Page 1

n°015 | Année 04 | octobre 2021

REVUE CULTIVE - ISSN 2571-564X

AS WALKYRIES Brasileiras Homenageadas No Congrés Cultive International Culturel de la Femme

Revue Cultive - Genève

1


ARTPLUS N° 3 REVERENCIANDO A MULHER BRASILEIRA

2

Revue Cultive - Genève


Cultive Revue littéraire et culturel Nesta edição da revista Cultive, a primavera nos traz autores e seus poemas. Trazemos também mulheres corajosas que foram entrevistadas no programa: As valkyries. Na entrevista, elas colocam em pauta as suas vidas, expõe a determinação e o combate que mantiveram durante suas trajetórias para alcançar seus objetivos. São mulheres que superaram situações difíceis, outras que seguiram o destino traçado pela família, mas todas buscando independência e realizando seus sonhos. Do dia 26 ao 28 de novembro, o Institut Cultive suisse Brésil irá homenagear algumas represetantes femininas dos diversos setores brasileiros no Congrés Cultive International de la Femme, uma maneira de tirar do anonimato aquelas que são as verdadeiras heroínas do Brasil. O ICSBE evidencia e incentiva essas mulheres que estão construindo o futuro dos jovens, modificando conceitos e se firmando como protagonistas desse momento de evolução brasileiro.

Impressum Editeur - Edtions Cultive 12 Rue deu Pré-Jérôme 1205 - Genève Téléphone: +41 79 616 37 93 Site web: www.editioncultive.com E-mail: edicaocultive@gmail.com Redacteur en chef - Valquiria Guillemin Designer : Valquiria Guillemin Photographe: Marc Guillemin

Copyright © Toda reprodução parcial ou integral do conteúdo da revista Cultive é estritamente proibida. Todos os textos são de inteira responsabilidade do autor.

O Institut Cultive Suisse Brésil criou o prêmio «Lauréat Valkyrie» especialmente para homenagear as mulheres que tiveram ou têm participação ativa nos diversos setores da sociedade contribuindo ou criando projetos ou científicas, educacionais, literários, culturais, esportivos agindo ativamente em ações sociais. O prêmio será entregue em sessão solene no Congrés Cultive International Culturel de la Femme no dia 28 de novembro 2021 A revista tembém traz escritores e escritoras de vários literários. Poesias contos e crônicas, pesquisa cientifica, textos jornalísticos, assim como um exposição de arte dão uma pequena amostra do que esses protagonistas da cultura brasileira podem produzir. A Revue Cultive não limita suas páginas apenas aos membros cultive. Todos os autores, autoras, artisitas e amantes da cultura que desejam apresentar suas obras culturais e trabalhos artísticos nas páginas das próximas edições dessa revista, procurem as regras no site da editora ou no final das páginnas dessa ediçñao. Ficaremos felizes em publicar seu trabalho após análise e aprovação editorial.

Revue Cultive - Genève

3


38 | Fabiana Machado Mendes 13 | REDE FEMININA DE COMBATE AO CÂNCER DA PARAÍBA 40 | Daiana Quelle

15 | REDE FEMININA DE COMBATE AO CÂNCER DA PERNAMBUCO 43 | Elisa Augusta de A. Farina

