Page 1

ALUNOS DA F61 Arthur Souza Costa Carneiro Emanuel da Silva Andrade

DIÁRIO DE PILAR NA ÁFRICA EM POEMAS

Gabriel Maciel Almeida Gabriela Marvulle Lopes Igor Santos de Souza

Laura Carvalho Rodrigues Manoel Vitor Gomes Peixoto Manuela Mendes Ruelli Matheus Faria Lopes Miguel Fernandes Seabra de Morais Pedro Carvalho Beteloni Pedro Araújo Estanislau

Sofia Ribas Vieira Esper Thiago Oliveira


PREFÁCIO

Todos nós sabemos que a leitura de um livro é sempre uma grande viagem, mas quando a história que esse livro conta já é sobre uma viagem, a leitura fica duplamente melhor.

O livro “Diário de Pilar na África” nos proporcionou muitas curiosidades interessantíssimas sobre a cultura africana, sua culinária, suas crenças, seus países, seus costumes, sua fauna e um pouco de sua história. Por isso, os convido a tomar seus lugares nessa rede mágica e viajar com a Turma de Pilar em muitas aventuras pelo continente africano.

Cláudia Ribeiro Fortes de Souza Professora de Língua Portuguesa


Poema Arthur Souza Costa Carneiro

Um dia um portal se abriu.

Poema Emanuel da Silva Andrade

Um sonzinho se ouviu e uma princesinha surgiu. Fummi era o seu nome.

A turma de Pilar foi viajar para uma aventura embarcar.

Em uma festa, os pais de Fummi sumiram. A turma toda saiu para procurĂĄ-los. No caminho se aventuraram. No final, os pais de Fummi eles acharam.

Na Ă frica, encontraram a princesa Fummi. Ajudaram a princesa resgatar seus pais. Em uma aventura histĂłrica todos felizes ficaram.


Poema Poema Gabriel Maciel Andrade Breno, Samba e Pilar entraram em uma rede mágica e foram para a África passear. Na África, encontraram uma princesa chamada Fummi, ela gostava de brincar e se divertir. A princesa os chama para uma festa no qual o final não é tão legal. Os pais de Fummi foram raptados, levados e obrigados a serem escravizados. Fummi, Pilar e seus amigos foram procurá-los pela África. Aventuraram-se na esperança de um dia encontrá-los. Eles vão parar em um navio negreiro apertado, sem muita água e comida. No Brasil, fogem para um quilombo. Lá encontram a mãe de Fummi.

Gabriela Marvulle Lopes Quando pensamos na África pensamos apenas na pobreza do lugar. África é muito mais que isso. Sua natureza é demais, sem falar dos animais. A turma de Pilar encontrou uma princesinha chamada Fummi, que não era tão feliz assim. Pilar e sua turma embarcaram em uma grande aventura. Em busca dos pais de Fummi que foram raptados. Juntos encontram a mãe da princesa Voltam para sua querida terra. Pilar, Breno e Samba ficam no Brasil em busca de novas aventuras.


Poema Igor Santos de Souza

Tem muita música para ouvir, com diferentes ritmos para sentir.

Lugar muito florido, que é totalmente colorido onde quero morar.

Comidas apimentadas, Outras adocicadas, onde quero morar.

Lugar não digital, e sim muito natural, onde quero morar.

Vou pegar minha mala Meus acessórios, e já vou decolar.

Lugar muito pobre, que dá vontade de chorar.

Lugar de sede fome que precisa de mim para ajudar.


Poema Laura Carvalho Rodrigues

Poema Manoel Vitor Gomes Peixoto

África, Continente lindo, mas sofre com a pobreza e muita gente sem condições para viver dignamente. Lugar de muita cultura. A comida uma delicia! Sucesso nas danças típicas. Animais perigosos e outros não. A vegetação muito rica! Várias árvores, rios e lagos África o berço da humanidade!

Pilar e sua turma foram para a África. Encontraram na África uma princesa chamada Fummi. Viajaram e juntos se aventuram por países africanos.


Poema

Poema

Manuela Mendes Ruelli

Matheus Faria Lopes

A história começa com Pilar.

Pilar e sua turma

Uma menina que gosta

encontram a

de aventurar-se. Com seus amigos a história vai começar.

princesa Fummi, triste e desesperada, seus pais foram capturados.

Entram na rede mágica, vão parar na África. Encontram-se Fummi, a princesa encantada.

Pilar e seus amigos vão em busca

Os pais de Fummi foram raptados e Pilar se aventura para encontrá-los.

dos pais de Fummi. Viajam pela

Eles entram no navio negreiro

África em cima

para irem atrás dos escravizados.

de um elefante.

Enfim, no BRASIL.

Escravos são mais de mil!

Em Angola, Dão adeus à savana africana.


Poema

Ao chegarem ao Brasil encontram a mãe de Fummi.

Miguel Fernandes Seabra de Morais

Mas o seu pai, não. Pilar e seus amigos Fummi e sua mãe

viajam para á África.

retornam para o seu lar.

Eles fizeram muitas coisas por lá:

Pilar, Breno e Samba

Cavalgaram em zebra

em novas aventuras

Conheceram Fummi,

vão experimentar...

A princesa os convidou para uma festa que estava acontecendo por lá.

Um dia uma guerra estava a começar pois o navio negreiro estava por lá. Muitos negros ficaram sem lar, para à América eles iriam parar, F

ummi estava esperançosa Com seus pais iria encontrar.


Poema

Poema

Pedro Carvalho Beteloni

Pedro de Araújo Estanislau Pilar e seus amigos encontraram uma princesa que havia perdido seu pais. Eles sumiram e não foram vistos nunca mais. A turma de Pilar virou uma grande amiga da princesa Fummi. Como ela havia perdido seus pais, todos entraram em uma grande jornada pela África. Foram até parar num navio negreiro onde foram aprisionados e levados para o Brasil.

No Diário de Pilar tem animais, cores, cultura e muita aventura. A turma de Pilar viajou pela África encontrou coisas boas e ruins, mesmo assim nunca desistiram de mim. Aqui, no navio negreiro era tudo infeliz. Até chegar Pilar e deixar tudo mais feliz!


Poema

Poema

Thiago Oliveira No livro Diário de Pilar tinham muitos escravos para escravizar.

Sofia Ribal Vieira Esper A turma de Pilar foi parar naquele lugar.

Como os pais de Funmi

Onde tudo é possível.

que foram parar em um navio

Onde tudo fica em seu lugar.

onde fome tinha ali.

Fummi era uma princesa

A turma de Pilar para achá-los,

que os pais foram raptados.

passaram pela savana e o baobá

Sem dó e sem pena foram escravizados.

para lá procurar. Pilar, sem se cuidar,

Pilar e sua turma foram

foi parar em um navio

logo entender

para longe ficar e os pais de Funmi procurar.

o que tinha acontecido e o que ia acontecer.


Pilar e seus amigos de repente acordaram. Num lugar meio escuro, num lugar meio apertado .

Depois de um tempo foram perceber que estavam num navio. Um navio cheio de escravos! Pensaram e raciocinaram

QUE BOM! CHEGAMOS NO BRASIL!

DIÁRIO DE PILAR NA ÁFRICA EM POEMAS  

TURMA 6º ANO - F61

DIÁRIO DE PILAR NA ÁFRICA EM POEMAS  

TURMA 6º ANO - F61

Advertisement