Page 1

Órgão Informativo da Associação Comercial e Industrial de Marília - Gestão 2012-15 - Novembro/2012 - No. 03

EMPREENDEDORISMO

Acim é considerada a casa do empreendedor Durante o mês de outubro comerciantes e comerciários estiveram na sede da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), em diversas atividades intensas e constantes. Foram muitas as reuniões internas e externas, fazendo com que a sede seja utilizada como a Casa do Empreendedor, uma vez que, todas as ações foram voltadas para empreendedores local e regional. A diretoria esteve utilizando a sede para en-

contros com parceiros, reuniões internas e desenvolvendo campanhas. “A entidade é uma prestadora de serviço e nada mais coerente do que utilizar o espaço disponível para a realização destes trabalhos”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira, que no mês de setembro já havia utilizado o auditório para dezenas de atividades, inclusive para ouvir os candidatos a prefeito de Marília.

Programa Café e Gestão: Uma vez ao mês comerciantes se reúnem para troca de informações e experiências Pág.03

Reuniões entre dirigentes de associações comerciais do interior foi realizada pela diretoria da Facesp Pág. 04

Comerciários lotaram o auditório da Acim para as orientações de trânsito, durante cinco dias seguidos. Pág. 10

A saúde do trabalhador foi um dos encontros realizados na sede da Acim para comerciantes. Pág. 11


Pág 02

Notícias da Acim

Opinião do Pr esidente Presidente Vamos começar a tarabalhar a partir de agora. Sei que pode ser estranho dizer isso, mas percebi que no cargo de presidente de uma associação comercial como a de Marília, e deve ser assim nas outras cidades também, é complicado desenvolver um trabalho sem um posicionamento específico do Poder Público Municipal através da figura do prefeito. Decisões devem ser tomadas a longo prazo, principalmente quanto ao futuro de determinadas atividades, mas o próprio prefeito precisa saber do futuro dele quanto ao que vai acontecer na cidade. Assim sendo, somente depois do pleito eleitoral é que vamos conseguir desenvolver trabalhos para o comércio em geral de forma executiva. Digo isso, porque a partir de agora o Prefeito Toffóli saberá o que fazer para o comércio e o mesmo acontecerá com o Prefeito Eleito, Vinicius Camarinha. Antes, procurei poupar o chefe do executivo, por entender que o trabalho dele estaria focado na campanha, o que é algo óbvio, e deste modo aproveitei o tempo para aprender um pouco mais sobre a organização que tenho o compromisso de adminis-

trar muito bem e representa-los da melhor maneira possível. A partir de agora vamos começar a estruturar nossas ações entre o presente e o futuro, afinal, nosso planejamento estratégico precisa ser seguido, apesar das frequentes avaliações que fazemos para melhor conduzir as diretrizes traçadas. Terei vários encontros com o prefeito Ticiano no sentido de saber como faremos para que o comércio colabore com a gestão dele e do mesmo modo, penso que a classe empreendedora também necessita se posicionar quanto ao futuro e como ajudar na continuidade do cresciemento e desenvolvimento da comunidade em que estamos inseridos. Assim sendo com a decisão mais importante numa cidade tomada pela iniciativa do povo, cabe a nós, dirigentes que unidos determinamos o futuro de nossa cidade, fazer o que é possível para que as próximas gerações tenham melhores condições de conduzir o nosso futuro da melhor maneira possível. Façamos a nossa parte, pois temos muito do passado, pouco do presente e nada do futuro. Colaborar com a cidade é colaborar com nós mesmos.

Conheça a diretoria da Acim

Novembro/2012

EXPEDIENTE NOTÍCIAS DA ACIM, é um órgão informativo oficial da Associação Comercial e Industrial de Marília. - Endereço para correspondência: Rua 24 de dezembro, 678 - Bairro Alto Cafezal - CEP 17.500-060 - Marília - São Paulo - Brasil - Site: www.acim.org.br - E-Mail: acim@acim.org.br - Telefone: (14) 3402 3301 Filiada a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente - Libânio Victor Nunes de Oliveira; 1º Vice-Presidente - Luiz Carlos de M. Soares; 2º Vice-Presidente Gilberto Joaquim Zochio; 1º Secretário - José Luis Leite; 2ª Secretária Regina Lúcia Ottaiano Losasso Serva; 1º Tesoureiro - Adriano Luiz Martins; 2ª Tesoureira - Ilma Maria Aires de Lucena; Coordenador SCPC - Carlos Francisco Bitencourt Jorge; Coordenador Acim-Med - João Gonçalves. CONSELHO FISCAL: César Jorge Elias José, Isaura Soares Saraiva, Manoel Batista de Oliveira. SUPLENTES - Carlos Cavalheire Bassan, José Roberto Guimarães Torres e Sandra Márcia Bouche Cardoso. CONSELHO CONSULTIVO: Odair Aparecido Martins (presidente), Roberto Borghette Mello (vice-presidente), Ailton Bezerra da Silva, Antonio Alpino Filho, Aparecida Peres Frendenberg, Carlos Bodini Barion, Claudemir Torres Prizão, Dielson Morais Trindade, Eduardo Kiyoshi Kawakami, Hederaldo Joel Benetti, Humberto Ferreira da Luz, José Antonio Gasparini, José Raimundo Souza Azevedo, José Rubis Garla, Leonardo Kozo Sasazaki, Maria Tereza Amaro da Silva Marques, Mário Antonio Ferioli, Marli Aparecida Espadoto, Milton Tedde, Oswaldo Fernandes de Souza, Reinaldo Miguel,Rodrigo Cirino, Sandra Maria Benetti, Subhi Ahmad Khalil Abu Khalil, Suely Peres Vicente, Wanderley Rossilho D´Avila e Wilson Mattar. SUPERINTENDENTE: José Augusto Gomes E-mail: j.guto@acim.org.br. EDIÇÃO E PRODUÇÃO: Eficaz Comunicação Empresarial S/C Ltda - Marília/SP E-mail: atendimento@eficaz.jor.br.

