Issuu on Google+

20ª Edição

Carmo à

Versão digital

Adeus Ano Letivo 2012/ 2013 Alunos Trabalhos elaborados no âmbito das aulas e de Língua Portuguesa e Português

CLUBES

Rubricas: " Sabia que? ”

Escrita criativa, informação e as mais diversas atividades são notícia nesta edição do “ Carmo à Lupa” .

“ Culinária”


Página 2

3º Período

Ficha Técnica

Editorial

Propriedade: Escola Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas Impressão: Escola Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas Coordenadores: Ana Brito e Sandra Oliveira. Colaboradores desta Edição: Alunos Professores Funcionários

Nesta edição Opinião

pág.

3

Cantos e recantos da Madeira

4a5

Língua Portuguesa

6a9

Clubes

10 a 11

CEF

12,13 e 14

Entrevista

15,16 e 17

Notícias

18 a 28

Sabia que?

29 e 30

Culinária

31

O ano letivo chegou ao fim e o Carmo à Lupa continua a sua função de informar e divulgar as atividades que aconteceram na escola e que chegaram até à “redação”. Nesta edição, sugerimos um passeio até ao Porto Santo agora que o verão chegou e o tempo convida a banhos de mar e longos passeios. Quanto aos trabalhos realizados no âmbito da língua português e do português damos a conhecer o trabalho realizado pelas turmas do 5.º1, 5.º2, 6.º4, 6.º7 e do 7.º2. Na rubrica de curiosidades damos a conhecer a algumas maravilhas do corpo humano e dos alimentos e quanto à culinária sugerimos um chá gelado. Os clubes, prevenção rodoviária e baú de leitura, bem como, o cef voltam a ser notícia divulgando as suas atividades, dinamizadas pelos alunos e professores. O 3.º período foi rico em muitas atividades, muitas das quais dinamizadas pelos departamentos e grupos disciplinares e visitas de estudo que nesta edição são notícia. Mais uma vez nem tudo o que aconteceu foi notícia, pois para que tal aconteça é necessário a boa vontade de todos em dispor de algum tempo para nos fazerem chegar , atempadamente, as diversas atividades realizadas na escola e na comunidade educativa. Continuamos a desenvolver esforços para cumprirmos o objetivo do jornal da escola, dar a conhecer o que se faz e, também, o que se pensa. A todos os que nos ajudaram e ajudam a “construir” o Carmo à Lupa, o nosso bem haja. Só nos resta desejar a toda a comunidade escolar boas férias! Ana Brito e Sandra Oliveira

Carmo à Lupa


Página 3

Opinião

3º Período

Desabafos... No nosso dia a dia profissional temos de tudo um pouco e tal como na nossa vida, uns dias melhores e outros piores. Ontem, por exemplo, saí, ao fim da tarde da escola, completamente exausta... antes da última aula, ao encaminhar-me para a sala, deparei-me com duas alunas a discutirem grosseiramente no corredor... não ouviam nada nem ninguém... por um lado, professores e funcionárias a “deitar água na fervura” e por outro, os colegas, a incentivaremnas, ávidos de ação... foi uma cena feia que em nada dignifica a nossa escola... faz pena... e imaginar que aqueles alunos iriam para uma aula, naquela excitação... Brigas sempre houve em todos os tempos... cheguei a casa, queixei-me “estou estoirada...” e lá veio a história “estão cada vez piores”... no entanto, o mau dia foi abafado por um agradável passeio de bicicleta, ao pôr do sol, pelas ruas do Funchal, que me arejou as ideias, levando os maus pensamentos para bem longe. Hoje, o sol empoleirou-se logo pela manhã, e veio para ficar... o que para mim é ótimo pois funciono muito com “energia solar”! Quando entrei na escola estava tudo calmo e sereno dentro das salas de aula. Depois do intervalo, estava eu a abrir a porta de uma sala quando um aluno veio ter comigo todo radiante a dizer: “Ontem, li dez capítulos e nem conseguia parar”. Aquele aluno, também saíra às 18H10, o livro foi levado ontem, apesar de tudo, o Francisco tinha lido, estava deliciado e eu ainda mais fiquei. Com um “brilhozinho nos olhos”, como diz o Sérgio Godinho, pensei: tenho de agradecer ao (meu sobrinho) Tiago, pois são os livros dele que em tempos saltaram da estante do seu quarto por já não se adequarem à idade e que nestes últimos anos têm feito as delícias de muitos alunos meus. São pequenas conquistas, é certo, mas que me dão muito prazer. Eu continuo a repetir... leiam... insistam... procurem o vosso livro porque assim que apanharmos esse gostinho, o “bichinho” fica lá, perdemo-nos nas horas... garanto-vos que os livros abrem muitas portas, ajudam-nos em muitas situações, levam-nos a muitos sítios, trazem-nos boas recordações, são o nosso tesouro, a nossa bagagem para a vida... Obrigada Francisco! Quando descobrem isto, vocês ficam cada vez melhores!!! Elsa Dantas


Página 4

Cantos e Recantos da Madeira

3º Período

Agora que o verão chegou e as férias estão mais próximas , o Carmo à Lupa vem, através da rubrica Cantos e Recantos da Madeira, sugerir à comunidade escolar um “saltinho” até ao Porto Santo, onde a praia de areia dourada convida a longos passeios e o mar a belos mergulhos.

A ilha do Porto Santo foi descoberta, em 1418, pelos portugueses, João Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo, mais tarde, designado primeiro capitão donatário desta ilha. O Porto Santo foi elevado a concelho em 1835. Em Agosto de 1996 a sua capital, Vila Baleira, foi elevada à categoria de cidade. Porto Santo é uma ilha que pertence ao arquipélago da Madeira e situa-se no Oceano Atlântico no extremo Sudoeste da Europa. O seu feriado municipal é a 24 de junho. A ilha tem uma superfície de 42,17 Km2 e uma população de 4.474 habitantes (segundo um estudo recente). É um conhecido destino de férias, para portugueses e estrangeiros, que tem como grande atrativo a praia com o seu extenso areal com conhecidas características terapêuticas. O clima da ilha do Porto Santo é seco e estável, com pouca variação térmica entre as estações, pelo que é normal fazer praia durante todo o ano. A praia é banhada por um mar de águas calmas e cristalinas. Podemos, ainda, encontrar na ilha do Porto Santo alguns locais de interesse sob o ponto de vista geomorfológico, natural e paisagístico. Estes locais merecem uma visita, uma vez que constituem ótimos cenários para uma sessão fotográfica. Entre os diversos locais sugerimos uma visita ao miradouro da Portela, que fica a 1,6 km da Cidade Vila Baleira, deste local avista-se a praia, o Pico de Baixo e o Ilhéu de Cima, antes de chegar poderá visitar a capela da Nossa Sr.ª da Graça. Poderá, ainda, dar uns passeios, e quem sabe fazer um piquenique, aos picos que marcam a paisagem portosantense. Os picos, Castelo, Facho e Ana Ferreira,


