Issuu on Google+

Usa e Re-Usa Não sejas egoísta, pensa também no Ambiente!


Escola Artística Soares dos Reis Ano Lectivo 2008/2009 Projecto e Tecnologias Madeiras e Metais

Cinzeiros de Rua Adriana Leal Pacheco, nº 2, 11ºC3


REUTILIZAR RECICLAR REDUZIR Como estamos perante o tema “Usa e Re-Usa” o objectivo seria, tal como o nome sugere, o desenvolvimento de um projecto

com

objectos, ou parte, já usados. Com isto rejuvenesceríamos um objecto velho e isolado, ou simplesmente um objecto que é usado no quotidiano cujo o seu fim seria o lixo e como a reciclagem, infelizmente, não é uma prática comum o mais certo era acabar num aterro sanitário a contribui um bocadinho mais para a poluição.

Foi reunido um conjunto de objectos velhos que podem vir a ter um novo sorriso. Canetas, lápis, colheres, calças, latas, camisolas, enfim, madeira, metal, pano. No meio desse conjunto estavam objectos que foram encontrados na escola. No entanto, esses objectos, que seriam usados para a construção de cinzeiros, foram usados na montagem da aspiração das oficinas. Pelo que, não pertenciam ao lixo. Procurei então novos objectos que me permitissem a realização de cinzeiros. Espontaneamente surgiram as latas de refrigerantes. Mas latas, por si só, não chegam, terei que criar também uma estrutura que suporte os cinzeiros, e ainda outra que suporte os suportes dos cinzeiros, visto serem Cinzeiros de Rua, um não basta.

3


Latas de Refrigerantes Então as Latas que servem para guardar uma quantidade de liquido passaram a ter outro papel. Agora são cinzeiros de rua. Retirei a parte superior da lata para que ficassem com uma maior abertura para receber as cinzas. E procedi à análise de uma lata para que me permitisse a realização dos suportes.

4


Latas de Refrigerantes Então, num esboço marquei as medidas:

5


Onde os colocar? Escolhi a entrada da escola para expor os cinzeiros pelo facto de existirem vários fumadores na escola e estar constantemente a pisar beatas de cigarros. ‘Um passo quinhentas beatas, mais um passo mil beatas!’ Já era tempo de as reduzir, até mesmo acabar com elas. Procurei então, na entrada, um local acessível a todos. Primeiro pensei nas arvores. Seria, talvez, uma boa ideia criar uma estrutura metálica fixa na arvore onde se encaixavam as latas. Após uma nova análise descobri que não, as árvores não têm um bom acesso visto que estão sempre estacionados carros à sua frente.

Cheguei à conclusão que o sitio ideal seria o poste e luz que tem um caixote de lixo.

7


Como os colocar? Surgiu então um outro problema: Como produzir uma estrutura que me permita suportar o maior número de cinzeiros num espaço curto? Passei então a analisar as várias soluções possíveis:

Em chapa de metal com a forma de espiral?

Não, é impossível moldar a chapa de metal com a forma do poste. Isso foi comprovado com o corte em espiral de uma lata, o que conseguia obter era uma grande tira de metal. Pensei então dobrar verguinha de metal em espiral, mas não resulta, visto que ocupo bastante espaço e uso poucos cinzeiros.

8


Como os colocar? O melhor seria usar verguinha de metal moldada com a forma do poste.

Para melhor perceber as dimensões das futuras circunferências de verguinha analisei o poste e marquei as devidas medidas. Cheguei à conclusão que os diâmetros serão de diferentes dimensões, visto que o poste é cónico. Como tal, a cada distância de 22 centímetros o diâmetro aumenta 1,5 centímetros, como se pode ver nos seguintes esboços:

Para

além

disso,

é

de

referir

que

o

comprimento do fio da última argola tem que ser reduzido 27 centímetros visto ter o caixote do lixo na mesma paralela.

9


Como fixar a argola?

A verguinha foi dobrada nos extremos com a ajuda do torno, do martelo e da força até obter uma estrutura com um orifício com o diâmetro aproximado do parafuso ( seis milímetros). Para unir os extremos da argola para que esta não abra recorri ao uso dos parafusos. Utilizei, portanto, um parafuso, uma porca e duas anilha.

10


Como fixar e suportar os cinzeiros? Em cada argola caberão seis cinzeiros. Para estabelecer a ligação entre a argola e os suportes useis fio de aço dobrado:

11


Como fixar e suportar os cinzeiros? Base de Madeira No entanto tinha que segurar o cinzeiro de alguma maneira, para isso realizei algumas possĂ­veis formas de criar a base em madeira:

12


Como fixar e suportar os cinzeiros? Base de Madeira Optei pela realização de cilindros de madeira (pinho) um sobre, com as seguintes dimensþes:

13


Como fixar e suportar os cinzeiros? Base de Madeira Construi então dezoito formas de madeira. Contudo só a madeira não chega para suportar as bases, caiam. Por isso, em fio de cobre, construi uma estrutura que me permitia segurar o cinzeiro. Com verniz sintético envernizei os cilindros, contudo não era o que eu esperava. Lixei novamente a base e encerei, no entanto ficava igual. Para mudar e a madeira ficar mais escura cobri as bases com volatura. Cheguei então a um resultado que me agradou.

14


Como fixar e suportar os cinzeiros? Estrutura de Metal Ap贸s uma breve an谩lise construi a seguinte uma estrutura em fio de cobre com as seguinte medidas:

Essa estrutura encaixa na base de madeira da seguinte forma:

17


Como fixar e suportar os cinzeiros? Estrutura de Metal A parte superior da estrutura, a circunferência, por assim dizer, foi soldada nos extremos para que não pudesse ser aberta. Esta parte foi areada, contudo o resultado não foi o esperado e decidi oxidar a peça. È apenas isto que falta para concluir o meu trabalho. Oxidar as dezoito estruturas feitas.