23 | OUTUBRO CRIANÇA EM DESTAQUE 45 | Mabel Cavalcanti

25 | Guilherme da Silva

47 | Rosangela Matos

Valkyries

28 | Adriana Sugino

31 |Hélia Alice dos Santo

34 | Sue Ann 4

Revue Cultive - Genève

50| GRasiela Estanislaua Konescki Führ

54 | Rita Queiroz

68 | Rose Calza


Estante cultive

SARAU DA PRIMAVERA

73 | Maria Inês Botelho

84 | Frahm 92 | Jaide Siqueira

73 | Avani Peixe

84 | Wanda Cristina Da Cunha

75 | Norma Bezerra

85 | Leni Zilioto

76 | Anely Guimarães

95 | Lica Cecato

97 | Raimundo Campos Filho

87 | Márcia Regina 103 | Rhany Costa

80 | Valquiria Imperiano

88 | Maria José Negrão 104 |Valdivia Beauchamp

89 | Maria José Esmeraldo Rolim 81 | Dilercy Adler

105 | Neusa Bernado Coelho

83 |Irlana Lana

80 | Pietro Lemos Costa 107 | Andersen Viana

83 | Izabel Hesne

91 | Padre Erane Revue Cultive - Genève 31 | Lúcia Sousa

5


129 | Rita Guedes

109 | Biblioteca Pública Benedito Leite

153 | Christiane Couve de Murville

131 | Valquiria Imperiano 150 | Rosalva Santos

111 | Edmilson 138 | Lica Cicate

Arte 155 | Izabel Pecorone

142 | Niriam Goes 114 | Avani Peixe

146 | Ju Pereira 113 | Vanda Sales

157 | Zezé Negrão

148 | JGabriela Lopes 117 | Lu Imperiano

150 | Manoel Osdemi

120 | Nazaré Cavalcanti

6

Revue Cultive - Genève

152 | Karmem Pires

159 |Catálago Literário


OBJETIVO DO EVENTO: Apoio às obras da REDE FEMININA DE COMBATE AO CANCÊR de Pernambuco e da Paraíba. CONFIRMAÇÃO DE INSCRIÇÃO A inscrição será considerada realizada após o envio da ficha preenchida e pagamento efetuado econfirmado o depósito. Atenção: A inscrição, a foto e o recibo de pagamento devem ser enviados pelo link de inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1YQdIO751eQ2juWzDbT1kqmO9Tf6bR8tSyEMuO3bxlyQ / edit

INSTITUT CULTIVE SUISSE BRÉSIL TEMA DO CONGRESSO: “A MULHER NA SOCIEDADE E NA CULTURA ATRAVÉS DOS TEMPOS” Espalhar a cultura é o melhor meio de ajudar o próximo a desenvolver a capacidade criadora e produtiva, o senso crítico e consequentemente a melhoria da sociedade. Dedicar-se a escrever, às artescênicas, à pintura, à escultura, às instituições culturais e sociais, ao ensino, a proporcionar oconhecimento, à história e à ciência criando, implantando e divulgando esse conhecimento ao seu redor é reconhecidamente um valor imensurável. . ORGANIZAÇÃO : INSTITUT CULTIVE BRÉSIL SUISSE COORDENADORA GERAL DO PROJETO: Valquiria Guillemin Imperiano.

https://congresmulherinstitutcultive.wordpress. com/ e-mail : congressofemme@gmail.com QUEM PODE PARTICIPAR Todo autor, artista ou ativista cultural de qualquer sexo. 12.2 Editoras. Instituições culturais e artísticas. Academias de Letras. Escolas e universidades. Os participantes podem ser de qualquer nacionalidade. MÉTODO: LIVE

As apresentações serão feitas em sala por um moderador. As obras de arte serão expostas numa exposição virtual. O artista participa de uma apresentação numa sala direcionada para a arte. COMITÉ DE ORGANIZAÇÃO DO SILCGC: Elu- Entre as lives: haverá intervalos de 30 minutos que ciana Iris, Gabriela Lopes, Leci Queiroz, Rita Quei- serão preenchidos com vídeos pré- gravados. roz, Chris Herrmann, Paulo Bretas, Hupomone Vi- Todas as lives permanecem registradas na plataforma do Canal Cultive para serem vistas postelanova, Lucia sousa, Maria Inês Botelho. riormente e por tempo indeterminado. 4. TIPO DE EVENTO: Cultural 5. REALIZAÇÃO E TRANSMISSÃO VIRTUAL: Canal Cultive –YouTube 6. PLATAFORMA: Zoom 7. HOMENAGEADAS EM VIDA ou (IN MEMORIAM) 8. DATA DO EVENTO: 26 A 28 de novembro de 2021 9. DATA DE INSCRIÇÃO: até a data de 30 de setembro de 2021

Paineis de discussão 1. PAINEL: ESCRAVAS 2. PAINEL: «VIOLÊNCIAS CONTRA A MULHER » 3. PAINEL: INCLUSÃO ECONÔMICA 4. PAINEL: MULHERES HISTÓRICAS . REGRAS DAS LIVES 5 PAINEL. - MULHERES PELO MUNDO TRABALHANDO FOCALIZANDO A INTEGRARevue Cultive - Genève

