Page 1

02 Quem responde? O anúncio do novo projeto habitacional para as famílias em situação de risco do Parque Eldorado durante a sessão da câmara de vereadores realizada no distrito na terça-feira (10) de setembro nos causa no mínimo estranheza. Primeiro pelo fato de não ter sido votado na sessão realizada aqui mesmo no distrito no dia 10 como sugeriu o vereador João Carlos Vieira, e sim uma semana antes, na sessão da terça-feira (03) sob a alegação de urgência. Urgência pra que? Se o município está tão mal de dinheiro que não investe em saúde, educação, saneamento básico e serviços essenciais? Como um município que não tem dinheiro quer comprar uma área no valor de 1milhão e trezentos mil reais simplesmente para realocar famílias em supostas situações de risco? Quem realizou a avaliação da área em questão? Quem lucrará com isso? Essa suposta situação de risco não seria combatida adequadamente com um investimento infinitamente menor em saneamento básico? Será que os gestores imaginam que pelo simples fato de retirarem os moradores dos bairros Ponche Verde e Rincão de suas respectivas localidades e colocá-los à beira da BR 290 solucionarão seus problemas? De onde sairá a água potável para essas famílias se é sabido da dificuldade de perfuração de poço artesiano no local A própria Corsan já tentou sem sucesso. E Quem garantirá que a Cia cumprirá com a promessa de trazer água de Arroio dos Ratos se a mais de 20 anos os moradores do Parque Eldorado estão esperando? E se realmente a Corsan trouxer a água, a Cia irá se comprometer com o saneamento, com o tratamento do esgoto? Para onde vai o esgoto de um conjunto habitacional construído no meio do distrito? Não será para o nosso lençol freático, contaminando mais ainda as reservas existentes? O que será feito com as áreas vazias dos respectivos bairros no caso da saída das famílias, para que se evitem futuras invasões? Quem pagará as futuras moradias se a grande maioria dos moradores do bairro ponche verde não conseguiam pagar sequer uma conta de água de 6 reais? (ver matérias na página 4, 5 e 6) O que fará a Caixa Federal garantir as obras se já não garantiu no centro do município? Quem garantirá energia elétrica para o novo bairro se a CEEE deixa constantemente o Parque Eldorado às escuras? Quem garantirá a segurança das crianças que vão morar à beira da BR 290 onde o estado se recusa em colocar redutores de velocidade no perímetro urbano e o próprio governo federal retirou o posto da Polícia Rodoviária Federal alegando falta de contingente? Quem impedirá que o conjunto habitacional em questão vire uma cracolândia como aconteceu em Porto Alegre (Vila dos Papeleiros) se o distrito não possui delegacia de polícia e a Brigada Militar opera em condições precárias?

ECO

Jornal eco do Jacuí

Outubro/2013 - Primeira Quinzena

E não precisa ser gestor para isso !

