Page 1

Domingo, 18 de novembro de 2012 – Ano IV, Número 202

Informativo - IPC

PASTORAL

A Motivação da Pregação de Cristo “E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades. Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não tem pastor”. Mateus 9:35-36

S

abemos que Cristo era motivado por seu amor e obediência ao Pai (Jo. 15:10), bem como em cumprir as obras de Deus (Jo. 4:34) e glorificar a Deus (Jo. 17:4), todavia, nesta passagem, temos um vislumbre de algo a mais em sua motivação em ir a pé por cidades e povoados, ensinando e pregando o evangelho do reino. O jeito como Jesus via as multidões é contagiante. Ela via aquelas pessoas, cada uma delas individualmente e sabia que os seus caminhos eram caminhos de morte e perdição. Estavam como num barco indo a pique numa terrível tempestade. Jesus as via como pessoas aflitas ( – soltas, aflitas, incomodadas), exaustas ( – exaustas, errantes, abandonadas, jogadas fora), como ovelhas sem pastor. Ele via a miséria que aquelas pessoas estavam vivendo, sem ninguém por elas, guiadas às cegas, sem rumo, alvos fáceis do maligno, caminhando para sua destruição. Hendriksen acentua que a miséria humana no coração de Deus é aqui uma motivação verdadeira para que Cristo salve seus eleitos: “Jesus coloca a condição deles no seu coração. Ele é profundamente movido pela compaixão e solidariedade... As dores do povo são as dores do próprio Cristo, porquanto ele ama ternamente a essas pessoas sobrecarregadas. Ele sofre profundamente com elas e se prontifica a ajuda-las. Jesus os vê como somente ele é capaz, com seu coração maravilhosamente compassivo, vê-los, ou seja, como ovelhas cujos pastores as abandonaram, e, portanto, estão perecendo na estepe árida e varrida pelos ventos”.

IPC

- Interessados pela Palavra de Deus

Tal visão move as entranhas de Jesus. Ele se compadece destas pessoas, seu coração é sensibilizado com tamanha perdição. E este sentimento dentro do coração do Mestre o leva a dirigir-se aos seus discípulos com palavras orientadoras: “E então se dirigiu a seus discípulos: A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para sua seara” (Mateus 9:3738). Note que Jesus pregou àquelas pessoas, curou os doentes, trouxe esperança aos perdidos, perdão aos cansados, direção aos desorientados. Fico a imaginar a satisfação do coração do mestre bem como a dos discípulos extasiados com tamanha demonstração de amor. Neste momento ele olha para os poucos discípulos que tinha e para a realidade da obra do Senhor e declara o tamanho enorme da tarefa da evangelização contrastado com o tamanho minúsculo dos obreiros da seara santa. Somente com uma motivação maior, alguém poderia trabalhar nesta obra. Somente se os olhos forem desvendados para enxergar a realidade espiritual das pessoas, ver a miséria em que elas estão, conseguir perceber o que está além do exterior e com entendimento espiritual reconhecer que se uma pessoa ainda não conheceu efetivamente o unigênito Filho de Deus, esta pessoa é digna de

- Prestando Serviço em Amor

lástima, de misericórdia, pois é um perdido sem direção. Suas palavras tolas são reflexo de sua alma vazia, e de seu coração morto. Olhar para as multidões aflitas e exaustas num caminho beirando a morte deve nos levar a atender ao pedido do mestre e orar: “Manda, Senhor, trabalhadores para a tua seara! Faz de mim um fiel pregador da tua Palavra. Dá-me entendimento e sabedoria para deixar os outros trabalhos e me dedicar a este trabalho de valor eterno – salvar vidas que estão a ponto de naufragar”. A motivação de Cristo não era simplesmente um sentimento vago de compaixão, pena daquelas pobres pessoas. Sua misericórdia o leva a ação. Ao ver as pessoas aflitas e exaustas, seu coração santo se enchia de vontade de ajudar. Não ficava só na clemência e indulgência, mas partia para ação transformadora da realidade. E isso só poderá acontecer com a pregação do evangelho. Certamente que a motivação de Cristo registrada aqui deve ser observada pelos cristãos que desejam transmitir o amor de Deus por meio da pregação do evangelho. De um lado, motivados pela ordem de nosso Senhor a quem amamos, e por outro, com o coração doído só de pensar na condição espiritual das pessoas sem Cristo, ou seja, o amor aos pecadores perdidos. Isso motivou o coração do Jesus. Isso deve motivar nossos corações também.