Página 5

Cantos e Recantos da Madeira

3ºPeríodo

a partir dos quais poderá desfrutar de paisagens únicas como pequenas baías, o mar e todo o Porto Santo. O Porto Santo apesar de ter uma quantidade controlada de água é conhecido pelas suas águas com características medicinais, que existiam na Fonte da Areia . Neste local já não jorra a água como antigamente mas pode ver-se o rasto da erosão, que é um verdadeiro espectáculo, pelo que se aconselha uma visita . Outros locais de interesse que justificam um passeio são o Zimbralinho, a ponta da Canaveira e os Morenos. E claro, a praia, o principal ponto de interesse, onde para além dos banhos de sol e de mar é possível realizar longos passeios à beira-mar podendo chegar até à Ponta da Calheta, local de rara beleza e onde pode assistir a um dos mais belos pôr do sol. Para chegar ao Porto Santo há um barco de ligação, o Lobo Marinho, que todos os dias, na época alta , faz a viagem, proporcionando novas perspetivas da ilha da Madeira e do oceano Atlântico. De barco e ou de avião chegar ao Porto Santo é sempre um momento de euforia e sinónimo de descanso depois de um longo período de intenso trabalho. O Carmo à Lupa espera ter aguçado o apetite de todos para esta viagem à ilha dourada e deseja a todos, uma vez mais, umas excelentes férias a gozar a praia, o campo e todos os atrativos deste paraíso à beira mar plantado.

Carmo à Lupa


Página 6

Língua Portuguesa

3º Período

Os alunos do 6.º 7 vieram pintar esta página do jornal de cor e criatividade! Nas aulas de língua portuguesa, sob a orientação da professora, pegaram em tintas de todas as cores e criaram manchas gráficas das quais resultaram seres fantásticos com os nomes mais originais. Finda a 1ª parte da criação, passaram à seguinte e inventaram histórias originais à volta da personagem principal. Ficam aqui registadas algumas dessas pinceladas em que a imaginação foi quem mais ordenou!

O Equador O Equador é um animal selvagem que vive na Tundra, um dos lugares mais frios além do Pólo Norte e Sul. É uma mistura de coruja, gato e cauda de borboleta. É esperto, elegante e charmoso. Adora peixe e frutos silvestres! Adora viajar, é aventureiro… ao fazê-lo, sente-se livre, liberto, feliz e inspirado! Equador não teme nada, é bondoso… todos o admiram.

Valentina Sanches, 6º7, nº21

O Contraboca O meu animal imaginário chama-se Contraboca, porque tem a boca acima dos olhos. O Contraboca vive no mar. Ele come algas, sardinhas e o mais importante é o salmão. É muito preguiçoso, muito brincalhão e gosta muito de estar com os seus amigos, principalmente o seu melhor amigo, o Tentáculos, que é uma lula gigante. O dom do Contraboca é fazer muitas amizades, num instante. Todos gostam dele tal como ele é. Ninguém o odeia, só os tubarões, mas eles são totós, não sabem o significado da palavra amizade. O Contraboca é roxo, azul, amarelo e preto. Ele é muito giro! Julie Ferreira, 6º7, nº16


Página 7

3ºPeríodo

Língua Portuguesa

Os alunos do 5.º1 e do 5.º2 viraram poetas e fizeram jus ao que a grande poetisa Florbela Espanca um dia escreveu... “Ser poeta é ser mais alto, é ser maior Do que os homens! Morder como quem beija! É ser mendigo e dar como quem seja Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!” Florbela Espanca

O Mar Adoro ver o mar azul Todo limpo a brilhar É agradável vê-lo assim Por isso podemos todos ir nadar! No mar podemos fazer muitas coisas: Desporto, é o meu favorito, mas andar de barco é muito divertido. O mar desperta sentimento imaginação e alegria! Laura Silva - 5º1

Ser um poeta é…

Céu Lindo céu onde passeiam pássaros, borboletas Puro ar que eu respiro. Adorava ir ter contigo, A bordo de um balão Porque não posso ir de foguetão. Borboletas, andorinhas, Seres magníficos e coloridos Irei trazer muitos amigos Como um passarinho. Augusta Henriques - 5.º 1

Um dia inesquecível Uma tarde no supermercado, Eu sozinha e isolada Um brinquedo tinha achado. Meus pais à procura Correndo pelos corredores, que loucura! Saltos altos não ajudavam Nem seguranças encontravam. Uma hora já passada Encontrei a minha fada!

Alícia Faria - 5º2

Ser um poeta é magia, Também é ter inspiração, Pode ter poemas de alegria Ou outros vindo do coração Ser um poeta é a vida Porque só um caminho podemos escolher Também é uma saída Para sabermos o que nos vai acontecer. Ser um poeta é amor É o que se sente no coração Mas por vezes pede-se ao professor Ajuda e muita inspiração. Ser um poeta é tristeza É daí que vem a inspiração Às vezes dá riqueza E assim ajudamos as pessoas dando pão. Leonor Faria - 5.º 1


Página 8

Língua Portuguesa

3º Período

Os alunos do 6.º4, neste período, trabalharam o Plano Nacional de Leitura como trabalho interdisciplinar. Inspirados nos contos adaptados de António Torrado Histórias Tradicionais Portuguesas Contadas de Novo, os alunos prepararam os trabalhos nas várias disciplinas que culminaram numa apresentação oral na aula de Língua Portuguesa. Fizeram leituras, resumos, power point, marcadores de livro, enriqueceram o vocabulário em inglês, prepararam a apresentação tendo em conta a postura e a colocação da voz, trabalharam a estatística com elaboração de gráficos de barras, conheceram autores de meados do século XIX, relembraram o revestimento, alimentação e locomoção dos animais das suas histórias, entre outras atividades. Desta forma, ficam registados alguns destes trabalhos no jornal Carmo à Lupa que com-

Escola B+S Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas.

