Issuu on Google+

C

Cin

ema Vida

INEMA

v

IDA

A História Do Filme

Irmãos Lumière Expressionismo Alemão

Neo-Realismo Italiano Un Chien Andalou

Dogma 95 Entre elas, ausência de trilha sonora, de luz artificial e de efeitos especiais. O chamado Manifesto Dogma reforça a idéia de que qualquer um pode fazer cinema e cria seguidores pelo mundo. 1


Cin

ema Vida

2


Cin

ema Vida

SUMÁRIO

6. 7. 8. 9. 10.

A História do Cinema Na Europa Expressionismo Alemão Avant-Garde Francesa Neo-Realismo Italiano Dogma 95

3


Cin

ema Vida

4


Cin

ema Vida

Anos 80 Odesenvolvimento da camera no cinema permitiu que o componente individual de imagens a serem capturadas e armazenadas em uma única bobina, e levaram rapidamente ao desenvolvimento de um filme projetor para brilhar a luz através do processamento e impressao do filme e isto ampliaria essas “ imagem mostradas em movimento “, num tela para uma audiencia inteira.. No o início dos anos 1920, a maioria dos filmes vinham com uma lista preparada numa folha de música para esta finalidade, com a partitura completa do filme para ser composto por grandes produções. Embora a adição de som tenha rapidamente eclipsado filme mudo, teatro musicais, a cor foi adoptada de forma mais gradual como métodos evoluíram tornando-se mais prático e econômico de produzir filmes de “cor singular” . O público era relativamente indiferente à fotografia colorida em contraposição ao preto-e-branco, [citação necessários], mas sim como o processamento da cor melhorou e tornou-se tão baratos quantos filmes reto-e-branco , mais e mais filmes foram filmadas em cores após o final da II Guerra Mundial, tanto que a indústria na América tranformou as cores como um essencial para atrair audiências na sua concorrência com a televisão, que permaneceu um preto-e-branco médio até meados da década de 1960s.New Hollywood, o francês New Wave e ao recrudescimento da educada escola do filme, cineastas independentes faziam parte das mudanças do meio experiente na última metade do século 20.

5


Cin

ema Vida

A História do Cinema Na Europa pelos irmãos Lumière em 1895, foi rápida e barata. Por 1 franco cada, 33 assentos foram ocupados por cerca de 20 minutos no subsolo de um café em Paris., o cinema virou arte. Confira os principais movimentos e diretores europeus. O programa incluía dez filmes. A sessão foi inaugurada com a projecção de La Sortie de l’usine Lumière à Lyon (A Saída da Fábrica Lumière em Lyon).

Os irmãos Lumière, Auguste Marie Louis Nicholas Lumière e Louis Jean Lumière nasceram em Besançon, na França. Foram eles que fabricaram o cinematógrafo (câmara de filmar), sendo frequentemente referidos como os pais do cinema. O cinematógrafo era uma máquina de filmar e projector de cinema, invento que lhes tem sido atribuído mas que na verdade foi inventado por Léon Bouly, em 1892, que terá perdido a patente, de novo registada pelos Lumière a 13 de Fevereiro de 1895. Os irmãos Lumière fizeram um digressão com o cinematógrafo, em1896, visitando Bombaim, Londres e Nova Iorque. As imagens em movimento tiveram uma forte influência na cultura popular da época: “L’Arrivée d’un train en gare de la Ciotat” (Chegada de um Comboio à Estação da Ciotat), filmes de actualidades,”Lé dejeineur de bebé” (O Almoço do Bebé) e outros, incluindo alguns dos primeiros esboços cómicos, como “L´Arroseur Arrosé”(O “Regador” Regado),os filmes que nós vos mostramos neste video. A primeira sessão pública, organizada

(Publicado por Cinemafive.)

Auguste Lumière (esquerda) e Louis Lumière (direita).

6


Cin

ema Vida

Expressionismo Alemão Sombras, loucura e grotesco são os atores principais do cinema alemão. O movimento tenta representar o clima pós-guerra que toma conta do país e dura até a ascensão de Hitler, que proibiu as artes “degeneradas” e apostou no cinema-propaganda, afugentando grandes diretores do país. Metrópolis (Fritz Lang), Nosferatu (F.W. Murnau), O Gabinete do Dr. Caligari (Robert Wiene).

