Page 1

edição 1 - maio/ 2011

a v

i t

c e

p s

p

r e

TECNOLOGIA Ecologia nas alturas: O que fará da nova sede do Bank of America, em Nova York, o maior prédio verde do mundo

NATURAU Descaso ou falta de valores culturais? Prefeitura de Fortaleza tem feito pouco investimento nas áreas verdes da cidade.

PATRIMÔNIO Questão de Patrimônio: 17, dos 25 bens tombados de Fortaleza encontram-se em péssimoestado de conservação.

URBANISMo Melhorias no castelão para a copa de 2014: estádio de Fortaleza pretende ser o marco da revitalização urbanística

ENTIDADES E EVENTOS CAU: após décadas de luta, finalmente os arquitetos podem comemorar!


2

TÉCNOLOGIA O que fará da nova sede do Bank of America, em Nova York, o maior prédio verde do mundo Quando surgiram, no final do século XIX, os arranha-céus eram impressionantes apenas por manter-se de pé. Eles só se tornaram possíveis com uma revolução tecnológica na maneira de produzir o aço, na evolução dos elevadores, dos vidros e do concreto armado. Agora, eles avançam para outra revolução: ser ecologicamente corretos. O edifício Bank of America Tower, que deverá se tornar o segundo prédio mais alto de Nova York, é o melhor exemplo. O prédio, a ser inaugurado em fevereiro de 2008 como a sede nova-iorquina do Bank of America, espera ganhar a honraria máxima, a categoria platina, do conselho americano de prédios verdes. Mais de US$ 1 bilhão foram gastos no edifício de 288 metros e 55 andares, em construção em Manhattan, o lugar mais sofisticado de Nova York.

Os gastos para tornar o prédio ecológico correspondem a 3% do custo total da obra e devem se pagar em até quatro anos só com a economia de 50% no consumo de água e energia. Além disso, os projetistas acreditam que o ambiente de trabalho mais claro e saudável aumentará a produtividade dos funcionários.

Foto: Retirada da Internet


3

1- Reaproveitamento de água A água das pias, da chuva e do ar-condicionado será coletada para ser usada nas descargas dos banheiros e para irrigar o teto verde. A água capturada da chuva (95% do que cai sobre o prédio) deixa de ir para o sistema de esgoto da cidade. Quando sobrecarregado, o esgoto transborda e joga lixo no Rio Hudson 2 - Teto verde Para diminuir o aquecimento em torno do prédio, o topo do edifício terá uma área coberta com plantas 3 - Energia própria

Foto: Revista Veja

Uma usina no edifício vai gerar 70% da eletricidade a partir de gás natural, menos poluente que o carvão, usado nas termelétricas americanas

4 - Materiais recicláveis O concreto usado no Bank of America Tower é uma mistura de cimento com 45% de um material feito com sobras de minérios 5 - Tanques de gelo Máquinas instaladas no subsolo do prédio produzirão gelo à noite, quando a energia é mais barata, e abastecerão o ar-condicionado durante o dia 6 - Transporte público O Bank of America Tower terá poucas garagens para carros e dará acesso a 17 linhas de metrô. Quem quiser ir pedalando para o trabalho encontrará lugares para estacionar a bicicleta e chuveiros para tomar banho


4

Foto: Revista Veja

1- ILUMINAÇÃO NATURAL O prédio tem janelas panorâmicas. O objetivo é diminuir a iluminação artificial e proporcionar um ambiente mais agradável para os funcionários. Paredes duplas de vidro ajudarão a evitar que o prédio esquente, diminuindo o trabalho do ar-condicionado 2 - AR LIMPO O Bank of America Tower promete devolver para Nova York um ar mais limpo que o que entrou no edifício. Um sistema de filtros retirará 95% das partículas do ar. Sensores monitorarão o nível de gás carbônico nas salas e automaticamente aumentarão a quantidade de ar fresco 3 - AR-CONDICIONADO Os dutos serão no chão, e não no teto. O ar frio sai por orifícios no chão e sobe à medida que esquenta 4 - SISTEMA DE LUZES Serão usadas luzes LED, mais eficientes que as lâmpadas incandescentes. Sensores instalados nas salas acenderão as luzes apenas quando houver pessoas e a iluminação natural diminuir