A Raposa das Botas Altas Trabalho realizado por: Sérgio Sousa

Trabalho elaborado por: José Alexandre Fernandes João 6.º4

A Máquina Prodigiosa do Pedro Ovelheiro Trabalho elaborado por : Élvio Nóbrega nº5, 6.º4

Sandra Oliveira


Página 9

Língua Portuguesa

3ºPeríodo

No âmbito das “Jornadas das Línguas”, os alunos do 7.º 2 escreveram pequenos pensamentos relacionados com os encontros com escritores. Desta forma, aqui ficam registados alguns pontos de vista desses alunos. Eu achei que a palestra do Policarpo Nóbrega foi interessante e cheia de energia, porque o poeta dizia os seus poemas e os de outros poetas com tom vivo, cheio de energia e entusiasmo. Foi como estivesse a “viver” os poemas. Cláudia Freitas Eu gostei de ambos os encontros com os escritores, mas o que gostei mais foi com o poeta Policarpo Nóbrega, pois este declamava poemas de uma forma impressionante e também nos falou da sua profissão, que está relacionada com a “medicina natural”, da qual gostei muito. Também não ficaram atrás os outros escritores, pois estes falaram da importância da língua portuguesa, da leitura de livros, etc. Uma conclusão que tiro dos dois encontros é que o português é uma língua muito rica pelas diversas formas de falar e expressar-se: poemas, contos, entre outros. Agostinho Barros No dia 16 de abril, terça-feira, pelas 09:55 até às 11:25, fomos para a biblioteca para ver os escritores e leitores Graça Alves e Francisco Fernandes. Foi um momento muito interessante porque aprendemos muitas coisas, uma das quais como é importante ler. Os escritores explicaram como é que faziam para escrever, o quanto é importante ler e disseram alguns segredos dos escritores. Agora percebo o trabalhão que dá para fazer um livro e temos de aproveitar lê-los para termos mais imaginação, para ler melhor e aprender novas palavras. Francisca Fernandes No dia 16 de abril, algumas turmas foram à biblioteca conhecer dois poetas portugueses. Falavam como correu a sua infância, mostraram um livro que era “O principezinho” em diferentes línguas e também faziam algumas perguntas. Nós, os alunos, respondíamos e também colocávamos perguntas. Gostei muito da ida à biblioteca, adorei conhecê-los e espero vê-los um dia mais tarde. Sara Rodrigues Eu gostei do Policarpo, quando ele entrou a declamar alto. Até me assustei, mas estava engraçado. Eu acho que ele tem muito jeito para declamar. Mariana Nóbrega


Página 10

Clubes

3º Período

Realizou-se no dia 5 de Abril a fase escolar da sexta edição Taça Escolar de Educação Rodoviária. A prova contou com a participação de alunos de cinco turmas de 2º ciclo e três turmas de 3º ciclo e decorreu no ginásio da escola. Foram apurados os finalistas do 2º ciclo, o aluno Nuno Oliveira do 6º2 e do 3º Ciclo, o aluno Diogo Soares, do 9º 5. Estes alunos participaram juntamente com os finalistas da fase escolar da prova de orientação rodoviária, que se realizou no dia 24 de abril no parque de Santa Catarina.

Realizou-se no dia 24 de Abril a fase regional da sexta edição da Taça Escolar de Educação Rodoviária e da prova de Orientação Regional, que realizou-se no Parque S. Catarina. A prova contou com a participação de todos os alunos selecionados nas provas escolares, de 2º e 3º ciclo, incluindo os alunos apurados na nossa escola. Apesar de não terem sido vencedores, os nossos participantes mostraram a satisfação de terem dado o seu melhor e divertiram-se também nas diversas atividades lúdico-desportivas preparadas pela organização.


Página 11

Clubes

3º Período

No passado dia 16 de abril, o Projeto Baú de Leitura e o grupo 300 (Língua Portuguesa/Português) promoveram, na biblioteca da nossa escola, uma tertúlia literária inserida nas atividades das Jornadas das Línguas, onde participaram os escritores madeirenses Graça Alves e Francisco Fernandes. Numa conversa sobre os livros, os escritores convidados procuraram, através da partilha das suas experiências enquanto leitores e escritores, cativar os alunos e professores para a leitura e escrita criativas. Nesta atividade, o Baú de Leitura promoveu, ainda, o "Concurso de Soletração", no qual os escritores convidados desempenharam a função de membros do júri. O concurso, que incidia sobre palavras da obra literária dos autores presentes, incluía duas fases. Na primeira fase, cada concorrente tinha de escolher dois cartões para cada nível de dificuldade: fácil, médio e difícil. Transitaria para o grau de dificuldade seguinte, os alunos que tivessem soletrado, corretamente, pelo menos uma palavra em cada grau de dificuldade. Na segunda fase, prevalecia a “morte súbita”, até se apurar o aluno vencedor desta atividade. Durante o concurso, os alunos participantes procuraram dar o seu melhor perante uma plateia muito animada (turmas 7º2, 7º3 e 8º3) e um júri muito atento. Depois de muita animação, euforismo pela vitória e, também, alguma frustração por parte dos vencidos, apurou-se como vencedor o aluno João Pedro Pereira Lucas (turma 3 do 8º ano).

Feira do Livro No dia 30 de abril, integrada no Baú de Leitura e na disciplina de Formação Pessoal e Social, já que fazia parte da planificação desta área, desenvolver e participar em atividades integradas e desenvolvidas no Baú de Leitura, a turma do 7.º1 foi à Feira do Livro, integrada na Festa da Cultura e realizada no Funchal entre os dias 25 de abril e 5 de maio. Os professores que acompanharam os alunos nesta iniciativa foram: Delta Pereira e Gertrudes Vieira.


Página

12

Cef

3ºPeríodo

Atividades desenvolvidas pelos alunos dos CEF´s de Assistente Familiar e de Apoio à Comunidade Os alunos dos CEF´s de Assistente Familiar e de Apoio à Comunidade, organizaram, dinamizaram e executaram várias atividades, durante este 3º período, de forma a implementar ao longo do curso a componente prática deste tipo de formação. Os alunos continuam a desenvolver as aulas práticas na cantina e bares dos professores e alunos, quinzenalmente, no âmbito da disciplina de nutrição e confeção de refeições e as aulas práticas nos centros sociais e paroquiais do Carmo e de Santa Cecília, centro de atividades ocupacionais de Câmara de

Lobos (CAO), Infantário “ Universo dos Traquinas” e Lar de idosos do Ilhéu, semanalmente, no âmbito das disciplinas da componente tecnológica e psicologia. Estas aulas têm sido fundamentais porque são uma mais-valia para os discentes ganharem assim, algum traquejo e aptidão pela profissão. Na nossa escola decorreu a semana das ciências, entre os dias 8 e 12 de abril, na qual foi incluída atividades laboratoriais, no dia 8 de abril. Para este dia foram remetidos vários convites para as instituições que trabalham em parceria com a nossa escola e com as quais temos protocolos, participando desta forma utentes do CAO, idosos e crianças do CSP do Carmo. Este dia permitiu um reforço das parcerias já existentes, quer em termos de relações interpessoais quer em termos de transmissão de conhecimentos práticos.


