Issuu on Google+

06

Novembro 2011

ENTREVISTA

Conheça a carreira de sucesso da cover da Britney

Thammy Spears

AIDS AIDS AIDS

OLIMPÍADAS

Atletas e gays. Por que não? Conheça o Jogos Nacionais da Diversidade

DENÚNCIA

A psicóloga que posta mensagens homofóbicas no twitter

MADRI A capital europeia ideal para os turistas gays

HÁ 30 ANOS, O DESAFIO PELA VIDA TRÊS DÉCADAS DEPOIS DO SURGIMENTO DA AIDS NO MUNDO, ACOMPANHE UMA RETROSPECTIVA DO AVANÇO DA DOENÇA NO PLANETA, AS MORTES QUE ELA JÁ CAUSOU E A ATUAL REALIDADE DA MEDICINA PARA COMBATER ESSA PRAGA, QUE, ERRONEAMENTE É ASSOCIADA À HOMOSSEXUALIDADE.


expediente contato@revistalabel.com.br

DIREÇÃO EDITORIAL Danilo Brasil e Liliane Paes Barreto EDITOR-CHEFE Danilo Brasil EDITORA ASSISTENTE Liliane Paes Barreto PROJETO GRÁFICO Lukas Pimentel DIAGRAMAÇÃO Tag Comunicação Integrada ASSESSORIA DE IMPRENSA Tag Comunicação Integrada DESENVOLVIMENTO WEB R& P Informática CONSULTORIA Fernando Correia ASSESSORIA DE IMPRENSA Tag Comunicação Integrada

COLUNAS Flaviano Quaresma Janaina Ventura Lukas Pimentel Thulio Falcão Wallace Gael COLABORADORES Para se tornar um colaborador da Revista Label, envie um e-mail para danilo@revistalabel.com.br informando como deseja atuar ATENDIMENTO AO LEITOR Para enviar sugestões, crítica, elogios ou enviar algum texto para seção Espaço do Leitor, envie e-mail para cartas@revistalabel. com.br ou ligue para (11) 87078217 ou (81) 9874-0816 ANÚNCIOS Para divulgar a sua marca na Revista Label, envie um e-mail para comercial@revistalabel.com. br


VOZ

Difícil seria achar alguma semelhança afetiva entre os presidentes Barack Obama, Hu Jintao, Hugo Chávez e Nicolas Sarkozy. Difícil, mas não impossível e a grife italiana Benetton achou. Todos eles, entre outros líderes políticos, incluindo o Papa Bento XVI, são os protagonistas de uma campanha publicitária lançada pela grife essa semana. Intitulada “Unhate” ou “Deixe de Odiar”, a ação é uma forma agressiva – e bem homossexual – de dar um up na marca italiana, que perdeu força para as suas concorrentes nos últimos anos. A Benetton ficou conhecida no início dos anos 80 também com

Por Danilo Brasil

carta do editor danilo@revistalabel.com.br

O PAPA GAY

PARA LER OUVINDO Katy Perry - Last Friday Night

campanhas. Em meados da década, Oliviero Toscani criou a primeira de várias campanhas multirraciais com o slogan “United Colors of Benetton”. Uma década depois, a grife adotou temas mais sérios, como a Aids e as baixas da Guerra do Golfo, que se distanciaram do produto nas lojas. A onda culminou numa propaganda que mostrou detentos no corredor da morte para fazer campanha contra a pena capital. Ainda não é possível saber se a campanha vai colher saldo positivo na prática, mas independente disso, a Benetton voltou a ser uma das marcas mais faladas do mundo.


VOZ

espaço do leitor cartas@revistalabel.com.br

PARA LER OUVINDO Shakira - Rabiosa

EUROPA: EXPECTATIVAS E IGUALDADE Por Rhoger Marinho Por Rhoger Marinho Com a aproximação da minha viagem para a Europa, resolvi compartilhar com vocês um pouco da minha ansiedade e das minhas programações. Bom, a Europa sempre foi um lugar que despertou minha curiosidade e que eu sempre quis conhecer, por toda sua importância. Quem nunca se encantou com as histórias Greco-Romanas? Impérios, Dominações, Arquitetura. E o que dizer de toda importância artísticocultural? Renascimento, Reforma Protestante, Iluminismo... E a importância mundial? Revolução Francesa, Revolução Industrial, Guerras Mundiais. Sim, eu adoro história. Além disso, a Europa também é uma referência no que se diz respeito aos avanços no combate a homofobia, direito LGBT, entre tantas outras ações em prol dos homossexuais. Na atualidade, o que mais chama a atenção dos turistas do mundo

inteiro são as diferenças culturais de cada país desse continente. França, em sua capital chique, moderna e elegante – Paris – com a sua tão famosa Torre Eiffel e Museu do Louvre. Itália, um resumo do bom gosto europeu, com seus vários locais famosos a se visitar, cada um por um motivo diferente: o romantismo de Veneza, a história de Roma, a religiosidade do Vaticano, a arte e a cultura de Florença. Reino Unido, representado pela imponente Inglaterra. Impossível passar por Londres e não ver a maior mistura de etnias do mundo, o Palácio de Buckingham, a London Eye e o relógio mais famoso do mundo, no Parlamento Britânico. Enfim, são muitas coisas a conhecer, e tanto a falar, tantas pesquisas, tantos lugares, mas já dá para ficar um gostinho de como será minha viagem. Não vejo a hora de chegar ao berço da humanidade e estar no primeiro mundo!


@euleiolabel

PARA LER OUVINDO Avril Lavigne - Smile

AS TUITADAS DE NOVEMBRO EuFernandaSouza Gente, eu e a @gio_antonelli queremos saber porque tem essas vacas na praia do Leblon e Ipanema? vanifacts Você espera a semana inteira pelo final de semana, ele chega e você não tem planos além de ficar na cama esperando a segunda-feira? HugoGloss BOM DIA você que tá reclamando da hora do Bom Dia! Não é porque você se ferra e tem q acordar cedo q eu tenho q te acompanhar, né? Sofra sozinho! Rs eusouryca Tô sumida porque tenho muito dinheiro pra gastar e não tenho tempo pra twitter. gestupidas Arrff eu mal entro no Avião e já fico pensando que horas vão servir o lanchinho! Kkkkk que pensamento fat family gente Maizinha7 Ahhhh!eu fico tão feliz, mas tão feliz qd vejo um casal apaixonado.na próxima vida quero vir menos romântica. isso cansa! dddbrazil posou pra G, o bilau era tão pequeno que resolveu sumir de vergonha coitado “@HugoGloss: Que fim levou Reinaldo do Terrasamba?” rafinhabastos Só eu notei q o Justin Bieber está cada dia mais parecido com a Maria Gadú? edinhomalvadeza Galvão Bueno narrando o UFC. É a Globo arrumando um jeito de destruir coisas legais. Animalle Herculano ia ser legal se o jô soares perguntasse para o Jesus Pinto da Luz se a Madonna faz Anal!!


MARKETING

PARA LER OUVINDO Pitty - Só Agora

O MARKETING DAS PARADAS GAYS Agora que passou a temporada das paradas gays espalhadas pelo país, eu cheguei a uma conclusão: antes de defender uma temática, quem coloca um trio na rua, está mais preocupado em aproveitar essa vitrine para explorar sua marca do que defender uma causa social.