José Luis Leite Primeiro Secretário

Regina Lúcia Ottaiano Losasso Serva Segunda Secretária

TIRAGEM MENSAL: 2 mil exemplares gratuitos


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 03

ACIM E SEBRAE

Encontro inicia processo de orientação para o Natal A diretoria da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), em conjunto com o Escritório Regional do Sebrae de Marília, reuniram comerciantes para uma manhã de negócios, em que promoveram o fortalecimento do relacionamento comercial e instrução sobre Marketing, visando o início dos preparativos para as vendas de final do ano. “Vamos começar já a preparar o Natal para que tenham o melhor de todos os tempos”, disse entusiasmado o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira, que recepcionou os comerciantes convidados oferecendo um café da manhã e orientação especializada. Na parceria entre a Acim e Sebrae, as duas instituições se mobilizaram no sentido de fazer com que os

comerciantes recebessem instrução sobre marketing, com o tema: Dicas para divulga a loja no Natal, com Tatiana Santini Pires de Campos, consultora de marketing do Sebrae, que durante 20 minutos expôs questões interessantes. “De acordo com as pesquisas, 83% das pessoas são atraídas pelo visual”, disse a especialista ao mostrar gráficos estatísticos. “As vitrines são responsáveis por retratarem diversos aspectos importantes para o consumidor”, disse Tatiana Santini Pires de Campos ao apontar: preços, formas de pagamento, variedade dos produtos, valores éticos, morais e sociais, além de provocar reações positivas nas pessoas. Ao mostrar a importância da vitrine no contexto da loja, a consultora

do Sebrae de Marília disse se tratar de uma ferramenta de comunicação. “A vitrine normalmente é o cartão de visita da empresa”, disse a especialista em marketing. “Ela ajuda a formar a imagem da empresa, criando uma identidade específica”, falou ao afirmar que uma vitrine é responsável a 70% das vendas. “A vitrine tem que ser vista como se fosse um vendedor silencioso”, explicou a convidada técnica para o encontro realizado na sede da Acim. Apesar da antecedência, a preocupação da Acim em conjunto com o Sebrae, é fazer com que os lojistas percebam a influência do elemento decorativo natalino e o impacto visual. O outro encontro realizado foi sobre Recursos Humanos. “Em novembro falaremos sobre Qualidade”, reforçou.


Pág 04

Notícias da Acim

Novembro/2012

SEGURANÇA NO TRÂNSITO

Encerrado na Acim ciclo de conscientização coletiva Terminou na sede da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), o ciclo de conscientização coletiva sobre segurança no trânsito, num trabalho em conjunto entre a associação comercial e a Polícia Militar, quando comerciários se reuniram em grande número durante cinco dias, para orientações específicas sobre os devidos cuidados preventivos para se evitar acidentes de trânsito com vítimas. “Foi uma experiência válida em todos os sentidos”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira ao agradecer os comerciantes associados que enviaram os comerciários para o trabalho de conscientização. “Tivemos uma média de 50 comerciários por dia de presença nos nossos encontros”, disse satisfeito ao participar de todos os encontros que foram realizados na sede da Acim. A proposta do tenente coronel da Polícia Militar, João Carlos Sproesser Mathias, do 9º Batalhão da Polícia Militar de Marília, ao presidente Libânio Victor Nunes de Oliveira, da Acim, foi no sentido de trabalhar com os comerciários da região central da cidade, num primeiro momento, pois, são os responsáveis por quase 50% dos acidentes de trânsito com vítimas, em horários e locais diversos da região centro da cidade. “Fizemos dois tipos de encontros”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira. “O primeiro com a diretoria da Acim e alguns comerciantes para decidir detalhes”, falou. “O outro modelo de encontro foi com os comerciários, divididos em cinco dias”, explicou ao aprovar o formato e considerar válida a ideia de continuidade.

Em todos os dias o auditório da Acim contou com bom número de comerciários

Nos próximos dias os dirigentes da Acim e da Polícia Militar estarão reunidos para uma avaliação dos encontros realizados e iniciar a próxima etapa que será a realização de eventos semelhantes nas outras regiões da cidade. “Vamos estudar a possibilidade de dividir por segmento ou por zonas territoriais”, disse o presidente da Acim. “O importante é que semanalmente teremos um encontro deste em algum ponto da cidade, para um determinado grupo de pessoas”, falou ao defender a ideia da continuidade com o propósito de diminuir sensivelmente o número de acidentes no trânsito com vítimas.

Os encontros realizados na Acim tiveram a duração de 50 minutos no máximo, começando sempre as 8h30 com uma exposição sobre o trânsito, através de um policial militar, e na seqüência uma interatividade com os participantes sobre detalhes do que foi exposto ou qualquer outra situação relacionada ao trânsito por parte dos convidados. “Este modelo é interessante, pois, inicialmente se coloca o problema e depois se discute o problema”, comentou Libânio Victor Nunes de Oliveira que prepara a realização de novo encontro no mês que vem em locais diferentes nas regiões norte e sul da cidade de Marília.


