Issuu on Google+

Pรกgina 1 de 88

REVISTA CUME


Página 2 de 88

PEC 24 de 2012. Terça, 13 Novembro 2012 10:22

A iniciativa do senador João Capiberibe (PSB/AP) em apresentar Projeto de Emenda Constitucional (PEC) para criação de um fundo que garanta recursos para a Segurança Pública dos Estados foi elogiada pelo presidente da Associação Nacional dos Policiais Militares do Brasil, Leonel Lucas.


Pรกgina 3 de 88


Pรกgina 4 de 88


Pรกgina 5 de 88


Pรกgina 6 de 88


Pรกgina 7 de 88


Pรกgina 8 de 88


Pรกgina 9 de 88


Pรกgina 10 de 88


Pรกgina 11 de 88


Pรกgina 12 de 88


Pรกgina 13 de 88


Pรกgina 14 de 88

GOVERNO DE MINAS AUTORIZA ABERTURA DE


Página 15 de 88

CONCURSO PARA BOMBEIROS E PMS 

Terça, 13 Novembro 2012 14:47

O Governo de Minas autorizou nesta segunda-feira (29) a realização de concurso público para a Polícia Militar (PMMG) e Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG). Serão 3.975 vagas para as duas corporações. Conforme informações do Estado, o objetivo da abertura de novas vagas é ampliar segurança para a população mineira. Os militares também serão beneficiados por Projeto de Lei, encaminhado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta segunda, que institui o abono permanência, fortalece o Fundo Promorar e reduz prazos para promoção na carreira. Com o concurso, as 3.975 novas vagas serão destinadas aos cargos de soldados da PM (1.700), soldados do CBMMG (800) e assistentes administrativos de nível médio (1.300) para atuar na área administrativa da PM. As demais vagas serão voltadas a profissionais de saúde para o Hospital da Polícia Militar e unidades do interior do Estado, sendo 115 cargos para tenentes do quadro de Oficiais de Saúde e 60 de soldado do quadro de Praças Especialistas em Saúde. Carreira Uma das novidades do PL é a fixação do corpo efetivo por três anos, até 2015. As leis anteriores fixavam o efetivo somente para o período de um ano, o que dificulta as adequações dos quadros para viabilizar novos ingressos e para realizar novas promoções na carreira. A carreira ficará mais atrativa com o menor prazo para promoção e aumento da proporção de militares que podem fazer jus ao benefício. Fica preservado o modelo baseado no merecimento, essencial para a eficiência na prestação de serviços, além de manter o plano de carreira. Para incentivar a permanência nos quadros, o PL propõe um abono para os militares estaduais que tenham completado as exigências para aposentadoria e façam a opção de permanecer em


Página 16 de 88 atividade. O abono permanência será equivalente a um terço dos vencimentos do militar e poderá ser concedido até a aposentadoria compulsória. Fundo Promorar O Governo de Minas também fortalecerá o Fundo Promorar – Programa de Apoio Habitacional dos Militares do Estado de Minas Gerais. O Projeto de Lei assegura o repasse de recursos do Tesouro do Estado para o Fundo nos próximos quatros anos. O Promorar é destinado ao financiamento para assistência à habitação a servidores militares segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais (IPSM). Em relação ao Instituto de Previdência dos Servidores Militares (IPSM), o projeto de lei propõe alterações na Lei nº 10.366/1990, para destinar parte dos recursos repassados pelo Executivo para proventos de reservistas e reformados, além da pensão e assistência à saúde já contemplados. CONCURSO PÚBLICO 29/10/2012 14h41 DA REDAÇÃO Siga em: twitter.com/OTEMPOonline Ilustração: google Images

Nota do Comando Geral PMMG 

Terça, 13 Novembro 2012 10:49


Página 17 de 88

Comandante Geral da PMMG comunica novas alterações e conquista para instituição, que visam valorização da tropa e Minimizam a falta de efetivo. Prezados Policiais Militares, nesta data estão sendo encaminhados à Assembleia Legislativa Projetos de Lei de iniciativa do Governo do Estado que resguardam direitos dos militares estaduais, dentre os quais citamos: 1) ajustes nas regras de promoção nas carreiras dos militares estaduais, sendo que a CPO e a CPP já iniciaram os trabalhos considerando a sua aplicação para este ano; 2) diminuição do interstício para a promoção por tempo de serviço do Soldado 1ª Classe, para a graduação de Cabo, e do Cabo para Sargento, que passa a ser de oito anos de efetivo serviço, tendo vigência a partir de 2015. Norma de transição prevê o período para promoção de nove anos de efetivo serviço nos anos de 2012, 2013 e 2014; 3) instituição de um abono de permanência em benefício dos militares que tenham cumprido as exigências para a transferência para a Reserva Voluntária e que optem por permanecer em atividade, até completarem o tempo para a transferência compulsória para a reserva; 4) inclusão de 1.700 Soldados, 115 Oficiais do QOS e 55 Praças do QPE; 5) inclusão 1300 de funcionários civis efetivos para a PMMG, os quais atuarão em atividades administrativas. Por conseguinte, policiais militares que atuam na Administração serão treinados e transferidos para o serviço operacional, atividade fim da Corporação; 6) em 2012 será destinada parcela da atual contribuição patronal, representada pelo montante de 14 unidades percentuais de um total de 20, para o custeio parcial dos proventos de militares da reserva e reformados e, a partir de 2013, tal parcela passará a ser de 4 unidades percentuais. Em contrapartida o Tesouro Estadual destinará aproximadamente 120 milhões ao ano ao IPSM, através do Fundo PROMORAR, em 2013, 2014, 2015 e 2016, para beneficiar os militares interessados no financiamento habitacional. Fica garantida a manutenção de todos os serviços na área da saúde, sem qualquer modificação dos repasses atuais e sem prejuízos à qualidade desses serviços. Através dessas medidas o Governo do Estado e o Comando da Corporação mantém a política de valorização do capital intelectual, na convicção de que o reconhecimento da excelência dos


Página 18 de 88 serviços prestados pela PMMG decorre do esforço, dedicação, entusiasmo e abnegação de cada um dos integrantes da Instituição, merecedores do mais alto respeito e consideração. Fonte: Intranet PM

SEPLAG CONFIRMA PAGAMENTO DO PP 2011, SERÁ EM 2013 

Quarta, 14 Novembro 2012 00:07

O Governo de Minas destina em 2012 R$ 1,74 bilhão para despesas com pessoal, somando o que foi efetivamente gasto até setembro e a previsão de desembolso até dezembro. Este total é 119,6% maior do que o valor previsto na lei que instituiu a política remuneratória dos servidores públicos estadual (Lei 19.973/2011), calculado em R$ 794,2 milhões. Ou seja: mais do que o dobro da previsão.

A informação foi repassada pelos secretários de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, e da Fazenda, Leonardo Colombini, a líderes das principais entidades representativas das diversas categorias do funcionalismo estadual, durante reunião do Comitê de Negociação Salarial (Cones) realizada nesta quinta-feira, 11/10, na Cidade Administrativa. Na mesma reunião, os secretários anunciaram que o pagamento do décimo-terceiro salário estará disponibilizado nas contas de todos os servidores estaduais no dia 15 de dezembro. Já o prêmio por produtividade será pago no primeiro trimestre de 2013, em data ainda a ser definida.


Página 19 de 88 O volume de R$ 1,7 bilhão de reais que o Governo de Minas desembolsará até o final de 2012, dentro da política remuneratória do Estado, está sendo aplicado na concessão de reajustes e de diversos outros benefícios concedidos aos servidores estaduais. Em abril de 2012, por exemplo, o Governo do Estado concedeu 5% de reajuste para os servidores estaduais, a título de antecipação da política remuneratória. O aumento salarial alcançou todas as carreiras do Poder Executivo, à exceção daquelas que tiveram reajustes específicos com vigência neste ano. Apenas os reajustes de caráter geral concedidos ao funcionalismo implicaram em um acréscimo de R$ 366 milhões à folha de pagamento do Estado em 2012, contemplando mais de 450 mil servidores ativos e inativos. Outros R$ 24 milhões foram destinados para a garantia de vencimento básico não inferior ao salário mínimo vigente. Cerca de R$ 645 milhões dos recursos foram destinados ao pagamento dos instrumentos de política remuneratória definidos na lei, que congregam a concessão de progressões e promoções pela regra geral, promoções por escolaridade adicional nas carreiras, o pagamento de gratificações vinculadas ao cargo efetivo, a concessão de adicionais de desempenho e por tempo de serviço, bem como o pagamento de abonos eventuais. Todos esses benefícios constituem mecanismos da política remuneratória do Estado, previstos no art. 6º da Lei nº 19.973/2011. Esta lei, cujo teor foi acertado no âmbito do Comitê de Negociação Salarial (Cones), estabelece as diretrizes e parâmetros para a política remuneratória dos servidores públicos estaduais da administração direta, das autarquias e das fundações vincultadas ao Poder Executivo, bem como de servidores militares. “O objetivo primordial da lei que instituiu a política remuneratória é estabelecer uma política de valorização dos servidores estaduais, conjugada com um adequado planejamento para as despesas de pessoal e com a responsabilidade fiscal que deve nortear as ações dos entes públicos”, afirma a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena. Diversas categorias tiveram reajustes específicos Um dos fatores que mais levou ao crescimento das despesas com pessoal em 2012 no executivo estadual foram os reajustes específicos concedidos pelo Governo de Minas a diversas categorias, que tiveram um impacto total de R$ 705,98 milhões na folha de pagamento. Diversas carreiras foram contempladas com mecanismos específicos da política remuneratória, como educação básica, saúde e meio ambiente, dentre outras. Os reajustes e benefícios aprovados para essas categorias, com vigência em 2012, possibilitaram que aproximadamente 80% dos servidores do Poder Executivo estadual tivessem reajustes muito superiores aos 5% de reajuste geral concedidos em abril pelo Governo do Estado. O Governo do Estado desembolsou, por exemplo, cerca de R$ 569 milhões para adequar os vencimentos de 308 000 servidores ao modelo unificado de remuneração da Educação. Nesta contabilidade não está incluído o reajuste geral de 5% concedido a 383 mil servidores da Pasta, que implicou em um acréscimo de R$ 260 milhões na folha de pagamentos. A implementação do modelo unificado de remuneração da educação proporcionou reajuste de no mínimo 30% na remuneração para 96% dos professores, em comparação com os valores


