Issuu on Google+

OBRAS DO ACERVO Sorocaba


V

ocê sabia que O Sesc possui um variado acervo de obras de arte distribuído entre suas unidades? Em uma instituição cultural, podemos definir acervo como um conjunto de obras que integram seu patrimônio material. Assim, um acervo pode ser organizado em diferentes coleções, ou seja, divididos em conjuntos de obras com características em comum. O Sesc Sorocaba possui, em seus espaços, obras de arte brasileira de 20 artistas e tem o prazer de convidá-los para uma experiência de apreciação sobre temas que envolvem artistas naïfs e contemporâneos. Arte Naïf

Ao lado: Fabricio Lopez Sem título Xilogravura 2010

As obras de arte naïf entraram para o acervo do Sesc pelas Bienais de Arte Naïf, organizadas no Sesc Piracicaba desde 1992.

A origem do termo ‘naïf’ é francesa e significa inocente, ingênuo, simples, verdadeiro, natural, espontâneo e sem artifício. Este termo foi adotado para designar a arte tradicional popular, produzida por pessoas sem formação erudita em artes e tem por atributos tratar de temas queridos ao povo brasileiro, como nossa paisagem, religiosidade e imaginário fantástico, por meio de uma descrição visual detalhada desses assuntos com cores puras e contrastantes entre si. Um dos maiores expoentes da arte naïf brasileira, reconhecido internacionalmente, se chama Waldomiro de Deus, do qual o Sesc Sorocaba possui duas obras. A coleção de arte naïf do Sesc Sorocaba pode ser apreciada na Comedoria.


V

ocê sabia que O Sesc possui um variado acervo de obras de arte distribuído entre suas unidades? Em uma instituição cultural, podemos definir acervo como um conjunto de obras que integram seu patrimônio material. Assim, um acervo pode ser organizado em diferentes coleções, ou seja, divididos em conjuntos de obras com características em comum. O Sesc Sorocaba possui, em seus espaços, obras de arte brasileira de 20 artistas e tem o prazer de convidá-los para uma experiência de apreciação sobre temas que envolvem artistas naïfs e contemporâneos. Arte Naïf

Ao lado: Fabricio Lopez Sem título Xilogravura 2010

As obras de arte naïf entraram para o acervo do Sesc pelas Bienais de Arte Naïf, organizadas no Sesc Piracicaba desde 1992.

A origem do termo ‘naïf’ é francesa e significa inocente, ingênuo, simples, verdadeiro, natural, espontâneo e sem artifício. Este termo foi adotado para designar a arte tradicional popular, produzida por pessoas sem formação erudita em artes e tem por atributos tratar de temas queridos ao povo brasileiro, como nossa paisagem, religiosidade e imaginário fantástico, por meio de uma descrição visual detalhada desses assuntos com cores puras e contrastantes entre si. Um dos maiores expoentes da arte naïf brasileira, reconhecido internacionalmente, se chama Waldomiro de Deus, do qual o Sesc Sorocaba possui duas obras. A coleção de arte naïf do Sesc Sorocaba pode ser apreciada na Comedoria.


Waldomiro de Deus Souza Revolução Através da Fé Acrílico sobre tela 2000


Waldomiro de Deus Souza Lagoa Rodrigo de Freitas AcrĂ­lico sobre tela 2000


Juracy Auxiliadora G. Melo Fazenda Bonsucesso I AcrĂ­lica sobre tela 2002


Juracy Auxiliadora G. Melo Fazenda Bonsucesso II AcrĂ­lica sobre tela 2002


Juracy Auxiliadora Marinaldo G. Melo Santos Fazenda Bonsucesso PensandoI em Voar Acrílica sobreAcrílica tela 2002 2004


Marinaldo Santos Açaí da Terra Acrílica 2004


Paulo Gilvan Duarte Bezerril Ordem, FĂŠ e Progresso Esmalte, acrĂ­lica s/ duratex 1993


Lenice Lopes da Silva Brincadeiras de Sacis AcrĂ­lica sobre tela 1994


Arte Contemporânea

A

lém das obras de artistas naïfs, também podem ser contempladas obras de arte contemporânea. Entre essas obras, a mais antiga da coleção exposta no Sesc Sorocaba data de 1969. Pintada por Cláudio Tozzi, a obra Astronauta está exposta na Biblioteca.

