Page 1

PIXOTE o símbolo

trágico do menor abandonado e a luta dos sem terra no campo

descesse um enviado dos céus e me garantisse que Brasil produziu e exportou nos anos 80 dois minha morte iria fortalecer nossa luta até que valeria a personagens que acabaram figurando no panpena. Ato público e enterro numeroso não salvarão a teon universal como heróis trágicos da décaAmazônia. Quero viver", disse às vésperas de ser assasda: Pixote e Chico Mendes. O primeiro foi sinado, no dia 22 de dezembro de 1988, aos 44 anos, na consumido no exterior em forma de filme, porta da cozinha de sua casa em Xapuri. considerado pela crítica americana como um Só nesse momento e diante da grande repercussão dos melhores dos últimos dez anos. O seguninternacional é que o Brasil começou a desconfiar, do, cuja vída também vai se tornar filme, dos mais culpado, que tinha perdido o que ele .custa tanto a disputados da década, precisou morrer para ser conheproduzir: um verdadeiro líder. Como um Gandhi dos cido em seu país - ele que já era, como disse o New anos 80, Chico difundiu pela Amazônia métodos pacíYork Times, "um símbolo de todo o Planeta". ficos de resistência, como o empate, uma tática simples Com suas histórias, Pixote e Chico revelaram como e eficaz que consiste em impedir os desmatamentos, essa década, que 'começou revolvendo as vítimas e colocando os seringueiros, seus filhos e mulheres, todos os entulhos deixados pela ditadura militar em seus desarmados, entre os peões e as árvores ameaçadas. porões, acabaria por descobrir, mais visível, uma heHábil político e homem de diálogo, Chico conseguiu rança acumulada de problemas sociais capazes de infertambém desfazer uma inimizade histórica entre serinnizar o nosso presente e inviabilizar o nosso futuro: gueiros e índios, que acabaram se organizando na milhões de crianças sem teto nas ruas e de homens sem frente conhecida como Povos da Floresta. terra no campo. Condecorado pela ONU e respeitado Pixote, a lei do mais fraco, dirigido por ! pelas organizações internacionais de proHector Babenco e lançado em 1980, é a teção ao meio ambiente, Chico Mendes saga de um menino de rua de 10 anos - demonstrou no Acre, com seu projeto de isto é, a saga de cerca de 10 milhões de ~ reservas extrativistas, que era possível brasileiros menores que, abandonados nas promover um desenvolvimento racional cidades, são recolhidos a unidades de repara a floresta amazônica, sem transforcuperação, onde cheirar cola e fumàr ~amá-Ia em santuário intocável, mas também coriha, aprender a assaltar e ser violentado sem devastá-Ia. sexualmente são práticas comuns. É a história de um país que, à custa de muito Aplaudidas pelo Bird, pelo Bid e pelo desamor; muita miséria e muita violência Congresso americano, suas idéias porém institucional, prepara diariamente milhaenfrentaram a oposição violenta dos latires de pivetes e trombadinhas e os espalha fundiários, dos madeireiros e dos grandes pelas grandes cidades. 'projetos agropecuários que vivem do desO papel-título do filme foi interpretado matamento desordenado da Amazônia. por Fernando Ramos da Silva, então com Por isso, ele sabia que ia ser assassinado e 12 anos, descoberto pelo diretor na Favela anunciou sua morte, incansavelmente. de Vila Ester, em Diadema, no ABC pauPoucas vezes, a polícia contou com uma lista. Identificado com o personagem de lista tão completa de acusados, fornecida tal maneira que os próprios irmàos passapela própria vítima, mas nem isso serviu ram a chamá-Ia de Pixote, Fernando tenpara apressar a investigação e o julgamentou repetir o sucesso, mas fracassou. Fez o CIJico MelJdes: um líder to, que vão ficar para a outra década. Há dois pistoleiros presos e, solta, uma vasta filme Gabriela, cravo e canela, com Sônia rede cujas malhas são tecidas com fios que Braga, tentou a novela O amor é nosso, da TV Globo, mas foi despedido. "Mãe, esqueceram de ligam poderosos fazendeiros a políticos e policiais. mim", desabafou. Ficou então desempregado e acabou Ao contrário do que acreditava Chico Mendes, sua morte, se não vai salvar a Amazônia, serviu pelo menos seguindo a carreira do personagem que o tornou, famo- . so. Em 1984 era preso como assaltante. Sete anos para intensificar o debate planetário sobre o destino da região. E mais: esse assassinato - antecedido ao longo depois de sua magistral interpretação, que comoveu o da década por dezenas de execuções de outros .líderes Brasil e o mundo, Fernando morreu assassinado com rurais - terá servido para denunciar que em um dos oito tiros disparados por três PMs, num cerco policial, mais extensos e mais ricos países do mundo ainda se após um assalto. Ele morreu deitado, segurando o seu mata por questões de terra, em geral impunemente. Smith & Wesson, calibre 32. Se Fernando Ramos da Silva, ou Pixote, não conseOs exemplos de Pixote e Chico Mendes ficam para a guiu nem com o sucesso do seu filme nem com sua década de 90 como uma advertência. Se não remover os morte sensibilizar o país para o problema do menor entulhos que fizeram do primeiro um marginal e do abandonado, um dos mais graves que essa década outro um mártir, ela tem tudo para colocar em risco transfere à próxima, Chico Mendes, o outro herói uma das boas criações, ou recriações, dos anos 80 no trágico, mobilizou ao morrer não só o país, mas tamBrasil: a democracia .. bém 0, mundo, para a causa ecológica, a que deu sua ZUENIA VI!NTUAA vida. Ironicamente, ele achava ser isso impossível: "Se.

o

&

-, Domingo

24

Pixote  
Pixote  

Pixote. O símbolo trágico do menor abandonado e a luta dos sem terra no campo, por Zuenir Ventura.

Advertisement