Página 13

3º Período

Cef

A atividade “Contador de histórias, vendedor de sonhos” culminou para as alunas do 2º ano, no dia 11 de abril, com a visualização de um filme e um pequeno convívio na cantina da escola. Esta iniciativa possibilitou a promoção de atividades, junto de um público diferente, de forma a desenvolver a convivência com a diversidade, fortalecendo atitudes inclusivas. Esta atividade decorreu no âmbito das disciplinas de gestão do comportamento e psicologia. No dia 22 de abril os alunos do 1º ano realizaram uma visita de estudo a sociedade protetora dos animais domésticos (SPAD), no âmbito da disciplina de higienização e conforto. Foi dinamizada pelo médico veterinário da instituição, Dr. João Oliveira. Numa fase inicial, o Dr. João forneceu biscoitos aos alunos para serem dados aos cães à medida que a visita ia decorrendo de forma a haver uma interação alunos-cães. Também foi feita uma visita aos gatos. Foi dito que qualquer um destes animais podem ficar internados na SPAD se a doença justificar o internamento, ou ficarem hospedados enquanto os donos se ausentam durante as férias ou por outro motivo. Os alunos puderam ainda, assistir a uma consulta veterinária de uma cadela chamada Anabela que, tinha chegado à SPAD neste mesmo dia. O Dr. João pesou-a e verificou-se que esta tinha 5 quilos. Depois, examinoua, verificou o seu batimento cardíaco e vacinou-a. Os discentes foram informados que a temperatura normal dos cães é de 38º C e que é medida no ânus com o termómetro. Por fim, o Dr. aplicou um desparasitante à cadela. Ainda durante a consulta o Dr. João explicou algumas doenças que podem afetar os cães, como por exemplo: a raiva, a dirofilariose, a otite e as alergias. Foi também explicado os cuidados de higiene que devem ser tidos em conta com os animais e a forma de proceder, no caso de um animal ser envenenado. Sendo assim e dependendo da situação, basta dar banho ao cão 1 vez por mês, pois se o lavarmos com muita frequência, pode cair o pelo ou originar doenças na pele. Se um cão for envenenado deve-se socorrê-lo, dando-lhe água oxigenada ou uma solução de água com sal. Numa fase final, depois da consulta à cadela Anabela, foram visitados alguns animais que estavam internados. É de referir que, a turma foi bem recebida e esclarecida cumprindo assim, todos os objetivos que estavam propostos para esta atividade.


Página

14

Cef

3ºPeríodo

Durante este período foram dinamizadas várias ações de sensibilização para as duas turmas, nomeadamente: - O projeto: “Desafio Jovem” e “Vida sem drogas”, no âmbito das disciplinas de gestão do comportamento e psicologia, nos dias 8 e 18 de abril, respetivamente, sendo a primeira dinamizada pelo coordenador do projeto e a segunda pela enfermeira Natália Bento. Estas ações possibilitaram conhecer a problemática inerente dos sem abrigo, cooperar com outros em tarefas e projetos comuns, ter iniciativa para realizar atividades que promovam a sua valorização pessoal, compreender o alcance da sua ação no benefício do desenvolvimento integral de si e dos outros; conhecimento da especificidade dos toxicodependentes e confrontar os alunos com diferentes realidades sociais. - Suporte Básico de Vida, no âmbito da disciplina de cuidados humanos e de saúde básicos, nos dias 29 e 30 de abril, dinamizado pela enfermeira Sandra Faria, que permitiu promover uma componente prática para futura implementação profissional e forneceu ferramentas úteis na forma de atuar em diferentes situações de emergência. Todas estas ações foram de suma importância porque permitiram relatar e partilhar experiências vivenciadas com casos concretos aproximando os alunos da realidade social e cultural da sociedade em que estamos a viver. Para finalizar, as alunas do 2º ano estão a desenvolver a componente prática em contexto de trabalho (estágio), desde o dia 6 de maio. Este estágio culminará no dia 17 de junho. Esta componente está a ser desenvolvida nos Centros Sociais e Paroquiais do Carmo e de Santa Cecília, Infantário “O Golfinho” e Jardim de infância “O Pião”. As alunas têm demonstrado uma grande aptidão pelo exercício da profissão e estão a desenvolver com interesse e empenho todas as tarefas.

Diretoras de curso: Ilda Jaques e Indalina Vieira


Página 15

Entrevista

3º Período

O jornal Carmo à Lupa volta a publicar entrevista e desta vez procuramos dar a conhecer a representante da Autarquia no Conselho da Comunidade Educativa a Dr.ª Dulce Neli Luís, vereadora, há quatro anos, da Câmara de Câmara de Lobos com os pelouros da Cultura, Educação, Desporto, Juventude, Inclusão Social, Promoção e Gestão Habitacional e Saúde Pública. J- Qual a sua área de formação? Vereadora-Licenciatura em Educação de Infância, Licenciatura em Ciências Religiosas, e Mestrado em Filosofia – Especialização em Bioética. J- Para além dos cargos que hoje exerce na Câmara que outros já exerceu? Vereadora-Diretora do Jardim de Infância “O Ninho” em S. Martinho, durante 2 anos e diretora da EB1/PE de Câmara de Lobos durante 6 anos. J- Como Vereadora quais são as suas funções? Vereadora-Tenho à minha responsabilidade todos os eventos de cariz cultural, nomeadamente exposições, peças de teatro, danças, espetáculos musicais e ainda os cortejos de Carnaval, Marchas Populares e Festas de Verão. Como parceira colaboro com outras instituições, nos eventos da Festa da Cereja, das Vindimas, do Peixe-Espada Preto e da Castanha. Autorizo a utilização dos espaços culturais municipais, ou seja, a Casa da Cultura, o Centro Cívico do Estreito e do Curral das Freiras, a Biblioteca Municipal de Câmara de Lobos e Polos do Estreito de Câmara de Lobos e do Curral das Freiras, por outras instituições que nos solicitam, para a realização de conferências, concertos, espetáculos, congressos, formações, etc. Na educação, represento a Câmara Municipal, nas Escolas do Município, nos Conselhos da Comunidade Educativa, no programa Eco Escolas e outras Instituições Regionais, Nacionais e Internacionais. Coordeno o programa de atividades elaborado pela Camara Municipal e que se destina a todos os alunos do Concelho, nomeadamente o Dia Internacional da Criança, atividades realizadas nas bibliotecas, concertos, exposições, entre outros. Coordeno ainda, os pedidos de manutenção das escolas do 1.º Ciclo, defiro os transportes para visitas de estudo e articulo os transportes escolares dos alunos do 1.º Ciclo. No desporto, promovo atividade física. Destaco o programa Caminhar pela Saúde, aulas de ginástica que se realizam nos Centros Comunitários, Cidade Viva em Câmara de Lobos e Vila Viva no Estreito de Câmara de Lobos para seniores e população em geral e hidroginástica para os seniores do Concelho. A Câmara também apoia atividades desportivas em parceria com outras instituições, nomeadamente clubes ou associações desportivas, o desporto escolar, entre outras. No que concerne à Intervenção Social é uma área muito delicada em que a nossa intervenção recai essencialmente nas vistorias de condições de habitabilidade e processamos o encaminhamento para o Instituto Habitacional da Madeira. É da competência da Câmara acompanhar os bairros camarários e prestar apoio aos seus inquilinos. A Câmara possui ainda alguns programas de apoio ao munícipe, nomeadamente o de candidaturas a extratos sociais desfavorecidos, disponibilizando materiais para a reconstrução de habitações em estado de degradação acentuado.


