Issuu on Google+

MPF pede suspensão da votação da LO da barragem de rejeitos da Kinross


2 . Opinião . Novembro de 2011

Editorial

Ocupar o abandonado

Tanto os norte-africanos, como os europeus e agora também os norte-americanos (com a ocupação do Wall Street) tem mostrado que a história não é um leão dorminhoco e, muito menos, uma foquinha adestrada. Ela é sim um furacão, um Tsunami (em seu estado mais potente), e, conseqüentemente, devastadora. As manifestações, as ações populares nas praças e ruas, comprovam o que o INTERESSANTE, vem ao longo de seus quase dois anos de publicações e pesquisas jornalísticas, tentando demonstrar, ou seja, a inércia dos representantes diante da vontade (demanda) da população que, levou os mantenedores desse sistema político representativo (o povo), a verdadeira massa eleitoral a pensar se existe a necessidade de “homens” – sejam eles do povo ou não – fazerem o que só pode ser feito por quem realmente sente a necessidade, e, portanto, tem o conhecimento da dor e do desamparo. Quando se precisou dos “homens”, os “donos do poder” como disse Raymundo Faoro, eles – em base da constatação de que a História não é animal abatido, mas sim, uma força impetuosa diante de tudo e de todos – nos deram ditaduras, fome, genocídios, enfim, somente as mazelas mais deploráveis pertencente a uma raça que se diz pensantes. Quando se precisaram dos homens, eles nos defenderam atacando, e não, mostrando a verdade como algo para “desviciar os olhos versos à verdade como um bem caro demais”. Por isto, quando os alunos da Universidade de São Paulo (USP), os jovens no Chile, os gregos com a ajuda do M-15 (movimento contemporâneo popular espanhol) em parte da Europa e os americanos acampados em Novo York (e agora em várias capitais de diversos Estados do país), demonstra a necessidade que há de ocupar o desocupado. Para dar vida a até então esquecida indignação que existem em cada um de nós. Esses atos representam a troca, no sentido metafórico, não só da lâmpada, mas também, do bocal. E, se for necessário, de alguns fios da fiação também. Toda greve, toda ação, todo manifesto em prol dos Direitos Humanos, somos nós mesmos, (os verdadeiros humanos), não por sermos de carne e osso, mas porque comemos a carne e, muitas vezes, o osso para sobreviver, é que temos que tomarmos as providências para à construção das soluções de nossas carências sociais, ambientais, culturais e econômicas. Não queremos aqui descrer da figura do representante público ou até mesmo de seus papagaios de plantão, os velhos e sagazes bajuladores. Não. Nosso intuito, como veículo de comunicação que somos, portanto, funcionalmente, dialético, é que apoiamos a movimentação da Historia e não sua atrofia. E apoiamos essa movimentação de forma consciente e científica. Em busca da libertação dos trabalhadores, sejam eles oprimidos ou não, e das minorias. Por isto, a constatação da realidade nos leva a perceber que é necessário ocupar, o até então desocupado, abandonado, para apreendermos que é “amando que se apreende a amar” como disse o velho Drummond.

>> Artigo

por João Alfredo Porto Góes

Jornalista formado pela Universidade Federal de Viçosa e empresário, proprietário da Solo Agronegócio de Unaí

A terceira margem do rio Nos primeiros anos da década de 70, José Brasileiro da Silva embrenhou-se pelas matas do Mato Grosso, abrindo mais de 4 mil hectares para produção de alimentos. À época, considerado herói e muito bem quisto naquela cercania, levou asfalto e infra-estrutura com recursos próprios, munido da certeza de que o desenvolvimento da região estava diretamente vinculado ao dele. Veio a década de 90. Com ela, o clichê sobre uma nova ordem mundial após a queda do Muro de Berlim e o subseqüente fim da Guerra Fria ganhou força e incrementou os movimentos sociais pelo mundo. Foi a chamada Década das Conferências na diplomacia, quando todos os temas pareciam passivos de renovação. Foi nesse clima que ocorreu a invasão irresponsável e criminosa das terras do seu Brasileiro. Na ocasião, ele procurou todas as vias legais para resolver a questão, reunindo-se várias vezes os acampados para solucionar o impasse, desejando ajudar as famílias que já se encontravam em sua terra. Registrada em cartório, sua proposta transferiria 10 hectares de terra para cada família. Entusiasmaramse os invasores miseráveis com seus filhos famélicos, mas a obscura e nada miserável liderança do MST vetou a negociação, que teria sido considerada contrária os “interesses da Reforma Agrária”. Seu Brasileiro perdeu as terras (que apesar de altamente produtivas, com manejo integrado respeitando a mata, e geradora de empregos para a região, fora classificada como improdutiva pelo INCRA) ainda não

foi indenizado e a depressão é hoje sua companheira mais constante. Diante de cenários como este, as autoridades e a mídia tentam responsabilizar os produtores pela violência no campo. Falácia! Como cristãos, demos graças a Deus por serem tão pacíficos os produtores que muito pouco se mobilizam e abdicam de práticas violentas. Em julho deste ano, o jornal Folha de São Paulo informou que nos últimos dez anos, houve 340 mortes por conflitos no campo nas regiões mais violentas do Brasil. “A morte de um inocente é como o assassinato de toda a humanidade”, ensina o Islamismo. Mas, não fora por nossos corações humanistas que jamais deixarão de se entristecerem pela perda de uma vida, a média de 34 mortes por ano em um país com mais de 50 milhões de hectares plantados e com uma média de 387 invasões por ano, onde homens encapuzados e armados simplesmente tomam conta de propriedades privadas e PRODUTIVAS, é estatisticamente irrelevante se comparada à violência urbana e não pode ser usada para embasar a tese desonesta de que vivemos uma guerra no campo patrocinada por agricultores belicistas. Em países como os Estados Unidos, onde a propriedade privada é uma garantia constitucional realmente cumprida, nada é mais legítimo do que se defender contra invasores. Os culpados? Todos nós,amantes da liberdade, trabalhadores e empreendedores que assistimos ao espetáculo sem nos manifestarmos.

>> Artigo

por Rogério Tomaz Jr.

Integrante do Coletivo Brasil de Comunicação Social (Intervozes) | http://brasiliamaranhao.wordpress.com

Quem é violento no meio rural? Mais de 1600 assassinatos de lideranças ou militantes camponeses nos últimos 25 anos. Em média, mais de um por semana. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical”. Só nas últimas três semanas, seis mortes na Amazônia. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical”. No último fim de semana, arrombamento da sede da CPT do Maranhão. E o MST é “violento”, “fora da lei”, “radical”. Duas semanas atrás, um líder quilombola, também no meu Maranhão querido, sofreu atentado a bala em sua casa. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical”. Centenas de militantes e defensores de direitos humanos sofrem com ameaças de policiais, pistoleiros e da própria Justiça, como o advogado José Batista Gonçalves, condenado por fazer o seu trabalho de assessoria jurídica e tentar evitar conflitos que levassem pessoas à morte. No 24 de maio passado, enquanto Sarney Filho anunciava com pesar o assassinato de José Cláudio, na tribuna da Câmara, os agroboys da Kátia Abreu e do Aldo Rebelo vaiavam nas galerias. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical” porque derruba pés de laranja. Só no Pará, mais de 900 trabalhadores rurais ou apoiadores da luta campesina foram assassinados nos últimos 30 anos. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical”. Em Pernambuco ou no Rio Grande do Sul, a Polícia Militar

intimida (com bombas, sirenes e tiros), prende, espanca e tortura. Ou, simplesmente, executa. Como no Massacre do Eldorado dos Carajás. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical”. Os movimentos propõem limite para latifúndios (existentes em muitos países “mudernos”) e atualização de índices de produtividade (defasados “apenas” em três décadas e meia) e o sabujo do Bóris Casoy lê editorial dizendo que a propriedade e o Estado de Direitos estão ameaçados no Brasil. Tipo em Coqueiros, no Rio Grande do Sul, onde uma única fazenda ocupa 30% do município e gera 6 empregos, aí o MST ocupou várias vezes… A PEC que expropria terras onde existir trabalho escravo mofa há mais de década no Congresso Nacional, mas o Código da Motosserra que envergonha o Brasil no exterior é aprovado com folga em dois anos. Mais de cinco mil pessoas de entidades e movimentos sociais que não aceitam a lei do latifúndio vivem e dormem com um ou dois olhos abertos, atentos a um tiro certeiro como bala que já cheira sangue. E “os sem terra” é “violento”, “fora da lei”, “radical”. Sem falar na ultra-esquerda (que, muitas vezes, fala para o próprio umbigo e para as paredes) que acusa o MST de ser governista ou recuado demais.