Texto: Daniel de Amorim e Daniel Lima


Engenheiro cria habitação sustentável O “Cubo” de 3x3x3 criado pelo engenheiro Mike Page é um a proposta de habitação sustentável apresentada em Abril no Festival Internacional de Ciência de Edimburgo. O engenheiro Mike Page teve a idéia de fazer uma casa de 27 metros cúbicos com todo o mobiliário de uma habitação “normal”. Mas foi alem disso: O Cubo, como é chamada a casa, foi projetado para ser totalmente sustentável. A casa possui uma sala com uma mesa e duas cadeiras; um quarto, com uma cama de casal de 120 centímetros de largura; um banheiro, com pia e chuveiro; e uma cozinha, com fogão, armários, escorredor, pia e máquina de lavar roupa. Foto: Retirada da Internet O projeto custa em torno de US$ 80 mil. A energia necessária para o funcionamento da casa é obtida através dos oito painéis solares fotovoltaicos instalados no telhado e na parede externa do imóvel. Outra A iluminação provém de lâmpadas característica sustentável da casa é o de LED, tecnologia utilizada banheiro de compostagem, que transforma também no aparelho televisor os dejetos em material orgânico. encontrado na sala. O mobiliário é todo personalizado, feito com madeira de origem sustentável, que inclui duas poltronas projetadas por Mike Page e Davies Linden. Os estofados são de tecido especial, de 75% de lã e 25% de fibras derivadas de urtigas. O Colchão é de látex natural com cobertura de algodão orgânico. Texto: Avraham Guilherme e Isabelle Christinne Foto: Retirada da Internet

5


Por: Ana Maria Feitosa, Larissa Lima, Vanessa Alencar e Melriane Pimentel

R e f l ex õ e s

ao

O pouco investimento que a Prefeitura de Fortaleza tem feito nas áreas verdes da cidade é proporcional ao desinteresse da população. As zonas ambientais são pouco freqüentadas, e qual será o motivo? A cidade esta repleta de calçadas, canteiros e praças sem manutenção, sem incentivo dos órgãos públicos. Não existem parques públicos, onde as pessoas possam ir se divertir e passear. As poucas zonas que existem, por estarem nessa situação de abandono, estão sujeitas à violência e ao descaso. Onde está o começo do problema? No descaso das autoridades ou na falta de valores culturais da população? Em uma enquete feita no dia 06 de Maio de 2011 com trezentas pessoas, 84% delas responderam que tem consciência de não estimularem a criação de novas áreas verdes, alegando a existência de problemas mais sérios a serem resolvidos. A cidade está jogada ao vento.

paisagismo

de

Fo r t a l e z a

Parque Adahil Barreto/ Fortaleza-Ceará

NATURAU

6

Descaso ou Falta de Valores Culturais?

“Os Fortalezenses não têm consciência ambiental; aqui arrancam uma árvore por qualquer motivo; Fortaleza não é uma cidade agradável para caminhar, não há sombra” Marcelo Fortuna/ Arquiteto e Urbanista "A cidade de Fortaleza, conhecida como Terra do Sol, vem perdendo paulatinamente seu verde e se tornando um local insólito, com calçadas e canteiros desnudos, praças e parques com arborização descuidada e, em alguns casos, até inexistente. É sensível a todos os seus cidadãos, bem como aos visitantes, a crescente sensação de calor e aridez em seus espaços livres. Seria um grande presente à cidade e seus usuários a implantação de uma arborização adequada e eficiente, tratada e mantida dignamente ao longo do tempo, fornecendo ar fresco a todos e animando a paisagem com cores, formas, texturas e aromas, abrigando e fornecendo alimento à fauna, contribuindo com o solo e a drenagem. Só então teríamos uma Fortaleza de clima ameno." Fernanda Rocha - Arquiteta e Urbanista Trilha do Parque do Cocó/ Fortaleza-Ceará


Inovações Tecnológicas no Paisagismo Os recursos utilizados no paisagismo, passaram por uma grande modernização. Novidades que vão desde soluções para uma vida mais saudável, até produtos decorativos. Além das técnicas originais para harmonizar o ambiente, elas também facilitam o dia a dia das pessoas. Entre os novos aparelhos destacamos alguns mais técnicos e outros mais ornamentais. As tesouras telescópicas com serra, que cortam galhos de árvores com precisão e à distância, é um e x e m p l o d e u m instrumento que aumenta a produtividade e técnica. Foto retirada da internet Nos sistemas de irrigação, o mercado esta oferecendo equipamentos como temporizadores, que podem ser programados para regar as plantas duas vezes por dia. Estão sendo oferecidos também sensores de umidade instalados sob o solo, que garantem um nível de umidade constante, permitindo que mudas se desenvolvam satisfatoriamente, economizando água e

