Page 1


editorial

A

nossa primeira edição do ano está imperdível! Preparamos um conteúdo que vai ajudar você a manter o equilíbrio físico, conhecer novos lugares, atualizar-se com boas informações e, o melhor de tudo, de um jeito que você já está acostumado e apaixonado!

cadinhos São Luiz, recebeu a primeira parte dos instrumentos musicais e está promovendo o curso de Lutheria para o conserto dos que foram arrecadados. Se você tem algum instrumento que não queira mais, ainda dá tempo. Passe em uma loja do São Luiz mais próxima de sua casa e ajude a fazer a felicidade dos alunos da ONG Tapera das Artes.

Para cuidar do corpo, diretamente dos palcos circenses para as academias: o tecido acrobático, um exercício que promete bem-estar e uma queima de 500 calorias por aula. Vale experimentar! E que tal começar agora o seu planejamento alimentar? Nesta edição, vamos mostrar os benefícios dessa prática e relatar a experiência de quem conseguiu bons resultados depois de investir em um roteiro para alimentar-se durante o dia. Além do planejamento, é importante que você saiba ler o rótulo dos alimentos industrializados. Por isso, convidamos a nutricionista Mirella Freire para ensinar você a entender os rótulos dos alimentos.

Ainda nesta edição, você confere uma matéria especial sobre um Ceará que muitos acham não existir mais. Um Ceará pacato! Visitamos três de oito cidades que ainda preservam no seu dia a dia o tom bucólico e tranquilo de um Ceará sem violências. Vale muito a pena conferir! Tem ainda um momento especial com Alex Atala, com exclusividade para a Costumes, e a presença da cearense e exuberante Miss Brasil Melissa Gurgel dando os seus segredos de beleza. A nossa seção Me Acostumei com Você homenageia o sucesso do cineasta Rosemberg Cariry e pra falar de empreendedorismo, nada melhor do que conhecer a trajetória de amor e união do casal Sinhá e Francimar Albuquerque, da Baby Center.

Falando em “cuidar”, o que você está fazendo pela sustentabilidade do planeta? Trouxemos alguns exemplos de atitudes que estão fazendo a diferença. E por falar em boas ações cidadãs, o projeto Acordes do Coração, em parceria com o Mer-

Esses e muitos outros assuntos esperam você em nossas páginas, preparadas sempre com muito carinho para o seu deleite. Até a próxima! A Editora

EXPEDIENTE MERCADINHOS SÃO LUIZ Diretor Presidente: Severino Ramalho Neto Diretor Operacional: Fernando Ramalho Diretora Comercial e de Marketing: Joana Ramalho REVISTA COSTUMES Diretor Responsável: Nazareno Albuquerque Editora Chefe: Isabella Purcaru Redação: Ádria Araújo, Isabel Albuquerque e Izakeline Ribeiro Fotografia: Davi Farias Revisão de Textos: Ana Luiza Martins Edição de Arte e Design: Ícaro Guerra Tratamento de imagens: Ícaro Guerra Produção Gráfica: Carlos Araújo Comercial: Natália Pessoa comercial1@revistacostumes. com.br - (85)8802 3773 e (85)3261 0599 Foto de capa: Davi Farias Direção de Arte da capa: Marcos Costa e Paulo Jeyson Impressão: Gráfica Halley Tiragem: 20.000 exemplares Errata: Os créditos da fotografia do poeta Mário Gomes veiculada na página 114 na 16° edição da Revista Costumes são da fotógrafa Marieta Rios. Na ocasião, não foi registrado. A Revista Costumes é uma publicação trimestral, editorada pela NA Comunicação - www.revistacostumes.com.br


sumário

14 DE ONDE VEM?

Descubra os benefícios e ganhe saúde com o óleo de coco

34 CUIDANDO DO PLANETA

E você, está fazendo o que para ser sustentável?

40 MELISSA GURGEL Do Ceará para o Miss Universo

52 PLANEJAMENTO ALIMENTAR

Ganhe praticidade, rendimento físico e mental, além de adequação nutricional

62 ALEX ATALA

O embaixador da cozinha brasileira com exclusividade para a Costumes

68 VAI RECEBER OS AMIGOS? Que tal um menu harmonizado com cervejas?

86 VIDA PACATA NO CEARÁ

Confira as histórias dos moradores de cidades com índice quase zero de violência

92 PARADA OBRIGATÓRIA

Fique por dentro do roteiro com as melhores coxinhas da cidade


Voz do consumidor

“Eu acho a revista bem interessante, tem muita informação importante acerca das novidades que acontecem na cidade. Adoro as matérias sobre saúde, as receitas e a seção ‘De onde Vem’, que conta a procedência dos alimentos.”

“O grande barato da Costumes é que ela oportuniza esse hábito marcante do São Luiz, que é o Costume Saudável. Os temas são excelentes, gosto dela como um todo, é boa da gente ler e sempre tenho uma em casa.”

“A revista aborda todos os temas de uma forma leve, de fácil compreensão, que ajuda até as pessoas a buscarem uma vida mais saudável e uma melhor qualidade de vida. Gosto muito das matérias sobre alimentação com nutricionistas e as receitas.”

Roberto Alves, Produtor de eventos

Renata Viana, Fisioterapeuta

“Acho a revista sensacional, ela consegue abordar temas interessantes e atuais do nosso dia a dia e as entrevistas são sempre uma leitura muito agradável. Gosto muito do São Luiz, do refrão ‘Me Acostumei com você’, que mudei para “Me apaixonei por você’, bem como pela revista.”

“Eu sou uma leitora assídua, tenho todas as edições em casa. Em sua primeira edição, eu trabalhava em uma empresa que prestava serviços para o São Luiz e fui ajudar as chefs com suas receitas. Foi graças à revista que o Fernando e o Neto me viram e me convidaram para trabalhar no São Luiz.”

“Adoro as matérias sobre exercícios físicos, as entrevistas da capa, da Semana Costume Saudável, e a seção de beleza. Na edição passada, gostei da matéria sobre paletas mexicanas, e gosto de tudo que está em alta.”

Nádia Leitão, Administradora

Cristina Ferreira, Gerente de atendimento do São Luiz

Veruska Girão, Funcionária Pública

8 COSTUMES

Isabela Bezerra de Menezes, Estudante


NOVIDADES SÃO LUIZ

Mercadinhos São Luiz promove degustação com sommeliers O consumo de vinhos vem aumentando e as pessoas têm buscado conhecer mais sobre eles. Para atender a própria demanda, o Mercadinhos São Luiz, que já possui uma adega com mais de 500 rótulos das mais variadas bebidas, inclusive, vinhos, está oferecendo degustações semanais com profissionais do próprio supermercado, especializados em vinhos e que explicam as características da bebida Essa ação continua durante os meses de março e abril, nas lojas do Mercadinhos São Luiz, com degustações de vinhos ministradas pelos sommeliers Carlos Juarez e Marcos Ferrari. As degustações são realizadas em etapas separadas e sequenciais, e estimulam os sentidos visual, olfativo e gustativo de quem bebe o vinho. Elas consistem em provar um pouco de vinho sem saber a marca, com muita atenção, e dizer se gostou (ou não) e por que gostou (ou não). Essa não é uma atividade exclusiva dos entendedores do assunto. Segundo os enólogos, pode ser feita por qualquer interessado. Confira a programação no Mercadinhos São Luiz mais perto de você.

Nutricionista Sonja Salles promove oficina de sucos funcionais no Green Day Eco Festival

Mercadinhos e sucos Green Day promovem oficina de sucos funcionais com a O ano de 2015 já iniciou com evento marcante promovido pelo Mercadinhos São Luiz. Em parceria com os sucos Green Day, o São Luiz promoveu uma oficina de sucos funcionais com a nutricionista Sonja Salles, primeira frutommelier do Brasil, autora do livro “Trocas Inteligentes: Transforme Receitas Tradicionais em Delícias Saudáveis e Ganhe Saúde” e expert em frutas e vegetais. Sonja é integrante fixa do programa de desenvolvimento de produtos da Green Day, no qual preocupa-se em usar ingredientes funcionais nas receitas que faz.

O evento fez parte da programação do Green Day Eco Festival e aconteceu na loja do Shopping RioMar, onde a nutricionista ministrou uma palestra sobre os benefícios dos sucos funcionais à saúde. O Green Day Eco Festival contou com uma série de atividades, como a Regata Eco Fantasy, uma competição de Stand Up Paddle à fantasia, que aconteceu na Kayakeria, na avenida Beira-Mar e também uma manhã de oficinas:de Slackline, com Douglas Castor; de yoga, com Ana Lorena Magalhães, além de muitas brincadeiras para as crianças.

São Luiz recebe campanha de vacinação nas lojas Em prol de uma adesão cada vez maior da campanha de vacinação da Tríplice Viral, que tem como um dos objetivos principais conter o surto de sarampo em nossa cidade, o São Luiz recebeu em algumas de suas lojas a campanha em apoio à Regional II. Pessoas de todas as idades puderam comparecer aos dois dias de vacinação contra sarampo, rubéola e caxumba (Tríplice Viral). No dia 07 de fevereiro aconteceu a ação nas lojas da Oliveira Paiva e do Cambeba e, depois

do grande sucesso, repetiu-se a ação no dia 21, nas lojas da Pontes Vieira, Dunas, Barão de Studart, RioMar, Cocó, Virgílio Távora e Praia de Iracema. COSTUMES 9


No meu carrinho

C

M

Y

CM

MY

CY

““Gosto de tudo no São Luiz, desde o atendimento do gerente ao do caixa. Sempre compro na Virgílio Távora, mas às vezes venho aqui no RioMar. Hoje, estou levando leites e frutas, que fazem parte das compras da semana.”

“Eu adoro a parte das frutas e verduras, venho toda semana comprar e não preciso nem selecionar, todas são frescas. Aqui é tudo organizadinho e isso é uma das coisas que me atraem para vir sempre.”

Maria de Lourdes Ponte, Pedagoga

Ivana Cláudia Cerqueira, Psicóloga

“Sou cliente há muito tempo, eu era amigo do Luiz Melo. Compro tudo, mas de pouco em pouco, porque estou aqui diariamente e sempre priorizo produtos mais saudáveis. Vim aqui tomar um suco, vou rodar e, mais tarde, venho comprar alguma coisa.” Almir Pessoa, Industrial

10 COSTUMES

“Eu gosto muito das frutas, e o pão do São Luiz é maravilhoso, sempre compro. Todo sábado estou aqui para deixar o fim de semana abastecido de frutas. O atendimento é impecável, em destaque os gerentes Cristina e Gilberto, que são dois amores conosco.” Katlia Aurora Ferreira, Advogada

“Consumo vários produtos sem lactose e aqui no São Luiz encontro tudo e de várias marcas. Gosto também da seção ‘Costume Saudável’, que é onde faço minhas compras.”

Daniele Paixão, Educadora física e Danilo Paixão, Funcionário público “Na minha opinião, é o melhor supermercado. Desde que fiz uma reeducação alimentar, faço compras semanais para manter a alimentação saudável e o São Luiz é o meu grande aliado nesse quesito.”

Juliana Dantas Freire, Analista comercial

CMY

K


P

ara fazer o bolo, você escolhe a melhor farinha de trigo; para fazer o risotto, o

melhor arroz; na macarronada, o melhor macarrão ! Com o ovo é a mesma coisa:

Na sua alimentação coloque o melhor ovo. Avine, porque nem todo ovo é igual. Nas suas receitas ou enriquecendo suas refeições, tenha sempre em casa OVOS AVINE, ovo com selo de qualidade.


SUA RECEITA

Bruschetta Lombardi’s Cliente do São Luiz há mais de oito anos, o empresário Lauro Lombardi ressalta que, mesmo antes de ter sua pizzaria ao lado da loja do Cocó, ele já era cliente fiel. “Sempre preferimos o Mercadinhos São Luiz pela praticidade, limpeza e atendimento, pois todos os funcionários são nota 10”. Com o cardápio repleto de opções, o empresário revelou como faz uma de suas especialidades: a Bruschetta Lombardi’s e partilhou com os leitores da Costumes. Uma receita italiana simples, fácil de fazer e saborosa, ideal para ser servida antes do prato principal. “Quando comecei, nos primeiros cardápios, já servíamos a Bruschetta, por ser um prato gostoso e simples. Há três tipos aqui e, ao invés de usarmos o pão italiano, usamos o pão de fabricação própria”, conta Lauro. Com o talento nato da cozinha, herdado de sua mãe, Lauro revela que seu forte mesmo são os pratos salgados. “Apesar de eu gostar muito de doce, eu sou melhor com massas, pizzas”.

12 COSTUMES

Bruschetta Lombardi’s Ingredientes Pão Lombardi’s Tomate picado Mussarela e calabresa ralados (pequena porção) Azeite extravirgem Modo de preparo Misture os ingredientes regados no azeite e coloque-os em cima das fatias do pão. Leve ao forno até as fatias de pão estarem crocantes. Ao tirar do forno, há a opção de colocar folhas de manjericão por cima.


SUA RECEITA

Espaguete ao molho de Camarão

Espaguete ao Molho de Camarão Com a experiência na cozinha desde sua infância, a professora universitária Luiza Lima cedeu aos leitores da Costumes uma das receitas que mais gosta de fazer quando reúne seus amigos em casa. Mesmo cozinhando de tudo um pouco, sua preferência está nos pratos salgados. Dentre as massas, a professora decidiu fazer o Espaguete ao Molho de Camarão, que serve até cinco pessoas. Indagada sobre a justificativa do sucesso que seus pratos fazem, Luiza acredita ser pela escolha de bons ingredientes. Cliente do São Luiz há pelo menos sete anos, desde quando saiu da casa de seus pais, Luiza sempre compra frutas, verduras e massas na loja da Pontes Vieira. “O São Luiz tem produtos de excelente qualidade e o melhor atendimento de Fortaleza”, ressalta.

Ingredientes 1 espaghetti Grano Duro 500g 1 caixa de creme de Leite 500g de camarão descascado e salgado a gosto 150g de queijo gorgonzola 2 cebolas picadas 1 tomate picado 1 pimentão picado 2 colheres de pasta de alho Azeite 1 copo de leite 1 colher de farinha de trigo 1 colher de noz moscada Salsinha Pimenta-do-reino Modo de preparo Refogue os camarões com parte da cebola, e acrescente o tomate, o pimentão, uma parte do alho, a pimenta-do-reino e o azeite, até obter a cor rosada e reserve. Coloque o macarrão para cozinhar. Enquanto isso, prepare o molho branco. Para o molho branco: refogue o restante da cebola e do alho com azeite, acrescente a farinha de trigo dissolvida no leite e mexa bem até ferver. Acrescente o queijo gorgonzola picado e o camarão. Por último, adicione o creme de leite e a salsinha. Por cima, acrescente a noz moscada a gosto. COSTUMES 13


SHUTTERSTOCK/MARKO POPLASEN

DE ONDE VEM?!

Ganhe saúde com

ÓLEO DE COCO CONHEÇA MELHOR ESTE PRODUTO TÃO APRECIADO E AS NOVAS FORMAS DE INSERÍ-LO NO SEU DIA A DIA

14 COSTUMES


Por Izakeline Ribeiro Foto Davi Farias

H

á milhares de anos, o óleo de coco era utilizado por povos de todo o mundo como alimento e medicamento. Mas, recentemente, o produto ganhou status de ingrediente saudável e passou a integrar dietas e receitas. Países como Índia, Samoa e Filipinas têm o óleo de coco como ingrediente de uso diário em suas culturas. É o que conta Beatriz Aguiar, nutricionista da Roma Distribuidora. Segundo ela, na Índia, por exemplo, ele é um componente muito importante na medicina Ayurvédica. Já em Samoa, é bastante utilizado para curar inflamações, como hidratante e protetor para a pele, cabelo e lábios. Nas Filipinas, um dos maiores produtores do óleo no mundo, é usado sobre queimaduras, cortes, na prevenção de doenças, como hidratante, além de ser um excelente ingrediente de cozinha. Os brasileiros aumentaram o seu consumos nos últimos anos, quando ele entrou na lista de produtos da linha saudável. Beatriz conta que, nesse período, houve um aumento na busca do óleo de coco, gerando um crescimento de, aproximadamente, 100% na demanda. “Tal busca é reflexo do conhecimento do consumidor final, que agora está bem informado sobre os benefícios do produto, além de fortes indicações oriundas de profissionais capacitados, como nutricionistas e nutrólogos”, explica.

DO COQUEIRO PARA SUA CASA

Demóstenes Frota, diretor executivo da empresa cearense Natucoco, explica que o óleo de coco virgem deriva do fruto da espécie Cocos Nucifera L. De acordo com ele, o produto é extraído da polpa do coco maduro. Depois de triturado, é prensado a frio, e o líquido extraído não passa por

processo de refinamento nem desodorização, somente passa por uma tripla filtração para ser envazado e, finalmente, chegar ao consumidor final. Diferente de outros óleos, o de coco é colocado em embalagens de vidro. Além da produção cearense, Alagoas é apontado como o local de maior produção do óleo de coco do Brasil. Na hora de comprar, além da procedência, o consumidor deve observar se o produto está dentro do prazo de validade e se não apresenta nenhum corpo estranho no interior da embalagem. “Porque o corpo estranho poderá representar uma contaminação física”, destaca Beatriz.

E OS BENEFÍCIOS?

Segundo a nutricionista, o óleo de coco extravirgem é conhecido por fortalecer o sistema imunológico, proteger o organismo contra vírus, bactérias, fungos, por combater o envelhecimento e prevenir doenças crônicas. Além de apresentar rápida digestão, estimula o metabolismo e tem efeito termogênico que ajuda no emagrecimento. Estudos atestam que o óleo de coco também melhora o metabolismo glicídico e lipídico. Tanto que existe uma forte indicação para a substituição do óleo de soja e da margarina pelo óleo de coco. Tendo em vista que ele é rico em gordura saturada de cadeia média, sendo tal gordura menos favorável ao processo nocivo de peroxidação lipídica e formação de gorduras trans, se comparada à gordura insaturada presente nos outros óleos.

ATENÇÃO, ALÉRGICOS!

“Apesar de o óleo de coco não ser um alergênico comum, algumas pessoas podem apresentar reações adversas após consumí-lo ou usá-lo topicamente, sendo, portanto, um produto não indicado para esses pacientes”, afirma Beatriz. Também não é indicado para quem tem doenças hepáticas. Para os indivíduos que não apresentam reação alérgica ou contra-indicação ao uso do produto, a dica é consumí-lo diariamente, ou, se quiser, incluí-lo na dieta alimentar.

VOCÊ ENCONTRA NOS MERCADINHOS SÃO LUIZ Natucoco A Natucoco é uma empresa cearense, fundada em 2007, e tem como principal produto a água de coco 100% natural, ou seja, sem conservantes ou aditivos. O processo produtivo se resume em extrair, filtrar, resfriar e envasar a mais pura água do coco. A empresa segue preceitos de responsabilidade socioambiental, não polui o meio ambiente, a embalagem é reciclável e o coco furado volta para a fazenda para virar briquete (lenha). Está em processo de certificação do ISO 22000. Copra Alimentos A Copra é uma indústria alimentícia especializada em processamento de coco seco no mercado, desde 1998, e está sediada em Maceió-Alagoas. Em sua linha de produção dispõe de coco ralado, leite de coco, óleo de coco, farinha de coco, açúcar de coco, óleo de abacate e encapsulados.

BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE COCO 1 Fortalece o sistema imunológico e combate o envelhecimento 1 Protege o organismo contra vírus, bactérias e fungos 1 Previne doenças crônicas 1 Apresenta rápida digestão 1 Estimula o metabolismo e tem efeito termogênico que ajuda no emagrecimento

COSTUMES 15


DE ONDE VEM?!

Suco termogênico com óleo de coco Por Mirella Freire Nutricionista formada na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Mirella Freire é especialista em nutrição esportiva, fisiologia do exercício, nutrição clínica funcional e fitoterapia. Dentre as diversas possibilidades de utilização do óleo de coco, ela sugere uma receita rápida e prática: o suco termogênico com óleo de coco, que pode ser uma boa opção para começar bem o dia ou para a hora do lanche. De acordo com Mirella, o óleo de coco é rico nos chamados ácidos graxos de cadeia média. “Pesquisas recentes destacam os seguintes achados sobre os ácidos graxos de cadeia média: auxiliam na redução dos riscos de doenças ateroscleróticas, auxiliam no aumento dos níveis de energia e redução de gordura abdominal, podem ajudar na prevenção da obesidade, podem reduzir os níveis de colesterol e triglicerídeos, ou auxiliar na redução do envelhecimento cutâneo e possuem ação antimicrobiana”, afirma a nutricionista.

Ingredientes

1 xícara de chá de morangos congelados 2 fatias finas de melão 1 colher de sopa de gengibre ralado 1 colher de sopa de óleo de Coco

Modo de preparo

Bater todos os ingredientes no liquidificador.

16 COSTUMES


Salmão servido sobre Rosti de inhame com gengibre e escabeche Por Juliana Roma Fã da gastronomia, Juliana Roma, ainda pequenina, já gostava de ficar na cozinha, aprendendo, inventando e misturando os ingredientes e sabores. Mas, foi na área de Nutrição que ela se encontrou e com o Slim Gourmet passou a desenvolver programas alimentares personalizados, com refeições congeladas, para quem busca praticidade e uma alimentação saudável. Para a Costumes ela preparou um Salmão com Rosti de Inhame e Gengibre acompanhado de Escabeche de Legumes. “Essa receita é leve, gostosa e saudável”, afirma. Neste caso, o óleo de coco é usado para adicionar sabor, aroma e saúde ao prato, e ele substitui o óleo de milho no preparo do Rosti de Inhame com Gengibre. A mistura de sabores e a leveza dos ingredientes foi a principal inspiração para o prato. “É fundamental encontrar um novo equilíbrio alimentar. Um prato, para ser gostoso e atraente, também pode ser saudável. Podemos usar legumes, proteínas, menos carboidratos de alto índice glicêmico e adicionar gorduras do bem para deixar o prato ainda mais gostoso e super saudável”, explica.

Ingredientes

Para o Salmão 400g de filé de Salmão Sal rosa e pimenta-do-reino a gosto para temperar. Para o Rosti 200g de inhame descascada e ralada 10g de gengibre picado em tiras bem finas

Pimenta-do-reino e sal rosa a gosto 1 ovo 1 colher de sopa de óleo de coco Para o Escabeche de legumes 60ml de óleo de coco 80g de cebola cortada em fatias finas 50g de cenoura cortada em fatias finas 40ml de vinagre de vinho branco 80ml de vinho branco seco 1 folha de louro 10 sementes de coentro 1 anis estrelado 1 ramo de alecrim para decorar

Modo de preparo

Preparo do Filé de Salmão e Escabeche de legumes: aqueça 2 colheres de óleo de coco na frigideira e doure os filés. Reserve-os. Acrescente, na mesma frigideira, 1 colher de sopa de óleo de coco e

refogue a cebola e junte o alho e a cenoura, mexendo por alguns minutos. Adicione o vinagre, o vinho, os temperos e a colher de óleo de coco restante. Cozinhe e tempere com pimenta e sal rosa. Reserve. Para o Rosti: num recipiente, misture o inhame e o gengibre e tempere-os com sal rosa e pimenta. Adicione o ovo e misture bem, até que forme um creme grosso. Divida o creme em 4 porções e reserve. Numa frigideira, aqueça o óleo de coco e distribua, uniformemente, o inhame. Abaixe o fogo e controle o cozimento para que o inhame cozinhe por dentro e fique levemente dourado por fora. Quando o Rosti firmar, vire para que ambos os lados fiquem dourados.

COSTUMES 17


DE ONDE VEM?!