Expediente Expediente DIRETOR GERAL: Danny Diogo T. Santana, (38) 9981-7256, dannydiogo@portalinteressante.com.br | REDAÇÃO E REPORTAGEM: Marcos Antonio Padilha, (38) 9826-6882, redacao@portalinteressante.com.br | DEPARTAMENTO COMERCIAL: Priscila Marques, (38) 9940-5269, comercial@portalinteressante.com.br

Editado pela agência G8 COMUNICAÇÃO LTDA | CNPJ: 09.467.920/0001-99 Endereço para corrêspondência: Rua Celina Lisboa Frederico, 64 - Sala 304 - Centro - CEP 38610-000 Unaí - Minas Gerais | Telefone: (38) 3676-3882 | E-mail: contato@portalinteressante.com.br

TIRAGEM: 10.000 exemplares | Periodicidade: Mensal | Distribuição: Gratuita Circulação: Unaí, Paracatu, Buritis, Arinos, Brasilândia, Bonfinópolis de Minas, Riachinho, Cabeceira Grande, Natalândia, Urucuia e Uruana de Minas

Artigos publicidados e anúncios são de responsabilidade dos autores e, necessariamente, não expressam a opinião do INTERESSANTE.


Novembro de 2011 . O Noroeste . 3

O Noroeste

Falta de merenda escolar leva vereador a denunciar escola municipal em Cabeceira Grande Segundo o vereador denunciante ele chegou a comprar arroz e leite para doar à escola; em entrevista ao INTERESSANTE ele diz que a falta de merenda foi solucionada, mas “outros problemas ainda existem”

Os banheiros estão em “péssimas” condições de uso; atualmente a escola atende à mais de 4 mil alunos

undada no ano de 2002, a Escola Municipal Professora Hozana situada na cidade de Cabeceira Grande, foi denunciada por um dos vereadores do município, em sessão ordinária, pela falta de alimentos para serem servidos como merenda escolar. Na ocasião, o vereador que representa o Partido Socialista Brasileiro (PSB), Edilson Mariano afirmou que a situação era grave e que ele mesmo, para não deixar que os alunos passassem necessidades, chegou a comprar mantimentos para escola. “Comprei arroz, doei lei-

Na escola Professora Hozana, conforme constatado pelo vereador do PSB, as “normas” e “critérios básicos” estabelecidos na lei simplesmente não existem. “Não tem acesso para pessoas portadoras de necessidades especiais como: rampa (já que tem escada interna e externa); faltam banheiros e salas adaptadas para crianças especiais. Não tem um reservatório eficiente de água”, confirma Mariano. Ele também ressaltou que os banheiros estão em “péssimas” condições. “Falta lavatório, vaso sanitário e portas”, especifica.

F

te”, afirma o vereador em entrevista por e-mail ao INTERESSANTE. Segundo o diretor da escola, Ivan de Souza Coimbra, a falta de alguns alimentos aconteceu mais foi solucionada assim que eles se inseriram no Programa de Escolarização da Merenda. “Não é que ficamos sem alimentos, ficamos sem algum tipo de alimento. Mais foi somente no período em que nós estávamos aguardando pelo dinheiro que agora será administrado pela própria escola”, explica o diretor que afirma ter chegado os alimentos na terceira semana do mês de agosto.

Segundo o diretor, a escola recebe um repasse mensal de R$ 3.042 para ser destinados à compra de mantimentos para a merenda escolar e mais R$ 915 para a compra de materiais de limpeza. Algumas constatações A lei federal nº 10.098 de 2000 estabelece as normas gerais e os critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiências ou com mobilidade reduzida. Mas na realidade nem todo local (conforme prevê o artigo 1º), seja ele público ou privado, estão em dia com essa lei.

Solução O diretor da escola confirma as constatações. Segundo ele, a escola recebeu por meio de um convênio junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em janeiro deste ano, uma quantia de R$ 34 mil, porém esse dinheiro não pode ser empregado na reforma do colégio. “Como se trata de um colégio municipal a reforma tem que ser feita com recurso do governo do município”, salienta o diretor. Desta forma, ele explica que o dinheiro do convênio foi aplicado na compra de materiais didáticos com “computadores, livros, gi-

bis infantis” entre outros. O diretor também explica que ainda será repassado uma parcela complementar no valor de R$ 18 mil, que deve sair ainda este ano. Desse dinheiro, o diretor afirma que será destinado R$ 6.750 para a adaptação da escola conforme exige a lei de acessibilidade e o restante viabilizarão a construção de um laboratório de informática, a compra de uniformes da fanfarra escolar, equipamentos para um parquinho infantil e caixas de areia para a prática de exercícios físicos. “Só estamos esperando o dinheiro para começarmos as obras”, afirma Coimbra.


4 . O Noroeste . Novembro de 2011

MPF critica Copam Noroeste de Minas sobre a condução do processo de emissão da LO para mineradora Kinross

O Conselho do Copam Noroeste de Minas; para procurador federal, Onésio Amaral, os órgãos ambientais são convenientes as irregularidades da mineradora

U

ma ação cautelar do Ministério Público Federal (MPF) solicitando a suspensão da votação da Licença de Operação (LO) da barragem de rejeitos e resíduos sólidos do projeto de expansão da mineradora multinacional Kinross, foi divulgada pela assessoria de comunicação do MPF, no último dia 26 de outubro. De acordo com o MPF, o objetivo da ação é “assegurar que a empresa cumpra todas as condicionantes relativas a três comunidades quilombolas residentes no local do empreendimento”. As comunidades citadas pelo ministério são: Machinho, Amaros e São Domingos. Segundo o ministério, as três comunidades estão sendo desrespeitadas, pela mineradora, há anos. “A empresa

A empresa ignora os direitos das comunidades quilombolas, e, pode-se dizer, faz tábula rasa da própria legislação brasileira ao descumpri-la sistematicamente Onésio Amaral, procurador da República

ignora os direitos das comunidades quilombolas, e, podese dizer, faz tábula rasa da própria legislação brasileira ao descumpri-la sistematicamente”, afirma o procurador da República, Onésio Amaral. Amaral explica que toda essa petulância, por parte da mineradora, não se dá por sorte ou força do destino, mas devido à “conivência dos órgãos ambientais estaduais”. Para o procurador o Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) Noroeste de Minas, representado pela Superintendência Regional de Regu-

larização Ambiental do Noroeste de Minas (Supramnor), permitiu o descumprimento de condicionantes relativas às comunidades e, por outro lado, “manifesta-se favorável à concessão da LO, numa total afronta à legislação e à jurisprudência dos tribunais”. A Licença de Operação (LO) só pode ser concedida após certificação, pelo empreendedor, do cumprimento das condicionantes socioambientais. Mas antes, o empreendedor já deve ter adquirido a Licença Prévia (LP) e a Licença de Instalação (LI). Com re-

lação ao projeto da expansão da barragem de rejeito da Kinross, segundo o procurador, foi “grave em toda a situação”. Para ele, o fato dos órgãos ambientais estaduais emitirem seu parecer baseando-se unicamente “nas alegações feitas pela empresa, sem ao menos ouvir os demais envolvidos, que são além das próprias comunidades, o Ministério Público Federal, o Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra) e a Fundação Cultural Palmares”, conceituou não somente um desrespeito, mas também uma “afronta” à Constituição brasileira. Votações Todo o processo de licenciamento do projeto de expansão da mineradora canadense foi votado pelo Copam Noroeste de Minas. A LO – licen-

ça que autoriza o início do funcionamento do empreendimento, da operação – por exemplo, entrou em processo de votação antes mesmo das condicionantes estabelecidas com a autorização da LP e a LI serem cumpridas. “Ao votar a LO, o Copam, diante da evidência de que a empresa continua sem intenção de cumprir quaisquer das obrigações assumidas com o Estado Brasileiro, novamente relega para fase posterior essa verificação”, afirma Amaral ao destacar que o conselho teria

relegado a verificação do cumprimento das condicionantes, estabelecidas na LI, para o momento da concessão da LO. Isto, na posição do procurador, implica em uma comunhão, entre a mineradora multinacional e os órgãos estaduais, para a aprovação do projeto, independentemente, se as medidas reparadoras, compensatórias e indenizatórias, estejam ou não sendo cumpridas. “Então é evidente que essas condicionantes e medidas nela prevista estão sendo total-

Ao votar a LO, o Copam, diante da evidência de que a empresa continua sem intenção de cumprir quaisquer das obrigações assumidas com o Estado Brasileiro, novamente relega para fase posterior essa verificação Onésio Amaral, procurador da República


Novembro de 2011 . O Noroeste . 5

Segundo o ministério, os órgãos ambientais estaduais estariam coniventes ao descumprimento de condicionantes que visam assegurar os direitos de três comunidades quilombolas de Paracatu

Pelo menos duas pessoas já teriam solicitado inclusão no Programa de Proteção a Defensores de Direitos Humanos Ministério Público Federal (MPF)

A extensão da nova barragem de rejeitos será de 2 mil hectares; com o projeto de expansão, a produção da mineradora deve triplicar nas próximas três décadas mente prejudicadas com o início de operação da mina, sem que nada de concreto quanto ao cumprimento das mesmas tenha ao menos se iniciado”, atenta o procurador. Resistência Para o MPF a Kinross utilizou de ações pouco confiáveis, “inverossímil”, para

poder burlar a exigência do diálogo entre ela (empreendedor) e as comunidades quilombolas. A mineradora, por sua vez, alega que não negociou com os quilombolas por ter sido orientada pelo próprio MPF para não realizar “negociações diretamente com as comunidades”.