Daniel Alves Pastor da IPC

- Cultuando ao Deus vivo

www.ipcanoas.com.br


Domingo, 18 de novembro de 2012 – Ano IV, Número 202

Informativo - IPC Somente na IPC

Programe-se

ANIVERSARIANTES DO MÊS DE NOVEMBRO 01 - Manoela dos Santos Abreu Silva 01 - Gabriel Reis dos Santos 05 - Débora da Silva 06 - Ester Ivoni da Silva Gorski 09 - Luiza Rodrigues Vanderley 16 - Carolina Silva Pereira 21 - Lisandra Lopes Martins 25 - Ângela 27 – IPC (13 anos) 27 - Ana Rebecca Nogueira Nunes 29 - Douglas Marques Martins PARA PENSAR... Juntos podemos propagar com mais eficiência o evangelho em nosso país e no exterior. Podemos fazer isso por meio de nossas palavras, enquanto compartilhamos as boas novas com os outros e ajudamos os outros a fazer isso. Por sua natureza, uma igreja local é uma organização missionária. E apoiamos este empreendimento missionário com nossas ações, à medida que mostramos o amor de Deus, suprindo as necessidades de órfãos e de outros desfalecidos. Promovemos o evangelho ao cooperarmos para leva-lo àqueles que ainda não o ouviram, bem como ao torna-lo visível ao mundo por meio de nosso viver. Embora sejamos imperfeitos, se o Espírito de Deus estiver realmente agindo em nós, Ele usará nossas vidas para demonstrar aos outros a verdade de seu evangelho. Este é um papel especial que temos agora e não o teremos no céu – ser parte do plano de Deus, de levar seu evangelho ao mundo.

Viagem missionária 2013 De 08 a 12 de fevereiro de 2013 – Montevideo – Uruguay

Aguarde!

Mark Dever

APRENDENDO SOBRE A BÍBLIA CAPÍTULO I - DA ESCRITURA SAGRADA VII. Na Escritura não são todas as coisas igualmente claras em si, nem do mesmo modo evidentes a todos; contudo, as coisas que precisam ser obedecidas, cridas e observadas para a salvação, em um ou outro passo da Escritura são tão claramente expostas e explicadas, que não só os doutos, mas ainda os indoutos, no devido uso dos meios ordinários, podem alcançar uma suficiente compreensão delas. II Pedro 3:16; Sal. 119:105, 130; Atos 17:11.

IPC

- Interessados pela Palavra de Deus

- Prestando Serviço em Amor

- Cultuando ao Deus vivo

www.ipcanoas.com.br


Domingo, 18 de novembro de 2012 – Ano IV, Número 202

Informativo - IPC

DIA

PREGADOR

DIÁCONOS

BERÇARIO

CORDEIROS

JUNIORES

TEEN

BASES DA FÉ

18 EBD

Rev. Daniel Alves

Rogério e Valdemar

Joselita e Daniela

Juçara

Rosane

Reinaldo Cynthia

Everton

18 Culto

Rev. Samuel

Márcio e Nunes

Katia e Ana Rebeca

Karen

Deise e Carolina B.

-

-

25 EBD

Rev. Daniel Alves

Françoa e Roney

Elini e Thayna

Lisandra

Rosane

Reinaldo Cynthia

Daniel Alves

25 Culto

Rev. Sérgio Lima

Rog. Moura e Flávio

Luana e Chloé

Daniel Rosberg

Iracema e André

-

-

-

-

ADULTOS

Se não puder estar presente no dia escalado, providencie o substituto e informe ao pastor

IPC

- Interessados pela Palavra de Deus

- Prestando Serviço em Amor

- Cultuando ao Deus vivo

www.ipcanoas.com.br


Domingo, 18 de novembro de 2012 – Ano IV, Número 202

Informativo - IPC

LITURGIA • Prelúdio A IGREJA ADORA AO DEUS CRIADOR - Leitura bíblica: Salmo 148 - Hino “Coroação” HNC nº 28 - Oração A IGREJA CONFESSA AO DEUS REDENTOR - Leitura bíblica alternada: Efésios 4:17-32 - Leitura bíblica: Lucas 7:36-50 - Oração Silenciosa (Interlúdio musical) - Oração Intercessória - Hino “Perdão” HNC nº 71

Tema: Texto: Anotações:

A IGREJA LOUVA AO DEUS SALVADOR - Leitura bíblica: Isaías 38:17-20 - Cânticos congregacionais - Oração de louvor - Oração (saída das crianças) A IGREJA APRENDE PELA PALAVRA DE DEUS - Mensagem: Rev. Samuel Bezerra A IGREJA PROCLAMA AS MARAVILHAS DE DEUS - Consagração de Dízimos e Ofertas - Hino do mês “Proclamação” HNC nº 309 - Oração Final - Bênção Apostólica - Amém Tríplice • Poslúdio

Nossos Contatos Pastor Efetivo: Rev. Daniel Alves da Costa (51) 3059-9578 / 8111-9569 E-mail: pr.daniel_alves@hotmail.com Pastor Emérito: Rev. Floyd Eugene Grady In memorian (51) 3501-4522 – Marina (viúva) Vice-Presidente: Pb. Antônio Ricardo Marinho (51) 3466-2503 / 9981-7681 E-mail: amarinho@espm.br 1º Secretário: Pb. Vilmar Diemer de Oliveira (51) 3059-3153 / 9823-1822 E-mail: vilmardiemer@gmail.com 2º Secretário: Pb. Paulo Rodrigues Wanderley (51) 3471-3493 / 9909-7038 E-mail: pauloswander@bol.com.br

Rua 383 - N. S.pela das Graças; (RS) - CEP 92110-040 -Serviço Fone: (51) ipcanoas@ipb.org.br IPCda Figueira, - Interessados PalavraCanoas de Deus - Prestando em3059-9577 Amor - E-mail: - Cultuando ao Deus vivo

www.ipcanoas.com.br

Informativo IPC nº 202  

Boletim semanal da Igreja Presbiteriana de Canoas

Advertisement