Docinhos Funcionais Por Cris Gutierrez

Ingredientes

Formada em panificação, confeitaria e pós-graduanda em Gastronomia, a personal chef Cris Gutierrez também vem se especializando na gastronomia funcional. E o óleo de coco é ingrediente recorrrente em suas receitas. Uma delas é o Docinho de Tâmara, com ameixa, cranberry e nozes. “É uma receita prática, deliciosa e saudável”, afirma. Neste preparo, o óleo é usado para dar liga aos ingredientes e aumentar seus benefícios, inclusive os do próprio óleo, que é inserido na sua forma mais natural. “Pensei nesta receita por perceber que as pessoas se privam dos doces por acharem que as opções são todas muito calóricas e com ingredientes que fazem mal à saúde. Esta receita ajuda a mostrar que é possível comer bem, com prazer e muita saúde.”

1 xícara de frutas desidratadas, sem caroço e picadas 1 colher de chá de cacau em pó 1 colher de chá de alfarroba Meia xícara de nozes 1 colher de chá de óleo de coco e um pouco mais para untar as mãos

18 COSTUMES

Modo de preparo

Triture as nozes. Reserve-as. Misture os demais ingredientes em um processador de alimentos. Faça bolinhas. Passeas nas nozes bem picadinhas. Agora é só servir!


SUANDO A CAMISA

Tecido acrobático dos palcos de circo às academias CONHEÇA UM POUCO SOBRE A MODALIDADE AÉREA QUE EXERCITA O CORPO DE MANEIRA ARTÍSTICA Por Ádria Araújo

20 COSTUMES


N

ovidade em Fortaleza, o tecido acrobático é uma das modalidades que veio do mundo circense e que promete fazer suar. A atividade, que une a arte ao exercício físico, é realizada em um tecido suspenso, reproduzindo performances aéreas usadas em circo e que trabalha, principalmente, força, resistência, flexibilidade, memória, agilidade e equilíbrio. O exercício atua na região abdominal como um todo e, ainda nos membros superiores e inferiores, fortalecendo a musculatura e melhorando a respiração. E o melhor: chega a queimar até 500 calorias por aula. Sem registros oficiais sobre a origem do tecido, há relatos de que surgira nas festividades dos imperadores da China, por volta de 600 d.C. Outros dizem que houve um aprimoramento nos anos 1980, pelo francês Gèrard Fasoli, que realizou pesquisas em materiais diversos, como cordas, correntes ou tecidos. Mas, a primeira apresentação veiculada pela mídia, da qual se tem notícia, foi realizada pelo Cirque de Soleil, em 1995. Segundo a professora circense Gabriela Jardim, 24 anos, o tecido é recomendado para todas as idades – ela já deu aula para alunas com 3 e até com 54 anos de idade -, e contraindicado somente no caso de restrição médica. “Tenho alunas crianças que adoram, porque o tecido se assemelha a uma árvore, e a criança já tem estrutura física preparada para isso, o que é mais difícil para os adultos, que não estão mais na ativa e têm que relembrar. Também tenho alunas grávidas, mas estas fazem mais alongamento”, ressalta.

COMO FAZER

Na primeira aula, Gabriela apresenta a modalidade, explicando o percurso que será feito durante uma hora. Começa com movimentos aeróbicos para aquecer o corpo, e em seguida, faz-se um alongamento. De maneira gradativa, os alunos vão subindo no tecido, com acrobacias mais fáceis a poucos metros de altura – muitos se sentem inseguros por conta da altura -, a evolução depende do desempenho de cada um.

Professora circense Gabriela Jardim faz manobras com o tecido acrobático COSTUMES 21


SUANDO A CAMISA

“O aquecimento é unânime. Na parte do tecido, eu tenho uma metodologia no começo e vou passando, se o aluno está aprendendo, vou ensinando mais poses. Até o final da aula, ele estará fazendo posições mais acrobáticas, de várias formas, que chamamos de figuras, subindo e descendo, e só depois realiza os movimentos mais dinâmicos”, conta a professora, que chega até a criar algumas acrobacias. São realizados vários movimentos como manobras, combinações, contorcionismos, voos e quedas, com subidas, ou com um nó para a pessoa se amarrar, pisar no tecido, enrolar na cintura ou nas pernas e muitos outros, com conforto e segurança. Durante as aulas, o colchão com boa intensidade de impacto é indispensável. 22 COSTUMES

“De maneira gradativa, os alunos vão subindo no tecido, com acrobacias mais fáceis a poucos metros de altura.”

SERVIÇO Galpão Central do Corpo Training Club Rua Coronel Jucá, 523 – Aldeota Tels: 3023-8338 ou 2181-1715


r mulhercheirosa.com.b @mulhercheirosaoficial

ê acorda então voc ar certo, d i a v a i que o d e e percebe ilidades b i s s o p s todas a re, Enxerga tir-se liv n e s r o p liviada de respira a e. Capaz t n e d n e e r e Surp Convicta só. s em uma e r e h l u m s sim. ser vária re foi as p m e s a d i sua v Porque a tir. ve se sen e d ê c o v que E é assim mulher. Seja essa

aldeota

rio mar s hoppi ng

parque l ândi a


Skate

VIDA SAUDÁVEL

Como agente transformador CONHEÇA A HISTÓRIA DE QUEM TEVE A VIDA MODIFICADA POR ESTE ESPORTE, QUE NO CEARÁ VOLTA À MODA E CONQUISTA CADA DIA MAIS ADEPTOS

24 COSTUMES


COSTUMES 25


VIDA SAUDÁVEL

Por Ádria Araújo

D

avi é a prova viva de que o skate pode, sim, ir além de um esporte e ser agente transformador. A prancha sob rodinhas entrou na vida de Davi Edinger, 40 anos, por influência do seu irmão, apesar de sempre ter gostado deste universo, principalmente por ter começado a praticar ao lado de nomes como Cristiano Mateus e Bob Burnquist. “Tinha todo aquele pessoal que começou a história do skate no Brasil ali perto, e durante muitos anos eu fiquei nesse mundo. De uma hora para outra, minha história mudou completamente”, conta. E mudou mesmo. Para trás, ficou o skate como estilo de vida saudável e Davi, então com 18 anos, adentrou no mundo das drogas. “Comecei a andar em favelas, a me relacionar com a droga, a vender, cheguei a morar muito tempo na rua; aí me afastei do skate, minha família não queria mais saber de mim, me abandonaram mesmo e eu fui só me afundando”, relembra ele. Depois de passar 15 anos em coma, como ele define seu estado no tempo que esteve nas drogas, Davi acordou, no centro de São Paulo, completamente perdido e decidiu dar a volta por cima. “Eu pensei: preciso mudar, saber onde eu errei e resgatar minha identidade. A primeira coisa que me veio à mente? O skate! Foi de onde eu saí para ir à favela”, revela. Para recomeçar, Davi escolheu um lugar distante para refazer seu destino: o Ceará. De mochila nas costas, a viagem para Fortaleza durou 52 dias, entre andanças e caronas. “Quando cheguei, passei um mês morando na Praça Coração de Jesus. Arranjei um serviço em uma agência, em que eu lavava carro; chegava 7h30, tomava café da manhã, almoçava e ia embora à noite. Tudo isso, com o propósito de retomar minha vida. A vontade de 26 COSTUMES


sair e me drogar era grande, mas eu conseguia segurar. Com meu primeiro salário, fui na Avenida Imperador e aluguei meu primeiro kitnet”, conta. Hoje, com as rédeas da sua vida sob controle, Davi trabalha como motoqueiro em uma gráfica e, às vezes, dá aulas de skate para crianças, de classes sociais diferentes. “Dificilmente eu cobro, é mais algo momentâneo, na pista vejo as crianças interessadas, os pais também. Isso é o verdadeiro espírito do skate: você saber, entender e passar para os outros”, conta. Ter uma estrutura para dar aula é a grande meta de sua vida. “Uma pista de skate, miniramp, no quintal da minha casa, onde o pai deixa o filho fazer aula e aguarda sentado, lendo o jornal”, relata. Para quem deseja entrar no mundo do skate, Davi recomenda o uso dos equipamentos próprios. “Todo cuidado é essencial. Por falta de equipamento, eu bati a cabeça e perdi o olfato em uma queda, na praça Luiza Távora. Muita gente não quer usar na modalidade de street, mas na bowl é muito necessário por ser mais arriscado”, aconselha. Para Davi, os benefícios são inúmeros. Ter uma vida naturalmente saudável é um deles. “Eu sou a prova disso. Para andar de skate no dia seguinte, preciso me alimentar bem. Se eu passo a noite numa festa, por exemplo, não dá para fazer os movimentos corretos no outro dia”, conta.

Skatista Davi Edinger é a prova de que o skate pode transformar vidas

E sobre os benefícios sociais, o skatista completa: “Acho que o skate tem o dom de mexer com tua cabeça, te mostrar que você vai cair, mas vai ter que levantar, nem sempre vai acertar de primeira, mas o prazer de passar uma semana tentando fazer uma manobra e quando você acerta, é a melhor sensação”, finaliza Davi.

COSTUMES 27


VIDA SAUDÁVEL

E de onde vem a prancha sobre rodinhas?

O skate é o bate-ponto das amigas Lizandra Rodrigues, Amanda Lima, Thais Rodrigues, Gabi Gomes, Sara Torres e Ariane Costa

Elas também arrasam nas pistas de skate Dentre os grupos reunidos nas ruas e nas pistas de skate, podemos encontrar, hoje, muitas mulheres que se tornaram adeptas do esporte. Fazendo manobras ou até participando de campeonatos, elas estão dominando as pistas, mostrando que são tão boas quanto os homens. A editora de mídias sociais Lizandra Rodrigues, 20 anos, é uma delas. Ela pratica o esporte desde 2012, em pista de skate comum, e em 2013, começou a fazer longboard (modalidade que usa um skate com uma estrutura maior do que os skates comuns).

Apesar do skate, atualmente, ser um esporte unissex, muitas pessoas acabam tendo certo preconceito à prática feminina, algumas até duvidam da capacidade das mulheres de enfrentar as manobras radicais. “Depois que o esporte se popularizou, o preconceito diminuiu mais. Antes tinha esses ‘julgamentos’ das pessoas de fora. Por ser um esporte radical, muitos classificavam como um esporte masculino. Eu nunca tive esse pensamento, principalmente depois que eu me envolvi, passei a ter certeza que o esporte é divertido, saudável e também é muito praticado pelo público feminino. No meio dos nossos ‘rolés’, se a gente se machucar ou quebrar uma unha, 28 COSTUMES

vamos ‘chorar’ do mesmo jeitinho feminino de sermos”, conta Lizandra. “Confesso que já quis desistir algumas vezes, porque no começo foi difícil, principalmente as manobras, pelo que iam pensar de mim, uma garota com skate na mão, mas com o tempo fui pegando jeito, juntando algumas amigas para praticar comigo, e encontrei a modalidade com que mais me identifico, o longboard. Agora é só amor pelo esporte”, sentencia. Sempre que tem um tempo livre, Lizandra sai com suas amigas e seus respectivos namorados, para praticar no Cambeba ou na Beira-Mar. “Tem também uma ladeira na Praia do Futuro, onde a galera da ACEDS (Associação Cearense de Downhill Skate) se junta para descer”, enfatiza. Para ela, o skate é sua válvula de escape, além de contribuir para sua saúde corporal. “Como eu trabalho, estudo a semana toda, e não sou muito fã de academia, o skate é ideal, além de suprir minhas necessidades, que é me divertir, estar com os amigos e ainda movimentar meu corpo e expulsar o sedentarismo. É um esporte que ajuda nos aeróbicos e tonifica os músculos”, revela.

Os fortalezenses estão cada vez mais diversificando a prática de esportes nas ruas da cidade. Dentre as muitas opções que invadiram as ruas e praças, o skate volta à moda e coloca em evidência toda a sua pluralidade, ao mostrar que a sua prática vai além do esporte, hoje é um estilo de vida. Como esporte democrático, hoje é comum ver pessoas de todas as idades e classes sociais se aventurando nas manobras do skate. Criado entre o final da década de 50 e início dos anos 60, na Califórnia, Estados Unidos, o skate é um esporte radical idealizado por surfistas que buscavam praticar algo semelhante ao surf, porém, sem o uso da água. Com esta ideia, eles pegaram as rodinhas dos patins e colocaram em uma madeira com formato semelhante a uma prancha. Pronto: nascia o skate! Conhecido anteriormente por sidewalk surfing – surf de calçada -, em pouco tempo o esporte virou febre nos Estados Unidos e ganhou o mundo, mudando seu nome para Skateboarding, e depois, sendo apelidado somente de skate. Os primeiros skates foram fabricados em 1965, ano em que também foram realizados os primeiros campeonatos. Donos de um estilo de vida bem original, os skatistas usam roupas específicas, têm seus próprios costumes e gírias. Na moda, a adesão cada vez mais frequente das meninas, mudou esse cenário.


Saiba mais sobre o skate O skate é formado por: prancha ou tábua ou shape ou deck (tábua de madeira), trucks ou eixos (funciona como um elo entre o eixo e as rodas), rodas (têm contato com o chão, proporcionando estabilidade), rolamentos (determina a velocidade do skate), parafusos (fixam os trucks na tábua), lixa ou griptape (colada à superfície da tábua, serve para aumentar o atrito entre o calçado do skatista e a tábua de skate);

No Brasil, os maiores ídolos do skate são os campões mundiais Bob Burnquist e Sandro Dias. Já a representante feminina do esporte, Karen Jonz, é tetracampeã mundial de skate vertical, título conquistado no ano passado; Os principais equipamentos de segurança para a prática do skate, são: capacete, cotoveleiras e joelheiras, de uso obrigatório, para proporcionar mais segurança;

A primeira pista de skate da América Latina foi construída na cidade de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro;

As modalidades do skate são inúmeras e para todos os gostos, sejam nas pistas, ou nas ruas: Bowl, Banks, Downhill Slide, Downhill Speed, Mini Ramp, Freestyle, Slalom, Street, Vertical, Megarampa, e estão divididas em três módulos: Longboard, Mountainboard, e Fingerboard.

O esporte surgiu no início dos anos 60; porém, consolidouse nos anos 90, mesma década em que se destacou o maior skatista de todos os tempos na modalidade vertical, o norte-americano Tony Hawk, detentor de 12 campeonatos mundiais de Vertical, três de Street Style e dez X Games;

SHUTTERSTOCK/ IVAN MOGILEVCHIK

Há 24 pistas de skate construídas pelo Governo do Ceará, espalhadas por todo o Estado;

COSTUMES 29


ME ACOSTUMEI COM VOCรŠ

Rosemberg Cariry pelo olhar de sua filha, Bรกrbara Cariry

30 COSTUMES


Cineasta documenta a história, inquieta e faz pensar

Isabel Albuquerque

A

o integrar o popular e o erudito e ao desmistificar noções depreciativas e esteriotipadas de manifestações do povo, a filmografia de Rosemberg Cariry leva à compreensão da universalidade da cultura popular, e em especial, da cultura nordestina. Para o cineastra, o objetivo do seu trabalho é redimensionar esta cultura, mostrar sua sofisticação e dar-lhe novas percepções, significados e, principalmente, quebrar preconceitos. “Faço a minha parte, dou a minha contribuição de forma bastante obstinada”. Assim, o cineasta, filósofo, escritor e poeta cearense, preserva, eterniza e busca diminuir o desconhecimento a respeito da diversidade de saberes, tradições e valores populares da cultura do Nordeste, em 40 anos de vida artística. Antônio Rosemberg de Moura nasceu no Município de Farias Brito e tem 61 anos de idade. Viveu boa parte de sua vida no Crato (CE), morou em Ouro Preto (MG), onde começou e abandonou a faculdade de Direito, esteve na França por dois anos, voltou para o Crato, até chegar a Fortaleza para cursar Filosofia e instalar-se. Nesta trajetória, misturou sua vivência com a cultura

O feito aconteceu em meados dos anos 80 e, é claro, foi registrado pela câmera e a sensiblidade de Cariry, que além de lhe mostrar o mar, produziu um álbum duplo com a obra do artista.

do Nordeste – em especial a da região do Cariri –, à cultura erudita para, em sua obra literária, poética e cinematográfica, narrar com força e fidelidade a dimensão simbólica e mitológica da nossa cultura popular, sem suavizar os seus mistérios e sua sabedoria. Adotou o sobrenome Cariry, assim com Y, quando chegou a Fortaleza, em 1975, e encabeçou o movimento Nação Cariri, que marcou a vida cultural da capital em época de luta política pela democracia, no final dos anos 70 e início dos 80. No Crato, onde o pai tinha uma mercearia e o avô um bar, conviveu com artistas emblemáticos da cultura cearense. Entre eles, o rabequeiro e repentista Cego Oliveira e o poeta Patativa do Assaré que, inclusive, era padrinho de um dos seus filhos. O mestre Cego Oliveira viu o mar pelas mãos de Rosemberg.

O cineasta retratou no longa Patativa do Assaré – Ave Poesia (2008) o talento e a obra do poeta cearense e um dos maiores poetas populares do País. “Reconhecemos a importância nacional e internacional de Patativa. Um gênio! Sua importância equivale a do espanhol Garcia Lorca e do chileno Pablo Neruda,” enfatiza. A filmografia de Rosemberg Cariry totaliza doze filmes de longa-metragem, vários curtas e a realização de documentários e programas para TV. Entre seus longas, está o premiado, no Brasil e no exterior, Corisco e Dadá (1996), em que discute a relação do homem com Deus, da violência do sagrado, ao contar a vida do casal de cangaceiros do bando de Lampião. Também escreve poesias, ensaios e contos. Publicou oito livros, dos quais 4 são de poesias. São eles: Despretencionismo (1975), Semeadouro (1981), S de Seca SS (1983) e Iñaron ou Na Ponta da Língua Eu Trago Trezentos Mil Desaforos (1985).

COSTUMES 31


Filhos seguem passos do pai O cineasta tem três filhos, Petrus, Bárbara e Maíra, e quatro netos. Os filhos adotaram o sobrenome Cariry. Sua veia artística inspirou Petrus e Bárbara. Petrus Cariry também é cineasta e dividiu com o pai a realização de algumas produções. Também influenciada pelaforça do DNA, Bárbara decidiu-se pela produção e curadoria de eventos e colabora nas produções do pai. Maíra é professora universitária, mas já atuou como atriz em filmes de Rosemberg. Com os netos, diverte-se nos finais de semana. “São uma grande alegria. O Alexandre, de 14 anos, gosta de computação, de jogos eletrônicos e novas tecnologias e já dá a sua contribuição nos meus trabalhos,” orgulha-se.

rem a ideia. No Ceará, no governo de Lúcio Alcântara, implantou-se o projeto “Mestres da Cultura”.

Vida de artistas populares preocupa o cineasta Em 1976, Rosemberg ocupou o cargo de Secretário de Cultura do Crato. Na pasta, catalogou os artistas, os chamados “mestres”, e as manifestações populares da região. O sucesso do projeto “Mestres e Guardiões de Saberes Populares” fez alguns estados abraça-

Saberes e costumes tradicionais e contemporâneos precisam ser preservados pelos próximos séculos e, por isso, Rosemberg Cariry pensou a “Escola de Saberes”. A reunião de artistas populares e contemporâneos permitiu a transmissão dessas práticas. A ideia não foi implantada na sua plenitude, mas virou patrimônio coletivo.

O longa Saga do Guerreiro Alumioso (1993), por exemplo, foi finalizado com o apoio da Cinequanon, de Lisboa, e do Instituto Português de Arte Cinematográfica (IPACA). O foi um dos cinco filmes realizados no Brasil, em 1993, quando o governo

32 COSTUMES

Collor de Melo acabou com o apoio ao cinema no país. Rosemberg esclarece que a produção de um filme envolve entre 80 e 100 pessoas, além de viagens, segurança e outros itens de logística. “Se faltam recursos, precisamos fazer adaptações”. No longa Siri-Ará (2008), que trata do processo de colonização do Ceará, “da violência fundadora do nosso estado”, escassearam-se os recursos e a ideia inicial precisou ser alterada. “Foi um filme caro, uma co-produção com a Espanha, a França e Portugal e converteu-se numa alegoria, uma metáfora,” exemplifica.

CLAUDIO LIMA

Para ampliar o conhecimento sobre a cultura do Ceará, realizou festivais e encontros culturais com artistas locais e internacionais. No Crato, idealizou e produziu Encontros das Culturas Populares do Nordeste. Nas cidades de Quixadá e Quixeramobim, organizou o Festival Internacional de Trovadores e Repentistas. Mais de 700 artistas, dentre eles trovadores da Península Ibérica, participaram da edição de Quixadá. A proposta resgatou a miscigenação da poesia popular brasileira, destacando suas influências internacionais.

Da ideia às filmagens O tempo entre a ideia, a captação de recursos e a edição de um longa-metragem é, em média, de cinco anos, segundo o cineasta. “O projeto é adaptado à realidade do Ceará, um estado pobre. Conseguimos recursos no Brasil, participando de editais nacionais, mas quase sempre complementamos com recursos internacionais”, detalha.

ARQUIVO CARIRI FILMES

ME ACOSTUMEI COM VOCÊ


Filmografia premiada Vários filmes de Rosemberg percorreram o mundo em festivais internacionais e receberam prêmios importantes. Corisco e Dadá (1996), por exemplo, foi premiado na Itália e em Cuba, além de premiações nos festivais de cinema de Gramado e de Brasília. Suas produções participaram de festivais de cinema em vários países, como Argentina, EUA, Bélgica, França, Portugal, Índia, África do Sul, Turquia e outros. Em 2013, o longa de ficção Os Pobres Diabos, com os atores Chico Diaz e Sílvia Buarque de Holanda, contou a história de um circo. Folia de Reis (2012), longa-metragem, ainda está em fase de finalização. Neste mesmo ano, Cariry lançou os longas documentários Cego Aderaldo – O cantador e o Mito e O Nordeste, de Ariano Suassuna.

Da esquerda para direita: Ator Chico Diaz e Rosemberg Cariry; Rosemberg Cariry e o Cego Oliveira pela lente do fotógrafo Ricardo Tilkian; Imagem do longa “Os Pobres Diabos”, com os Atores Chico Diaz, Silvia Buarque e Gero Camilo

Em Siri-Ará (2008), a ideia original se transformou devido à escassez de recursos: “um longa experimental e figural sobre a tragédia histórica fundadora do Ceará”. O Sertão Central, entre Quixadá e Quixeramobim, serviu de cenário para o desenrolar da narrativa épica do filme. Antes, vieram Patativa do Assaré, Ave Poesia (2007), Cine Tapuia (2006), Lua Cambará - Nas Escadarias do Palácio (2002) e Juazeiro – A Nova Jerusalém (1999). Este último, narra a história de Padre Cícero, com seus mitos e arquétipos de importância fulcral para o processo civilizatório dos nordestinos. A Saga do Guerreiro Alumioso (1993) foi o segundo longa-metragem de Rosemberg Cariry. Fala da questão agrária, das elites controladoras dos sindicatos rurais. Cariry rodou este filme quando o cinema brasileiro entrou em colapso, como cineasta independente. O filme ganhou os prêmios de Melhor Filme do Júri Popular, de Melhor Ator e

de Melhor Ator Coadjuvante, no XXVI Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no mesmo ano, e representou o Brasil no Festival dos Três Continentes, de Nantes (França), além de participar de outros festivais internacionais: Portugal, Itália, Bélgica, Turquia, Índia, África do Sul, Colômbia, Cuba, Canadá, Estados Unidos da América, Uruguai, Espanha, entre outros. O filme de 1986, O Caldeirão de Santa Cruz do Deserto, resgatou a memória do local escolhido pelo Beato José Lourenço, discípulo de Padre Cícero, para abrigar uma comunidade de mais de duas mil pessoas e implantar um sistema de trabalho coletivo de divisão dos lucros e acolher flagelados da Seca de 1932. Instalou-se o medo de que o Beato se transformasse num novo Antônio Conselheiro. Com isso, a imprensa da época incitou uma revolta contra a comunidade, acusada de comunista. Em 1937, as forças militares destruíram a comunidade. Rosemberg Cariry está a escrever o seu mais novo trabalho, que já tem título e será um seriado para a televisão: Folia do Divino Espírito Santo. “Já negociamos com um canal fechado que custeará parte do projeto”, conta. A outra parte dos recursos virá do Fundo Setorial do Audiovisual, projeto de financiamento público, que se realimenta pela receita gerada pelo produto. O seriado contará a história de uma tradição religiosa europeia do século XIII, em que se festeja a terceira pessoa da Santíssima Trindade com banquetes coletivos, distribuição de comida e esmolas. É celebrada em Açores (PT), na Calábria (Itália) e em vários estados brasileiros, entre eles Maranhão, Goiás e Minas Gerais. Cenas serão filmadas em todos estes locais.