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 05

ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS

Dirigentes se reúnem na Acim para ação coletiva Dirigentes de 20 associações comerciais do centro oeste paulista, da Região Administrativa de número 15, da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), estiveram reunidos na sede da Associação Comercial e Industrial de Marília, para a reunião mensal do grupo de dirigentes, quando discutiram ações coletivas que serão realizadas nas próximas semanas. “Trata-se de um encontro de trabalho em que foram apresentados assuntos de interesse dos dirigentes para o bom desenvolvimento dos trabalhos das entidades”, disse o vicepresidente da Facesp, Sérgio Lopes Sobrinho, ao reunir gerentes, diretores e presidentes de associações comerciais da região. Dentre os assuntos apresentados o grupo debateu detalhes sobre a participação no 13º Congresso da Facesp, que será na cidade de Campos do Jordão, bem como na Feira do Empreendedor, na cidade de São Paulo. “São dois eventos fundamentais para a nossa categoria em que participaremos de forma direta”, disse Sérgio Lopes Sobrinho ao propor as formas de participação, bem como o modelo a ser seguido. Questões como a identidade visual das entidades parceira da Boa Vista Serviços, e a utilização dos indicadores econômicos, foram assuntos amplamente debatidos. “Somos uma rede, e

Sérgio Lopes, Libânio Nunes e Adriano Martins

desta forma temos algumas ações padronizadas”, defendeu o vice-presidente da Facesp, que também apresentou detalhes sobre a Lista Protegida, Ensino a Distância, Rede Verde e Amarela, entre outros assuntos. Esta foi a primeira reunião que Libânio Victor Nunes de Oliveira participou como presidente da Acim. Das duas vezes anteriores foram: seminário e treinamento, promovidos pela Facesp. “Foi a primeira reunião de trabalho que tive com meus colegas presidentes”, disse o dirigente da Acim, que foi apresentado pelo vice-presidente da Facesp, por ser o mais recente ao assumir o cargo. “Por ser o nosso anfitrião, e por colaborar com a infraestrutura

para o desenvolvimento do nosso trabalho na região”, justificou Sérgio Lopes Sobrinho ao agradecer a acolhida e o apoio recebido. IMPOSTÔMETRO O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) alcançou na última segunda-feira, dia 24, por volta das 15 horas, R$ 1,1 trilhão em impostos federais, estaduais e municipais pagos por todos brasileiros desde 1º de janeiro deste ano. Em 2011, o Impostômetro chegou a R$ 1,1 trilhão no dia 7 de outubro. Já Em 2010, o painel registrou o mesmo valor apenas em 15 de novembro.


Pág 06

Notícias da Acim

Novembro/2012


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 07

TEMPESTADE DE OFERTAS

Campanha promocional de novembro está definida A Comissão de Promoção da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), já está com a campanha promocional do mês de novembro, definida para ser desenvolvida no período de três a 17, quando as lojas do comércio de Marília serão destacadas com promoções especiais, dentro do tema: Tempestade de Ofertas, quando inicia-se os preparativos para as vendas de Natal. “Inclusive com a primeira parcela do 13º salário sendo pago pela maioria das empresas”, lembrou o superintendente da Acim, José Augusto Gomes, ao finalizar a campanha promocional. “Agora vamos trabalhar a campanha de dezembro”, anunciou o dirigente que já conta com algumas propostas e idéias para o final do ano. A campanha Tempestade de

Ofertas é tradicional no comércio de Marília e visa fazer com que as lojas se preparem para o Natal, principalmente quanto a equipe de vendas e as promoções que serão realizadas no mês de dezembro. Além disso, neste mês serão três sábados com abertura especial das nove as 17 horas, sendo os sábados dos dias: três, 10 e 17. “Depois serão os sábados de dezembro quando todas as lojas funcionarão em caráter especial de Natal”, destacou José Augusto Gomes que considera importante a realização desta campanha em novembro. “Chamase tempestade, em razão de ser no período das chuvas e por acontecer tudo muito rápido: novembro e dezembro com elevação no volume de vendas”, explicou. ASSEMBLEIA – Estão marcadas

para o dia 28 de novembro duas assembleias extraordinárias com os comerciantes associados da Acim, para que sejam definidos: os horários especiais de funcionamento das lojas da cidade no ano de 2013, bem como, o calendário das campanhas promocionais para a próxima temporada. “Vamos otimizar o tempo e a presença dos comerciantes para desenvolvermos estes dois planejamentos”, comentou o superintendente da Acim que considera importante a presença do comerciante para que opine sobre as duas questões. “Depois que for definido, fica difícil mudar”, avisou ao iniciar a preparação para a convocação oficial dos associados, para que participem em grande número para que todos os detalhes contentam a maioria dos comerciantes em geral.


