Issuu on Google+

FRANCISCO RIO MICELI FUNDADOR 1937

75 a nos

www.ovilamariana.com.br

São Paulo, Abril de 2013

edição n0 12

ano 2

EDITORIAL 19 - Dia do Índio, 21 - Tiradentes e 22 - Dia do Planeta

EDUCAÇÃO Desenvolvimento. O quanto fazemos por nós ? pág 11 AUDITÓRIO IBIRAPUERA: Programação Cultural pág. 07

CINEMATECA: Festa Internacional da Francofonia pág.14

CASA DAS ROSAS:

SAÚDE

Direitos Autorais. Pag. 03

Vírus do Papiloma Humano pág. 18

DIREITO: Previdência Social pág. 04

TEATRO: Veja a programação do mês de abril. pág. 10

CINEMA: O Cinema de David Lynch. pág. 6 ESTÉTICA: Hormônios e Beleza. pág 12 MULHER: A Depilação Moderna. pág 15 MÚSICA: O Plágio. pág. 13 SOS VILA MARIANA: Nosso corpo, nossa casa, nossa cidade pág.19 LETRAS E IDÉIAS: A essência do imaginário. pág.08


O Vila Mariana - Abril de 2013

EDITORIAL

CAROS LEITORES, Quer presente melhor? Entramos na edição de aniversário de 1 ano. Só quem mora aqui sabe que Vila Mariana é um dos melhores Bairros de São Paulo. Lugar de gente feliz. Conquistar cada leitor deste Bairro é uma luta diária. A nossa realização se justifica também a cada novo anunciante a cada contrato renovado, a certeza da nossa credibilidade quando um novo cliente assina um contrato, a confiança no trabalho quando um novo ponto de distribuição é aberto… e assim vem sendo, neste ano, dia após dia. Como é prazeroso e gratificante saber da aceitação do nosso trabalho vindo de cada um dos nossos leitores e anunciantes. Nossa luta continua… outros anos estão por vir. Obrigado! Aos nossos leitores, anunciantes, colaboradores e parceiros! Quero agradecer em especial a Gráfica do OESP. Heber Micelli Jr. Dia 19 – Dia do Índio: O dia do Índio tem como função relatar os direitos indígenas e faz com que o povo brasileiro saiba da importância que eles tem na nossa história. Dia 21 – Tiradentes: Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes No Brasil, é reconhecido como mártir da Inconfidência Mineira patrono cívico do Brasil, patrono também das Polícias Militares dos Estados e herói nacional. Dia 22 – Dia do Planeta Terra: Foi criado pelo senador americano Gaylord Nelson no dia 22 de Abril de 1970. Tem por finalidade criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger a Terra.

www.stockadas.zip.net Facebook: Paulo Stocker

Museu do Viajante “Viajamos para que? Para onde? Como? Museu do viajante nasce para alimentar, dar suporte ao “sonho do viajante” Acesse o site: festivaldeideias.org.br e conheça mais idéias como de: Adriano Garbelini

Editor

Heber Micelli Jr. Departamento comercial

Heber Micelli Jr.

Editor caderno motor

Rubens Heredia

Representante Comercial USA-Miami Daniel Sossa Revisão Daniela Rizzo Direção de arte

cya! studio

Colaboradores Antonio Santos, Aristides Campos Jannini, Elaine GN. Santana, Isis Utsch, João Soares, Luis Carlos Facuri, Maria Fernanda de Biaggi, Maria da Paz Soares, Marília Martins, Marilen Amorim, Monica Paoletti, Michele Mauren Haikal, Nilza Amaral, Paulo Stocker , Raquel C. S. Bohnstedt, Rubens Heredia, Vicente Miceli, Zaquie C. Meredith, Wallescka Viotti e Wilson Curia

Impressão OESP Gráfica Tiragem: 8.000 exemplares Telefone

(11) 99829-7229 4999-5543 e-mail

contato@ovilamariana.com.br site

www.ovilamariana.com.br Publicação mensal As opiniões e os conteúdos emitidos nas matérias assinadas são de responsabilidade do autor, assim como o conteúdo dos anúncios é de responsabilidade dos anunciantes.

2

ESTAMPA-FLOR Tanto tempo, idas vidas, vindas, amores em intentos, histórias findas...

Talvez pudera, onírico sonhar em paixão, meu descortinado abrigo, alento em outrora ilusão, ou será mais um castigo?... Quem será,

Tônica de translouca busca, quiçá um novo roteiro, sinopse de vida oscilante, amor derradeiro, em meu escuro, uma luz ofusca, hesitando intuir, coração palpitante... ou meu Sísifo em repetição?... Encontros foram muitos, restaram desatinos, sou árvore de doces frutos, cão sem dono, sem destino...

Será você?...

Um Eros errante, jamais cabotino, sonhador e viajante, homem-bardo, centauro-menino...

Sendo você,

Vislumbro pensando, sinto refletindo, ousar gostando, reluto, permitindo...

Estampa-flor, minha elação...

num segundo-clichê, sairá em manchete na primeira-edição! n.a.-inspirado na minha adorada musa (Wallescka) Luís Carlos Facuri lcfacuri@hotmail.com


POESIA & LITERATURA

O Vila Mariana - Abril de 2013

Casa das Rosas Direitos Autorais Organizado pelo Centro de Apoio ao Escritor da Casa das Rosas, o Fórum sobre Direitos Autorais acontece na terça-feira, 16 de abril, às 19h30. Juca Novaes e Luciana Esther de Arruda, advogados especialistas no tema, participam da conversa, que abordará diversos aspectos dos direitos do autor e do uso de imagens, de acordo com a legislação vigente. Além de advogado com especialização em Direito Autoral, Novaes também é cantor, compositor e produtor e atual presidente da comissão de direto do entretenimento da OAB/SP. Também é procurador do município de São Paulo e conselheiro do International Council of Creators of Music (Ciam). De 2010 a 2012, presidiu a comissão de direito imaterial da OAB/SP. Formada pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), Luciana atua desde 1992 na área de Direitos Autorais e Propriedade Industrial (marcas e patentes), é agente da propriedade industrial pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial no Brasil e sócia da empresa Azpi Serviços de Propriedade Intelectual, especializada em assessoria e consultoria extrajudicial e negocial em Propriedade Intelectual, Direitos de Personalidade e correlatos, no Brasil e no exterior. E ainda tem concerto na programação Para homenagear Luiz Carlos Lessa Vinholes, músico de vanguarda, poeta

concertista, crítico musical, adido cultural e divulgador da cultura brasileira, o Centro de Referência Haroldo de Campos da Casa das Rosas promove o concerto 80 anos em 80 minutos na sexta-feira, 26 de abril, às 20h. Sob a direção musical do pianista e compositor SergioVillafranca, o concerto traz peças de L. C. Vinholes que revelam sua trajetória desde a música dodecafônica, sistema de organização da escala musical criada pelo compositor austríaco Arnold Schoenberg (1874-1951), até a aleatória, estilo musical desenvolvido no século XX, pelo compositor francês Pierre Boulez, em que alguns elementos da composição são deixados ao acaso. A apresentação será intermediada por comentários do próprio compositor, nascido em Pelotas (RS), em 1933. Considerado pioneiro da música aleatória no Brasil, Vinholes é especialista em música japonesa antiga e foi aluno e secretário do compositor, musicólogo e professor Hans-Joachim Koellreuter (1915-2005) na década de 1950. Ciclo de saraus A PLENOS PULMÕES Apresentação: Marco Pezão. Sábado, 6 de abril, 19h. As inscrições começam uma hora antes do sarau. O MENOR SLAM DO MUNDO Curadoria: Daniel Minchoni. Sábado, 13 de abril, 19h30.

Baseado nos slams, o sarau propõe um jogo de poesia em que os participantes apresentam, em 10 segundos, suas qualidades poéticas e performáticas. CHAMA POÉTICA Direção: Fernanda de Almeida Prado. Sábado, 20 de abril, 19h30. A proposta do Chama Poética é difundir e fomentar a arte por meio da poesia, da literatura e da música.O Chama Poética apresenta O Banquete e O Discurso Amoroso. “O QUE É A POESIA?” Curadoria e mediação: Edson Cruz. Sábado, 27 de abril, 19h30. O poeta e editor Edson Cruz convidou poetas de várias linhagens para refletirem sobre o fazer poético. QUINTA POÉTICA Curadoria: Paulo Sposati Ortiz.

