Issuu on Google+

m

fi em

pio r

ini

mi go

,m

es

m ta

xo

? os

uit oc om pl e

de On

mi go elh or a em

ntão o futur o

se u

Viveremos e

io s

ntár inve

po é

te

en

tem

es

pr

O

o

á um

ir xist

er

. ntar agua

dor. sala avas

a?

rd

pe

para

, acão

or

fáci l

e pre

Sem

em

bl

deu

e fur

ag

o pr não

dess

ão, e

oraç

ímãs os a

E

.

Fala r é se mpr e

part

rmos

pres

eu c iu m

o

s os

N Você

o se

E nã

Capa: Calvin Peter, Juli Isman e Luiza Sayão


Aguardamos os comentários dos leitores! Adriana Silveira – professora de Língua Portuguesa do High School Silvana Scarso Meneghini – coordenadora deTecnologia

Nota das Editoras

É com satisfação que apresentamos a revista “Ou isto ou aquilo”, criada em maio de 2012 pelos alunos do curso de Língua Portuguesa do 9º ano da Escola Graduada de São Paulo. O projeto partiu do estudo da obra de dois conhecidos escritores brasileiros, Carlos Drummond de Andrade e Cecília Meireles, com foco nos temas recorrentes na poesia de ambos. Cada aluno escolheu um poema de um dos autores e, a partir do tema central nele presente, criou seu próprio texto (assinado, na maioria dos casos, com um pseudônimo), usando também imagens que remetessem a tal tema. A ideia da divulgação deste trabalho no meio digital vai ao encontro da busca por aliar tecnologia e educação. A modernização dos meios digitais permite que os alunos demonstrem suas mais diversas habilidades num mesmo espaço (no caso, o da revista eletrônica), uma vez que podem integrar escrita e imagem, por exemplo, buscando entre eles uma relação de sentido– o que por si só já inclui o olhar analítico. Além disso, divulgar ideias em larga escala tornou-se possível por causa da Internet. Bom é ver que essas ideias (boas ideias!), comunicadas em forma de poesia, ganham agora o mundo. Agradecemos a todos os que nos apoiaram neste projeto, em especial a Blair Peterson, diretor de High School, a Angelina Fregonesi, diretora do departamento de Estudos Brasileiros, e a Eloisa Galesso, coordenadora do mesmo departamento.


4 O Relógio & Furacão Eterno

6 Mãos Dadas & O Tempo é Agora

10 O Tempo Passa? Não Passa? & Amigo e Inimigo

12 Para Sempre & Perco a Razão

16 Consolo na Praia & Vivendo de Memórias

18 Mãos Dadas & Por Favor

14 8 Epigrama #9 & Já

Cortando o Tempo & O Tempo Vai, o Tempo Vem

20 Fácil e Difícil & Expressando su Mente


O Relógio

Nenhum igual àquele. A hora no bolso do colete é furtiva, a hora na parede da sala é calma, a hora na incidência da luz é silenciosa. Mas a hora no relógio da Matriz é grave como a consciência. E repete. Repete. Impossível dormir, se não a escuto. Ficar acordado, sem sua batida. Existir, se ela emudece. Cada hora é fixada no ar, na alma, continua soando na surdez. Onde não há mais ninguém, ela chega e avisa varando o pedregal da noite. Som para ser ouvido no longilonge do tempo da vida. Imenso no pulso este relógio vai comigo.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


Ele passa sem observar A paisagem espetacular, Tentando ganhar a corrida Da qual o prêmio é o fim. O defeito desse furacão É que ele suga a nossa humanidade, Alterando o nosso rumo fazendo o tempo nos controlar. Mas não podemos deixar, Pois a vida é muito curta! Esse furacão eterno, que destrói as nossas vidas, Deve ser completamente alterado Para aproveitarmos o máximo de nossas vidas E não sermos presos a ímãs desse furacão, avassalador. TIC... TAC... TIC... TAC...

CALPETR

FURACÃO ETERNO

TIC... TAC... TIC... TAC... O tempo vai passando Como um pássaro voando, Sem nenhum controle, Igual a um furacão.


Mãos Dadas

Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças. Entre eles, considero a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas. Não serei o cantor de uma mulher, de uma história, não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela, não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida, não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins. O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente. ~Carlos Drummond de Andrade


~Juls

O Tempo É Agora

Nosso problema é não esquecer o passado. Nosso problema é deixarmo-nos preocupar demais com o futuro. Nosso problema é perder o presente E nos encontramos trancados num ciclo de tristeza, Por não termos aproveitado o que tínhamos sem saber. Que tal abrir os olhos hoje? Esquecer o que aconteceu ontem? Parar de pensar no que vai acontecer amanhã? Temos amigos para ajudar-nos a criar o inesquecível. Temos família para ajudar-nos a superar os imprevistos. O tempo é agora E passa rápido demais para só passarmos por ele.