Pág 08

Notícias da Acim

Novembro/2012

ENTREVISTA

João Salvi: Cooperar é sinônimo de crescer juntos O médico João Alberto Salvi tem se destacado na área administrativa com o desenvolvimento dos trabalhos da Cooperativa de Crédito Sicredi Centro Oeste, promovendo investimento e crescendo do ponto de vista organizacional. Natural de Adamantina, aos 56 anos de idade se divide entre a companhia dos filhos: Marcela Maluf Salvi e Lucas Maluf Salvi, a atividade profissional da medicina e os trabalhos como gestor da cooperativa de crédito que hoje está atuando nas cidade de Marília, Pompeia e Presidente Prudente, com planos para crescimento em mais quatro cidades do centro oeste paulista. Com titulação em mestre em cirurgia pela Unesp de Botucatu, tem MBA pela FAAP em Gestão de recursos Humanos, e pela Fundação Getúlio Vargas em Gestão Financeira e Controladoria, além de Gestão Estratégia e Administração. Chegando em Marília em 1975 passou a fazer parte de inúmeros grupos, associações e clubes, dedicando-se ao conceito do cooperativismo, seja na área médica ou na financeira. Simples, objetivo e sereno, João Alberto Salvi viaja pelo Brasil todo defendendo a necessidade de fortalecer o cooperativismo e através do Sicredi Centro Oeste tem demonstrado que o conceito está se fortalecendo e que mais segmentos da sociedade estão estão migrando para este tipo de gestão em que todos pensam em todos, e todos participam das decisões. Ao ser parceiro da Associação Comercial e Industrial de Marília este conceito tem se propagado ainda mais, mostrando ao empreendedor local e regional de que o Sicredi Centro Oeste é uma alternativa viável de crescimento sustentável, além de ser uma ação financeira mais segura e com menos riscos em qualquer atividade pessoal ou profissional.


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 09

01 – O que é o Sicredi e qual a diferença de uma agên- negócio e participam da gestão do empreendimento cia bancária? Nos últimos 20 anos, as cooperativas de crédito do Sicredi têm experimentado um grande desenvolvimenO Sicredi é um conjunto de 113 cooperativas de crédi- to dos seus negócios, operações e serviços. No entanto, integradas horizontal e verticalmente. A integração to, a empresa cooperativa, de propriedade coletiva, horizontal representa a rede de unidades de atendimen- precisa de um rumo certo, de um caminho específico to (mais de 1.100 unidades de atendimento), distribuí- para o seu sucesso e a sua perpetuação. Por isso, o das em 10 Estados* - 905 municípios. No processo de Sicredi apresenta dois programas: o Crescer, para inintegração vertical, as cooperativas estão organizadas formar o associado sobre as características deste emem quatro Cooperativas Centrais, uma Confederação, preendimento, e o Pertencer, que visa ter uma particiuma Fundação e um Banco Cooperativo, que controla pação mais efetiva dos associados na gestão das cooas empresas específicas que atuam na distribuição de perativas, tornando-os líderes cooperativistas. seguros, administração de cartões e de consórcios. A principal diferença em relação aos bancos convencionais é que, em vez de clientes, o Sicredi tem associados 05 – Qualquer pessoa pode fazer parte do Sicredi? (mais de 2 milhões de associados). São todos donos do negócio, que crescem junto com suas cooperativas e Pessoas físicas ou jurídicas podem ter acesso a prosaem ganhando sempre que usam os produtos e servi- dutos financeiros como conta corrente, cartão de créços, pois os resultados de uma cooperativa de crédito dito, investimentos, seguros, além de facilidades como são repassados aos seus associados, proporcionalmen- caixas eletrônicos e serviços pela Internet. te ao volume de suas operações. 06 – Qual a diferença do Sicredi com outras unida02 – Porque o Sicredi se instalou em Marília? des cooperativas de crédito? O Projeto de uma cooperativa de crédito nasceu da união de 22 médicos e contou com o apoio da Unimed de Marilia para que a classe médica pudesse usufruir do cooperativismo de crédito e com o passar dos anos e desenvolvimento do nosso sistema na área da saúde houve a concessão do Banco Central para que atuássemos junto aos empresários, microempresários e microempreendedores.

O Sicredi além de oferecer taxas competitivas, possui uma gama de produtos e serviços para PFs e PJs, como consórcios, seguros, caixas eletrônicos, internet banking, poupança, investimentos, cobrança, etc. Trabalhamos com marca única, produtos compartilhado, padronização das unidades, com isso ganhamos em escala. 07 – Além de Marília, onde o Sicredi está localizado com parceria com outra associação comercial?

03 – Qual a importância da unidade localizada na sede da Acim? O Sicredi possui mais de 100 cooperativas de crédito e em muitas cidades há parcerias com Associações Atualmente, o setor cooperativo responde pela geração Comerciais, no Paraná, por exemplo as cooperativas de mais de 100 milhões de empregos e está presente são parceiras do FIEP nos cinco continentes. Na prática, as cooperativas, em cada região onde estão inseridas, são motores de inclu- 08 – Qual a vantagem que a Acim tem em contar são social, geração de renda, promoção de desenvolvi- com o Sicredi na sede? mento regional, gerando fomento econômico, ser parceiro da ACIM só reforça o posicionamento do Sicredi Comodidade, atendimento personalizado, produtos e enquanto instituição financeira da comunidade. e serviços adequados, além de colaboradores capacitados para atender o setor do comércio e também facilidade para os associados. 04 – O que o Sicredi tem a ver com o empreendedorismo? 09 – Porque a Acim foi escolhida para ser parceira do Sicredi em Marília? Firmando-se no mercado como um sistema inclusivo, participativo e democrático, o cooperativismo de cré- A cooperativa no inicio era da área da saúde, fizemos dito no Brasil agrega 5,8 milhões de associados e 1.312 a parceria para a abertura do segundo segmento, com cooperativas de crédito. Para isso, o modelo está ali- isso unimos força para um objetivo comum que é o nhado aos pressupostos de crescimento sustentado, no desenvolvimento do segmento e da cooperativa. qual a organização das pessoas é a base do seu desenvolvimento. Dessa maneira, as cooperativas incentivam 10 – Como que o comerciante pode fazer parte do o empreendedorismo, criam oportunidades de negócio, Sicredi? promovem crescimento de sua atividade, a educação e o fortalecimento de cada região em que estão presen- É só procurar a unidade do Sicredi ACIM para que tes. Os resultados gerados pelas instituições são repas- seja orientado e esclarecido como fazer parte do nesados diretamente aos associados, que são os donos do gócio, como se torna um ASSOCIADO.