Página

16

Entrevista

3ºPeríodo

Desenvolvemos também programas de ocupação de tempos livres para as crianças/adolescentes em alguns bairros, especialmente os camarários e programas nas férias da Páscoa e do verão denominados, Bairro a Brincar e Lobos Radical e ainda programas de turismo social para os seniores, na Madeira, Porto Santo, Açores e Portugal Continental J-O que é mais fácil no exercício do cargo e o mais difícil? Vereadora- parte que considero mais fácil é o relacionamento com as pessoas, o estar com elas, escutá-las, orientá-las…e especialmente ajudá-las. Isto é sem dúvida um fator de realização pessoal quando somos úteis aos outros e que de alguma forma estamos a contribuir para o seu bem-estar e maior felicidade. O que considero mais difícil é o ter que tomar decisões. Por vezes são situações muito complicadas e estas nem sempre são afirmativas, o que nos coloca numa posição pouco confortável. Daí sermos também confrontados com atitudes/comentários menos agradáveis por parte das pessoas. J- Que características deve ter a vereadora? Vereadora-Ser uma pessoa justa, nas minhas decisões; atenta, a tudo o que me rodeia; trabalhadora, porque são muitas as solicitações a que estou sujeita; eficiente, porque tenho consciência que não posso falhar, porque se falho prejudico alguém; agir de forma imparcial, para com todos, nas minhas opiniões/decisões e acima de tudo tornar as funções politicas num serviço aos outros. J-E como deve ser a atuação da Câmara perante os munícipes? Vereadora- A mais sincera e frontal possível. Estando ao serviço da população, esclarecendo as decisões tomadas, alertando para as dificuldades/impossibilidades em resolver determinadas situações, que nem sempre são possíveis. Mas, o mais importante é receber as pessoas, ouvi-las, esclarece-las e sempre que for possível resolver/ajudar o munícipe no seu problema. J-Em qua medida a participação da Câmara no Conselho da Comunidade Educativa pode contribuir para um melhor funcionamento da escola? Vereadora-Conhecer a realidade da Escola, as suas caraterísticas e dificuldades para em parceria com a mesma articular iniciativas/apoios para que juntas possam colmatar e ultrapassar os obstáculos. Quais as funções que desempenha no Conselho da Comunidade Educativa? Vereadora-Represento a Câmara Municipal e sirvo de ponte entre a escola e a mesma. O que considera mais fácil e mais difícil no desempenho dessas funções? O mais fácil é quando todos estamos em sintonia, com o objetivo comum: o sucesso educativo e pessoal dos discentes; em contrapartida o mais difícil é delinear estratégias e linhas de ação que vão ao encontro desse objetivo, ou seja, fazer com que estas sejam executadas. Nem sempre se torna tarefa fácil, sensibilizar toda a comunidade educativa para o cumprimento das suas tarefas/deveres.


Página 17

Entrevista

3º Período

J-Tem outro tipo de relação com a escola como por ex. encarregada de educação? Vereadora- Não. J-Como considera a relação entre a escola e a Câmara? as Vereadora-Considero que existe uma relação de cordialidade, onde subsiste o respeito por ambas partes, a frontalidade e a vontade de um entendimento para que tudo se processe em função de um objetivo comum: o sucesso dos alunos. J-Como cidadã o que pensa das constantes mudanças na educação? Vereadora-Cada momento da história tem os seus modos e os seus temas próprios. Há no entanto, um que atravessa todas as civilizações: refiro-me à educação. O tema da educação do homem é constante, quer se tenha ou não consciência disso. A razão é muito simples: o homem existe unicamente na medida em que se educa. Uma das principais tarefas propostas à educação consiste, essencialmente, em dotar a humanidade da capacidade de conquistar o seu próprio desenvolvimento. Ela deve, de fato, fazer com que cada um, seja capaz de orientar a sua vida e contribuir para o progresso da sociedade em que vive. Os pais como primeiros e principais responsáveis desempenham um papel preponderante na educação dos seus filhos. Na medida em que a relação de educação tem uma necessária dimensão afetiva, desde sempre reconhecida, a criança tem direito ao amor, mas um amor que seja pedagógico. Direito ao amor pedagógico é direito ao sim e ao não, ditos por educadores amáveis, responsáveis e respeitáveis. Os laços afetivos familiares são fundamentais para a criança construir e assegurar o seu sentido de identidade e para o seu desenvolvimento intelectual, social e moral. A família constitui o primeiro lugar de toda e qualquer educação e assegura, por isso, a ligação entre o afetivo e o cognitivo, assim como, a transmissão de valores e de normas. Falar de educação nunca foi tarefa fácil. Hoje, talvez ainda seja mais difícil, devido a grande velocidade com que tudo acontece e pela enorme diversidade de modos de viver. Considero que apesar das grandes mudanças que possam existir, as crianças, para progredirem com sucesso, precisam de cuidados sensíveis e afetivos, para poderem formar as capacidades de confiança, empatia e solidariedade para enfrentarem os desafios e conseguirem ultrapassá-los com sucesso. J-Deixe uma mensagem final. Vereadora– A mensagem final é de felicitações e admiração, para o todo o corpo docente da escola, pela forma como tem desempenhado as suas funções, que além de transmitir saberes/conteúdos tem conseguido ultrapassar barreiras/problemas detetadas no meio escolar, com projetos que tem delineado e que têm conseguido colmatar as dificuldades concretas da instituição. Aos alunos e especialmente para eles, pois são a essência da escola, desejo-vos um futuro repleto de sonhos concretizados. Não termino sem antes deixar uma mensagem de muito carinho e consideração para todos os que integram a comunidade educativa desta escola, pois só com a ajuda e colaboração de todos é que se atingem as metas/ objetivos que se define. Carmo à Lupa


Página

18

Notícias

3ºPeríodo

Gincana A atividade “Gincana interdisciplinar”, do departamento de Ciências Exatas, da Natureza e Tecnologias, em parceria com o grupo de Educação Física, realizou-se no dia 15 de março, último dia de aulas do 2.º período, no ginásio da escola. A adesão por parte dos alunos na atividade foi muito boa, uma vez que, das 14 equipas inscritas, participaram 12. As equipas participantes foram bastante assertivas e empenhadas durante a realização das provas. Foram atribuídos prémios às equipas que posicionadas nos três primeiros lugares e foi sorteada, entre todos os participantes, uma viagem ao Porto Santo. Foram patrocinadores do jogo as empresas: Porto Editora; Areal editores; Texto editora; Eco Color e Porto Santo Line. Todo o departamento e o grupo de Educação Física contribuíram com grande profissionalismo, entusiasmo e empenhamento para o desenvolvimento da atividade. Esta permitiu criar um ambiente de competição e envolvimento por parte das equipas concorrentes até ao final do Jogo. A avaliação global teve apreciação de Muito Bom!