Mas o MPF se defende dizendo que a “recomendação” feita, teria sido um meio, encontrado para fazer com que à multinacional Kinross, não parasse de negociar com as comunidades, mas sim, de “pressionar” e “ameaçar” os quilombolas, como segundo o procurador Amaral, acontece, e, em especial, com a comu-

nidade dos “Amaros”. “Pelo menos duas pessoas já teriam solicitado inclusão no Programa de Proteção a Defensores de Direitos Humanos”, afirma o MPF. Aprovação Distantes dos quilombos, geograficamente falando (as votações das licenças aconte-

cem em Unaí), os conselheiros do Copam aprovaram, no último dia 17 de novembro, a LO da barragem de retenção de rejeitos e resíduos da multinacional. Depois de sofrer pedido de vistas no dia (20) de outubro, da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) e da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais

(Fiemg). Os conselheiros não hesitaram em aprovar a licença que permitirá que a mineradora triplique a exploração da mina no Morro Ouro, e, conseqüentemente, sua produção que está estimada em 18 toneladas de ouro por ano. A extensão superficial da barragem será de 2 mil hectares.


6 . O Noroeste . Novembro de 2011

Moradores reivindicam manutenção na rede de esgoto em bairro de Buritis A Copasa diz que desobstrução é de responsabilidade da empresa que construiu o bairro; mesmo sem os serviços de esgoto os moradores pagam, em média, taxa mensais de R$ 15

Curtas Morre em Unaí o ex-prefeito Adélio Martins Morreu em Unaí, aos 76 anos, vítima do mal de Parkinson, o exprefeito Adélio Martins. Adélio ficou conhecido em toda região do Noroeste mineiro, depois de ocupar por dois mandatos o cargo de prefeito de Unaí. O ex-prefeito também se destacou no cenário político pela implantação de órgãos municipais, gratuitos, como a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social e o Serviço de Assistência Judiciária. Em um livreto publicado por sua administração em 1996, no mês de dezembro, o ex-prefeito destaca sua crença sobre o município de Unaí. “Andando pelas Minas Gerais e por muitos outros municípios brasileiros, buscando experiências, coloquei Unaí e seu futuro à minha frente” e completa dizendo que “assim, mais concretamente, pude antever a nossa querida terra alcançando resultados muito mais rápidos do que muitas comunidades mais velhas”.

Documento final do Seminário Legislativo Pobreza e Desigualdade é elaborado O esgoto que vaza da rede que está obstruída fica exposto pelas ruas e calçadas do bairro

O

s moradores do bairro Jardim, mais precisamente os da Rua Aroeira, reclamam da falta de serviços de saneamento básico. Eles pedem imediatamente a desobstrução a rede de esgoto existente na rua. A rede de esgoto, que foi feita junto à construção do bairro, está hoje em dia praticamente inutilizável, por estar entupida por entulho e terra, muitas vezes arrastados pela água das chuvas. A moradora do bairro Ana Aparecida G. da Silva, a pedido da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) ligou a rede de esgoto de sua casa até à rede coletiva na rua, mas devido esta estar obstruída, nada adiantou. “Foi pior. Porque agora eu tive que fazer um buraco na caixa (que fica na parte externa de sua residência) para vazar, senão voltava tudo para dentro de casa”, explica a moradora. Conforme pôde ser constatado pela equipe de reportagem do INTERESSANTE, toda rede de esgoto (que são representadas por pequenas caixas em frente às residências) está entupida. Em algu-

mas dessas caixas que ficam em frente às residências, constatamos que algumas por estarem sem tampa, abrigam água de chuva. A equipe também constatou em algumas caixas a presença de larvas. Frente a isto, os moradores convivem com o mau cheiro e com a falta de uma rede de esgoto para levar os dejetos domésticos até a estação de tratamento da Copasa. Realidades Como toda a rua está sem rede esgoto, todas as casas do bairro e, consequentemente, seus moradores, convivem com os efeitos provocados pela falta de uma rede de esgoto. A presença constante de insetos, ratos, baratas e o mau cheiro que exalam das tubulações, fazem parte, atualmente, da vida dos moradores do bairro. Mas mesmo não havendo rede de esgoto, nem muito menos serviço de manutenção nessa rede, os moradores afirmam pagar uma taxa de R$ 15, em média, por família, pela manutenção da rede de esgoto que não funciona, conforme constatação da reportagem.

Na casa da moradora Ana, o esgoto volta por não ter vazão e transborda por uma caixa O irmão da moradora Ana Aparecida, que trabalha como entregador, Walter Rodrigues da Silva, e também morador do bairro, diz que diversas vezes procurou a Copasa e a Prefeitura local, para falar da situação, porém, ele afirma que nada foi feito. Mãe de um menino de apenas um ano e meio de idade, Ana Aparecida, se diz preocupada com a situação, pois sabe dos malefícios provocados pela contaminação do homem por meio dos lixos domésticos. “Tem dias que a caixa transborda e volta tudo para dentro de minha casa. E o pior é que mistura com o esgoto que já está na rede, da rua parado há dias”, pondera a moradora que afirma ter em média mais de mil crianças morando no bairro. Segundo uma moradora que não quis se identificar, diversas vezes ao dia, ela tem que desinfetar sua casa por causa do esgoto que volta pelos ralos, principalmente os que ficam no banheiro. “Tem vez que estamos tomando banho e, quando vê, o esgoto tá saindo nos nossos pés”, afirma a moradora.

Os responsáveis Por telefone, a gerente regional da Copasa do Distrito Médio São Francisco, localizada em Januária, responsável pela região da cidade de Buritis, Nicia Maria Abreu, afirmou que não é de responsabilidade da companhia a desobstrução da rede de esgoto, uma vez que não foi a mesma quem obstruiu. Segundo a gerente, a Copasa começou a trabalhar no bairro depois que a empresa ALS Engenharia Ltda prestou serviços à Prefeitura Municipal e provocou o entupimento de toda rede quando fazia a terraplanagem das ruas. A Copasa afirma já ter notificado a empresa, mas que até o momento não se manifestou a favor de tomar nenhuma providência. Nós procuramos a Secretaria Municipal de Transportes e Obras, mas até o fechamento da edição não obtivemos retorno. A empresa também não foi encontrada, conforme contato feito pelo telefone divulgado na página da empresa na internet.

A Assembléia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) finalizou entre os dias 24 e 26 de outubro, o Seminário Legislativo Pobreza e Desigualdade que objetiva reunir representantes públicos de todo o Estado e da sociedade civil, para, por meio de debates, que aconteceu em onze encontros regionais, (o da região do Noroeste aconteceu em Paracatu) identificar as principais questões relacionadas com a pobreza e com as desigualdades sociais e regionais. De acordo com o coordenador do seminário, o deputado estadual André Quintão (PT), seis temas constituem o documento final elaborado ao final do seminário no dia 26 de outubro. “No caso da assistência social, por exemplo, a proposta de universalização do piso mineiro até 2012, ou seja, o Estado repassar financeiramente recursos para todos os municípios de maneira regular e automática, como prevê a Lei estadual do SUAS (Sistema Único de Assistência Social)”, afirma o deputado. No último dia (9), todas essas propostas aprovadas e priorizadas durante o seminário foram incluídas no Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG).