Autoridades constituídas

Escapa ao entendimento, observar as estruturas de gestão que se sucedem no País, desde que o tornaram eunuco, lhe roubando o pauBrasil e estuprando suas índias. O mesmo, ocorre, nas “capitanias” que ainda se fazem hereditárias, tendo em vista que as Cartas Régias, continuam habilitando os “seus” ladrões com sucessivas trocas de quadrilheiros. Na linha seqüencial deste ‘furto hereditário, aportamos nos municípios que não “escapam” a sanha dilapidante do saque “real” ao erário público. Com seus experts saqueadores e demais asseclas de plantão – comprados e vendidos, por bem menos do que valem, moralmente. Nessa linha de entendimento, cabe questionar, por que, um município como Eldorado, com o potencial físicoestratégico que tem e com a arrecadação que tem, ao cabo de sua emancipação, ainda ofertar aos seus eleitores, o tipo de incompetência administrativa, que oferta??? Basta que se observe, a questão do lixo. Vez que, é inadmissível, um executivo que se preze, ter em seu quadro administrativo, um administrador, que se olvida da questão PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Disponibilizando administrativamente, secretários que desconhecem a ferramenta, planejar. Conhecessem, saberiam que estoques terminam e necessitam reposição. Funcionários que não cumprem o fim a que se destinam, carecem substituição. E não precisa ter bola de cristal para advinhar isso. Ora, se a empresa contratada não cumpre o contrato. Que se antecipe licitações no curso do contrato em uso, viabilizando ‘outra’ contratação nos moldes que se espera e deixa a ser substituída atuando enquanto isso, a que não falte – ainda que de forma falha – o atendimento às necessidades do povo. E não, romper contratos, privilegiando revezes, permitindo o emporcalhe da cidade e do ir-e-vir do cidadão e do povo que, quer queiram, quer não, continua pagando impostos, tendo sonegada a contra-partida num direito seu. Aí o povo se rebela e presenteia o gestor com o fruto da incompetência dos seus demandados. E convoca a mídia, que põe o município em evidência, pelo lado ordinário de seus incompetentes, que se negam a botar a cara na vitrine. E dizem de celebração de Contratos Emergenciais, para tal fim, via de regra, protagonistas de fraudes, como os que a Operação Muiska trouxe à luz e ainda investiga. E determinam datas, que chegam e que passam, não se cumprindo, novamente, o prometido. Há que se observar o seguinte: Um município, não é o quintal da própria casa. É um conjunto maior de valores, compromissos, crenças e votos de confiança. Administrar um município, ou qualquer outra instituição, assim como o quintal da própria casa, não é para quem quer e sim, para quem tem, competência e, não precisa ser gestor para isso!

CNPJ n° 06.894.675/0001-08 INSCRIÇÃO MUNICIPAL n° 4166-1

Tatiana Vasco Souza Braga Jornalista

Envie sugestões de pauta artigos denúncias reclamações para: jornalecodojacui@hotmail.com www.jornalecodojacui.com.br

Ion Marcelo Schmitt - Colaborador

Daniel Ribas - Jornalista Acadêmico de Gestão Pública www www.. jor nalecodojacui .com.br DO JACUÍ jor nalecodojacui @hotmail.com

COMPANHIA JORNALÍSTICA LTDA.

A Bíblia diz que todas as autoridades são constituídas por Deus, mas nem todas as autoridades são da vontade dEle, pois há a vontade diretiva e a permissiva de Deus. Hittler foi uma autoridade e com certeza não era da vontade de Deus, mas não teria sido quem foi se não fosse a permissão divina. Faraó era uma autoridade e exerceu sua autoridade debaixo da permissão de Deus, mas não de acordo com Deus. Portanto, é um grande equívoco dizer que temos que nos submeter à autoridade de todo e qualquer líder! Usar essa passagem de má fé em proveito próprio também é pecado. A Bíblia também fala em falsos profetas e eles existem com a permissão de Deus, estão nos púlpitos, estão empunhando uma Bíblia, dizendo que pregam em Nome de Jesus, mas não seguem realmente Seus preceitos. Portanto, todas as autoridades são constituídas por Deus, seja por sua vontade diretiva ou permissiva, mas nós cristãos só devemos nos SUJEITAR à autoridade de quem está PLENAMENTE DE ACORDO com a Palavra de Deus, só devemos nos submeter à autoridade de quem VERDADEIRAMENTE ESTÁ DEBAIXO DA AUTORIDADE DE DEUS! Digo por mim, meu maior temor é desagradar a Deus, é de estar destoando de Sua Palavra, por isso talvez, eu pense demais, analise demais, estude demais, e exatamente por temer desagradálO, observo muito todos os líderes, pois para me discipular, antes de ser pastor, acima de ser pastor, o homem (ou mulher) tem que ser ovelha de Cristo!

O Jornal Eco do Jacuí não se responsabiliza por conceitos expressos em artigos assinados.

Mercado Parque das Acácias JOMARIS Comércio de Alimentos

F: 9693 4071 / 9976 3724

3481 1540 Tele-Taxi 24 horas Bazar - Avon - Natura - Langery BR 290 - Km 142 - Estrada 22 N.46

* Colunistas e colaboradores do Jornal Eco do Jacuí não são remunerados. Av. Roque J. O. Giacomelli, 542 CEP 92990-000 Parque Eldorado Eldorado do Sul/RS Caixa Postal: 263

Contatos Fones: 3481 1142 9842 2659

Pág 02 outubro 1qz