COSTUMES 33


SHUTTERSTOCK / SANIT FUANGNAKHON

SUSTENTABILIDADE

E VOCÊ, ESTÁ FAZENDO O QUÊ PARA SER

susten 34 COSTUMES


COM PEQUENAS ATITUDES NO COTIDIANO PODEMOS CONTRIBUIR PARA SALVAR O PLANETA. CONHEÇA QUEM ESTÁ FAZENDO A DIFERENÇA

Q

Por Ádria Araújo ue o planeta pede socorro todo dia já não é nenhuma novidade. As tentativas para se reduzir os danos ao meio ambiente, em uma perspectiva macro, ainda são tímidas e chegam a ser ineficientes. O que era para ser rotina, hoje nos chama atenção e o simples fato de não jogar lixo nas ruas, ou não gastar tanta água dentro de casa, ou até mesmo coletar o óleo de cozinha, já fazem uma grande diferença para preservarmos as funções e componentes do ecossistema. No entanto, ainda são atitudes praticadas apenas por uma pequena parcela da população mundial. Em contrapartida, para mostrar que o pouco já faz diferença e convidar você a fazer parte desse time, a Costumes conversou com quem está transformando ações corriqueiras em atitudes sustentáveis e vem mostrar que vale a pena mudar os hábitos e dar nossa contribuição em prol de um planeta cada vez mais verde.

tável?

COSTUMES 35


SUSTENTABILIDADE

Sem desperdício de energia Um lava jato ecológico Pioneiro na cidade com seu lava-jato sustentável, Edmilson Júnior está há seis anos no mercado com o EcoWash. O grande diferencial da marca é a lavagem que, ao invés de desperdiçar litros de água – uma lavagem gasta em média 300 litros por carro - utiliza uma cera biodegradável diluída em até 100ml de água para limpeza externa do veículo.

Nas lojas credenciadas – Macavi ou Liliani -, o usuário escolhe o eletrodoméstico (que pode ser geladeira, ar-condicionado, freezer ou micro-ondas), decide qual dos projetos sociais vai ajudar e solicita o desconto. O equipamento antigo vira sucata para ser reciclado, o que garante a destinação correta do resíduo gerado, evitando a contaminação do meio ambiente com plásticos, gases e outros poluentes.

“Nós misturamos esse produto, aplicamos no carro com uma bombinha de pressão e usamos uma flanela de microfibra para retirar a sujeira. Depois, pegamos outra flanela seca para finalizar a lavagem. Dentro do carro a aspiração é tradicional”, revela o empresário. Quando Edmilson pensou em abrir seu primeiro lava-jato, queria que fosse em um shopping, mas se deparou com um obstáculo: o de não poder usar água no estacionamento. Depois de pesquisar, descobriu que nos Estados Unidos havia o lava-jato sem o uso da água. “Para a gente, é muito importante colaborar com a sustentabilidade ambiental. E trabalhar economizando é melhor ainda. Esta é uma ótima maneira de não gastar água, a lavagem é até melhor. Toda essa economia realmente faz efeito, nossa conta de água dá R$ 40,00 por mês”, finaliza. 36 COSTUMES

Já pensou em trocar seus eletrodomésticos velhos por novos e econômicos e ainda colaborar com doações a um dos 23 projetos sociais cadastrados na Coelce? O projeto Luz Solidária, da empresa, possibilita diminuir o desperdício de energia, fazendo a troca de equipamentos que gastam muito por outros com selo ‘A’ de consumo de energia.

Edmilson Júnior comanda o lava-jato que utiliza 100ml de água por cada lavagem de carro Ecowash Avenida Washington Soares, 4335 – Shopping Via Sul Tel.: (85) 8703-7216

“A ideia é tirar a geladeira, por exemplo, que causa muito desperdício de energia na casa do consumidor e colocar uma nova, com selo ‘A’, o mais avançado de economia. Ele ganha 50% de desconto na nova geladeira e ainda ajuda no projeto social escolhido durante o cadastro”, informa o responsável pela Área de Eficiência Energética da Coelce, Odailton Arruda. Coelce Rua Padre Valdevino, 150 – Centro Tel.: (85) 3453-4988


Desengordurando os ralos Umas das ações sustentáveis promovidas pelo São Luiz ajuda a dona de casa a dar um destino correto para o óleo de cozinha. Todo o óleo captado pelo Mercadinhos é recolhido e doado, semanalmente, à Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu – SOCRELP. O resíduo de óleo, qualquer um de fritura, inclusive o óleo vegetal, pode ser deixado por clientes na loja da Oliveira Paiva. A SOCRELP disponibiliza pessoas, veículos, equipamento de segurança e todo o material necessário na qualidade, quantidade e especificidades necessárias. Além do óleo residual, a SOCRELP também recolhe o óleo do Posto de Coleta dos Mercadinhos São Luiz, que funciona em parceria com a Coelce. “Qualquer pessoa, seja física ou jurídica, que quiser participar dessa ação, leva seu material em recipiente próprio, é feita a pesagem e recebe o valor em bônus na conta de energia. Todo o óleo coletado é beneficiado e vendido para a Petrobras para produção de biodiesel. A associação emite o Certificado Social e a Carta de Destinação da Petrobras”, revela Roberto Saraiva, Gerente Administrativo do SuperMercadinhos São Luiz. Outros resíduos produzidos na empresa também são reciclados. Além do óleo, para a coleta no posto da loja da Oliveira Paiva, podem ser doados resíduos como papéis, papelão, filmes plásticos, garrafas de plástico, latas de cerveja e refrigerante, embalagens de vidros, ferros em geral, arames e pregos, e todo tipo de plástico, o que garante a economia na conta de energia. Mercadinhos São Luiz Avenida Oliveira Paiva, 170 – Cidade dos Funcionários Tel.: (85) 433-6321

A médica Anapaula Pessoa incentiva a filha Isabela desde cedo a ter atitudes sustentáveis

Bons exemplos dentro de casa A médica Anapaula Pessoa repassa à sua filha mais velha, Isabela, de 4 anos, os ensinamentos de ações sustentáveis que sua mãe lhe passou. “Eu a ensinei, desde pequeninha, a reciclar tudo o que não usamos mais. Ainda não fazemos a coleta seletiva, mas juntamos tudo em um lixão para fazer arte. Aproveito até para aniversários”, conta Anapaula. Além da educação passada em casa, o colégio tem um papel forte nessa rotina em prol do planeta. “Todo ano acontece a Feira de Artes no colégio dela e, no ano passado, o tema foi sobre Reciclagem. Eles fizeram como uma espécie de ‘Casa Cor’, de material reciclado. Tinha luminária, fogão, geladeira, mesa, sofá, cozinha”, relata Anapaula. “Eu fiquei responsável pela varanda gourmet. E também

fiz flor com pedaços de caixinhas de ovo, restos de caixa de papelão”, conta a pequena Isabela. A médica conta que a filha, muitas vezes, toma banho na piscininha para não gastar muita água no chuveiro. “Ela é uma entusiasta do tema. Passa o sabonete na mão antes de lavar, economiza água e sempre tentamos fazer nossa parte”. Além das plantinhas que cultiva em casa. “Eu tenho a plantinha no meu próprio quarto. Eu pedi ao meu pai para colocar lá, para eu regar todo dia”, revela a menina.

COSTUMES 37


SUSTENTABILIDADE

Cada um fazendo a sua parte “Se cada um fizer a sua parte, o planeta se tornará um lugar melhor para todos. O pouco de todo dia faz a diferença no final.” É assim que a funcionária pública, Maria das Graças Duarte, define seu trabalho diário de reciclagem. Maria das Graças faz questão de separar e armazenar para troca todos os objetos que podem ser reciclados. Além de separar os da sua casa, ela estende a ação também à casa da filha, Deborah Duarte. “Comecei a separar os resíduos na minha casa, depois passei a separar os da casa da minha filha. A princípio, trocava por descontos na conta de energia. Deixei de trocar lá por conta da distância, que acabava por me fazer gastar mais gasolina. Então, comecei a deixar no ponto de reciclagem no bairro Lauro Maia, próximo de onde eu morava. Hoje, moro no Luciano Cavalcante, mas não deixo de reciclar. Até porque não separo pelo valor financeiro, mas para fazer o bem ao planeta”, conta. Maria das Graças separa resíduos como latinhas, revistas, jornais, papéis, garrafas de plástico, objetos de alumínio, aço, ferro, sacos plásticos, dentre outros. “Até roupa eu levo para os meninos que trabalham lá. Tudo o que não uso mais, saio catando e deixo uma vez por semana em um posto de coleta no Tancredo Neves. Quando vou a festinhas, à praia, sempre saio juntando tudo. Tem gente que me chama até de ‘Mãe Lucinda’, fazendo referência à catadora da novela”, ressalta.

38 COSTUMES

Maria das Graças Duarte coleta toda semana os resíduos no posto de reciclagem


Beleza e sustentabilidade caminhando juntas O cabeleireiro e maquiador, Diogo Pinheiro, faz a diferença no cenário da beleza no Ceará. Adepto de medidas sustentáveis no salão Backstage, do qual é sócio, ele adota, em uma das ações, a coleta seletiva. “Separamos todos os resíduos e vamos deixar, semanalmente, nas instalações do projeto Ascajan (Associação dos Catadores do Jangurussu), que promove a inclusão social dos catadores que fazem a triagem e a comercialização de materiais como vidro, papel, plástico e alumínio”, explica Diogo. Outra atitude adotada no salão é o uso de produtos biodegradáveis da marca italiana Davines, conhecida mundialmente por sua responsabilidade sustentável, desde o reflorestamento até a fabricação das embalagens.

“São produtos que podem ser reutilizados como jarros decorativos ou depósitos de mantimentos”, afirma Diogo. Além disso, o salão também trabalha com toalhas descartáveis vindas de Portugal, que contribuem para a redução no consumo. “Conhecemos essas toalhas em uma viagem à Argentina. Elas são muito úteis, além de que, em seu processo de fabricação, não utilizam agentes químicos como base. A implantação do uso delas no salão nos fez reduzir a lavagem de 1.200 toalhas por mês, incluindo toalhas de mão e cabelo”, conta. Backstage Rua Silva Jatahy, 935 - Meireles Tel.: (85) 3242-2992 Diogo Pinheiro é adepto de práticas sustentáveis em seu estúdio de beleza

“A implantação do uso delas no salão nos fez reduzir a lavagem de 1.200 toalhas por mês, incluindo toalhas de mão e cabelo.” Diogo Pinheiro

COSTUMES 39


LAILSON SANTOS

MADE IN CEARÁ

40 COSTUMES


Melissa Gurgel DO CEARÁ PARA O MISS UNIVERSO

A MODELO CEARENSE FOI ELEITA A MULHER MAIS LINDA DENTRE AS 26 CONCORRENTES AO MISS BRASIL 2014 E CONCORREU AO MISS UNIVERSO, APÓS 44 ANOS DA ÚLTIMA VITÓRIA DO PAÍS NO CONCURSO, COM MARTHA VASCONCELLOS COSTUMES 41


MADE IN CEARÁ

D Por Ádria Araújo

ona de uma beleza inigualável, e de uma simpatia incrível, nossa Miss Brasil 2014, a cearense Melissa Gurgel, de 20 anos, mostra que aqui podemos encontrar mulheres com padrão Miss Universo (a exemplo da 1ª brasileira a ganhar o Miss Universo, Martha Vasconcellos, em 1968). Melissa disputou com outras 26 jovens, a coroa de mulher mais bonita do Brasil – e ganhou, claro! Com 54 kg bem distribuídos em um corpo esbelto e 1,68m de altura, Melissa conta os segredinhos para manter-se magra e todo o seu empenho para o Miss Universo. No concurso, Melissa ficou entre as 15 mais bonitas do mundo. Para valorizar suas medidas, a modelo procurou o personal trainer Mardoque Prado, que intensificou sua rotina na academia e a ajudou a ganhar mais corpo. “Minhas expectativas foram as melhores possíveis. Eu estava muito confiante, preparando-me bem, cuidando do corpo, da alimentação, do cabelo e da pele, além de investir em um curso de postura e presença de palco. Nunca fiz cirurgia alguma, mesmo com a vida corrida, me preocupei em cuidar do corpo com exercícios e fazer tratamentos estéticos”, revela. Quanto à alimentação, Melissa evita comer alimentos que engordem muito, buscando uma alimentação saudável, sem muito açúcar e sem carboidratos, até porque o concurso para Miss Universo não permitia excessos na alimentação. “Procuro comer direitinho, de tudo um pouco, mas de 3 em 3 horas para não acumular fome. Evito sucos e refrigerantes”, diz. Antes de se candidatar ao Miss Brasil, Melissa tinha o sonho de um dia representar a mulher mais linda do país. Foi aí que resolveu se inscrever para o Miss Ceará, após assistir a Miss Natália Guimarães, em quem se inspirou, e por 42 COSTUMES

“Nunca fiz cirurgia alguma, mesmo com a vida corrida, me preocupei em cuidar do corpo com exercícios e fazer tratamentos estéticos”

PING POING

Miss Brasil na intimidade 1. O que você faz para alimentar sua espiritualidade? Oro e leio a Bíblia, gosto muito de fazer isso. 2. Seu personal stylist? Para o Miss Brasil, Juarez Souza. Para o Miss Universo, Thiago Setra. 3. Qual seu lugar preferido? Minha casa e a igreja que frequento.

influência do amigo Juarez Souza. “A Natália é minha referência de beleza. Ela não é só linda por fora, é por dentro também. Exemplo de mãe, de pessoa, de mulher. As poucas oportunidades que tive de conversar com ela, vi que é humilde, sincera. E minha mãe também é meu grande exemplo”, conta. Passados todos os compromissos com o Miss Universo, Melissa está com mais tempo livre, podendo aproveitar para fazer o que mais gosta e matar a saudade da família em seu Estado. “Eu quero encontrar minhas amigas, minha família, comer normalmente, assistir a filmes, ir à igreja, sou cristã”, diz. Mesmo sendo alvo de preconceito por ser nordestina, a Miss diz não se importar com as ofensas que recebeu e comenta sua opinião. “Eu não estou atenta muito a isso, porque o tempo está corrido, até para dormir eu estou sem tempo, mas o Nordeste tem um povo tão rico, hospitaleiro, guerreiro e eu não escondo meu orgulho por ser nordestina. Estamos tendo uma oportunidade de acabar com esses preconceitos”, finaliza.

4. Comida preferida? A da minha mãe, com certeza! (Risos) 5. Qual seu hobby? Caminhar na praia, ajudar instituições carentes, assistir a filmes. 6. E qual a sua viagem dos sonhos? Fernando de Noronha. Todo mundo diz que é um lugar lindo, e eu ainda não conheci.

TOP 5 Segredos de Beleza de Melissa Gurgel 1 Comer de 3 em 3 horas; 1 Beber muita água; 1 Antes de dormir, retirar a maquiagem e passar hidratante; 1 Usar sempre protetor solar; 1 Passar algodão com água gelada no rosto assim que acorda.


COSTUMES 43

LAILSON SANTOS


SHUTTERSTOCK / WANPATSORN

COZINHA SAUDÁVEL

FIQUE ATENTO AOS RÓTULOS DOS ALIMENTOS

SAIBA COMO LER AS INFORMAÇÕES DETALHADAS NAS EMBALAGENS DOS ALIMENTOS. ELAS PODEM AJUDAR A QUEM BUSCA UMA DIETA SAUDÁVEL OU ALERTAR A QUEM TEM ALGUMA INTOLERÂNCIA

44 COSTUMES


S

Por Ádria Araújo aber somente a quantidade de calorias de certo alimento não informa a qualidade dele. É importante saber ler todos os componentes dos rótulos, e principalmente, compreender seus significados, o que auxilia na escolha de produtos adequados para manter uma alimentação balanceada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) tornou obrigatória a veiculação do rótulo nutricional nas embalagens dos produtos. Nelas, tem que constar a quantidade de proteínas, gorduras, fibras, carboidratos e sódio do alimentos, além do seu valor energético. A nutricionista Mirella Freire ressalta que as informações nutricionais na maioria dos produtos nos diz apenas a quantidade de determinados macronutrientes, sem especificar a qualidade deles. “Por isso, é importante ficarmos atentos também à lista de ingredientes. Por exemplo, que tipo de carboidratos estamos escolhendo e qual a qualidade das proteínas.”, conta.

Na lista, a ordem em que os produtos são descritos é sempre do maior para o menor, ou seja, se em um produto o primeiro ingrediente é açúcar, significa que há uma grande quantidade deste ingrediente na composição. “Outro ponto importante é observar, ao final da lista, a quantidade de aditivos químicos (corantes, conservantes, aromatizantes, estabilizantes), quanto menos, melhor!”, recomenda a nutricionista. Para aprender a ler os rótulos dos alimentos é importante fazer um planejamento individualizado, com um profissional da área, de acordo com os objetivos de cada um. “Quanto ao consumo desses itens, todos podem estar presentes antes e/ou depois dos treinos, a quantidade ideal e o tipo é que precisa ser avaliada”, finaliza.

COSTUMES 45


COZINHA SAUDÁVEL

Lendo os rótulos dos alimentos SEGUNDO O MANUAL DE ROTULAGEM OBRIGATÓRIA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E ANVISA (2005), E COM INFORMAÇÕES REPASSADAS PELA NUTRICIONISTA ANDRESSA FONTES, SÃO OBRIGATÓRIOS NO RÓTULO OS SEGUINTES INGREDIENTES:

Valor energético em Kcal e Kj São as calorias (kcal), também podendo aparecer em quilojaules (kJ), que representam a energia produzida pelo corpo proveniente do alimento, contendo as proteínas, carboidratos e gorduras totais. As necessidades diárias são de 2.000 kcal ou 8.400 kJ e 1 kcal corresponde a 4,2 kJ. Quantidade da porção em gramas ou em medidas caseiras A quantidade da porção recomendada para consumo, baseada em uma alimentação saudável. A quantidade em gramas é estabelecida pelo valor energético de cada alimento. Medidas caseiras são as formas de medidas usadas pelo consumidor para calcular a quantidade do alimento, como: porção, copo, colher, unidade, fatia, pote, xícaras, dentre outros. %VD Valores Diários são as quantidades dos nutrientes que a população deve consumir para ter uma alimentação saudável. Indica a quantidade

grupo de carboidratos refinados (farinha branca, batata inglesa, pão branco...)”, revela.

de energia em calorias, e de nutrientes a serem consumidos, levando em conta a média de consumo de 2000 calorias. “Para cada nutriente, temos um valor diário diferente”, informa a nutricionista. Carboidratos São alimentos que agem como fonte de energia para o corpo. Às vezes, aparecem como vilões das dietas de redução de peso. A parte que não é utilizada pelo organismo é estocada em forma de gordura. Esses alimentos são pães, massas, farinhas, batatas, tapiocas. “A quantidade consumida é relativa, de pessoa para pessoa, não tem como dizer”, relata a nutricionista. Açúcares São um tipo de carboidrato que chamamos de simples, pois têm uma digestão muito rápida. “Eles sim, são vilões, juntamente com o

Proteínas Os alimentos fonte de proteínas são o que chamamos de construtores. Eles estão presentes nas carnes, ovos, feijão, soja e em alguns cereais como a quinoa. Sódio O sódio é um mineral que está associado com o controle da pressão arterial e também regula muitas funções no nosso organismo. Muitos alimentos industrializados possuem elevada quantidade desse mineral, devido ao uso de acentuadores de sabor. “Hoje, o Brasil consome bem mais sódio do que deveria. Outro ponto importante é que o consumo desses acentuadores de sabor (glutamato monossódico) também estão relacionados com a retenção de líquidos, enxaqueca e até Alzheimer”, conta. Presente no sal de cozinha e em alguns alimentos industrializados, como embutidos, salgadinhos de pacote, dentre outros.

46 COSTUMES


Gorduras Totais, Saturadas e Trans As gorduras são alimentos extraenergéticos. Existem vários tipos delas. A gordura animal, por exemplo, que é a saturada, não é tão vilã quanto se falou por muito tempo, mas não deve ser consumida em excesso. Ah, elas são as melhores opções para cozinhar. (Manteiga, óleo de coco, seguidos pelo azeite, que é fonte de gordura monoinsaturada). As gorduras totais representam a soma de todos os tipos de gorduras, ou seja, as poliinsaturadas, monoinsaturadas, saturadas e trans. Há também as gorduras boas, como o ômega 3, por exemplo, que tem ação antioxidante, ou o azeite como a gordura monoinsaturada, as castanhas, o abacate, o açaí. As gorduras vegetais, ricas em ômega 6 e pró-inflamatórias (que aumentam a inflamação)

devem ser consumidas com moderação. As gorduras trans são as piores de todas. Seu consumo está associado com doenças do coração. Elas estão presentes em muitos alimentos industrializados e, principalmente, em muitas marcas de margarina. Logo, as gorduras, de uma forma geral, não devem ser restringidas, mas sim devese privilegiar e aumentar o consumo das gorduras boas. Fibra alimentar As fibras são carboidratos que não são digeridos pelo nosso organismo e nos trazem muitos benefícios, como por exemplo: regulam o trânsito intestinal, e alguns tipos de fibra podem diminuir a absorção de gorduras e carboidratos e aumentar a absorção de minerais.

SERVIÇO Nutriclinic Funcional Av. Santos Dumont, 5753 Sala 802, Torre Saúde Complexo São Mateus Tel.: (85) 3081 1870 (85) 8601-8886 nutriclinicfuncional.com.br

COSTUMES 47


QUALIDADE ALIMENTAR por Nívea Albuquerque

Comida saudável como fonte de prazer

N

os últimos anos, o nosso país passou por diversas mudanças: econômicas, políticas, sociais e culturais. Isto refletiu de maneira direta e evidente na forma como a população brasileira se alimenta. O envelhecimento da população, o aumento das doenças crônicas não transmissíveis como diabetes, hipertensão e obesidade, nos faz olhar de maneira mais atenta para as questões relacionadas a uma alimentação adequada e saudável. Presenciamos o fenômeno da Transição Nutricional: decresce a desnutrição e aumenta a obesidade, substituímos o problema da escassez pelo excesso de alimentos, ou seja, houve uma mudança no perfil alimentar dos brasileiros. A maior disponibilidade de alimentos, o aumento da densidade energética das dietas e a diminuição da atividade física, parecem contribuir para o aumento destas estatísticas. E para enfrentar tudo isso, se faz necessária a busca por uma alimentação mais saudável. Diante disso, o que fazer? Para orientar a população sobre o que é alimentação saudável, foram desenvolvidos os guias alimentares, que visam promover a saúde e um melhor estado nutricional. Dentre os guias já elaborados, destacou-se o desenvolvido nos Estados Unidos, no final da década de 1980, que adotou a pirâmide alimentar como ícone. Ilustrada de maneira simples, constitui uma ferramenta importante para a educação alimentar de diferentes grupos. A pirâmide alimentar adaptada para a população brasileira foi desenvolvida em 1999 e reformulada em 2005. Ela contempla grupos de alimentos variados, mostra porções recomendadas e sugere quantidades em medidas usuais (copo, fatia, unidade) e o respectivo peso em gramas.

