Page 103

Exposições Filatélicas Brasilianas como palco para arte e a ciência de colecionar selos

Quase meio século depois, um Brasil completamente diferente abre suas portas a filatelistas de todo o mundo para a BRASILIANA 2013. O mesmo País que, nos próximos anos, será o centro das atenções esportivas mundiais, com a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, torna-se, também, referência mundial no que se refere à prática de colecionar selos postais. Ainda que possa ser interpretada como um último soluço de uma atividade considerada ultrapassada, a exposição recolocou o país no circuito mundial dos grandes eventos filatélicos internacionais, além de suscitar reflexões sobre as origens do selo postal e as razões de, mesmo na era digital, da internet e da mensagem eletrônica, tais pequenas estampilhas ainda despertarem o desejo de tantos colecionadores. Apesar das tecnologias hoje existentes para comprovação do porte pago pela remessa de correspondências e encomendas, os Correios de todo o mundo, mesmo os dos países mais desenvolvidos, não abrem mão da utilização dos selos postais para esta função. Como consequência e, paradoxalmente, também por causa disto, os selos não são vendidos apenas para o porteamento de cartas.

Avião Invertido - EUA. Em: (<http://en.wikipedia.org/wiki/ File:USA_inverted_Jenny_siegal_ nov_07_$977,500_.jpg>) Acesso em: 18/02/2014

Muito além do que um selo postal pode gerar em termos de conhecimento, de aprendizado, de contemplação e de prazer, trata-se de um investimento cujo mercado, segundo artigo da Gazeta Mercantil de janeiro de 2006, apresenta “uma base de clientes estimada mundialmente em 30 milhões de pessoas e movimento de aproximadamente 16 bilhões de dólares”. No mesmo artigo, observa-se que “a filatelia teria passado por grande valorização em 2005, dando mostras de continuar sendo o hobby mais popular do planeta”. Os números dos investidores de maior poder aquisitivo são impactantes: uma quadra do Jenny, o “Avião Invertido” emitido nos EUA, foi adquirida por cerca de 2,9 milhões de dólares em 2005. O One Cent Magenta, emitido pela Guiana Inglesa em 1856, tem seu valor atual estimado em mais de 2 milhões de dólares, disputando o posto de selo

One Cent Magenta - Guiana Inglesa. Em:(<http://en.wikipedia.org/wiki/ File:British_Guiana_13.jpg>) Acesso em: 18/02/2014

103

Revista Postais 02 - 2014  

A Revista do Museu Correios Dossiê - Arte Postal Artigos de Adriana Santana, Almerinda da Silva Lopes, Altemar Henrique de Oliveira, Antonio...