Page 168

Marta Ribeiro

do envelope trabalhado, que nem todo mundo trabalhava o envelope, né?! Porque na arte correio você tem o selo, você tem o postal, por isso que eu gosto mais do termo “arte correio” e não “arte postal”. Arte postal foi por causa de uma exposição que Pierre Restany fez só de postais de artistas. Você tem o telegrama, o telex e o conteúdo do envelope, o selo que é feito pelo artista, que hoje é disputado pela filatelia, principalmente canadense. Então no Brasil, nessa época da ditadura, a arte correio foi fundamental pela troca de informação. E quando os artistas eram presos, a gente era ligado aos comitês de anistia internacional, o que funcionava muito bem na época. Então a gente comunicava, e os comitês sabendo, era mais difícil eles matarem aquela pessoa que estava presa, porque todo mundo mandava correspondência e tal. A primeira exposição no Brasil eu fiz com Ypiranga aqui no Recife em 75, Ypiranga Filho, no hospital onde eu trabalhava e ele trabalhava. Eu tenho um catalogozinho, foi uma exposição internacional. Essa que eu fiz com Daniel Santiago nos Correios em 76 foi a segunda, e eu fiz uma terceira em 78 na Biblioteca Pública Estadual aqui, em homenagem a Clemente Padin e Jorge Caraballo, que estavam presos no Uruguai. Essa de 76 foi mais importante, maior de que as outras, porque tinha cerca de três mil trabalhos, vinte e um países e estavam representados todos os segmentos. Eu tenho um arquivo, que hoje é um dos maiores do mundo, eu conheço todos os arquivos que existem. Uma coisa que é engraçada é que arte correio está nas mãos dos artistas, a crítica com raras exceções, A Rolling Stone em Nova Iorque publicou alguma coisa, saíram pouquíssimas coisas na época e tanto a crítica quanto a imprensa, quanto os museus, as instituições passaram à margem. Relegaram o movimento. Então hoje os acervos estão nas mãos dos artistas. Eu estive recente no MoMA, adquiriam obras minha, e tinham já obras minha lá, é uma dificuldade para catalogação. Tanto o MoMA quanto a Tate. Eu estive também recente mente na Tate de Londres e eles receberam doação do Robin Crozier do Fluxus, que tem trabalho meu por causa da correspondência. O dilema é o seguinte: fica na parte de correspondência ou vai para o acervo? Porque se 166

Profile for Correios Cultura

Revista Postais 03 - 2014  

Revista do Museu Correios - Dossiê Cartão-Postal. Artigos de Adriano Comissoli, Edithe Pereira, João Pinheiro de Barros Neto, José Carlos Da...

Revista Postais 03 - 2014  

Revista do Museu Correios - Dossiê Cartão-Postal. Artigos de Adriano Comissoli, Edithe Pereira, João Pinheiro de Barros Neto, José Carlos Da...

Advertisement