48 COSTUMES

Em 2006, foi desenvolvido no Brasil o Guia Alimentar para a População Brasileira, que informava através de sete diretrizes como a população deveria se alimentar para prevenir as doenças crônicas não transmissíveis, as doenças infecciosas e as diversas manifestações de má nutrição. O guia concordava com as ideias previamente recomendadas na Pirâmide Alimentar adaptada à população brasileira, discorria sobre as refeições em si e afirmava que “as refeições são saudáveis quando preparadas com alimentos variados, com tipos e quantidades adequadas às fases no curso da vida, compondo refeições coloridas e saborosas, que incluem alimentos tanto de origem vegetal como animal”. Já o Guia de 2014, lançado em novembro, contempla seis princípios que, além de fornecerem recomendações sobre a escolha, o preparo e o consumo de alimentos, considera os fatores ambientais que favorecem ou dificultam a prática destas recomendações, indicando formas e caminhos para vencer obstáculos. Outro ponto forte e positivo da versão 2014 do Guia para o enfrentamento desse cenário é a necessidade de ampliação das ações que integram os diversos setores responsáveis por toda a cadeia de produção e comercialização dos alimentos. Ciente dessa importância, já encontramos hoje nas gôndolas do São Luiz, QR Codes que disponibilizam as informações de toda a cadeia do Hortifruti. Através do Programa Eu confio é possível o consumidor visualizar, diretamente no ponto de venda, as imagens e a descrição do local de produção do produto que ele está adquirindo e dos demais elos da cadeia por onde o produto passou.

10

passos para uma Alimentação Saudável 1. Fazer de alimentos a base da alimentação Alimentos e não produtos derivados de alimentos devem ser a base de sua alimentação. 2. Usar óleos, gorduras, sal e açúcar com moderação Óleos, gorduras, sal e açúcar são produtos alimentícios que devem ser usados com moderação para temperar e cozinhar alimentos ao convertê-los em preparações culinárias variadas e saborosas. 3. Limitar o uso de produtos prontos para consumo Alguns produtos prontos para consumo, como pães e queijos feitos de modo artesanal, podem fazer parte de uma alimentação saudável quando, em pequenas quantidades, complementam e não substituem alimentos. 4. Comer com regularidade e com atenção e em ambientes apropriados Procure fazer suas refeições em horários semelhantes todos os dias e evite comer nos intervalos entre as refeições. 5. Comer em companhia A companhia favorece o comer com regularidade e atenção, combina com ambientes apropriados e amplia o desfrute da alimentação. 6. Comprar alimentos em locais


SHUTTERSTOCK / TIJANAM

que ofertem variedades frescas e evitar aqueles que só vendem produtos prontos para consumo Em supermercados e outros estabelecimentos, onde você encontra todos os tipos de alimentos e produtos, utilize uma lista de compras para não comprar mais do que você precisa. 7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las com crianças e jovens, sem distinção de gênero. 8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece Planeje as compras de alimentos, organize a despensa doméstica e defina com antecedência o cardápio.

9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora e evitar fast food No dia a dia, procure locais que servem ‘comida caseira’ e a preço justo. 10. Ser crítico quanto à informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais Lembre-se de que a função essencial da publicidade é aumentar a venda de produtos e não informar e, menos ainda, educar as pessoas. Fonte: - Conceituação de Alimentação saudável sob a perspectiva biopsicossocial – Fernanda BaezaMarle Alvarenga e Sonia Tucunduva - A mudança na alimentação e no corpo ao longo do tempo – Marle Alvarenga - Guia Alimentar para a população brasileira 2014

NÍVEA ALBUQUERQUE Nutricionista clínica, com experiência no manejo de pacientes com transtornos alimentares e obesidade. Apaixonada pela Ciência da Nutrição e Comportamento Alimentar, defensora da máxima que “comida boa é comida de verdade”. Integra o corpo clínico do Hospital MonteKlinikum, atendendo adolescentes e adultos e realizando Aconselhamento Nutricional. COSTUMES 49


SHUTTERSTOCK / SERGEY NIVENS

ROTINA SAUDÁVEL

Tá esperando o quê para fazer o seu

Planejamento alimentar?

50 COSTUMES


COSTUMES 51


SHUTTERSTOCK / AFRICA STUDIO

ROTINA SAUDÁVEL

PRATICIDADE, BOM RENDIMENTO FÍSICO E MENTAL, ALÉM DE ADEQUAÇÃO NUTRICIONAL, SÃO ALGUMAS VANTAGENS DE INVESTIR EM SEU PLANEJAMENTO ALIMENTAR

A

Izakeline Ribeiro

s necessidades nutricionais são específicas de cada pessoa. Por isso, é fundamental que o planejamento alimentar seja realizado de forma individual por um nutricionista. “Cada pessoa tem uma dieta específica, totalmente adaptada à sua rotina, composição corporal, preferências alimentares, necessidades calóricas, com atividade física, dentre outros”, explica Danielle Lodetti, nutricionista especialista em Fisiologia do Exercício, Nutrição Estética, Nutrição Ortomolecular, Nutrigenômica e Bioquímica de Nutrientes.

52 COSTUMES

Segundo ela, de acordo com estas recomendações, organiza-se um roteiro alimentar, indicando quais alimentos devem ser consumidos, quantidade e hora da refeição. “Os benefícios para quem segue um plano alimentar englobam praticidade, melhora de rendimento físico e mental, adequação nutricional, garantia de que todas as necessidades de macro e micronutrientes estão sendo supridas, bem-estar, saúde e beleza”, afirma. Aliás, o planejamento é fundamental para manter uma alimentação prática e saudável no dia a dia. “Com ele não perdemos tempo pensando no que devemos ou não comer, se aquele alimento é ou não recomendado, se a dieta tem poucas ou calorias em excesso. “É um roteiro que faz com que economizemos tempo para que possamos fazer outras coisas, inclusive atividade física, descansar, fazer compras no supermercado. Se você já sabe o que deve, o quanto e que horas deve comer, basta comprar os itens, preparar e colocar em prática”, ressalta Danielle.


Lancheira: A aliada no planejamento alimentar Para quem passa o dia fora de casa, um importante aliado é a lancheira. “Os itens que ela deve conter são individualizados de acordo com o planejamento nutricional. Não há uma ‘lancheira padrão’. O que não pode faltar é comprometimento com o planejamento, cuidado na escolha dos produtos e na hora de prepará-los. O ideal é fazer uma lista de compras semanal e ir ao supermercado para comprar todos os itens da semana, evitando que o planejamento “quebre” por falta dos itens necessários. Caso a lancheira mantenha os alimentos por mais de 2h, deve-se colocar uma unidade de gelo em gel, para manter a temperatura dos alimentos dentro dos limites seguros”, orienta a nutricionista.  De acordo com Danielle, as lancheiras devem ser de material interno impermeável, totalmente fechadas (com zíper ou dobras, de preferência), facilmente laváveis, além de possuírem material reforçado que realmente isole os alimentos termicamente. Outro item importante são os potes, que podem ser de vidro ou de material plástico, livre de Bisfenol A. A nossa colunista e publicitária Mariana Marques é a rainha da lancheira. Tanto que criou uma linha de lancheiras térmicas, Oliva, em parceria com a estilista Joana de Paula. Ela não sai de casa sem a sua devidamente abastecida. “Dieta para mim é planejamento e para fugir das tentações, a minha lancheira é uma grande aliada. Normalmente levo três lanches e quando não tenho onde almoçar levo o almoço também“, afirma.

Elas mostram que vale a pena

Nayana do Vale só sai de casa com a lancheira contendo pelo menos água e dois lanches Estudante de Nutrição, Nayana do Vale, 25 anos, planeja sua alimentação de acordo com as necessidades nutricionais, preferências e atividades do dia. “Eu mesma faço meu plano alimentar, pois estou no último semestre do curso de Nutrição e curso duas pós-graduações. Faço sempre de acordo com o meu objetivo naquele momento. O estudo constante permite que eu busque as melhores opções no mercado, como produtos mais saudáveis para incluir na rotina”, conta. Nayana, segundo diz, só sái de casa com a lancheira contendo água e, pelo menos, dois lanches. “Pode ser uma fruta acompanhada de castanhas, por exemplo, e alguma outra opção, que pode ser iogurte, smoothie natural de frutas, canjiquinha”, diz.

A futura nutricionista destaca que a rotina alimentar organizada e equilibrada significa conferir ao corpo os nutrientes necessários tanto para saúde quanto para atingir os objetivos. “Alimentação traz disposição, bem-estar e resultados. Ter ajuda de um profissional da área é muito importante, pois muita gente tem dificuldade de identificar boas opções e só ele vai saber dizer a quantidade adequada, pois muitos ainda imaginam que comer bem é comer pouco, e isso não é verdade. Alimentação saudável e balanceada é o melhor que você pode fazer pela sua saúde”, afirma ela, que aposta na atividade física como melhor complemento para o planejamento alimentar. Tanto que Nayana faz musculação, atividade aeróbica, pilates e crossfit.

COSTUMES 53


ROTINA SAUDÁVEL

Greyce Feijão sempre leva opções a mais de lanchinhos saudáveis A Jornalista Greyce Oliveira Feijão, 36 anos, conta com a ajuda da secretária, que prepara logo cedo alguns itens de sua alimentação, como peito de frango desfiado, saladas, arroz, macarrão, batata doce. Se for passar o dia fora, sempre organiza em pequenas porções, que são distribuídas em seis refeições por dia. “Sempre levo opções a mais de lanchinhos saudáveis na marmita, para não correr o risco de comer fora da dieta. Nos finais de semana mantenho a mesma organização. Sempre me preocupo em deixar tudo pronto na noite anterior para ter mais praticidade. Alguns detalhes ajudam, como deixar as frutas e o couve (que uso no suco verde toda manhã) previamente separados e cortados na geladeira. A goma da tapioca também já fica peneirada e armazenada em um depósito. Fica tudo mais simples e rápido! Assim, minha rotina não cansa”, comenta a jornalista. Acompanhada por um profissional, Greyce analisa os resultados do plano alimentar e faz suplementação a cada 45 dias. “Tem dado muito certo.

54 COSTUMES

Em um ano mantive os 65kg (tenho 1.78m) e ganhei 4,5kg de massa magra. Sempre oriento meus seguidores a buscarem a orientação de um nutricionista ou endocrinologista, pois cada pessoa tem a sua necessidade e objetivo. Nas minhas redes sociais compartilho o meu dia a dia, mas não acho legal as pessoas seguirem a dieta dos outros. Tem que ser apenas uma inspiração”, explica. Além dos benefícios no corpo, a principal vantagem de seguir um plano alimentar, segundo ela, está na disciplina adquirida. “E essa mudança de hábito você carrega pra vida toda! Sou consciente de que treino sem dieta não funciona. A dieta é 80% do resultado. Capricho nos treinos de musculação e corrida, mas sigo a dieta direitinho e suplemento adequadamente. E detesto estar fora da minha rotina, tento carregá-la comigo aonde eu for”, diz ela, que pratica musculação, corrida e funcional regularmente, mas também abre espaço para experimentar novidades, como ballet fitness, kangoo jump e Sup.

Anastácia Duarte planeja sua alimentação logo pela manhã antes de sair de casa A modelo Anastácia Duarte, 26 anos, encontrou no planejamento alimentar uma forma de não se deixar levar pelo ritmo acelerado dos trabalhos e, assim, comer de qualquer forma. “Planejo minha alimentação logo de manhã, antes de sair de casa, pois meus horários são diferentes todos os dias, então me programo de acordo com meu dia. Algumas vezes me alimento fora de casa, mas sempre escolho alimentos que estão no meu plano alimentar, obedecendo as seis refeições por dia. Os alimentos variam entre frutas, hortaliças, fontes de proteínas, carboidratos, leguminosas, cereais e bastante água por dia”, afirma ela, que não abre mão da atividade física. “Na semana, vou três vezes à academia e malho com personal. Duas vezes na semana faço treinamento funcional e, nos finais de semana, pratico kitesurf”, conta a modelo, que sentiu mudanças significativas. “Senti mudanças na minha pele. Ela está mais macia e bonita, sinto-me mais disposta para trabalhar. Senti as mudanças físicas no meu corpo, ele está mais definido, e também sinto minha mente mais tranquila”, conta.


Para levar na lancheira Omelete recheado Ingredientes

1/2 colher de sopa de quinoa em flocos 1/2 colher de sopa de farinha de linhaça dourada 2 ovos 1/3 xícara de leite desnatado 1/2 colher de chá de orégano sal e pimenta-do-reino a gosto salsinha picada, rodelas de tomate queijo frescal em fatias

Modo de Preparo Ingrid Machado segue uma rotina de seis refeições diárias A empresária e personal trainer Ingrid Machado, 31 anos, segue uma rotina de seis refeições diárias, com quantidades calculadas por nutricionista. “Comer de forma saudável é fácil, pois temos uma oferta enorme de alimentos. O difícil é comer na hora e na quantidade exata. Chego a pesar algumas refeições”, conta ela, que prepara as refeições diariamente e sai de casa com a lancheira completa. “No começo, sentia dificuldades para fazer toda a alimentação diária logo cedo. Com os resultados adquiridos, virou um prazer acordar mais cedo para preparar”, afirma e ainda ressalta alguns benefícios. “Ter uma boa rotina alimentar torna o corpo como um todo (e a mente) saudável. Os benefícios estéticos são consequência, e por sorte, inevitáveis. Cabelo, pele e

outras estruturas físicas recebem mudanças”. Ingrid também pratica musculação logo cedo como a primeira meta do dia a ser cumprida. “Assim, ganho mais disciplina e disposição para o restante do dia. Pratico outras atividades nas horas de lazer, mas escolhi a musculação para fazer parte da minha vida”, explica. Os benefícios? A resposta está na ponta da língua. “Sou uma pessoa saudável, pouco adoeço, pouco me queixo de dores (somente as musculares, que são respostas boas) ou da vida. Tenho consciência de que estou prevenindo doenças adquiridas ou genéticas. Nunca busquei estética com a prática da atividade física e boa alimentação. A experiência, para mim, é satisfatória e dá certo com a combinação das duas”, diz.

Em um recipiente, coloque os ovos, junte o leite e bata bem com um garfo. Adicione a farinha de linhaça, a quinoa, o sal e a pimenta-do-reino. Aqueça uma frigideira antiaderente e adicione a mistura, cobrindo a frigideira com uma tampa. Espere que a parte de baixo esteja levemente dourada e adicione o queijo, a salsa e o tomate na metade do omelete. Com uma espátula dobre o omelete ao meio, cobrindo o recheio. Abafe-o com uma tampa para terminar de cozinhar por, aproximadamente, dois minutos.

Pasta de ricota e pimentão que pode ser usada em sanduíches Ingredientes

50g de pimentão vermelho (de preferência orgânico) cortado em fatias, temperado com orégano e pouco sal. Assar em churrasqueira elétrica ou grill. 50g de queijo ricota temperado com pimenta-do-reino e ervas frescas, como salsa, cebolinha, alecrim 1 colher de sopa de azeite de oliva

Modo de Preparo

Misturar bem os ingredientes, amassando-os com um garfo. Usar esta mistura para rechear o sanduíche, podendo complementar com frango desfiado, atum, tomate, alface, cenoura ralada. COSTUMES 55


OPÇÕES FITNESS

Coma sem culpa!

C Ádria Araújo

omer de forma saudável fora de casa está ficando cada vez mais fácil. Hoje, existe em Fortaleza um vasto mix de produtos fitness e não param de surgir lugares ideais para quem quer dar uma paradinha, reunir os amigos e tomar um suco, ou comer um bom sanduíche, sem deixar a dieta de lado. Aliando sabor e equilíbrio nutricional, as lanchonetes saudáveis já têm público cativo. Para quem ainda não conhece, trouxemos duas opções que valem a pena visitar e comer sem nenhuma culpa.

56 COSTUMES


Mahalo Especializado em comidas naturais a Mahalo tem duas lojas, uma na Maraponga e outra no Eusébio. Com as poucas opções de oferta de comidas saudáveis, as proprietárias Patrícia, Aline e Nilce Alves, investiram na ideia, e resolveram abrir a lanchonete, ao lado de uma academia. “O proprietário da academia nos convidou para abrir a primeira loja aqui do lado, ele já conhecia o nosso trabalho e nós vimos a necessidade de um local com alimentos que seguissem a linha fitness, uma tendência de mercado. Tudo é projeto nosso”, conta Nilce. Na Mahalo, há opções para todos os gostos. “Tudo aqui é feito na hora. Algumas receitas são feitas pela nutricionista Juliana Barros”, informa Patrícia.

Diego de Carvalho e Bruna Braga adaptaram sua alimentação saudável à FitStop Shakeria

NÃO SAIA SEM PROVAR!

Fit Stop Shakeria

Segundo as dicas de Patrícia: a omelete, o wafer integral (chocolate meio amargo, morango, kiwi e banana com mel), o bolo de batata doce sem glúten e sem lactose à base de leite vegetal, o bolo de cenoura, e os sucos de laranja com morango, o de uva com limão e o Detox (abacaxi, maçã, gengibre, e cubo verde de couve, hortelã e espinafre).

Mahalo

Avenida Godofredo Maciel, 597 Segunda à Sexta – de 7h30 às 22h Sábados – 8h30 às 19h Tel.: (85) 3265-2282

Empresárias Nilce e Patrícia Alves comandam a Mahalo com opções saudáveis para todos os gostos

Outra opção onde você irá, certamente, comer sem culpa é o Fit Stop Shakeria, localizado no posto Shell da Avenida Desembargador Moreira. A casa, que abriu em novembro do ano passado, nasceu do desejo do casal Bruna Braga e Diego de Carvalho, de encontrar um local que oferecesse uma alimentação saudável, principalmente para eles, que sempre gostaram desse mundo fitness. “Nós sempre mantivemos uma alimentação saudável e sentíamos dificuldade de achar um local apropriado dentro da cidade, porque fazíamos dieta há muito tempo e para seguir ou comíamos em casa ou deixaríamos a dieta quando saíssemos. Quando a gente encontrava, era com preços absurdos. Então, a nossa proposta foi criar um local de alimentação saudável e acessível, em que as pessoas fizessem suas refeições, fossem lanche, almoço, jantar, ou pudessem levar a comida para casa”, conta Bruna. O Fit Stop Shakeria possui um leque de variedades no cardápio para todo tipo de refeição. Sucos, shakes, omeletes, farritas, wrapes, crepiocas,

tapiocas coloridas e saborizadas, feitas de sumo de legumes e suco de frutas, e ainda cuscuz, saladinhas deliciosas, sobremesas como brownies, cookies, bolos, tortas, coxinhas, pães de queijo, dentre outras opções. Há também sanduíches com pães artesanais próprios nos sabores batata doce, cebola e orégano e pão de queijo, tudo sem glúten ou sem lactose, feito por eles e com o aval do nutricionista Valden Capistrano. “A gente tem uma parceria com Valden, a maioria das receitas são dele, a gente fez só algumas adaptações. Tem muito dele aqui”, revela.

NÃO SAIA SEM PROVAR!

Segundo dicas da Bruna: pão de batata doce com frango desfiado, brownie crocante sem açúcar e sem glúten, e shakes Clorofila (clorofila, maçã e abacaxi), Silvestre (mirtilo, amora, morangos, framboesa, leite e iogurte), Anti-TPM (mamão, gengibre, abacaxi e laranja) e Whey Ovomaltine.

Fit Stop Shakeria

Av. Desembargador Moreira, 1750 – Segunda a Sábado – de 11h às 22h Tel.: (85) 3032-4040 COSTUMES 57


SHUTTERSTOCK/ MARCO MAYER

NOVOS SABORES

Quanto mais

FRUTA, 58 COSTUMES

melhor!


A

Izakeline Ribeiro

s frutas são itens obrigatórios em qualquer rotina alimentar. Nutricionistas indicam o consumo diário de, pelo menos, três porções ao dia. Mas, sem pensar apenas na obrigação, comer frutas pode ser um verdadeiro prazer. Ainda mais quando se pode contar com diversas opções, passando pelas mais tradicionais até às mais exóticas. As frutas são alimentos naturalmente saudáveis. Ricas fontes de vitaminas, minerais, e substâncias antioxidantes e antiiflamatórias, muitas são consideradas funcionais e podem prevenir ou até ajudar no tratamento de doenças. O consumo diário recomendado de pelo menos três porções ao dia pode variar. O mais interessante seria consumir umas cinco porções, e a variacão de cores também é bom, pois, assim, variam também os nutrientes. É o que afirma a nutricionista funcional Melissa Montenegro. Ela, que além do atendimento em consultório, ministra cursos, treinamentos e formação de cozinheiras, sempre inclui as frutas em diversos formatos nas dietas de seus pacientes. “As frutas podem ser consumidas frescas, in natura, como também pode-se fazer deliciosos sucos, saladas e acompanhar vegetais e folhas. Ainda podem ser congeladas, já picadas, para ´preparar cremosos smoothies, geleias ou caldas doces. Quando desidratadas, aumentam o tempo de validade e tornam-se uma boa opção de lanches práticos. Vale tudo pra ter um bom consumo de frutas”, comenta Melissa. Então, que tal sair da mesmice e variar as opções no consumo de frutas? Para Melissa, quanto mais variedades, mais probabilidades de agradar a todos os gostos, tendo mais opções de cores, nutrientes e sabores. Experimente, sem medo. COSTUMES 59


NOVOS SABORES

Já provou? Physalis

Com sabor doce e ácido, ao mesmo tempo, a physalis pode ser consumida in natura. No entanto, ela fica bem em molhos, compotas doces, geleias e até licores. O bom é que suas folhinhas ainda servem para fazer chá. Segundo Melissa, a fruta é rica em vitaminas A e C, fósforo e ferro. As folhas, frutos e raízes também são usados na medicina popular para combater diversas doenças. Entre elas, diabetes, reumatismo crônico, doenças de pele, da bexiga e do fígado. “A planta tem sido instrumento de estudo para controlar o sistema de defesa do organismo, diminuindo a rejeição em transplantes e atacando alergias”, completa a nutricionista.

Tangerina dekopon

A acidez também é encontrada na tangerina dekopon. Excelente fonte de potássio, vitamina C e rica em betacaroteno, também tem a vantagem de não ter caroço. Como as tradicionais, pode ser consumida em suco ou in natura. Melissa destaca, ainda, que a membrana branca que a recobre contém muitas fibras e ajuda a combater o colesterol.

Laranja Kinka

Ainda entre os cítricos, a laranja Kinkan é produzida durante todo o ano e pode ser encontrada em dois tipos diferentes: a Nagami e a Meiwa. A primeira tem formato oval e é mais amarga. De uso versátil na cozinha, é indicada para fazer doces, geleias e reduções para acompanhar pratos salgados. Já a segunda, é doce e mais rara de encontrar.  De acordo com a nutricionista, comemos a Kinkan com casca e tudo.  “As duas laranjas Kinkan são ricas em nutrientes e vitaminas e consideradas uma grande fonte de vitamina C. A sua casca é poderosa em antioxidantes, rica em polifenóis bioativos, eficientes no combate aos radicais livres e às inflamações”. 60 COSTUMES


Kiwi dourado

O Kiwi dourado se assemelha, em nutrientes, com as laranjas kinkan. Ele é uma das frutas mais ricas em vitamina C do mercado. Além de conter outras vitaminas importantes e fibras, ele também é rico em polifenóis. “O Kiwi dourado é tão gostoso quanto o verde e até mais doce. Pode ser consumido fresco, retirando-lhe a casca, ou fazendo um suco delicioso com vegetais. Pode ser adicionado a saladas de verduras ou molhos”, indica Melissa.

