Page 89

O Museu Virtual da Força Expedicionária Brasileira

Então a concepção de um museu virtual poderá ocorrer independentemente do objeto musealizado, mas poderá também ser inspirado nele. No caso do Museu Virtual da Força Expedicionária Brasileira, a sua gênese decorre de uma simbiose entre os Museus da FEB e o patrimônio cultural da FEB digital, tal como já citado e apresentado por Lima (2009), referindo-se à categoria C “Museu Virtual Composição Mista”. O Museu Virtual da Força Expedicionária Brasileira, por meio do seu espaço virtual, propiciará acesso e novas leituras ao público. Partindo da temática proposta e da experiência estética que se deseja comunicar e de acordo com os diferentes contextos e temporalidades, o desafio proposto por Moutinho (2009) é a “potencialidade comunicativa da forma”, que pode ser exposta no espaço virtual ou não, de acordo com o contexto e a situação em que é apresentada, considerando que há inúmeras possibilidades de apropriação. Desta forma, em determinadas situações é importante a libertação do peso que as coleções impõem e isso implicará em repensar as ideias, uma vez que há várias maneiras de olhar as coleções (MOUTINHO, 2009, p. 12). Ressalta-se aqui que os museus podem dar forma às ideias visando à inovação no que concerne à comunicação, sem descuidar da função de museu antropogênico, defendida por Cruz (1993), o qual propõe um museu voltado à promoção integral da pessoa humana, ressignificando a dimensão do seu fazer e estar no mundo a partir do conhecimento. E qual a relevância em se criar um museu virtual da Força Expedicionária Brasileira? Aprendemos e nos modificamos com as experiências do passado e os museus são a ponte entre o vivido, a memória esquecida e a reflexão sobre o tempo presente. O protagonismo do Brasil na II Guerra Mundial foi fundamental e teve sua parcela de contribuição para promover a paz, mesmo perdendo brasileiros no front e nos mares. Os feitos heróicos devem ser expostos ao público de forma contextualizada, e os objetos museológicos da FEB deverão ser classificados e descritos dentro de um padrão museológico, com orientações para exposição e conservação. Os acervos estão alocados em museus, associações e locais particulares. Uma exibição online sobre a história da FEB, seus protagonistas e seu

87

Profile for Correios Cultura

Revista Postais 07 - 2016  

Revista Postal N. 6 - 2016 - Restauração da Agência Central dos Correios de Petrópolis. Artigo de Andréa Fernandes Considera, Erika Pereira...

Revista Postais 07 - 2016  

Revista Postal N. 6 - 2016 - Restauração da Agência Central dos Correios de Petrópolis. Artigo de Andréa Fernandes Considera, Erika Pereira...

Advertisement