Page 1

o TRANSCENDENTE

ESPIRITUALlDADES

MARÇO/ABRIL . 2007

06

1/

- PASCOA ~U'DA_.CJ __

Páscoa uma das principais festividades dentro do judaísmo, pois celebra a libertação do Povo de Deus da servidão egípcia.

A

J

to, lembra que não houve tempo para fermentar a massa que os israelitas fizeram na saída do Egito. Este pão sem fermento é comido durante os 7 dias da festa. Na Torah, Deus recomenda que neste período não

PESSACH: PASSAGEM OU SALTO Este nome se origina quando o Anjo Destruidor foi enviado por Deus para matar os primogênitos da terra do Egito e poupar os filhos de Israel. Esta ação do anjo é a razão maior da festa, pois seu gesto representou o golpe final nos egípcios e especialmente no faraó, ocasionando finalmente a libertação do nosso povo. Pesssach relembra também as 10 pragas que julgaram nossos opressores antes deste golpe final, julgamento este já previsto pelo patriarca Abraão, cerca de 400 anos antes, quando o Eterno lhe disse que a sua descendência seria escravizada, porém Deus julgaria os que fizessem isso. Para que nosso povo fosse livre desta praga, que caiu sobre o Egito naqueles dias, Deus mandou que fosse separado e sacrificado um cordeiro por família, que a sua carne fosse comida naquela noite, e que seu sangue fosse passado nos umbrais das portas. Este sangue seria a marca de que ali estava um israelita obediente, ou alguém que se dispunha a obedecer a Deus e que, portanto, seria livre da morte qualquer primogênito daquela casa. Naquela ocasião, o sangue serviu

.

comamos nenhum alimento feito de cereais com fermento, isto porque na primeira semana da saída tarn-

ção, algo que se assemelhe ao que eles passaram. O karpás (batata ou outro vegetal) é mergulhado em água salgada (salmoura) durante a celebração e nos traz à lembrança as lágrimas daqueles que sofreram pelo duro trabalho daqueles que morreram na servidão e as mães que perderam seus filhos debaixo das cargas impostas pelos egípcios. O Maguid, talvez seja a parte mais importante, dentro do primeiro dia do cerimonial. Trata-se do relato ou ato de contar a história da servidão, os grandes juizos que HaShem derramou sobre os egípcios, quando os julgou e puniu pela servidão que infringiram sobre os israelitas e, por fim, a libertação grandiosa que Deus deu ao seu povo, tirando-o do Egito com Mão forte e Braço estendido. Esta festa é celebrada anualmente entre 14 e 21 de isan, na primavera no Estado de Israel, mas em todo o mundo, onde haja um judeu, ali há a lembrança de que Deus nunca esqueceu o seu povo e nunca rejeitou a descendência de Abraão nosso pal. Esta festividade também é conhecida pelo nome de Chag Matzot (Festa dos Ázimos), porque durante 7 dias não comemos pão fermentado. O fermento simboliza o pecado do qual Deus livrou seu povo. O cordeiro é mais um símbolo que podemos tirar dentro desta festa. O cordeiro morto, para que seu sangue fosse passado nos umbrais (rnezuzot) das casas. Deste cordeiro não devia ficar nada até a manhã seguinte.


~u

I

rI I

ria os que fizessem isso. Para que nosso povo fosse livre desta praga, que caiu sobre o Egito naqueles dias, Deus mandou que fosse separado e sacrificado um cordeiro por família, que a sua carne fosse comida naquela noite, e que seu sangue fosse passado nos umbrais das portas. Este sangue seria a marca de que ali estava um israelita obediente, ou alguém que se dispunha a obedecer a Deus e que, portanto, seria livre da morte qualquer primogênito daquela casa. Naquela ocasião, o sangue serviu para libertar da morte aqueles que fizeram dele o uso adequado recomendado por Deus.

=..u'rIl:urn:".-,:""'I"t:n:''''''''or-c.-".,.,...F'''.......,~,--=_

nunca rejeitou a descendência de Abraão nosso pal. Esta festividade também é conhecida pelo nome de Chag Matzot (Festa dos Ázimos), porque durante 7 dias não comemos pão fermentado. O fermento simboliza o pecado do qual Deus livrou seu povo. O cordeiro é mais um símbolo que podemos tirar dentro desta festa. O cordeiro morto, para que seu sangue fosse passado nos umbrais (mezuzot) das casas. Deste cordeiro não devia ficar nada até a manhã seguinte.

comamos nenhum alimento feito de cereais com fermento, isto porque na primeira semana da saída também não conseguiram preparar nada de alimentos. O maror é um outro elemento importante. Trata-se de raízes fortes que lembram o serviço duro que nosso povo enfrentou durante o período da Pessach também é momento""" servidão, na carga de de reunião dos irmãos e da famítijolos, barro e a prólia de Israel. A celebração desta fespria construção na qual ta, que dura 7 dias, começa tendo-se à os israelitas foram obrigados a KEARAH mesa urna refeição festiva, com alguns trabalhar. (PRATO COM OS 7 ELEMENTOS elementos que nos ensinam sobre as situaQuando celebramos o DA CEIA DE PESSACH) ções e condições que encontraram nossos MATZAH Pessach, lembramos de que . naque 1es diIas, so b re a d ureza d a ser- (PÃO SEM FERMENTO) . paIS nossos patriarcas tra b a lh aram d urarnente vidão e a alegria da libertação. \ naquele período, e para que sintamos uma pitadiA matzah, por exemplo, que é o pão sem ferrnen- nha do que eles sentiram, comemos nesta celebra-

PESSACH CELEBRAÇÃO

Escrito por: Zaken Shelurniel ben Yisrael

Congregação Israelita da Nova Aliança Responsável: Rosh Yishai ben Yehudah Ei! Não esqueça de visitar o site do O TRANSCENDENTE e ver o material disponível que vem complementar esta página.

Sites para consultas: www.israelitas.com.br www.radioisraelita.com.br www.tvisraelita.com.br

Saiba como realizar, com alunos ou grupos, uma bonita celebração pascal judaicocristã. Conheça também os símbolos mais populares da Páscoa.

.... "'-

Acesse: Site:www.otranscendente.com.br E-mail:ot@otranscendente.com.br Fone: (48) 3222-9572 - Fax: (48) 3222-9967

---

Pessach - Páscoa Judaica  

podemos tirar dentro desta festa. O cor- deiro morto, para que seu sangue fosse passado nos umbrais (rnezuzot) das ca- sas. Deste cordeiro n...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you