Figo da Índia

Seguindo a linha de doçura, o figo da Índia é doce e suculento. Para comê-lo, basta partir ao meio e, com uma colher, deliciar-se com o recheio, que também pode se transformar em excelentes doces ou compotas. Fruto do cacto, também conhecido como palma, é bastante comum no Nordeste. Seu alto teor de fibras, potássio, magnésio, cálcio, ferro e vitaminas C, A, B1 e B2 são benefícios interessantes para a saúde.

Amora e o mirtilo

De muito longe, chegam a amora e o mirtilo. “Frutas de estação fria, não as encontramos frescas sempre, mas podemos comprá-las congeladas, o que mantém sua ação antioxidante, com a vantagem de poder consumí-las durante o ano todo”, diz Melissa. A amora e o mirtilo são sempre importantes no café da manhã, acompanhando cereais ou saladas de frutas, na forma de sucos, vitaminas, smoothies ou shakes, ou utilizando a fruta fresca ou congelada. São ótima opção como recheios de tortas, bolos ou geleias, e um bom acompanhamento de sorvetes, iogurtes e sobremesas. “O mirtilo e a amora têm nutrientes semelhantes, característicos de sua cor roxa, são ricos em antioxidantes como flavonoides, antocianidinas e resveratrol. Os antioxidantes são essenciais para combater os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e o desenvolvimento de algumas doenças. São boa fonte de vitaminas A, C, E e minerais como potássio, cobre, ferro e zinco”, completa a nutricionista. COSTUMES 61


RUBENS KATO

CAPA

62 COSTUMES


Alex

Atala

O EMBAIXADOR DA COZINHA BRASILEIRA

COSTUMES 63


CAPA Por Izakeline Ribeiro

E

le já foi considerado uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Ao lado de René Redzepi, do Noma, e de David Chang, do Momofuku, compartilhou o título de “Os Deuses da Comida”, pela revista Time. Também foi premiado, indiretamente, como empresário, sendo o único brasileiro na lista dos 10 melhores restaurantes do mundo. Seria o topo de uma carreira de sucesso? Sem dúvida. Mas, Alex Atala quer muito mais. O chef mais badalado do país agora aproveita sua fama buscando melhorias para a gastronomia brasileira. “A gastronomia é a maior rede social do mundo”; “O cozinheiro tem um papel social”; “Nós somos o elo entre a sociedade e a natureza”... Essas são algumas das frases que Alex Atala vem repetindo por onde passa. Enquanto ainda é difícil para alguns entender o próprio papel na sociedade, o chef assume o seu e tem espalhado pelo Brasil e pelo mundo as potencialidades da nossa gastronomia e, ainda, luta para recuperar o prazer de valorizar e consumir produtos locais. Depois de criar o Instituto Atá e a marca Retratos do Gosto, Alex deu mais um passo importante em direção ao seu objetivo. No final de 2014, lançou o movimento “Eu como cultura” (#eucomocultura). O objetivo é conseguir a aprovação do projeto de lei que visa reconhecer oficialmente a gastronomia brasileira como manifestação cultural. Para o feito, conclamou chefs, cozinheiros, empresários, artistas e o público em geral objetivando conseguir um milhão de assinaturas para que o Projeto de Lei nº 6562/13 seja aprovado o quanto antes. Quem apoiou a ideia, postou foto nas redes sociais e recolheu assinaturas. “É preciso reconhecer a gastronomia como cultura e incentivar os jovens chefs, os verdadeiros divulgadores e embaixadores da cozinha brasileira, é fundamental. O Peru vem fazendo isso e a cozinha peruana é reconhecida no 64 COSTUMES

ATÁ Atala criou o instituto gastronômico com o objetivo de apoiar produtores locais e promover uma gastronomia sustentável com base nos ingredientes locais. Produtos menos conhecidos, como mel de abelhas nativas e baunilha do cerrado, são alvos de divulgação do Instituto. Além disso, colaborar com as populações que os produzem é uma das propostas do ATÁ.

RETRATOS DO GOSTO A Retratos do Gosto é uma marca que agrega produtos de pequenos produtores e incentiva sua comercialização. Além da remuneração justa, a marca dá apoio financeiro para capacitação técnica e/ou ações sociais junto às pessoas/comunidades que trabalham na produção. Alex Atala é sócio da marca e conta com a parceria de outros chefs.

“É preciso reconhecer a gastronomia como cultura e incentivar os jovens chefs, os verdadeiros divulgadores e embaixadores da cozinha brasileira, é fundamental.”


RUBENS KATO

Alex Atala criou o Instituto Atรก com objetivo de apoiar produtores locais COSTUMES 65


SÉRGIO COIMBRA

CAPA

66 COSTUMES


mundo todo. O Brasil, efetivamente, tem o maior número de jovens chefs, um potencial gigantesco, e não está se promovendo. Meu grande sonho é que o apoio a essa nova geração aconteça de modo enfático. O meu maior desejo é que o Brasil promova essa nova geração de cozinheiros. Se você for a Manaus, Belém, Recife, Fortaleza e outras cidades, vai enxergar uma geração de cozinheiros pronta para ser explorada”, afirma Atala, ressaltando que nenhum país do mundo tem uma geração de chefs tão importante quanto o Brasil tem, hoje. No entanto, o chef lamenta que ainda falta promoção e valorização dos talentos nacionais. “Eu não gostaria de ver esses meninos cruzando alfândegas com farinhas, tapioca e tucupi escondidos dentro da bolsa. Eles são embaixadores de uma marca que se chama Brasil e de algo que faz parte da nossa cultura”, comenta.

Tanto é que o chef aproveita o bom momento de exposição na mídia e destaque pelas recentes premiações para ir além. “Esse momento que vivo, de ser reconhecido e ganhar prêmios, é uma delícia. Mas é que nem vinho. Você olha e deseja. O rótulo desperta curiosidade. Você abre, sente o aroma e é maravilhoso. Você bebe e é inebriante. Mas, cuidado para não beber demais porque dá dor de cabeça e ressaca. É a mesma coisa que acontece com o sucesso. É uma alegria tudo isso que está acontecendo na minha vida e ter meu trabalho reconhecido, mas eu não posso fazer disso a causa principal. Preciso lembrar sempre que o que me trouxe até aqui foi ser cozinheiro e acreditar na cozinha brasileira. E se eu deixar de fazer isso, vai ser o começo do fim”, afirma, ressaltando que ser cozinheiro não é um status social. Atala destaca que o cozinheiro é um profissional multimídia, com a possibilidade de ser um grande divulgador cultural. Pode ser complicado falar isso para quem está começando, mas para quem já está estabelecido chega a ser um dever. “Claro que nem todo cozi-

DAVI FARIAS

ALÉM DAS FRONTEIRAS DA COZINHA

nheiro precisa virar um sociólogo, mas não dá mais para fechar o olho. Uma vez que ele preste atenção nisso, não quer dizer que precise ser um militante. Basta ser mais cidadão em atitudes práticas, como gerar menos lixo, deixar de comprar produtos que não sejam legais e, fundamentalmente, comprar produtos com origem que vão beneficiar o nosso povo”, diz. Para o chef, o consumidor final deve agir assim também, porque é a mesma mensagem. Ela está saindo de um pequeno segmento, que é a cozinha, e pode chegar ao grande público. “Saber o que compra, a origem e se é um produto legal para consumo, ser responsável pelo próprio lixo. Essas três atitudes já fazem diferença. Se o mundo inteiro optar por uma dieta adversa, de boa procedência, e gerar menos lixo, o impacto ambiental no sentido positivo será gigantesco”, explica Atala.

Alex Atala no Mercadinhos São Luiz do Shopping RioMar durante palestra dedicada a chefs de cozinha

JUVENTUDE Antes de ser o principal chef do Brasil, Atala fez parte de uma banda punk e também já foi DJ. Saiu de casa cedo e, aos 15 anos, viajou para a Europa e foi pintor de paredes. O lado punk não foi abandonado de vez, já que continua gostando de tatuagens, motos e de rock. COSTUMES 67


SHUTTERSTOCK/ JOSHUA RESNICK

HARMONIZAÇÃO

COMIDINHAS HARMONIZADAS COM

CERVEJA

68 COSTUMES


Por Izakeline Ribeiro

A

s cervejas especiais ganharam o paladar do cearense. Com mais opções de rótulos no mercado local, escolher o estilo e o que servir acaba virando um delicioso desafio. Para ajudar você nesta busca, convidamos o sommelier de cervejas, João Filho, e a cozinheira, Raquel Cavalcante, para prepararem um menu harmonizado. O tema? Receber os amigos em casa. Não importa qual local no mundo, se você achar algumas pessoas reunidas, rindo, conversando ou se divertindo, é quase certo que exista uma cerveja por perto. A cerveja é uma bebida socializante por natureza, harmoniza perfeitamente com descontração e alegria. “Não existe limites para a criatividade quando o assunto é cerveja, e é ai que a diversão começa. Podemos criar encontros temáticos, como por exemplo, ‘cervejas e sobremesas’, ‘cervejas e comida japonesa’,  ‘cervejas e hambúrgueres’, e porque não harmonizar com outras bebidas e fazer uma noite de drinks com cerveja’? A cerveja vai muito além dos petiscos de boteco, ela pode desafiar e surpreender, são infinitas as combinações”, explica o sommelier. E partindo do ponto que muitas pessoas ainda não tiveram a oportunidade ou o interesse de provar novas possibilidades de aroma e sabor encontrados nos mais e 120 estilos existentes, João acredita que a melhor saída é optar por cervejas mais democráticas, e que tenham alguma história para contar. “A ideia aqui não é assustar e sim encantar. Para isso, devemos escolher, num primeiro momento, cervejas que, normalmente, irão agradar o paladar de todos. Cervejas de trigo, alguns estilos da escola belga, e cervejas menos lupuladas, que são as com menor amargor, são opções mais facilmente assimiladas pelo paladar do brasileiro, mas isso não é uma regra”, afirma. Segundo o sommelier, uma boa opção é começar com uma German Weizen, uma tradicional cerveja de trigo alemã, com toques frutados que lembram banana, muito refrescante e COSTUMES 69


HARMONIZAÇÃO saborosa. “Nossa escolha foi a Erdinger Urweisse com notas ricas de cravo e banana, produzida com a receita original da cervejaria, datada de sua fundação em 1886. As cervejas de trigo, que são saborosas e refrescantes e, normalmente, são a porta de entrada para o universo das boas cervejas”, explica. As cervejas de trigo são tão versáteis que, muitas vezes, é até difícil escolher apenas um prato que a acompanhe. Seja qual for a comida, as chances de harmonizar com uma German Weizen são grandes. Praticidade também é um ótimo ingrediente. Por isso, o queijo brie com geleia de pimenta, encontra na German Weizen um poder de limpeza incrível! A carbonatação, uma característica natural da cerveja, que lhe confere a efervescência, ativa e estimula as papilas gustativas da língua, acentuando os complexos sabores dos queijos. “Também tem o poder de cortar a gordura do queijo que cobre as papilas gustativas, preparando a boca para os próximos sabores. Além disso, sua doçura maltada irá equilibrar com a geleia de pimenta e controlar a ardência desta, se fundida depois com o sabor do prato”.

SHUTTERSTOCK/ ARTJAZZ

Outra possibilidade é começar com uma Witbier, que é a representante belga das cervejas de trigo que, normalmente, levam em sua receita casca de laranja e semente de coentro. “Escolhemos a Vedett, uma cerveja refrescante, surpreendentemente saborosa, que possui aroma e sabores cítricos de laranja e limão, fácil de beber. Este estilo é sucesso em qualquer degustação”, diz.

70 COSTUMES

Para acompanhar a Vedett, Raquel Cavalcante preparou um ceviche de tilápia. “Com peixe, o estilo Witbier é praticamente imbatível. O estilo é leve o suficiente para complementar os peixes mais delicados, enquanto as notas cítricas e seu caráter ácido irão realçar o sabor natural do prato”, explica o sommelier.

CERVEJA INGLESA

Na sequência a dica é uma cerveja inglesa. Para começar a apresentar um perfil mais lupulado para os con-


Brownie

Rende até 12 unidades

Ingredientes

500g de chocolate meio amargo 6 ovos 2 xícaras de açúcar 3 xícaras de farinha de trigo 250g de manteiga 100g de castanhas

Modo de preparo

Derreta o chocolate em banho-maria, e após, acrescente a manteiga. Reserve. Bata na batedeira os ovos, o açúcar, a farinha. Junte o chocolate derretido com a manteiga, as castanhas e misture. Despeje a mistura numa forma retangular média, forrada com papel-manteiga. Leve-a ao forno aquecido por 20 a 25 min até dourar, mas teste com um palitinho para que esteja úmido no centro. Modele os brownies e sirva-os com uma bola de sorvete de creme e calda de chocolate.

Ceviche peruano

Rende até 06 porções

Ingredientes

4 filés de tilápia limpos Suco de 4 limões 1 pimentão amarelo Pimenta dedo de moça 1 cebola roxa Cebolinha, coentro e Gengibre (a gosto) Flor de sal sabor limão

Modo de preparo

SHUTTERSTOCK/ OLEG MIKHAYLOV

Tempere os filés de tilápia com suco de um limão e um pouco da flor de sal. Corte-os em cubinhos e reserve-os na geladeira. Depois de cortar os vegetais, acrescente o suco de limão restante, e acrescente o peixe. Misture bem, corrija o limão, pimenta e gengibre, caso deseje mais ácido e picante. leve a geladeira por, no mínimo, 1h antes, num recipiente fechado, antes de servir. Sirva o prato acompanhado com taças de Martini decoradas com uma rodela de limão.

COSTUMES 71


HARMONIZAÇÃO

SHUTTERSTOCK/ PICSFIVE

vidados, porém sem um amargor tão agressivo. Neste caso a Bombardier é a escolha ideal. Uma autêntica cerveja do estilo English Pale Ale, que é um popular estilo inglês de cerveja, apresenta um belo equilíbrio entre malte e lúpulo, com toques de malte, caramelo e leve torrefação, além de sensações picantes e notas de frutas, porém com um leve amargor ao final de cada gole. Carnes grelhadas harmonizam muito bem com uma English Pale Ale. Além disso, parece que foram preparada para harmonizar com hambúrgueres. João Filho ressalta que o segredo está na caramelização, no contraste entre o dulçor da cerveja e o salgado da carne. “O estilo possui, ainda, carbonatação e amargor suficientes para absorver a gordura, também preparando a boca para os próximos sabores”, esclarece.

CERVEJAS ESCURAS

Por fim, uma cerveja escura. “As cervejas escuras normalmente sofrem preconceito, devido à herança deixada pelas ‘Malzebiers’, que durante muito tempo eram a única opção de cerveja escura que nós tínhamos”, destaca João. De acordo com ele, a escolha é justamente para acabar com essa história que cerveja escura é enjoenta ou é cerveja só para mulheres. “Pensando nisso, escolhemos a Double Chocolate Stout, a 1ª Cerveja com Chocolate produzida comercialmente, que leva barras de chocolate amargo Cadbury na etapa de cozimento de seu processo de fabricação, conferindo-lhe um aroma e sabor de chocolate sem ser demasiadamente doce”, diz. A Stout é um clássico estilo inglês extremamente versátil, tão versátil que combina perfeitamente com sobremesas. Neste caso, o sabor de chocolate e café da cerveja irão abraçar o sabor do brownie, realçando ainda mais as características deste, e seu leve amargor irá contrastar com o dulçor do sorvete, criando um equilíbrio perfeito e novas sensações gustativas.

O QUE ESCOLHER PRIMEIRO?

Quando se fala em harmonização, sempre há a dúvida sobre o que esco72 COSTUMES

lher primeiro. Se o intuito é apresentar aos convidados o universo das boas cervejas, é mais indicado pensar nelas em primeiro lugar, mas não existe uma regra quanto ao que vem primeiro. “Na maioria das vezes, eu abro minha adega, escolho um estilo, e penso o que irá harmonizar com essa cerveja. Por outro lado, muitas vezes já me peguei pensando primeiro em algum prato em especial, e só depois pensei na cerveja”, conta João.

“A cerveja vai muito além dos petiscos de boteco, ela pode desafiar e surpreender, são infinitas as combinações”

O certo é que a ordem não vai interferir no resultado final. O que importa é buscar a harmonização mais adequada e transformar a união da bebida com o prato em algo extraordinário. “Para os amantes da boa mesa, existem cervejas para cada tipo de ocasião”, completa o sommelier.

João Filho, Sommelier de cervejas

Raquel Cavalcante ressalta que receber os amigos em casa é sempre um ótimo motivo para inovar na cozinha e testar novas receitas e combinações. “Harmonizar esses pratos com cervejas especiais foi uma experiência incrível. Adorei as harmonizações e são super fáceis de reproduzir. Aqui, deixo algumas dicas pra você planejar uma noite diferente com sua turma e que certamente vão fazer sucesso”, diz.


Rende até 5 unidades

Ingredientes

200g de carne moída de primeira Canela em pó, flor de sal defumada e pimenta preta moída (a gosto) 1 colher de chá de pasta de alho

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes com as mãos, e modele os burgers do tamanho que desejar. Leve-os ao congelador para firmar, sem precisar congelar,

enrolados em filme plástico ou saquinhos tipo ziploc. Asse-os numa frigideira com um pouco de gordura de sua preferência.

Molho blue cheese

100g de queijo gorgonzola 02 colheres de sopa de creme de leite 1/2 xícara de leite

Modo de preparo

Aqueça o leite e acrescente o queijo picadinho, mexa até que

dissolva bem. Acrescente o creme de leite. Sirva quente por cima dos hambúrgueres. BACON CRISPY

Ingredientes

1 caixa de bacon fatiado, cortado em pedacinhos

Modo de preparo

Frite o bacon até que fique crocante, usando o papeltoalha para tirar o excesso da gordura. E sirva por cima do molho blue cheese.

COSTUMES 73

SHUTTERSTOCK/ OLEG MIKHAYLOV

Burgers


VIDAS TRANSFORMADAS

FORTALECENDO VÍNCULOS E TRANSFORMANDO

Vidas SHUTTERSTOCK

A INSTITUIÇÃO COMEÇOU ATENDENDO CRIANÇAS COM DESNUTRIÇÃO E, HOJE, VAI MUITO ALÉM DO TRATAMENTO E DA DOAÇÃO DE ALIMENTOS

74 COSTUMES


Texto Ádria Araújo Foto Davi Farias

“C

riar vínculos entre mãe e filho é a missão mais importante do Iprede.” É com essas palavras que o médico e presidente do Iprede, Sulivan Mota, define a base do trabalho que a instituição adotou para se reinventar. “Uma mãe desamparada, sem estrutura, acaba vendo no filho o causador da situação difícil. O que tentamos resgatar é o ser humano Mulher, enxergá-la antes mesmo de ser mãe, para que ela se estabeleça e, assim, crie e fortaleça o vínculo com seu filho. Damos as condições para ela patrocinar suas despesas de casa, o discernimento para não receber agressões do marido, e as modificações são no âmbito geral. Você percebe no vestiário, no penteado, no modo da criança ser cuidada, no vínculo com a criança. Ela passa a ser outro ser.” Quando fundado, em 1986, o Instituto de Prevenção da Desnutrição e da Excepcionalidade – Iprede, dentro do Hospital Albert Sabin, tinha como objetivo primeiro recuperar o estado nutricional das crianças atendidas. Hoje, quase 30 anos depois, a instituição tornou-se um grande agente para tornar realidade um cenário onde a desnutrição foi quase erradicada do Ceará e trabalha massivamente para o desenvolvimento sociopedagógico dessas crianças, além da profissionalização de suas mães. “Quando assumimos, há oito anos, o Iprede mantinha o foco de recuperar e de alimentar aquela criança desnutrida, mas depois começamos a ver a necessidade de estimular o crescimento dessa criança, do seu cérebro. E quando esses estímulos são feitos no tempo adequado, o resultado é muito valioso ou seja, além de nutrir seu organismo, a casa passou a estimular o seu desenvolvimento. Com o tempo, a desnutrição foi caindo bastante e, hoje, está abaixo de 10% a nível de Ceará, o que ainda é uma vergonha, porque não era para existir fome no mundo”, ressalta Dr. Sulivan.

Maria Gorette hoje é recepcionista do ambulatório do Iprede Segundo o médico, é no estágio da Primeira Infância que há toda estruturação do ser humano, seja a nível biológico, social ou emocional, de forma que as crianças passaram a ser vistas em contexto global, não só pela desnutrição e, sim, pela estimulação do seu desenvolvimento e pelo fortalecimento do vínculo com suas mães. Para atender as 1.250 crianças e as 850 famílias, o Iprede disponibiliza 15 toneladas de alimentos, que incluem: arroz, feijão, óleo, açúcar, farinha e leite (o item mais necessário, e o mais caro). “Para a família receber, tem que ser atendida aqui. E quando chega, jamais retorna. Até mesmo se não houver a necessidade de recuperação do estado nutricional, essa família é reorientada, avaliada sob a classificação de risco da família, como nível de escolaridade dos pais, nível de posse material, da relação conjugal, de violência dentro de casa, e permanece por estar abaixo da linha da pobreza, na miséria mesmo”, conta Sulivan.

VIDAS TRANSFORMADAS

Ao notar que por trás de toda criança desnutrida, havia uma mãe desamparada, sem estrutura familiar, o Iprede passou a se preocupar com essa mulher e criar atividades profissionalizantes para ela. “Depois de trabalharmos o desenvolvimento das crianças, vimos que tínhamos que trabalhar a família e, para isso, a melhor forma era através da mulher. Por isso criamos uma trajetória para elas, que trabalha a saúde mental, a alfabetização, além de outros segmentos”, ressalta. Os cursos oferecidos às mães são mais de 30, como Corte e Costura, Maquiagem, Depilação, Manicure, Química do cabelo, Estética, Culinária, Informática, Zeladoria, Modelagem, dentre outros. Inclusive, há o projeto “Mãe Colaboradora”, com duração de um ano, em que as mulheres auxiliam nos deveres do Iprede. Com este projeto, as mães recebem R$ 30,00 por dia, mais alimentação e Vale-Transporte, além de uma série de assistências no que diz respeito à saúde mental, como se vestirem, as formas de se expressarem, enquanto deixam seus filhos para as consultas. Também há o curso “Entrando no mundo do trabalho”, onde é tratada a autoestima e a compreensão da importância da profissionalização. COSTUMES 75


VIDAS TRANSFORMADAS Os cursos de capacitação contam com o apoio do Banco do Brasil e do Senac-CE – e, mais recentemente, com a Fundação Roberto Marinho através do Canal Futura. “Como os cursos pedem uma instrução/alfabetização, muitas mães estavam ficando de fora, então nós fomos atrás de conseguir recursos para alfabetizá-las. Quando elas acabam os cursos, em sua grande maioria, já saem empregadas”, explica o Dr. Sulivan. Na área da Saúde, o Iprede tem parceria com a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, um centro de maior referência do estudo do desenvolvimento na Primeira Infância. Anualmente, eles recebem e mandam alunos de Pós, Doutorado e funcionários do Iprede. “Recebemos médicos residentes do país e de fora, que ficam tendo aulas aqui dentro, vivenciando nosso serviço, e acompanham também tudo por câmeras. Eles nos assistem ao vivo, acompanham as crianças com autorização das mães. Então, nos tornamos objeto de estudo e referência de trabalhos”, informa o presidente da instituição.

