Page 96

Diego A. Salcedo Adriana Santana

nos selos postais brasileiros condensa algumas características recorrentes e que podem ser avaliadas como “positivas”. Os 18 selos analisados prestam homenagem a jornalistas que são: homens; que atuaram em veículos de destaque; militaram na imprensa em prol de grandes causas; dirigiram ou fundaram jornais de grande representatividade no Brasil; e que, ainda, estão fortemente associados a um histórico de erudição, intelectualidade, alta cultura e, em casos como o de Rui Barbosa, mesmo à genialidade.

Figura 18 - Diário de Pernambuco (1995). Acerco - Museu Nacional dos Correios.

Figura 19 - 5° Congresso Nacional de Jornalistas (1953). Acerco - Museu Nacional dos Correios.

96

A ideia de um jornalismo combativo e defensor de causas, uma leitura que pode advir do breve resgate biográfico dos jornalistas que tiveram suas histórias eternizadas em selos, apresenta uma dissociação com as preconizadas imparcialidade e objetividade da práxis jornalística. Contudo, parece também se aproximar do senso comum, do “universo consensual” (MOSCOVICI, 2003) em torno da identidade profissional e pessoal do jornalista. Apesar de sempre “contraditória” (RIBEIRO, 1994, p. 165) e historicamente ocupando espaços pouco privilegiados na esfera das profissões (TRAQUINA, 2004), esta identidade ainda conserva alguma associação com o imaginário “romântico” que envolve a atividade: a do estereótipo do repórter infatigável, 24 horas em alerta, que não se furta a sacrificar a vida pessoal em nome de uma grande e nobre causa social.

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...

Advertisement