta... Ainda terminando de arrumar o acampamento, eles mostram um tom animado.Mas Holanda fica decepcionada, afinal ainda não obteve sua primeira aventura.;Todos comem suas maças e ficam ali conversando, afinal o sol já está se pondo. Enquanto isso ao outro lado da ilha... A criatura que acabara de atacar Amadeu, estava a mando de Black. Este é uma criatura de extrema trevas, o qual comanda todos os seres das trevas, exceto o Dragão alado. Black então diz a seu fiel servo: -O que encontraste lá? Ele então se ajoelha e diz: -Caro mestre, três elfos de grande poder chegaram nesta ilha, gostaria que eu “cuidasse” deles? O mestre em tom irônico: -Claro, cuide deles pra mim. [risada maléfica] [...]

Capítulo 2-A falsa amizade No outro dia, Amadeu acorda cedo e acorda seus amigos... Ele mesmo prepara o desjejum daquele dia, afinal havia pescado... Todos sentam e começam a discutir pelo ocorrido no dia anterior; -Será que essa criatura irá voltar-Disse Diana em tom amedrontado. Claro, afinal ele fez apenas o reconhecimento. Se existe alguém nesta ilha, este já sabe da nossa chegada-Diz Amadeu Amadeu também afirma: -De agora em diante, não podemos confiar ninguém. Por questão de sobrevivência. -Claro, vamos ser muito cuidadosos, ouviu Diana?-Holanda questiona Diana -Sim, minha amiga, vamos ser “cuidadosíssimos”!-Diana afirma com toda certeza. Já sabendo disso, Amadeu levanta-se e diz que irá atrás de comida verdadeira. Afinal ele não gosta de peixe. Amadeu começa sua caminhada, vai adentrando a ilha. Mas como pela redondeza que eles estavam já não havia frutas. Ele se vê na obrigação de adentrar cada vez mais... Ele então após uma longa caminhada, sem nenhuma novidade. Eis que avista um castelo, ele fica espantado... -Oh! O que será isso?-Pensa Amadeu. Como todo bom elfo, destemido ele vai até o castelo para averiguar se ali ainda havia moradores, ele então ouve conversas, mas prefere voltar e contar essa novidade para seus amigos; Amadeu resolve voltar por outro caminho, neste ele vê uma enorme árvore frutífera, sendo assim o mesmo não perde tempo e começa pegar o máximo de frutas. [Passado uma hora] Já tendo pegado todas as frutas suficientes, ele começa sua caminhada para o acampamento, afinal já começara anoitecer, ele caminha, caminha, caminha até que consegue chegar ao tardar; Chegando ao acampamento, barulhos são ouvidos. De fogo, de aflição. Ele então pensa... -Algo está acontecendo, este com seu arco em mãos. Corre bravamente até o acampamento, deixando cair às frutas no chão. Chegando já era Diana e Holanda, numa disputada de Firtack, um jogo conhecido pelos elfos da atualidade, estas se mostram tão felizes. Afinal, este jogo treina os poderes, aumentando e deixando-as cada vez mais ágeis. Amadeu olha pra tudo aquilo com cara de esnobe e pensa... -Deixa eu pegar minha frutas, porque isso será demorado! Voltando ao local, quando Amadeu abaixa... Eis que vê no chão, perto de suas frutas um colar prateado, com um símbolo estranho. Sem esperar, pega juntamente as frutas e volta ao acampamento. Chegando lá novamente, com a disputa terminada. -Ei meninas, quem venceu essa?-Grita Amadeu em tom brincalhão As duas dentro da barraca, apenas com roupas íntimas, dizem juntas. -Espere, espere... Ele então espera, comendo uma de suas frutas frescas que acabara de colher. [Passado 30 minutos] Ambas voltam cada um delas pega um fruta e sentam-se ao redor da fogueira. Ali estes passam discutindo sobre coisas da rotina da ilha, mas é claro também da vencedora da Firtack que desta vez foi Diana. Após muito papo, todos resolvem dormir. No dia seguinte, Holanda desperta prepara tudo e vai andar ao redor do acampamento. Após muita caminhada esta encontra aquele ser sombrio e estranho, novamente. Sem questionar esta o chama para ir ao acampamento, ele aceitando de prontidão; Como sempre, se mostra educada, dando um abraço nele antes de partir. Chegando lá, todos haviam despertado, e estavam tomando o desjejum. Holanda chega cumprimentando e dizendo da vinda daquele pra esta refeição, todos o recebem bem, como sempre e vão ao final. Ele se faz de simpático como sempre, Holanda começa a confiar, mal sabe ela. Após muito papo, ele começa chorar, implorar por um abrigo ali. Não era grande coisa, mas queria. Todos aceitam de “prontidão”, mas claro com aquele olhar de desconfiança, sempre! Amadeu não havia contado sobre o tal castelo, afinal gostaria de “investigar” sobre antes, para poder contar tudo posteriormente. O “ser” ajuda Diana e Holanda nos preparativos do acampamento, afinal nunca ficará ótimo. Enquanto isso o bravo Amadeu pega seu arco e os avisa, que irá partir atrás de mantimentos. Mas, claro que isto era um pretexto pra ele investigar sobre o tal castelo. Ele então pega outra rota, para chegar atrás do castelo desta vez e ter uma melhor visão sobre o local. No caminho ele encontra uma planta estranha, desconhecida. Ele vai com sua mão próxima à ela, mas sofre um ataque. -Não, não pode ser. Existem plantas carnívoras nesse local!