Página 20 de 88 percebidos em dezembro de 2010. Além disso, permitiu o reconhecimento do tempo de serviço, preservou o valor da soma das vantagens adquiridas pelo servidor. Despesas com pessoal supera variação da inflação e da receita tributária Nos últimos cinco anos, de 2007 a 2012, a despesa bruta com pessoal do poder executivo estadual apresenta um crescimento acumulado de aproximadamente 86,73%. No mesmo período, a variação da receita tributária do Estado será de aproximadamente 69,41%. Os dados relativos à variação da receita tributária e da despesa de pessoal bruta no período de outubro

a

dezembro

de

2012

considera

projeções

feitas,

respectivamente,

pela

Superintendência Central de Administração Financeira e pela Diretoria Central de Gestão Fiscal, ambas da SEPLAG. O crescimento da despesa com pessoal também supera a inflação acumulada no período de janeiro de 2007 a agosto 2012, medida pelo INPC (IBGE), que foi de 36,22%. Ainda a título de comparação, os reajustes recentemente concedidos pelo Governo Federal aos seus servidores entrarão em vigor apenas em 2013 e serão escalonados em 3 anos, sendo 5% em 2013, 5% em 2014 e 5% em 2015. “Estes dados demonstram, de forma inequívoca, que nos últimos anos o Governo de Minas tem investido efetivamente na valorização dos servidores estaduais”, conclui a secretária de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais, Renata Vilhena.

Festa do dia das crianças realizada no Clube Topázio no dia 12/10/2012 

Quinta, 11 Outubro 2012 23:00


Página 21 de 88

Na última sexta - feira (12), aconteceu no Clube Topázio a tão esperada festa do Dia das Crianças. O evento foi recheado de brinquedos como pula-pula, escorregador, algodão doce, cachorro quente, picolé e muita alegria onde as crianças se divertiram muito. A presença de todos, o carinho e acompanhamento dos coordenadores fizeram deste evento um momento inesquecível para as crianças .Afinal “Ser criança é se divertir, estar alegre e tentar sorrir”. Destaca a direção da CUME

Parceria CUME oferece 30% de desconto para o associado! 

Quinta, 27 Dezembro 2012 11:16


Página 22 de 88

A Faculdade de Direito de Contagem – FDCON é mantida pelo Instituto de Ensino Superior de Contagem Ltda. - IESC, pessoa jurídica de direito privado com fins lucrativos. A FDCON e sua mantenedora estão estabelecidas na Rua Papa Paulo VI, 39 e 85, respectivamente, no Bairro Inconfidentes, Contagem – MG, CEP nº 32.260-370. O Instituto de Ensino Superior de Contagem Ltda. - IESC está inscrito no CNPJ sob o nº 10.295.291/0001-46. O Instituto de Ensino Superior de Contagem Ltda. – IESC – surge da associação entre o Centro Educacional Inconfidentes (fundado em 1998) e um grupo de profissionais das áreas do Direito, da Administração e da Pedagogia, com o propósito de combinar competências, experiências e recursos necessários para a constituição de um centro de educação superior em ciências sociais aplicadas e humanas, capaz de atender adequadamente as necessidades de formação de profissionais inseridos no contexto econômico-social de uma região, altamente industrializada, como Contagem. São seus fundadores: Gilsérgio Adriano de Souza, Grazielle Seabra de Campos, Professor Inocêncio Mártires Coelho e Professor Luiz Moreira Gomes Júnior.

Sargento Nepomuceno esteve na Sede da CUME 

Quarta, 26 Setembro 2012 23:12


Página 23 de 88

Sargento Nepomuceno esteve na Sede da CUME, hoje 27/09/2012, para agradecer a Dr. Regina Safe, pelo empenho no processo que trouxe de volta a PMMG o Cabo Jadílson, e lhe auxiliou no seu merecido retorno a nossa Gloriosa instituição. A direção da Associação Central Única dos Militares estaduais - MG, é que agradece a oportunidade por poder ter colaborado para que a justiça fosse feita. Parabéns ao Cabo Jadílson e Sgt Nepomuceno pelo retorno merecido a Caserna.

COMANDO DOS BOMBEIROS MILITARES ABRE AS PORTAS PARA A CUME 

Sexta, 28 Dezembro 2012 10:41


Página 24 de 88

Em reunião realizada no dia 06 de dezembro, a diretoria da Associação Central Única dos Militares esteve reunida com o Coronel BM Matuzail Martins da Cruz e Sargento Dias na Cidade Administrativa – sede do Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Estado. A pauta da reunião foi a aproximação da CUME com os Bombeiros. Segundo as palavras do Coronel, “o Corpo de Bombeiros está à disposição da Associação porque a filosofia de ambas é a mesma”: a integração real de todos os servidores independentemente da patente ou posição organizacional. “A reunião foi um sucesso”, resumiu o Presidente da CUME – Sargento Walter Carvalho, que se fez acompanhar dos diretores Ronaldo Mota – Vice Presidente – Tarcísio Fernandes Pereira – Vice Diretor Administrativo, Lucas Vinicius Assis Pereira – Diretor Representante Para de Minas eJosé Francisco Resende – Diretor da Sociedade Civil. Todos foram unânimes em dizer que a reunião foi um divisor de águas na inter-relação das entidades, de forma emblemática já que o Corpo de Bombeiros comemora seu centenário. Aos colegas BM os nossos parabéns e o desejo de que venham integrar a CUME de forma efetiva e proveitosa. Ao Comando do CBMG – os agradecimentos de toda a Diretoria pela calorosa recepção.


Pรกgina 25 de 88


Página 26 de 88

Ato 410/2012-CPA/Scad 

Sexta, 28 Dezembro 2012 10:20

Foi publicado no Diario Oficial do Estado de Minas Gerais, no dia 27 de Novembro de 2012, o Ato N.410/2012-CAP/SCad, a reintegração do Praça , 2º SGT PM Altair Nepomuceno da Silva do Batalhão ROTAM, em cumprimento a decisão judicial. Veja o inteiro teor do Ato N.410/2012CAP/SCad.


Pรกgina 27 de 88


Pรกgina 28 de 88


Pรกgina 29 de 88

NOVO TITULAR DA PASTA QUE CUIDA DA SEGURANร‡A


Página 30 de 88

PÚBLICA PROMETE TRANSPARÊNCIA NOS NÚMEROS 

Sábado, 01 Janeiro 2011 10:18

O

procurador

de

Justiça

licenciado

Rômulo

Ferraz

assume

a

Secretaria de Defesa Social em meio ao aumento da criminalidade e num contexto em que a falta de articulação entre as polícias Civil e Militar tem despertado tensões históricas. A pasta vive um dos momentos mais delicados desde a sua criação, em 2003. Como prioridades, ele anuncia transparência total na divulgação dos números da violência no estado e promete a unificação das duas metodologias de coleta que coexistem, o que inclusive dará ao estado maior segurança para traçar estratégias de redução da criminalidade. Além de garantir que vai abrir intensa interlocução com os comandos das polícias, entidades de classe e sociedade civil, o novo secretário promete “muito equilíbrio” no tratamento das instituições. Rômulo Ferraz terá ainda que superar, entre outros problemas, o financiamento do setor, atingido pelos desdobramentos da crise internacional. “Vamos exaurir todas as possibilidades de fontes de investimento, inclusive junto à União – como o BNDES, o Ministério da Justiça, a Secretaria Nacional de Direitos Humanos, a Secretaria Nacional Antidrogas – e junto aos organismos externos”, informa.


Página 31 de 88

Recentemente houve denúncias de que haveria manipulação dos números da violência em Minas Gerais. As estatísticas de crimes violentos foram maquiadas? Com a implantação da Secretaria de Estado da Defesa Social, em 2003, havia uma metodologia de levantamento, que tinha como fonte estatísticas colhidas pela Polícia Militar. Posteriormente, com a criação

da

secretaria,

instituiu-se

uma

nova

sistemática

de

acompanhamento, feita pela própria pasta. As duas fontes de coleta ainda coexistem: uma delas é usada na região integrada de segurança pública da RMBH e a outra é utilizada para as demais regiões do estado. Esse fato tem contribuído não para a manipulação ou maquiagem dos dados, como se tem falado por aí. Mas o fato não ajuda na segurança da metodologia. Já recebi expressa orientação do governador do estado para ultimar o processo de unificação das metodologias, pois se tivermos segurança nos índices vamos traçar uma estratégia de redução dessa criminalidade que mais afeta a população, que é a criminalidade violenta do tipo homicídios. Além disso, vamos retomar o trabalho conjunto com a Fundação João Pinheiro, que possui anuário muito conceituado, o que também ajuda no acompanhamento e na segurança da produção dos índices de criminalidade.