7

racionalizando mão de obra. Partindo para os equipamentos ornamentais, podemos destacar as caixas acústicas que se camuflam em jardins, emitindo sons da natureza e proporcionando um enorme bem estar. Estas caixas são desenvolvidas em formatos de itens da Foto retirada da internet natureza como pedras ou animais. Com os recurso naturais cada vez mais escassos, a preocupação em poupá-los se tornou cada vez mais frequente. Visando à sustentabilidade, as lâmpadas de LED ganharam cada vez mais status, sendo utilizados tanto nas áreas internas como nas externas, podendo modificar paisagens e sinalizar caminhos, dando destaque a ponto focais do jardim. Seu uso é facilitado com controle remotos com função de programação de horário, que pode até ser monitorado via internet. Ou seja, é possível fazer viagens despreocupadas.

UNIFOR Contempla o Paisagismo em seu Campus Desde sua fundação, a UNIFOR sempre teve a preocupação em dispor para seus alunos um espaço com conforto ambiental. Existe, também, interesse em introduzir plantas nativas, para estimular a flora nordestina. Todas as plantas estão identificadas por placas. Há em torno de 160 placas, quye classificam as plantas em arbusto, árvore e forração. Por todo seu empenho, a universidade já ganhou até prêmios ,como o Gentileza Urbana.

distribuídas nos quase 47 hectares do campus, optou-se pela delimitação de uma área a fim de servir de estudo para sua aplicação posterior em outros setores. Foi definido como projeto piloto o espaço livre circundante à Reitoria, por se tratar de uma localização estratégica em relação ao acesso do campus, e pela grande diversidade de vegetação. Pretende-se, com a utilização destas ferramentas, uma aproximação dos usuários da UNIFOR, alunos e comunidade, em busca da valorização de seu patrimônio vegetal através do conhecimento mais amplo de cada elemento que o compõe.

O projeto de sinalização das espécies vegetais que foi implantado tem como objetivo apresentar, além do cumprimento do que é solicitado, uma gama de possibilidades de aplicação no âmbito educacional e de divulgação da instituição. Em função da grande variedade de espécies vegetais existentes e

A proximidade que a universidade proporciona aos alunos da natureza, tem gerado elogios ao centro não só por parte dos acadêmicos, mas por todo o corpo docente. Foto retirada da internet


Entidades & Eventos EVENTOS NATIONAL HARDWARE SHOW 10 a 12 de maio de 2011 Local: Las Vegas, EUA

Arquiteto:

com uma trena na mão e muitas idéias na cabeça consegue transformar cimento em arte.

www.nationalhardwareshow.com

CONSTRUMAT 16 a 21 de junho 2011 Local: Barcelona, Espanha www.construmat.com

BUILDINGS & GREENBUILDINGS NY Local: Nova Iorque, EUA Junho de 2011 www.buildingsny.com

CERSAIE Local: Bolonha, ItáliaSetembro de 2011 www.cersaie.it

Após décadas de luta, finalmente os arquitetos podem comemorar O Ex – Presidente da República Luis Inácio da Silva sancionou no dia 30 de Dezembro de 2010 o PLC 190/10 que criou o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) e regulamentou a profissão de Arquitetura & Urbanismo. O Conselho passará a existir somente após 1° de janeiro de 2012, quando todos os conselhos regionais e o nacional estiverem funcionando. Além disso, os arquitetos e urbanistas continuam ligados ao sistema Confea/CREA ,por enquanto, mas que 90% do valor de anuidades e ARTs (Anotação de Responsabilidade Técnica) já serão repassadas ao CAU. Confira alguns dados importantes que irão mudar com o CAU:

METALCON 4 a 6 de outubro de 2011 Local: Itinerante (EUA) www.metalcon.com

GREENBUILD EXPO 04 a 07 de outubro de 2011 Local: Itinerante (EUA, Canadá) www.greenbuildexpo.org

