Page 1

DO TAMANHO DO MUNDO COM

MATEUS SOLANO DIREÇÃO:

JEFFERSON MIRANDA


O QUE VOCÊ FARIA SE ACORDASSE TENDO UMA CHANCE ESTRANHA DE RECOMEÇAR? Se de repente você esquecesse sua profissão, sua comida preferida ou de como amarrar os seus sapatos? Assustador e sedutor...

Após 3 anos dedicando-se ao cinema e televisão, o ator Mateus Solano reencontra o conceituado diretor Jefferson Miranda para em 2013 levarem juntos aos palcos o instigante texto da autora, atriz e diretora Paula Braun. DO TAMANHO DO MUNDO estreia no Rio de Janeiro para depois cumprir temporada em São Paulo e turnê pelo Brasil.


SINOPSE Arnaldo acorda e não se recorda como caminha. De repente, no alto de sua maturidade, se vê como quem vê uma folha de papel em branco, desaprendido, perdido dentro de sua própria liberdade. Um homem que esqueceu como viver em sociedade. Junto de sua mulher, começa a questionar se as escolhas que tomou até então são suas ou foram impostas pelo destino, e se o destino existe ou foi inventado para que possam caminhar dentro de padrões sociais. Este casal representa o ideal criado pela modernidade, porém que recebe a chance extraordinária de se reinventar de verdade e, quem sabe, descobrir enfim o que é belo ou não em suas vidas. O casal é intermediado por um apresentador que inclui e traz a platéia para dentro da história. Como se aquelas pessoas, presentes naquela hora, também pudessem modificar algumas escolhas da vida. Em determinado momento, o apresentador se inclui na construção da trama lançando pequenas e sutis intervenções que vão afetando a realidade dos fatos.


JUSTIFICATIVA Tornar o público parte da história, fazer com que ele torça contra ou a favor dos protagonistas, faz com que a experiência teatral vá além da cadeira e do palco, apesar da peça não ser interativa. Este é um espetáculo não exclusivamente filosófico ou ficcional. É também um relato compartilhado de cada um dos atores, para que se quebre essa divisão platéia/artista, fazendo com que se mostrem não como puros personagens, mas humanos espelhados em cada um dos presentes. A oportunidade de se reinventar acontece para poucos, em poucos lugares. O que está acontecendo naquele momento é realidade ou ficção? Arnaldo e Marta entendem os fatos com pontos de vista ora diferentes ora parecidos. São seres humanos distintos, criados de formas diferentes, com instintos diferentes, porém convivem em sociedade com costumes e rotina aparentemente iguais. Onde qualquer forma de criatividade é esmagada e onde a obediência é necessária para a convivência. Somos inventores, ou peões domesticados? Em nenhum momento a peça toma partido de algum lado. Nossos protagonistas apenas questionam e, sem perceber, passam por vários destes momentos vendidos como “ideais”. A felicidade é muito mais simples do que podemos imaginar, e principalmente, muito diferente da que imaginamos existir. O mundo que criamos em nossa mente é talvez aquele em que vivemos, mas talvez é apenas talvez. E verdade absoluta definitivamente não existe. Então, que embarquemos sem pré-idéias em um espetáculo onde a vida não possui arestas. Estamos todos, desordenadamente e deliciosamente, enfim vivendo.


Elenco:

MATEUS SOLANO ALCEMAR VIEIRA KARINE TELLES Direção:

JEFFERSON MIRANDA Texto :

PAULA BRAUN Direção de Produção :

CARLOS GRUN Iluminação:

THOMÁS RIBAS Cenário:

AURORA DOS CAMPOS


MATEUS SOLANO Formado em Artes Cênicas em 2005 pela Uni Rio fez cursos de especialização no Tablado e no Théâtre du Soleil em Paris. Alguns de seus principais trabalhos são O Beijo no Asfalto (Marcos Alvizi, 1999), O Homem que era Sábado (Pedro Brício, 2002), Não existem níveis seguros para o consumo dessas substâncias e Tudo é permitido (Tato Consorti – 2005 - 2006), Últimos remorsos antes do esquecimento (Ivan Sugahara, 2007), O Perfeito Cozinheiro das Almas deste Mundo (Jefferson Miranda, 2006/2007), Lobo No. 1 – A Estepe (Marco André Nunes, 2008), 2 p/ viagem, trabalho colaborativo em parceria com Miguel Thiré e Jô Bilac, em 2008 e Hamlet, direção de Aderbal Freire Filho em 2009. Na televisão fez as séries Linha Direta Justiça, Malhação, Sob Nova Direção, Um só Coração, JK e Maysa e as seguintes novelas – Paraíso Tropical, Pé na Jaca, Viver a Vida, Morde e Assopra e, mais recentemente, representando Mundinho Falcão, Gabriela na TV Globo.