pois!) foi encontrada uma cópia do original em péssima qualidade, na Argentina. Fizeram então a versão definitiva, lançada no final de 2010, juntando as melhores partes restauradas de cada cópia que puderam encontrar pelo mundo, e o resultado salta aos olhos. Quem (como eu) viu a versão de Giorgio Moroder - feita em 1984 com uma trilha sonora futurista - vai achar que está vendo outro filme, e de óculos, pois a imagem está nítida. SINOPSE : Num mundo futurístico - que é a extrapoMetrópolis lação da revolução industrial - a sociedade O filme estreou em grande estilo, vive em uma verdadeira metrópole não em 1927, em Berlim. O marechal von Hin- muito diferente da nossa (com direito até a engarrafamendenburg estava pretos!). Porém ela sente à estréia, assim está rigidamente como a nata da sodividida em duas ciedade alemã. Apegrandes classes: sar da boa reação da Os cidadãos na estréia e da crítica, o cidade superior, filme foi um fracasso curtindo o mede público e bilhetelhor que a tecria, quase afundando nologia pode a produtora. Muitos proporcionar em acharam o filme lontermos de transgo demais, então ele Cena do fime Metropolis de Fritz Lang porte e diversão, foi severamente cortado para distribuição no resto do mundo. e embaixo os operários, vivendo numa ciO filme se tornou cult, mas a versão origi- dade subterrânea com suas famílias e tranal ficou perdida para sempre, e durante balhando 10 horas por dia em condições décadas achamos que nunca mais vería- terríveis para manter as máquinas que famos Metropolis como fora planejado. Mas zem com que as regalias da cidade supeeis que em 2008 (isso mesmo, 80 anos de- rior não parem nunca. 7


Cin

ema Vida

Avant-Garde Francesa Artistas das vanguardas plásticas trazem inovações às telas. Para não perder nenhum detalhe de grandes paisagens, o excêntrico Abel Gance coloca 3 câmeras lado a lado. Na hora da exibição, usa 3 projetores, inaugurando o formato de tela conhecido hoje. Filmes: O Cão Andaluz (Luis Buñuel e Salvador Dali), A Concha e o Clérigo (Germaine Dulac), Napoleão (Abel Gance)

cerca de 50 pessoas fizeram denúncias ao comissariado de polícia, protestando com a crueldade e a obscenidade do Cão Andaluz. Na Espanha, Lorca que andava numa crise de relacionamento com seus velhos companheiros da Residência, julgou que o título do filme se referia a ele, já que era da Andaluzia. A infundada desconfiança lhe causou profunda amargura.

O Cão Andaluz

Nesta época Buñuel descobriu a outra face dos surrealistas. Devido ao sucesso comercial da película, ele autorizou a editora Gallimard a publicar o roteiro do filme na Revue de Cinéma. Foi intimado a comparecer a uma reunião na casa de Breton. Lá os surrealistas o julgaram, tendo Aragon exercido com autoridade o papel de promotor. Buñuel deveria explicar-se porque um filme provocador lotava as salas de cinema e como ousava ceder seus textos para uma revista burguesa?

A estréia oficial de O cão andaluz foi no Studio Ursulines, com a presença de Picasso, Le Corbusier e Cocteau. O grupo surrealista do Café Cyrano compareceu em peso. Buñuel permaneceu atrás da tela, com uma vitrola, na qual alternava tangos argentinos com passagens de Tristão e Isolda. Após esta estréia considerada triunfal, o filme foi comprado pelo Studio 28. Fez grande sucesso de público, pois ficou oito meses em cartaz. Buñuel recebeu de direitos autorais um total de oito mil francos. Em contrapartida aos admiradores da obra,

Cenas do filme Un Chien Andalou, (1929) de Luis Buñuel.

8


Cin

ema Vida

Neo-Realismo Italiano Foi um período marcado por temas sociais, atores não-profissionais e gravações fora de estúdio. Por levar a realidade do pós-guerra ao cinema com custos tão baixos, os italianos se tornam referência e influenciam diversos diretores, entre eles, o brasileiro Glauber Rocha. Filmes: Ladrões de Bicicleta (Vittorio De Sica), Roma, Cidade Aberta (Roberto Rosselini), A Terra Treme (Luchino Visconti).

proletarização e da proletariedade extrema de catadores de frutas nas fazendas capitalistas da Califórnia; e em “Ladrões de Bicicleta”, Vittorio De Sica nos mostra uma crônica trágica da proletariedade de um recém-empregado como colador de cartezas que tem a sua bicicleta, seu instrumento de trabalho e condição de emprego, roubada, o cineasta Luchino Visconti expõe, em “A Terra Treme”, outra crônica trágica da proletariedade de trabalhadores do mar, super-explorados pelos comerciantes A Terra treme de peixes na Sicília (Itália), que anseia conO filme de Luchino Visconti, “A Terra tornar a exploração da força de trabalho Treme”, de 1948, expõe com vigor neorea- através do trabalho por conta própria. lista, aspectos da proletariedade de traba-

Ladrões de Bicicletas

Um dos principais representantes do cinema neo-realista da Itália do pós-Guerra. Junto com Roma: Cidade Aberta, de Roberto Rossellini, é considerado um dos filmes mais sensíveis do movimento. A história de um desempregado que tem mulher e filho para sustentar. O operário Antonio aceita um emprego de colador de cartazes e, para isso, precisa de uma bicicleta para poder trabalhar.