Promovido pela Escrituras Editora. Quinta-feira, 25 de abril, 19h. Reúne boa poesia, com diferentes expressões artísticas, como dança, música, artes plásticas e cultura popular, envolvendo a leitura dos poemas. A 56º edição, cujo tema é Entre o poema e a prosa: O verso do avesso. SERVIÇO Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura Avenida Paulista, 37 – próximo à Estação Brigadeiro do Metrô. Horário de funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 18h. Convênio com o estacionamento Patropi: Alameda Santos, 74. Tel.: (11) 3285-6986 / (11) 3288-9447. Blog:www.casadasrosas-sp.blogspot.com Twitter: www.twitter.com/casadasrosas Facebook: http://www.facebook.com/casadasrosas

3


DIREITO

O Vila Mariana - Abril de 2013

“Acompanham não só as notícias, mas também a legislação...”

Será que sua aposentadoria está correta? Boa parte das aposentadorias não está calculada de forma correta, ou porque não teve o reajuste adequado, ou porque foi enquadrada ou calculada incorretamente, ou porque não foi devidamente convertido o tempo especial em comum ou até mesmo porque foram feitos simples erros de digitação. Não é novidade que o INSS vem cometendo, há muito tempo, diversas injustiças com seus segurados. Só que antigamente era mais difícil de comprovar o erro e vê-lo reconhecido. Agora está bem mais fácil reconhecer o direito do segurado. A criação dos Juizados Especiais Federais, o posicionamento dos juízes frente às diversas questões bem como as recentes decisões dos tribunais faz com que as revisões sejam realizadas com maior rapidez.

Além disso, percebe-se que hoje em dia os aposentados estão cada vez mais bem informados a respeito de seus direitos. Acompanham não só as notícias, mas também a legislação, que muda a cada momento. Como quem tem o conhecimento, tem o poder, vê-se que nos dias de hoje os aposentados têm condições de EXIGIR que seus direitos sejam respeitados e reconhecidos não só administrativamente, como também judicialmente! Existem revisões que já são “causas ganhas”, como por exemplo, a revisão do IRSM, em que os aposentados foram prejudicados pela não aplicação do índice do IRSM do mês de fevereiro de 1994 no cálculo de sua aposentadoria, a revisão da ORTN, a do “Buraco Negro” e a famosa revisão do Teto Previdenciário para quem se aposentou entre julho de 1988 e dezembro de 2003 e teve o salário de contribuição limitado ao teto na hora da concessão. Agora, mais recentemente, o Supremo Tribunal Federal reconheceu o direito à revisão do benefício mais vantajoso para aqueles que poderiam ter se aposentado antes, mesmo que de forma proporcional, com um valor maior. Além destas, existem muitas outras revisões que, inclusive, possuem destaque na mídia, alertando os aposentados sobre os erros praticados pelo INSS e sobre as decisões judiciais favoráveis. Milhares de pessoas têm seu benefício concedido de forma errada e, infelizmente, permanecem com esse benefício errado para sempre,

R u a R i o G r a n d e , 9 3 / 10 7 Vi l a M a r i a n a – S ã o Pa u l o – S P T E L S : 5 5 71 - 8 7 8 7 / 5 0 81 - 5 2 4 7 Aberto das 06:00 ás 23:00 E - m a i l : c o n ta t o @ p a o fa m i l i a r . c o m . b r w w w. p a o fa m i l i a r . c o m . b r

4

julgando que foi concedido corretamente pelo INSS. Não imaginam que podem majorar seu benefício e receber os atrasados que não lhe foram pagos e que lhe pertencem de direito. Mesmo tardiamente, após o falecimento do segurado, é importante verificar se o benefício foi concedido de forma correta, porque benefícios concedidos incorretamente geram pensões por morte incorretas. A revisão feita na aposentadoria reflete em aumento na pensão recebida pelo dependente. Além dos atrasados e do reajuste do benefício mensal, cabe até mesmo um pedido de danos morais por causa da conduta ilegal do INSS que não respeitou a lei, causando com tal procedimento prejuízos ao segurado que teve seu benefício reduzido. Porém, nem sempre os aposentados terão direito à revisão. Muitas vezes, a aposentadoria está correta e não há nada a fazer. É preciso checar a documentação do segurado. É através da análise criteriosa desses documentos que é feito o cálculo e avaliada a possibilidade de obter êxito numa ação de revisão. Marilen Amorim contato@marilenamorim.com.br Advogada OAB/SP 129.045


COMPORTAMENTO

O Vila Mariana - Abril de 2013

Viver em Condomínio O espelho de Gandhi

Viver em condomínio

Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos. Ele respondeu: “A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade. A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis se eu sou amável, que as pessoas são tristes se eu estou triste, que todos me querem se eu os quero, que todos são ruins se eu os odeio, que há rostos sorridentes se eu lhes sorrio, que há faces amargas se eu sou amargo, que o mundo está feliz, se eu estou feliz, que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva e que as pessoas são gratas se eu sou grato. A VIDA É COMO UM ESPELHO: SE VOCÊ SORRI PARA O ESPELHO, ELE SORRI DE VOLTA. A atitude que eu tomo perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante a mim. Quem quer ser amado, ama. O caminho para a felicidade não é reto. Existem curvas chamadas EQUÍVOCOS, existem semáforos chamados AMIGOS, luzes de cautela chamadas FAMÍLIA, e tudo se consegue se tens um estepe chamado DECISÃO, um motor poderoso chamado AMOR, um bom seguro chamado FÉ, combustível abundantes chamado PACIÊNCIA, mas acima de tudo um motorista habilidoso chamado DEUS!”

Faz algum tempo li um artigo numa revista que fazia um comentário sobre a convivência entre os vizinhos de um condomínio. Naquela ocasião eu ainda não morava em apartamento. Por circunstâncias várias tive que me mudar para um deles e lembrei-me de alguns trechos do que eu havia lido. Nos idos tempos a população vivia em pequenas cidades e a maioria das pessoas se conheciam pelo nome e sobrenome e até pelo apelido carinhoso: Zé da Farmácia, Padre Chico, Bolão (agora é bullying) e outros. A bem da verdade, nem sempre a convivência era fácil, mas você teria que aderir “politicamente”, para usarmos o termo bastante utilizado nos dias de hoje, mesmo que algumas pessoas não seguissem a sua cartilha.

Mohandas Karamchand Gandhi, mais conhecido como Mahatma, que significa “grande alma”.

Hoje em dia a situação é bastante diferente, as cidades cresceram e consequentemente a população e os hábitos mudaram. Fomos quase que obrigados a aderir a era tecnológica. Até nos elevadores somos controlados/vigiados pelas câmeras de segurança e aparelhos internos de TV, e não se pode, principalmente para as mais vaidosas já no elevador, dar uma “miradinha” no espelho para retocar a maquiagem ou dar uma ajeitadinha que falta no cabelo e, para variar, captar a última mensagem recebida no seu celular: Benhê, já estou descendo. Bjs (beijos) claro...tchau. Em outras palavras, perdemos o valioso contato “tête-á-tête” com os cidadãos. O máximo que se consegue hoje é agregar um seleto grupo de amigos, gente condizente com nosso estilo de vida, para uma rodada de chopp, um joguinho amistoso de futebol entre solteiros e casados, um churrasquinho num sitio próximo, rapidinho, porque na segunda feira temos uma reunião muito importante, daquelas que se discute bastante e não se resolve nada (quase), fica para a próxima. Gente enjoada nunca mais. Com os “Facebooks” e internet a situação “involuiu” no sentido de

comunidade. Tudo indica que dificilmente vá se criar, através dos internautas, uma comunidade como em outros tempos. Refletindo um pouco, teremos que fa-

zer um pequeno esforço para conviver com nossos vizinhos apesar de “chatos” e de opiniões e gostos diferentes e arrogantes, “sabe com quem você está falando?”, etc. Se você parar para conversar um pouquinho com seu vizinho ele poderá ter alguma coisa interessante para lhe dizer. Mas preste atenção, temos que estar com o espírito preparado, sermos um tanto tolerantes, compreensivos e estarmos abertos a novas ideias. Muitas vezes não se faz o que se gosta, mas o que é necessário deve ser feito. Portanto se você tem um vizinho “crica”, cumprimente-o de forma diferente toda vez que encontrá-lo, nem que seja no elevador. Um “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite”, não custa nada. E se for acompanhado por um sorriso, melhor ainda. Antonio Santos