SEMANA DAS CIÊNCIAS EXATAS, DA NATUREZA E TECNOLOGIAS Na semana de 8 a 12 de abril de 2013 decorreu a atividade “Semana do departamento CENT”, que proporcionou à comunidade educativa um vasto programa de atividades, nas diferentes áreas do departamento, designadamente os grupo 230 matemática e de ciências da natureza, 500 matemática, 510 físico químicas, 520 biologia e geologia, 530 educação tecnológica e 550 Informática.


Página 19

3º Período

Notícias

As atividades desenvolvidas nessa semana foram as seguintes: exposição de materiais didáticos/ anatómicos existentes na escola, exposição de trabalhos realizados pelos alunos ao longo do ano letivo, realização de atividades experimentais pelos alunos, com a colaboração dos respetivos professores, jogos elétricos, visualização dos filmes: “Uma Mente Brilhante e Flatland, jogos de Matemática: Cartas, dominó; jogo 24; abalone; tangram pentaminós e outros jogos, realização de algumas atividades experimentais com a colaboração dos alunos, realização de algumas atividades experi-

Atividades de matemática

mentais, planadores e estruturas resistentes em papel, jogo dos 3 R’s, sessão de sensibilização sobre “Segurança na Internet”, dirigida às turmas de 2.º e 3.ºciclos, workshop sobre a “Música electrónica, aprende brincando: Playstation Buzz, Wii sport, jogos nos PC’s e jogo do mocho matnat. Nos dias em que decorreram as atividades houve uma procura bastante acentuada por parte das turmas que manifestaram, de uma forma geral, muito entusiasmo e interesse em participar nas mesmas. Foram, ainda, convidadas outras entidades exteriores à escola, que demonstraram bastante agrado pelas atividades que estavam a ser dinamizadas. Atividades laboratoriais - CFQ

Todo o departamento envolveu-se na organização/dinamização das atividades que tinham sido

Atividades laboratoriais – Ciências Naturais/Biologia/Geologia

definidas nos grupos com dedicação e entrega. Podemos considerar que esta atividade teve muito êxito, uma vez que permitiu alargar a noção da escola como local de socialização e cultura e onde se promovem os valores da cidadania. O balanço desta atividade é excelente, dada a participação e o empenho de toda a comunidade,

facto que dignificou a realização da mesma.

O coordenador do departamento CENT


Página

20

Notícias

3ºPeríodo

Atividades dinamizadas pelo grupo disciplinar de História Neste ano letivo o grupo de História deu o seu contributo para o Plano Anual de Escola promovendo uma exposição de trabalhos realizados pelos alunos do 3.º ciclo e uma palestra para o ensino secundário proferida pelo Dr. Rui Nepomuceno. Com o objetivo de dar a conhecer as temáticas lecionadas nos 7.º, 8.º e 9.º anos de escolaridade, o grupo de História incentivou os alunos a realizarem trabalhos que abordassem os temas estudados. Na realização dos trabalhos os alunos usaram a imaginação e recriaram, num perspetiva muito pessoal, o que estudaram, conheceram e pesquisaram. O resultado foi dado a conhecer numa exposição que decorreu no átrio da escola nos dias 22 a 26 de abril. Para além da exposição, os alunos do ensino secundário do curso de línguas de humanidades foram convidados a assistir a uma palestra proferida pelo Comendador Rui Nepomuceno, no dia 24 de abril entre as 10:40 e as 11:25, na Sala de Sessões da escola do Carmo. Nesta palestra os alunos tiveram a oportunidade de conhecer as memórias do Comendador sobre a sobre a vida no Estado Novo, a luta por ele protagonizada contra aquele regime, os acontecimentos dos dias subsequentes ao 25 de abril de 1974 na Ilha e as conquistas e fracassos da Revolução dos Cravos, dando um cunho pessoal e intimista à sua intervenção tendo obtido da plateia a máxima atenção, bem como a sua participação. As atividades desenvolvidas, para além de promoverem a divulgação das aprendizagens que o conhecimento de história permite, procuraram assinalar a revolução de Abril e o valor da liberdade.

A Delegada do Grupo 400


Página 21

3º Período

Notícias

Alunos do Carmo fazem canoagem A fim de incentivar o gosto pela prática de atividades desportivas ligadas ao mar, os professores de educação física proporcionaram aos alunos, de algumas turmas, uma manhã de canoagem na baía de Câmara de Lobos. Na sexta feira dia 10 de maio e com a organização dos docentes de Educação Física, João Bruno Silva e Frederico Pinho alguns alunos do 6.º4 e do 7.º 7 participaram numa atividade de canoagem na baía de Câmara de Lobos. Preparados para ir a banhos, receberam as indicações precisas de um instrutor, apetrecharam-se com coletes salva vidas e de pagaia na mão saltaram para o caiaque e fizeram-se ao mar! A euforia entre alunos era evidente e, com uma assistência de turistas e transeuntes, mostraram o gosto pela prática desportiva aproveitando o excelente mar que banha a costa sul da Madeira. A atividade foi aliciente e merece ser repetida de modo a que cada vez mais o desporto seja uma prática constante na vida de todos. Desta forma, aqui ficam registados alguns desses momentos.

Sandra Oliveira


Página

22

Notícias

3ºPeríodo

J ornadas das Línguas A “Jornadas das Línguas” é uma atividade dinamizada pelo departamento de Línguas que, este ano letivo, decorreu do dia 11 de março ao dia 16 de abril. Durante aproximadamente um mês, os diferentes grupos proporcionaram a toda a comunidade educativa um conjunto de ações, de forma a sensibilizá-la para a diversidade linguística e cultural. No dia 12 de março, realizou-se a palestra: “ A aprendizagem das línguas estrangeiras numa perspetiva de orientação profissional” pelo Chefe Benoît Sinthon, dirigida aos alunos do Curso de Educação e Formação (CEF’s) de cozinha e do curso profissional de restauração e bar na sala de sessões da escola. Em relação a esta palestra, é de salientar a grande adesão e interesse manifestado por parte dos alunos e professores. Os alunos participaram ativamente, procurando esclarecer algumas dúvidas. O facto de se ter optado pelas turmas de CEF’s e do curso profissional de restauração e bar do 10.º e 11.º anos revelou-se de grande pertinência, pois o público presente pôde contactar diretamente com um profissional da área de formação. Foram ainda encetadas algumas diligências para fomentar a integração futura dos alunos/formandos na vida ativa. No que concerne à exposição “Autour de la francophonie”, realça-se o empenho dos alunos do ensino básico e secundário. Foram elaborados trabalhos no âmbito do projeto anual organizado pela OIF (Organisation Internationale de la Francophonie) “Dis-moi dix mots 2013”. Os mesmos foram expostos no átrio do 2.º piso e na sala 318 (Laboratório de Línguas). Este ano, nas “Jornadas das Línguas” contamos também com a presença de vários escritores: Adélia Carvalho e António Cruz, Policarpo Nóbrega, Graça Alves e Francisco Fernandes. Os grupos disciplinares de português promoveram, durante três semanas, momentos dedicados à celebração da língua portuguesa. Os principais objetivos foram aproximar os alunos da leitura e da escrita e promover o encontro com escritores lusos. Assim, o 3.º período começou em força, logo no dia 03 de abril, tivemos um encontro com dois escritores portugueses que visitaram a nossa escola, no âmbito do Festival Literário da Madeira: a Adélia Carvalho e o António Barroso Cruz estiveram na biblioteca com duas turmas do 2.º ciclo, o 5.º 2 e o 6.º 1.