PIMENTEL, Lukas

Publicitário

LUKAS@revistalabel.com.br

Um trio grande aumenta a visibilidade da sua marca e, nessa mídia, boates querem aparecer e sites de relacionamento querem se vender. E o que mais me preocupa é a forma como isso é feito e exibido ao público. Por que raciocinando do ponto de vista que uma parada gay serviria para as militâncias quebrarem tabus, como conseguir essa confiança se o que se encontra por quem está fazendo esse universo do mercado LGBT rodar só expõe o lado mais promiscuo das pessoas? Não que eu seja caixias em defender que temos que nos

mostrar puritanos nessas manifestações, mas do meu ponto de vista, toda a comunicação no entorno da causa deveria ser respeitosa, e trabalhar esse tipo de argumentos para muitos receptores e visto de forma agressiva. Então como conseguir respeito da grande massa da população se o que se promove é quase um show de nudismo anunciado embalado por um estrondo de musica eletrônica? E não que eu ache que a gente tem que se moldar ao que as pessoas querem, mas temos que saber nos adaptar as situações para podermos ganhar ainda mais vantagens sobre nossos objetivos. Sabe aquela estória de que às vezes é preciso saber roubar no jogo. E que quem chega falando carinhosamente tem mais chances de convencer do que quem chega agredindo? É isso, vamos ser menos comerciais e mais políticos e saber a hora certa e/ou vendar a marca da maneira correta.


MISTURA-FINA

JOGO LIMPO E COLORIDO! Muito antes de Crô e a sua turma se jogarem em uniformes corde-rosa e divulgarem ao Brasil que os homossexuais podem e devem praticar esportes, Dr. Tom Waddell, atleta participante dos Jogos Olímpicos de 1968, liderou um grupo de moradores de San Francisco, nos Estados Unidos. A ideia era criar o evento que hoje é conhecido como os GayGames, uma liga esportiva baseada na filosofia das Olímpiadas tradicionais. Para os que achavam que não havia atletas gays, se enganou. Existem tantos e o babado é tão sério que, em 2012, o Brasil contará com a primeira edição dos Jogos Nacionais da Diversidade, promovido pelo Comitê Esportivo GLS Brasileiro, entre 18 e 22 de setembro em Campo Grande (MS). A iniciativa é única e inédita na América Latina e se inspira nos GayGames, EuroGames e OutGames, eventos internacionais em que o público LGBT faz a festa nas quadras – e fora delas.

PARA LER OUVINDO Michel Teló - Ai Se eu Te Pego

Por Liliane Paes Barreto


MISTURA-FINA

PARA LER OUVINDO Michel Teló - Ai Se eu Te Pego

Uma grande cerimônia de abertura, com direito a desfile de delegações, entrega de premiações, apresentações artísticas e culturais, o Primeiro Jogos Nacionais da Diversidade contará ainda com muitas festas, shows e performances de estrelas da noite LGBT e da música brasileira durante a semana que envolverá os Jogos. A cidade-sede, Campo Grande, oferecerá aos atletas alimentação e translado interno durante o período dos jogos, fazendo com que os participantes sintam-se dentro do clima de uma verdadeira Olímpiada. O acontecimento é aberto para atletas e equipes amadoras de todo o Brasil, que poderão se inscrever a partir de fevereiro de 2012. Esportes LGBT – A iniciativa de concretizar a primeira edição dos Jogos Nacionais da Diversidade não poderia vir em melhor hora. Para quem não sabe, vale ressaltar que há várias competições desportivas para o público LGBT no Brasil. Prova disso foi a Primeira Corrida da Diversidade, realizada na última Parada da Diversidade de Pernambuco, em setembro deste ano. Outra inciativa muito elogiada – e já noticiada pela Label – é o Campeonato de Futsal Feminino promovido pela Lesisters, em São Paulo. As partidas são realizadas todos os domingos na Associação Okinawa do Brasil. Há outros eventos em que o Comitê Esportivo GLS – CDG Brasil também apóia. Alguns deles são a Copa São Paulo de Vôlei GLS e o Meeting MS de Vôlei LGBT, realizado em Mato Grosso do Sul. Além disso, o CDG Brasil busca apoios para que o país sedie os GayGames em 2018, o maior evento do gênero desportivo LGBT do Mundo. O que resta a fazer é correr, suar a camisa e se jogar nas quadras. Ah! Sem se esquecer de ferver muito e esbanjar glamour.

Fotos: www.games-cologne.com Gay Games 2010


MISTURA-FINA

PARA LER OUVINDO Madonna - Hung Up

LIVRO DEFENDE QUE A TRANSEXUALIDADE NÃO É SINÔNIMO DE PSICOSE Resultado de ampla e minuciosa dissertação de mestrado, “Corpo em Obra” oferece novas possibilidades de compreensão sobre a clínica do transexualismo e aponta os processos pelos quais os candidatos às intervenções hormonocirúrgicas devem se submeter. O livro foi lançado neste mês, no Espaço Cultural O Barco, em São Paulo, pela nVersos Editora. O autor, o psicanalista Rafael Kalaf Cossi, mestre em Psicologia Clínica pelo Instituto de Psicologia da USP, faz um estudo detalhado sobre o fenômeno político-social que é o transexualismo. Voltado a acadêmicos, psicanalistas, psicólogos e outros profissionais, o livro abrange aspectos físicos e psicológicos do transexualismo. A proposta é conduzir uma investigação teórica acerca do tema, a partir de instrumentos que possam abrir possibilidades de compreensão e tratamento do fenômeno que vão além do campo da patologia. “Segundo a psicanálise lacaniana, todo transexual é psicótico e essa não é a verdade. O transexualismo não está, necessariamente, ligado a um transtorno psicótico e é preciso reconhecer isso com urgência”, afirma o autor. Para chegar ao conteúdo que o leitor confere em “Corpo em Obra”, Cossi recorreu a seis biografias de transexuais. Aliou a isso, conceitos vinculados ao funcionamento do psiquismo comum e que não se relacionam com a noção da foraclusão como marca da estrutura psicótica. São eles: estágio do espelho; Verleugnung (do alemão, “renegação”); semblante; gozo; e sinthoma. “Tudo o que foge à heterossexualidade ou aos padrões convencionais pode provocar reações adversas e, até mesmo, constrangimentos e marginalização. Há diferenças nítidas entre o transexual e o homossexual que, no caso, não têm relação nenhuma entre si”, conlcui.


CONOTAÇÕES SEXUAIS

PARA LER OUVINDO Adele - Someone Like You

PERSONALIDADES “ALFAS” Sabe, eu tenho certo preconceito generalizado com homens que além de administrar seus relacionamentos “amorosos”, ainda conseguem se dividir em três ou quatro e saem transado por aí com outras pessoas. Pior que isso, é sair espalhando a intimidade da pessoa com quem dormiu como se fosse ganhar um troféu por isso.

FALCÃO, Thulio

Escorpiano e nerd. Perdeu os óculos pra Iemanjá, mas continua adorando história, jornalismo, séries de TV e vídeo games.

THULIO@revistalabel.com.br

Excluirei as mulheres hoje, sou feminista, confesso. Mas não é só por isso. Tive casos práticos em minha família e não sou muito a favor desta “definição” de poligamia. Sexo é bom, é essencial, mas (olha o clichê) eu gosto do romantismo também, não daquele chiclete, mas do saudável. O problema é que certos homens querem ficar acima de outros e qual tática melhor para isso? Bem, quando não usam o corpo, usam o lado mais ignorante da mente. Quem não leu a entrevista de Fiuk para a Playboy? Aquela

que ele diz “Eu sou a favor da população colocar a cabeça no lugar, das mulheres abaixarem um pouco a minissaia, segurarem um pouquinho a periquita, porque o bicho está pegando.”? Vamos só deixar esta parte da entrevista e um espaço para interpretações. Até porque, como macho alfa, Fiuk tem muita coisa questionável. Na verdade, todos têm. Essa virilidade nos diz duas coisas: problemas de atenção e de confiança. Homens assim se submetem a provações. Um círculo vicioso. Se eu digo que eu sou fodão para ele, ele vai dizer para um terceiro e assim eu estarei no topo da cadeia. O único problema é que a nossa mente é tão miserável, que ela se guarda ao pensar que, no fim, nascemos e morremos sós e logo depois puxa seu tapete. No mais, quanto aos ‘alfas’ que dormem com homens e se dizem héteros, isso é apenas crise de identidade mesmo.