18


Como fixar e suportar os cinzeiros? Suporte para os Cinzeiros Paรงo a apresentar algumas fotografias da argola, e da estrutura que suporta o cinzeiro.

22


Como fixar e suportar os cinzeiros? Suporte para os Cinzeiros

23


Projecto rigoroso

24


Memória Descritiva Numa perspectiva ecológica desenvolvi um projecto que consiste em cinzeiros portáteis que estarão à disposição de todos aqueles que, tal como eu, não gostem de ver uma rua suja. Com latas de refrigerantes sem a abertura superior criei um recipiente onde serão depositadas as cinzas e as beatas dos cigarros. Os cinzeiros encaixam numa estrutura de madeira auxiliada por uma estrutura metálica que, anexados a uma verguinha de metal de forma circular, fixam-se a um poste cónico.

25


Memória Descritiva Nesta memória descritiva vou descrever a minha peça final. A base de madeira tem a forma de dois cilindros. A partir de bocados de madeira (pinho) com 2,1 cm de espessura usase broca para marcar o diâmetro da base maior, esta com 6 cm. De seguida, com a mesma máquina, baseado no mesmo processo marcar-se a base do cilindro menor, com 5 cm de diâmetro, com o mesmo centro da base maior. Como é mais do que uma base utilizou-se um modelo de serra que encaixa numa broca de 5 mm de espessura. Pelo que, obrigatoriamente a base terá uma fissura de 5 mm. Após a marcação da base utiliza-se o tico-tico para a recortar a madeira conforme o diâmetro da base maior. Obtém-se, então, um único cilindro, com 6 cm de diâmetro e 2,1 cm de altura. De seguida, marca-se 7 mm de altura a partir da base menor. Após a marcação, com serrote corta-se até chegar à base de 5 cm. Obtém-se, então, o resultado apresentado na imagem.

26


Memória Descritiva Para executar os acabamentos utiliza-se uma lima e uma lixa com o fim de encontrar uma peça limpa e lisa para poder, finalmente, ser encerada. Com cera preta cobre-se a peça, limpando-a de seguida para que fique brilhante, para dar um ar de objecto usado e mais antigo usa-se um produto denominado volatura. Para realizar a estrutura metálica, recorri ao uso de fio de cobre (com 3 mm de espessura) dobrado, superiormente, com uma forma circular que encaixa na base da lata. Como tal, recorri a um modelo que me permitisse moldar todos os fios da mesma maneira. O ideal foi um cilindro. Depois dessas primeira moldagens, recorre-se a uma

segunda

moldagem, desta vez, usa-se um modelo rectilíneo que permita a construção de um fio recto com 10,4 cm de altura. Depois de ter os dezoito fios moldados solda-se a parte cilíndrica da peça para que esta não se consiga abrir facilmente.

27


Memória Descritiva Encaixa-se então a peça de madeira e a peça de metal conseguindo assim o suporte para os cinzeiros. Para agrupar os cinzeiros utiliza-se verguinha de metal e fio de aço. A verguinha de metal é dobrada com a ajuda do torno e do martelo até formar um arco com 23 centímetro de diâmetro. Nos extremos desse arco criam-se dois orifícios que me permitam fixar a argola a um poste. Como o poste é cónico os diâmetros da argola aumenta, pelo que aumenta 1,5 centímetros. Nos orifícios criados encaixa um parafuso que é apertado com uma porca. O parafuso permite ter uma argola que se pode abrir e fechar. Em cada argola são soldados seis fios de aço dobrados com quatro centímetros. Para isso recorre-se ao uso do torno e do martelo. Para soldar os fios é necessário solda, oxidante, oxigénio e etileno. São conseguidas todas as peças necessárias. Portanto é só uni-las.

28


Breve reflexão sobre o trabalho Para mim, este trabalho deu-me um especial gozo fazer. Encontrei um projecto ecológico que ia ajudar a manter a escola limpa. Criei esboços que mudaram e o que inicialmente ia ser um caixote do lixo acabou por ser cinzeiros. A parte mais interessante foi a recolha do lixo, estava a ter alguns problemas nisso, mas consegui resolve-los com a ajuda dos professores. Sim, foi indispensável a ajuda dos professores que, com a experiencia que já têm ajudam a perceber melhor as coisas. Consolidei conhecimentos que trazia dos anos anteriores, quer

em

projecto quer nas tecnologias. Assim como adquiri novos conhecimentos, nunca tinha soldado e já o sei fazer, nunca tinha trabalhado com o Autocad e já estou mais ou menos adaptada. Com o tempo e com a experiencia irei melhorar o que aprendi. Neste projecto o meu grande obstáculo foi o tempo. Por isso não acabei totalmente o projecto. Já é pouco o que falta, apenas oxidar o fio de cobre e montar. Isto porque, para além do meu trabalho ser muito trabalhoso pelas peças circulares que tem que ser, uma a uma,, cuidadosamente trabalhadas, o oxigénio da oficina de metais acabou e durante três aulas não pude avançar com o meu projecto. Na última aula ia acabar o projecto mas isso não foi possível. Espero, pelo pouco que me falta, acaba-lo e monta-lo na entrada da escola.

29


RUA MAIS LIMPA

Acaba com o chão sujo! Pega na Lata, Fuma e Arruma o lixo! Note-se que Este trabalho não pretende ser um incentivo ao tabagismo. Pelo contrário. O principal objectivo é a preservação das ruas que, constantemente, são vítimas de lixeira.

ANEXOS

30


DOSSIER USA E REUSA