Não

qualquer

tentativa

ou

possibilidade

de

manipulação dos dados, mas, agora sim, uma preocupação de que haja uma metodologia única dos dados, mesmo que isso importe num primeiro momento em um realinhamento dos índices até para cima, mas que sejam confiáveis para as próprias autoridades que atuam na área

As

últimas

da

estatísticas

segurança

divulgadas

apontaram

pública.

para

o

aumento

da

criminalidade violenta em Minas. Isso é uma tendência ou se deve apenas à

questão

metodológica

?

Os índices de criminalidade violenta sofreram uma redução contínua desde 2003 quando foi implantada a Secretaria de Estado de Defesa Social. A curva descendente é bastante substancial nesse período todo. Mas de fato, em 2011, houve uma curva ascendente, o que não é desejado pelo governo de Minas nem pela população. É sabido que o aumento do tráfico de entorpecentes, sobretudo com a inserção do crack, provocou de forma geral aumento desse índice, principalmente


Página 32 de 88

de homicídio. Essa política preventiva em relação às drogas é uma preocupação. Assim como a repressão, principalmente do tráfico de entorpecentes no âmbito de todo o estado, também deverá ser neste momento prioridade das polícias Civil e Militar. A outra preocupação é a superação da momentânea dificuldade de canalização de recursos para a área, exaurindo todas as possibilidades de fontes de investimento, inclusive junto à União – como o BNDES, o Ministério da Justiça, a Secretaria Nacional de Direitos Humanos, a Secretaria Nacional Antidrogas – e aos organismos externos. E a necessidade de aprofundamento da integração das Polícias Civil e Militar, articulação que

é

da

alçada

da

Secretaria

da

Defesa

Social.

Por falar em integração das polícias, uma sequência de incidentes nos últimos meses entre as polícias Civil e Militar sugere uma maior tensão. Há crise

entre

as

duas

instituições?

Historicamente há diferenças entre as instituições. No caso da Polícia Civil e Militar isso não é diferente. Mas não tenho vislumbrado elementos consistentes que indiquem uma situação de crise entre as polícias. O que é importante é que haja por parte da Secretaria de Estado de Defesa Social, que tem a atribuição de fazer a articulação entre elas, um equilíbrio no tratamento institucional a ser dispensado a

ambas.

Qual é o calcanhar de aquiles hoje da integração? Onde está a maior fragilidade

A

integração

nesse

passa

pela

processo?

comprometimento

das

instituições

envolvidas, não só através de suas respectivas direções e comandos, mas também das diversas entidades representativas de classe dessas instituições. Um dos fatores que contribuíram para a minha indicação foi o relacionamento que sempre tive de muita proximidade com todas as entidades de classe das polícias civil e militar. E uma das prioridades que elegi nesses primeiros momentos foi intensificar o contato com elas. As preocupações verbalizadas pelos integrantes dessas instituições não se resumem, ao contrário do que muitos podem pensar, aos aspectos remuneratórios. Há uma série de sugestões nitidamente de caráter institucional, que interessam de perto

ao

Poder

Executivo.


Página 33 de 88 Por

exemplo…

As unidades da Polícia Civil enfrentam em Minas uma grande dificuldade pelo excessivo número de inquéritos que se acumulam ao longo dos anos nas delegacias de polícia. Isso, em parte, se explica pela falta de pessoal – delegados e escrivães – mas também pela falta de iniciativas criativas e de motivação que possibilitem superar essa

questão

que

é

grave.

Que medidas serão tomadas para solucionar esse problema grave?

Há um grande número de inquéritos policiais muito antigos, de homicídios não esclarecidos, que não foram objeto de denúncia criminal e estão, há muitos anos, parados em delegacias. É preciso buscar alternativas para superar isso porque essa é uma situação gravíssima. Vamos trabalhar em conjunto com a chefia de polícia e a base dos policiais para superar esse passivo no menor prazo possível.

A experiência do Rio com as unidades de polícia pacificadora (UPPs) em comunidades carentes ameaçadas pelo tráfico pode ser realizada em Minas?

A avaliação pelo menos neste momento é de que a situação de Minas é bem diferente da situação do Rio, sobretudo nas comunidades da RMBH, onde há maior problema de criminalidade. Na avaliação principalmente da Polícia Militar, não há nenhuma comunidade em que a força policial seja impedida

de adentrar para realizar

operações. Apesar disso, em minha avaliação, essa situação merece medidas preventivas, para que não se chegue ao longo do tempo à situação da cidade do Rio. Um dos projetos que muito contribuiu para a redução de crimes violentos em Minas nas últimas décadas foi o projeto Fica Vivo. Hoje há 29 unidades desse projeto implantadas. Evidentemente, a expansão desse projeto, que demanda a instalação de núcleos paralelos nas comunidades, representa um custo para o estado. Contudo faremos um enorme esforço para que esse projeto seja retomado com mais rigor com a implantação de novas unidades.


Página 34 de 88

COMANDO DA POLICIA MILITAR ABRE AS PORTAS PARA A CUME 

Sexta, 28 Dezembro 2012 10:57


Página 35 de 88

Em reunião realizada no dia 18 de dezembro, a diretoria da Associação Central Única dos Militares Estaduais - MG esteve reunida com a Coronel BM Rosangela de Souza Freitas na Cidade Administrativa – sede do Comando Geral da Policia Militar do Estado. A pauta da reunião foi a aproximação da CUME, e inclusão da entidade nas decisões classistas. Segundo as palavras da Coronel, “ assessora do Cmt Geral, a ideia do comando é ter a participação e envolvimento direto das entidades de classe para o engrandecimento da corporação. Foi mostrado a visão da CUME que busca a

integração real de todos os servidores independentemente da patente ou posição organizacional. “A reunião foi um sucesso”, resumiu o Presidente da CUME – Sargento Walter Carvalho de Souza Fagundes, que se fez acompanhar dos diretores Cel Jefferson Rodney de Oliveira - Diretor Institucional, Sgt Jadson André de Sousa – Diretor de Sede campestre Tarcísio Fernandes Pereira – Secretário Administrativo, Ten Cel Adilson Vieira Pinto - Diretor Jurídico e 2º Sgt Pablo Robert Silva Fagundes – Diretor Representante do 13ºBPM. Pedimos cautela da assessoria de imprensa, ao levar informação a sociedade, por entendermos que primeiro deve se apurar os fatos para não correr o risco de desmotivar o profissional de segurança pública, tirando lhe o incentivo para exercer a atividade profissional. Finalizamos com o nosso desejo de que todos do Soldado ao Coronel, venham integrar a CUME de forma efetiva e proveitosa. Ao Comando da PMMG – os agradecimentos de toda a Diretoria pela calorosa recepção.

Sgt Walter Carvalho Presidente


Pรกgina 36 de 88


Página 37 de 88

A CUME VISITA OS COMANDANTES DA QUINTA REGIÃO. NOS DIAS 14 E 15 DE FEVEREIRO DE 2013, A DIRETORIA DA CUME, REPRESENTADA PELO SEU PRESIDENTE (SGT WALTER), PELO DIRETOR JURÍDICO (TEN CEL ADILSON VIEIRA) E PELO DIRETOR FINANCEIRO (SGT HÉLIO), VISITOU OS COMANDANTES DA 5ª RPM, DO 4º BPM, DA CIA DE MEIO AMBIENTE E TRÂNSITO, E O COORDENADOR DE EDUCAÇÃO ESCOLAR DO CTPM, UNIDADES SITUADAS NA PRESTIMOSA CIDADE DE UBERABA-MG, ONDE DIFUNDIRAM O TRABALHO REALIZADO PELA ASSOCIAÇÃO, BEM COMO FOI CRIADA A DIRETORIA REGIONAL SOB A DIREÇÃO DO SGT MÚSICO WEBER.


Pรกgina 38 de 88


Pรกgina 39 de 88


Pรกgina 40 de 88

MAIS UMSONHO REALIZADO! A CUME ABRE NOVA


Página 41 de 88

REGIONAL! MONTES CLAROS 

Domingo, 31 Março 2013 16:48

Mais um sonho realizado! A Central Única dos Militares Estaduais - MG – CUME, implantou a sede regional de Montes Claros, sob a coordenação do nosso diretor regional sargento Neto, para atendimento aos militares na região, oferecendo gratuidade no atendimento jurídico coordenado de forma eficiente pelo escritório Martins Freire Advogados Associados. Contamos com a participação dos militares da região, para que apoiem o sargento Neto, no intuito de que a valorização do profissional de segurança pública chegue também a Montes Claros e redondezas. Venha você também fazer parte da CUME. A entidade que busca valorizar todos os militares, do soldado ao coronel, sem distinção, onde todos possuem o mesmo objetivo: a valorização da instituição e seus integrantes! UNIDOS SOMOS MAIS!!!


Página 42 de 88

1° ENCONTRO DOS MILITARES ELEITOS NO PLEITO DE 2012. 

Domingo, 31 Março 2013 17:51

1° ENCONTRO DOS MILITARES ELEITOS NO PLEITO DE 2012.