MISTURA-FINA

PARA LER OUVINDO Lady Gaga - You and I

DENÚNCIAS DE HOMOFOBIA PODEM SER FEITAS PELAS INTERNET A Prefeitura de São Paulo deu mais um passo em relação ao combate à homofobia. Por meio da Secretaria de Participação e Parceria – SMPP, a cidade criou um espaço online para receber denúncias de crimes contra homossexuais e negros. As acusações podem ser feitas após o preenchimento de um formulário disponível no site da SMPP (www.prefeitura. sp.gov.br/smpp). O acesso a esta ferramenta poderá ser feito em todas as unidades de Telecentros de São Paulo. Segundo a prefeitura, a nova ferramenta visa facilitar o atendimento à população para que o poder público possa coibir atos discriminatórios contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Quando a denúncia for feita, é preciso especificar detalhes dos fatos ocorridos, como local, horário, pessoas envolvidas, o tipo de discriminação sofrida e outras informações que a pessoa julgar relevantes. Todas as informações encaminhadas são sigilosas, nos termos da lei. Atualmente, a SMPP disponibiliza o serviço pessoalmente, no Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate a Homofobia, localizado no Pátio do Colégio, na altura do número 5, no primeiro andar, e também o Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate ao Racismo, no mesmo lugar, mas no segundo andar. Para a utilização dos Telecentros é necessário agendar um horário via telefone ou pessoalmente.


CAPA

HÁ 30 ANOS, O DESAFIO PELA VIDA Por Fernando Correia

Há 30 anos, em 5 de junho de 1981, o mundo recebia uma alarmante notícia: cinco jovens aparentemente saudáveis foram diagnosticados com pneumonia por Pneumocystis carinii, nos EUA. O curioso é que o aparecimento dessa doença nos cinco indivíduos seria incomum. Foi verificado, então, que todos os pacientes eram homossexuais e, a partir deste fato, essa doença foi associada ao estilo de vida dessas pessoas ou alguma doença adquirida através de contato sexual. Surgia então a GRID (Gay-Related Immune Deficiency), o primeiro nome da AIDS. Somente no ano seguinte, com o aparecimento da imunodeficiência em mulheres, é que o nome foi alterado para AIDS. A partir do mapeamento dos pacientes, foi observado que

grande parte das pessoas entrevistadas havia mantido relações sexuais com um mesmo homem, um comissário de bordo de origem franco-canadense, Gaetan Dugas. Ele ficou conhecido como o paciente zero, a partir de quem a doença teria cruzado o oceano atlântico. No Brasil, os primeiros sete casos confirmados ocorreram em 1982, em São Paulo. Todos os pacientes eram homo ou bissexuais. Apesar das primeiras notícias relacionadas à AIDS serem de 1981, há relatos de casos de mortes ocorridas nas décadas de 50, 60 e 70. Eram consideradas estranhas, já que as mortes foram causadas por doenças normalmente inofensivas aos indivíduos que não apresentam deficiência do sistema imunológico.

AI


IDS

PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida


CAPA

LINHA DO TE 1959

1977

Morre o suposto primeiro doente, um marinheiro inglês com tantas doenças raras que, na época, o caso chegou a intrigar uma equipe de pesquisadores da Universidade de Londres. 25 anos depois, ao reexaminarem as amostras congeladas da biópsia, os cientistas constataram a presença do HIV naquele paciente. Por enquanto, é a vítima de AIDS mais antiga de que se tem notícia.

Morre a médica e pesquisadora dinamarquesa Margrethe P. Rask, 47 anos. Ela havia estado na África, estudando o Ebola e morreu apresentando sintomas estranhos para a sua idade. A autópsia revelou que seus pulmões estavam cheios de microorganismos responsáveis por um tipo de pneumonia atípica.

1983

1984

Cogitou-se que a doença poderia ser transmitida pelo ar e utensílios domésticos, após ter sido relatado casos de infecção em crianças nos Estados Unidos. A doença é diagnosticada em 33 países. Foram notificados 3 mil casos da doença e 1.283 mortes nos Estados Unidos.

Descobre-se o retrovírus considerado agente etiológico da AIDS, o HIV-1. Morre Gaetan Dugas, considerado o “paciente zero”.

+

QuadroHIV Margrethe P. Rask Gaetan Dugas

Rock Hudson


PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida

EMPO AIDS 1981

1982

O mundo conhece a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – AIDS, contudo, sem nomeá-la cientificamente.

1985

É conhecido o “paciente zero”: um comissário de bordo de origem franco-canadense, Gaetan Dugas, a partir de quem a doença teria cruzado o Oceano Atlântico. No Brasil, os primeiros sete casos confirmados ocorreram em São Paulo. Casos de AIDS foram relatados em 14 países ao redor do mundo.

1986

Chega ao mercado um teste sorológico para detecção de infecção pelo HIV que podia ser utilizado para triagem em bancos de sangue diminuindo assim o risco de transmissão por transfusão sanguínea. O ator Rock Hudson morre, sendo a primeira figura pública a ter falecido em função de AIDS. Ryan White, um menino de 13 anos e hemofílico, é expulso da escola por ter AIDS. Ocorre a I Conferência Internacional de AIDS, em Atlanta. Ao final do ano, a AIDS havia sido relatada em 51 países e, no Brasil, acontece a primeira ocorrência de transmissão perinatal, em São Paulo.

Na II Conferência Internacional de AIDS, em Paris, foi reportada experiências iniciais do uso do AZT. Este revelou um impacto discreto sobre a mortalidade geral de pacientes infectados pelo HIV. No Brasil, Herbert de Souza, o Betinho, conhecido sociólogo e ativista político brasileiro, hemofílico, confirma a sua condição de portador do vírus HIV.

Ryan White Herbert de Souza, o Betinho


CAPA

LINHA DO TE 1987

1988

O governo britânico lançou uma campanha com a frase “Não morra de Ignorância” e entregou em cada residência um folheto sobre a AIDS. A princesa Diana abriu o primeiro Hospital especializado em tratamento da AIDS na Inglaterra. O fato dela não ter usado luvas quando apertou as mãos de pessoas com AIDS foi amplamente divulgado pela imprensa e ajudou a mudar atitudes preconceituosas. Ao redor do mundo, 62.811 casos já tinham sido oficialmente notificados pela Organização Mundial de Saúde – OMS, em 127 países.

Na Inglaterra, em função do alto índice de contaminação de usuários de drogas, foram criadas estratégias específicas para programas de prevenção e as mesmas foram enviadas para 148 países. Morrem os dois irmãos de Betinho, também hemofílicos, de AIDS: Henfil e Chico Mário. A OMS instituiu o Dia Mundial da AIDS, primeiro de dezembro, sendo esta primeira edição com o tema: “Junte-se ao esforço mundial”.

1991

1992

O jogador de basquete americano, “Magic” Johnson anunciou que era portador do HIV. Morre Freddie Mercury,líder do grupo de rock Queen. É autorizado o terceiro antiretroviral, o DDC, para pacientes intolerantes ao AZT. Porém foi verificado que o HIV desenvolvia resistência aos medicamentos. O tema do Dia Mundial da AIDS é “Compartilhando um desafio”.

É aprovado o uso do DDC em combinação com o AZT para pacientes adultos com infecção avançada, primeira combinação terapêutica de drogas para o tratamento da AIDS a apresentar sucesso. O tema do Dia Mundial da AIDS é “Vamos juntos contra a AIDS de mãos dadas com a vida”.

+

QuadroHIV Henfil

Chico Mário

Cazuza

Fr


PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida

EMPO AIDS 1989

1990

Um grande número de novas drogas tornou-se disponível no mercado para o tratamento das infecções oportunistas associadas ao HIV. O preço do AZT caiu 20%. Um novo antiretroviral, o DDI, foi autorizado para pacientes com intolerância ao AZT. O tema do Dia Mundial da AIDS, 1º de dezembro, é “Cuidemos uns dos outros”.