8

Transição: As Câmaras de Arquitetura e Urbanismo dos atuais Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREAs) têm entre 90 e 360 Presidente Lula e representantes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) dias para convocar eleições para o CAU, dependendo do ritmo de cada Estado. Os CREAs ficam encarregados de organizar e repassar aos CAUs os documentos de todos os profissionais arquitetos e Texto: (fonte: normalmente. urbanistas registrados, para que oAndréa CAUFreitas funcione www.aot.com.br

Texto: Igor Ricarte (fonte: www.piniweb.com.br) Design: Carlos Renato


Entidades & Eventos Estrutura EVENTOS

THE BIG 5 Local: Dubai, Emirados Árabes Unidos Novembro de 2011 www.thebig5exhibition.com

Haverá presidentes em todos os Estados. Os arquitetos e urbanistas votarão, obrigatoriamente, em conselheiros regionais e nacional. Entre os representantes escolhidos, haverá uma eleição para

definir a Mesa de Coordenação do CAU, que inclui, entre outros cargos, o de presidente. O número de conselheiros de cada Estado será proporcional ao tamanho do Estado.

Registro CONSTRUCT CANADA

www.constructcanada.com

Após a instalação do CAU em cada Estado, o profissional deverá se registrar obrigatoriamente no Conselho para o exercício da profissão de arquiteto e urbanista. A contribuição será de R$ 350 anuais, reajustada de acordo com os índices oficiais, uma vez por ano.

BICES

Anotação de Responsabilidade Técnica

Local: Toronto, Canadá Dezembro de 2011

Local: Pequim, ChinaNovembro de 2011 www.e-bices.org

BATIMAT Local: Paris, França 1° a 06 de novembro de 2011 www.batimat.com

A ART terá um novo nome: Registro de Responsabilidade Técnica (RRT). O profissional deverá registrar sua movimentação técnica mediante pagamento de taxa de R$ 60. Os CAUs

regionais terão obrigação de registrar seu acervo, liberar certidões gratuitas quando for necessário e expedir documentos que comprovem suas habilidades e competências.

A sanção do PL contou com a presença do presidente da Federação Nacional dos Arquitetos (FNA), Angelo Arruda, o presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Gilson Paranhos, o presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), Ronaldo Rezende, e o presidente da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Abea), José Antonio Lanchotti.

Maiores Informacoes: www.cau.org.br

Texto: Andréa Freitas (fonte: www.aot.com.br Texto: Igor Ricarte (fonte: www.piniweb.com.br) Design: Carlos Renato

9


Entidades & Eventos Tóquio Congresso Mundial de Arquitetos UIA 2011

O UIA 2011 é o Congresso Mundial de Arquitetos, organizado pela União Internacional dos Arquitetos (UIA), no período de 22 de setembro a 01 de Outubro, em Tóquio, Japão. O UIA Congresso Mundial é um evento internacional importante de arquitetura que atrai cerca de 10 mil arquitetos, engenheiros, pesquisadores e estudantes. Desde a inauguração do World Congress, em Lausanne, Suíça, em 1948, teve lugar trienal em 23 cidades diferentes ao redor do mundo. Sobre o tema de "Design 2050", UIA 2011 TÓQUIO, o primeiro Congresso Mundial da UIA, no Japão, irá fornecer a

10

todos os participantes a oportunidade de discutir a futura arquitetura das cidades através dos vários programas, incluindo palestras, sessões técnicas, a concorrência internacional, workshops , exposições e passeios. Nesta edição, o evento propõe a temática Design 2050 e convida profissionais e estudantes a apresentarem trabalhos acadêmicos ou projetos arquitetônicos executados ou não – que imaginem a arquitetura e as cidades em 2050. As propostas podem se enquadrar em três subtemas: Meio ambiente, Trocas culturais e Vida.

Texto: Andréa Freitas (fonte: www.activetour.com.br) Design: Carlos Renato e Antonio Artur


Entidades & Eventos Uma resposta inovadora de jovens arquitetos para a arquitetura. “Mais do que quais são as novas respostas que esses arquitetos estão dando, interessa-nos saber quais são as perguntas que eles identificam como importantes e buscam responder através da arquitetura.” O fórum jovens arquitetos latino americanos tem como tema inserções numa realidade periférica. O evento, que acontece em Fortaleza Ceará, entre os dias 8 a 10 de junho, objetiva explorar a nova geração de arquitetos inseridos em contextos similares, procurando responder de forma inovadora às questões contemporâneas. É notória que a maioria dos arquitetos renomados atuem em realidades sócioeconômicas bastante distintas da nossa, e suas práticas nem sempre são possíveis de serem aplicadas em nosso cotidiano. Ao mesmo tempo q u e s e p r o c u ra u m a identidade para a arquitetura latinoamericana,são também levantados diversos questionamentos, quanto a união de elementos regionais à arquitetura de seus diversos países em um estilo latino-americano. No entanto, não há dúvidas de

