Page 54

Luciano Mendes Cabral

5. Nessa análise utilizamos o conceito de símbolo e de poder simbólico, conforme foram propostos por Pierre Bourdieu. Nos capítulos seguintes discutiremos mais detidamente a aplicação desses referenciais conceituais aos selos moedas e imagens neles contidas. 6. Nessa análise utilizamos os conceitos de Aparelho Estatal e de Aparelhos Ideológicos do estado de Althusser (1985, p. 66-72).

resultados da remessa e entrega de correspondências, estaria associada a um movimento mais amplo de incremento dos meios de comunicação. Sistemas de correios mais eficazes, não só reduzem custos e despesas, como também levam o poder do Estado, e o próprio Estado, a regiões cada vez mais distantes do território. Dessa forma tais regiões, bem como seus habitantes, estariam mais fortemente vinculadas a um governo que, mesmo espacialmente afastado, é capaz de se comunicar e fazer presente em tempo relativamente curto e de forma eficaz. Nesse aspecto os selos ganham uma relevância maior. Em função das imagens de que são veículos e das múltiplas leituras que podemos fazer desse discurso imagético, podem ser pensados também como fontes históricas. Passam a desempenhar a função de suportes para símbolos desse Estado que pretende atuar em todo o seu território, estando revestidos de um poder simbólico (BORDIEU, 2003)5 engajado na construção e na consolidação do Aparelho Estatal6. Não é por acaso que nesse momento as primeiras emissões de selos postais estampam, na maioria das vezes, a efígie dos soberanos ou governantes então no poder. Relacionamos, a seguir, alguns exemplos que confirmam nossa proposição: a rainha Vitória nos selos ingleses em 1840; D Maria II em Portugal em 1853; Napoleão III na França em 1853; Frederico Guilherme IV na Prússia em 1850; Frederico Augusto II no Saxe em 1851; Francisco José I na Áustria em 1858; Leopoldo I na Bélgica em 1849; Isabel II na Espanha em 1850; Guilherme III na Holanda em 1852; Miguel III no Principado da Sérvia em 1866 além de importantes figuras do movimento emancipacionista e constitucionalista nos selos das repúblicas americanas nesse mesmo período (YVERT; TELLIER, 1976, tome I e II). O trabalho sobre os selos postais tanto como objeto de estudos quanto como fontes históricas, nos remete a outro importante elemento da cultura política do século XIX: a produção de uma idéia de nação. A construção dos Estados Nacionais implicava o

54

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...

Advertisement