Epigrama #9

O vento voa, a noite se atordoa, a folha cai. HaverĂĄ mesmo algum pensamento sobre essa noite? sobre esse vento? sobre essa folha que se vai?

CecĂ­lia Meireles


Já?

Com seis anos, a pior coisa que poderia me acontecer seria minha mãe perceber que eu havia comido doce antes do jantar. Em um piscar de olhos, tenho dezesseis. Será que dá para ir à festa? Terminar a tarefa? Ficar com a minha família? A pior coisa seria minha mãe perceber que eu havia bebido na festa… Agora tenho vinte e seis.. Já? Nem lembro como foi o meu primeiro beijo, agora a pior coisa seria se meu namorado não me pedisse em casamento.. Agora, trinta e seis… Já? Que horas busco meu filho na escola? A pior coisa seria se ele comesse besteira antes do jantar… Agora, quarenta e seis… Já? Que horas busco meu filho na festa? A pior coisa seria se ele bebesse… Agora, cinquenta e seis… Já? Como chama a namorada do meu filho mesmo? Agora sessenta e seis... Já? Quando que é o meu aniversário de casamento? Quantos anos tem o meu netinho? Agora, setenta e seis... Nem me lembro a pergunta que tinha que fazer. E agora? CK


O Tempo passa? Não passa O tempo passa? Não passa

O tempo nos aproxima

E nosso amor, que brotou

cada vez mais, nos reduz

do tempo, não tem idade,

transcendem qualquer medida.

a um só verso e uma rima

pois só quem ama escutou

Além do amor, não há nada,

de mãos e olhos, na luz.

o apelo da eternidade.

amar é o sumo da vida. Não há tempo consumido São mitos de calendário

nem tempo a economizar.

tanto o ontem como o agora,

O tempo é todo vestido

e o teu aniversário

de amor e tempo de amar.

Carlos Drummond de Andrade

é um nascer a toda hora. O meu tempo e o teu, amada, E nosso amor, que brotou

transcendem qualquer medida.

do tempo, não tem idade,

Além do amor, não há nada,

pois só quem ama escutou

amar é o sumo da vida.

o apelo da eternidade.

São mitos de calendário

no abismo do coração.

tanto o ontem como o agora,

Lá dentro, perdura a graça do amor, florindo em canção.

e o teu aniversário é um nascer a toda hora. .


Amigo e Inimigo O Tempo é seu pior inimigo e melhor amigo, muito complexo. Quando você quer que o tempo passe, ele fica. Quando você quer que o tempo fique, ele passa. E quando você mais precisa dele, ele de repente desaparece! Quando você o tem, a única coisa que você quer é que ele passe rápido. O tempo é mais valioso do que dinheiro ou ouro. Nunca perca tempo fazendo coisas de que você não goste. Passe o tempo com pessoas que ama. Mc Moraes


Para Sempre

Por que Deus permite Que as mães vão-se embora? Mae não tem limite, É tempo sem hora, Luz que não apaga Quando sopra o vento E chuva desaba, Veludo escondido Na pele enrugada, Água pura, ar puro, Puro pensamento. Morrer acontece com o que é breve e passa Sem deixar vestígio. Mãe, na sua graça, É eternidade. Por que Deus se lembra - Mistério profundo – de tirá-la um dia? Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei: Mãe não morre nunca, Mãe ficará sempre Junto de seu filho E ele, velho embora, Será pequenino Feito grão de milho. -- Carlos Drummond de Andrade


Perco a Razão

Sem razão eu não consigo viver, Muito menos vencer, Pois nunca perco um argumento E se eu perder, creio que vou derreter, Como perdi você, E não vou mais te ter, Eu prefiro morrer, Do que sofrer com você, Porque eu sei que isso vai acontecer Como já ocorreu E quando aconteceu, Você partiu meu coração, e não deu para aguentar. JK


Cortando O Tempo

Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se de o nome de ano, Foi um individuo genial. I ndustrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze messe dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Ai entra o milagre da renovacao e tudo começa outra vez, como outro numero e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente -Carlos Drummond de Andrade


O Tempo vai, o Tempo Vem

O tempo vai, o tempo vem em. tr m u o m co o id p rá o d n a pass Mais cedo ou mais tarde, s. chegamos onde queremo inutos m 0 6 , to u in m r o p s o d n u g 60 se por hora, , 10 o n a r o p s ia d 5 6 3 , ia d r o p 24 horas por século s o n a 0 0 1 , a d ca é d r o p s o an e 1000 anos por milênio. Onde estamos? as se is co s a , o p m te o d r a ss a p Ao líticas, o o p s ia g lo o e id , o iã lig re , m perde bom senso. ando durante in re ce le va re p e d a ld a m A da estão in a e u q s o n a s ro u d e s o g lon por vir.