Pรกgina 43 de 88


Pรกgina 44 de 88


Pรกgina 45 de 88

CUME parabeniza os comandos PM e BM.


Página 46 de 88 

Quinta, 25 Abril 2013 16:25

Parabéns ao Comando Geral da PMMG e CBMMG, por estarem com a participação das entidades de classe buscando uma foma mais justa nos critérios de promoções de praças e oficiais!!!

Lei da Carga Horária PMMG 

Terça, 14 Maio 2013 12:33


Página 47 de 88

Prezados companheiros e companheiras, estou acompanhando de perto todas as manifestações em relação a nova Resolução PMMG, quanto a carga horária e também a fórmula que as escalas de serviço estão colocadas. O primeiro ponto a esclarecer é que tem companheiro fazendo muita confusão, chamando Resolução do Comandante Geral da PMMG de lei e misturando o Projeto de lei Complementar 33 de minha autoria que ainda não foi votado, vinculando a esta Resolução. Estou trabalhando com este assunto a cerca de 10 anos na ALMG, lutando contra tudo e contra todos que ainda se acham no direito de submeter os policiais e bombeiros a escalas de serviço igual a escravidão. A Resolução 4251 de 09Mai2013, traz algumas novidades em relação a jornada de trabalho; ao que parece essas novidades já são no intuito de alinhar com o PLC 33/12, que visa normatizar a jornada máxima de trabalho do militar estadual. O Art. 1º determina que a carga-horária semanal de trabalho dos militares da PMMG, ressalvado o artigo 15 do EMEMGH, corresponderá a 40 (quarenta) horas semanais. Não mais estabelecendo apenas 40 horas mínima como era antes na resolução anterior. No entanto o ponto de maior cobrança é o formato das escalas de serviço, pois segundo consta a folga de uma guarnição no final de semana vai demorar muito para acontecer. Neste sentido devo esclarecer que a Nova Resolução só entrará em vigor daqui há dois meses,


Página 48 de 88 ou seja, em Julho, tempo mais do que suficiente para fazermos o debate e discutir com o comando da PMMG, uma solução. Os companheiros e companheiras precisam entender que o ponto mais difícil de ser alcançado já está surtindo o efeito de nossa luta, estabelecer uma carga horaria de 40 horas semanais. Peço a todos que continuem acompanhando nosso trabalho e nossa luta, este ponto da referida Resolução será cobrado por este deputado para que o comando possa estabelecer outras formas de escala permitindo assim cumprir as 40 horas semanais e ao mesmo tempo que o Policial Militar tenha mais convívio com sua família. Na próxima terça feira dia 14 de maio, terei uma agenda com o Coronel Santana Comandante Geral da PM e nesta oportunidade levarei todas as insatisfações sobre a nova Resolução, sendo que na oportunidade vou pontuar a necessidade de se fazer alterações na Resolução editada pelo mesmo. Estou como sempre atento a todas as questões que envolvam o dia a dia de nossos Policiais e Bombeiros Militares. Deputado Sargento Rodrigues. Vice Líder do PDT Vice Presidente da Comissão de Segurança Pública

Homenagem ao Dia das Mães 

Sexta, 10 Maio 2013 12:42


Página 49 de 88

Novo ponto de Atendimento CUME 

Terça, 14 Maio 2013 12:44


Página 50 de 88

Mais um ponto de atendimento CUME! Agende suas viagens, marque o seu atendimento jurídico ou psicológico e tudo o mais que a CUME oferece a seu associado agora mais perto de você. Rua Ritápolis, 190, Candelária - BH

https://maps.google.com.br/maps?q=R.+Rit%C3%A1polis,+40++Venda+Nova,+Belo+Horizonte+-+MG&hl=pt-BR&ie=UTF8&sll=-18.577962,45.451757&sspn=11.293476,21.643066&oq=R.+Rit%C3%A1polis,+40++Venda+Nova,+Belo+Horizonte+-+MG&hnear=R.+Rit%C3%A1polis,+40++Venda+Nova,+Belo+Horizonte+-+Minas+Gerais,+31510-340&t=m&z=16

Movimento Salarial de 1997 

Quarta, 15 Maio 2013 14:51


Página 51 de 88

A Associação Central Única dos Militares Estaduais - MG, parabeniza os militares que participaram do movimento de 1997; e em especial ao Sargento Rodrigues pelas conquistas em prol da classe.

Curso de Pintura em Tela. 

Sexta, 14 Junho 2013 11:21


Página 52 de 88

Mais uma vez pensando no bem estar do associado e de seus familiares, a Cume trás uma novidade. Estaremos começando um curso de pintura em telas. A pintura além de ser um ótimo passatempo de lazer, também é uma arte que pode render lucros para quem a pratica. O preço será de R$ 60,00 para sócios e R$ 100.00 para não sócios. As aulas serão ministradas na própria sede de Venda Nova às terças-feiras em dois horários. O primeiro de 08:00hs às 11:00hs e o segundo das 14:00 às 17:00hs. Início das aulas, 02/07/2013. Mais informações na associação, (31) 2516-6118 / 3022-6663


Página 53 de 88 Rua Ritápolis, 190, Candelária, Belo Horizonte - MG Não percam essa oportunidade!

Aniversariantes do mês de Julho. 

Segunda, 01 Julho 2013 09:31

Do Presidente Para o Associado! 

Segunda, 01 Julho 2013 17:54


Página 54 de 88

Resolução 4.251, de 9 de maio de 2013 A resolução 4.251, de 09 de maio de 2013, é aquela que diz respeito à implantação de carga horária na Policia militar de Minas Gerais. O que se pretende é aproximar o número de horas trabalhadas pelos militares àquelas trabalhadas pelos empregados comuns. É OBVIAMENTE ABSURDO realizar essa aproximação! O ponto principal aqui destacado é que a função do militar é absolutamente diferente da exercida pelo empregado civil, devido à própria especificidade desta função. Vejamos. Primeiramente temos que o militar não tem uma jornada totalmente pré-definida. O empregado comum, uma vez que chega o final do seu horário, poderá ir embora tranquilamente. Já o policial, não. Se o policial se deparar com uma ocorrência no final de seu turno, deverá realizar todos os atos necessários a realização desta, INDEPENDENTEMENTE do seu horário já ter acabado a muito tempo ou não. Muito importante também é a questão das horas extras. O civil, quando é necessário que trabalhe além do seu horário, será remunerado por isso, em dobro. Já no caso dos militares, com relação há essas horas foi montado um banco de horas que, devido à falta de efetivo, jamais será cumprido. O civil se trabalhar a noite receberá adicional noturno, já o militar apenas um “muito obrigado”. Se exerce função que tenha perigo, receberá adicional de Periculosidade, para o militar o perigo faz parte da sua função. O militar, pela natureza de sua função, é como se estivesse sempre de prontidão, pois, mesmo não estando de serviço, se presenciar uma ocorrência na rua é obrigado a agir.


Página 55 de 88 O que se quer dizer com toda essa comparação é que não é possível aproximar a jornada de trabalho de funções tão diferentes. Não seria justo agravar ainda mais a função do policial, que por natureza já é muito desgastante e até mesmo perigosa, com uma jornada mais longa e exaustiva. Temos que lutar para preservar o direito de permanecer com a característica específica que é necessária ao cumprimento de tão importante e ao mesmo tempo massacrante função, que é a do policial. Conservar a mesma destreza e percepção da atividade, depois de 06 horas trabalhadas sobre clima de tensão como é exigido e pela atividade do policial, é colocar a vida da sociedade em risco. Temos que repensar a aplicabilidade de uma escala de serviço que dê ao profissional de segurança pública, condições de servir a sociedade com cautela. É boa a intenção do legislador, mas se torna equivocada quando compara o militar, cuja função é atípica, a outras atividades exercidas pelo cidadão. Temos que ser tratados pelo que fazemos, não queremos privilégios, só queremos ser valorizados pela função que exercemos.

Walter Carvalho de Souza Fagundes, Sgt PM Presidente CUME

Do Presidente Para o Associado! 

Segunda, 01 Julho 2013 18:00


Página 56 de 88

MOVIMENTO DO POVO BRASILEIRO Nós rotulamos o momento em que estamos vivendo como movimento do povo Brasileiro pela legitimidade e indignação contra tantos atos de corrupção, dinheiro na cueca, mensalão, CPI terminando em pizza, furto de merenda escolar, aposentadorias milionárias de políticos, descaso com o povo, importações com isenção de impostos enquanto o povo paga uma sobrecarga de impostos e não vê nenhum resultado. Os militares, por sua vez, depararam com o novo, o desconhecido, uma juventude politizada que através das redes sociais se organizaram e protestaram contra todo investimento ilegal e fraudulento dos políticos corruptos, os quais deveriam bem cuidar de nossa nação e não o fazem. Chega ser tão vergonhosa a ação dos nossos governantes, cujos perdem a noção do extremo e passam por cima de nossa Constituição, criando o Estado FIFA, local dentro do nosso país em que o povo só pode transitar com autorização da presidente FIFA. O braço do Estado, retratado nas forças públicas, concordando ou não, é obrigado a manter a ordem e preservar a segurança do movimento, desconhecido, até então, pela forma de atuação do povo, mas sendo justa em sua complexidade. Contudo, é preciso destacar as ações da Polícia mineira, especialmente quanto ao preparo de cada policial militar, que garantiu e preservou as justas ações do povo e, ao mesmo tempo, coibiu proativamente as ações de vândalos, que tentaram tirar o mérito da grandiosidade e legitima manifestação de cada cidadão.


