Page 200

Ernesto de Melo e Castro

O correio, como a sociedade post industrial o entendeu, é um serviço público de comunicação. E como tal é um meio através do qual as mensagens (cartas, bilhetes, volumes) vão do remetente ao destinatário. Mas o correio realiza o transporte físico dessas mensagens ignorando o teor informativo ou significativo do que transporta. A essência mesma do correio, como serviço público é precisamente essa ignorância, ou seja, a garantia de inviolabilidade da correspondência. O correio pode normalizar o formato das cartas e o tamanho das encomendas, mas não pode interferir no seu conteúdo, não pode violar, alterar ou destruir as mensagens que transporta, com o que destruiria a sua própria função e razão de existir. Se o fizer, transforma-se em inimigo público; numa forma de repressão, ao serviço de um opressor. Opressor que assim interfere no sistema de comunicação (através de uma forma de RUÍDO) privando os indivíduos da sua liberdade de expressão ou agindo sobre eles como intimidante coercivo. 2. Optamos por manter, nesta edição, a forma original ARTECORREIO utilizada pelo autor, por entendermos que, ao unir duas palavras usualmente separadas em um vocábulo composto, reforçam-se as ideias de uma nova forma de arte e de uma nova linguagem que têm no uso do serviço postal as suas formas/ matéria. (Nota do Editor)

200

A violação, censura e desvio da correspondência é uma prática fascista que entre nós foi muito usada (tal como as escutas telefônicas) como arma de política totalitária e repressiva. Mas se o correio para ser correio (e não “correia” ou arma de punição) não deve interferir nas mensagens que transporta, as mensagens essas podem e devem interferir na natureza e função da instituição que as transporta. É essa a descoberta da ARTE-CORREIO2 , a sua novidade e a sua força: transformar um simples serviço público transportador ou veículo neutro sob o ponto de vista semântico, num produtor de cultura, num gerador de criatividade.

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...

Advertisement