DE “MÃE COLABORADORA” A FUNCIONÁRIA DO IPREDE

A funcionária Maria Gorette Alves teve sua vida transformada através do Iprede. Hoje, trabalha na recepção do ambulatório, recebendo as crianças desnutridas. Com muito orgulho, ela conta um pouco da sua experiência de ter sido uma “Mãe Colaboradora” e ter levado sua filha, Lara Adriely, na época com 3 anos, para receber a assistência do Iprede. Quinzenalmente, Gorette trazia sua filha para ser atendida. Ao surgir o projeto “Mãe Colaboradora”, ela começou a fazer parte e, depois de dois anos renovando o contrato, foi convidada para ser funcionária, desempenhando a mesma função de recepcionista do ambulatório.

O médico Sulivan Mota comanda a presidência do Iprede há oito anos 76 COSTUMES

“O dinheiro que a gente recebia como Mãe Colaboradora ajudava a comprar alimentação e remédios.


EDUARDO MAGALHÃES

Quando me convidaram para trabalhar, eu aproveitei a oportunidade. Fiz curso de Informática e de Costura. Aqui, a gente recebe as crianças, tira o prontuário, leva para a enfermagem, pesa e depois elas são atendidas pelo médico, nutricionista e serviço social”, ressalta. Hoje, com 9 anos de idade, a caçula da Gorette já está de alta. “Na creche, todo mundo falou que ela estava muito desenvolvida, comia bem. Antes, ela era muito desnutrida, eu só vivia no hospital com ela, e tinha problemas de cansaço. Hoje, ela não tem mais problema algum”, conta satisfeita. Outra mulher que teve sua vida e a de seu filho reestruturada pelo Iprede foi a auxiliar do bazar, Nilvania Silva. Devido a uma diarreia, que deixou o filho Mailton, de 1 ano, por sete dias hospitalizado, a auxiliar conheceu o Iprede através da nutricionista do hospital onde ela o levou. Mal sabia ela que lá também seria o local do seu futuro emprego.

Mães colaboradoras participam de cursos profissionalizantes. Abaixo a auxiliar do bazar Nilvania Silva teve sua vida e a do filho transformadas pelo Iprede

“Quando cheguei, fui bem atendida, e quando iniciou o projeto ‘Mãe Colaboradora’ eu fui uma das primeiras a serem convidadas para participar, passando um ano e três meses. Então, quando eu resolvi procurar algum local para trabalhar, a gerência me perguntou se eu sabia ler e escrever, qual era meu grau de instrução, e depois me chamaram para trabalhar todos os dias, a partir de 2008”, diz. Com todo esse tempo trabalhando no Iprede, seu filho, agora com 10 anos, continua a ser atendido pelo endocrinologista todo semestre, por ter uma estrutura corporal pequena, mesmo tendo se desenvolvido muito e estando muito bem de saúde. “Aqui, fui acolhida e sou muito respeitada, nunca fui menosprezada ou tratada diferente. Já trabalhei em outros lugares, mas aqui eu me sinto muito bem, gosto de trabalhar no bazar, foi onde me estabeleci. E foi aqui que meu filho foi recuperado, eles o ajudaram muito e o ajudam, até hoje”, finaliza.

SERVIÇO Iprede Rua Professor Carlos Lobo, 15 – Cidade dos Funcionários Tel.: (85) 3218-4047 COSTUMES 77


Ágarágar

MESA SÃO PAULO 2014

SHUTTERSTOCK/RICH CAREY

o ouro do mar cearense

78 COSTUMES


DURANTE O MESA SÃO PAULO 2014, OS CHEFS CEARENSES IVAN PRADO E LIA QUINDERÉ APRESENTARAM AO PÚBLICO A PRODUÇÃO DE ALGAS DO CEARÁ, EXCELENTE FONTE DE PRODUÇÃO DO ÁGAR-ÁGAR NATURAL E LIVRE DE PRODUTOS QUÍMICOS Por Izakeline Ribeiro

C

ompreender (e melhorar) o caminho percorrido pelo alimento até chegar ao consumidor final foi a principal reflexão da Semana Mesa São Paulo 2014, o principal evento de gastronomia do Brasil. Mais do que preparar e servir comida, o cozinheiro tem um papel social. Um dos elos de contato do comensal com a natureza, a cozinha vai além de um serviço e se assume como ferramenta de transformação social. O tema deu o tom das palestras de chefs nacionais, internacionais e pequenos produtores de diversas regiões do Brasil, que dividiram o palco no Mesa Tendências, congresso realizado dentro do evento. Nossos representantes do Nordeste foram os responsáveis pelas palestras e depoimentos mais encantadores e emocionantes. A região, que por muito tempo foi marcada pela falta de recursos, mostrou, através de seus cozinheiros e dos projetos apresentados, força de trabalho e material humano incríveis. Os cearenses Ivan Prado e Lia Quinderé se uniram para apresentar a produção de algas do Ceará. Embora a maior parte do que é produzido seja direcionada para a elaboração de pro-

dutos de limpeza, as algas abundantes no litoral são excelentes fontes para a produção do ágar-ágar natural e ainda têm a vantagem de serem livres de produtos químicos. Para a dupla de cearenses, o ágar-ágar é o “ouro” do mar cearense. Obtido a partir da alga glaciária encontrada no Munícipio de Trairi, é similar à gelatina de origem animal, porém é mais saudável (sem adititvos químicos) e sustentável. No entanto, a maior parte do ágar-ágar utilizado no Brasil é importado e bem mais caro que a gelatina comum. “Nossa proposta é mostrar que temos um produto valioso do “ladinho” de casa, que é mais saudável e ainda pode ajudar a transformar pra melhor a vida de quem trabalha com as algas”, explica Ivan, citando a parceria com o produtor Pedro Edvan dos Santos, da Associação dos Produtores de Algas de Flecheiras e de Guajirú. Diante da plateia, Lia assumiu publicamente o compromisso de aumentar a utilização do ágar-ágar cearense nas receitas da Sucré Patîsserie. “Não adianta vir aqui só falar sobre o produto e ele continuar lá. É importante ir além da palavra e transformá-la em atitude. Ainda mais porque o Brasil tem potencial para

COSTUMES 79


MESA SÃO PAULO 2014 ser o maior produtor”, destaca a chef. Com o ouro do mar cearense, Lia e Ivan apresentaram receitas, mostrando, na prática, a utilização do produto, que é capaz de oferecer texturas e qualidade incrível aos preparos.

ENCONTRO HISTÓRICO

“Nossa proposta é mostrar que temos um produto valioso do “ladinho” de casa...” Ivan Prado, Chef

Também durante o Mesa Tendências, aconteceu um encontro entre onze dos melhores chefs do mundo. Alex Atala mediou um breve bate-papo com o que podemos chamar de “dream team” da gastronomia internacional. Além do brasileiro, o francês Michel Bras (Bras), os espanhóis Ferran Adriá (Fundação elBulli) e Joan Roca (El Celler de Can Roca), o peruano Gastón Acurio (Astrid & Gastón), o chileno Rodolfo Guzman (Boragó), a dinamarquesa Kamila Seidler (Gustu, na Bolívia) e o japonês Yukio Hattori (Hattori Nutrition College) foram o conselho assessor internacional do Centro Culinário Basco. O grupo, que tem a função de orientar as decisões da instituição, enquanto esteve no Brasil discutiu especialmente o tema “Biodiversidade e o papel da cozinha”. As experiências em seus países foram compartilhadas com o objetivo de fomentar boas práticas entre os cozinheiros do Brasil e do mundo. “Conhecer  melhor os ingredientes que usa é fundamental para ser um bom cozinheiro”, afirmou o anfitrião Atala. Os chefs Ivan Prado e Lia Quinderé durante o Mesa SP 2014

SEMANA MESA SP Organizado pela revista Prazeres da Mesa e Senac São Paulo, a Semana Mesa SP é dividida em quatro momentos que terminam por englobar vários públicos e pontos da cozinha nacional. O Mesa no Cinema acontece entre os dias 13 e 15 de outubro. Nele, o público degusta comidinhas preparadas por afamados chefs, que interpretam os pratos exibidos nos filmes escolhidos por curadores do CineSesc. O Mesa Tendências é o primeiro congresso internacional da área no país e promove grandes encontros, discussões, troca de experiências e produção de conhecimento para o público de profissionais que vêm de toda a América Latina. A grande festa da gastronomia brasileira, no entanto, acontece no Mesa Ao Vivo, que há 11 anos reúne os principais chefs do país para mostrar e demonstrar suas habilidades a um público de 13 mil pessoas. Em 2015, o evento acontecerá de 27 a 29 de outubro e vai abordar o tema  “A Nova Gastronomia: compartilhando, cultura, conhecimento e paixão”.

SAIBA MAIS

DIVULGAÇÃO

Informações sobre a Associação de Produtores de Algas de Flecheiras e Guajiru estão disponíveis no site: algascultivandosustentabilidade.net

80 COSTUMES


Torta de Coco com Morango A confeiteira Cristiane Cherubim buscou um produto regional para apresentar sua receita exclusiva nesta edição da Revista Costumes. “Procurei desenvolver uma receita de fácil preparo e que tivesse um ingrediente regional, que foi o coco. Pensei em buscar a simplicidade com toque de elegância e que tivesse as cores que representam o Natal”, conta Cristiana. Quer coisa melhor para unir do que um doce? “Nesta época de festas o doce transmite os melhores sentimentos, família reunida, abraços apertados e troca de carinho”, ressalta a confeiteira. Para dar tudo certo com a receita, Cristiane dá dicas infalíveis: separar os ingredientes antes de começar a receita e usá-los sempre em temperatura ambiente. A paixão pela Gastronomia veio na infância, quando a confeiteira acompanhava a avó italiana em alguns preparos. “Hoje, minha produção é bem voltada para confeitaria de bolos tradicionais com toque gourmet e tortas finas. Estou formando parceria com meu irmão, desenvolvendo alguns itens salgados, muitas novidades virão”, adianta.

Por Cristiane Cherubim

Modo de preparo

Bater os ovos, o açúcar e a manteiga até virar um creme. Aos poucos, acrescentar a farinha e o leite. Colocar em forno pré-aquecido a 180°c. Para o creme de coco, levar ao fogo o leite condensado, o leite, o creme de leite, o leite de coco e o coco ralado. Quando levantar fervura, acrescentar o amido e a gema passados pela peneira. Deixar encorpar mais um pouco e desligar. Em uma forma de fundo falso, colocar uma camada de massa, os morangos nas laterais da forma, depois o creme de coco e finalizar com a última camada de massa.

SERVIÇO Cristiane Cherubim Encomendas: (85) 8921.1473

Ingredientes

Massa do bolo 4 ovos 1 xícara de manteiga 3 xícaras de açúcar 3 xícaras de farinha de trigo com fermento 1 ½ xícara de leite Creme de coco 1 lata de leite condensado 2 xícaras de leite ½ xícara de leite de coco ½ caixa de creme de leite 1 gema 2 colheres de sopa de amido de milho Coco ralado a gosto COSTUMES 81


CEARENSE POR ESCOLHA

Nascida na Suécia, a hair stylist Ida Axenstedt veio acompanhar o marido e fez carreira no Ceará

82 COSTUMES


DA SUÉCIA PARA FORTALEZA

UM AMOR QUE TRANSCENDEU OS LIMITES DAS FRONTEIRAS SUECAS PARA DESEMBARCAR NO BRASIL. ASSIM COMEÇA A HISTÓRIA DA EMPRESÁRIA E HAIR DESIGNER, IDA AXENSTEDT

N

ascida no norte da Suécia, a hair designer conheceu o marido por lá, através de uma amiga. Primeiramente, o plano do empresário cearense era morar durante seis meses na cidade, mas a paixão pela loira de olhos azuis mudou seu destino. Casaram-se e permaneceram morando na Suécia por dez anos. Depois de todo esse tempo em terra estrangeira, David Barreira resolveu voltar à Terra do Sol com a esposa. “Eu nunca cogitei morar aqui, mas o David nunca quis ficar na Suécia, sempre pensava em voltar. Os irmãos dele moraram um tempo por lá, mas como os pais moravam aqui, ele deixou o emprego e nós resolvemos vir para ficarmos de vez, apostando as fichas no salão”, conta. Mesmo com uma vasta experiência de trabalhos em salões renomados na Europa, como o Anna-Martas Hairdesign, o Klipparna e o Salong Noblesse, e com estudos especializados em estrutura do cabelo, na escola Pivot Point - considerada a responsável pelas melhores técnicas na arte capilar -, Ida resolveu, por incentivo do marido, abrir seu primeiro salão de beleza em Fortaleza. “Meu interesse em ser hair designer veio de pequena. Fui trabalhando com pessoas legais, aprendendo e vi que gostavam do meu trabalho”, afirma. O salão que carrega seu nome completa cinco anos de existência e dedica-se exclusivamente aos cabelos de seus clientes, oferecendo as modernas técnicas de Visagismo, com cortes e tinturas de acordo com a imagem de cada

um. Com o apoio profissional de seis funcionários, são atendidas em média 40 a 45 clientes por dia, que buscam o serviço mais requisitado do salão: o corte de cabelo.

UMA SUECA NA TERRA DO SOL

Deixando na Suécia sua família e uma cultura bem diferente da cearense, Ida conta que não sofreu quase nenhuma dificuldade quanto à adaptação, porém ainda sente falta de particularidades do seu país. “De lá, sinto mais a falta da minha família, de falar a minha língua, da troca de estação. Sinto muito a falta do frio, da neve no Natal, de andar a pé pela cidade, principalmente passear à noite”, revela. Mesmo com um leve sotaque, Ida aprendeu facilmente o português por conta do convívio com o marido. Quanto à Terra do Sol, ela destaca o que gosta daqui. “Gosto muito das praias, e me sinto muito bem com o sol; quem vem de fora dá muito valor a isso. Meus pais mesmo, no período de fevereiro gostam de vir, porque lá é bem frio. E a cultura cearense é diferente, as comidas são diferentes, eu adoro comer feijão, arroz e farofa. Até a maneira como as pessoas falam umas com as outras é diferente, mais próximas, mais calorosas. Acho que me adaptei muito bem ao Ceará, sempre fui muito bem recebida”, afirma.

SERVIÇO Ida Axenstedt Rua Marcos Macedo, 655 loja 01 – Aldeota Tel.: (85) 3224.6219

COSTUMES 83


COSTUME SAUDÁVEL Por Mariana Marques

SHUTTERSTOCK/ANETA_GU

Franguinho nosso de cada dia

84 COSTUMES


U

ma das coisas que mais amo em cozinhar é saber que receitas não têm dono. Não essas que a gente faz em casa! Elas podem ter sido da avó, da tia, da revista, da TV, mas assim que a gente põe a mão na massa elas viram nossas. Isso é fantástico! Esse frango saiu primeiro da cozinha da minha tia Juci, e depois veio parar nas mãos da Silvana, ajudante preciosa que comanda a casa dos meus pais. Um dia testei aqui em casa, copiei a receita no Instagram, e ela foi se espalhando, e muitos amigos já têm releituras próprias do “Frango à milanesa saudável”. Nesta edição, divido também com vocês um ingrediente que faz toda a diferença na minha vida na cozinha, desde que foi lançado: são os cortes de frango Costume Saudável da Granja Regina, feitos especialmente para o Mercadinhos São Luiz. São cortes bem fresquinhos e já porcionados (há também uma versão temperada com baixo sódio, que é a coisa mais prática da vida!). O frango entrou bem cedo na minha vida como a proteína principal das refeições. Ainda na década de 80, meu pai, que sofria de alto colesterol e de algumas complicações vasculares e cardíacas, foi orientado pelo médico a comer, principalmente, carne branca e magra, e, como ninguém aguenta comer a mesma coisa todo dia, foi preciso muita criatividade por parte da gente pra que o almoço fosse sempre saudável, mas tivesse um gostinho diferente. Foi assim que comecei a colecionar muitas receitinhas de frango, e hoje divido a principal com vocês. E como em toda edição, contamos com a participação de uma nutricionista muito especial, que vem nos orientar e ilustrar nossa receita com dados mais precisos e científicos sobre o que estamos comendo, a querida Juliana Barros (nutricionista e proprietária do Club Detox) nos deu a honra de falar um pouco sobre nosso franguinho amado, salvador das dietas!

A Ju lembra que o frango é uma proteína magra, com pouca gordura (principalmente o peito) e que resulta numa ótima opção de consumo! Além de ser nutritivo, tem digestão rápida, o que não causa aquela sensação de desconforto que, às vezes, nos acomete quando comemos carnes vermelhas em demasia.

nha de rosca e empane-os. Leve-os ao forno preaquecido em 180 graus por cerca de 20 minutos (isso vai depender do seu forno, ok? Então fique de olho. Eles devem ficar com a cor levemente dourada e bem assadinhos por dentro).

Agora é só buscar a bandejinha no São Luis, passear na nossa feirinha de orgânicos, e “voilá”. Lá vem um almoço gourmet, e super, super saudável. E tem até acompanhamento, viu? Um purê delicioso e fácil, pra você fazer enquanto o frango está no forno.

Cozinhe 2 cenouras grandes (com casca, na água ou no vapor). Ao esfriá-las, descasque-as, se preferir, e leve-as ao liquidificador ou processador. No fogo baixo, esquente a cenoura processada com 1 colher de sopa (cheia) de leite em pó desnatado, e um pouco de sal e pimenta-do-reino. Pronto! A mágica está feita, e o almoço pronto.

Receita

Purê de Cenoura

Ingredientes

2 bandejas de filezinhos de frango (adoro o corte Sassami!) Sumo de 1/2 laranja Sal a gosto 2 dentes de alho picados 1 colher de sopa de farinha de rosca integral (você pode fazer a sua, picando pão integral sequinho, torradas integrais ou bolachas) 1 colher de sobremesa de mostarda

Modo de Preparo

Marine por 15 minutos os filezinhos no alho, no sal e no sumo de laranja. Faça uma pastinha com a mostarda e a fari-

MARIANA MARQUES é publicitária e nasceu em Fortaleza em 1982. Gosta do dia e do mar. Acredita em alimentação saudável com liberdade e arrisca algumas receitas simples na cozinha. Escreve também em marianamesmo. com.br. Se você quer trocar uma ideia com ela, visite seu perfil @ deustavendo no Instagram.

COSTUMES 85


VIAGEM AO PARAÍSO

Em Pires Ferreira, comerciantes deixam os estabelecimentos abertos sem medo de serem assaltados

VIDA PACATA NO CEARÁ...

EXISTE? 86 COSTUMES

SHUTTERSTOCK/ALHOVIK


C

rianças brincando na rua, senhoras sentadas na calçada, comércio aberto sem grades... Certamente você foi remetido à lembranças de um passado não tão distante assim. Acertei? Por incrível que pareça, ainda é possível encontrar no Ceará cidades interioranas com esse tom pacífico e pessoas sem a constante apreensão de insegurança.

DIVULGAÇÃO

Por Ádria Araújo e Isabella Purcaru

Na contramão da realidade dessas cidades, os dados oficiais nos mostram porque que a sensação de insegurança nos persegue. Vivemos no estado com a segunda maior taxa de homicídio do Brasil, de acordo com estudo divulgado no Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em novembro de 2014. Enquanto isso, nossa capital é a sétima cidade entre as 50 mais violentas do mundo, de acordo com pesquisa da Organização Não Governamental (ONG) Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal, do México. Em meio a esse cenário, a pedido da Costumes, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE) destacou os municípios com os menores índices de violência no Estado. Para a nossa surpresa, oito municípios fazem parte desse ranking e no período de janeiro a novembro de 2014 não tiveram nenhuma ocorrência de Crimes Violentos Letais Intencionais – CVLI - (Homicídio Doloso, Latrocínio e Lesão Corporal seguida de morte) e de Crimes Violentos contra o Patrimônio – CVP, no perído de janeiro a março de 2014. Os municípios destacados foram: Poranga, Ararendá, Pires Ferreira, Deputado Irapuan Pinheiro, Granjeiro, Jati, Pacujá e Potiretama. Para vivenciar in loco esse sentimento de total tranquilidade, a Costumes visitou as três cidades com maiores números de habitantes: Poranga, Ararendá e Pires Ferreira. Banhados pelo 4° maior açude do Ceará, o Araras, estes municípios têm como principal fonte de renda a agricultura.

COSTUMES 87


VIAGEM AO PARAÍSO

Em Poranga, crianças brincam na praça sem os pais ficarem preocupados com a insegurança

COMÉRCIOS SEM GRADES E CRIANÇAS BRINCANDO NAS RUAS

Localizada a 347,2km de Fortaleza, a cidade de Poranga, no sertão de Inhamuns, com cerca de 13 mil habitantes, vive ainda uma realidade de pessoas com cotidiano pacato e, por isso, com uma vida tranquila. Comércios sem grades, crianças brincando na rua, andando de bicicleta, sem medo de assaltos. Há sim, certas ocorrências, mas nada que atrapalhe o sono de quem não troca por nada uma cidade cercada de tranquilidade. “Há quatro ou cinco notificações por mês, a maioria por ferir a Lei Maria da Penha, ou por desordem. Não existem assaltos, arrombamentos ou furtos em nossa cidade. Você pode andar tranquilo que ninguém vem pra te assaltar. Homicídio acontece raramente, mas é por conta do tráfico de drogas, que está começando a chegar na cidade”, afirma o Cabo da cidade, Sebastião Neto. “Por ser uma cidade pequena, ao ocorrer qualquer movimentação estranha, o pessoal nos avisa. As armas que os homens aqui usam são espingardas, mas só para caça, armas de fogo não têm”, completa o soldado Gilvan Moreno. O menor índice de violência leva mais segurança aos moradores. É o caso do comerciante Raimundo Gomes Neto, mais conhecido por Santo Zuza, que viveu toda a sua vida na cidade e nunca teve seu comércio assaltado ou arrombado. “Antes eu ficava até 22h, mas com o mundo perverso em que estamos, sempre ouço na rádio que há assaltos em outros lugares, então prefiro não arriscar e fecho às 18h. Nunca fui assaltado, mas não facilito”, revela. Outra comerciante que se orgulha de morar em Poranga é Fátima Marinho, que comanda o supermercado Casa Filho com o marido, João Filho Pereira, há dez anos. No comércio, adotaram o uso de câmeras, mas ela justifica. “Instalamos as câmeras para nos certificarmos que não estão mexendo em nada, devido à extensão do nosso comércio”. Com dois portões sempre abertos e

88 COSTUMES

Em Ararendá, a vida pacata e a segurança dominam


“Aqui tenho um trabalho, liberdade e saúde. Não tem lazer, mas para quê lazer melhor do que esse, de poder ficar de porta aberta?” Fátima Marinho, Comerciante

sem grades, a comerciante assegura toda a calmaria que há no local. “Na cidade é difícil acontecer assalto. Por isso, deixo meus filhos brincarem de bicicleta na praça e fico tranquila. Pela criação não, porque em qualquer lugar podemos dar uma boa educação; mas, em termos de liberdade, a criança pode sair que não ficamos com medo”, conta Fátima. Nascida em Poranga, depois de casada Fátima mudou-se para São Paulo, onde viveu por dez anos, voltando novamente para sua cidade de origem. Sua experiência de morar em cidade grande a fez valorizar ainda mais o local pacato e seguro onde nasceu. “Aqui eu encontrei o que não havia encontrado lá. Tenho um trabalho, liberdade e saúde. Não tem lazer, mas para quê lazer melhor do que esse, de poder ficar de porta aberta? Aqui, passo o dia com o portão aberto. E não trocaria por morar em Fortaleza, por mais que tenha cinema, shopping, praia. Sempre que quero isso vou com a família, mas volto para minha segurança”, conta.