JEFFERSON MIRANDA Mestre em Artes Visuais pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, doutorando pela Escola de Belas Artes, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e diretor da ciateatroautônomo com a qual realizou os espetáculos Sísifo, Mann na praia, Minh’alma é imortal, 7x2=y – uma parábola que passa pela origem, A noite de todas as ceias, Uma coisa que não tem nome (e que se perdeu), Um bando chamado desejo, Deve haver algum sentido em mim que basta, E agora nada é mais uma coisa só, –nu de mim mesmo e Série 21. Além do trabalho com a ciateatroautônomo, Jefferson foi responsável, em 2010, pela música cênica de Revisitando Stravinsky, de Jocy de Oliveira, e dirigiu, em 2006, o espetáculo O Perfeito Cozinheiro das Almas Deste Mundo, sobre a vida e obra de Oswald de Andrade. Tem ministrado residências artísticas, cursos e oficinas, tais como Transvias (2009), no Teatro Poeira/Petrobrás; Teatro em Laboratório (2008), no Espaço SESC-Rio; Os Processos Criativos da ciateatroautônomo, em 2007, nas Lonas Culturais do Rio de Janeiro, a partir do projeto de Fundo de Apoio ao Teatro; em 2004, dentro do projeto Palco Giratório, do SESC, em cidades do Paraná, Ceará e Pernambuco; e, em 1997, dentro do projeto Buscas, Rupturas e Transgressões do Centro Cultural São Paulo. Este ano dirigiu o espetáculo Você Precisa Saber de Mim, espetáculo produzido a partir dos textos de seis dramaturgos cariocas, no Espaço Tom Jobim e, em dezembro, estreia Criados em Cativeiro, de Nicky Silver, no Oi Futuro – Flamengo.


CARLOS GRUN Diretor de Produção e Produtor Executivo em mais de 30 projetos, dentre eles, Z.É – Zenas Emprovisadas- com Marcelo Adnet e Fernando CarusoPrêmio Shell 2004 - Categoria Especial, “Esse Alguém Maravilhoso que eu Amei”- dir. de Aloísio de Abreu, “Nós na Fita” com Leandro Hassum e Marcius Melhem, “Superiores”- dir. Miguel Thiré, indicado ao Prêmio Shell 2006, Renato Russo – A peça – dir. Mauro Mendonça Filho, Prêmio Shell 2007, “Os Ignorantes “ de Pedro Cardoso, “ Anticlássico” de Alessandra Colasanti, “ Talvez”, com Álamo Facó, “O Diário de Anne Frank” – dir. Robert Castle, “Parem de Falar Mal da Rotina” de Elisa Lucinda,” Outside” com Letícia Spiller e André Mattos, “Cyrano de Bergerac”- dir. de João Fonseca, “ O Idiota”- dir. Cybele Fojaz, “ A Volta ao Lar” com Tonico Pereira e Milhem Cortaz, “ O Homem Travesseiro” com Tonico Pereira e Ricardo Blat, todos com temporadas no Rio e São Paulo e turnês pelo Brasil.


PLANO DE TRABALHO Estreia prevista para Abril de 2013, com ensaios iniciando em fevereiro. Serão 2 meses de ensaio e um mínimo de 2 meses de temporada, em teatro da zona sul do rio de janeiro, a definir.

MÍDIA E DIVULGAÇÃO - Assessoria de imprensa contratada trabalhando a divulgação junto aos principais veículos de comunicação - anúncios de jornal (O GLOBO) semanais, 3 col x 15 cm - mídia Metrô Rio (a definir) - mobiliários urbanos (Clear Channel ou Elemídia , a definir) - Buss door , durante toda a temporada (mínimo 10 linhas) - mídia televisiva (Promoção Rede Globo) - mídia radiofônica (mínimo 30 inserções/semana ) - material gráfico : programas (distribuídos ao público das apresentações), cartazes, banners, flyers e convites impressos. -Site do espetáculo


PROPOSTA DE PATROCÍNIO

Contamos com o incentivo através da Lei Rouanet ( Pronac 117580 ) e oferecemos as seguintes opções para temporada Rio de Janeiro em 2013: R$ 400.000

CHANCELA “APRESENTA” R$ 300.000

CHANCELA “PATROCÌNIO” R$ 150.000

CHANCELA “CO-PATROCÌNIO”


VANTAGENS:

- Através da Lei de Incentivo a Cultura, ter o investimento abatido dos encargos da empresa - Associar a marca a artistas de renome e projeção nacional - Veicular o nome da empresa nos diversos meios de divulgação utilizados - oferecer aos fornecedores e clientes ingressos para as sessões do espetáculo - fazer parte do seleto grupo de empresas que incentiva e apoia a arte e cultura do país

CONTRAPARTIDAS:

- Nome e logomarca em todo o material gráfico e mídia impressa e virtual relacionada ao espetáculo - Nome e logomarca nos “press-kits” enviados aos veículos de comunicação - Exibição de vídeo institucional da empresa na sala de espetáculo, antes das apresentações - Exibição de material promocional da empresa no foyer do teatro - Sessão exclusiva ( para chancelas “ APRESENTA” e “ PATROCÌNIO ) - Cota semanal de ingressos - Citação do nome do Patrocinador em todos os programas de televisão e mídia espontânea sempre que permitido. - Ter a logomarca da empresa por 1 ano, após o término da primeira temporada no Rio de Janeiro


CARLOS GRUN

21 30798145 21 81757200 CARLOSGRUN@ GMAIL.COM


Do Tamanho Do Mundo  

Projeto de Peça

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you