Página 57 de 88 O Comando da PMMG, de forma sensata, se posicionou sempre à frente da tropa, com clara demonstração de equilíbrio, especialmente ao falar com a mídia televisada e escrita. Além disso, através da intranet, soube valorizar os integrantes da instituição, agradecendo a ação de cada militar que não fugiu à luta e combateu o desconhecido, sem desvalorizar a ação legitima do povo de Minas Gerais. São muitos os atos e fatos que devem ser destacados, em primeiro lugar a ação ordeira e pacifica do povo, a ação de cada militar que soube separar as manifestações isoladas de vandalismo, chegando inclusive ao ponto de receber abraços de manifestantes que diziam “a luta é nossa e estamos juntos por um país melhor”. Em meio à tensão, bombas, tiros de bala de borracha e a incerteza, este Presidente da CUME teve a oportunidade de trabalhar sob o comando de um grandioso oficial, que faço questão de citar o nome, se tratando do Major Westerley, Sub Comandante do 13º BPM. A tropa do Batalhão Metrópole trabalhou vários serviços de forma improvisada e precária, em que uns tinham capacetes de proteção, outros não, com apenas um lanche de improviso e com emprego de cerca de 13 horas à pé. Porém, o Major Westerley, destacadamente, demonstrando envolvimento com seus subordinados, pediu 15 voluntários para trabalhar com ele, quando providenciou desde equipamentos até alimentação para que pudessem exercer a função de defesa da sociedade de forma digna. Ao final do serviço, esse nobre e operoso Oficial não deixou de agradecer a tropa pela atuação no movimento, demonstrando respeito e compromisso com a instituição e seus integrantes. Creditamos nota dez à tropa pela brilhante atuação, como também ao comandante Geral da PMMG pelo preparo profissional frente ao movimento. Mas, especialmente, destacamos o trabalho realizado pelo Sub Comandante do 13º BPM, que de forma exemplar soube entender a importância do trabalho de cada militar sob seu comando. Walter Carvalho de Souza Fagundes, Sgt PM. Presidente CUME

Os advogados CUME vão a corregedoria da PMMG em defesa dos direitos humanos dos Policiais Militares. 

Segunda, 01 Julho 2013 18:34


Página 58 de 88

MOVIMENTO DO POVO BRASILEIRO E SEUS DESENCANTOS Tem um vídeo circulando pelo Facebook de forma maliciosa, tentando incriminar os militares. Vamos, antes de julgar, analisar o que aconteceu no local realmente. Chegou um cidadão procurando ajuda, dizendo que alguém caiu do viaduto. Em seguida, dentro do mesmo dialogo, o militar receoso de ser uma armadilha dos manifestantes, pede para que o cidadão ou Manifestante que o procurou, pedisse as pessoas para se afastarem, para que pudessem prestar socorro, ou se houvesse condições, trazer o individuo para ser socorrido. A situação se encontrava ainda mais complicada porque estavam em meio a guerra entre bombas, e toda a discussão aconteceu dentro de um mesmo contexto confuso, depois dos militares insistirem para que as pessoas saíssem do local para socorrerem o manifestante, ou que tirassem o mesmo da multidão para ser socorrido. No vídeo só aparece o final da conversa, a parte onde são proferidas supostas ofensas aos manifestantes. Cortaram a maior parte tentando incriminar os profissionais de segurança que ali se encontravam para defender a sociedade. Com muita insistência por parte do manifestante ou de um suposto guerrilheiro que poderia estar armando uma armadilha para os militares, alguém diz “vamos socorre-lo” , com receio colocar a vida dos miliares em risco, alguém responde “ não estava rezando”, outra pessoa ao final do dialogo, diz ainda “pode deixar ele estava na confusão”, isto depois de muita conversa. Sacanagem é pegar o final da discussão para incriminar os policiais, pois posterior ao ocorrido às publicações jornalísticas mostram que em uma ação dos manifestantes desordenada, os manifestantes forçaram a passagem e os militares reagiram. Muitas pessoas que estavam no protesto tentaram impedir a confusão, mas naquela hora ninguém tinha controle da situação e a Avenida Antônio Carlos virou uma praça de guerra. Pedras e paus foram atirados contra a linha policial que os respondeu com bombas e gás de efeito moral além de tiros de borracha. O confronto durou cerca de meia hora, momento em que surgiu um individuo e ocorreu toda a discussão, grande sacanagem a publicação de um vídeo sensacionalista tentando tirar o mérito de uma ação policial digna de elogio.


Página 59 de 88

Walter Carvalho de Souza Fagundes Presidente CUME

Parabéns aos Bombeiros Militares 

Terça, 02 Julho 2013 09:39

O que é a CUME para você? 

Quarta, 03 Julho 2013 10:58


Página 60 de 88

O que é a CUME para você ?

Aqui neste espaço você emite opiniões positivas ou negativas, sugere, dá parecer sobre assuntos de seu interesse, como forma de uniformizar e melhorar nosso atendimento perante o associado e dependentes. Entre em contato conosco por e-mail através do Fale Conosco, ou nos telefones da associação que estão disponíveis no site, sua opinião e muito importante para nós pois:

Unidos Seremos Mais!

SGT PEDRO LUCIO

AGRADEÇO A DEUS PELAS VIDAS DE TODOS OS DIRETORES, FILIADOS E FUNCIONÁRIOS PELO EMPENHO AO RETORNO DO SOLDADO RENATO. AO PRESIDENTE SR. SGT WALTER, SR.CEL E DR. ADILSON, DRA REGINA SAFE E OUTROS, MUITO OBRIGADO!!! MAIS UMA VEZ A JUSTIÇA FOI FEITA!!!


Página 61 de 88 NÃO PAREM. AINDA BEM QUE NOS ASSOCIADOS, TEMOS ALGUÉM QUE INTERCEDE POR NOSSA JUSTIÇA.

CONTE COMIGO SEMPRE! "EU SOU CUME"...

Do Presidente Para o Associado! 

Terça, 09 Julho 2013 12:11

A ADMINISTRAÇÃO DA PMMG MERECE RESPEITO

A Policia Militar de Minas Gerais possui Unidades especializadas, para atuar em cada área especifica, com tropa preparada para agir nos diversos tipos de conflitos, podendo ser citado: GATE, ROTAM, Cavalaria, Canil, Companhias Tático Móvel dos Batalhões etc. Ocorre que, pela falta de investimento em segurança pública e pela carência de um maior efetivo, os Comandantes tiveram que usar a administração no policiamento das manifestações populares recentes, quando o ideal seria o emprego da tropa especializada. Pasmem caríssimos leitores! Naquele vídeo em que alguns militares comentaram que vândalos não estavam rezando, pois ocorria deflagração de bombas, tiros de balas de borrachas, pauladas e pedradas, a tropa administrativa atuava sem nenhuma preparação e/ou treinamento adequado e sem portarem equipamentos de segurança. Boa parte daqueles que atuavam e se sacrificavam em defesa da sociedade não eram componentes da tropa especializada, conforme previsto. Devido à falta de investimento em segurança pública, reiteramos, usaram os militares da administração das Unidades, que estavam totalmente despreparados para aquela atividade. Senhores, o pior é que esses militares da administração, vítimas de um sistema falido e sem investimento, colocaram suas vidas em risco, por não possuírem sequer um capacete de proteção. Ainda assim, hoje esses honrados e sacrificados policiais estão sendo torturados com interrogatórios injustos sobre suas ações legítimas, pela Corregedoria de Polícia Militar. Daí questionamos, onde estão às comissões de Direitos Humanos? Amanhã, dia 09/07/2013-Ter, os advogados da CUME irão à Corregedoria defender mais um militar especialista, que trabalha como lanterneiro de um Batalhão da PMMG, o qual foi empregado no lugar da tropa especializada (de choque) e ainda é obrigado a passar uma desgastante e humilhante sabatina na Corregedoria.


Página 62 de 88 Mas tenham todos certeza!!! Esse honrado policial militar, que é associado da CUME, não estará sozinho, pelo contrário, estará acompanhado de uma equipe de Advogados altamente capacitados a garantir-lhe todos os Direitos Constitucionais. De resto, nos sobra a vergonha da ação dos políticos mineiros e do Brasil, que não enxergam nada disso. Alguns se limitam a colocar faixas nas portas de Batalhões, sob a falácia travestida de defensores dos Direitos Humanos dos militares. Na realidade são covardes e se escondem, fingindo não saber o que verdadeiramente está acontecendo. Não precisamos de muitas entidades, precisamos de vergonha na cara, nossos militares merecem respeito!!! É preciso que vejam no rosto de cada militar a tristeza em ser submetido à tamanha humilhação de ser levado à Corregedoria, mesmo depois de ter sido empenhado sem preparo, treinamento e sem a mínima condição de sua segurança. É muita humilhação, uma grande sacanagem, muita sacanagem!!!

Parabéns Sr. Comandante! 