5


O Vila Mariana - Abril de 2013

CINEMA

O Cinema dos Sonhos de David Lynch “As ideias são como peixes. Se quisermos capturar peixes pequenos, podemos ficar pelas águas pouco profundas. Mas, se quisermos capturar os peixes grandes, temos que ir mais fundo. Nas águas profundas, os peixes são mais poderosos e mais puros. São enormes e abstratos. E são muito bonitos.” David Lynch é, sem dúvida nenhuma, a melhor expressão de suas narrativas. Lynch não é apenas um diretor de cinema com a incrível capacidade de transformar a imagem em arte, ele também faz pinturas, fotografias, esculturas, desenhos, animações e música. Nascido em 20 de janeiro de 1946, numa cidadezinha nos Estados Unidos (Missoula, Montana), ele conta que aos 14 anos teve seu primeiro contato com arte através do desenho e logo aos 19 anos ingressou na Academia de Belas Artes da Pensilvânia. Começando com pinturas abstratas, seus quadros logo ganharam um ar mórbido, enquanto esperava a tinta secar uma mariposa bate na tela e se gruda nela, ficando ali até morrer. A ideia da dicotomia entre o vivo (a mariposa) e o morto (a pintura) foi arrebatadora e Lynch passou a criar quadros sempre usando objetos do mundo real como animais mortos, folhas secas e até pedaços de carne. Quando percebeu que as artes plásticas tinham a limitação do movimento, David Lynch então criou

6

seu primeiro curta-metragem (Six Figures Getting Sick, 1966), uma animação onde seis cabeças esculpidas por ele vomitavam seis vezes. Outros dois curtas vieram depois: The Alphabet (1968) e Grandmother (1970). Ainda na Filadélfia, a gravidez inesperada de sua namorada na época, foi um acontecimento tortuoso e angustiante, a obrigação do casamento lhe parecia um pesadelo claustrofóbico e se misturava a paisagem fria e industrial da Pensilvânia. Sentindo ter perdido o tato com a realidade, David Lynch então

filmes autorais, com características inconfundíveis que muitos chamam de “Lyncheanas”. Quadro a quadro é possível reconhecer seu estilo, o som é o elemento principal que joga o espectador direto no clima da cena e a direção de arte é trabalhada com perfeição para desenhar o clímax da imagem, com jogo de luz e sombra e uso de cores marcantes como vermelho. Os personagens lyncheanos são sempre bem construídos com a projeção do indivíduo duplo, para realçar a sensação imaginária do que se gostaria de ser ou daquilo que se quer esconder e assim recriar a realidade. São muitos os aspectos que impressionam na obra de David Lynch, ele é um inquieto artista multimídia, que se equilibra entre projetos variados. Sua última obra é Idem Paris (2012), um curta-metragem filmado em uma gráfica especializada em litografia, fundada em 1880 em Paris, frequentada por Picasso, Matisse e Miró. Idem Paris é uma metáfora ao consumo em massa da arte, através da máquina de impressão, uma verdadeira viagem ao processo artístico. O curta pode ser visto na internet na página do You Tube.

criou seu primeiro longa-metragem, Eraser Head (1976), que conta a história de Henry, um operário de fábrica que fica preso a um mundo sem sentido quando descobre que sua namorada está grávida. Este longa logo se tornou um cult e atraiu a atenção do produtor Mel Brooks, que o contratou imediatamente e dessa parceria surgiu o filme O Homem Elefante (1980), que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar de Melhor Diretor. Isis Utsch e Mas Lynch nunca se adaptou ao Maria Fernanda De Biaggi modelo Hollywoodiano, desenvol- nucleopontoq@gmail.com vendo seu próprio sistema de fazer


CULTURA

O Vila Mariana - Abril de 2013

AUDITÓRIO IBIRAPUERA 5 e 6 Abr 2013 | 21h RAPPIN HOOD FUTEBOL CLUBE Acompanhado do seu time de músicos, Rappin Hood apresenta seu show “Rappin Hood – Sujeito Homem”, dedicado aos seus maiores sucessos desde 1990 até os dias de hoje, relembrando os melhores momentos de sua carreira e difundindo o rap com outras vertentes da música popular brasileira, do samba à bossa nova. duração: 60 - 90 minutos (aproximadamente) ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) (livre para todos os públicos) L 6 Abr 2013 | 18h CORO LUTHER KING Após receber o prêmio de Melhor Coro de 2012 pelos críticos da APCA, o Coro Luther King abre a Temporada 2013 de Concertos no Foyer do Auditório Ibirapuera homenageando Vinícius de Morais e sua obra. Com a participação da Camerata Villani e do violonista João Francisco Botosso, dá mostra do seu repertório eclético, passeando entre erudito e popular, marca registrada de sua trajetória. Direção musical: Maestro Martinho Lutero Galati duração: 60 minutos (aproximadamente) gratuito, entrada por ordem de chegada, no foyer do Auditório Ibirapuera (livre para todos os públicos) L

14 Abr 2013 | 19h ESPECIAL ESCOLA DO AUDITÓRIO Formatura de 15 alunos da Escola do Auditório, com apresentação da Orquestra Brasileira do Auditório e convidados especiais. duração: 90 minutos (aproximadamente) ingressos: gratuito (os ingressos serão distribuídos uma hora e meia antes da apresentação) (livre para todos os públicos) L 19 Abr 2013 | 21h CARLINHOS ANTUNES & ORQUESTRA MUNDANA Em “Muvuca”. Participação especial: Grupo Mutrib, Sagar Karahe e Gyaneshree Karahe. A Orquestra Mundana tem como característica convidar artistas do Brasil e do mundo para participar de seus concertos. Em cada apresentação uma novidade que mexe com o público e com os próprios músicos da Orquestra. Para esse concerto inédito, convidam o Grupo Mutrib, a dançarina Gyaneshree Karahe e o tablista Sagar Karahe. duração: 90 minutos (aproximadamente) ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) (livre para todos os públicos) L

7 Abr 2013 | 19h CEUMAR Em “meu mundo só tem começo, meus desejos não têm fim”. Com Priscila Brigante e Lelena Anhaia. O encontro de Ceumar com a percussionista Priscila Brigante e com a baixista Lelena Anhaia mostra a versatilidade e a força feminina que sua música instiga. O repertório do show passeia por todos os álbuns da cantora. duração: 90 minutos (aproximadamente) ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) (livre para todos os públicos) L

21 Abr 2013 | 11h OCAM – ORQUESTRA DE CÂMARA DA USP Regência: Gil Jardim. O Auditório Ibirapuera recebe a Orquestra de Câmara da USP para quatro apresentações no decorrer do ano, sendo três apresentações na plateia interna, nos dias 21 de abril, 26 de maio e 30 de junho e uma para a plateia externa, no dia 22 de setembro. duração: 90 minutos (aproximadamente) ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) (livre para todos os públicos) L

12, 13 Abr 2013 | 21h FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA: OS PARLAPATÕES REVISTAM ANGELI Em espetáculo criado especialmente para o Festival de Curitiba, os comediantes do grupo teatral Parlapatões encenam personagens do cartunista Angeli como Rê Bordosa, Meia Oito, Bob Cuspe, Bibelô, Moska e Os Escrotinhos, entre outros. Com trilha sonora do titã Branco Mello e direção do parlapatão Hugo Possolo. duração: 90 minutos (aproximadamente) ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) classificação indicativa: 16 anos

28 Abr 2013 | 19h FUNK COMO LE GUSTA Em “A Cura pelo Som” O grupo apresenta o espetáculo “A Cura pelo Som”, com direção assinada pelo próprio grupo e produção artística do integrante Emerson Villani. No repertório, experimentações e composições dos últimos sete anos de carreira, incluindo instrumentais como “La Vida Irá” e as cantadas “Muchacha Fantástica” e “Sem Amor”. duração: 90 minutos (aproximadamente) ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) (livre para todos os públicos) L

Auditório Ibirapuera www.auditorioibirapuera.com.br ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada) livre para todos os públicos) L

7


O Vila Mariana - Abril de 2013

LETRAS E IDÉIAS “O comum torna-se fantástico ou maravilhoso...”