Pág 10

Notícias da Acim

Novembro/2012

ARTIGO

Novo Ponto Eletrônico está valendo Maria Regina Borba e Silva O novo ponto eletrônico já esta valendo para todas as empresas com mais de dez funcionários. Desde o dia 03/09/2012 as micro e pequenas empresas estão obrigadas a adotar referido sistema. Este foi o último grupo a ter que se adaptar à Portaria nº 1.510, de 2009. A entrada em vigor da norma foi adiada três vezes. O prazo inicial era 26 de agosto de 2010. A portaria permite que as empresas utilizem sistemas de controle de jornada manual ou mecânico. As companhias que optarem pelo ponto eletrônico, entretanto, devem adquirir um dos modelos autorizados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que emitem um comprovante de entrada e saída do funcionário, inclusive no

horário do almoço. De acordo com informações do Ministério do Trabalho, a fiscalização, inicialmente, terá caráter de orientação. Em uma primeira visita, os auditores fiscais apenas emitirão notificações às empresas caso constatem irregularidades, fixando prazos que pode variar de 30 a 90 dias para que se adaptem à nova norma. A multa em caso de descumprimento da portaria varia de R$ 40,00 a R$ 4.000,00. Diversas empresas foram à Justiça contra a Portaria nº 1.510. A advogada Maria Regina Borba Silva, da Associação Comercial e Industrial de Marília, diz que, em 2009 e em 2010 foram concedidas diversas liminares em primeira instância, porém, todas foram derrubadas posteriormente.

Isto porque existem várias controvérsias sobre essa nova portaria, que na visão de várias empresas e advogados é um retrocesso e não um avanço, pois como o funcionário de uma fábrica, por exemplo, guardaria o documento diário por 05 anos ? Mas ela já é realidade então só resta cumprir a lei. Salienta que as empresas devem ficar atentas a fiscalização e providenciar a adequação o mais breve possível para não serem autuadas pelo MTE. Para qualquer esclarecimento os associados poderão procurar o Departamento Jurídico da entidade no período da manhã. A advogada Maria Regina Borba e Silva é a responsável pelo Departamento Jurídico da Acim


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 11

SAÚDE DO TRABALHADOR

Comerciantes se reúnem com equipe do Cerest Regional Comerciantes e diretoria da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), estiveram reunidos no auditório da entidade, com parte da equipe do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) Regional-Marília, quando detalhes e importantes informações foram repassadas como forma de haver uma ação preventiva no cuidado com o trabalhador na área comercial. “A ausência de um funcionário dentro de uma empresa de forma inesperada causa transtornos inimagináveis”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira que considera este assunto importante a ser tratado com os empresários. “Muitos empregadores não sabem como agir nestas horas”, lembrou. “Sem contar que algumas empresas se quer estão treinadas para fazer a coisa certa”, completou. O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), re-

gional de Marília é um dos 178 centros do País, e tem como objetivo promover ações para melhorar a condição de trabalho e a qualidade de vida do trabalhador. “Havendo um cuidado preventivo, é possível diminuir muito a ausência do funcionário por questões médicas”, comentou Luciana Caluz, coordenadora do Cerest, Regional de Marília. “O foco do nosso trabalho é fazer com que todos os acidentes ocorridos no município de Marília, que são atendidos na rede do Sistema Único de Saúde (Sus), sejam informados e registrados em um banco de dados que seja permitido saber onde, como e qual a gravidade dos acidades de trabalho que acontecem em Marília e região”, explicou. “Isso nos permite fazer inspeções em ambientes de trabalho, para propormos intervenções que auxiliem na prevenção de novos agravos a saúde do trabalhador”, disse a coordenadora do ór-

gão na cidade. Depois desta apresentação realizada na Acim, dia 20, quintafeira, novo encontro está agendado, a partir das nove horas, na sede da associação comercial. “Acredito que sejam poucas as empresas que são conscientes com os cuidados que necessitam ter com a saúde do trabalhador”, opinou Libânio Victor Nunes de Oliveira ao convidar a coordenadora do Cerest de Marília para um trabalho neste sentido. “Vamos informar e conscientizar sobre este trabalho importante para a classe empreendedora, afinal os empregados precisam ter cuidados especiais para a produção da empresa seja uniforme”, ressaltou o dirigente da Acim. “Naturalmente nestes encontros os empresários terão consciência dos riscos que correm, das exigências da lei e como prevenir acidentes de trabalho”, disse o dirigente ao elogiar o encontro realizado.