MUDANÇA NA SEGURANÇA PÚBLICA DEPOIS DA NOVA GESTÃO DE PREFEITURA Ararendá, com 10.703 habitantes e a 332 km de Fortaleza é outra cidade do Estado do Ceará que foi classificada por não ter índices de assaltos. Homicídio houve, em fevereiro de 2013, porém foi o último desde então. Sair de casa e deixar a porta aberta com a segurança de que ninguém vai entrar para roubar é uma realidade que pode ser vista na cidade. COSTUMES 89


VIAGEM AO PARAÍSO O problema que realmente está preocupando e amedrontando os moradores é o consumo de drogas ilícitas por adolescentes, uma situação que, segundo eles, ainda está controlável. “A gente percebe que eles estão ficando um pouco violentos, sem obedecer aos pais. Eu acredito que seja por causa da carência de lazer e, então, eles acabam desviando o caminho, mas já há ações para intensificar os trabalhos de resistência contra esse mal”, revela Estela Doroteu, Diretora da Escola Municipal Francisco Mourão Lima, onde atua há três anos. Para combater às drogas, foram criados projetos com incentivo e investimento da Prefeitura, como: o Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD), com a distribuição de uma cartilha educativa; o Programa Esporte e Lazer da Cidade (PELC) para crianças; e o programa Mais Educação, que atende crianças com dificuldade de aprendizado em tempo integral, com oficinas, dança, capoeira e outras atividades. “Nossa preocupação mesmo é com as drogas. Para mim, o maior responsável é a família, pois é de onde vem a primeira educação, é quem pode detectar mais rápido, quem pode punir, mudar. A gente chama a família, conversa e eles fazem a parte deles”, conta o prefeito Aristeu Alves. Segundo Aristeu, antes de se tornar uma cidade pacata, Ararendá era bastante violenta, prevalecendo os crimes de pistolagem. Atualmente, as viaturas de polícia são mais presentes e, desde 2013, não ocorreram mais homicídios, uma mudança significativa, que se deve à sua gestão, na qual quebrou uma oligarquia de 20 anos no poder. “A mudança do sistema político foi primordial para a melhoria da violência na cidade. Eu atribuo a sensação de violência que algumas pessoas relatam às notícias que escutam ou que veem na TV. Eles acabam trazendo para si uma insegurança que não existe, esclarece ele. 90 COSTUMES


“Não tem violência, fico de porta aberta sentado na calçada e tomando um ventinho até as 21h, sem medo” Francisco Tibúcio de Souza, Agricultor

Para o prefeito, o investimento feito na implantação da feira, que antes não existia e que hoje acontece semanalmente, foi de grande importância para o desenvolvimento da cidade, gerando em torno de 50 empregos. “A feira ocupa as pessoas, melhora o turismo, os feirantes vendem de tudo, a economia também melhorou. A prefeitura cede a barraca, o vendedor arrecada, gasta na cidade e tudo circula aqui dentro mesmo”, revela.

MELHOR LUGAR PARA SE MORAR Em Pires Ferreira, considerada a cidade mais calma, quase não se escuta falar em assalto ou homicídio. A 312,9km de Fortaleza, o município revela um cotidiano sossegado, com agricultores de vida pacata e donos de bares que não presenciam nenhuma confusão sequer. O agricultor Francisco Tibúrcio de Souza, 78 anos, vive uma vida tranquila e conta que já mo-

rou no Rio de Janeiro e que também já recebeu convites para morar com a filha em São Paulo, mas diz que não troca sua cidade por nenhuma outra de grande porte. “Minha filha, que mora em São Paulo, me chama para morar lá, mas eu digo: ‘Vou comer meu feijãozinho no Ceará mesmo’, e fico tranquilo aqui. Não tem violência, fico de porta aberta sentado na calçada e tomando um ventinho até as 21h, sem medo”, conta. O comerciante Gilson Nascimento também assegura o sossego da cidade. Mesmo com muito movimento em seu bar, ele se satisfaz por nunca ter presenciado um assalto sequer e nem desordens por parte de seus clientes fiéis. “Meu lazer é trabalhar, passo o dia com a porta aberta, pois aqui, por ser uma cidade pequena, todo mundo é unido, não tem perigo. Nunca vi assalto e o último assassinato que temos conhecimento foi há 15 anos”, finaliza. COSTUMES 91


PARADA OBRIGATÓRIA

I Love

Coxinha SE TEM UM SALGADO QUE BRASILEIRO AMA É A COXINHA. ITEM OBRIGATÓRIO EM CONFEITARIAS, PADARIAS, LANCHONETES E BARES, O QUITUTE GANHOU NOVOS RECHEIOS, NOVAS FORMAS DE PREPARO. NO ENTANTO, AS TRADICIONAIS COXINHAS DE FRANGO NÃO SAEM DO TOPO DA LISTA. EM FORTALEZA, NÃO FALTAM RECEITAS ORIGINAIS E CARREGADINHAS DE FÃS. CONHEÇA ALGUMAS DELAS E ONDE VOCÊ PODE SABOREAR ESSA MARAVILHA!

SHUTTERSTOCK/BETO CHAGAS

Por Izakeline Ribeiro

92 COSTUMES


Além de cair bem no lanche, a coxinha é um petisco que não pode faltar nos bares. Em tamanhos menores ou com recheios diferentes, o salgado pode ser um bom acompanhamento no happy hour ou numa noite mais animada. Uma das novidades em 2014, o Moleskine Gastrobar incluiu o quitute no menu, mas com um recheio diferente: a massa de mandioca e o seu recheio com carne de marre-

co. É um petisco que harmoniza perfeitamente com a proposta da casa. O frango deu lugar ao marreco e a coxinha crocante (R$ 12,00) é acompanhada de um molho tropical. “É um petisco surpreendente e inovador porque a carne de marreco harmoniza perfeitamente com a massa de mandioca”, afirma a chef executiva Luciane Albuquerque. Segundo ela, está entre os petiscos mais pedidos da casa.

SERVIÇO Moleskine Gastrobar Rua Professor Dias da Rocha, 578 – Aldeota Funcionamento: aberto diariamente para almoço, happy hour e jantar. Fone: (85) 3037-1700

DIVULGAÇÃO

Moleskine Gastrobar

COSTUMES 93


SHUTTERSTOCK/SLAVA17

PARADA OBRIGATÓRIA

Boteco Praia Fortaleza Outro recheio que conquistou os cearenses foi a carne de caranguejo. No Boteco Praia, o petisco está entre os mais pedidos. Há quase 60 anos, o Grupo Dias, de Pernambuco, deu seus primeiros passos na área gastronômica, com a aquisição do tradicional restaurante Manoel Leite, em Recife. De lá pra cá, os investidores diversificaram os negócios e vêm contribuindo com o enriquecimento da gastronomia e lazer em todo o Nordeste. A rede chegou a Fortaleza em 2000 e logo conquistou o público cearense. A casa recebe cerca de 4.000 frequentadores por semana e é uma das principais referências de diversão e gastronomia em Fortaleza. Com espaço para cerca de 500 pessoas, o Boteco Praia oferece variado menu de petiscos de boteco tradicionais e à base de frutos do mar, como a coxinha de caranguejo e a lagosta na brasa. Os petiscos são oferecidos constantemente pelos garçons, que circulam entre as mesas com as mais saborosas opções.

SERVIÇO DAVI MAGALHÃES

Boteco Praia Avenida Beira Mar, 1680 - Meireles Funcionamento: segunda à sexta, a partir das 17h; sábados e domingos, a partir das 11h30. Couvert Artístico: R$ 7,90 Telefone: (85) 3248.4773

94 COSTUMES


DIVULGAÇÃO

Tortelê Doceria Na Tortelê Doceria, a coxinha de frango ganhou um ingrediente a mais: o cream cheese. “Nossa linha de salgados de loja (porção individual que se come no lanche) tem um total de 21 salgados. Os três mais vendidos são coxinhas”, conta Diogo Padilha, um dos sócios da casa. Em primeiro lugar, com 25,89% das vendas, está a coxinha de frango com cream cheese (R$ 8,75); em segundo, a coxinha de frango tradicional (R$ 6,75) com 15,03% de participação nas vendas; e o terceiro lugar é da coxinha de camarão catupiry (R$ 13,95) com 7,5% das vendas.

A ideia de inserir um novo ingrediente, que antes era o requeijão, veio no início da loja para se diferenciar da concorrência, que vendia a coxinha com catupiry. Apesar do sucesso, a marca decidiu alterar a receita de um produto campeão. “Mesmo receosos, há seis meses alteramos a receita das nossas coxinhas. Melhoramos a massa. Alteramos o processo de filtragem da gordura, a frequência de troca da gordura, e o recheio ficou mais leve, soltinho e suculento. E por fim, alteramos o queijo. Apesar do receio, vende cada dia mais. Não nos arrependemos”, conta Diogo.

Na Tortelê, o tempo de cozimento e o frescor da massa são fundamentais para a crocância da fritura. Por isso, as coxinhas nunca são congeladas. O “segredo” do recheio está, entre outras coisas, na utilização de cortes diferentes do frango.

SERVIÇO Tortelê Doceria Rua Vicente Leite, 1422 – Aldeota. Funcionamento: segunda à sábado de 10h às 19h. Telefone: (85) 3268.2983

COSTUMES 95


SHUTTERSTOCK/SLAVA17

PARADA OBRIGATÓRIA

Sucré Patisserie

DIVULGAÇÃO

Depois de muita expectativa, a coxinha entrou na linha de produtos da Sucré Patisserie e já é um dos sucessos da casa. “Coloquei na cabeça que só lançaria a coxinha Sucré quando chegasse à receita da melhor coxinha da cidade”, conta a chef Lia Quinderé, em meio a risos, apesar de estar falando muito sério. Foram muitos testes, muitas receitas diferentes e também ingredientes, até chegar ao ponto perfeito. O grande diferencial está na

96 COSTUMES

crocância da massa, que além de ser feita com macaxeira, é envolvida em farinha de pão especial. Lançada em agosto, havia apenas uma fritada, às 16h, e em 20 minutos as coxinhas acabavam. Agora, outras fritadas são programadas ao longo do dia, para que o cliente chegue a qualquer momento e tenha sempre coxinhas quentes e em exposição nas vitrines. O salgado, que custa R$ 9,40, hoje é o campeão de vendas. Em média, são vendidas 70 coxinhas por loja. “Buscamos sempre cumprir com o processo e seguir receitas corretas. Para que tenhamos um controle de qualidade

e que elas estejam sempre iguais à primeira que foi criada. A macaxeira tem que ser selecionada e cozinhada da forma correta. A massa é batida, também, obedecendo o tempo de cocção correto. E o recheio se mede todos os dias milimetricamente”, completa Lia.

SERVIÇO Sucré Patisserie Av. Senador Virgílio Távora, 284. Funcionamento: segunda a sábado, de 9h às 20h; domingos, de 14h às 17h. Telefone: (85) 3241.4275


Balu Doces e Salgados Há 33 anos no mercado, a Balu Doces é uma das confeitarias mais tradicionais de Fortaleza. A tradição também está presente nas receitas de Dona Balu - Mª Lucíola Albuquerque. Atualmente administrada pelo filho Fernando Elísio Frota e sua esposa, Gleildes Lima Frota, a marca tem como objetivo principal manter o padrão de qualidade cultivado desde o início pela fundadora, aliado à criatividade e inovação. “Tudo para atingir o mais alto grau de satisfação entre nossos clientes”, afirma Gleildes. Segundo ela, a coxinha representa cerca de 16% do total de vendas de salgados, dentre os 32 tipos que comercializa. Em média, são consumidas 100 coxinhas por dia. “Somos criteriosos em relação à matéria-prima e seus fornecedores, ao padrão, aparência, sabor e textura”, destaca. Casquinha crocante e recheio cremoso não escondem a receita. Frango temperado, farinha de trigo, leite, margarina, ovo, sal, pimenta e farinha de rosca são os ingredientes básicos do salgado de sucesso, que chega às mãos do cliente por R$ 9,10.

SERVIÇO Balu Doces Av. Padre Antonio Tomás, 2133 – Aldeota Funcionamento:segunda a sábado, das 9h às 21h; domingos e feriados, das 10h às 21h. Telefone: (85) 3466.1050


EMPREENDEDORISMO

Francimar e Sinhá Albuquerque estão juntos na administração das lojas Baby Center

amor e união UMA TRAJETÓRIA DE

98 COSTUMES


Texto Ádria Araújo Foto Davi Farias

“U

ma empresa que trabalha para realizar sonhos”. Esta é a definição da Baby Center pelos olhos de dona Sinhá Albuquerque, matriarca da família que trabalha unida e empenhada pelo sucesso das lojas especializadas no segmento de produtos para bebês, gestantes e mamães. “A Sinhá é minha fortaleza dentro e fora da empresa. Somos parceiros da vida há 34 anos e, há 20, dividimos uma vida profissional”, relata Francimar Albuquerque, marido e sócio de Sinhá. A filha do casal, Ana Carolina, complementa: “Ele é o pé no acelerador e ela o pé no freio”.

A ideia do segmento de produtos para bebês partiu do empresário. Trabalhando como representante em São Paulo, veio à Fortaleza e, por já atuar no ramo, percebeu que na cidade não havia nenhuma loja especializada na área. Visionário, pensou em explorar o segmento e contou com o apoio dos cunhados e do irmão. “No outro dia, eles vieram para cá, procuraram o ponto e entraram com o dinheiro, enquanto eu entrei com a administração e, a partir daí, tudo foi se desenvolvendo. Abrimos a loja na rua General Sampaio, a pioneira na cidade”, conta. Comprador, vendedor, gerente, administrativo, até para abrir e fechar a loja era Francimar o responsável. Com

SHUTTERSTOCK/HKEITA

Prestes a comemorarem os 40 anos da empresa no mercado, Sinhá e Francimar contam que tudo começou com quatro sócios: Francimar, dois cunhados, Heloi Frota e Tadeu Mourão, e o irmão Leibimar Albuquerque. “Francimar não tinha o capital, era um homem simples, do interior do Ceará; então, o acordo que os sócios fizeram foi que montariam a loja e o Francimar administraria”, conta Sinhá.

COSTUMES 99


EMPREENDEDORISMO o passar do tempo, os cunhados deixaram a sociedade e, em 1995, seu irmão Leibimar também saiu. “Foi aí que entrei como sócia para recomeçarmos a Baby Center”, relembra dona Sinhá. “Das três lojas que existiam na época da sociedade, Leibimar ficou com duas e Francimar com a menor, na Liberato Barroso. Demos a volta por cima e a nossa loja da Baby Center começou a se desenvolver cada dia mais; em contrapartida, o irmão resolvia fechar a outra loja. Então, Francimar comprou uma e, no ano seguinte, comprou a terceira loja”, explica dona Sinhá.

SOB O COMANDO DE FRANCIMAR E SINHÁ

Antes de assumir a Baby Center como sócia do marido, dona Sinhá já ajudava dentro da empresa. Com a sociedade, ela passou a atuar integralmente, agora também na parte financeira. Os filhos do casal conhecem a rotina das lojas desde pequenos. “Nas férias, acordávamos cedo para vir trabalhar, ajudávamos a etiquetar, ou ficávamos no pacote. E isso nos ensinou muito a valorizarmos o dinheiro e o trabalho”, completa Leonardo, o filho mais novo do casal. Sem a pressão dos pais para que trabalhassem na empresa, cada filho optou pela formação desejada; no entanto, os três decidiram usar o conhecimento acadêmico adquirido dentro do negócio. O mais novo, Leonardo, é psicólogo; a do meio, Ana Carolina, é formada em Administração de Empresas; e o mais velho, Fabiano, é publicitário. Os três concluíram que tinham maturidade e qualificação suficientes para desempenhar seus cargos na empresa. Hoje, Ana Carolina é do setor de Compras, Fabiano é do Marketing e do Administrativo, e Leonardo é do Recursos Humanos. “No início, cada um tentou sua carreira profissional fora da empresa, mas depois, juntos, percebemos que a nossa presença dentro do negócio só agregaria e somaria valores no crescimento da empresa”, diz Fabiano.

100 COSTUMES

“O segredo é sempre acreditar que hoje vai ser melhor do que ontem. Acordar cedo, dormir tarde às vezes, ter vontade de vencer e acreditar naquilo que você está fazendo.”

Para Francimar, a inserção dos filhos no cotidiano da Baby Center foi de uma importância extrema, principalmente para fortalecê-la ainda mais como empresa. “Esses meninos são danados. Às vezes, a gente discute, mas nos damos muito bem e nos sentimos muito confortáveis em tê-los aqui. Onde há união, não tem precisão”, diz.

Depois dos obstáculos vivenciados e sempre com muita simplicidade e esforço, o empresário ressalta os segredos para manter uma empresa há tantos anos com muito sucesso: Francimar Albuquerque batalhar muito e ter muita dedicação. “O segredo é sempre acreditar que hoje vai ser melhor do que ontem. Acordar cedo, dormir tarde às vezes, ter vontade de vencer e acreditar naquilo que você está fazendo. Sempre aparecem estresses, mas você tem que estar muito preparado para isso, faz parte do comércio”.


BABY CENTER EM NÚMEROS

A Baby Center, hoje, é uma empresa referência na cidade de Fortaleza. De cada 100 grávidas, 90 consomem os produtos de uma das dez lojas. Diariamente, são contabilizadas em torno de 700 compras. Cada loja dispõe de 20 mil itens. No geral, são contratados algo em torno de 150 funcionários. Dentre muitas premiações já recebidas, há destaque para a de Lojista do Ano 2012, conferida ao empresário Francimar Albuquerque, pela Câmara dos Dirigentes Lojistas – CDL, pela qual recebeu o Troféu Iracema. “Eu me senti muito lisonjeado, um reconhecimento do nosso trabalho. Recebi o Troféu, mas ele é extensivo a toda minha família, aos funcionários, nossos colaboradores. Sem essa equipe, eu jamais seria premiado”, finaliza.

SHUTTERSTOCK/HKEITA

Os filhos Fabiano, Ana Carolina e Leonardo também desempenham suas funções na empresa

COSTUMES 101


PARA DEGUSTAR

Os vinhedos

DA CAMPANHA GAÚCHA

Texto Izakeline Ribeiro Fotos Gilmar Gomes/Ibravin

A

pecuária vem abrindo espaço para outras formas de aproveitamento do solo da Campanha Gaúcha, região do Rio Grande do Sul, que faz fronteira com Argentina e Uruguai. Os vinhedos se mostram agora na paisagem da Campanha e já apresentam vinhos de excelente qualidade, além de uma nova rota turística. Nossa equipe conferiu de perto. Desde a década de 70, estudos do Instituto de Pesquisas Agrícolas da Secretaria de Agricultura do Rio Grande de Sul (Ipagro), já apontavam as potencialidades da Campanha para a produção de vinhos. Com o tempo, percebeu-se que, dali, saem vinhos longevos, encorpados e de teor alcóolico capaz de realçar as qualidades tânicas. Durante um roteiro pelas cidades de Rosário do Sul, Santana do Livramento, Dom Pedrito, Bagé e Candiota conhecemos algumas das vinícolas que se destacam nesta região e a produção dos vinhos de personalidade, que apresentam características marcantes. 102 COSTUMES


Branco. Os rótulos estão disponíveis para compra no site www.dunamisvinhos.com.br.

DOM PEDRITO

A maioria ainda não está disponível em Fortaleza, mas podem ser adquiridos pelas lojas virtuais das vinícolas.

ROSÁRIO DO SUL

Em Rosário do Sul, 390km de Porto Alegre, a Vinícola Routhier e Darricarrère iniciou as atividades em 2002. Pierre e Jean Daniel Darricarrére experimentaram plantar cinco hectares de videiras de Cabernet Sauvignon e Chardonnay ao lado da plantação de frutas cítricas. Mas, a primeira safra só ficou pronta em 2008. Atualmente, são produzidas entre 20 mil e 40 mil garrafas por ano, segundo o enólogo Anthony Darricarrére. Segundo atesta, a Cabernet é a casta que melhor se reproduz na Campanha. “Gosto da evolução dessa uva aqui. A tendência é que apareçam melhores vinhos”, comentou. Entre os destaques, o Província de São Pedro Espumante Ancestral - sem licor de expedição - e o Red Cabernet Sauvignon e Merlot - embalagem em formato de Kombi. Os rótulos estão disponíves no site da vinícola (www. redvin.com.br).

SANTANA DO LIVRAMENTO

Na fronteira com a cidade uruguaia Rivera, Santana do Livramento abriga

as vinícolas Almadén e Cordilheira de Santana, onde também são vinificados rótulos da Dunamis. De estilos opostos, Almadén está na Campanha desde a década de 70 e já passou pelas mãos de diversos grupos comerciais. Desde 2009, faz parte do Miolo Wine Group e produz vinhos em larga escala. Os números impressionam. São 580 hectares em produção numa área total de 1200 hectares, 22 variedades de uvas e 5 milhões de garrafas por ano. Preços acessíveis e vinhos fáceis de beber definem os principais rótulos da marca. Já a Cordilheira de Santana possui características de uma vinícola butique, que teve sua primeira safra em 2003. Dos 22 hectares de vinhedos próprios, são produzidas apenas quatro mil garrafas. O excedente de uvas é vendido para outras vinícolas. Além da produção própria, a vinícola recebe outras empresas para vinificar em suas instalações. É o caso da Dunamis – sob a supervisão do enólogo Vinicius Cercato –, que produz os vinhos brancos e tintos com uvas cultivadas em Dom Pedrito. Uma das vinícolas mais recentes da região, que tem por objetivo produzir vinhos menos alcóolicos e leves para incentivar o consumo da bebida, como Cabernet Franc e o Merlot

Em Dom Pedrito, a 441km de Porto Alegre, a Guatambu Estância do Vinho se destaca por suas instalações e opções de visitação para o consumidor final, além da apreciação dos vinhos, claro. Referência em enoturismo, são 3 mil m² construídos sobre pilares de modernidade, tecnologia e muito charme. O sonho de Gabriela Hermann Pötter foi o pontapé inicial para que a Estância Guatambu virasse realidade. Junto com o pai Valter Pötter e a família, ela iniciou a vinícola com a proposta de oferecer excelentes vinhos da Campanha. Além dos tintos e brancos de corte e varietais, os espumantes são os destaques da marca. Guatambu Extra Brut, Nature e Rosé Brut são rótulos imperdíveis e marcados pela qualidade e sabor. Todos disponíveis para venda on-line no site www.guatambuvinhos.com.br.

BAGÉ

Em Bagé, a Peruzzo e Batalha Vinhas e Vinhos se instalaram na região para produzir seus vinhos. Inaugurada em 2008, a Peruzzo está localizada a uma altitude de 330m em um solo arenoso. Condições, aliás, que colaboram para um produto final de alto nível. De lá, saem 80 a 90 mil garrafas por ano, segundo o diretor comercial Tauê Bozzetto. Para a elaboração dos vinhos, a marca conta com a consultoria do enólogo Adolfo Lona. Aos visitantes, oferece uma tour completa com acesso fácil aos vinhedos, áreas de vinificação e armazenamento. Na Peruzzo também são produzidos os vinhos Batalha com uvas provenientes do Munícipio de Candiota. Espumantes, Cabernet Franc e Tannat brilham entre os rótulos da marca, que pretende inaugurar sua própria vinícola em 2018. Um projeto ousado com investimento de R$ 5 milhões.

*A jornalista Izakeline Ribeiro viajou ao Rio Grande do Sul a convite do Ibravin.

COSTUMES 103


CAMPANHA

ACORDES DO

CORAÇÃO ABRE NOVOS HORIZONTES PARA A ASSOCIAÇÃO TAPERA DAS ARTES

A ASSOCIAÇÃO RECEBEU A PRIMEIRA PARTE DOS INSTRUMENTOS ARRECADADOS PELA CAMPANHA, EM PARCERIA COM O MERCADINHOS SÃO LUIZ, E INICIOU O CURSO DA LUTHIERIA, QUE ENSINA A CONSERTAR INSTRUMENTOS QUEBRADOS

Os jovens da Tapera das Artes fazem curso com Luthier para aprenderem a consertar os instrumentos arrecadados 104 COSTUMES


Texto Ádria Araújo Foto Davi Farias

A

rrecadar instrumentos musicais para as crianças e jovens da Associação Tapera das Artes, em Aquiraz, era o primeiro objetivo do projeto “Acordes do Coração”, promovido pela associação com o apoio do Mercadinhos São Luiz. A campanha foi um sucesso e os meninos da ONG começaram o ano com uma ansiedade a mais: terem a oportunidade de tocar o seu próprio instrumento. A primeira parte foi entregue: 176 instrumentos, incluindo violões, teclados, flautas e percussão.