Prefeitos devem enviar emenda popular ao Orçamento até o próximo dia 10 Todo município com população estimada em até 50 mil habitantes pode, por meio de emendas, chamadas de Emendas de Iniciativa Popular, até o próximo dia 10, enviar seus formulários para serem incluídos na proposta orçamentária para 2012. As emendas serão destinadas às áreas da saúde. Mas antes, as Câmaras Municipais e as Prefeituras precisam, através de Audiências Públicas, decidirem como deverá ser aplicado o dinheiro a cada realidade municipal. Cada cidade tem direito de enviar uma Emenda de Iniciativa Popular, para ser destinado recursos federais para ações específicas dentro da área da saúde. O valor da emenda varia de acordo com o número de habitantes da cidade: até 5 mil habitantes: R$ 300 mil; de 5 mil a 10 mil habitantes: R$ 400 mil; de 10 mil a 20 mil habitantes: R$ 500 mil; e de 20 mil a 50 mil habitantes: R$ 600 mil. Serão permitidas emendas para estruturar a rede de serviços de atenção básica à saúde, como também poderão ser destinados à melhoria dos sistemas de tratamento de lixo e etc.


Novembro de 2011 . Entrevistas Especiais . 7

Entrevistas Especiais

Genney Randro

Promotor de Justiça de Minas Gerais “Infelizmente, trata-se de prática muito comum na região de Unaí”, afirma Genny Randro sobre a prática da sonegação fiscal. A operação “Baião de Dois” (em referência ao prato típico que leva arroz e feijão) realizada em conseqüência das investigações que vinham sendo realizadas por diversos órgãos do poder judiciário, cominou na acusação de

Jornal INTERESSANTE – Promotor diga como se deu as investigações. Genney Randro – As investigações tiveram início a partir de inúmeros autos de infração lavrados pela Receita Estadual contra a empresa HUMA CEREAIS LTDA., de propriedade de Hugo Alves Pimenta pelas mais diversas e acintosas formas de sonegação fiscal de mais de 50 milhões de reais. J.I. – Quais foram as principais infrações cometidas pelos acusados? G.R. – As principais formas foram o aproveitamento indevido de créditos de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) a partir da utilização de documentos fiscais inidôneo/ falsos, muitos destes obtidos mediante a abertura de inscrições de produtor rural com documentos falsos (RG, matrículas de imóveis rurais etc); comercialização de feijão sem

diversas pessoas que supostamente estariam envolvidas com a prática de sonegação fiscal. Em entrevista exclusiva ao INTERESSANTE, o promotor de Justiça, Genney Randro Barros de Moura, dias após sua coletiva à imprensa de

Quadrilha especializada na sonegação fiscal no ramo de grãos que tem como timoneiro Hugo Alves Pimenta, um dos responsáveis pela Chacina de Unaí. emissão de notas fiscais; sonegação de ICMS referente a transporte de grãos etc.; - O valor atual dos autos de infração: 55 milhões de reais. J.I. – O senhor acredita que se trata de uma quadrilha? G.R. – Quadrilha especializada na sonegação fiscal no ramo de grãos que tem como timoneiro Hugo Alves Pimenta, um dos responsáveis pela Chacina de Unaí, envolvendo os fiscais do trabalho. As providências são as denúncias oferecidas e bloqueio de bens para ressarcimento ao erário. J.I. – Quem atualmente está sendo processado e por quê? G. R. – Estão sendo pro-

cessadas atualmente por crimes contra ordem tributária (sonegação fiscal) – Hugo Alves Pimenta, José Maria Pereira de Moura, Alan José Rodrigues e Gilson de Oliveira Campos. J.I. – Outros possíveis envolvidos ainda deverão ser autuados? G.R. – Outras pessoas devem ser autuadas pelo Fisco e denunciadas pelo Ministério Público a partir da auditoria que será realizada na documentação apreendida, inclusive, contadores e agentes da própria Receita Estadual. J.I. – Como aconteceu a violação do pedido de interceptação telefônica contra a empresa Huma Cereais? G.R. – A esse respeito, é

sempre bom lembrar que a busca e apreensão em relação a Hugo Alves Pimenta ficou prejudicada, já que serventuários do Fórum de Unaí violaram um pedido de interceptação telefônica aviado pelo Ministério Público contra a empresa HUMA CEREAIS e lançaram no sistema de acompanhamento processual da Justiça Estadual, revelando, assim, a existência da cautelar de busca contra a referida pessoa. O fato está sendo apurado internamente e tão logo seja esclarecida a autoria. O Ministério Público pretende processar o(s) funcionário(s) criminalmente e por ato de improbidade administrativa.

Unaí, fala como foram as investigações e comenta sobre alguns funcionários do Fórum de Unaí, que supostamente tentaram atrapalhar as investigações. Na entrevista ele diz que o caso ainda está sendo apurado. J.I. – Como o senhor analisa a prática da sonegação fiscal e se ela é característica na região? G.R. – Infelizmente, trata-se de prática muito comum na região de Unaí e pretendemos ampliar o leque de alcance da investigação a inúmeras outras pessoas envolvidas com esse tipo de fraude milionária que traz graves prejuízos aos cofres públicos. J.I. – Qual deve ser a pena para os futuros condenados? G.R. – A pena do crime de sonegação é de 2 a 5 anos, mas como temos vários delitos a pena a ser aplicada pode ser bem maior.

...pretendemos ampliar o leque de alcance da investigação a inúmeras outras pessoas envolvidas com esse tipo de fraude milionária que traz graves prejuízos aos cofres públicos.

J.I. – De que forma a população pode contribuir para o bom andamento dessas e de outras investigações do gênero? E qual a importância do apoio popular em situações como esta? G.R. – A população que quiser denunciar a prática de crimes de sonegação fiscal na região de Unaí podem entrar em contato com o telefone da coordenadoria (34) 3223 - 4908 ou encaminhar documentos e informações, sem necessidade de se identificar, para o endereço: Rua São Paulo, 95, B. Tibery, Uberlândia/ MG, CEP: 38405027, aos cuidados Genney Randro Barros de Moura, Promotor de Justiça. É muito importante a colaboração da população para combater esse tipo de fraude que a todos prejudica, já que o produto do crime que paga o luxo (mansões, carros importados, lanchas, viagens etc) dos criminosos é dinheiro que deveria ser investido em saúde, segurança, educação, estradas etc.


8 . O Noroeste . Novembro de 2011


Novembro de 2011 . O Noroeste . 9

VENCIMENTO DA ÚLTIMA PARCELA: 12 DE DEZEMBRO


1. VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

ÍNDICE

2. SERVIÇOS

VEÍCULOS

1

3. EMPREGO

VEÍCULOS

CHEVROLET

CHEVROLET

CHEVROLET

FIAT

FIAT

FORD

VOLKS

VOLKS

0 KM AGILI LTZ 11/11 - Cinza - Completo - R$ 41.000,00 0 KM CRUZE LT 11/12 - Prata - Completo - R$ 71.900,00 0 KM CLASSIC 1.0 11/12 Cinza - Básico - R$ 27.890,00 ASTRA 03/04 - Bege - Completo - R$ 24.900,00 ASTRA 2.0 HATCH 09/10 Prata - Completo - R$ 35.000,00 CELTA 2P LIFE 04/05 - Vermelho - Ve/Te/Al - R$ 14.200,00

CLASSIC 1.0 06/07 - Azul Básico - R$ 19.500,00 CORSA SEDAN 1.6 98/98 - Prata - Dh/Al/Te - R$ 13.800,00 D20 95/95 - Vinho - Completa - R$ 45.000,00 MONTANA 08/08 - Prata Completa - R$ 23.000,00 MONTANA LS 11/11 - Prata Completa - R$ 33.000,00 S10 CAB. EST. 97/97 - Gasolina - Prata - Completa - R$ 18.500,00

S10 CD 4X4 08/09 - Branca - Ar/Dh/Abs + Capota Fibra R$ 55.000,00

STRADA ADV. 1.8 08/08 - Prata - Completo - R$ 29.000,00

KA 04/04 - Prata - Básico - R$ 14.200,00  

FORD

TOYOTA

F1000 90/90 - Cinza - Básica Dh - R$ 21.900,00 F1000 96/97- Diesel - Vermelha - Dh - R$ 26.500,00

HILUX 3.0 AUTOMÁTICA 09/09 - Prata - Completo R$ 104.000,00 HILUX 2.5 CD 4X4 MANUAL 08/08 - Cinza - Rdl / Te / Ve / Al - R$ 66.000,00 HILUX 2.5 CD 4X4 98/98 - Vermelha - Completo - R$ 30.900,00

0 KM FOX 1.0 11/12 - Vermelho - Completo - R$ 38.450,00 0 KM VOYAGE 1.0 11/12 - Prata - Completo - R$ 37.450,00 GOL BOLA 95/95 - Preto - Básico - R$ 7.000,00 GOL G3 16V 00/00 - Bege - Ve - R$ 13.800,00 GOL G5 08/09 - Preto - Completo - R$ 25.800,00 POLLO 1.6 05/05- Prata Completo - R$ 25.000,00