Pág 12

Notícias da Acim

Novembro/2012

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL

Acim e Sebrae planejam outras ações em conjunto Representantes da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), e do escritório regional do Sebrae em Marília, estiveram reunidos na sede da associação comercial quando definiram algumas ações em conjunto que serão realizadas nas próximas semanas como forma de oferecer aos empreendedores da cidade, oportunidade de melhorar as performances das empresas. “Vamos realizar uma série de eventos em conjunto, unindo forças e focando no empresário”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira ao recepcionar Elton Aquinori Yokomizo, do Sebrae de Marília. No encontro realizado ficou decidido o calendário dos encontros matinais, denominado de “Café & Gestão”, que serão realizados sempre as 9 horas no auditório da Acim, quando serão abordados temas como: dia 25 de setembro - Marketing; dia 17 de outubro - Recursos Humanos e dia 21 de novembro – Qualidade. “Serão en-

contros em que os comerciantes associados terão a oportunidade de ouvir e falar sobre os temas com os consultores do Sebrae de Marília”, explicou Libânio Victor Nunes de Oliveira. “De uma forma interativa, os consultores apresentarão o tema e na seqüência ficarão a disposição para mais esclarecimentos do público presente”, comentou o dirigente que espera realizar mensalmente este tipo de evento. Outra decisão tomada entre os dirigentes da Acim e do Sebrae foi quanto a participação da Acim no programa do Sebrae denominado de “Sebrae Móvel”, quando uma unidade móvel do Sebrae fica estacionada em um ponto estratégico da cidade a disposição de potenciais empreendedores para que dinamizem o próprio negócio, através do conhecimento. “No período de 03 e 04 de dezembro a nossa unidade móvel ficará estacionada no estacionamento da Acim”, anunciou Elton Aquinori Yokomizo que já tem agendado de 17 a 21 de setembro no

Supermercado Makro; de 27 a 28 de setembro no estacionamento do Supermercado Preço Certo e de 05 a 07 de dezembro no Supermercado Kawakami Sul. “Sem dúvida estacionado no centro da cidade em nossa sede chamará bem a atenção do pessoal”, acredita Libânio Victor Nunes de Oliveira. Em breve na sede da Acim haverá atendimento aos comerciantes associados ou não, por parte dos consultores do Sebrae. Através de agendamento, o encontro será realizado na sede da entidade como forma de agilizar o atendimento e facilitar para as pessoas que estiverem na região central. Espaço será disponibilizado neste sentido para que o atendimento seja amplo em todos os sentidos. “Quanto maior for o acesso dos interessados melhor será para o desenvolvimento da cidade”, defende Libânio Victor Nunes de Oliveira que vem conversando com o Sebrae neste sentido e outras atividades em conjunto.


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 13

VISITA NO COMÉRCIO

Presidente da Acim conversa com associados O presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Libânio Victor Nunes de Oliveira iniciou no mes passado uma série de visitas aos associados da entidade. Quase que diariamente ele está indo ao encontro dos associados, no sentido de fazer uma visita de cortesia e conversar sobre o desenvolvimento e crescimento do comércio em geral. “Quero ouvir dos associados como que a Acim pode ajudar neste sentido”, disse o dirigente que tem se surpreendido com a recepção. “Além de ser agradável a visita, as pessoas se espantam quando chego, pois vou sem avisar”, disse o dirigente que está gostando da experiência. Na opinião do presidente da entidade é de fundamental importância que ele saiba quais são os desejos dos associados referente a prestação de serviço oferecida pela Acim. “Existem opiniões positivas, construtivas e até inviáveis”, disse. “Muita gente sabe quem sou, me conhecem, mas não tinham me visto como presidente da

Acim”, comparou. Ao reunir-se com os associados nas lojas, Libânio Victor Nunes de Oliveira tem tido um olhar mais atencioso quanto as ruas, calçadas, fachadas das lojas, som, movimento, ambulantes, e principalmente as condições de manutenção do calçadão híbrido na Rua São Luiz, início das visitas. “Temos muita coisa para ver, opinar e melhorar”, constatou sem muito esforço. “Os comerciantes reforçam aquilo que todos estão vendo e sentindo, e precisamos tomar providencias para melhorar”, falou ao dizer que no momento é preciso aguardar o período eleitoral para tomar as medidas necessárias. “Neste período vamos olhar, analisar, anotar e apresentar futuramente alternativas de melhoria na Prefeitura de Marília”, justificou o dirigente. O desejo de Libânio Victor Nunes de Oliveira é começar as visitas pela região central e posteriormente aos bairros. “São necessidades, realidades e desejos diferentes”, acredita ao ter uma ideia do que ouvirá pela frente. “Não

tenho dúvidas de que a cidade de Marília conta com três grandes centros comerciais: Central e Zonas Norte e Sul”, disse o presidente da Acim que está intercalando as visitas com os compromissos da diretoria e eventos que exigem a representação da entidade. “Não tenho pressa, e nem preocupação com as visitas. O que eu quero é ouvir e falar sobre a Acim com os nossos associados”, explicou o presidente.