que questões políticas, sociais e econômicas acabam aproximando a produção arquitetônica desses países. A nova geração de arquitetos da América latina dos últimos anos vem crescendo e desenvolvendo u m a p r o d u ç ã o arquitetônica de destaque. Isso prova que, mesmo sem grandes recursos e tecnologias muito avançadas, é possível fazer uma boa arquitetura. Assim, pareceu adequado explorar como esses arquitetos, inseridos em contextos similares, vem respondendo de forma

inovadora a questões contemporâneas, propondo novas maneiras de pensar e fazer arquitetura: ao gerar novos modos de se viver nas cidades; ao relacionar espaços e utilizar novos materiais e técnicas de construção de forma nacional, econômica e criativa. Mais do que quais são as novas respostas que esses arquitetos estão dando, interessa-nos saber quais são as perguntas que eles identificam como importantes e buscam responder através da arquitetura.

Texto: Priscila Caetano (fonte: www.arqbacana.com.br) Design: Carlos Renato e Antonio Artur

11


RBANISMO Melhorias no Castelão para Copa de 2014 Estádio de Fortaleza pretende ser o marco da revitalização urbanística Entre as melhorias que serão realizadas no estádio Castelão para receber os jogos da Copa do Mundo Fifa Brasil de 2014 está a ampliação da capacidade de público de 59 mil para 66.700 mil lugares, colocando Fortaleza como a única do Nordeste com capacidade para sediar uma semifinal, já que o exigido pela Fifa é de 60 mil pessoas. Em relatório oficial, a Fifa afirmou que o projeto do Castelão está apto para este fim, tendo em vista o detalhamento dos espaços descritos e a qualificação das áreas, especialmente de atletas, hospitalidade, VIP e imprensa. Outro ponto do projeto é a aproximação da área que separa o acesso dos torcedores sentados nas cadeiras inferiores do gramado. Com a reforma, essa distância cairá dos atuais 40 para 21 metros. Também serão realizadas mudanças nas cabines de imprensa, camarotes, vestiários, túneis de acesso ao campo, e nas cadeiras do estádio, que serão retráteis, entre outros pontos. Além disso, o estádio contará com um novo estacionamento para 1750 veículos. O estádio receberá também uma nova coberta que protegerá 100% dos torcedores de sol e chuva e irá ajudar substancialmente a qualidade da imagem das transmissões televisivas. Além disso, serão construídos um restaurante, mídia center, área de hospitalidade, lounge e área VIP. Todas as mudanças atendem às exigências do caderno de encargos da Fifa.

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Apesar de os investimentos previstos abrangerem diversos pontos, o grande foco será na área de transportes. Fortaleza pretende construir linhas de veículos leves sobre trilhos (VLT) para agilizar a movimentação da população entre as principais áreas da cidade, como o aeroporto e o estádio Castelão. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, deixou claro para todas as cidades que a prioridade da Fifa é com a questão dos transportes, principalmente aeroportos. O projeto do novo estádio é do arquiteto Ronald Werner, que inclui a elaboração de um plano para a orientação do crescimento urbano que será direcionado à parte sul da cidade. E isso compreende a ampliação da rede de transportes, melhorias em termos de adensamentos habitacionais e a criação de mecanismos que possam atrair investimentos privados. Além da ampliação do Parque Ecológico do Cocó, uma área de proteção ambiental com mais de mil hectares, que acompanha o curso do Rio Cocó.

Fonte: Site UOL - esporte

・Como reurbanizar as áreas adjacentes ao estádio e integrar o Parque do Cocó? Werner: O estádio foi analisado considerando o desenvolvimento urbano do entorno da obra com a elaboração de um plano diretor e plano-base para o bairro de Passaré. A proposta é dar sequência ao Parque do Cocó, aproveitando a geografia do local e com isso valorizar as áreas do entorno para um melhor desenvolvimento urbano. Para Ronald Werner, diretor do projeto do Castelão, “ o interessante desta obra é que o estádio se encontra em uma área urbana em vias de consolidação e este empreendimento, junto com o Centro Olímpico e o centro comercial que será ao lado do estádio e cuja construção está prevista para depois da Copa, será um motor de desenvolvimento e estabelecerá uma centralidade de animação urbana, já que todo o conjunto está previsto para receber vários outros eventos e, portanto, facilitar a sua sustentabilidade financeira”. Por: Bruna Guimarães e Tatiana Rocha Fonte: Jornal O Povo e Site cimento Itambé.