1993

1994

Mais de 3,7 milhões de novas infecções ocorreram mundialmente, sendo que mais de 350 mil crianças já nasceram infectadas. O bailarino russo Rudolf Nureyev morre de AIDS em janeiro. “Previna-se da vida, não das pessoas” é o tema do Dia Mundial da AIDS.

reddie Mercury

Morre Ryan White, importante símbolo contra o preconceito aos soropositivos, aos 19 anos. Mais de 307 mil casos de AIDS haviam sido oficialmente notificados pela OMS e havia estimativas de números próximos a 1 milhão. No Brasil, morre Cazuza. Seus pais fundam a Sociedade Viva Cazuza. O tema do Dia Mundial da AIDS é “AIDS e mulheres”.

Rudolf Nureyev

Surgiram os inibidores da protease. Estas drogas demonstraram potente efeito antiviral isoladamente ou em associação com drogas do grupo do AZT (daí a denominação “coquetel”). Houve diminuição da mortalidade imediata, melhora dos indicadores da imunidade e recuperação de infecções oportunistas. Ocorreu um estado de euforia, chegando-se a falar na cura da AIDS. Porém o tratamento não eliminava o vírus do organismo dos pacientes. Além disso, haviam os custos elevados do tratamento, o grande número de comprimidos tomados por dia e os efeitos colaterais dessas drogas. Ainda assim, houve diminuição significativa da mortalidade em pacientes com AIDS. Foi comprovado que o uso do AZT reduzia em 2/3 o risco de transmissão de HIV de mães infectadas para os seus bebês. O ator Tom Hanks ganha um Oscar por sua atuação no filme Philadelphia, onde interpreta um gay com AIDS. A AIDS se torna a principal causa de morte entre americanos entre 25 e 44 anos. Betinho é indicado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, para o Prêmio Nobel da Paz, por sua atividade no combate à fome. O tema do Dia Mundial da AIDS é “AIDS e família”.


CAPA

LINHA DO TE 1995

1996

Mais de 80 mil casos de AIDS já tinham sido registrados no Brasil pela Coordenação Nacional de DST e AIDS da Secretaria de Projetos Especiais de Saúde do Ministério da Saúde. “Compartilhemos direitos e responsabilidades”, é o tema do Dia Mundial da AIDS.

Magic Johnson retorna ao basquete profissional. Durante este ano, um crescente número de drogas foi aprovado pelo FDA nos EUA, para combinação com outras drogas. O tema do Dia Mundial da AIDS neste ano é “Unidos na esperança”. Acontece em dezembro, no Brasil, o I Congresso Brasileiro de Prevenção das DST e AIDS, em Salvador.

1990

2000

O Dia Mundial da AIDS, em 1º de dezembro, teve como tema “Você pode fazer um mundo melhor. Escute, aprenda e viva com a realidade da AIDS”. Até este ano, 155.590 casos de AIDS foram registrados no Brasil, dos quais 43,23% na faixa etária entre 25 e 34 anos.

Acontece no Rio de Janeiro o Fórum 2000 – Iº Fórum e IIª Conferência de Cooperação Técnica Horizontal da América Latina e do Caribe em HIV/ AIDS e DST.

A AIDS NOS TE

Com a ajuda da ciência, a AIDS deixou de ser uma sentença de morte e passou a ser considerada um problema crônico grave. Ser diagnosticado com o vírus HIV, atualmente, não é como nos anos 80 e 90. A partir da detecção da presença do vírus, o paciente soropositivo começa a ser acompanhado por uma equipe médica. São realizados periodicamente exames com a finalidade de avaliar as condições físicas dos soropositivos. A partir do momento em que é verificado que a imunidade do paciente torna-

se mais vulnerável, é iniciado o tratamento com antiretrovirais a fim de diminuir a replicação do vírus HIV e consequentemente as chamadas doenças oportunistas que podem levar o paciente a óbito.

O Brasil é referencia mundial no tratamento a pacientes com HIV/ AIDS. Através de quebras de patentes internacionais e universalizando o acesso aos medicamentos, o país oferece tratamento aos infectados pelo vírus através do Sistema Único de Saúde – SUS. Naturalmente que


PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida

EMPO AIDS 1997 A UNAIDS divulgou que havia 30 milhões de pessoas vivendo com HIV/AIDS no mundo. Em 9 de agosto, morre Betinho, 11 anos depois de confirmar sua condição de portador, com 61 anos, vítima de Hepatite C.

1998 No dia Mundial da AIDS, a temática é a mesma do ano anterior: “Num mundo com AIDS, as crianças e os jovens são responsabilidades de todos nós”. Na América Latina e no Caribe, estima-se que aproximadamente 65 mil indivíduos entre 15 e 24 anos de idade adquiriram o HIV (UNAIDS, 1999).

2010 Primeira Cura da AIDS é oficializada. Timothy Ray Brown sofria de Leucemia e também era portador do HIV. Passou por quimioterapia e um transplante de medula e células-tronco. A medula utilizada possuía uma mutação genética rara que a torna invulnerável ao HIV. Esse procedimento considerado raro e arriscado não é recomendado, pois o tratamento com antirretrovirais apresenta menos riscos à vida do paciente.

Timothy Ray

EMPOS ATUAIS há críticas e existem problemas com medicamentos e outros aspectos relacionados ao tratamento da AIDS, porém ainda assim, o paciente brasileiro possui um suporte muito superior ao de boa parte da população mundial, em contraponto à África, continente que mais sofre com a proliferação e mortes causadas pela AIDS. O tratamento pode tornar a AIDS uma doença semelhante a uma doença crônica, permitindo aos infectados uma vida “quase” normal. Ainda não

há cura e qualquer previsão sobre uma vacina torna-se desacreditada já que há 30 anos se estabelecem prazos para a sua chegada. O paciente que é tratado com antiretrovirais pode sofrer com efeitos colaterais que ainda são considerados desconhecidos devido à inexistência de tempo hábil para a análise dos tratamentos. A melhor forma para evitar a AIDS é o uso do preservativo nas relações sexuais e não possuir condutas de risco, como não partilhar de objetos que tenham contato com a corrente sanguínea.


CAPA

A AIDS E O PRECONCEITO A AIDS já é considerada uma doença crônica, porém, uma das maiores problemáticas enfrentadas pelo portador da síndrome é o preconceito. Mesmo com todas as notícias positivas a respeito de portadores que vivem há anos e com condições de saúde até mais estáveis do que pacientes soronegativos, a AIDS ainda guarda vestígios de maldição conquistados nos anos 80 e 90, quando muitos ídolos daquela geração morreram por conseqüências causadas pela imunossupressão causada pelo vírus.


PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida

...VOCÊ TAMBÉM NÃO DEVE TER!

Pacientes com HIV/AIDS podem ter uma vida tão saudável quanto soronegativos, podem gerar crianças soronegativas e produzir como outro cidadão qualquer. Atitudes como abraços, beijos, sexo com camisinha, troca de talheres, banho de piscina, masturbação a dois, entre outras são totalmente seguras. O portador de HIV/AIDS deve ter apoio dos amigos e familiares para continuar seu tratamento

(

(

A AIDS NÃO TEM PRECONCEITO...

com sucesso. Todos devem considerar que não existem mais grupos de risco, e sim atitudes de risco. Estas, em algum momento estarão expostas para qualquer cidadão numa atitude mais descuidada, ou em outra condição alheia a sua vontade. Uma campanha do Ministério da Saúde direcionada para profissionais da saúde promove a frase “A AIDS não tem preconceito, você também não deve ter”.


CAPA

DESCOBRI QUE TEN

E AGORA?