SAVEIRO TROOPER 1.6 09/10 Prata - Completa - R$ 32.000,00

COUPÊ 16V 95/95 - Amarelo Completo - R$ 26.000,00 IDEA 1.8 HLX 06/06 - Preto Completo - R$ 27.000,00

PALIO ATRAC. 1.4 08/08 - Verde - Completo - R$ 27.500,00 PALIO WEEK. 1.8 04/05 - Branca - Completo - R$ 26.300,00 PALIO WEEK. 99/00 - Branca - Completa - R$ 14.900,00 SIENA 1.4 08/08 - Preto - Completa - R$ 30.800,00 SIENA CEL. 07/07 - Preto Completo - R$ 22.500,00 STRADA 1.4 10/11 - Preto Completa - R$ 30.700,00

CHEVROLET

CHEVROLET

FIAT

FIAT

FIAT

VOLKS

VOLKS

MOTOS

CORSA 1.0 2P 98/98 - Gas - Azul - Ar - R$ 10.500,00 VECTRA 2.0 GLS 98/98 - Gas - Prata - Completo - R$ 16.000,00 VECTRA 2.0 GLS 4P 02/02 - Gas - Prata Completo - R$ 23.000,00

VECTRA ELEGANCE 4P 2.0 08/09 - Flex - Prata Completo - R$ 36.300,00 SILVERADO 2.5 2P 98/98 - Diesel - Vermelha - Completo - R$ 26.800,00

MAREA HLX 4P 99/00 Gas - Prata - Completo - R$ 11.900,00 PALIO 1.0 4P 04/04 Gas - Cinza - Completo - R$ 21.000,00 PALIO FIRE CELEB. 1.0 4P 06/07 - Flex Vermelho Al/Te/Ve/ Ar - R$ 21.000,00

SIENA 4P 03/04 - Gas - Verde - Al / Te / Ve R$ 17.900,00 SIENA FIRE 1.0 07/08 - Flex - Vermelha - Completo - R$ 24.800,00

UNO MILLE 1.0 96/97 -Gas - Vermelha - Básico - R$ 7.800,00 UNO MILLE SX 2P 99/99 - Gas - Cinza - Básico - R$ 9.000,00

GOL 1.0 4P TREND 06/07 - Flex - Branco Te/Ve - R$ 21.000,00 GOL 1.0 4P TREND 07/08 - Flex - Preto Completo - R$ 21.000,00

GOL 1.6 CLI 2P 96/96 - Gas - Branco - Al/Te/ Ve - R$ 10.000,00

TWISTER 07/08 - Gas Preta - R$ 7.000,00

CITROEN

C4 PALLAS AUT. 08/08 - Cinza - Completo - R$ 41.800,00 FIAT

UNO FIRE 1.0 4P 03/04 - Gas - Prata - Ar R$ 14.500,00 UNO FIRE 2P 05/06 - Flex - Azul - Básico  R$ 15.900,00

CHEVROLET

ASTRA SEDAN GLS 2.0 4P 99/99 -Branca-Comp.-R$ 18.500,00 CELTA 1.0 4P 09/10- PrataCompleto- R$ 25.900,00 CORSA 1.0 4P 96/97- BrancoVE/TE/AL- R$ 12.400,00 CORSA WIND 4P 97/98- Vinho- TE/VE/AL- R$ 12.500,00 OPALA 4CC 2P 82/82- VerdeR$ 5.000,00 FIAT

SIENA FIRE 1.0 4P 08/09- Cinza- Completo- R$ 27.900,00

STRADA ADV. CE 1.8 06/07Preta-Completa- R$ 25.900,00 STRADA ADV. CE 1.8 10/10Verde-Completa-R$ 39.500,00 STRADA FIRE CE 05/05- Prata- DH - R$ 18.900,00 UNO MILLE 1.0 2P 97/97Branco - R$ 8.500,00 UNO SMART 1.0 4P 00/01Cinza - TE/AL - R$ 12.500,00 UNO WAY 1.0 2P 07/08 Branco - R$ 16.900,00 FORD

ESCORT GL 1.6 2P 94/95 - Azul - R$ 6.500,00

ESCORT GL 1.6 4P 00/00 - Cinza - AL/TE/VE/DH - R$ 10.900,00 ESCORT HOBBY 1.6 95/95 Vinho - R$ 5.500,00 FIESTA CL. HATH 1.6 4P 10/11 -Prata-Completo-R$ 34.900,00

PARATI 1.0 16V 2P 97/98 Cinza-VE/TE/AL-R$ 11.500,00 PARATI CL 1.6 95/95 - Branca - R$ 8.900,00 SAVEIRO GL 1.8 01/01 - Cinza - Completa (-AR) - R$ 16.900,00

VOLKS

HONDA CB 500 02/02 - Preta - R$ 14.500,00 HONDA CG 125 79/79 - Vermelha - R$ 1.800,00

GOL 1.6 2P 89/90 - Branco R$ 5.400,00V GOL MI 1.0 2P 97/97 - Cinza - VE - R$ 9.600,00 GOL PLUS 1.6 2P 96/96 - Preto - Completo - R$ 11.800,00

F1000 CS 84/85 - Diesel - Prata - Dh - R$ 28.500,00 FIESTA SEDAN 1.6 09/09 Preto - Completo - R$ 28.000,00

VOLKS

GOL 1.0 2P SPECIAL 01/01 - Gas - Prata - Básico - R$ 12.500,00 GOL G4 4P 1.0 06/06 Gas - Preto - Al/Te/Ve - R$ 20.500,00

GOL TREND 08/09 Flex - Preto - Completo - R$ 23.500,00 GOL 1.0 4P 08/09 Flex - Branco - Básico R$ 17.500,00

SAVEIRO 1.6 AD 00/00 - Gas - Branco - Básica R$ 17.500,00 MOTOS

HONDA CB 300 09/10 Gas - Dourada - Trava R$ 10.000,00 HONDA CBX 250

CAMINHÕES

VW 8140 97/98 - Branco - Gaiola Boiadeiro - R$ 61.300,00 MB 1113 77/77 - Azul - Toco Madeira - R$ 37.500,00 MB 1113 82/82 - Azul - Toco Caçamba - R$ 42.000,00 VOLVO 280 TURBO INTERC. 92/92 - Vermelho - Truck Caçamba - R$ 100.000,00

HONDA FAN 125 ESI 09/10 - Gas - Preta R$ 5.800,00 HONDA FAN 150 ESI 01/11 - Flex - Preta Trava  - R$ 8.000,00 YAMAHA XTZ 250X 08/09 - Gas - Vermelha - R$ 9.000,00

MOTOS

CLASSIFICADOS INTERESSANTE | CERTEZA DE BONS NEGÓCIOS | ANUNCIE: (38) 3676-3882


. 11

Novembro de 2011 .

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

1

VEÍCULOS

CHEVROLET CELTA 2PT 06/07 - Prata - VE/AL/TE - R$ 17.000,00 CELTA 4PT 10/10 - Prata - Completo - R$ 25.900,00 CELTA 2PT 11/12 - Prata - Básico - R$ 22.500,00 D20 CUSTOM S 95/95 Branca - DH - R$ 36.000,00 S10 ADVANTAGE GAS. 05/06 - Prata - Completa - R$ 42.500,00 S10 TORNADO 05/05 Prata - Completa+Seg R$ 48.900,00

OPORTUNIDADE

CHÁCARA 8.000 MT²

SETOR DE MANSÕES SUL

CHÁCARAS CONCÓRDIA CASA NOVA COM 2 SUÍTES, 2 QUARTOS, BANHEIRO, SALA, COZINHA E ÁREA LAZER. CASA CASEIRO DE 3 CÔMODOS. TERRENO TODO MURADO.

INFORMAÇÕES: (61) 9312-0131 OU (38) 9952-9809

1

VEÍCULOS

RENAULT CLIO EXPRESSION 1.6 16V 4P 03/03 - Ver-

melho - Completo + Air Bag e Som c/ controle no volante. Precisa de reparos. Só R$ 11.000,00. Contato: (38) 9981-7256

2

SERVIÇOS

VAI CONSTRUIR OU REFORMAR?

