Page 86

Mayra Guapindaia

No próprio Reino, no final do século XVIII, houve maior incentivo à abertura de estradas, o que demonstra a preocupação com a abertura de caminhos que facilitassem as transações comerciais e os controles por parte da Coroa. Armando Mário O. Vieira afirma o seguinte: As primeiras tentativas de construção de estradas, mais merecedoras dessa designação, tiveram lugar nos reinados de D. José, sob a administração pombalina, e no de sua filha D. Maria I. No desta última desempenhou papel de relevo o conhecido D. José Diogo Mascarenhas Neto que, antes de ser nomeado Superintendente Geral dos Correios e Postas do Reino – 1799 -, o foi também das nossas estradas, tendo dirigido a construção do troço de Lisboa a Coimbra, no qual circulou, por uma meia dúzia de anos, a primeira mala-postal portuguesa, na viragem do século XVIII para o XIX .(VIEIRA, 1988, p. 9)

Além do incentivo à produção colonial e à abertura de caminhos que possibilitassem a comunicação entre as partes do Império, uma das medidas tomadas foi a regularização do controle fiscal. Em 1796, com a ascensão de D. Rodrigo de Souza Coutinho ao Ministério da Marinha e Ultramar, inicia-se, de maneira mais sistemática, a tentativa de recuperação das receitas do reino por meio da melhor arrecadação fiscal (COSTA, 2007). Inspirado em autores como Adam Smith, Coutinho acreditava que a arrecadação correta de taxas e impostos seria uma das formas de trazer lucro para os cofres reais. As novas formas de arrecadação seriam organizadas de modo que permitissem conhecer de maneira clara os valores das receitas e despesas em diversas áreas. A boa arrecadação era necessária especialmente a fim de garantir renda para a manutenção do exército e da marinha, responsáveis por manter a integridade territorial tanto do Reino quanto do Ultramar, que se encontrava ameaçada devido à possibilidade de guerra entre França e Inglaterra. Segundo Bruno Adair Costa: A fiscalidade seria um ponto central no pensamento da crise do Antigo Regime em Portugal e seus domínios, seja na feitura da guerra e da defesa para a conservação do poder português 84

Revista Postais 01 - 2013  

Ana Carmen Amorim Jara Casco, Helena de Oliveira B. Negro, João Pinheiro de Barros Neto, Laura Antunes Maciel, Letícia Cantarela Matheus, Ma...

Revista Postais 01 - 2013  

Ana Carmen Amorim Jara Casco, Helena de Oliveira B. Negro, João Pinheiro de Barros Neto, Laura Antunes Maciel, Letícia Cantarela Matheus, Ma...

Advertisement