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS. Há registros de muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar quaisquer sintomas e sem desenvolver a doença. Mas, mesmo assintomáticos podem transmitir o vírus através de relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação através da transmissão vertical. Daí a importância de, periodicamente, fazer o teste e se proteger em todas as situações. Se o teste indicou a soropositividade, o paciente deve procurar o tratamento que inclui acompanhamento periódico com profissionais de saúde e a realização de exames. A pessoa só vai começar a tomar os medicamentos antirretrovirais quando exames clínicos e de laboratório indicarem a necessidade. Esses remédios buscam manter o HIV sob controle o maior tempo possível. A medicação diminui a multiplicação do vírus no corpo e recupera as defesas do organismo aumentando a qualidade de vida do soropositivo. Para que o tratamento seja

eficiente, o soropositivo não pode se esquecer de tomar os remédios ou abandoná-los. O vírus pode criar resistência e, com isso, as opções de medicamentos diminuem. A adesão ao tratamento é fundamental para uma boa qualidade de vida. Mesmo em tratamento, a pessoa com AIDS pode levar uma vida normal, sem abandonar a sua vida afetiva e social. Os Serviços de Atenção Especializada (SAE) são os locais mais indicados para obter as informações sobre HIV e AIDS, sua condição de saúde, o tratamento e os novos cuidados necessários. Este serviço é fornecido pelo SUS e está presente em todo território nacional.


NHO HIV...

PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida


CAPA

PARA EVITAR A A Mesmo com todos os avanços alcançados pela medicina moderna, a AIDS ainda mata milhares de pessoas anualmente. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) informam que existem atualmente cerca de 40 milhões de infectados pelo HIV no mundo, sendo que 65% dos casos estão concentrados na África. Na América Latina, são 1,8 milhão de pessoas infectadas. Estima-se que o número de pessoas contaminadas no Brasil está entre 630 e 810 mil. Essa variação deve-se a falta da cultura da realização preventiva do exame que pode detectar a presença de HIV no sangue. Os jovens são, atualmente, uma das principais preocupações dos órgãos mundiais. Cerca de 2,5 mil jovens contraem o vírus do HIV diariamente no mundo todo, segundo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O documento, elaborado em conjunto com o Banco Mundial, mostra que 41% dos contágios se dão entre pessoas de 15 a 24 anos, o que situa este grupo como o de maior risco, com um número de entre 4,3 milhões e 5,9 milhões de casos no mundo. Entre

esses, calcula-se que cerca de 60% sejam mulheres. Mesmo 30 anos após a sua descoberta, a AIDS mata e a sua cura ainda não existe. Por mais prazeroso que algum momento possa parecer, não deve ser comparado a toda uma vida que pode ser perdida ou alterada devido à doença. Por mais careta que possa parecer, a atitude mais sensata que a juventude moderna deve ter em mente é sempre de se proteger. Camisinha sempre!

Milhões

PREVINA-SE!


PARA LER OUVINDO Cazuza - Vida Louca Vida

AIDS: Números de pessoas que vivem com HIV no mundo

O número de pessoas vivendo com HIV, em 1990, era cerca de 8 milhões. Em 2009, esse número subiu para 33 milhões.

Serviço: www.aids.gov.br


Curta n

fan

n


nossa

npage

no

Revista Label


HEY MR. DJ

PARA LER OUVINDO Lady Gaga - The Edge Of Glory

HOJE É DIA DE RIHANNA, BEBÊ Não sabemos se por estratégia ou por falta de criatividade, mas a grande parte das cantoras da música internacional não tem lançado álbuns em anos consecutivos. A verdade é que, a maioria delas, respeita um prazo de dois ou três anos para lançarem seus “filhos”. Exemplo disso é Christina Aguilera, que lança CDs a cada três ou quatro anos, dando margem para seus “fãs” migrarem para outras divas mais ativas e preocupadas em dar suporte a eles. No caminho inverso está Rihanna. Nos últimos três anos, a cantora de Barbados, ofereceu ao mundo da música três diferentes e competentes álbuns. Em 2009, ela lança o atemporal Rated R. Em 2010, é o ano da bem sucedida Era Loud e, em 2011, chega a vez do Talk

That Talk, que caiu na rede (para

variar) antes do lançamento. A crítica já se desmancha em elogios, afirmando a superioridade do Talk That Talk em comparação aos recentes trabalhos de Lady Gaga e Britney Spears. O novo álbum de Rihanna é delicioso, repleto de músicas boas e agradáveis, que, a exemplo do Loud, foi feito para o sucesso. E tudo começou bem, pois o Single Leader, We Found Love está no topo do iTunes, do Hot 100 da Billboard e já invade as pistas de dança do mundo. A cantora, com seu novo álbum, tem tudo para morar nas paradas musicais do planeta, só precisará lançar o single certo na hora certa. Rihanna, claramente, mostrou que não está para brincadeira e quer continuar fazendo história, uma esforçada e talentosa história.

UNO, Gael Estudante de Letras e DJ GAEL@revistalabel.com.br

1. Down For Whatever – Kelly Rowland 2. Nobody Does It Better – Pixie Lott 3. Hace Tiempo – Laura Pausini 4. Countdown – Beyoncé 5. Aquela Velha Canção – Marisa Monte 6. Before It Explodes – Charice 7. In My Trunk – Dev 8. Penny – Visconde 9. Weak – Melanie C 10. DNA – Wanessa


MISTURA-FINA

PARA LER OUVINDO Lenine - Malvadeza

A ARTE DE FAZER CARÃO A pista ferve e os corpos dançam, os olhares se cruzam e outros se lançam (para o lado). De repente, você está ali paquerando e recebe AQUELE carão. Mas, como você já sabe como são alguns gays na boate, nem liga. Afinal, não foi a primeira e nem será a última vez que alguém fará isso. Na noite, todo mundo adora uma poker face barra para se sentir por cima. Todas lindas, perfumadas e vestindo grifes (das originais às genéricas), todas se jogam na pista e no queijo, como se fossem as mais divas do mundo, a última tinta fresca (literalmente) do sorriso da Monalisa do DaVinci. Fazer a poker face é algo tão comum às pessoas que, até acho que faz parte de um ritmo natural das coisas, uma linha cronológica que muita gente já deve conhecer: Por Jo Fagner


MISTURA-FINA 1º - O BAPHO COMEÇOU Carão com certeza faz a diferença para marcar “a chegada”. Tem que descer do táxi ou do carro – ou chegar a pé naquele all star babado que você comprou na liquida do shopping – pisando em anéis de vidro para fazer o charme logo na hora que chega. O carão ainda é casulo, tímido, e ainda dá tempo para distribuir sorrisos aos conhecidos e pedir licença para mudar de ambiente na boate. 2º - O DJ COMEÇOU Começa a fase “gay enlouquecido” e todo mundo começa a dançar. Antes fosse só bater cabelo, mas todo mundo se joga com força no som. Lotam a pista e fazem a girafa, olhando sempre por cima pra sondar quem estar por ali – momento arriscado para tentar uma paquerinha, por mínima que seja. 3º - A DRAG CHEGOU E todo mundo vira a maior simpatia (do nada mesmo) só porque a drag começou a brincar com todo mundo. Dá até para arriscar uma olhadinha e aproveitar que o carão está descansando a musculatura.

PARA LER OUVINDO Lenine - Malvadeza

4º - LORENA SIMPSON TOCOU Brand New Day, que parece ser hino oficial de toda boate gay que se preste, (re)começa a tocar pela 3568854ª vez e já estão todos quentes. Carão na velocidade 5 e todos dançam loucamente, fazendo a Emily Rose. As Barbies aproveitam para tirar a camisa e alguns gays ainda ousam deixar o tórax nu mesmo sem ter cuidado antes do que vai mostrar. 5º - LADY GAGA CANSOU Lady Gaga cansou. Quando os gays não aguentam mais os remixes da GaGa, que já se repetiram por mais vezes que os passinhos criativos que eles inventam, a poker face reduz bruscamente pra velocidade 2, e o banheirão começa a lotar. Hora de tentar a sorte e rezar para o Deus Grego (dotado) aparecer do lado no mictório.