Pág 14

Notícias da Acim

Outubro/2012

ARTIGO

A importância do atendimento a clientes Rosendo de Souza Júnior Nos dias atuais, a maioria dos varejistas já entende que satisfazer plenamente o cliente não é apenas uma estratégia de diferenciação, mas de sobrevivência. Porém ainda existe uma distância entre o que sabemos que deve ser feito e o que acabamos encontrando nas lojas de forma geral. Administrar uma empresa varejista tornou-se uma atividade que exige técnica, talento e dedicação. A tomada de decisão seja em aspectos de compras, recebimentos, pagamentos, gestão de pessoas e de vendas exige muito cuidado no planejamento e na execução das ações. Em relação a atendimentos a clientes não é diferente. Num ambiente com tantas variáveis a serem analisadas, os pequenos detalhes do atendimento na loja acabam passando despercebidos e são eles que poderão fazer a diferença no futuro, uma vez que o investimento para trazer o consumidor até a loja pela primeira vez é, muitas vezes, maior do que converter um visitante em cliente freqüente.Existem diversas razões para que um comprador em potencial não venha a tornarse um cliente fiel, mas as falhas no atendimento podem ser determinantes para perdê-los. As falhas no atendimento já começam pelo descuido dos vendedores ao abordar o cliente, muitas vezes fazendo as “desgastadas” perguntas do tipo “Posso te ajudar!?” antes mesmo que o consumidor tenha tido tempo de receber as informações visuais contidas nas vitrines ou no interior da loja. O processo de compra possui uma importante fase de absorção de informações por todos os sentidos humanos: visão, audição, tato, olfato e paladar (as duas últimas principalmente para alimentação) que não deve ser perturbada. Quando um cliente está em frente a uma vitrine ou entra num estabelecimento, ele absorve muitas informações visuais (modelos, cores, design, preço, combinações) e auditivas (música ambiente, ruídos) que podem influenciar em sua opinião. Esta etapa da compra demora apenas alguns segundos, porém é muito importante que não ocorram interferências, como por exemplo, uma pergunta inoportuna feita pelo vendedor. Existe o momento mais adequado para a abordagem, porém não existe um cálculo pre-

ciso de quando ele ocorre, uma vez que lidamos com pessoas diferentes. O que podemos afirmar é que sempre ocorrerá um momento ideal para abordar o cliente. Para sabermos a hora certa do “ataque” o vendedor deve-se observar os olhos do cliente e procurar sinais indicando que eles fixaram um alvo ou que perderam o interesse nos produtos. Nesse exato momento a janela se abre e a abordagem deve ser feita, senão ela se fechará e o cliente reiniciará a busca de informações. Após uma abordagem bem sucedida, ou quando o cliente busca espontaneamente o atendimento, outro grupo de falhas pode ocorrer, aquelas relacionadas com a apresentação pessoal e a postura da equipe de vendas. O desleixo com a própria aparência: barba, cabelos, maquiagem, roupa, etc e a comunicação corporal: caminhar e cumprimentar com preguiça, manter os ombros caídos, permanecer sentado ou encostado em algo, expressão enfadonha também são indesejáveis. Precisamos sempre estar atentos, pois o corpo diz muito a nosso respeito! O modo de falar do vendedor também é muito importante: repetidos erros de português, gírias, tratamentos pessoais forçados ou termos técnicos em excesso acabam “ofendendo” a capacidade intelectual do cliente. Outra questão é o quanto ou sobre o que falar, a era do vendedor que fala muito já acabou. O cliente na maioria das vezes tem pressa, ou tem algo mais importante para fazer do que ouvir estórias e mais estórias. Assim a recomendação é: pergunte e ouça mais, fale o menos possível, forneça apenas a informação necessária para uma boa compra e jamais entre em assuntos pessoais ou polêmicos, mesmo que o cliente peça. A loja é um lugar de negócios, não um ponto de encontro. O bom vendedor procura agir de forma natural, transmitindo segurança e tranqüilidade ao comprador. O diálogo com o cliente deve ser agradável durante toda a compra, é imprescindível que a equipe de atendimento, desde o vendedor até o caixa, dêem atenção a cliente. Como é impossível identificar quem se tornará ou não um cliente habitual da loja, trate todos da mesma forma, ainda é comum certa discrimi-

nação por parte da equipe seja pela aparência do consumidor ou mesmo pelo objetivo da visita, por exemplo, ainda é comum recebermos uma atenção menor quando vamos trocar uma mercadoria. Vale lembrar aqui, que trocas devem ser feitas nas condições previstas por lei, isto é, qualquer dia do mês ou da semana. Assim as abomináveis placas “Não Fazemos Trocas nos Finais de Semana” além de espantarem os clientes (até potenciais clientes), ainda estão contrariando o Código de Defesa do Consumidor. Os vendedores devem ainda tomar muito cuidado com as promessas que fazem aos clientes. Uma pequena falta ou esquecimento pode transformar um cliente fiel num inimigo. Para isso recomenda-se o uso de uma agenda e do cadastro de clientes, onde são agendados os futuros contatos, bem como um histórico do relacionamento. O empresário deve estar muito atento e acompanhando o que ocorre na área de vendas, onde as falhas devem ser corrigidas sempre buscando um melhor atendimento oferecido aos clientes. Rosendo de Souza Júnior é consultor do Escritório Regional do Sebrae de Marília


Novembro/2012

Notícias da Acim

Pág 15

ACIM E SICREDI

Dirigentes conhecem cooperativa de crédito Diretores e conselheiros que fazem parte da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), se reuniram no auditório da entidade, quando tiveram oportunidade de conhecer com mais detalhes, o Sicredi Centro Oeste, instituição financeira cooperativa localizada na própria sede da Acim e distribuídas em cidades como: Garça, Marília, Pompeia e Presidente Prudente. “Por ser uma instituição cooperativa, o Sicredi oferece um atendimento mais próximo, uma parceria com um objetivo em comum e um modelo de negócio sustentável”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira, presidente da Acim, ao recepcionar dirigentes das duas instituições: Acim e Sicredi. “O objetivo foi o de fazer com que a diretoria e conselho da Acim conhecessem com detalhes o que é o Sicredi e o que ele faz”, comentou o presidente da Acim. O Superintendente Regional do Sicredi, Ildo Wilde, disse que a instituição financeira completará em dezembro 110 anos no mercado brasilei-