12


Urbanização do Projeto Vila do Mar Prefeitura pretende concluir a revitalização até o final de 2011 Iniciada a revitalização da avenida Costa Oeste e entorno da Praça Santiago, conhecido como Marco Zero de Fortaleza, na Barra do Ceará. As melhorias fazem parte do Projeto Vila do Mar, realizado pela Prefeitura de Fortaleza. Estão sendo investidos cerca de R$ 30,8 milhões, sendo 2 milhões empregados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Fundo de Habitação de Interesse Social (FNHIS) e 28 milhões pelo Governo do Estado. De acordo com a assessoria do Vila do Mar, a intenção é que a revitalização termine até o final de 2011. A empresa responsável pelas obras é a construtora Camargo Correia, escolhida através . de licitação pública. A avenida Costa Oeste possui 5,5 quilômetros e terá sua extensão totalmente urbanizada. Os moradores do entorno poderão usufruir de calçadões e ciclovias, além de um memorial da cultura que irá reunir obras culturais e artesanais dos artistas locais. A nova estrutura da orla contemplará a Praça do Peixe, que comportará um polo gastronômico e mercado para venda de peixes. Os pescadores receberão também galpões para reforma de embarcações nas quatro capatazias, ao longo do litoral oeste.

O projeto Vila do Mar reformou quatro espigões e construiu um novo quebra-mar que deu origem a um atracadouro de jangadas, no início da avenida Dr. Theberge. Os espigões contribuem para a contenção marítima. Junto à avenida serão construídos muros de proteção e realizado plantio de vegetação nativa para estabilizar as encostas. Também serão edificados equipamentos de lazer e ilhas de esporte, anexas ao calçadão do lado da praia, com quadra poliesportiva, pista de skate, anfiteatro e playground e um mirante para visitação e contemplação da paisagem. Ainda de acordo com a assessoria do órgão, o projeto de revitalização vai acabar com as áreas de risco. Os moradores serão levados para quatro conjuntos habitacionais que estão sendo construídos na avenida Francisco Sá. No total, serão entregues 1.434 unidades. As cerca de 50 barracas de praia que compõem a orla da Barra também serão requalificadas, transformando o local em um ambiente planejado, favorecendo a paisagem e o acesso aos estabelecimentos. Por: Ana Paula Oliveira

Fonte: Diário do Nordeste online

Fonte: Diário do Nordeste online

Curitiba é referencia para planejamento urbano Governador da capital do Sudão, destaca interesse pelo modelo curitibano de planejamento urbano e social. Em visita a capital do Paraná, liderada por Abd Elghani Elaim, embaixador do Sudão no Brasil, o governador de Cartum, Abdulrhman Ahmed Al Khidir, destacou interesse pelo modelo de Curitiba em relação ao planejamento urbano e social, podendo servir de guia para o novo plano diretor da cidade no Norte da África. “Planejamos a nossa cidade para daqui a 25 anos e o modelo de Curitiba nos interessa porque é o melhor”, afirmou o governador. A escolha por Curitiba se deu pelo conhecimento dos avanços da cidade na área do planejamento.

A comitiva sudanesa busca em Curitiba e no Paraná os exemplos de sucesso nas áreas do transporte, habitação, meio ambiente e de combate à pobreza. Fonte: Site Prefeitura de Curitiba.

A implantação de um sistema de transporte nos moldes do BRT curitibano é um dos pontos de maior interesse “Vamos enviar uma missão para ser treinada em Curitiba”, afirmou o governador Abdulrhman Ahmed Al Khidir. 13 Por: Giovanna Luiza Brito Fonte: Site Prefeitura de Curitiba.


Questão de Patrimônio Fotografia, a Escola Jesus Maria José, está Fortaleza fez aniversário recentemente, mas a notícia não é nada boa: 17, dos 25 bens tombados por leis municipais se encontram em estado de conservação ruim ou péssimo.

