Page 65

Nações de Papel: os selos postais e as imagens fundacionais na América do Sul

colonial, procurando resgatar o esplendor do Império Espanhol, associava-se ao ímpeto civilizador, com todos os componentes a ele inerentes (BURUCUA; CAMPAGNE, 2003, p. 473). Finalmente teríamos a série emitida entre 1899 e 1903. Nela constatamos, novamente, a combinação de elementos simbólicos europeus e americanos. No primeiro caso destacamos a figura emblemática da Marianne, fortemente arraigada aos ideais republicanos e revolucionários de 178910. No tocante aos símbolos produzidos a partir de referenciais americanos constatamos a presença do sol a da “paisagem incomensurável” ou a llanura e do sol. A presença desses últimos símbolos pode ser entendida como nova evidência do resgate dos valores e tradições de um período colonial no qual a Espanha desempenhava o papel de pátria mãe civilizadora. Ao mesmo tempo, fundamentavam a produção do que então se considerava um Volkgeist argentino. Quanto às armas nacionais, conforme já falamos, incorporavam em si mesmas essa dialética entre símbolos do Novo e do Velho Mundo. A leitura das imagens contidas nos selos argentinos, emitidos entre 1864 e 1903, possibilita, como esperamos ter demonstrado, chegarmos à dinâmica e aos principais elementos atuantes na produção da cultura política desse período. Nesse sentido podemos ainda constatar que a construção dos símbolos nacionais, e, portanto das imagens oficiais do Estado, embora tenha se desenvolvido a partir de momentos e estímulos diferenciados, não pode ser pensada como algo compartimentarizado. Isso se torna evidente quando as permanências e continuidades se tornam verificáveis na sucessão desses momentos. No Brasil o selo postal passou a ser utilizado pouco depois da Inglaterra, sendo nosso país o terceiro a emitir selos e o segundo Estado a utilizá-lo regularmente em seu serviço de correios. O advento é resultado dos Decretos 254 e 255 de 29 de novembro de 1842 do imperador D. Pedro II, que propunham a reforma dos Correios Brasileiros. Foram três selos nos valores de 30, 60 e 90 réis, projeto dos gravadores Carlos Custódio de

10. Em relação à criação e a importância simbólica da Marianne sugerimos os estudos de Maurice Agulhon. Cf: ROSANVALLON, 1995.

Figura 2: Selos emitidos pela República Argentina, entre 1899 e 1903, retratando a Marianne com as Armas Nacionais. Ao fundo destaca-se o sol e a paisagem americana. Acervo do autor.

65

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...

Advertisement