A essência do imaginário - Das flores às nuvens O homem procura diferentes meios como catarse. Quer livrar-se da opressão do mundo real e transportar-se à condição ideal. Então constrói um mundo à parte, onde recriará seu admirável mundo novo, como Huxley. Tivéssemos a liberdade de construir refúgios independentes em todos os sentidos, quer dos padrões vigentes da arquitetura, quer dos padrões estabelecidos pela sociedade, teríamos a utopia concretizada, pois há esse sonho implícito na própria palavra: o sonho da liberdade. Certamente Gabriel, o construtor da Casa da Flor, inconscientemente tentasse realizar esse sonho construindo o seu abrigo espiritual com os objetos do mar - o grande provedor, e da natureza. Exatamente como Gabriel, o construtor da Casa da Flor, uma casa

8

construída com dejetos expulsos do mar para as praias, o escritor, prosador ou poeta, constrói seus universos utópicos, suas obras repletas de personagens ideais. O ingresso nes-

se mundo fantástico é a vontade de nele existir enquanto durar o tempo de leitura, seja do romance, da novela ou do poema. Os seres irreais que criam vida dentro daquele universo são construídos a partir da essência do imaginário. A escritura é a casa que abriga o criador. As pedras que a constroem, como as conchas de Gabriel, são as palavras que vão dando a forma aspirada por esse arquiteto do imaginário, e cuja arquitetura pode fugir muito do conceituado provocando críticas e exigindo explicações. Proust fala de palavras que formam uma crosta e bloqueiam os canais de nossa vida íntima, ao passo que outras leves fluidas e respiráveis circulam livremente em nosso sistema. Shelley compara as palavras a uma nuvem de serpentes aladas. Milton as considera como ágeis e aéreos servidores, voando à nossa volta e a nós subordinados. Remeto-me às flores parecidas com flores de glacê com que Gabriel enfeitou a sua casa. Se a criação naïve de Gabriel nos leva ao devaneio e, como Fernando Freitas Fuão relata, ao espiritual, a estrutura de sua casa coteja perfeitamente com a estrutura de uma obra de criação literária: a argamassa, a forma, os elementos - as palavras. Os bancos colocados ao longo dos muros, a varanda com o jardim de flores, representam os equilíbrios e os desequilíbrios existentes no universo de palavras: o repouso e o sobressalto, a respiração, a inspiração, a preparação para a leitura. Na saída, na varanda de flores, o espaço à reflexão do visto, no caso da casa construída caco a caco, e do lido no caso da obra, construída palavra por palavra. O fantástico e o maravilhoso estão dentro de nós pedindo passagem, e o homem faz de sua

realidade um conjunto de mitos em que acredita, e se assim não fosse, o espírito criativo se apagaria. Os surrealistas contribuem com grande parte do nosso imaginário, quando revestem qualquer fato banal do quotidiano, de outro valor repensado, em delírio. O comum torna-se fantástico ou maravilhoso porque sugere outra faceta de sua proposta anterior. Essa passagem se dá pelos sentidos sem que sejam necessárias explicações do mundo “normal”. A casa de Gabriel é fantástica porque foge dos padrões e nos faz delirar. Se tudo é efêmero, não podemos deixar a imaginação fenecer. Temos que teimar em desenvolver o nosso projeto criativo que será infinito se alimentado. Ou então perderemos até a luz que ilumina o nosso espírito como o garoto que não se lembrava com que frequência o sol alumiava aquelas paragens porque só tinha treze anos.

Nilza Amaral

Ficcionista brasileira. Autora de várias obras em português e outras línguas, vencedora de vários prêmios literários, procurando o caminho do céu na literatura.


REFLEXÃO / POEMA

O Vila Mariana - Abril de 2013

Reflexão PAIXÃO Te Amar como eu te amo somente quem explica é a grande paixão. Paixão de te amar, a arte de viver com você no meu pensamento e no meu coração. A maior paixão do mundo é olhar para mim e encontrar você. Se tudo for tão pequeno procure olhar mais para você, e verá a grande paixão que está contida em você. Portanto a paixão é o compromisso do amor,o amor é o compromisso de te amar, o compromisso de te amar é a grandiosidade DE TER VOCÊ SÓ PARA MIM.

OS TRÊS VS VIM VER VENCI Quando todas as pessoas que não me amavam de verdade e só me criticavam, Deus me levantou e me trouxe aqui para que eu pudesse crescer com a dignidade e o amor. Crescer com carinho, humildade e fé. Em momentos de insegurança o Nosso Pai segurava nas minhas mãos e colocava amigos fortes que transmitiam a palavra do Nosso Pai para poder me levantar. Um dia o Nosso Pai me encheu de coragem e levantou a minha cabeça, me mostrando que eu vi para a terra para crescer e ver tudo o que eu tivesse que ver,mostrou que eu teria que ter fé e paciência para que um dia eu pudesse vencer. Acreditei e procurei fazer tudo o que o Senhor ensinaste para que eu hoje pudesse dizer a todos que com a graça do Grande Deus Todo Poderoso eu venci.

Poemas A mente é mediatista, o coração é sentimentalista. São dois fatores, a razão e a emoção. O sentimento é a pureza da humanidade, é ir além de todos os egos,é crescer como o amor. O coração é a verdade de todo sentimento que carregamos dentro da gente. Acalente a criança que está dentro de você. Aprenda a ouvir o sorriso desta criança que está dentro de você. Assim encontrarás o caminho de volta. Sairás do mundo triste e frio para o mundo de alegria e amor. É melhor viver um curto momento com um amor do que não ter o momento.

Que bom que eu te deixo confuso,porque na confusão dos seus pensamentos eu estou um pouquinho presente em você. Marília Martins

9


TEATRO

O Vila Mariana - Abril de 2013

Peças em cartaz

Divórcio R. Dr. Plínio Barreto, 285 - Bela Vista Tel.: (11) 3254-1700 Site: teatroraulcortez.com.br

Camille & Rodin Av. Paulista, 1578 Tel.: (11) 3251-5644 Site: camilleerodin.com.br

De 11 de janeiro até 26 de maio De 18 de janeiro até 21 de abril Horários: Sextas às 21h30. Sábados às Horários: Sextas e Sábados 21h30. Domingos às 19h30. 21h. Domingos às 19h. Grande Auditório MASP

Sob direção de Otávio Martins, Divórcio traz de forma espirituosa os casamentos instantâneos, os processos intermináveis e a liquidez das relações amorosas atuais.

10

Inaugurando o Teatro MASP, o espetáculo conta a linda e trágica história de amor vivida pelos escultores franceses Camille Claudel e Auguste Rodin e propõe reflexão sobre os caminhos nebulosos da arte, do amor, da inadequação e da loucura por meio de dois grandes gênios criativos ávidos por compreensão e liberdade.

9 Mentiras Sobre a Verdade Rua da Consolação, 1218 Tel.: (11) 3807-0792 Site: commune.com.br

De 14 de março a 19 de abril, quintas e sextas, às 21h. Teatro Commune Já dizia o ditado popular: uma mentira contada mil vezes se torna verdade. Lara, uma suposta atriz de cinema, gostaria que esse ditado popular fosse verdade. Com uma vida sem cor, perdida em meio às frustrações do cotidiano, ela borra constantemente os limites entre realidade e ficção, escrevendo (ou melhor, inventando) suas experiências à maneira que lhe convém. Esse hábito a faz buscar um grupo de apoio a mentirosos compulsivos. Atriz ou dona de casa?

Ator Mentada Teatro Espaço Incenna R. Bagé, 308 Tel.: (11) 5083-7444 Site: escolaincenna.com.br

De 02 de março até 30 de junho Horários: Sábados às 21h13, Domingos às 19h13. Co Direção – Genilda Mansonari . Em Ator Mentada, Mara Carvalho se une a três músicos para cantar um pouco de vida e sonhar um pouco de música. A atriz fala da sua vida revelando suas decepções e alegrias com muito humor. Uma comédia divertida e sensível que envolve seu público em lindas canções num expressivo momento de reflexão.


EDUCAÇÃO

O Vila Mariana - Abril de 2013

Desenvolvimento. O quanto fazemos por nós?