Em 2008, foi criada em Fortaleza, a Lei de proteção do patrimônio histórico e cultural da Cidade, que é colocada em prática pela Coordenação de Patrimônio Histórico e Cultural, ligada à Secretaria de Cultura d e Fo r t a l e z a (Secultfor), que tombou 15 bens nos últimos sete anos. Antes, houve tombamento em caráter municipal de apenas dez bens. Essa deveria ser uma notícia satisfatória para a preservação dos locais que tem importância histórica, memorialista ou cultural, mas não é dessa forma que acontece na prática. Em uma pesquisa feita pelo jornal O Povo, constatou-se que de 25 bens visitados, a conservação e a proteção está muito abaixo do que de imagina para bens tombados, apenas 32% encontramse em bom estado. No Mercado da Aerolândia, o descaso e a pobreza são muito evidentes, o teto está bastante danificado, o piso falhado, a armação metálica trazida da França em 1897 enferrujada, a pintura descascada e muito mau cheiro, além de relatos de focos de dengue. Hoje restam apenas 3 comerciantes, dos 50 que existiam há pelo menos uma década. Infelizmente, a situação precária do espaço se repete, de diferentes formas, em outros sete lugares tombados pelo Município, são eles: a Casa do Barão de Camocim, a pavimentação da rua José Avelino, o Riacho Papicu e suas margens, a Escola Jesus Maria José, o Teatro São José, a Casa Raquel de Queiroz e o Cine Messejana. Apesar 14 dos projetos para que se torne

com parte do teto caído e funcionários relatam que no interior do local há lama por toda parte, focos de dengue, e que apesar de a população vizinha reclamar, nem a administração do local e o governo municipal tomam providencias para acabar com esses focos. “Enquanto as licitações, as verbas, e as análises são feitas, a instância responsável pelo tombamento pode tomar atitudes, como escoramento de paredes e até reformas de urgência, para que os prédios não se destruam”, diz a arquiteta Célia Perdigão, do Instituto Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan), órgão federal responsável pelos tombamentos e fiscalização, ao explicar que o processo de tombamento é longo. Foto: Rafael Cavalcante

Já o arquiteto e urbanista, professor da Universidade Federal do Ceará, Romeu Duarte, afirma que apesar da boa vontade, as secretarias de Cultura, em geral, não tem grandes verbas. E que deveria haver ações conjuntas que envolvessem políticas de habitação, educação e lazer para que o tombamento fosse uma prática eficiente. O não envolvimento da população em questões relativas à preservação é outro grande problema apontado pelos arquitetos. “Em Fortaleza, existem ações pontuais e isoladas, como, por exemplo, a movimentação popular que conseguiu que não se destruísse a Estação Ferroviária da Parangaba. Mas o desrespeito por parte da população acontece”, reclama Duarte. Célia é um pouco mais otimista: “Apesar de não serem muitos, existem núcleos que buscam essa preservação. A situação vem melhorando”. Por Bianca Nobre - Fonte: Jornal o Povo


Patrimônio histórico preservado nas ruas de Icó A beleza e a arquitetura dos prédios de Icó enaltecem aos olhos. O município tem várias áreas tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e todas requerem cuidado, pois contam um pouco da história do município e assim ajudam a preservar a riqueza cultural do espaço. É lá onde estão as principais edificações: os prédios mais antigos, o teatro, a Prefeitura e a câmara, que constituem o núcleo de origem da cidade. Muito da arquitetura de Icó tem influência de Portugal, da época de colonização. Azulejos portugueses são encontrados até hoje em muitos prédios do município, explica Erick Mendes Rolim, chefe do escritório técnico do Iphan em Icó. O arruamento também é histórico. Há mais três pontos separados que também são tombados pelo Iphan: - a Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Monte (Igreja do Monte), o antigo mercado principal e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. A poligonal do entorno também é uma área de proteção sob a tutela do Instituto. Pode sofrer intervenção mais drástica que a área do núcleo principal, mas só até certo nível. De acordo com Erick Rolim, o Iphan é responsável por sempre fiscalizar o modo que as modificações nos prédios tombados estão sendo feitas. Os moradores precisam enviar um requerimento detalhando o que querem alterar na paisagem do imóvel. Depois de analisada pelo Iphan, a solicitação é ou não aceita pelo Instituto. O importante é que o imóvel não perca características tradicionais. Foto: Rafael Cavalcante

A Lei de Proteção do Patrimônio Histórico e Cultural, Nº 9.347, de 2008, faz com que o tombamento passe pela por um processo de análise do Conselho Municipal de Patrimônio (Comphic). Se o bem for privado, a Prefeitura não arca com as despesas de restauro, mas prevê incentivos.