“O meu sonho é fazer a primeira Luthieria do Nordeste e faz parte do nosso projeto poder construir outros instrumentos esses meninos.” Diniz Marques, Luthier

Mas, para concretizar o sonho, ainda era necessário recuperar os instrumentos e deixá-los quase novos. Para esta tarefa a Associação está promovendo a oficina de Luthieria, que constrói e restaura, de um modo artesanal, os instrumentos de corda.

Além de consertar os instrumentos na oficina de Luthieria, os jovens estão aprendendo a trabalhar com materiais alternativos para fazer novos instrumentos – como a cabaça, por exemplo –, todos construídos por eles mesmos. Dos instrumentos recebidos, os que não puderam ser

LUTHIERIA NA PRÁTICA

Sob o comando do luthier, Diniz Marques, em parceria com o professor de violão e canto, Clark, e com os ensinamentos de um dos mais conceituados luthiers do país, Fernando Sardo, a Luthieria está funcionando a todo vapor. Dividido em duas turmas, o curso deu início com o conserto de 45 violões. Segundo Diniz, aos poucos, os jovens vão aprendendo a consertar e fazer todo tipo de instrumento. O próximo passo vai ser o conserto de guitarras. “A gente ensina todo o processo de conserto, e com muita calma, porque eles são iniciantes. Limpar, estudar onde está a rachadura, colar, envernizar. O meu sonho é fazer a primeira Luthieria do Nordeste e faz parte do nosso projeto poder construir outros instrumentos com esses meninos. E aqui, a gente não aprende somente a consertá-los, aprende também a ter espírito de companheirismo”, afirma Diniz, que além de ser luthier desde 1960, é também escultor, compositor e marceneiro.

“Essa primeira ‘leva’ foi uma emoção, porque os meninos estavam muito ansiosos, esperando. Como a Associação estava, há dois anos, dividindo um violão para sete crianças, foi uma alegria muito grande saber que agora seria um instrumento para cada um”, conta Ritelza Cabral, Presidente do Conselho Consultivo da Tapera das Artes.

“Esse projeto foi uma benção dupla. Inicialmente, queríamos instrumentos para as crianças que já estudavam com a gente; agora, há o projeto da Luthieria, que surgiu em virtude da necessidade de consertar os instrumentos doados pelo Mercadinhos São Luiz. Quando passei em algumas lojas, vi que tinham instrumentos que precisavam de conserto. Então, pedimos ajuda a Petrobrás e ela financiou o luthier”, explica Ritelza.

recuperados, tiveram muitas de suas peças retiradas para serem reaproveitadas em outros.

Na Associação, a Luthieria é oferecida para alunos mais desenvolvidos ou com algum tipo de deciência física ou mental. Dentre todos, há duas características em comum: vontade de aprender e habilidade. Um desses jovens é Davi Façanha, coordenador do curso de Luthieria e quem auxilia diretamente o Diniz. Para ele, um rapaz especial que sonha em ser advogado, o curso é muito importante no seu desenvolvimento.

Coordenador do curso de luthieria Davi Façanha é quem auxilia Diniz Marques nas aulas

SERVIÇO Centro Cultural Tapera das Artes Rua Antônio Gomes dos Santos, S/N, Centro – Aquiraz Tel.: (85) 3361-2704

“Foi muito bom, porque, além de aprender a consertar o violão, a gente aprende a montar e isso é uma experiência que vai servir para o resto da vida. Uma conquista da qual posso me orgulhar”, conta. Quem ficou muito feliz com o recebimento do violão foi a Marcela Monteiro, participante do projeto. “Fiquei muito feliz. Ele é roxo e da Hanna Montana, de quem eu sou fã. Vou até botar no Facebook”, conta empolgada. COSTUMES 105


VALE VISITAR Por Izakeline Ribeiro Gelateria Bellucci

O melhor sorvete de pistache de Fortaleza você encontrará na Gelateria Bellucci. Técnica, boa conservação e utilização de produtos naturais e com qualidade, fazem do local uma das melhores opções para se deliciar um gelato em Fortaleza. Além dos sabores tradicionais, picolés e brioches recheados com sorvetes estão entre as opções do local.

SERVIÇO Gelateria Bellucci Rua Frederico Borges 624, Meireles. (85) 3319-7710

Manga Bourbon

Para quem ama ceviche, o Manga Bourbon é destino certo. Diversos tipos do prato peruano estão à disposição dos cearenses, entre outras opções da gastronomia contemporânea. O ambiente amplo e agradável também conta com área para crianças e uma programação cultural movimentada.

SERVIÇO Manga Bourbon Rua Frederico Borges, 125, Meireles (85) 3119-1200 106 COSTUMES


Kazu Restaurante

A demora no processo de aprovação da marca acabou obrigando o Kazumi Restaurante a mudar de nome. A escolha mais próxima foi reduzir o nome e, ainda assim, não perder o significado: lugar de paz. Além do novo nome, a casa lançou, recentemente, novos pratos, que já contam com a aprovação dos clientes. Outra novidade é que o restaurante também inaugurará com uma nova casa na região sul da cidade.

SERVIÇO Kazu Restaurante Rua Ana Bilhar, 1111 Meireles (85) 3242-0020

Gustiamo

Embutidos e queijos são os destaques nas receitas do restaurante Gustiamo. A ousada pizza em formato retangular é preparada com farinha italiana, mussarela de qualidade e excelentes coberturas. É o melhor lugar para se comer pizza com o verdadeiro sabor da Itália. Mas, não se preocupe, que a casa já cedeu aos apelos cearenses e passou a servir sabores como carne de sol e frango com catupiry. Entre os pratos mais pedidos, massas tradicionais com um toque especial.

SERVIÇO Gustiamo Rua Otacílio Mota, 132 - Engenheiro Luciano Cavalcante (85) 3046-3086

IZAKELINE RIBEIRO

Jornalista de gastronomia, especialista em Marketing e editora do Sabores da Cidade, gosta de comer de tudo. As boas experiências ela compartilha no site, as ruins só conta pessoalmente. Também é colaboradora da revista nacional Prazeres da Mesa. COSTUMES 107


FOTOS DEMONTIER TENÓRIO

RETALHOS DO CARIRI Por Demontier Tenório

Quem quer vista paradisíaca, boa gastronomia e comidinha regional?

Q

ue tal se deliciar com uma comida regional, com aquele temperinho caseiro e ainda desfrutar de uma vista paradisíaca e, de quebra, uma temperatura bem amena? Pois essa é a proposta dos restaurantes Alto da Bananeira, Recanto da Serra e Pink Floyd. Neles, o cliente fica de cara com uma visão panorâmica e paradisíaca do verde vale caririense. A opção gastronômica preferencial dos que sobem a Serra do Araripe é o peixe tilápia frito, combinando com os ares dos lugares sertanejos já que os três estabelecimentos ficam situados na zona rural do Município de Crato. Com o melhor acesso por ficar às margens da CE-253, rodovia estadual que liga as cidades de Crato e Barbalha, o Pink Floyd é o mais baixo deles, com 450 metros acima do nível do mar. Para

108 COSTUMES

chegar ao Alto da Bananeira, o cliente sobe mais 100 metros. Mas é o Recanto da Serra o campeão em altitude, com 731 metros. Os três ficam na zona de talude da Chapada do Araripe, no Sul do Ceará, a uma distância média de 520km até Fortaleza, a capital do Estado.

PARA TODOS OS ESTILOS E PALADARES

A grande diferença está na origem de cada um. Enquanto o Pink Floyd foi uma residência, no Alto da Bananeira já funcionou um mercantil e o Recanto da Serra foi uma oficina de tornearia mecânica no princípio. Quando Wilson Gonçalves Belém aposentou-se pela COELCE (Companhia Energética do Ceará), trocou a comodidade de um bairro nobre de Juazeiro do Norte para ir trabalhar em cima da Serra. Ali, conheceu Ildevania Maria Melo Teles, a Jane, que teve a ideia do restaurante, inaugurado pelo casal em dezembro de 2007.

Nas noites mais frias, a temperatura já chegou a 14 graus, algo difícil de sentir em qualquer restaurante na região do Cariri. A cozinha diversificada, que inclui churrasco, galinha caipira e até filé à parmegiana e a bela visão panorâmica do lugar são dois outros atrativos a conferir no restaurante durante o almoço e o jantar, de quinta-feira a domingo e nos feriados. Quando o tempo esquenta, os clientes ainda têm ao seu dispor uma piscina para um bom banho, ao lado do restaurante. Já no Pink Floyd, os frequentadores não perdem tempo com o cardápio em mãos escolhendo o melhor prato. A opção está na ponta da língua do proprietário de 57 anos, Erisvaldo Manoel do Nascimento: peixe tilápia frito com baião de dois, vinagrete, farofa e macaxeira frita. Na época de safra do pequi, a iguaria acompanha o baião preparado


por sua esposa, Sandra Maria Barros. Em breve, o restaurante oferecerá uma boa galinha caipira e até camarão, o que está sendo planejado por Erisvaldo, que teve o próprio nome trocado por “Pink Floyd”. Ele e o restaurante homenageiam a banda de rock inglesa, que dá o tom aconchegante ao ambiente junto com canções de outras bandas do mesmo estilo, sem esquecer da nossa MPB (Música Popular Brasileira), tudo isso em meio a uma temperatura que já chegou aos 16 graus. “Pink Floyd” é contabilista, nascido em Barbalha, mas nunca exerceu a atividade. Quando montou o restaurante numa palhoça, há 15 anos, a estrada ainda era carroçável e os primeiros clientes eram verdadeiros fãs da banda inglesa, a exemplo do proprietário do estabelecimento.   “Sempre venho aqui por conta dessa visão bela do Cariri, o bom papo com o dono do restaurante, a boa música e o peixe sem igual”, propaga o professor de Geografia do IFCE de Crato, Sandro Leonel. O restaurante só funciona de quarta-feira a domingo e, vez por outra, é palco de shows de bandas no estilo rock in roll, sendo que uma dessas atrações já veio do Rio de Janeiro, segundo comenta “Pink Floyd”, que também costuma promover eventos. No primeiro deles não coube a plateia e o proprietário foi, aos poucos, derrubando quartos e salas do imóvel para poder ampliar o espaço. Outra atração espetacular do restaurante é ver, do alto da Serra do Araripe, a chuva caindo e molhando o Vale do Cariri.   O restaurante Alto da Bananeira foi fundado há 12 anos e, também, possui um mirante com visão privilegiada para o Vale a partir de uma boa área coberta, em um ponto alto do Sítio São João situado a uma distância de 12 km até o centro de Crato. Há algum tempo, o ex-proprietário José Nilton Barbosa Araújo, de 64 anos, inovou com a venda de caranguejos que comprava em Fortaleza. Ele recorda que chegou a vender cerca de 300 crustáceos por semana, mas ter-

Comida regional e vista paradisíaca podem ser encontradas nos restaurantes do Crato

minou desistindo em função das dificuldades no transporte. Recentemente, Zé Nilton enveredou pelo ramo agropecuário e na produção de hortifruti em Mauriti, quando decidiu vender o Restaurante Alto da Bananeira, sob nova direção já há seis meses. A advogada Jane Eyre Ribeiro Macedo, Procuradora Adjunta do Município de Crato, é a nova proprietária do estabelecimento, que funciona de quarta-feira a domingo e nos feriados, para almoço e jantar. O cardápio é diversificado, mas a opção preferencial é pelo peixe frito ou pela galinha caipira. Enquanto espera o cardápio pedido, o cliente pode apreciar uma galeria de artes a partir de plantas nativas.

DEMONTIER TENÓRIO

Atual Diretor de Jornalismo e comentarista esportivo da Rádio Vale FM, Chefe de redação do site Miséria e Assessor de Imprensa da Secretaria de Turismo e Romarias de Juazeiro do Norte. Durante 10 anos foi repórter da sucursal do Diário do Nordeste no Cariri,após trabalhar como correspondente do jornal O POVO.

COSTUMES 109


FOTOS SHUTTERSTOCK/ROBERT PRZYBYSZ

BELEZA

PREPARE-SE PARA TER

UMA PELE DE BEBÊ CONHEÇA A TÉCNICA INOVADORA QUE UTILIZA MICROAGULHAS PARA RESTAURAR A PELE 110 COSTUMES


Texto Ádria Araújo er uma pele linda e, principalmente, saudável requer muitos cuidados. Usar protetor solar, manter uma alimentação balanceada e tomar bastante água são alguns deles. Mas, mesmo com essas precauções, há mulheres que se incomodam com as imperfeições ou outros incômodos que aparecem com o tempo.

T

Com objetivo de minimizar as marcas de expressão, rugas, melasmas, manchas, cicatrizes de acnes, fechamento de poros, tratar a celulite e também estrias, o microagulhamento é a opção mais recomendada. Surgida na década de 90, na Alemanha, a técnica é nova no Brasil, trazida pelo americano Fernandes Desmond. O procedimento utiliza o Dermaroller, um rolinho de aço inoxidável composto por microagulhas que atravessam a barreira cutânea e estimulam a produção de colágeno da pele, fazendo com que as células sejam multiplicadas, restituindo a sua integridade. “As microagulhas perfuram a pele, sutilmente, causando pequenas lesões, onde ocorre a regeneração e promove a liberação do colágeno, formando uma nova camada de pele, mais espessa, que preencherá rugas, estrias e outros problemas”, revela a acadêmica de Fisioterapia, Suerda Bruno Pereira. Segundo Suerda, o diferencial do microagulhamento, dentre outros procedimentos estéticos, é a vantagem de ser mais eficaz e ter um processo de cicatrização mais rápido. “O microagulhamento tem uma ação mecânica, realizando um estímulo na pele. É como se você cortasse a pele: o cérebro entende que você sofreu esse corte e as células reparadoras vão restaurar esta área”, complementa.

Biomédica Adinete Girão e a acadêmica de Fisioterapia Suerda Bruno

COMO É FEITO O MICROAGULHAMENTO Antes de dar início ao procedimento, é feita uma anamnese para identificar o problema a ser tratado. Primeiramente, é realizada uma higienização da pele e, logo depois, é aplicado um anestésico tópico para amenizar o leve ardor. Em seguida, é aplicado o Dermaroller, vertical, diagonal e horizontalmente, sem forçar muito. Aos poucos, ocorre um microsangramento, deixando a pele um pouco avermelhada. “Haverá o processo de orvalho da pele, que ficará um pouco avermelhada. O paciente sente apenas uma leve ardência na área”, revela a biomédica Adinete Girão.

SERVIÇO

Depois de aplicar por toda a região, é feita outra higienização, sendo aplicada uma vitamina C e fotoproteção. “Para potencializar, usamos, em seguida, o laser de led ou infravermelho e fazemos uma massagem modeladora”, completa.

Clareza do Ser – Estética e Beleza Rua Rodrigues Júnior , 1156 Tel.: (85) 3226-1608 / 3067-6554 Suerda Bruno - Tel.: (85) 8830-5478 Adinete Girão - Tel.: (85) 9610-4387

A manutenção é feita com nutricosméticos ou fármacos, quinze dias após a primeira sessão, com massagens no local para estabilizar

a produção do colágeno. Os resultados são vistos em um mês, com seis sessões no total, realizadas a cada 15 dias e com duração final de 3 meses, até outro procedimento. COSTUMES 111


FOTOS DAVI FARIAS

A SEU DISPOR

Amor e dedicação pelo que faz

O

peixeiro Rafael Pinheiro Silva, do Mercadinhos São Luiz da loja Dunas, é conhecido por seu atendimento impecável. Trabalhando há quatro anos e com experiência no ramo há nove, Rafael conta que deixou o amor pela bola para atuar em um setor completamente diferente.

põe os gelos, os preços de cada um e verifica a validade. “O São Luiz dá toda qualidade de vida para o funcionário, e isso me motiva a trabalhar mais feliz, trabalho à vontade, sem pressão, nunca faltei e sequer cheguei atrasado. Com isso, atendo a todos muito bem e quando pedem dou as minhas dicas e receitas para preparar o peixe”, revela.

“Eu era jogador, e como não deu mais para jogar, fui buscar outro emprego. Um gerente de um amigo me trouxe para um supermercado, e com meu jeito para bom atendimento, cheguei dizendo que sabia cortar peixe, mas nem isso eu tinha conhecimento. Pedi ao gerente que me desse um mês de experiência. E foi o tempo suficiente para eu ser destaque lá”, afirma.

Por seu atendimento e sua atenção em ajudá-la nas compras, Rafael conseguiu conquistar o carinho da senhora Idalva Filgueiras. “O Rafael tem um atendimento muito especial, para mim foi maravilhoso ter conhecido uma pessoa tão gentil. Ele, quando pode, deixa a seção dele para me ajudar nas compras. É uma pessoa muito boa para mim e um profissional excelente para a loja”, afirma.

Para Rafael, o São Luiz foi o melhor supermercado em que trabalhou, aprendendo bastante e auxiliando os clientes até mesmo em outros setores. Diariamente, pela manhã, o peixeiro monta a bancada de peixes,

Fora do expediente de trabalho, Rafael não para. Além de fazer serviços de pintura, textura, o peixeiro dedica o tempo livre às filhas Maria Sofia e Stefany, que gostam de passear, juntamente com a esposa Lidiane.

112 COSTUMES

Com t od presta a atenção e dos, o carinh p o cativo u a clie eixeiro Rafae nte Ida l lva Filg Silva ueiras


FOTOS DIVULGAÇÃO

GÔNDOLA

Linha de Chás Feel Good Feel Good oferece a você a melhor e mais completa linha de chás prontos para beber. Preparados com a Camellia sinensis, planta que possui diversas propriedades terapêuticas, ajudam a manter corpo e mente saudáveis. Feel Good tem sabores únicos, muito refrescantes para você beber a qualquer hora do dia. Tem 0% de calorias, é sem adição de açúcar e sem conservadores. Pronto para o seu bem-estar. Experimente!

Energia, sabor e fibras com tradição

Bebidas saudáveis, refrescantes e de fácil digestão

A Bauducco inova mais uma vez trazendo produtos que apresentam uma nova fórmula enriquecida, com ingredientes de alta qualidade nutricional e sensorial. Estes são Maizena Fibras, Cereale e Snack Multigrãos, que se destacam pelas propriedades nutricionais e pela praticidade, além da qualidade e dos sabores inconfundíveis de Bauducco.

Risovita é naturalmente isenta de lactose, colesterol e glúten. Bebida de origem vegetal, obtida de grãos de arroz por meio de um cuidadoso e delicado processo tecnológico preservando todos os nutrientes e qualidade do arroz. Este produto é desenvolvido sem adição de açúcar e conservantes, para todas as pessoas atentas a seu bem-estar. Pode ser consumida a qualquer hora do dia, seja no café da manhã, no lanche, no almoço ou no jantar, quente ou fria. Além do sabor original com adição de cálcio, é possível saborear outros três deliciosos sabores: coffelate, baunilha e coco. É indicada para toda a família, inclusive para pessoas com restrição alimentar à lactose e ao glúten.

COSTUMES 113


CHECK-OUT Por Nazareno Albuquerque Tenho uma forma peculiar de ver o crime. As lições sobre Hobbes, Lombroso e outros estudiosos da violência que me foram apresentadas no curso de Direito Penal, estabeleceram em mim conceitos que podem ser classificados de impiedosos. Ou pelo menos diferentes dos piedosos defensores dos direitos humanos. O crime, a violência, são um risco. Se você os comete certamente espera consequências. Tenha 16 anos ou 60. Um dia a justiça se faz. Mas fico pleno de revolta quando vejo pessoas do bem, de paz, distantes do crime, jovens de paz e arrimos de família, bacharéis feitos com o suor e a dedicação dos pais, aposentados em paz com a vida, voltados pra os carinhos da família, sendo vítimas do crime covarde, traiçoeiro, banal, de uma violência e barbárie de trucidar corações. É reduzir cidadania, família, amor, paz ao pó da insignificância. Bandidos, criminosos assim passam distante do meu perdão. Que país é este que procura destruir nossa esperança como cidadãos, em nome de políticas inocentes diante desse grave problema.

DIGITALIZADOS

Um pássaro sem liberdade para voar, corresponde ao humano sem liberdade para pensar. Nós seríamos reduzidos a insignificância sem os que pensaram, sejam como filósofos ou como paranoicos. Os pensadores que transformaram suas reflexões em pinturas e literaturas, como Dali e Spinoza; os que transformaram instintos em versos, como Patativa do Assaré e Suassuna. Pensar e expressar é nossa derradeira esquina nessa digitalização da vida a que estamos condenados.

BBB E BRASIL

Num país onde mais de 10 milhões votam no BBB e defende-se o voto opcional para a escolha de governantes, imagina em que democracia vivemos. Deus salve o Brasil desse eleitorado que deve confundir votar no BBB com impeachment. 114 COSTUMES

SHUTTERSTOCK/ALIEN ZAGREBELNAYA

A DIMENSÃO DO CRIME

QUEM NÃO TEM ANJO CAÇA COM GATO

Os anjos da guarda deviam ser como os de novela: marcar presença materializada sempre que deles precisássemos! Ou nem que fosse pra levar carão pelos malfeitos nossos de cada dia. Quem sabe pra nos acompanhar no papo tomando uma geladinha isolado dos vivos. Enfim, quem não tem anjo materializado caça com gato!

AO MOLHO PARDO...

Tem gente que pede impeachment como quem pede sushi: não sabe o que é, nem como se faz, nem de onde vem, mas é chic comer com pauzinhos!

DE SAL E DE AÇÚCAR

A alienação cultural no Brasil de hoje é maior do que em plena ditadura. Ela existe não pela censura oficial, mas pela censura do estabelecido. O primeiro caminho: calar os ainda vivos: Edu Lobo, Chico Buarque, Belchior, Ivan Lins, Martinho da Vila, Gil. Dos mortos, esquecer as letras: Tom, Vinicius, e dezenas deles. Música não pode ser inteligente”, com sal social. O tempero é açúcar, “sentindo esse momento lindo”. O estranhar do mundo já chegou aos intelectuais, como o antropólogo italiano Máximo Canevacci, que lamentou o atual

nível da música brasileira. Estimulado pelas mídias, os compositores, para terem espaço, recorrem desde o forrobodó ao fuzuê ou qualquer coisa de Avião e de Teló. As três músicas escolhidas para a final no Faustão em 2013 e 2014, não dizem lé-com-cré, nem suas notas, seus arranjos, sua musicalidade. Triste geração que para ter boa música tem de remunerar direitos autorais do exterior. Assim está ocorrendo com o futebol, de forma sutil. Se perguntarmos a uma criança brasileira qual o seu time predileto, corremos o risco de ela responder Barcelona! Pra quê que eu fui filosofar, meu Deus! Mas, enfim, Einstein conferiu: “algo só é impossível até o dia em que alguém comece a provar o contrário”. Comece.

NAZARENO ALBUQUERQUE

Jornalista, integra o Núcleo de Projetos do Grupo de Comunicação O POVO, comentarista de Economia da AM do Povo/CBN e consultor de planejamento mercadológico da NA Comunicação, além de ser o Diretor Responsável pela Revista Costumes


Profile for Web Cvtt

Revista Costumes 17ª edição  

Revista Costumes 17ª edição  

Profile for cvttweb
Advertisement