Ao procurar o significado da palavra desenvolvimento, encontramos: ação ou efeito de desenvolver (-se); aumento da capacidade ou das possibilidades de algo; crescimento; progresso; adiantamento; entre outros. A tendência natural das pessoas é desenvolver-se em todas as suas dimensões. Ocorre que algumas dimensões são mais exploradas do que outras o que sugere um desenvolvimento um tanto desequilibrado. O que nem sempre percebemos é que temos a condição de nos reorganizar e buscar o equilíbrio necessário para nos tornarmos pessoas melhores. E nesse sentido pode surgir a pergunta: como equilibrar nossa educação? Sugiro pensarmos partindo do seguinte ponto de vista: o potencial humano de raciocinar nos permite fazer escolhas; essas escolhas nos diferenciam uns dos outros e, com critérios distintos, sabemos que decidimos por algo o tempo todo, desde escolhermos a roupa que vestiremos ao acordar pela manhã até quando nos vemos frente a um impasse, ou um dilema, e é preciso tomar uma decisão relevante. É importante que aprendamos a dar atenção ao que nossos pais e educa-

dores nos ensinam, e é igualmente importante que aprendamos a aprender por nós mesmos. Assim, teremos adquirido a capacidade de nos desenvolver independentemente daqueles que se preocupam com as nossas aprendizagens. Trazendo para uma reflexão mais próxima, do nosso dia-a-dia, certamente já ouviram um adulto dizer a uma pessoa mais jovem: “desconfie de tudo”, ou “confie desconfiando sempre”, ou ainda, “ande atento com o que se passa ao seu redor”. O quanto aqueles que ouvem compreendem dessas informações, ditas de forma tão impactante? Não lhes parece que frases como essas invocam mais dúvidas do que esclarecimentos? Será que se colocarmos de outra forma, não estaremos esclare-

cendo e ajudando um pouco mais? Algo diferente como, por exemplo, dizer que primeiro a pessoa faça uso da observação, depois estabeleça ligações com aqueles aprendizados já imbuídos e pense, abrindo a possibilidade de compreende por si mesma o que estiver em pauta. Caso estranhe a situação, fique em alerta, pergunte se for o caso, busque esclarecimentos, argumente e, dessa forma, estará abrindo a cavidade para que aconteça o tempo de maturação, a elaboração do pensamento, entre outras situações estabelecidas e já internalizadas. Entendo ser possível pensar que essa é uma das formas de levar as pessoas que fazem parte das nossas relações a reverem posturas, atitudes e virem a superar padrões já arraigados. Educação se faz a cada ação, a cada relação e, propiciar

momentos de crescimento próprio é importante para contribuirmos com a tão divulgada formação de cidadãos, de fato, mais autônomos e críticos, capazes de pensar por si mesmos e não somente reproduzirem o que ouviram no decorrer de suas vidas. O aprendizado ocorre por meio do processo cognitivo de cada pessoa e se pensarmos que estamos constantemente em movimento, buscando mais, é possível estabelecer um paralelo e reforçar a ideia de que estamos sempre em processo de aprendizagem, seja essa qual for e na época em que for. Reconhecer o quanto nós nos conhecemos é parte fundamental para nos educarmos e educarmos o outro. Raquel C. S. Bohnstedt www.csa.osa.org.br

11


O Vila Mariana - Abril de 2013

ESTÉTICA

“Bons hábitos de vida colaboram para manter a produção hormonal...”

Hormônios e Beleza A menopausa e a andropausa já há muito tempo são de conhecimento geral. Sabe-se que é a diminuição dos hormônios sexuais e que ocorre com o processo de envelhecimento ou secundariamente a medicamentos ou cirurgias que influam na produção destes. Hoje muitos pacientes vêm apresentando a diminuição destes hormônios precocemente, numa idade que geralmente não seria o esperado. Existem hipóteses, mas independente da causa isto acarreta uma queda na qualidade de vida muito grande tanto para homens quanto para mulheres. Isto faz com que mais cedo as pessoas se sintam cansadas, com diminuição da força muscular, flacidez de pele, perda da libido e várias outras alterações como doenças que seriam mais comuns em idades mais avançadas. É muito importante que nos exames de rotina se inclua os hormônios sexuais. Só assim dará para saber se o paciente tem

ou não menopausa ou andropausa precoce. Muitas vezes ele não atribui alguns sintomas a isto e é raro procurar o médico para saber o que está acontecendo, ou quando procura, muitas vezes por não estar na idade que é mais acometida, não são pedidos tais exames. Na pele, a diminuição da produção de colágeno depois da menopausa e andropausa se faz numa escala muito maior que antes, a própria musculatura sente intensamente a falta dos hormônios. O paciente também perde o desejo sexual e costuma achar que está num período de depressão. Sente muita diferença em seu ânimo de viver que antes era outro e acaba procurando um psicólogo, um psicoterapeuta, e não acha a raiz do problema. Muitas alterações de deposição de gordura também podem ocorrer devido às diminuições hormonais, o metabolismo tende a ficar mais lento, o mesmo tempo de dieta que se fazia antes passa a não ser

mais suficiente, a distribuição da gordura muda, passa-se a engordar em partes do corpo aonde antes isto não acontecia. Na parte estética muito se sente. A flacidez, a hipotonia muscular, a pele realmente muda… É importantíssimo uma suplementação adequada neste momento. Por exemplo, na formação do colágeno, não só os aminoácidos mas também a vitamina C são imprescindíveis. Bons hábitos de vida colaboram para manter a produção hormonal em níveis normais por mais tempo, como uma alimentação rica em aminoácidos e proteínas, exercícios físicos (principalmente os que provocam hipertrofia muscular) e uma suplementação adequada de vitaminas,

fibras e de outras carências encontradas no exame de sangue do paciente. Tudo isto tem que ser acompanhado com a parte clínica do paciente, a pressão arterial, a glicemia de jejum, as funções renais e hepáticas, afinal, os hormônios agem no corpo todo e tudo deve ser monitorado. Lembrar sempre que alimentação e exercícios físicos são peças fundamentais neste processo, assim como os exames e o acompanhamento médico. Saúde e beleza sempre andaram juntas. A falta precoce de hormônios pode causar problemas estéticos que os pacientes não atribuiriam a isto. Os exames de rotina têm que ser feitos e ficar com preguiça de fazê-los é ser negligente consigo mesmo. Se o médico pediu os exames é porque isto é importante, portanto pode tirar aquele pedido de exames da gaveta e ir fazer o mais breve possível, não esqueça de ver se foi incluída a parte hormonal. Boa alimentação, exercício físico e acompanhamento médico adequado: esta é a melhor prescrição para saúde e beleza. Dra. Michele Mauren Haikal CRM 111164 www.dramichelehaikal.com.br

12


MÚSICA

O Vila Mariana - Abril de 2013

“...é impossível evitar-se, por completo, o aproveitamento inconsciente de uma ideia musical...”

O Plágio Mais ainda: por definição legal, não existe algo como plágio harmônico. Harmonia (progressão de acordes) de “Garota de Ipanema”, por exemplo, poderia ser usada em qualquer música sem essa prática ser considerada ilegal.

Do Passado ao Presente

Mozart, 1819.

Be Magic”, McCarthy and Carrol (“I’m Always Chasing Rainbows”) e muitos outros. Na realidade, esta última é um plágio de “Fantasia Improviso Op. 66 em Dó Sustenido”. Wilson Curia

www.wilsoncuria.com.br

Títulos também não podem ser resguardados por Lei (pelo menos nos Estados Unidos). Se desejássemos criar uma composição com o nome de “Eu e a Brisa” de Johnny Alf, não haveria proibição legal para fazê-lo. Ainda com relação ao plágio, a influência de Chopin foi tão grande que podemos encontrá-la não somente em peças clássicas, como também em música pop contemporânea, incluindo composições de Barry Manilow como “Could This

Tom Jobim.

Segundo o “Dicionário da Música” de Robert Fux, plágio significa imitação ou aproveitamento de uma obra intelectual, artística, científica etc., da autoria de outrem, conscientemente e com a intenção de apresentar o trabalho assim produzido como criação própria. Na opinião de quase todos os estudiosos, é impossível evitar-se, por completo, o aproveitamento inconsciente de uma ideia musical já existente, razão pela qual tal aproveitamento não é considerado plágio. O plágio propriamente dito, no entanto, é classificado em nossos dias como espécie de roubo intelectual. E assim é condenado. No passado, tal opinião não prevalecia e os compositores recorriam a miúde às obras alheias para aproveitá-las em seus próprios trabalhos, modificadas ou não.