Página 23

Notícias

3º Período

Os alunos acompanharam-na descobrindo e antecipando as falas das personagens. Depois foi a vez do António Cruz que contou que tinha dado um nome muito madeirense a uma das suas estrelas e que começava com “B”. Foram várias as hipóteses adiantadas pelos alunos, como por exemplo, Banana, mas afinal era “Bilhardeira” e à volta deste nome encenou uma situação que pôs muitos alunos a rir à gargalhada... e outros (os visados, alvo da bilhardice) nem por isso… O 2.º ciclo também andou a pesquisar poetas portugueses e poemas. Escolheu aquele que mais lhe agradou, deitou “mãos à obra” e apresentou-o de formas muito originais recorrendo à reutilização de materiais... eles foram garrafas, caixas de cereais, disquetes, rolos de papel, musgo, folhas secas... fizeram bonecas, cartazes, livros, molduras, arranjos florais... Através da pesquisa, da leitura e da audição das respetivas declamações, os alunos foram contactando com o texto poético. Foram experimentando, foram escrevendo à maneira de... (algum poeta), foram criando os seus poemas e alguns apanharam-lhe o gosto... À semelhança do ano anterior, no dia 11 de abril, contámos também com a presença do poeta e declamador Policarpo Nóbrega para uma inflamada sessão de poesia com alunos de 2.º e 3.º ciclos. Num mês que se celebra a liberdade, falou-nos do seu valor e da falta que ela nos faz. Falou da importância do sonho e da força que ele tem para conseguirmos vencer na vida. Mensagens muito importantes num momento que atravessamos algumas dificuldades. No dia 12 do referido mês, trabalhando em parceria com as professoras do projeto “Baú de Leitura”, recebemos com muita satisfação os escritores Graça Alves e Francisco Fernandes. Este que tem dedicado um interesse especial à literatura infantil, tem também vários livros publicados nas áreas da investigação, dramaturgia e ficção (narrativa e romance). Em consonância com o mote das jornadas “As Línguas abrem caminhos”, o escritor falou da importância da nossa língua no mundo. Certamente, como escritor, não poderia deixar de falar da sua experiência enquanto leitor, pois para ser escritor é essencial ser um leitor assíduo. Na conversa do autor com os nossos alunos, o livro “O Principezinho” ganhou especial destaque. Disponível atualmente em 257 línguas é a obra de literatura francesa mais lida do mundo e tornou-se num livro emblemático.


Página

24

Notícias

3ºPeríodo

A autora de “Um pingo de sol na areia”, Graça Alves, acalentou os nossos jovens com conversas sobre histórias da sua vida quotidiana, cativando-os para o prazer da leitura. Falou da sua experiência enquanto escritora e da importância da leitura na sua vida. Ao longo da sessão, reforçou a ideia que “só se gosta de ler, lendo” e que “um livro ainda é um lugar seguro para onde a gente pode fugir”. Foram várias oportunidades de sensibilizar os alunos para a escrita criativa e para a fruição literária. Ao longo de duas semanas, a língua portuguesa também esteve mais uma vez presente nos pátios e nos mais diversos espaços da nossa escola, procurando cativar professores, alunos e demais elementos da comunidade educativa para a beleza das suas palavras. A “Árvore da poesia” no átrio da biblioteca da escola, serviu de montra literária, pois ficou ricamente ornamentada com frases, pensamentos e poemas de diversos escritores conceituados como Eugénio de Andrade, Sophia de Mello Breyner Andresen, Miguel Torga, Fernando Pessoa, entre outros. Quanto à língua inglesa, foram realizadas exposições de diversos trabalhos relacionados com os países cuja língua oficial, ou a 2.ª língua é o inglês – English Speaking Countries e divulgação de frases idiomáticas, frases/citações sobre a leitura/livro, pensamentos, poemas e provérbios pela escola. A reutilização de materiais, nomeadamente CDs e embalagens de cartão vazias, esteve na base da execução dos trabalhos expostos. Mais uma vez nota-se que os alunos revelam, sem dúvida, grande habilidade e potencial criativo. Realizou-se ainda o concurso: “O trivial”. Os alunos apreciaram e participaram ativamente nesta atividade. É, sem dúvida, mais uma excelente forma de sensibilizá-los para a importância da aprendizagem das línguas estrangeiras.


Página 25

3º Período

Notícias

As “Jornadas das Línguas” finalizaram com o já tão aguardado “Chá com Letras”, no dia 16 de abril. É de enaltecer, em especial neste momento de crise “económica”, o empenho dos docentes do departamento de Línguas na confeção das iguarias para este chá e também na sua organização e concretização, nomeadamente na decoração do espaço e apoio presencial no dia previsto para o evento. Este é um momento importante de convívio e bem-estar entre a comunidade escolar e foi bastante gratificante pelo espírito cooperativo que se desenvolveu dentro e fora do departamento. Assim, agradecemos todos quanto participaram na concretização das “Jornadas das Línguas”: em especial aos docentes do departamento de Línguas na interdisciplinaridade, conceção e operacionalização de todas as atividades; aos alunos de 2.º, 3.º ciclos e secundário que demonstraram interesse e empenho nos trabalhos / atividades desenvolvidas; a colaboração do conselho executivo e dos funcionários em todas as atividades desenvolvidas!

Departamento das Línguas


Página

26

Notícias

3ºPeríodo

8º3 e 9º1- Estação de Biologia Marinha No dia 30 de abril, as turmas do 8º3 e 9º1, visitaram a Estação de Biologia Marinha do Funchal. Contou com uma visita guiada pelos técnicos da estação ao interior das instalações e ao exterior da mesma, onde os alunos puderam observar as diferentes espécies piscícolas dos mares da RAM. Esta estação tem um protocolo de trabalho com a Universidade da Madeira, pelo que foi possível visitar alguns laboratórios bem como espécies marinhas conservadas para estudo. Esta visita enquadrou-se no âmbito das disciplinas de Geografia e Ciências Naturais, leccionadas respetivamente pelas professoras Betty Freitas e Isabel Abreu, e que contou com a companhia das professoras Carla Pereira e Carmo Vieira.