6º - O SOL RAIOU E os gays todos abusados se tornam os mais carismáticos e carentes da boate. Fazendo a linha Miss Brasil, eles desfilam bêbados, com vestígios de pó branco no nariz e sem camisa, com o radar ligado desesperadamente em busca do primeiro pedaço de carne masculino que aparece. Cadê o carão? Tava aqui agorinha, mas acho que sumiu.

RESUMINDO:

Poker Face na boate tem efeito Cinderela, com a única diferença que à meia noite é praticamente a hora em que tudo começa. Melhor que tem é a personalidade, né? Afinal, quem muito faz carão acaba no banheirão.


PAY-PER-VIEW

PARA LER OUVINDO Britney Spears - Criminal

LA FEMME FATALE

Thammy Spears


PAY-PER-VIEW No mês em que Britney Spears trouxe a sua turnê “Femme Fatale” ao Brasil, a Revista Label entrevista uma das covers da cantora mais conhecida no país. Thamires Rodrigues Almeida, mais conhecida como Thammy Spears, é pernambucana e com apenas 23 anos já encanta muita gente nas suas apresentações. A artista já é famosa em Pernambuco e... num é que ela se parece mesmo com a Britney? Confira a entrevista abaixo na íntegra e conheça um pouco mais sobre a carreira desse talento musical.

rg

NOME COMPLETO Thamires Rodrigues Almeida LOCAL DE NASCIMENTO Recife-PE DATA DE NASCIMENTO 22/02/1988

Quem foi a primeira pessoa a dizer que você se parecia com a Britney Spears? Os fãs! Quando eles assistiam aos shows, sempre me procuravam para falar da caracterização e semelhança. Quando você decidiu investir nesse projeto de ser cover da Britney? Quais foram as maiores dificuldades? Sempre fui fã da Britney Spears e eu adorava a forma como ela se vestia e dançava diante do público. Fui convidada para fazer uma performance abrindo o show do N’sync Cover, decidi então continuar! As dificuldades eram muitas, ainda existe muito preconceito com covers, mas a maior é você conseguir ganhar o respeito e fazer com que as pessoas vejam isso como um trabalho. Qual é a opinião da sua família em relação ao seu trabalho? O fato de você estar muito presente em ambientes gays causou alguma situação de desconforto para eles? Nunca causou desconforto. Eles são super tranquilos e apoiam bastante as minhas escolhas. Sabem que é o meu público e sabem o que isso representa para mim.


PARA LER OUVINDO Britney Spears - Criminal

Onde foi a sua primeira apresentação em público? Bateu um pouco de insegurança? Foi num evento musical de uma escola. Estávamos bem ensaiados e correu tudo direitinho. Com certeza, bate aquele friozinho na barriga (sinto até hoje). Mas a equipe se saiu bem! (risos) Quais são as diferenças e as semelhanças entre a Thammy e a Britney? Temos muitas coisas em comum. Coisas simples que alguns amigos vivem comentando. Coisas pessoais, sabe? Somos batalhadoras, vamos lutando até conseguir, sem desistir diante das dificuldades. Acho que a diferença é que ela se deixou levar... Pessoas oportunistas entraram na sua vida. Eu já não dou muita abertura. Sou desconfiada (risos). A Britney Spears é uma artista muito polêmica. Nos últimos anos, ela foi protagonista de algumas cenas que mancharam a sua imagem. Você, sendo a cover dela, leva apenas as coisas boas? Sim, eu visto o personagem em cima dos palcos. Represento shows e performances! Porém, tenho a minha vida, minha forma de pensar e agir como ela tem a dela. Os fãs querem uma cópia fiel em cima de um palco e isso faz eles fugirem da realidade. Eu busco isso! Quais foram os lugares mais marcantes que você já se apresentou? Por quê? Eu sempre procuro curtir cada show e saborear a reação das pessoas presentes. Existe público mais participativo, outros menos... Eu sempre fico boba quando viajo a trabalho e vejo que as pessoas me reconhecem, gritam meu nome, tem curiosidade sobre a minha vida. Mas o show que nunca vou esquecer e que foi bem marcante foi o meu primeiro show numa boate gay, na Metrópole, em Recife. Tinha muita gente, todos cantando juntos, participando... Foi incrível! O que aconteceu de mais inusitado em suas apresentações? Já levou algum tombo, já recebeu cantadas? Graças a Deus nunca cai, mas acontece de tudo. Fãs mais saidinhos, alguns elogios inesperados (risos). Uma vez meu figurino saiu do lugar e acabei mostrando mais do que deveria! (risos) Morri de vergonha!


PAY-PER-VIEW

PARA LER OUVINDO Britney Spears - Criminal

Como acontecem os ensaios do grupo? Vocês têm local próprio? E a disponibilidade de horários dos integrantes? Os ensaios acontecem nos fins de semana, onde todos têm disponibilidade. Alugamos salas espelhadas em academias. Não temos um lugar fixo! Qual a sua opinião sobre a legalização da união estável homossexual? Eu acho importante. Todos têm o direito de ser livre e feliz e ninguém deve ser julgado por opção sexual. Apoio!

Sempre fui fã da Britney Spears e eu adorava a forma como ela se vestia e dançava diante do público.


FATO-ATIVO

PARA LER OUVINDO Jorge Vercilo - Há de Ser

AMY

SEX APPEAL

Os fãs da cantora Amy Winehouse estão ansiosos para o lançamento do disco póstumo “Lioness: Hidden Treasures”, em dezembro. São 12 faixas com músicas inéditas e interpretações, entre elas Garota de Ipanema, na versão inglesa. O primeiro single, Like a Smoke, já está disponível na internet.

Não deu (de novo) para Madri, Espanha e Buenos Aires. O Rio de Janeiro foi eleito com pela segunda vez consecutiva o destino LGBT mais sexy do mundo. A eleição foi realizada pelo site TripOutGayTravel.com, em parceria com a MTV americana.

PESQUISA

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo vai ouvir cerca de mil pessoas, entre elas gays e travestis, para fazer um levantamento sobre o comportamento da relação sexual homossexual. Baseado nos dados, a cidade emplaca uma campanha de luta contra a AIDS. Esta é a propaganda do perfume Oh Lola!, que Dakota Fanning está estrelando e causando polêmica no Reino Unido.

TURISMO

A Fitur, que será realizada em Madrid, de 18 a 22 de janeiro de 2012, está com as inscrições abertas. O evento tem como objetivo combinar uma área de exposição para as empresas oferecerem destinos turísticos para o público LGBT. Além disso, durante o encontro, serão realizados workshops e palestras.

BALADA?

Sabe onde Justin Bieber foi comemorar os prêmios de “Melhor Artista Pop” e “Melhor Artista Masculino”, que recebeu no EMA? Na Kremlin, uma famosa boate gay, em Belfast, na Irlanda do Norte. Mas, calma... Selena Gomez estava por perto.


FATO-ATIVO

PARA LER OUVINDO Jorge Vercilo - Há de Ser

ARMÁRIO

Não é que bastou ser acusado de homofobia para o comediante Oliver Callan, do Reino Unido, se assumir gay? Ele assumiu a orientação publicamente num programa de TV local com a seguinte frase: “Homofóbico. Eu sou gay!” Tá, meu bem!?

PAULADINHA

Avril Lavigne e o namorado, Brody Jenner, foram atacados por cinco homens supostamente bêbados, no hotel Roosevelt, em Hollywood, na Califórnia. A cantora sofreu lesões no rosto e já tem uma foto na internet com a “possível” face de Avril, bastante machucada. Vai entender?

PÉ DE MEIA

Mal acabou a temporada do Hipertensão, na Globo, e os participantes já estão fazendo um pé de meia. Os gatíssimos Ramon Müller e Mauro Perez, além da pernambucana Larissa Trindade foram os convidados vips na inauguração do Iguana Café, em Recife.

NA TRAVE

O gatão Chris Martin, vocalista do Cold Play, afirmou esse mês que, ainda na sua adolescência, teve muitas dúvidas em relação à sua orientação sexual, mas futuramente descobriu que era hétero mesmo. Que pena!

HÉIN?