Valdomiro Pedreiro, do básico ao acabamento. Tel.: (38) 8808-0154

3

EMPREGO

VAGAS DE EMPREGO SINE PARACATU

Praça Adelmar Silva Neiva, 147 - Centro - Telefone: (38) 3672-1180 / 3672-1407 Ramais: 105 / 126

10 vagas p/ serviços diversos (PNE). Exclusivamente para pessoas com deficiência física 01 vaga para professor de espanhol ensino médio. Exige: experiência mínima de seis meses 01 vaga para professor de física ensino médio. Exige: experiência mínima de seis meses 01 vaga para professor de português ensino fundamental e médio. Exige: experiência mínima de seis meses 01 vaga para gerente comercial. Exige: superior em administração, experiência e

1

VEÍCULOS

FIAT PALIO FIRE 07/07 - Branca Completa - R$ 22.900,00

FIAT PALIO ADV. 1.8 03/04 - Prata - Completa R$ 22.000,00 PALIO FIRE 1.0 07/07 - Branco - Completo R$ 22.900,00 PALIO FIRE 1.0 08/08 - Preto - Completo R$ 24.900,00 PALIO FIRE ECON. 10/10 - Vermelho - Completo - R$ 25.900,00 PALIO FIRE ECONOMY 2PT 10/11 - Prata - DH R$ 22.000,00 PALIO FIRE ECONOMY 10/11 - DH/VE/TE/LDT R$ 25.900,00

3

3

EMPREGO

disponibilidade para viagens 02 vagas para motoboy. Exige: CNH categoria “A” 01 vaga para assistente tecnico projetista. Exige: sexo masculino, formação técnica e experiência 01 vaga para vendedor lojista. Exige: sexo masculino, ensino médio e informática 01 vaga para pizzaiolo. Exige: experiência 03 vagas para vaqueiro. Exige: experiência com gado de leite ou gado de corte 1 vaga para torneiro mecânico. Exige: experiência 03 vagas para professor de curso de idiomas francês, inglês e espanhol. Exige: experiência mínima de seis meses

EMPREGO

05 vagas para empregada doméstica. Não exige experiência

VAGAS DE EMPREGO SINE UNAÍ Rua Eduardo R. Barobosa, 180 - Prédio da FACTU. Telefone: (38) 3677-2086

06 vagas para auxiliar de viagem. Exige: sexo masculino, seis meses de experiência e 1° grau completo 01 vaga para balconista. Exige: sexo feminino, seis meses de experiência, 1° grau imcompleto e ter referências 01 vaga para costureira/cortadeira. Exige: sexo masculino ou feminino. Não exige experiência com corte e costura 01 vaga para consultor de vendas. Exige: sexo masculino ou feminino e seis meses

1

VEÍCULOS

FIAT SIENA 06/07 - Prata - Básica - R$20.900,00 UNO 05/06 - Prata Completo - R$18.900,00 FORD FIESTA 1.6 FLEX 10/11 - Prata - Completo R$ 32.500,00 KA 02/02 - Branco - VE/ TE/AL - R$ 13.900,00 PAMPA 88/89 - Azul Básica - R$ 13.000,00 RENAULT CLIO 1.0 00/00 - Prata Ar - Air Bag - R$ 9.990,00

3

EMPREGO

de experiência 03 vagas para doméstica. Exige: sexo feminino e disponibilidade para trabalhar em Brasília 01 vaga para eletricista automotivo. Exige: sexo masculino, seis meses de experiência comprovada e 2° grau completo 01 vaga para furador de valas. Exige: sexo masculino, seis meses de experiência, 1° grau incompleto e disponibilidade de trabalhar fora do município 01 vaga para manicure. Exige: sexo feminino, seis meses de experiência e referência 17 vagas para motorista. Exige: sexo masculino, CNH “D” com experiência com ca-

1

VEÍCULOS

TOYOTA COROLLA 1.6 AUTOMÁTICO - 04/04 - Prata - Completo - R$31.000,00 COROLLA SEG 09/09 - Bege - Completo R$62.000,00 VOLKS GOL 1.8 96/97 - Cinza VE/AL/TE - R$ 12.500,00 GOL G5 1.0 FLEX 10/11 - Vermelho - Completo - R$ 31.900,00 GOL G5 1.6 09/10 - Prata - Completo - R$ 32.500,00 GOLF AUTOMÁTICO 2.0 02/02 - Prata - Completo - R$ 25.500,00

3

EMPREGO

minhão traçado comprovada e disponibilidade para trabalhar em Brasília 02 vagas para mecânico. Exige: sexo masculino e seis meses de experiência comprovada 01 vaga para mecânico de suspensão e freio. Exige: sexo masculino, um ano de experiência e referência 01 vaga para pasteleiro/salgadeiro. Exige: sexo masculino ou feminino e seis meses de experiência 01 vaga para técnico em higiene dental. Exige: sexo feminino e seis meses de experiência 01 vaga para vaqueiro. Exige: sexo masculino, seis meses de experiência e curso de inseminação artificial


12 . Agropecuária . Novembro de 2011

Agropecuária

Curta

Produtores da Agricultura Familiar fundam abatedouro de aves em Arinos

Expansão do cultivo canade-açúcar pode estimular o subdesenvolvimento no As famílias ficaram responsáveis por gerenciar o local que tem capacidade de abater 300 Noroeste de Minas aves ao dia; o projeto visa facilitar a venda de produtos de origem animal no município

A preocupação maior é com o uso da água, já que as plantações serão irrigadas e com a ocupação e uso da terra, bem vital à vida

Produtores recebem capacitação do Senar para trabalhar no abatedouro; todo produto processado no abatedouro terá a certificação do Sistema de Inspeção Municipal (SIM)

C

erca de 100 famílias da Agricultura Familiar irão administrar o primeiro abatedouro de aves da cidade de Arinos. O abatedouro que tem capacidade para o abatimento de 300 aves/dia, foi construído no Setor de Chácaras do município. Em meio à propaganda do processo de agroindustrialização do campo, os abatedouros apresentam-se como instalações industriais destinadas não só ao abate, mas também ao processamento e armazenamento de produtos de origem animal. Por isto, localização é um fator muito importante quando se vai construir um ambiente como este, pois ela está diretamente ligada aos processos operacionais: como a proximidade do pro-

dutor, a logística, a saúde pública e problemas em relação à poluição por dejetos (como o chorume, o sangue) que são evitados justamente na hora de se planejar o abatedouro. Todo serviços feito dentro do abatedouro serão certificados pelo Sistema de Inspeção Municipal (SIM), que permitirá aos produtores comercializar seus produtos em feiras, mercados e outros estabelecimentos que estejam no perímetro urbano de Arinos. Em entrevista à assessoria de comunicação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o secretário de Agricultura de Arinos, Luis Fábio Ribeiro informou que todos os agricultores cadastrados para gerir o futuro abatedouro

são associados da Associação dos Feirantes. Para o secretário, o importante de ter participação popular não é somente no momento da produção, mas também na gestão e na administração. Responsabilidades Todo maquinário e a elaboração do projeto do abatedouro foi adquirido por meio dos Programas Minas Sem Fome e Assistência Técnica. A Prefeitura também foi responsável por adquirir alguns equipamentos além de ser “responsável pela inspeção sanitária”, do local, conforme esclarece o Senar. De acordo com o Senar, ficou sobre a alçada do Sindicato dos Produtores Rurais de Arinos a função de “levantar as demandas para

a organização do projeto”. E o Senar ficará atribuído de capacitar, por meio de cursos de assistência técnica, os produtores para que haja o fortalecimento da produção. Segundo o Senar já foram iniciados os treinamentos, nos últimos dias 14 e 18, em “avicultura básica” e, a partir de agora, iniciará a profissionalização dos produtores rurais através do ensino de práticas como: abate de aves de maneira industrial; orientações sobre Legislação voltada para a produção e comercialização de produtos de origem animal; sobre boas práticas de fabricação (produção); de manejo do pré-abate (para evitar sofrimento por parte do animal); sobre como embalar, armazenar e comercializar os produtos.

Segundo reportagem publicada no jornal Estado de Minas, dos dez protocolo de investimentos em usinas sucroalcooleiras registrados pelo governo de Minas, seis foram destinados para à região do Noroeste. Isto mostra que a expansão monocultura da cana-de-açúcar na região. Segundo o governo do Estado, serão investidos R$ 3 milhões para que, até o ano de 2020, a produção de cana dobre em todo o Estado. “O Noroeste é a nova fronteira da cana do Estado”, afirmou o presidente do Sindicato da Açúcar e do Álcool em Minas Gerais, Luiz Custódio Cotta Martins. Estendendo os tentáculos

“A terra no Triângulo está muito cara, por isso o Noroeste vai absorver boa parte dos investimentos no setor”, explica Pierre Vilela, coordenador da assessoria técnica da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg). Com o aumento do preço da terra em outras localidades do Estado a tendência do capital é adentrar o Noroeste. E isto, segundo mostra a reportagem, provoca a seguinte situação: “À espera do sinal do mercado e de mudanças na legislação para instalar seus empreendimentos, produtores reservam áreas e arrendam terras”. A reportagem também frisa sobre a preocupação em relação à diminuição do desenvolvimento sustentável da região, em detrimento da “irrigação das plantações”, toda cana deverá ser aguada e pelos dilemas relacionados à ocupação e uso da terra. “A cana pode deslocar pequenos produtores e aumentar a concentração das propriedades e da renda, além de aumentar a pressão sobre as áreas de preservação do cerrado”, diz Álvaro de Moura Goulart, coordenador técnico da regional da Emater em Unaí à reportagem do Estado de Minas.