7º1-Baú de Leitura- Feira do Livro No dia 30 de abril, integrada no Baú de Leitura e na disciplina de Formação Pessoal e Social, já que fazia parte da planificação desta área, desenvolver e participar em atividades integradas e desenvolvidas no Baú de Leitura, a turma foi à Feira do Livro, integrada na Festa da Cultura e realizada no Funchal entre os dias 25 de abril e 5 de maio. Os professores que acompanharam os alunos nesta iniciativa foram: Delta Pereira e Gertrudes Vieira.


Página 27

Notícias

3º Período

7º1-Observatório Meteorológico do Funchal No dia 14 de maio, a turma do 7º1 visitou o Observatório Meteorológico do Funchal. Contou com uma visita guiada pelos técnicos do observatório do Funchal ao interior das instalações e ao exterior da mesma, onde os alunos puderam observar os diferentes instrumentos de análise de dados meteorológicos e outros. A visita esta integrada na disciplina de Geografia, leccionada pela professora Betty Freitas, e que contou com a companhia da professora Delta Pereira.

7º1 e 8º3-Percurso Pedestre: Rabaçal-25Fonte No dia 27 de maio, fez-se o percurso pedestre do Rabaçal -25 Fontes, com as turma do 8.º 3 e 7º1, ambas integradas na disciplina de Geografia leccionada pela professora Betty Freitas. A visita realizada no âmbito da disciplina de Geografia teve como objetivo principal dar a conhecer aos alunos e professores a Floresta Laurissilva como recurso e património da humanidade e a sua importância como suporte da Biodiversidade da Região Autónoma da Madeira. É Património Mundial da Humanidade desde 1999 pela UNESCO. Contou com 47 alunos de ambas as turmas, um Encarregado de Educação e 4 professores: Betty Freitas, Isabel Abreu, Delta Pereira e Cláudia Dantas Ferraz.

Todas as atividades foram muito enriquecedoras na aprendizagem que se proporcionou e no relacionamento que se estabeleceu entre os participantes, onde reinou sempre a boa disposição. Um agradecimento especial às responsáveis pelas atividades de enriquecimento curricular, professoras Rosalina Freitas e Isabel Abreu e à Câmara Municipal de Câmara de Lobos pelo transporte cedido. Betty Freitas


Página

28

Notícias

3º Período

No dia 14 de março, os alunos da turma um do oitavo ano foram em visita de estudo ao Museu de Arte Sacra, no âmbito da disciplina de História. Apesar de a manhã ter amanhecido cinzenta e da chuva miudinha que caía, o entusiasmo que reinava entre o grupo não esmoreceu. Uma vez chegados ao museu, fomos recebidos pelo Dr. Martinho Mendes, encarregado pelo Serviço Educativo do Museu. Ao longo da visita guiada que nos fez, os alunos e as docentes acompanhantes puderam contemplar com pormenor obras de arte em ourivesaria, escultura e pintura, datadas do século XV ao século XVI, com destaque para a Cruz Processional Manuelina da Sé do Funchal, a escultura em calcário de S. Sebastião (proveniente da Igreja de São Sebastião de Câmara de Lobos) e dois trípticos da escola flamenga, o Tríptico da Descida da Cruz e o Tríptico da Encarnação. Na descoberta orientada destas obras, os alunos puderam mostrar os seus conhecimentos de arte adquiridos nas aulas de História. Terminada a visita, e como já eram horas de almoçar, seguimos para o McDonald´s, onde o convívio foi de grande cumplicidade e boa disposição. No final, os alunos manifestaram vontade de repetir a experiência (mesmo que com chuva), afinal uma visita de estudo é sempre uma forma diferente de aprender… Delta Pereira


Página

29

Sabia que?

3º Período

Sabia que?

Coisas sobre o corpo Humano Estômago O ácido do estômago é suficientemente forte para dissolver lâminas de barbear. Embora seja melhor não experimentar, fique a saber que os ácidos que digerem a comida conseguem dissolver não só o hambúrguer que comeu ao jantar mas também vários tipos de metal.

Sabia que comemos mais durante o Inverno e que quando temos o corpo quente, depois de fazermos exercício físico, não temos fome. Uma das teorias acerca do metabolismo diz que as temperaturas frias abrem o apetite.


Página 30

Sabia que?

3º Período

Coisas sobre os alimentos Chá verde O chá verde tem cafeína suficiente para o ajudar a acordar logo pela manhã, sem precisar de tomar café. A bebida é mais saudável, refrescante e, por isso mais benéfica para a sua saúde.

Nozes As nozes são ricas em proteínas e fibras, por isso proporcionam um lanche saudável. Segundo a nutricionista Angela Pifer, os batidos de nozes são feitos com leite e daí que ajudem a elevar os níveis de açúcar no sangue.

Água com limão A cafeína tem um período de duração no organismo muito limitado, por isso, se ao final do dia se sentir cansado e precisar de energia, beba uma água com um pouco de limão. Esta ajuda a revitalizar a sua mente enquanto estimula os sentidos.

Fonte: Revista Sábado

Carmo à Lupa


Página 31

Culinária

3º Período

“ Chá e canela”

Chá Gelado de Hortelã, Gengibre e Limão Ingredientes     

2 litros de água filtrada 6 saquinhos de chá verde 1 ou 2 pedaços grandes de gengibre 1 molho de hortelã sumo de 1 limão (ou 1 ½ limões), coado.

Modo de preparação Descasque o gengibre e corte em pedaços grandes. Ponha-os numa panela grande com a água e leve ao fogo médio por uns 10 minutos. Retire do lume e acrescente os saquinhos de chá e o molho de hortelã. Deixe arrefecer totalmente, fora do frigorífico. Quando o chá estiver à temperatura ambiente, passe por um passador para retirar o gengibre, as folhas de hortelã e os saquinhos

Suspiros   

Ingredientes 3 claras em castelo; 2 chávenas de chá de açúcar; Raspa de limão.

Modo de preparação Bata as claras em castelo, acrescente o açúcar e a raspa de limão. Bata até obter um suspiro firme. Faça os suspiros de um tamanho a seu gosto. Leve ao forno a 180º num tabuleiro untado com margarina e polvilhado com farinha, durante mais ou menos 25 minutos.

de chá; junte o sumo de limão. Adoce a gosto e leve ao frigorífico. Sirva bem gelado com folhas de hortelã para enfeitar.

Bom apetite! Carmo à Lupa


20%C2%AAlupa