ro, superando a marca de 2,1 milhões de associados, presentes em 11 estados brasileiros, com 113 cooperativas de crédito e 1.184 unidades de atendimento. “Atualmente o Sicredi conta com R$ 19,8 bilhões de recursos e R$ 15,6 bilhões em crédito com R$ 4 bilhões de patrimônio líquido”, disse o dirigente aos explicar o funcionamento do Sicredi Centro Oeste que conta com duas unidades em Marília e em breve estará em Tupã. “O Sicredi passou ileso de todas as crises financeiras que o país viveu”, afirmou o superintendente. Segundo o presidente do Sicredi Centro Oeste, João Alberto Salvi, são mais de 100 produtos e serviços a disposição como: conta corrente, caixas eletrônicos, serviços pela Internet, débito em conta, investimentos, poupança, crédito, seguros, cartões, consórcios, previdência, câmbio, cobranças dentre outros serviços. “Parte do capital de uma cooperativa é revertido para investimentos na própria região”, disse o dirigente. “Com o sis-

tema cooperativo todos saem ganhando: o negócio próprio, a cooperativa e a comunidade”, falou ao frisar que o crescimento da empresa contribui para melhoria na qualidade de vida da comunidade. “O negócio próprio crescendo, gera emprego, renda e fortalece a economia”, falou. Para o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira o evento foi oportuno, pois, além de mostrar, foi possível explicar detalhes sobre o Sicredi. “Tanto o presidente João Salvi, como o superintendente Ildo, ambos explicaram muito bem o funcionamento do Sicredi, que é um importante parceiro da Acim”, comentou o dirigente da associação comercial que pretende realizar encontros semelhantes para outro grupo de diretores e conselheiros. “É de fundamental importância que os nossos diretores e conselheiros saibam os procedimentos, para que compreendam o funcionamento das duas entidades que trabalham juntas”, explicou Libânio Victor Nunes de Oliveira.


Pág 16

Notícias da Acim

Novembro/2012

NATAL ILUMINADO

Acim e Prefeitura iniciam organização de eventos Parte da diretoria da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), esteve reunida com o prefeito de Marília, Ticiano Tóffoli, para iniciar as primeiras ações quanto a organização do Natal Iluminado deste ano. “Foi o primeiro encontro de uma série de vários que teremos até lá”, disse o presidente da associação comercial, Libânio Victor Nunes de Oliveira que apesar de achar que as tratativas já deveriam ser feitas em meses anteriores, admitiu que sem a definição do pleito eleitoral, seria inviável qualquer tipo de conversa. “Vivíamos uma realidade, que agora e outra e que futuramente será uma diferente”, comparou ao admitiu dificuldade na organização do evento para este Natal. “O prazo é curto”, falou. No encontro realizado no gabinete do prefeito, recordou-se de como o Natal Iluminado era desenvolvido e diante da unanimidade de que o mais fraco de todos foi no ano passado, discutiu-se alternativas de melhoria. “Não tenho noção de valores, viabilidade e de como investir”, disse Ticiano Tóffoli ao admitir dificuldades financeiras neste sentido e principalmente de como era feito antigamente. “Não sei como era feito, mas sei que algo precisa ser feito”, comentou ao começar a tomar conhecimento de como os enfeites eram colocados anteriormente. “Acredito que podemos encontrar uma alternativa e fazer algo para este ano”, disse o chefe do Poder Executivo que espera num próximo encontro

Diretores da Acim se encontram com o Prefeito para começar a conversar sobre

ter posicionamentos mais reais. “Tomarei ciência da situação e conversaremos na semana que vem”, disse. Para o presidente da Acim a dificuldade era de se esperar em razão do curto intervalo de tempo para organizar. “Enquanto o Natal Iluminado não tiver uma lei municipal que garanta investimento, realização e execução ficará complicado e sempre será feito de última hora”, comentou Libânio Victor Nunes de Oliveira que levantou a possibilidade de reativar os concursos de vitrines e enfeites natalinos. “O Natal Iluminado não é só enfeite nos postes e nos prédios públicos”, falou. “Talvez fosse a oportunidade de organizarmos algo mais amplo, que envolvessem mais setores da comunidade e que tivéssemos um atrativo generalizado a médio e longo prazos”, comenPrefeito Tóffoli e o presidente Libânio Nunes, tou o dirigenfalam sobre o Natal Ilumuniado te da Acim ao

apresentar a proposta de se conseguir alternativas de investimento, exposição e criatividade. “Podemos fazer algo simples este ano e melhorar a cada ano”, comentou. A possibilidade de adquirir os enfeites por parte da prefeitura não foi descartada. “Hoje é tudo alugado”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira. “A partir do momento que tivéssemos os materiais, poderíamos ampliar e melhorar a cada ano”, opinou ao indicar ruas e avenidas que necessitam de ornamentação natalina. “Poderíamos iniciar com um número de prédios enfeitados, e uma quantidade de ruas e avenidas”, começou a explicar. “No ano seguinte aumentaríamos o número de prédios, ruas e avenidas, com uma outra quantidade de enfeites, pois a parte do ano anterior já estava garantida”, disse ao propor estudos neste sentido. Na opinião de todos que participaram do primeiro encontro é de que o Natal Iluminado atrai pessoas para as principais ruas do comércio, shoppings, galerias de lojas e centros de compras e que isto é de fundamental importância para a cidade. “O importante é que a cidade de Marília esteja bela e preparada para receber consumidores de toda a região”, disse Libânio Victor Nunes de Oliveira que apresentará no próximo encontro alternativas viáveis para colaborar com a proposta que a prefeitura de Marília apresentará. “Precisamos decidir logo”, definiu.

Informativo Novembro  

Informativo ACIM - Novembro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you