-Stamos


Consolo na Praia  

Vamos, não chores. A infância está perdida. A mocidade está perdida. Mas a vida não se perdeu.

Algumas palavras duras, Em voz mansa, te golpearam. Nunca, nunca cicatrizaram. Mas, e o humour?

O primeiro amor passou. O segundo amor passou. O terceiro amor passou. Mas o coração continua.

A injustiça não se resolve. A sombra do mundo errado Murmuraste um protesto tímido. Mas virão outros

Perdeste o melhor amigo. Não tentaste qualquer viagem. Não possuis um carro, navio, terra. Mas tens um cão.

Tudo somado, devias Precipitar-te, de vez, nas águas. Estás nu na areia, no vento… Dorme, meu filho.

Carlos Drummond de Andrade


Porém, existe uma certa Serenidade no conceito de Viver de memórias.

Sempre existirá um inventário sem fim Ali, esperando Em níveis fundos de sua consciência, Mas, é claro, Só se você decidir Viver de memórias.

Emoções podem ser guardadas, Trancadas por anos a fio, Para aqueles que preferem Viver de memórias.

Bibi Fields

Vivendo de Memórias

A vida passa, Os tempos mudam. Não basta só Viver de memórias.


Mãos Dadas

Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças. Entre eles, considero a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas. Não serei o cantor de uma mulher, de uma história, não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela, não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida, não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins. O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente. ~Carlos Drummond de Andrade


Leticia

Por Favor...

Vamos, meu povo! O que vocês estão esperando? Comprem já suas passagens para o paraíso! Vamos todos! Ah, façam-me um favor! Vamos fechar os olhos para a realidade, Já que o presente está difícil, Não é tão mais simples? Viveremos então o passado, Vamos ignorar o nosso verdadeiro eu, Que foi tão melhor e perfeito. Vamos ignorar as imperfeições Viveremos então o futuro, E viver um conto de fadas, Que será tão melhor e perfeito, Porque, afinal de contas, Pois com tanta ação, Eles existem, não é mesmo? De simplesmente sentar e Utopias existem! sonhar , Oh, a perfeição! Com certeza resolveremos todos Como ela é presente em nossas vidas! os nossos problemas. Ah, façam-me um favor! Ah, façam-me um favor! Agora, por favor, Me contem de todos aqueles momentos Em que ignorar o presente E viver o passado Resolveu todos os problemas.


Facil e difícil de Carlos Drummond

Fácil é demonstrar raiva e Falar é completamente fácil, quando se impaciência quando algo o deixa tem palavras em mente que se irritado... expresse sua opinião... Difícil é expressar o seu amor a Difícil é expressar por gestos e atitudes, alguém que realmente te conhece. o que realmente queremos dizer. Fácil é viver sem ter que se preocupar Fácil é julgar pessoas que estão sendo com o amanhã... expostas pelas circunstâncias... Difícil é questionar e tentar melhorar Difícil é encontrar e refletir sobre os suas atitudes impulsivas e as vezes seus próprios erros. impetuosas, a cada dia que passa.

Fácil é fazer companhia a alguém, dizer Fácil é mentir aos quatro ventos o que o que ela deseja ouvir... tentamos camuflar... Difícil é ser amigo para todas as horas e Difícil é mentir para o nosso coração. dizer a verdade quando for preciso. Fácil é ver o que queremos enxergar... Fácil é analisar a situação alheia e Difícil é saber que nos iludimos com o poder aconselhar sobre a que achávamos ter visto. mesma... Difícil é vivenciar esta situação e saber Fácil é ditar regras e, o que fazer. Difícil é segui-las..


Quando a situação não é nossa, é fácil dizer o que é certo ou errado. Difícil é saber o que a gente tem que fazer na nossa situação.

Moral da história, as coisas são sempre mais fáceis do que difíceis.

Expressando sua mente de Ju

Falar é sempre fácil. Estamos sempre falando. Palavras sempre estão nas nossas mentes. Mas é difícil expressar o que você realmente sente.


MEIRELES, Cecília. Poesia completa. Rio de janeiro: Nova Aguilar, 1993.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2003.


Ou Isto Ou Aquilo - Edição Grupo 1/2012