No século XVI, por exemplo, era comum copiar melodias inteiras para apresentá-las depois, com outro texto, dentro de outras obras, como por exemplo, missas. Haendel foi célebre nessa forma de “adaptação”. Gluck aproveitou obras de Bach, Mozart e trechos de contemporâneos hoje esquecidos. E Cesar Franck, no “Scherzo em Si” do trio, reproduziu, quase na íntegra, frases de um “Scherzo” de Boely. Segundo Robert Share, um de meus professores no Berklee College of Music, seria considerado plágio uma representação direta de quaisquer quatro compassos consecutivos de uma composição. Isso significa que, para se constatar um plágio, é necessário que haja quatro compassos idênticos ou quase idênticos.

13


O Vila Mariana - Abril de 2013

CINEMATECA

Festa Internacional da Francofonia

A Cinemateca Brasileira participa da terceira edição da FESTA INTERNACIONAL DA FRANCOFONIA. Iniciativa dos Consulados Gerais da França, Canadá, Bélgica e Suíça, do Escritório de Québec em São Paulo, e da Aliança Francesa, o evento celebra a língua e a cultura francesas, promovendo uma série de atividades culturais pela cidade.

de para que a Cinemateca, em parceria com a Embaixada da França, apresente ao público uma seleção de obras referenciais do cinema francês. Com curadoria da instituição, a mostra divide-se em dois programas. Composto por produções das décadas de 1940 e 1980, o primeiro reúne títulos clássicos e nomes de peso – A Bela e a Fera (1946), obra-prima de Jean Cocteau, marcante pela A festa é mais uma oportunida- riqueza plástica de sua fotografia e

Legião de Assistência para Reabilitação de Excepcionais Criada em 1965 por iniciativa de um grupo de idealistas, teve inicialmente como objetivo oferecer serviços de educação, tratamento, orientação e reabilitação de pessoas com deficiência mental associada ou não a outras deficiências.

pelo clima surrealista, French cancan (1954), comédia musical de Jean Renoir ambientada na Belle Époque parisiense, com a participação de Édith Piaf, Acossado (1959), de Jean-Luc Godard, um dos marcos inaugurais da nouvelle vague, e O dinheiro (1983), último filme do mestre Robert Bresson, premiado no festival de Cannes. O segundo bloco reúne obras do cineasta Raymond Depardon. Nascido em 1942, Depardon é um dos principais nomes do moderno documentário francês. Herdeiro da tradição do chamado “cinema direto”, também se consagrou por seu trabalho como fotógrafo. Serão exibidos, dentre outros títulos de sua filmografia, 1974, um presidente em campanha (1975), registro cômico da campanha do candidato Valéry Giscard d’Estaing à presidência da França nos anos 1970, proibido pelas autoridades francesas assim que ele foi eleito, e as duas partes da trilogia de Depardon dedicada ao mundo rural francês – Perfis camponeses: a aproximação (2001), e Perfis camponeses: o cotidiano (2005) – trilogia completada em 2008, com La vie moderne.

21h00 - INSTANTES DE AUDIÊNCIA 05.04 | SEXTA SALA CINEMATECA BNDES 19h00 - ALGUMA NOVIDADE EM GARET | PERFIS CAMPONESES: O COTIDIANO 21h00 - PERFIS CAMPONESES: A APROXIMAÇÃO 06.04 | SÁBADO SALA CINEMATECA BNDES 19h00 - O DINHEIRO 21h00 - 1974, UM PRESIDENTE EM CAMPANHA 07.04 | DOMINGO SALA CINEMATECA BNDES 16h00 - PERFIS CAMPONESES: O COTIDIANO 18h00 - INSTANTES DE AUDIÊNCIA 20h00 - PRESOS EM FLAGRANTES

Todos os filmes serão exibidos em cópias 35mm. Confira a programação completa da FESTA em SALA CINEMATECA PETROBRAS www.aliancafrancesa.com.br/fran20h00 - 1974, UM PRESIDENTE EM cofonia2013 02.04 | TERÇA

CAMPANHA

CINEMATECA BRASILEIRA 03.04 | QUARTA Largo Senador Raul Cardoso, 207 próxima ao Metrô Vila Mariana SALA CINEMATECA PETROBRAS Outras informações: (11) 3512-6111 19h00 - PERFIS CAMPONESES: A (ramal 215) APROXIMAÇÃO www.cinemateca.gov.br 21h00 - ALGUMA NOVIDADE EM GA- Ingressos: R$ 8,00 (inteira) / R$ RET | PERFIS CAMPONESES: O COTI- 4,00 (meia-entrada) DIANO

Lares Av. Barão do Rego Barros, 179 - CEP 04612-040 - Campo Belo São Paulo - SP Tel.: (11) 5532-0643 / 5096-1859 - E-mail: lareslegiao@uol.com.br Banco Bradesco - Conta Corrente 94000-3 / Agencia 0105 www.lareslegiao.com.br

14

04.04 | QUINTA SALA CINEMATECA PETROBRAS 19h00 - PRESOS EM FLAGRANTES

Maiores de 60 anos e estudantes do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas têm direito à entrada gratuita mediante a apresentação de documento.


MULHER

O Vila Mariana - Abril de 2013

A Depilação Moderna Desde os primórdios percebemos que os pelos não fazem parte do nosso senso estético e higiênico. Métodos bizarros para remoção dos pelos já eram utilizados há cerca de 2000 a.C., quando as mulheres gregas arrancavam seus pelos com as mãos ou cinzas quentes sobre a pele (ai!). Atualmente nós mulheres buscamos uma pele lisinha e impecável, com menos sofrimento e maior durabilidade. A indústria cosmética vem desenvolvendo produtos e métodos inovadores, que prometem uma remoção máxima de pelos com maior conforto. Mas, você consegue se depilar? Depilar envolve técnica e uma palavrinha chave que infelizmente ainda não encontramos no chuveiro: durabilidade. Acredito que a maioria das leitoras, assim como fiz por anos, tenha optado por depilar-se em casa, correndo risco de cortes e de deixar aquela faixinha de pelos que você só vê na praia, devido a questões como higiene e confiança. Confiança é tudo! Confiança na higiene, na técnica, no produto, na tecnologia! Conheça os métodos atuais que vão de encontro às nossas necessidades e prometem facilitar a nossa vida. A evolução da Depilação com ceras

Se você ainda aceita depilar-se com cera caseira, é bom repensar o assunto! A formulação de uma boa cera envolve não apenas a remoção dos pelos, mas considera também a sua pele e deve estar registrada junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e não deve ser reciclada, em hipótese alguma! Novos produtos e técnicas são desenvolvidos e chegam todos os dias para as profissionais do mercado de depilação. Hoje em dia, depilação é tratamento. Esperar os pelos crescerem e sofrer já não deve fazer parte da sua realidade. Os novos produtos já resolvem ou atenuam muito estes problemas. O negócio evoluiu ao ponto de você receber uma higienização, proteção e hidratação da pele. Pelos curtinhos já saem, as ceras especiais possuem um sensorial fantástico (cremosas, mor-

nas, com aromas e cores que remetem a doces e frutas, um verdadeiro menu ao seu dispor). Se você não era adepta deste método de depilação, reconsidere. Depilar com cera já não é mais como antigamente. Busque institutos sérios, visite o espaço, fique atenta à aplicação e utilização dos produtos. Veja o que é possível conquistar com esta técnica atualmente: . Maior durabilidade (intervalos maiores entre uma depilação e outra) . Maior conforto, menos dor . Pele lisinha e hidratada . Pele sem risco de manchas e queimaduras . Redução de encravamento de pelos Antigo mas atual - Depilação com linha Este método, criado pelos egípcios, nunca esteve tão na moda quanto hoje. Depilar o rosto é o “Óh”, mas faz toda a diferença! Por isso esse método tem demonstrado ser o melhor para esta região. Esta incrível técnica utiliza apenas uma linha envolvida pelas mãos de uma hábil profissional. É muito rápido e a sensação é o que de fato acontece: menor agressão à pele. Quer conhecer o método? Busque profissionais por indicação ou locais especializados em depilação. . Menor agressão à pele e vermelhidão . Maior durabilidade . Sem risco de manchas . Material descartável Tecnologias com Luz Poderosas, as tecnologias com luz são muito procuradas quando o assunto é durabilidade. Métodos como Fotodepilação e Laser proporcionam uma depilação eficaz, impedindo o surgimento dos pelos por meses ou anos, na maioria dos casos. Nem todos podem submeter-se a esta tecnologia, existem restrições. Por isso, antes de iniciar o tratamento agende uma avaliação para conhecer o método. Indicações: . quem sofre muito com foliculites (inflamação do folículo do pelo) . quem busca maior durabilidade a médio e longo prazos

. quem possui muitos pelos grossos e resistentes O assunto é vasto. Fique atenta às dicas e respeite as necessidades da sua pele.