Sexta, 19 Julho 2013 12:00


Página 63 de 88

Prezado (a) Policial Militar,

O Exmo. Sr. Governador do Estado, Antônio Anastasia, acaba de promover mais uma política de valorização dos policiais militares e de investimento na segurança pública. Trata-se da autorização para o aproveitamento dos candidatos excedentes do concurso do CFO. Serão convocados 70 candidatos excedentes deste concurso. Há que se ressaltar o enorme impacto positivo no interesse público, pois possibilitará que 119 cargos de 2º Tenente do QOPM sejam preenchidos a partir de 2014, quando da formatura das turmas. Além disso, também serão aproveitados 26 candidatos excedentes do concurso do CHO. Essa medida possibilitará o reconhecimento dos policiais militares que se dedicaram aos estudos, na busca do crescimento profissional e ascensão na carreira. Estas providências atestam a grande importância atribuída pelo Governo do Estado e pelo Comando da Polícia Militar às questões sociais, sempre em defesa do interesse público, conjugado aos nobres interesses dos policiais militares.

Colégio Tiradentes de Uberaba é destaque no Estado 

Sexta, 19 Julho 2013 14:01


Página 64 de 88

Para acompanhar os níveis de proficiências dos alunos do ensino fundamental (a capacidade de ler, escrever, interpretar e fazer sínteses dos textos), o Governo de Minas Gerais, em parceria com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF), desenvolveu o Programa de Avaliação da Alfabetização (PROALFA). Neste mês de março, foram apresentados os resultados do ano de 2012, sendo que a proficiência média das escolas estaduais foi de 598,51 e das escolas municipais ficou no patamar de 556,11. Já o Colégio Tiradentes da cidade de Uberaba obteve a média de 688,97, ficando em segundo lugar entre os 20 (vinte) Colégios Tiradentes da Polícia Militar. Este resultado confirma que a maioria absoluta dos alunos da 3ª série do Ensino Fundamental do Colégio Tiradentes está no patamar recomendável de alfabetização e letramento, bem como que superaram as médias de proficiências alcançadas pelas escolas estaduais e municipais. A Coronel PM Rosângela de Souza Freitas, Diretora de Educação Escolar e Assistência Social da Polícia Militar, parabenizou as Unidades dos Colégios Tiradentes pelo comprometimento e dedicação dos profissionais da educação, que contribuíram de forma efetiva para o sucesso da trajetória escolar dos alunos dos Colégios Tiradentes.


Página 65 de 88

Governo de Minas quer jogar os servidores Públicos na vala comum. 

Terça, 23 Julho 2013 17:17

A nova Lei de Previdência do servidor Público – em especial o Policial Militar Como já foi discutido várias vezes em diversas reuniões de que participaram representantes da CUME, existe hoje uma tendência a equiparar o regime previdenciário especial do servidor militar àquele do regime geral. Bem, agora o que era antes apenas uma possibilidade se aproxima de virar realidade. Hoje foi encaminhada a SEPLAG (Secretaria de Projeto e Gestão) uma minuta de projeto de lei que instituirá um sistema de previdência complementar para aqueles que desejarem a aposentadoria integral. Essa nova regra passará a valer para quem ingressar no serviço público a partir do sanção da lei. A aposentadoria desses servidores passará a respeitar o teto normal do INSS de R$ 4.159,00, e aqueles que desejassem complementa-la, deveria pagar outros 7,5% de desconto mensal além dos habituais 11,5% que já são cobrados. A precisão é o que o projeto de lei seja efetivamente apresentado a Assembleia em agosto. Tal iniciativa é completamente absurda. Não é justo se retirar do policial militar, que já é uma classe tão sacrificada pelas exigências de sua função, um dos seus tão poucos privilégios.


Página 66 de 88 São claras as diferenças entre o regime de trabalho daqueles que se enquadram no regime geral e dos policiais militares. Porque então, deveriam ter o mesmo regime previdenciário? O Estado nesse momento não deveria se preocupar em cortar os gastos da previdência dessa forma arbitrária. Mas sim, fazer o devido repasse de verbas que, como é sabido por todos, no caso da Polícia Militar é feito a menor. Segundo as normas da própria PMMG, o IPSM deveria passar o dobro do que é recolhido com as contribuições previdenciárias para pagar as aposentadorias dos reformados, num total de 23%. Atualmente, só são repassados 16%. Essa é a posição da CUME com relação ao assunto. Somos totalmente contrários a aprovação desta lei, que nada mais é do que uma medida de sacrificar os policiais militares, que já tem tão pouco apoio do Estado que se sacrificam para defender.

Walter Carvalho de Souza Fagundes Presidente CUME

Homenagem por Destaque Profissional 

Sexta, 26 Julho 2013 15:11


Página 67 de 88

Em mais uma iniciativa de mostrar aos nossos colegas e associados o valor que lhes conferimos, a CUME ontem realizou um evento Homenageando os profissionais destaque do ano. É a nossa iniciativa sincera de recompensar aqueles, não apenas os policiais, mas todo os profissionais que trabalham no ramo da segurança pública. É a árdua a função daqueles que abdicam da sua própria tranquilidade para garantir que o resto da sociedade possa viver em paz. Foi uma mostra a esses dedicados profissionais que estamos vendo o maravilhoso trabalho que tem desempenhado, e que estamos lhes conferindo o devido valor. Obrigado pelo seu esforço. Finalmente gostaríamos de ressaltar com um carinho especial que um dos organizadores foi o nosso querido Sargento Campolina, e que direcionar a ele nosso carinho e nossas preces.

Homenagem Prestada Pela CUME na Câmara Municipal de BH. 

Segunda, 05 Agosto 2013 13:18


Página 68 de 88

No dia 02 de agosto de 2013, a Associação Central Única dos Militares Estaduais – MG, com apoio do Vereador Vilmo Gomes, realizou na Câmara Municipal de Belo Horizonte, o "Primeiro encontro dos candidatos Militares no pleito de 2102, em homenagem ás autoridades e Instituições que vem lutando pela melhoria dos serviços prestados pela Policia e Bombeiro Militar. O evento ocorreu de forma descontraída no plenário da Câmara, onde a Musicista e Saxofonista Gabriele costa deixou a plateia calada e emocionada ao Cantar, acapela, o Hino Nacional Brasileiro, e solar uma linda canção Barroca. O Sgt Claudio Cassimiro Dias, ator, poeta e membro da Academia Mineira de letras, veio de longe com seu personagem Zé Mineiro, recitar Terras gerais, de sua autoria, arrancando gargalhadas de todos. O presidente da CUME, Sgt Walter Carvalho de Souza Fagundes, em seu discurso, afirmou da necessidade de união entre as entidades pela representatividade politica, visando fortalecimento das Instituições Militares Estaduais. Os homenageados presentes foram, os militares candidatos ao pleito de 2012, autoridades e Entidades de Classe, quais sejam, Deputado Estadual Cabo Júlio, os Vereadores de Belo Horizonte Cel PM Piccinini e Sub Ten Vilmo Gomes, Os juízes da Justiça Militar Doutores André Mourão e Paulo Tadeu, os representantes das associações, ASCOBOM, COPM, AOPMMG, ASPRA, COOPENG, ANPM/BMPM, UMMG, os doutores Adilson Vieira e Regina Safe, o jornalista e apresentador Laudivio Carvalho e a senhora Renata Pimenta do Blog da Renata, alguns dos candidatos no pleito de 2012. Após a cerimonia todos aproveitaram um delicioso coquetel e entre parabéns e bate-papo ficou evidenciado o verdadeiro "espirito de corpo militar”, deixando o gostinho de quero mais.

Reunião com o Comandante Geral da PMMG 

Quarta, 07 Agosto 2013 16:45


Página 69 de 88

Em Reunião da Diretoria da Associação Central Única dos Militares Estaduais - MG, com o Comandante Geral da PMMG, dia 07 de agosto de 2013.

O Presidente da CUME Walter Carvalho de Souza Fagundes, e os diretores, Ten Ribeiro, Sub Ten Wesley, Sub Ten André, Sgt Hélio, Sgt Tarcísio e Dr Luciana Stancioli, compareceram a Cidade Administrativa para uma reunião com o Comandante Geral de Polícia. A pauta a ser discutida era composta por três tópicos: O aumento exagerado no preço do fardamento; As medidas que estão e serão adotadas em face da atuação dos militares nas manifestações populares recentes e tratamento das apurações por parte da Corregedoria; Carga horária a ser implementada. O Coronel Santana recebeu de forma atenciosa os diretores da CUME, se mostrando muito disposto a discutir todas as questões suscitadas e abrindo espaço para que todos os membros da diretoria pudessem se manifestar. O Comandante Geral da PMMG recebeu ainda vários elogios do nosso Presidente com relação a forma como tratou a situação das Manifestações. Depois de uma longa reunião, esta estendeu-se por quase duas horas, o Comandante Geral da PMMG, adotou os posicionamentos narrados a seguir. Primeiramente, com relação ao fardamento, alegou que o preço teria aumentado porque a qualidade do material oferecido era agora superior. Porém apontou que mesmo em se tratando de materiais melhores, o preço agora cobrado ainda era muito mais alto do que o anterior, se


Página 70 de 88 tornando desproporcional. Portanto se predispôs a se reunir com as empresas responsáveis e discutir a tabela de preços. Com relação as manifestações, explicou se tratar de situação atípica, e que portanto teria um tratamento diferenciado. Salientou que embora sejam muitas as instituições externas que cobrem esclarecimentos acerca dos atos dos policiais militares, a Polícia Militar levaria em consideração o caráter excepcional da situação, e em especial, a questão de que a maior parte dos policiais estavam com equipamentos abaixo do padrão ideal de qualidade e exercendo funções diversas daquelas que normalmente exerciam, porque o momento exigia. Finalmente no que tange a escala, alegou que infelizmente a escala tem que se adaptar as demandas da sociedade. Mas que tentaria, da melhor maneira possível, adaptar também essa escala as necessidades da tropa, tentando fazer o que fosse possível para atender a conveniência dos policiais militares. Enfim, acreditamos que foi produtiva a reunião e continuaremos trabalhando pela preservação dos direitos dos integrantes de nossa instituição, deixando nossos agradecimentos ao Coronel Santana, pela maneira sensata que nos atendeu.