Cláudio Tozzi Astronauta Liquitex sobre duratex 1969


A

palavra ‘contemporâneo’ diz respeito àquilo que é ‘do mesmo tempo ou da mesma época’. Segundo alguns teóricos, arte contemporânea é aquela produzida a partir dos anos 1960 e costuma ser criada em um contexto urbano, levando em conta as imagens e os recursos da cultura de massa - como televisão e novas mídias eletrônicodigitais, podendo abordar conteúdos políticos e sociais deliberados e o uso de materiais, técnicas e linguagens diversas e não tradicionais. Além de Claudio Tozzi, Nino Cais é outro artista integrante da coleção de arte contemporânea. Participou da 30ª Bienal de Arte de São Paulo, ocorrida em 2012. Dois de seus trabalhos, bastante ilustrativos do que é arte contemporânea, fazem parte da coleção do Sesc Sorocaba e estão expostos no primeiro andar, próximos à Clínica Odontológica.

Nino Cais Panelas de alumínio e cabo de aço 2004/2012


Nino Cais Marreta (marreta, xícaras e cabo de aço) 2012


A

o longo de seu caminho pelo Sesc Sorocaba estão dispostas 36 obras.

Percorra esse caminho com um olhar cuidadoso sobre seu acervo artístico em exposição permanente nos seus mais diferentes espaços, tentando fazer relações de aproximação e distanciamento entre as obras descobertas. Procure formar opiniões sobre os trabalhos e perceber como eles lhe afetam. Bom passeio!


Localização das obras - Acervo da unidade

28 29

23 26 27

24

25

22 30 31

17 18

13

14 11 12

15 32 16

20

19

8 33

21

5 9

1 6

2

10

7

3

4

34


1

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-3C Encaustica s/ duratex 1989

2

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-6A Encaustica s/ eucatex 1989

3

Luis Paulo Baravelli Lalis N-3 Encaustica s/ eucatex 1989

4

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-4 Encaustica s/ eucatex 1989

5

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-5 Encaustica s/ eucatex 1989

6

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-6 Encaustica s/ eucatex 1989

7

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-7 Encaustica s/ eucatex 1989

8

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-8 Encaustica s/ eucatex 1989

9

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-6B Encaustica s/ eucatex 1989

10

Luiz Paulo Baravelli Lalis N-6C Encaustica s/ eucatex 1989


11

Waldomiro de Deus Souza Revolução Através da Fé Acrílica sobre tela 2000

12

Waldomiro de Deus Souza Lagoa Rodrigo de Freitas Acrílica sobre tela 2000

14

Juracy Auxiliadora G. Melo Fazenda Bonsucesso II Acrílica sobre tela 2002

15

Marinaldo Santos Pensando em Voar Acrílica 2004

13

Juracy Auxiliadora G. Melo Fazenda Bonsucesso I Acrílica sobre tela 2002

16

Marinaldo Santos Açaí da Terra Acrílica 2004


17

Paulo Gilvan Duarte Bezerril Ordem, Fé e Progresso Esmalte, acrílica s/ duratex 2002

18

Lenice Lopes da Silva Brincadeiras de Sacis Acrílica sobre tela 1994

19

Renato Brunello O Tempo Escultura 2004


20

Luiz Paulo Baravelli Em Louvor de Algo Acrílica sobre madeira recortada 1994

23

Anna Maria Maiolino 9 Segmentos Metal fundido sobre mesa de metal 2008

21

Fabricio Lopez Sem Título Xilogravura 2010

22

24

Cláudio Tozzi Astronauta Liquitex sobre duratex 1969

Julio Cesar Villani Saída de Emergência Acrílica sobre tela 2003


25

Gustavo Rosa Sem título Gravura 1979

28

Nino Cais Panelas de alumínio e cabo de aço 2004/2012

26

Perez Sola Sem título Gravura Sem data

29

27

Nino Cais Marreta (Marreta, xícaras e cabo de aço) 2012

Perez Sola Sem título Gravura Sem data


30

Lenine de Lima Medeiros/ Delima Ritmo Blue em Contraluz Acrílica sobre tela 1990

32

Reinaldo José da Silva Muitos Talheres Para Minha Cabeça 1998

31

33

Thereza Salazar Série Sortilégios (Leviatã) 2012

Aldemir Martins Sem Título Gravura 1979

34

Thereza Salazar Stand Still 2011


36

35

Francisco Brennand / Francisco de Paula Coimbra de Almeida Árvore da Vida Escultura em cerâmica 2012

Francisco Niedzielski Vesícula Triangular Alumínio pintado 2012



Visita ao Acervo - Boneco