Uma boa depilação para você! Elaine GN. Santana Esteticista corporal

Horário de funcionamento: 2ª a 6ª das 10:00 às 18:00hs sábado das 10:00 às 14:00hs. estacionamento no local R. Joinville, 141 - Vila Mariana - SP - Tel: 3854-2009 www.eglantine.com.br

15


MOTOR

O Vila Mariana - Abril de 2013

50 anos de Porsche 911 Esta quintessência do design automotivo, é o melhor 911 de todos os tempos - até que a próxima geração seja apresentada. O protótipo, então revelado como 901, nasceu no Salão de Frankfurt em 1963 com todos os pré requisitos de lenda - sucedendo 356, foi renomeado em 64 como 911 . Seu motor boxer de seis cilindros refrigerado a ar entregava 130 cv, levando-o a impressionante velocidade de 210 km/h, ou, para ir mais devagar, a partir de 1965 poderia optar pelo Porsche 912 de quatro cilindros. Em 66, apresentado o 911S de 160 cv, o primeiro com rodas Fuchs - em liga metálica forjada. O Targa, com seu característico “santantônio”, com acabamento em aço escovado, estreia no fim do mesmo ano, como primeiro cabriolet seguro do mundo. Protótipos com transmissão semiautomática Sportomatic ingressaram na linha em 1967 e ainda um 911Turbo em mesmo ano.

16

O Porsche 911, cada vez mais potente, passou de 2,2 litros (1969) para 2,4 litros (1971). O Carrera RS 2.7 (1972) com 210 cv pesava menos de uma tonelada, atributos dignos para o “Carro dos Sonhos”, até hoje. Sua peculiar traseira apresentou o primeiro spoiler em um veículo de série, apelidado “ducktail” (cauda de pato). Com a série G - de 73, segunda geração, dez anos após sua estreia, os engenheiros da Porsche deram a ele sua primeira repaginada. Produzido de 73 a 89. foi o período mais longo que qualquer outro 911. Um dos marcos na saga, foi a apresentação em 74 do primeiro 911 Turbo com motor de 3 litros que desenvolvia 260 cv e em seguida, em 77, um com 3.3 “interco-

olado”, dotado de um spoiler traseiro enorme. Sua mistura de luxo e desempenho, tornou-o sinônimo da mística da Porsche. Ainda maior, o Carrera Speedster - lançado em 1989, evocava o lendário 356 dos anos 1950. Quando os “Experts de Plantão” previam o fim iminente de uma era, em 88, apresentaram o Carrera 4. Após 15 anos, a plataforma 911 foi radicalmente renovada em 85% de novos componentes, um veículo fluido, moderno, sustentável e mais confortável, com detalhes em poliuretano e o famoso spoiler agora automaticamente expansível. Agora, muita tecnologia embarcada ABS, Tiptronic, um chassi redesenhado e molas espirais em vez de suspensão com barra de torção. Ano a ano, qualquer membro da família; Carrera RS, 911 Turbo S, e 911 Carrera 2 Speedster são carros particularmente visados por colecionadores. Esta quintessência do design automotivo, é o melhor 911 de todos os tempos - até que a próxima geração seja apresentada. Além do 911 - ponto central da linha Porsche, há ainda os: Cayenne, Cayman e Panamera, todos máximo em esportividade em suas diferentes categorias - e cada um, carrega um pedaço da filosofia do 911. Seus números são ainda mais impressionantes, principalmente quando pensamos em produção, levando em conta seu valor.

Mais de 820 mil Porsches 911 foram construídos, o que o torna o carro esportivo mais bem-sucedido do mundo. Para cada uma de suas sete gerações, os engenheiros em Zuffenhausen e Weissach o reinventaram, demonstrando ao mundo o poder inovador da marca Porsche. Como nenhum outro, une aparentes contradições: esportividade e praticidade, tradição e inovação, exclusividade e aceitabilidade, forma e função. Cada geração do 911 teve sua própria história de sucesso. Ferry Porsche descreveu bem suas características: “O 911 é o único carro que você poderia dirigir num safári africano, correr em Le Mans e, particularmente vos digo – após um belo banho, ir ao teatro encarando o trânsito de São Paulo, Hong Kong ou Nova York”. Para o 50º aniversário do 911, haverá uma grande variedade de eventos comemorativos, a começar pelo show automotivo “Retro Classics” em Stuttgart. Quem estiver interessado em acompanhar essa jornada pode acessar o site www.porsche.com/follow-911. Rubens Heredia

motorbusiness.com.br

motor business


PSICOTERAPIA

O Vila Mariana - Abril de 2013

Passado, Presente e Futuro Passado, Presente e Futuro Quando eu era criança, assim como muitos do que me leem, eu nem pensava em passado, o futuro era distante, e só o presente bastava. Brincava, brincava e brincava. Quando cresci, comecei a me preocupar com o futuro. Depois, cada vez mais, pensava no passado, isto é, o que eu poderia ter feito de diferente e, também como melhorar o futuro. Assim... o presente começou a ser esquecido... Nós, seres humanos, acabamos nos envolvendo tanto com o passado e futuro que vivemos numa gangorra pulando de um para outro sem realmente viver o dia de hoje. Enganamos-nos muito quanto ao Tempo. Vivemos a maior parte do tempo no amanhã correndo para ele sem nunca alcançá-lo.

Triste, mas é a pura verdade. Quando o futuro chega, ele já chega como o dia de hoje e, assim, você não consegue viver o amanhã. Ele tem esse nome, mas se torna o hoje. Percebe? Por isso é que o tempo passa tão rápido, principalmente quando você vive o futuro. Você não o vê chegando. É assim: o que comanda o tempo são nossas emoções, nossos sentimentos. Se nossos sentimentos estão no passado então estamos vivendo o passado. Se eles estão no futuro então estamos nos iludindo e esperando viver aquilo que nunca chega. “O futuro é a ilusão do homem de que ele é eterno na Terra”, diz “O que você precisa saber”, da Editora Otimismo. Continuando: “o futuro não pode ser vivido inteiramente no presente. Isto é, não pode ser vivido no lugar do presente. O futuro é um pre-

sente de Deus para ser vivido quando chegar. É uma promessa que se perde, se descoberta agora. É um presente que, se aberto, deixa de ser presente.” Percebe? Mas quando você vive o dia de hoje você consegue viver a vida mais plenamente. Só nos resta o dia de hoje. Cada dia é um novo começo. Em vez de pensar que todo dia é a mesma coisa, experimente pensar que cada dia é diferente e que coisas diferentes podem acontecer. Experimente não se preocupar com o futuro (apenas planejá-lo). Experimente deixar o passado pra trás. Experimente esquecer o que aconteceu com você lá atrás. Como se a sua vida estivesse começando hoje. Não é fácil porque estamos profundamente condicionados a transitar entre o passado e futuro. Mas quando você consegue passar um dia assim verá o quão prazeroso ele é. Verá o quanto de possibilidades positivas ele lhe traz, pois tudo faz sentido e você consegue estar presente no Presente. O tempo então pára para você desfrutá-lo. Igual a estar no interior olhando uma pastagem e a brisa do vento sussurra em seus cabelos. O tempo parece infinito quando você está

vivendo o presente. Assim é. O homem tem medo de destruir a sua eternidade, ou o que ele pensa ser eterno: seu lado material, seu corpo. Assim, ele se ocupa do futuro.