Cena do fime A Terra treme.

lhadores do mar, pescadores da cidade de Acitrezza, litoral da Sicília (Itália), uma das regiões mais pobres do País (inclusive, nos créditos do filme a interpretação principal é dada aos pescadores sicilianos). Revoltado com a exploração dos comerciantes de peixe, o jovem ‘Ntoni tenta convencer seus colegas pescadores a trabalhar por conta própria. Se em “Vinhas da Ira”, John Ford nos mostra o drama da

Cena do filme Ladrões de Bicicletas.

9


Cin

ema Vida

Dogma 95 O movimento Dogma 95 foi uma iniciativa dos cineastas dinamarqueses Lars von Trier e Thomas Vinterberg e é tratado como uma grande iniciativa da história do cinema. Surgido a partir de seu documento oficial, chamado O Manifesto, foi publicado em 13 de março de 1995 na cidade dinamarquesa de Copenhague, sendo apresentado a toda comunidade em um simpósio internacional sobre o centenário do cinema.

rios ou cenografia (se a trama requer um acessório particular, deve-se escolher um ambiente externo onde ele se encontre). • O som jamais deve ser produzido separadamente da imagem ou vice-versa. (A trilha sonora não poderá, portanto, ser utilizada).

• A câmera deve ser usada na mão. São consentidos todos os movimentos – ou a imobilidade – devidos aos movimentos do O documento corpo. (O filme não deve ser feito onde a câmera está colocada; são as tomadas que O Manifesto assinado por Lars von devem desenvolver-se onde o filme tem Trier e por Thomas Vinterberg estava fo- lugar). cado na crítica à superprodução de filmes, além do fato de considerá-los verdadeiras • O filme deve ser em cores. Não se aceita obras de arte. nenhuma iluminação especial. (Se há luz A ideia de colocar o cinema como demais, a cena deve ser cortada, ou então, uma tela de pintura, bem como o uso de pode-se colocar uma única lâmpada sobre uma gama de recursos que traziam um a câmera). tom de artificialidade exagerada aos longas, era bastante repudiada por ambos os • São proibidos os truques fotográficos e diretores. A argumentação de que o públi- filtros. co não deve ser iludido e que as tecnologias tiravam o poder do diretor na qualida- • O filme não deve conter nenhuma ação de de autor de sua própria obra também “superficial”. (Em nenhum caso homicíaparecem como ideias do Manifesto. dios, uso de armas ou outros). A publicação trazia ainda o “Voto de Castidade”, que levantava dez princípios • São vetados os deslocamentos tempoa serem seguidos de acordo com o movi- rais ou geográficos. (Isto significa que o filmento do Dogma 95. São eles: me se desenvolve em tempo real). • As filmagens devem ser feitas em locais • São inaceitáveis os filmes de gênero. externos. Não podem ser usados acessó10


Cin

ema Vida

Filmes

• O filme deve ser em 35 mm, standard.

• O nome do diretor não deve figurar nos Há cerca de 100 produções com o créditos. selo Dogma 95 e o primeiro deles foi o longa Festa de Família (Festen, 1998), de Em 2005, foram adicionados novos princí- autoria de Vinterberg. O filme recebeu pios ao Manifesto, que valeriam para fil- elogios dos críticos e obteve prêmios e mes lançados a partir do ano seguinte. Ele indicações, como o Prêmio de Júri no Fessão: tival de Cannes de 98, e as nominações ao Globo de Ouro e ao César de melhor • A gravação deve ser feita em formato di- filme estrangeiro. gital. m • As filmagens devem ocorrer na Escócia; • As filmagens não podem ultrapassar o prazo de 6 semanas; • O custo total do filme não pode ultrapassar a quantia de um milhão de libras esterlinas.

A democratização do cinema

Foto : Von Trier

A criação da indústria hollywoodiana proporcionou uma nova era para o cinema mundial, submetendo-o cada vez mais ao monopólio das superproduções. O Dogma 95 propõe o resgate da essência cinematográfica que, para os criadores do documento, foi perdida com chegada das tecnologias e da exploração comercial. Muitos dos elogios relativos ao documento estavam no reconhecimento da valorização da criatividade dos cineastas, pois o que marcaria o filme seria sua história.

Von Trier foi o diretor responsável pelo lançamento do segundo filme que recebeu o certificado do Dogma 95. O filme Os Idiotas (Idioterne, 1998) também foi ovacionado pela crítica e concorreu a prêmios no Festival de Cannes, o European Film Awards, o London Film Festival e o Valladolid International Film Festival, todos de 1998, e Bodil Awards e Robert Festival, ambos em 1999. Ambos os filmes tiveram custos baixos – inferiores a um milhão de libras -, quando comparados a megaproduções.

11


Cin

ema Vida

12


Revista Teste.