Parceria de Sucesso! CONTERRA AGRONEGÓCIOS Rua Rua Herculano O Silva 31, Centro - Unaí/MG PABX: (38) 3676-0106 / (38) 9956-3066 E-MAIL : vendas@conterraagronegocios.com.br


Novembro de 2011 . Agropecuária . 13

Município de Unaí ocupa a sexta posição no ranking do PIB agropecuário brasileiro No Noroeste, além de Unaí, mais três municípios figuram na lista, são eles: Paracatu com a trigésima quinta colocação, João Pinheiro com a quinquagésima terceira colocação e Buritis com a sexagésima oitava colocação

O

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realizou um levantamento dos 100 municípios brasileiros que possuem o maior Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário a nível nacional. A somatória do PIB agropecuário brasileiro representa 26,4 bilhões de reais. O município de Sorriso, no Mato Grosso, é o primeiro colocado, com R$ 791,159 milhões, seguida de São Desidério, na Bahia, com R$ 753,031 milhões, e Petrolina, no Pernambuco, ocupa a terceira colocação, com R$ 658,796 milhões. Em Minas Gerais, foram listados 17 municípios. Dentre os municípios mineiros, Unaí destaca-se por ocupar a

primeira colocação. Já a nível nacional, Unaí ocupa a sexta posição, com R$ 512.309 milhões. Os demais municípios mineiros listados são: Uberaba, com a nona colocação; Uberlândia, com a vigésima colocação; Patrocínio, com a vigésima primeira colocação; Paracatu, com a trigésima quinta colocação; Araguari, com a quadragésima primeira colocação; Patos de Minas, com a quinquagésima segunda colocação; João Pinheiro, com a quinquagésima terceira colocação; Frutal, com a quinquagésima sexta colocação; Buritis, com a sexagésima oitava colocação, entre outros. A Unidade Federativa com maior número de municípios classificados é Mato Grosso,

Tais dados representam o grau de tecnologia e, consequentemente, o desenvolvimento do setor agropecuário e o arrojo dos produtores Antério Mânica, prefeito de Unaí

com 24 municípios, no qual seis, estão entre os 10 primeiros colocados. O prefeito Antério Mânica, explanou sobre o desempenho agropecuário do município. “É uma satisfação Unaí figurar entre os principais produtores agropecuários do país. Na verdade, esses números representam o potencial de Unaí: município que destaca-se por ser o maior produtor de grãos e o segundo maior produtor de leite de Minas Gerais. A nível nacional, Unaí é o maior produtor de feijão. Tais dados representam o grau de tecnologia e, consequentemente, o desenvolvimento do setor agropecuário e o arrojo dos produtores unaienses.”, afirma Antério Mânica.

A produção agrícola, que é reponsável pela maior parcela do PIB, têm crescido nos últimos anos no Noroeste de Minas, fato que consolida a região como a maior produtora do Estado, deixando para traz a região do Triângulo Mineiro Segundo o prefeito Antério Mânica, o desempenho agropecuário de Unaí é resultado de uma convergência de fatores: o subsídio oferecido pela Administração Municipal destinado ao setor agropecuário, a utilização de tecnologia de ponta, a produção nas propriedades rurais unaienses de médio, grande porte, além da

produção em cerca de 30 assentamentos rurais de reforma agrária existentes no município. “Essa soma de esforços aliada à parceria com a Prefeitura Municipal de Unaí faz com que tal produção seja real e tenha trafegabilidade para escoamento, que é, sem dúvida, uma das maiores do país, e é, com certeza, a maior do Estado

de Minas Gerais”, observa Antério. Para o próximo ano, a previsão do prefeito Antério Mânica é que os produtores unaienses continuarão a receber benefícios da administração municipal. “Dentro de poucos anos, eu quero ver Unaí no topo da lista, como o maior produtor de grãos do país”, ressalta Antério.


14 . Cultura e Sociedade . Novembro de 2011

Cultura e Sociedade

“Travessias do Tempo” o mais novo Edgar Santana desenvolve trabalhos lançamento da escritora unaiense artísticos em Pirenópolis-GO Alda Barbosa já está nas livrarias

A

poeta e escritora Alda Alves Barbosa acaba de lançar o seu mais novo livro, intitulado de “Travessias do Tempo”. O lançamento do livro aconteceu no Museu Municipal de Unaí cidade, da qual a poete é natural, no dia 23 de novembro. Com diversos livros publicados e, colaborada da seção de opinião do INTERESSANTE, Alda busca por meio das palavras à compreensão do mundo e das pessoas que nele habita. Amante da natureza humana, a poeta consegue em suas linhas, expressar o que há de mais puro no ser humano. Este livro trás em sua essência, essa característica muito peculiar de Alda Barbosa, que é a capacidade de interpretar as sensações. Livro Como o nome mesmo diz, o livro “Travessias do Tempo” conta casos que constituíram a vida de alguns unaienses. Os casos são contados em formato de contos e busca valorizar os acontecimentos que estava há tempos na memória da autora. O livro serve com registro, além é claro, de ser literatura, ser arte. Como este é o terceiro livro da autora, mas o primeiro de contos, Alda tentou resgatar assuntos que envolvesse não só personalidades de Unaí como também temas folclóricos que remete ao início do município, quando este ainda era chamado de Capim Branco. Para os interessados em adquirir o livro da unaiense, basta entrar em contato pelo telefone (38) 9845 - 2801 ou então através da livraria Atenas, localizada no Centro de Unaí.

Fotos: www.unainet.com

Na Pousada Vila do Comendador, Edgar desenvolveu pinturas da escritora e poeta, Cora Coralina, em um chalé temático cultural que abrigará, em breve, hospedes do mundo todo Alda Alves Barbosa lançou seu primeiro livro de contos, entitulado “Travessias do Tempo”, no Museu de Unaí

Alda autografa livros para leitores e amigos

A escritora e poeta ladeada pelo presidente da Academia unaiense de Letras e Artes (Aula), Altir de Souza Maia e o vice-prefeito de Unaí, José Gomes Branquinho (à esquerda); e pelo diretor do Museu Municipal, Luiz Anselmo e o diretor da Faculdade Inesc, Romualdo Neiva (à direita)

D

esde outubro o artista plástico Unaiense, Edgar Santana, está trabalhando em Pirenópolis, cidade do interior goiano. Edgar que já expôs seus trabalhos pelo mundo, em entrevista exclusiva ao INTERESSANTE, diz que se encontrou no município de Goiás, onde, aliás, em 1830 a 1834, sediou o primeiro jornal que existiu no Estado. Segundo o artista plástico, Pirenópolis, que é uma cidade tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), proporciona, além de um ambiente artístico valorizado, um porto seguro para a prática da experimentação imaginativa. “Aqui estou produzindo, expondo meus trabalhos e, conseqüentemente, conseguindo que os trabalhos sejam remunerados”, afirma Edgar.

Trabalhos Pirenópolis, além de ser conhecida pela sua forte produção na extração de quartzito Micáceo (pedra para pisos e revestimentos), destaca-se

O trabalho mais complexo de Edgar está no Camping Clube Terra do Nunca, pinturas de pontos turísticos e paisagens naturais decoram quase todos os ambientes do local também pelo turismo. As pousadas, os hotéis precisam estar à caráter para poder atender a demanda de 60 mil turista em temporadas de férias. No Camping Clube Terra do Nunca, Santana está deixando sua marca. No local, que será inaugurado no próximo dia 31 de dezembro (Reveillon de 2012), o artista plástico está fazendo um trabalho decorativo. Com paisagens naturais e turístias da cidade, Santana vai dando vida ao novo e moderno ambiente que abrigará, em bre-

ve, programações artísticas e culturais na cidade. Santana também decorou um chalé temático cultural com pinturas (imagens da poeta e poesias) de Cora Coralina, na pousada Vila do Comendador, que já foi recomendada pela Revista 4 Rodas por diversas vezes. Nesta pousada, o artista manteve também uma exposição permanente. O chalé temático ainda será inaugurado e todo trabalho nele realizado levará a assinatura de Edgar, durante evento público.