Militares traçam estratégias para eleger deputados estaduais e federais 

Segunda, 26 Agosto 2013 15:57


Página 71 de 88

PMs e ex-companheiros de quartel com mandato no Legislativo montam estratégia para ampliar presença da categoria na política mineira

Isabella Souto Publicação: 26/08/2013 00:12 Atualização: 26/08/2013 07:24 (Arte/EM)

De olho em mais representatividade política, militares que são possíveis candidatos nas eleições de 2014 já começaram a traçar estratégias para tentar eleger dois deputados federais e quatro estaduais. Dois encontros foram realizados recentemente para avaliar o desempenho dos policiais nas últimas eleições: dos 351 policiais e bombeiros que se candidataram em todo o estado no ano passado, 32 conseguiram votos para ocupar cadeiras no Legislativo, sendo dois deles em Belo Horizonte – o coronel Piccinini (PSB) e Vilmo Gomes (PTdoB).


Página 72 de 88 Atualmente há ainda dois representantes da Polícia Militar na Assembleia Legislativa: Sargento Rodrigues (PDT) e Cabo Júlio (PMDB) – esse último era suplente, mas assumiu a cadeira com a renúncia do deputado Antônio Júlio (PMDB), eleito prefeito de Pará de Minas em outubro de 2012. Para o presidente da Associação Central Única dos Militares Estaduais (Cume), sargento Walter Carvalho de Souza Fagundes, o número poderia ser maior se houvesse mais organização e maturidade por parte dos candidatos e das entidades representativas da PM.

“Temos que fazer nomes que tenham condições de se candidatar e ganhar. E trabalhar uma conscientização política. Estamos em um processo de amadurecimento político e a visão futurista é fazer uma bancada da segurança pública”, aposta o sargento Walter. Em encontro realizado no dia 2, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, um dos pontos discutidos foi a recomendação para que aqueles que encontram dificuldades em se candidatar apoiem outros colegas. Outro alerta é que não dá para os candidatos contarem apenas com o voto dos militares.

Foi o que fez o vereador Vilmo, depois de perder duas eleições consecutivas para a Câmara de Belo Horizonte. “O que precisa é que o candidato participe mais dos problemas da sociedade. Para ser eleito, precisa do voto de toda a sociedade”, ensina. Uma boa bandeira é o aumento da criminalidade, que segundo a categoria é resultado da falta de investimentos específicos e da legislação em vigor. “Tal situação não é consequência da atuação das polícias Militar e Civil ou do Poder Judiciário”, discursou Vilmo, no encontro do início deste mês.

Por enquanto não há qualquer orientação partidária, até porque os militares não precisam de pressa: eles podem se filiar a um partido político até três meses antes do início da campanha eleitoral, ou seja, até abril. A princípio cada candidato poderá escolher a qual legenda se filiar, mas a ideia é que optem por partidos em que seja possível a eleição com menos votos. Para ter uma ideia, os quatro parlamentares militares de Minas Gerais pertencem, cada um, a uma legenda diferente.

Como servidores públicos, os policiais militares ainda têm direito a licença remunerada para fazer campanha. Se eleitos, vão para a reserva e recebem uma aposentadoria proporcional ao tempo de serviço: cada ano equivale a um dia de salário.

QUARTEL Além da pouca experiência política e da falta de recursos para fazer campanha, o presidente do Cume lembra que uma grande dificuldade encontrada pelos candidatos que são policiais militares é a falta de apoio do comando da corporação e de várias entidades da categoria. “Nem a abertura nos quartéis para a divulgação das candidaturas temos”, lamenta o sargento Walter.


Página 73 de 88 Sem dinheiro, os candidatos acabam contando apenas com a divulgação nos programas gratuitos de rádio e televisão. Recentemente representantes de entidades dos militares tiveram um encontro com o comandante da PM, coronel Márcio Martins Sant’Ana, para tratar das eleições do ano que vem. A assessoria de imprensa da Polícia Militar foi procurada pela reportagem, mas não retornou o pedido de entrevista com o comandante.

Movimento grevista MEMÓRIA

A participação de militares na política teve como marco as eleições de 1998 – a primeira depois do movimento grevista do ano anterior, que resultou na morte do cabo Valério dos Santos Oliveira, de 36 anos, com um tiro na cabeça. No ano seguinte, três dos líderes da greve foram eleitos: Cabo Júlio (Câmara dos Deputados) e Sargento Rodrigues e Cabo Morais paraaAssembleia Legislativa. O primeiro foi eleito o deputado federal mais votado nas eleições de 1998, cargo para o qual se reelegeu em 2002. Sargento Rodrigues está naAssembleia há quatro mandatos. Cabo Morais cumpriu dois mandatos de deputado estadual.

Senado aprova proposta para médico militar atuar no SUS 

Terça, 13 Agosto 2013 09:30


Página 74 de 88

Senado aprova propostas para médico militar atuar no SUS.

Projeto autoriza trabalho em postos e hospitais civis fora do expediente. O Senado aprovou ontem, em dois turnos, proposta de emenda constitucional que autoriza médicos militares a trabalharem em postos e hospitais civis fora de seu expediente militar. A proposta, que segue para a Câmara, vale para médicos militares na ativa e aposentados das três Forças Armadas e dos Bombeiros. Segundo o ministro Alexandre Padilha (Saúde), o projeto trará benefícios à rede pública de saúde, porque liberará médicos militares a darem plantões no SUS à noite e nos finais de semana. E, no caso de médicos que têm jornada semanal de 20 horas na esfera militar, permite que esses profissionais trabalhem um segundo turno em hospitais civis. O texto autoriza o médico a atuar tanto na rede pública quanto na privada. Segundo o relator da PEC, senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), a expectativa é que os médicos acabem indo para o SUS. “As áreas mais necessitadas [de médicos] são o Norte e o Nordeste, onde o militar tem pouca opção de trabalho em locais privados”, afirma o senador.


Página 75 de 88 O ministro da saúde estimou em 6.000 os profissionais atingidos pela proposta. O Ministério da Defesa afirma que há 3.800 médicos militares na ativa. O relator da PEC calcula que, reunindo os da ativa e os aposentados, a proposta alcançará até 7.000 médicos. Segundo a Defesa, a maior parte dos médicos militares trabalha em regime de 40 horas semanais, que pode ser alterado por necessidades locais e pelos comandos. A pasta não soube informar a localização exata desses médicos. Disse apenas que estão mais presentes em capitais e grandes centros.

Mais médicos

Ontem o Congresso não conseguiu instalar a comissão que analisará a medida provisória do programa Mais Médicos, lançado em julho para fixar médicos no interior e ampliar a duração dos cursos de medicina. Deputados da bancada médica, inclusive de partidos aliados da presidente Dilma Rousseff, boicotaram a reunião e não registraram presença. A instalação foi remarcada para terça. (Gabriela Guerreiro e Johanna Nublat)

APOSENTADORIA AOS 25 ANOS DE SERVIÇO 

Terça, 27 Agosto 2013 13:38


Página 76 de 88

A ESPERANÇA DE QUE TAL DECISÃO SEJA CUMPRIDA EM TODOS OS ESTADOS BRASILEIROS, AFINAL A DECISÃO É ERGA OMNES, É UM ATO, LEI OU DECISÃO QUE A TODOS OBRIGA OU SOBRE TODOS TEM EFEITO.

STF reconhece direito de policiais militares se aposentarem com 25 anos de serviço Ampliar Foto STF reconhece direito de policiais militares se aposentarem com 25 anos de serviço Todos os policiais e bombeiros militares conquistaram o direito de se aposentarem, com proventos integrais, aos 25 anos de serviços prestados à Polícia Militar. Esse é o novo entendimento dos Supremo Tribunal Federal e do Tribunal de Justiça de São Paulo. Tais entendimentos foram emitidos em sede de Mandado de Injunção, que é uma ação movida quando não existe uma lei que trate de algum direito constitucional.

De fato, a aposentadoria especial por periculosidade está prevista no Art. 40, § 4º da Constituição Federal de 1988, e até o presente momento em São Paulo, o Governo do Estado nada fez para editar lei que regulamente tal direito. Dessa forma, os Desembargadores reconheceram que a atividade policial militar é de fato de alta periculosidade, e por isso, determinaram que a lei aplicável ao Regime Geral de Previdência (Lei 8213) seja agora aplicável ao policial militar, em face da demora do legislador paulista. Com isso, os Tribunais demonstram cada vez mais a nova visão no sentido de que cabe ao Poder judiciário legislar positivamente, em face da demora do Poder Legislativo, considerando o interesse público.