O jogador inglês de rugby Chris Birch sofreu um AVC durante os treinamentos. Depois de recuperado, ele resolveu sair do armário. Resultado: largou o esporte, a namorada, pediu demissão do seu antigo trabalho e montou um salão de beleza. Dá pra tu?

Os DJs parceiros - em todos os sentidos -, Raffa Dub & Debex alongando o carão em ensaio fotográfico.

Sugestão de fotos e notas: contato@revistalabel.com.br


MISTURA-FINA

PARA LER OUVINDO The Cranberries - Zombie

PSICÓLOGA DE CURITIBA PROPAGA HOMOFOBIA NO TWITTER. DENUNCIEM... Apesar dos ataques homofóbicos terem se tornado uma constante entre criminosos no Brasil, uma ação em especial chamou a atenção da Revista Label neste mês. Fomos notificados por um leitor sobre uma possível atitude homofóbica da psicóloga evangélica Marisa Lobo, que possui o site www.psicologiacrista.com.br e é formada pela universidade Tuiuti do Paraná. Investigamos o caso e ficamos assustados como uma profissional desse segmento pode propagar e fazer apologia à homofobia de uma forma tão direta. Pedimos o apoio dos nossos leitores para denunciá-la ao Conselho de Psicologia do Paraná.


MISTURA-FINA No twitter (@marisa_lobo) é possível ler várias mensagens contra os homossexuais. Uma delas dizia “Homossexualismo é uma desorientação da orientação original. Se dá no desenvolvimento conforme identificações mal elaboradas”. Em outra mensagem, a psicóloga afirma que não atende os pacientes gays: “Não trato homossexuais. Minha ética profissional não permite”. Para piorar ainda mais a situação, alguns seguidores da psicóloga começaram a incentivar essa ação criminosa com outras mensagens. A conta @ rosybitencourt postou a seguinte frase: “Hoje a minha professora falou sobre a sua luta. Indiquei seu TT para todos. Glória a Deus. Você está sendo exemplo. Deus abençoe”. Não demorou muito para gays, lésbicas e simpatizantes tomarem conhecimento do fato e começarem a postar frases no twitter contra a psicóloga – algumas até pejorativas. A Revista Label pede a ajuda dos seus leitores para não usarem de atitudes baixas na tentativa de degradar a imagem da psicóloga, e sim, denunciá-la junto ao Conselho de Psicologia. Denuncie - Qualquer pessoa pode apresentar uma denúncia contra o exercício profissional inadequado do Psicólogo. As denúncias devem ser feitas diretamente ao CRP, em documento escrito e assinado pelo representante ou denúncia anônima.

PARA LER OUVINDO The Cranberries - Zombie


CONSUMADO

PARA LER OUVINDO Maria Rita - Santana

BIBAS CONTRA BOFES? Você já parou para pensar desde quando as “bibas” foram contra os “bofes”? Nunca, não é? (risos). Energias à parte, o Consumo se mostra ainda mais excêntrico e, digamos que, um pouco inusitado para o horário nobre da Globo. Além de um roteiro para lá de escrachado, a Fina Estampa mostra uma estampa grosseira e grotesca do consumo geral.

QUARESMA, Flaviano Jornalista, Mestre em Comunicação para o Desenvolvimento Local, editor geral da Leia Moda Mag Online (www. leiamoda.com.br) e compartilha suas ideias e sensações no twitter @ leiaflaviano Compartilhe as suas.

FLAVIANO@revistalabel.com.br

Há públicos que amam, outros que odeiam, e ainda há os que não sentem nada, por isso sentem tudo ao mesmo tempo. Crô é agredido a cada capítulo, mais ainda do que os gays da novela anterior, Insensato Coração. Já pensaram nisso? O cômico consegue diminuir a força das agressões. E se você reparar bem, poucos são os personagens que tratam o Crô como indivíduo que merece respeito. Mas as “bibas contra bofes”

parecem mais que o que está na tela, explícita. Parece ser uma resposta, mas na verdade é uma pergunta: o que há as bibas contra os bofes? Certamente, até os bofes não têm nada contra elas, principalmente quando o riso é a cerimônia de comunhão entre as duas partes. Pereirão patrocina os bofes, como numa maneira de estereotipar a figura máscula de Griselda, e a Fio Carioca via Thereza Cristina amamenta a esperança de Crô, como num tipo de esmola para as “bibas fortonas”. Afinal, Thereza Cristina tem um coração tão grande quanto o seu desrespeito contra os gays. Ainda há o mistério do “bofe” de Crô, que está na cara que deve ser um dos caras da praia. Quer mais excêntrico do que isso? Está Consumado: a figura gay está cada vez mais nos braços da produção do consumo. E você, também é contra os bofes?


JANELA-ABERTA

CDs ESTÓRIAS DA NOVA FASE

Na nova fase de sua carreira, Jorge Vercilo lança o Como diria Blavatsky. O título enigmático é também o nome de uma de suas 12 novas canções e faz referência à escritora que no final do século XIX popularizou a teosofia no mundo moderno. O disco reafirma uma de suas marcas, a de contar estórias – das mais sérias às mais pitorescas – por meio das suas músicas. Com este projeto, Vercilo lança este álbum pelo seu próprio selo, Leve, distribuído pela Posto 9/ MicroService.

LENINE INTIMISTA

No seu décimo trabalho, Lenine traz uma arquitetura sonora que impressiona pelo acabamento perfeito. Os sons da vida caseira do artista se harmonizam com timbres e instrumentos mais usuais - como a guitarra, o baixo e o violão - em arranjos que resultam renovadores. Um deleite para os fãs que aguardaram ansiosos por músicas inéditas, já que seu último CD, Trilhas, o cantor ressaltou canções já lançadas. Em Chão, Lenine traduz seu cotidiano não deixando passar em branco a exaltação ao amor.

AINDA BEM, MARISA!

Depois de cinco anos de jejum, a carioca mais uma vez nos lembra o porquê é uma das melhores compositoras, cantoras e instrumentista de sua geração. Na linha tênue e gostosa entre samba e pop, Marisa embriaga o ouvinte com um conjunto agradável e hormônico. O Que Você Quer Saber de Verdade traz letras simples, bonitas e até divertidas.

LIVROS

MUDANÇAS DO DRAMAS ALÉM DO ADOLESCENTES UNIFORME AMOR

Fábio é um garoto incomum que leva uma vida comum. Tem a sua casa, os seus amigos, os seus conceitos, mas o amor o leva a procurar caminhos que podem mudar sua visão de mundo. Neste romance, paixão, amizade verdadeira e sofrimentos – envoltos em uma aura quase adolescente - mostram que a vida pode deixar marcas em todos nós. Em Cicatrizes e Tatuagens, o autor Felipe Alface estreia bem e mostra como adquirimos nossas cicatrizes e fazemos nossas tatuagens.

Interior do Rio de Janeiro, 1989. Aos 17 anos, Caco vive com os pais e a irmã, prepara-se para o vestibular e precisa lidar com a sua homossexualidade. Como todo adolescente, ele é egocêntrico e dramático, mas também muito sensível. Depois de conhecer um homem mais velho, se vê diante de algumas decisões difíceis que precisam ser tomadas. Esse é o enredo de Para a sua Jukebox novo romance de Márcio El-Jaick, que descreve conflitos que os jovens homossexuais enfrentam ainda hoje.

Neste livro, o ex-sargento Fernando Alcântara descreve a vida com seu companheiro Laci Marinho de Araújo e os desdobramentos da revelação pública de sua homossexualidade, que despertou a atenção de toda a mídia brasileira. Soldados não choram - A vida de um casal homossexual no Exército do Brasil (Depoimento a Roldão Arruda) é o fruto de um drama da história, pois relata a homofobia institucionalizada nas Forças Armadas, o que bastaria para justificar sua relevância e seu interesse.