Novembro de 2011

Policial

Rixa pode ser motivo de assassinato em Bonfinópolis de Minas

SUSPEITO DETIDO SUSPEITO DETIDO SUSPEITO FORAGIDO Até o fechamento da edição, a Polícia Militar conseguiu capturar os suspeitos Luiz Carlos Ramos “Povilho” (1ª foto) e também o possível mandante, Joaquim Tomásio (2ª foto), porém este conseguiu, no último sábado, sua liberdade; já o terceiro suspeito do assassinato, Helder Nascimento “Negão” (3ª foto), continua foragido

N

o dia 29 de outubro, uma leitora do INTERESSANTE entrou em contato com a redação para solicitar a divulgação do desaparecimento de seu irmão Lucas Pereira Borges, de 45 anos. Na ocasião, a solicitante Vilma Pereira Alves pedia para que divulgássemos o desaparecimento, pois, segundo ela, ele poderia estar “morto”. Agora, no último dia 24 de novembro, segundo a nota da Polícia Militar (PM). Vilma procurou a Polícia Civil do município para dizer que tinha encontrado “vestígios” que poderiam ser de seu irmão. Baseados na informação que fora repassada pela irmã da suposta vítima, os policiais se deslocaram até a Fazenda Lajes. No local onde foram encontrados os “vestígios”, próximo a uma estrada de terra, os

policiais fizeram as escavações e encontraram um corpo enterrado “O corpo encontrado já estava em estado de decomposição, sendo que a ossada estava com uma perfuração no crânio, do lado esquerdo”, afirma a nota PM. Resultado Em entrevista ao INTERESSANTE, Vilma explica que foi ela e mais seus familiares que encontraram o corpo que possivelmente seja de seu irmão. Ela ainda não tem certeza que o corpo seja dele, pois a perícia ainda está investigando o caso. “Mas a botina era a dele, a calça e até o chaveiro”, confirma Vilma. Ela acredita que o assassinato pode ter sido rixa entre seu irmão e Joaquim Tomázio (que já está preso) por causa de lenha nativa de um lote adquirido

Lucas Pereira Borges pode ter morrido por conta de lenha nativa de um lote que adquiriu recetnemente por Lucas recentemente. Com ele foi preso o suspeito Luiz Carlos Ramos, também conhecido por

“Polvilho” e agora policia procura por Helder Nascimento, mais conhecido por “Negão”.

. Policial . 15

Curtas Assaltante leva R$ 75 mil em dinheiro e R$ 9 mil em cheques de popular no centro de Paracatu Freqüentemente os funcionários das empresas vão aos bancos carregados de malotes contendo dinheiro. Isto de certa forma representa um perigo não só para o empresário, que pode ter seu malote furtado, mas como também para o próprio funcionário, que sem nenhuma segurança transita pelas ruas das cidades com altas quantias de dinheiro. Em Paracatu, um funcionário que ia fazer um depósito bancário, no último (28), por volta das 13h, foi assaltado em plena região central do município. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), ao chegar em frente ao banco privado HSBC, a vítima foi abordada por um indivíduo armado, que lhe subtraiu a quantia de R$ 75 mil em dinheiro e R$ 9 mil em cheques. Segundo a PM, o assaltante deixou o local do crime saindo na garupa de uma motocicleta, de cor vermelha, com a placa levantada. Até o fechamento da edição nenhum dos possíveis assaltantes tinha sido detido pela PM. Portanto, a PM informa que as busca para prender os envolvidos continuam.

Homem pode ter feito esposa de refém dentro de casa durante um mês Supostamente há um mês, Gleison Ferreira de Araújo, de 23 anos, vinha mantendo sua esposa, uma jovem de 22 anos, refém dentro de sua própria casa, na rua Frei Pedro Caixito, na Vila São João Evangelista, em Paracatu. Mas, no dia 24 de novembro, pelo período da manhã, a Polícia Militar (PM) conseguiu resgatar a jovem depois de ser solicitada pelo telefone 190. De acordo com a PM, no momento em que eles chegaram a local, o autor se encontrava presente e chegou a afirmar que não sabia do paradeiro de sua esposa. Porém, quando os policiais se aproximaram da residência do autor, eles perceberam a vítima estava na porta “enrolada em um lençol sujo de sangue”. Neste momento, segundo a PM, o autor fugiu correndo, adentrando em um matagal próximo ao local. Caso Segundo a vítima, seu esposo junto de seu irmão e mais um colega foram até São Paulo, onde ela estava morando e trabalhando, e a trouxeram para Paracatu. De acordo com as informações da PM, mesmo morando próximo a casa de seu pai, a vítima era cerceada, por meio de ameaças, para não manter contato externo. Somente depois de ser agredida pelo marido com um rodo, que a vítima conseguiu fazer contato com seu pai. De acordo com a PM, quando a vítima foi encontrada, ela estava com um corte na cabeça e teve encaminhamento ao hospital municipal. A polícia continua as buscas pelo possível seqüestrador.


16 . Esporte . Novembro de 2011

Esporte

Unaiense conquista Panamericano em Brasília

Curtas

Taça Unaí de Futsal fica Renato Martins foi campeão no DF e já se prepara para enfrentar um grande com a equipe Pharma desafio, lutar em campeonatos de MMA (Mixed Martial Arts) ou vale tudo Flora/Nova Era

E

Na último dia 30 de novembro, no Ginásio Poliesportivo Michaelson Mendes Polastrini, aconteceu a disputa final da Taça Unaí de Futsal 2011, realizada pela Secretaria de Juventude Esporte e Lazer (Sejel). Das treze equipes que disputaram o torneio na categoria masculina, classificaram-se para a grande final a equipe G5 contra a Pharma Flora/Nova Era. A foi acirrada, com empate no tempo normal de 2x2 e prorrogação sem alteração no placar. Nas cobranças de pênaltis, a equipe Pharma Flora/Nova superou a adversária por 4x3 e consagrou-se campeã. O artilheiro foi o jogador Laurinho, com 10 gols marcados, e o goleiro menos vazado foi Brejinho, que sofreu 14 gols, ambos da equipe campeã do torneio.

m Brasília (DF) durante os dias 28, 29 e 30 de outubro, o atleta de jiu-jitsu, Renato Martins, consagrou-se campeão do Campeonato Panamericano. Renato que disputou na categoria Super Pesado venceu, das quatro disputas que fez, uma por pontuação e as outras três por finalizações (quando com apenas um golpe o lutador consegue dominar o adversário). O atleta conquistou a faixa roxa, graduação que recebeu ainda no pódio durante o Panamericano. A faixa foi entregue pelos seus professores, Mestre Chuck, Ricardo Santana e Rodrigo Diguim. Arte japonesa O Jiu-Jitsu é uma arte marcial japonesa, porém sua invenção se deu na Índia. Com técnicas que derrubam, dominam e submete o oponente pelo fato de não utilizar golpes “traumáticos”. Uma das características peculiar do jiujitsu é sua capacidade de usar a força própria para vencer seus adversários.

Na conquista o unaiense venceu três lutas por finalizações das quatro que disputou Foi Mitsuyo Maeda, mais conhecido como conde Koma, quem introduziu o esporte no Brasil. Nesse tempo ser formaram no país atletas que mais tarde viriam ganhar a cena no cenário internacional como foi o caso do brasileiro Carlos Cracie, que foi filho de Gastão Gracie. Foi Carlos

que ensinou todos da família Cracie, uma das famílias mais respeitadas em todo o mundo dentro da arte do jiu-jitsu. Em Unaí Em entrevista ao site Unaí Aqui, Martins explicou que sua rotina de treinos, após a finalização do Panamericano,

tem sido “árduo”. De acordo com o atleta, esses esforços são em prol de seu mais novo desafio, que é adentrar pela primeira vez em campeonatos de MMA (Mixed Martial Arts) ou vale tudo, a partir do próximo ano. Estes campeonatos utiliza técnicas mistas de combate nas lutas.

Iniciado Campeonato Municipal de Futsal de Buritis Teve início dia 24 de novembro o Campeonato Municipal de Futsal 2011, organizado pela administração municipal. Os jogos serão realizados no ginásio ao lado da CASEMG às 19 horas, de segunda a sexta. Vinte e seis equipes disputam as modalidades Livre, Sub-17, Feminino e Veterano. As premiações serão para 1º, 2º e terceiro lugar, artilheiro e defesa menos vazada.


Jornal Interessante - Edição 23 - Novembro de 2011 - Unaí-MG