Zaquie C Meredith Socióloga, psicoterapeuta, escritora www.zaquie.com zaquie@zaquie.com

17


O Vila Mariana - Abril de 2013

SAÚDE (Doenças Sexualmente Transmissíveis - DST)

HPV - Vírus do Papiloma Humano Achei interessante abordar este assunto por várias razões, entre elas destaco o grande foco que as mídias vêm dando nas campanhas de prevenção do colo do útero, pois já está demonstrada a relação entre essas patologias com Vírus do Papiloma Humano (HPV). Menciono também o aumento dos casos de câncer de boca associado com HPV, bem como incremento dos papilomas bucais (nestes casos são neoplasias benignas). Trata-se de um assunto delicado que requer estudo do comportamento humano para que possa ser discutido livremente, sem tabus, sobre a forma de contágio principal e conduta sexual preventiva. O Papiloma Vírus Humano (HPV) é uma doença viral que acomete o paciente, podendo evoluir para um tumor benigno. Outra parcela dos contaminados não desenvolve a neoplasia, tornando a infecção subclínica, ou seja, sem sintomatologia significativa. A infecção do vírus pode ocorrer nas

18

células da pele e mucosas, como a genital, bucal e anal. A partir do contágio onde o paciente entra em contato com o vírus o curso da doença pode ter duas opções: a primeira, o vírus poderá ficar incubado e ocasionar uma infecção transitória, na qual não há sintoma e a lesão não aparece. Em contrapartida, poderá levar a uma infecção permanente. Nesta o vírus, após o período de incubação, faz surgir uma lesão papiloma (verruga) que poderá tomar dois rumos, permanecer benigno ou tornar-se maligno. O período de incubação poderá ser de duas semanas a oito meses, mas existem relatos na literatura de anos. A forma de contágio mais importante é a via sexual. O vírus poderá passar de uma pessoa que esteja com lesão – papiloma – para a mucosa de outra pessoa. O contato íntimo e ainda com atrito aumenta a inoculação do HPV. Poderá ocorrer entre o pênis (com o papiloma) e a vagina ou vice-versa e também a

Vírus (HPV) capazes de provocar lesões de pele ou mucosas.

vagina (com papiloma) e língua do parceiro, entre língua e ânus, lábios (com lesão) para outra região e assim sucessivamente. Mas sempre uma das partes tem que estar com o vírus incubado ou com a lesão (papiloma) para promover a infecção. Em muitos casos a pessoa poderá estar com vírus nas células da mucosa, mas não desenvolver a verruga (papiloma) e ainda assim, contaminar o parceiro. Há outra possibilidade onde o indivíduo contaminado com um papiloma pode se auto contaminar caso fique manipulando sua própria lesão ou coçando, podendo inocular em outra região do seu corpo. Outra possibilidade é a contaminação no parto caso a mãe tenha um papiloma na região genital, podendo transmitir o vírus para o bebê. Porém, com os exames pré-natais, este caso acaba sendo bastante raro. É de extrema importância que os objetos pessoais sejam individuais e não compartilhados e seja observado um cuidado maior quanto aos assentos dos sanitários. Em relação ao sexo, fica claro que a melhor forma de prevenir o contágio é o uso de preservativos. O HPV é conhecido também como verruga genital, crista-de-galo, figueira ou cavalo de crista. Atualmente existem mais de cem tipos de HPV. No homem, é mais comum na cabeça do pênis (glande) e na região do ânus. Na mulher, os sintomas mais comuns do HPV surgem na vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. Na presença de qualquer sinal ou sintoma do HPV é recomendado procurar

um profissional da saúde para um diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado para o HPV. É recomendável que homens e mulheres adquiram o hábito de fazer o autoexame para verificar a presença de alguma lesão desconhecida na região da vagina, pênis e boca. O urologista aconselha ainda evitar o tabagismo e o uso de drogas que podem interferir negativamente no sistema imunológico, facilitando a infecção por HPV. A multiplicidade de parceiros sexuais também favorece a transmissão do vírus. É importante saber que existem vacinas contra o HPV capazes de proteger-nos dos tipos de vírus mais presentes no câncer de colo de útero. Mas, por enquanto, essas vacinas não estão disponíveis na rede pública de saúde brasileira. Sua inclusão no Programa Nacional de Imunização (PNI) ainda está sendo analisada pelo Ministério da Saúde. O tratamento do HPV poderá ser feito através de diversos métodos, cada um com suas limitações e com variações de eficácia e aceitabilidade por parte do paciente. Estes métodos podem ser divididos em químico, quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos. Alternativas em especial para aqueles que não têm seguro de saúde são as unidades de saúde mais próximas. Quanto mais rápido for diagnosticado e tratado, maior a chance de cura e menores os riscos de sequelas. Prevenção e rapidez no diagnóstico são fundamentais para a manutenção da vida!

Wallescka Viotti wallesckaviotti@hotmail.com


VILA MARIANA

O Vila Mariana - Abril de 2013

As cidades são uma invenção recente, de somente alguns séculos.

Nosso corpo, nossa casa, nossa cidade Nosso corpo, nossa casa, nossa cidade Mais um feriado. Milhares de carros deixam São Paulo. Milhares de pessoas indo atrás de céu, árvores, espaços, rios, mar. Buscando o que já não há em nossa cidade. Assim, cada vez mais, vivemos o cotidiano mirando o momento de escapar para lugares onde a vida ainda seja vivível e assimilável. “Nosso corpo é regido por outra vida, pela vida de outrora, a vida no campo. Regido pela época em que as cidades não existiam. As cidades são uma invenção recente, de somente alguns séculos. Nossas células não levam em conta o que para elas é mera novidade. Elas funcionam segundo ritmos que foram regulados há mais de um milhar de séculos. Nosso corpo todo é formado de movimentos internos, de pulsações silenciosas, dos quais nada sabemos. Nosso corpo pulsa de acordo com a terra, e não com o cimento armado...” (Therese Bertherat). E já que nosso corpo é feito dessa substancia é claro perceber o grau de sofrimento silencioso (ou não) a que nos submetemos ao viver numa cidade sem ar e água, em que os espaços das casas vão sendo tomados pelas incorporadoras, os espaços de convivência preteridos pelos espigões, os rios confinados e virando depósito de lixo. "Sob o solo da cidade de São Paulo existe uma malha hidrográfica. E basta uma forte chuva para que centenas de córregos e riachos voltem a superfície. O concreto esconde a história de quilômetros de rios em São Paulo.” Essa é uma afirmativa da iniciativa Rios e Ruas que, desenvolvida pelo urbanista José Bueno com o geógrafo Luiz de Campos Jr e a bióloga Juliana Gatt , se propõe a revelar por meio de oficinas e expedições urbanas uma realidade profunda possibilitando uma mudança no olhar dos paulistanos para os rios e árvores da cidade onde moram e trabalham. Sua

missão: promover o reconhecimento e a exploração in loco das cidades redescobrindo a natureza de rios soterrados por ruas e construções contribuindo assim para despertar em jovens e adultos uma compreensão afetiva sobre o uso do espaço urbano. “Despertar a consciência dos paulistanos para uma nova convivência com os elementos vivos da natureza urbana de São Paulo é aprofundar a reflexão sobre o uso do espaço público, sobre o desenvolvimento da cidade onde vivemos e sobre o futuro que deixaremos como legado para nossos filhos e netos.”

“Essa lógica mercantil entra em um município como SP e vai varrendo, levando de roldão as coisas. Nesse contexto, o que acontece com o ser humano e com necessidades humanas importa menos. A força do capital em São Paulo foi construindo espaços privados contíguos e não espaço público, que é onde a

cidade de fato existe”. Afirma ainda que a força impositiva do setor imobiliário é inversamente proporcional à força do poder público municipal, em seu papel de ordenar o crescimento urbano. A Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, em 90 dias a contar da posse, ou seja, no final de março, terá que entregar o Programa de Metas e o desafio será justamente este: traduzir uma visão articulada e holística que, esperamos, comece a mudar um pouco a realidade de São Paulo. Nosso corpo e nossa cidade agradecem...

Mônica Paoletti Psicoterapeuta clínica e residente no bairro monicapaoletti@uol.com.br

Em importante matéria veiculada pela Folha de São Paulo (28/03/2013 – Cotidiano), a secretária de planejamento, orçamento e gestão da cidade, Leda Maria Paulani, declara que a força do capital em São Paulo construiu espaços privados e deixou o interesse público de lado, que o desenvolvimento urbano foi pautado pela lógica mercantil, cuja finalidade última não é o ser humano.

19



O Vila Mariana - Ed. 12