-Em tom assustado. Ele eficazmente a queima, e um grande zumbido é ouvido. Agora em seu caminho, requer mais cuidado ainda. Para que não encontre outras espécies exóticas na ilha. Caminhando sempre atento ele vai indo, em seu caminho ouve alguns barulhos estranho. Mas como ali é tudo mágico ele ignora, sem questionar continua até chegar ao tal castelo, após muito tempo. Atrás do castelo existiam grandes estátuas dos mais variados tipos de animais, havia um leão, uma girafa, um rinoceronte e um dromedário. -Que coisa estranha, que animais estranhos, o que será isso? –Questiona Amadeu. Para que não ajam problemas, ele lança uma flecha com fogo em direção ao leão, o que solta um incrível rugido. Deixando Amadeu assustado, cada vez mais assustado. Afinal, tudo ali era aparentemente abandonado, porque haveria tal “segurança”, ele então faz de tudo para adentrar ao castelo, sem incitar lança várias serpentes de fogo, junto às flechas. Utilizando o maior que sua magia possa lhe proporcionar, deixando os animais muito furiosos. Os quais saem do local, com forma de animais reais. Mas, enormes, com grande poder e força. Deixando Amadeu cada vez mais amedrontado, só que ele sabe que ali é vencer ou vencer. Um elfo de grande bravura não deixaria estes animais lhe atingirem. Amadeu então retira aquele colar do bolso, por impulso, coloca em seu pescoço e sente um novo poder entrando em sua alma. No momento ele não pensa, mas aquele é o colar de safira o que expande os poderes dos elfos no momento certo. Com seus poderes em expansão Amadeu, cria do nada, três serpentes uma de fogo, uma de gelo e outra de terra! Lançando-as nos animais e destruindo estes. Amadeu fica tão feliz que parte sem pensar pro castelo. Chegando lá, abre a porta lentamente, adentrando ao recinto; Aquele castelo tinha as paredes sofisticadas, com vários quadros de mulheres, homens e crianças. Um piso de madeira que rangia à cada passo, candelabros e uma escada enorme, ali estava tudo sujo,com teias de aranha e sem iluminação. Barulhos de vento eram ouvidos a todo o momento, lá fora ainda era o tardar, mas lá dentro estava tudo sombrio. Amadeu então começa a caminhar pelos cômodos do castelo, lentamente quando. Um grande barulho foi ouvido, ele não se amedronta e continua... Após explorar tudo no piso inferior este começa a subir bem lentamente a escada, aquele rangido e o silêncio eram constantes. [Enquanto isso, Black estava na superfície do castelo. Onde era escondida e dificilmente alguém encontraria] -Ah, o projeto de elfo veio até o meu castelo?-Diz Black em tom esnobe -Coitado dele, mal sabe de tudo que planejo- Continua Black... Amadeu acara de subir a escada e começa vasculhar o castelo, em um dos quartos havia uma cama, desarrumada, com roupas ao chão. Estas se pareciam com do “ser” que estava em seu acampamento, a partir daí as desconfianças dele, apenas aumentaram em grande escala. Ele pega uma das peças e guarda consigo, e decide sair do castelo. Havia ficado muito tempo por ali. Ele desce as escadas lentamente, sempre com muita precaução... Muitos zumbidos eram ouvidos, barulhos estranhos, ventos... Tudo ali era sombrio, acabando as escadas este decide sair pela porta da frente, afinal aparentemente tudo estava no seu controle. Ele vai se aproximando da porta, quando dois quadros caem ao chão, do nada. Este quadros escondiam uma passagem. -O que será isso agora? –Amadeu se admira. Para que não perdesse maior tempo naquele castelo, ele coloca os quadros em seus devidos locais, partindo em direção ao acampamento. Em sua ida, ele foi admirando aquele colar que acabara de achar, pensando em como pôde ter a sorte de encontrá-lo, e o que era aquilo! Afinal, não tinha conhecimento sobre tal artefato... Segue admirando este, mas sempre com muito cuidado em sua ida. Ninguém sabia o que aquela ilha reservava pra eles, até que ele encontra um local muito fechado, não era possível a mata naquele local, ser quão escondida. Segue ignorando, mas sempre com boa memória certamente ele irá voltar ali. Caminhando ele vai, durante alguns minutos e no caminho por um golpe de sorte encontra uma árvore frutífera, pegando várias frutas para se alimentar, continua sua caminhada até que finalmente chega ao acampamento. [Chegando lá] Diana o recebe com um abraço e percebe seu cansaço. - O que aconteceu meu querido primo, por que demoraste?-Diz Diana -Ah foi um longo dia, descobri muito nessa ilha, novas regiões dentre outras coisas, mas depois conversamos sobre-Ressalta Amadeu Amadeu então vai até sua barraca, guardando aquela peça de roupa consigo para mostrar ao pessoal ao tardar. Ainda não anoiteceu naquela região, todos estão ao redor da fogueira que por ora continuava apagada.

uuuu  

ummmmggggkk

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you