Página 77 de 88 O melhor de tudo é que Judicário reconheceu que tais decisões são "erga omnes", ou seja, se aplicam a todos os demais integrantes da carreira policial (civil ou militar), e tal aposentadoria DEVE SER REQUERIDA NA VIA ADMINISTRATIVA AO COMANDANTE IMEDIATAMENTE SUPERIOR, requerimento este que não pode ser negado, pois do contrário, haverá flagrante desobediência à ordem judicial da via madamental.

Esperamos agora que as instituições viabilizem o mais rápido possível a concretização de tais direitos, de forma que o policiais militares, bombeiros e policias civis rapidamente concretizem seus direitos de aposentadoria (sem óbces administrativos). Com isso, vê-se que o Poder Judiciário concedeu uma grande valorização da carreira policial, que de fato, é altamente periculosa. A decisão está no acórdão 990100375334 do TJSP. Mandado de Injunção é uma ação movida quando não existe uma Lei que trate de algum Direito Constitucional, pela morosidade de ser criada uma Lei com referência ao Artigo 40 § 4º da Constituição Federal de 1988, como o Governo não fez nada para editar Lei que regulamentasse tal direito. Desta forma os desembargadores reconheceram que a atividade é de fato de alta periculosidade e por isso, determinaram que a Lei aplicável ao regime geral de Previdência (Lei 8.213) seja agora aplicável ao Policial Militar em face da demora do Legislador. Com isso, os tribunais demonstraram a nova visão no sentido de que cabe ao Judiciário Legislar positivamente, em face da demora do Poder Legislativo considerando o interesse público. O bom de tudo isto é que o Poder Judiciário reconheceu que tais decisões se aplicam a todas as demais carreiras Policiais (Civil ou Militar). Tal aposentadoria deve ser deixado bem claro que não é compulsória deve ser requerida na via administrativa ao Comandante imediatamente superior. Esperamos agora que as Instituições viabilizem o mais rápido possível a concretização de tais direitos, de forma que os Policiais tenham seus direitos de aposentadoria e festejem esta nova conquista. Que o entendimento e o bom senso tragam pelo menos a esperança de que tal decisão seja cumprida em todos os estados brasileiros, afinal a decisão é erga omnes, como não sou muito chegado ao latim, explico-me dizendo, que é um ato, lei ou decisão que a todos obriga ou sobre todos tem efeito. Antônio Carlos dos Santos é Bacharel em Comunicação Social, Especialista em Violência, Criminalidade

e

Políticas

Públicas

pela

Ufs

e

acadêmico

de

Direito.

Contato: antoniocarlos@universopolitico.com

NOTA DO COMANDO-GERAL SOBRE O DECRETO DE PROMOÇÕES 

Terça, 27 Agosto 2013 14:27


Página 78 de 88

Prezado Policial Militar,

1. Foram publicados em BGPM (Nº 063/2013, de 22/08/13), na última semana, o Regulamento de Promoção de Praças e o Regulamento de Promoção de Oficiais (RPP e RPO). Estas normas regulam o processo de promoção, de acordo com as alterações inseridas em 2012 no EMEMG. 2. Cumpre salientar que os regulamentos em questão não inovam a ordem jurídica, ou seja, não trazem nada que não esteja previsto e autorizado por lei. Ressalte-se que ambos foram alvo de discussões com as entidades de classe e parlamentares. 3. Feitos os apontamentos anteriores, é importante frisar que não houve qualquer alteração nas regras relacionadas à promoção trintenária. 4. Portanto, respeitados eventuais equívocos de interpretação, o presente esclarecimento visa a dissipar qualquer indício ou rumor de violação de direito em relação à classe dos militares.


Página 79 de 88 5. Os Decretos recentemente publicados (RPO e RPP) se prestam tão somente a instrumentalizar os direitos regularmente previstos no Estatuto do Militares, não possuindo a prerrogativa de modificar o disposto em lei. (a)

MÁRCIO MARTINS SANT’ANA, CORONEL PM COMANDANTE-GERAL

Curso Certo! 

Terça, 27 Agosto 2013 17:13


Página 80 de 88

O curso certo é o novo parceiro da CUME , oferecemos o desconto de 20% , para associados e dependentes .

Cursos práticos : Mestre de obras Pedreiro de alvenaria e acabamento Segurança eletrônica Gesseiro Serralheiro de ferro e aluminio Elétrica predial e industrial Fabricação de peças em fibra de vidro e mármore sintético Pintor predial Bombeiro hidráulico NR10 e outros


Página 81 de 88

Att Alexandre Costa www.ensinoprofissionalizante.com.br (31)34585432 Belo Horizonte

Frustração Profissional 

Quarta, 04 Setembro 2013 17:57

FRUSTRAÇÃO PROFISSIONAL EAP 2013

Absurdo o que está ocorrendo com as provas do EAP, apenas 25% conseguem média de aprovação, após realizarem pela segunda vez a referida prova. O pior é que esta média vale como critério para promoção, pior ainda é a fortuna que o Estado desembolsar para custear a elaboração e aplicação das provas. A penalização aos profissionais de segurança pública, que tem seus sonhos frustrados, pela indústria de avaliação utópica que desanima e desfaz sonhos. Será que estas provas qualificam os profissionais!!!

Nova parceria CUME


Página 82 de 88 

Quinta, 05 Setembro 2013 14:25

O apartamento é de cobertura com 03 pavimentos. São quatro quartos (sendo 02 suítes), mais 02 banheiros sociais, 02 salas, 02 terraços privativos, varanda com churrasqueira e ducha. 02 vagas de garagem.

O prédio possui elevador, porteiro 24hs, portão automático, e salão de jogos.

A localização é do lado direito da Praia do Forte, pro lado do Hotel Joalpa. A melhor referência é o Hotel Acapulco (bem em frente), no Braga.

O endereço é Rua João Antônio Rocha, 120/402, Braga, Cabo Frio/RJ.

Para Refletir. 

Sexta, 06 Setembro 2013 11:12


Página 83 de 88

Torneio de Truco do Clube Topázio 

Sexta, 06 Setembro 2013 12:13


Página 84 de 88

Venha se divertir conosco, domingo dia 22 de Setembro a partir das 10:00hs acontecerá no clube Topázio mais um torneio de truco sensacional! Traga toda a família, o churrasco esta liberado durante toda a duração do evento!

Local: Clube Topázio, Rua João Ferreira da Silva n.º 1900 - Bairro Paraúna Região de Venda Nova No quiosque da Lagoa.

Premiação: 1° Lugar - R$ 700,00 + Troféu 2° Lugar - R$ 300,00 + Troféu 3° Lugar - R$ 200,00 + Troféu

Inscrições: As inscrições são limitadas e serão realizadas ate quarta-feira dia 11/09/2013 ás 17:00hs. Valor: R$ 40,00

Contato: Aguinaldo - 9627-5124

Apoio: Central Única dos Militares Estaduais – CUME

Pronunciamento do vereador a respeito de Segurança Pública 

Quinta, 12 Setembro 2013 15:24


Página 85 de 88

Reforma Previdenciaria 

Quinta, 12 Setembro 2013 15:39

Concurso Público 

Quarta, 25 Setembro 2013 17:21


Página 86 de 88

CONCURSO PÚBLICO: As inscrições vão de 30 de setembro a 24 de outubro e devem ser feitas, exclusivamente pela internet

Com um total de 1.117 vagas, sendo 396 para o nível superior e 721 para o nível médio, o Governo de Minas abriu um concurso público unificado para preenchimento de diversos cargos em órgãos e secretarias do Executivo mineiro. O edital de concurso público da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) foi publicado nesta terça-feira (17), no jornal Minas Gerais. Foto: Reprodução/Blog PSDB Foto: Reprodução/Governo de Minas As inscrições vão de 30 de setembro a 24 de outubro e devem ser feitas, exclusivamente pela internet, no endereço www.ibfc.org.br. As provas estão previstas para o dia 24 de novembro de 2013. A entidade executora do concurso é o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC). Os salários variam entre R$954,55 (nível médio) e R$ 2.983,37 (nível superior) e as vagas são para a capital e também para o interior do Estado. O valor das inscrições é de R$59 para cargos de nível superior e R$46 para os de nível médio. Isenções podem ser solicitadas no período de 23 de setembro a 27 de setembro. O concurso visa preencher vagas em carreiras da: Advocacia Geral do Estado (AGE), Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), de Transportes e Obras Públicas (Setop), Instituto de Previdência dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais (IPSM), Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), Secretaria de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Nordeste de Minas Gerais (Sedvan), de Cultura (SEC), de Esportes e Juventude (SEEJ), de Desenvolvimento Social (Sedese), de Trabalho e Emprego (Sete), de Turismo (Setur), Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig), Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Instituto Estadual de Florestas (IEF), Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).


Página 87 de 88 Edital do Concurso!

Entrega da Medalha de Honra ao Mérito. 

Quinta, 26 Setembro 2013 08:53

Exmos. Senhores,

É com enorme prazer que a Associação Central única Dos Militares Estaduais (CUME) convida aos militares e familiares para nos prestigiarem na entrega da medalha de Honra ao Mérito a ter lugar no próximo dia 30 de outubro de 2013 na Câmara Municipal de Belo Horizonte, a ser realizado no horário das 10 horas. A homenagem em questão são os agradecimentos aos serviços prestados a Sociedade Mineira. Na esperança de podermos contar com a presença de V.Exas., apresentamos os nossos melhores cumprimentos,


Pรกgina 88 de 88

Belo Horizonte, 26 de Setembro de 2013.

____________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________


Cume