PARA LER OUVINDO Amy Winehouse - Cherry

ESTANTE


CAUSA-JUSTA

GRUPO GAY DA BAHIA É O MAIS ANTIGO DO BRASIL O Grupo Gay da Bahia é a mais antiga associação de defesa dos direitos humanos dos homossexuais no Brasil. Fundada em 1980, registrou-se como sociedade civil sem fins lucrativos em 1983, sendo declarada de utilidade pública municipal, em 1987. É membro da ILGA, LLEGO, e da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis (ABGLT). Em 1988 foi nomeada membro da Comissão Nacional de Aids do Ministério da Saúde do Brasil e, desde 1995, faz parte do comitê da Comissão Internacional de Direitos Humanos de Gays e Lésbicas (IGLHRC) . A partir desse mesmo ano, ocupa a Secretaria de Direitos Humanos da ABGLT, e desde 1998, a Secretaria de Saúde da mesma.


PARA LER OUVINDO Ivete Sangalo - Aceleraê

O GGB é uma entidade guarda-chuva que oferece espaço para outras entidades da sociedade civil que trabalham em áreas similares, especialmente no combate a homofobia e prevenção do HIV e Aids entre a comunidade e a população geral. O Centro Baiano Anti-Aids (CBAA), Grupo Gay Negro da Bahia Quimbanda Dudu, Associação de Travestis de Salvador (ATRAS) são algumas das entidades que estão relacionadas ao Grupo com base em seu estatuto social. Desde a sua fundação, o GGB acumula em seu histórico significativas vitórias em prol dos direitos de cidadania dos homossexuais. Publicou os livros “Homofobia: A violação dos direitos humanos dos gays, lésbicas e travestis no Brasil” e “Lesbianismo no Brasil” (1987), assim como vários artigos sobre múltiplos aspectos culturais da epidemia da Aids em nosso país. Realizou conferências, debates e mesas redondas sobre a homossexualidade e Aids em colégios, universidades, programas de TV e rádios. Além disso, o Grupo ainda liderou a campanha nacional que retirou a homossexualidade da lista dos desvios sexuais, entre outras ações. Doações – Uma contribuição do seu tempo ou dinheiro ajudará muito para que o GGB continue a desenvolver projetos de prevenção à Aids e defesa dos direitos humanos de gays, lésbicas e transgêneros no Brasil. Você também pode ajudar enviando recortes de jornais, revistas ou relatos sobre assassinatos e violação dos nossos direitos em seu Estado. Participe dessa luta, que é de todos nós, por uma sociedade mais justa e fraterna, onde a orientação sexual não seja elemento de desagregação, e sim de união na diversidade. Serviço: Grupo Gay da Bahia - www.ggb.org.br/ Rua Frei Vicente, 24 – Pelourinho Salvador / Bahia / Brasil Tel.: (71) 321-1848 / 322-2552 / 322-2176 Fax: 322-3782


FALANDO EM CLIKS

PARA LER OUVINDO Vanessa da Mata - Fiu Fiu

VOCÊ SENSUAL Na hora de tirar boas fotos, ter o dom para a coisa é essencial, mas tudo conta também com a pessoa que está tirando a foto, ou seja, se ela sabe fazer isso de maneira correta. Algumas pessoas não se contentam em tirar fotos que fiquem boas, mas querem também fotos sensuais. Essas fotos podem ser conseguidas com algumas caras e bocas, bem como com maquiagem e a roupa certa. Quando se fala em caras e bocas não é nada exagerado, apenas umas expressões faciais que denotem sensualidade. Quanto à maquiagem, não precisa ser tão forte que vá aparecer na foto, mas que dê uma expressão diferente no rosto da pessoa, ressaltando os traços fortes e escondendo alguns defeitos. VENTURA, Janaina Fotógrafa e produtora

JANAINA@revistalabel.com.br

Um fator muito importante é a roupa, exceto que vá fazer um ensaio sensual para revistas

masculinas ou femininas. Não é necessário nada extravagante, como roupas curtas e decotadas demais, bem como até mesmo as lingeries, com as quais as pessoas costumam tirar fotos e divulgar no Orkut. Isso é vulgar! Basta se maquiar bem, saber se posicionar diante da câmera e ter a ajuda de um bom fotógrafo, ou até mesmo de uma pessoa que leve jeito para a coisa. Tendo esses três requisitos, é importante que saiba escolher a roupa. Por exemplo, se o vestido é decotado, vale à pena investir em um modelo mais longo, se é curto, mais discreto em cima. No caso dos homens, evitar roupas muito justas ou muito sociais. Vale à pena manter um limite entre essas duas coisas. Essas são algumas dicas para conseguir fazer fotos sensuais de si mesmo. Aproveite e boas fotos!

P


PONTO-A-PONTO

PARA LER OUVINDO Filipe Catto - Saga

A BELEZA COSMOPOLITA DE MADRI Por Denny Cândido

Madri é conhecida mundialmente por suas noites intermináveis até as primeiras horas da manhã e tornou-se um dos principais destinos LGBT do planeta. Turistas gays se sentem completamente bem acolhidos em um dos bairros gay mais famosos no mundo: o Chueca. Tanto a cidade, quanto o bairro oferecem uma série de atrativos para o público homossexual. O lugar é um bom exemplo da tolerância e do respeito típico de um mundo moderno. Prova do fato, a festa do orgulho gay, que não se limita ao desfile, e na verdade, inclui uma semana inteira de festas. Nas principais avenidas do bairro é fácil encontrar modas originais e tendências ousadas, lojas eróticas, perfumes requintados, hotéis de todos os tipos e um polo gastronômico dono de uma culinária que deixa água na boca.


PONTO-A-PONTO

Assim como o resto da cidade, Chueca, o coração da vida noturna gay de Madri, é repleto de bares, pubs, cafés e discotecas. Para quem procura agitação, a Boate Fabrik, classificada como número dois na lista dos 100 melhores clubes do mundo, é uma das opções. Possui vários ambientes que juntos formam um bar discoteca com características únicas. Outra opção, apenas há alguns minutos dalí, é o Ohm Nightclub, que se tornou um clássico de fim de semana. Lá, nas sextas-feiras ocorrem festas para a cena gay, enquanto nos sábados é para o público em geral. “Madri é uma cidade com vários lugares destinados aos gays, a boate Kapital foi o melhor lugar que conheci, muito descolado e moderno”, declarou Rafael Andrade, que passou uma temporada na capital espanhola. Para aqueles que preferem programas mais calmos, o Mama Inês Café é o local ideal para terminar a tarde com um cafezinho ou outra bebida de preferência do cliente. Como qualquer grande cidade, Madri também tem espaços reservados para as meninas que gostam de meninas. Os clubes Truco e La Bohemia são alguns dos points mais conhecidos destinado principalmente para o público feminino dançar, conversar e coloca a paquera em dia. Além disso, mais um ponto positivo dessa cidade é que o turista gay não precisa se hospedar num hotel friendly para se sentir confortável, mas caso ele faça essa opção, Madri oferece alternativas, incluindo várias escalas de preços e serviços.


TURISMO

Mesmo com a forte crise econômica, Madri foi escolhida para sediar a convenção mundial do órgão International Gay & Lesbian Travel Association – IGLTA, que será realizada em maio de 2014. A organização é responsável por promover a difusão de destinos e do turismo de negócios LGBT internacionalmente, além de ser a única entidade gay do mundo membro da Organização Mundial do Turismo – OMT. A cidade foi eleita após vencer Estocolmo, Zurique e Cannes, também candidatas para sediar o evento, durante a reunião anual que aconteceu em Santa Catarina, o primeiro destino sul-americano selecionado para a convenção, que ocorrerá em abril de 2012. Este evento reúne mais de 500 operadores que atuam no turismo LGBT em todo o mundo e eles irão conhecer a cidade, a infraestrutura, serviços turísticos, e incluir no catálogo de destinos LGBT em escala internacional.

PARA LER OUVINDO Filipe Catto - Saga


@euleiolabel

Sigam-me os bons


Revista Label - 6ª edição