Só na área poligonal de tombamento, são 268 imóveis - o que corresponde a 12,35 hectares.

Para financiar a reforma de imóveis privados, o Ministério da Cultura e o Iphan criaram o programa Monumento. Disponibilizaram recurso para os moradores, que podia ser pago em até 20 anos. Icó teve a maior adesão do País. Foto: Rafael Cavalcante

Para os que resistem à preservação do que ainda existe e querem reformar sem autorização, o Instituto embarga a obra e o proprietário responsável paga os custos. Edifício tombado, por exemplo, não pode ser derrubado. O responsável é punido com auto de infração além de multa. Deve também reparar o dano. “Se o proprietário insistir, a gente aplica a multa”, explica Erick. Em casos em que o proprietário reforma o local sem autorização do Iphan, é preciso uma intervenção da Justiça. Construção de pavimento superior em prédios tombados, por exemplo, não é aceito. Por Raquel Lopes - Fonte: Jornal o Povo

15


Unesco avalia Rio de Janeiro como patrimônio da humanidade A cidade informalmente titulada de cidade maravilhosa pode se tornar patrimônio da humanidade. O dossiê da candidatura do Rio de Janeiro, na categoria paisagem cultural, foi aceito pelo Centro do Patrimônio Mundial da Unesco. A decisão final será divulgada em 2012. No Brasil, são 18 os bens culturais e naturais reconhecidos pela Unesco, dos 911 listados, entre os quais, o Pantanal e o conjunto arquitetônico de Ouro Preto (MG), mas nenhum em território fluminense. O Morro da Urca, o Pão de Açúcar, a Floresta da Tijuca, a paisagem formada pelo Cristo, o Morro do Corcovado, o Jardim Botânico, as intervenções de Burle Marx no calçadão de Copacabana e o Parque do Flamengo, todos serão analisados pela comissão da Unesco que virá ao Rio. A decisão final será divulgada na 36ª sessão do comitê, prevista para ocorrer em meados de 2012. “A candidatura do Rio de Janeiro nunca havia sido apresentada

porque a questão que se colocava era pensar a cidade como centro histórico ou paisagem natural. Mas o Rio foi muito descaracterizado no seu centro histórico. Não teria sentido uma candidatura tradicional do ponto de vista das edificações", explica o presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Luiz Fernando de Almeida. Foi preciso pensar o que tornava o Rio tão especial e que garantiu a alcunha de Cidade Maravilhosa, cravada pelo escritor maranhense Coelho Neto, numa crônica publicada em 1908, no jornal "A Notícia". "O valor patrimonial mais importante do Rio de Janeiro é a relação entre a paisagem construída e a paisagem natural", afirma Almeida. Por Priscila Maia- Fonte: Diário do Nordeste

Foto: www.monsores.net

Caatinga pode virar Patrimônio

Foto: www.iguatu.org

Ministério do Meio Ambiente, parlamentares e organizações não governamentais (ONGs) participaram de uma audiência pública na Câmara dos Deputados para debater a Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que transforma a Caatinga e o Cerrado em patrimônios nacionais.

O pesquisador e chefe-geral da Embrapa Semiárido, Natoniel Franklin de Melo, defendeu a aprovação, pelo Congresso Nacional, da proposta que torna a Caatinga um patrimônio nacional. "Nosso objetivo é propor junto à sociedade e com o parlamento, soluções e alternativas sustentáveis para nosso bioma", disse. E em comemoração ao Dia Nacional da Caatinga, representantes do

16

Segundo o pesquisador da Embrapa, 45% da área da Caatinga já foram alteradas pela ação humana. Para Melo, a degradação ambiental é conseqüência do uso insustentável de solos e recursos naturais nos últimos anos. Ele acredita, entretanto, que a consciência da população em relação à importância da Caatinga tem aumentado. A Comissão de Meio Ambiente da Câmara trabalha para colocar o projeto da Caatinga em votação no início de junho, durante a Semana Nacional do Meio Ambiente. Por:Érika Nayara - Fonte: Diário do Nordeste


Perspectiva  

Jornal da disciplina de Comunicação Visual 1 da UNIFOR

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you