7


ÇÃO, A EDUCAÇÃO E A CULTURA BRASILEIRA 6. PIANEL : MULHER NA EDUCAÇÃO MODERADORA 7. PAINEL: AUTORAS 8. PAINEL: OPRESSÃO, SUBJUGO E RESISTÊNCIA FEMININA15 9. PAINEL: COMBATENDO O CÂNCER 10. PAINEL NUTRIÇÃO 11. PAINEL : O QUE ELAS CULTIVAM 12. PAINEL: AS VALKYRIES 14. PAINEL: MEIO AMBIENTE, SUSTENTABILIDADE É O FUTURO 15. PIANEL: MULHER FRENTE ÀS INSTITUIÇÕES SÓCIAS 16. PAINEL - SAÚDE 17. PAINEL: ESPAÇO LIVRE 18. PAINEL: ECONOMIA - A MULHER RESPIRANDO LIBERDADE

Os artistas plásticos devem anexar à inscrição até 5 fotos das suas obras em jpg 300 dpi. As fotos devem ser identificadas com o nome da/o artista+altura+largura+nome da obra. Seja amigo(a) da Cultive no face: https://www.facebook.com/CultiveDiffusion Instagram: @cultive_genebra site: https://www.institut-cultive.com blog do congresso: https://congresmulherinstitutcultive.wordpress.com/

Cada inscrito participará de uma painel, cada painel comportará os inscritos individuais e um moderador, totalizando 6 (seis) pessoas; o tempo de apresentação será dividido entre os participantes,

QUEM RECEBE A COMENDA: Os inscritos que forem aprovados pelo Comitê receberão o certificado da comenda após análise e aprovação da/o candidata/o.

Não serão aceitas inscrições de apresentações de obras que façam apologia ao racismo, à discriminação de gênero, cor, idade ou quaisquer outras formas de discriminação, ou que incitem ao ódio, à pornografia e à violência, à pedofilia, ao canibalismo, etc.

Diploma de Embaixador do Combate ao Câncer emitido pela Rede de Combate ao Câncer da Paraíba e de Pernambuco e pelo ICSB - o diploma ir´å premiar os participantes inscritos e aos que realizarem doações para a REDE de Combate ao Câncer.

Peça o edital pelo e-mail ou entre no site https://congresmulherinstitutcultive.wordpress. com/ e-mail : congressofemme@gmail.com e-mail : congressofemme@gmail.com

PRÊMIOS PRÊMIO VALKYRIE” - LAUREAT DU L’INSTITUT CULTIVE SUISSE - BRESIL, em reconhecimento pela atuação feminina na saúde, na proteção As atividades começam às 9h da manhã e termi- do meio ambiente, na solidariedade, na educação, nam às 19h (horário de Brasília); (14h PM até às na literatura, na defesa e apoio à mulher, na saúde 12h PM hora da Suíça) diariamente. e na pesquisa, na promoção da cultura no exterior, na solidariedade, no apoio à cultural e no combate PARTICIPANTE. à fome.

Diploma de Construtor/a da Liberdade Feminina O comitê se dá o direito de recusar qualquer ins- - emitido pela ICSB destiando aos palestrantes inscrição que achar inadequada ou que não se enqua- critos nos painéis drem nos termos deste edital. Certificado de participação - emitido pela ICSB Em caso de desistência não haverá reembolso do com o título da palestra todos os participantes valor da inscrição pago. Certificados de participação. - Para todos os partiEm caso de falha da internet não haverá reposição cipantes da atividade em outro horário, no entanto os organizadores aceitam um vídeo do inscrito para ser postado posteriormente no Canal Cultive. O certificado será enviado pelo e-mail. 8

Revue Cultive - Genève


HOMENAGEADAS NO CONGRÉS CULTIVE INTERNATIONAL CULTUREL DE LA FEMME

Revue Cultive - Genève

9


10

Revue Cultive - Genève


Revue Cultive - Genève

11


12

Revue Cultive - Genève


cerca de 600 lanches, aos pacientes em atendimento nos diversos setores do HNL: ambulatório, quimioterapia, radioterapia e braquiterapia. São distribuídas para as mulheres mastectomizadas próteses mamárias e sutiãs, em diversos tamanhos. A RFCCPB distribui gratuitamente perucas, lenços, chapéus, bandanas, bonés, cestas básicas e material de higiene pessoal, aos pacientes do HNL. Sua misssão é acolher indivíduos, sem distinREDE FEMININA DE COMBATE AO ção de sexo e idade, e seus familiares, oferecendo ao paciente com câncer, um atendimento humanitário com qualidade, responsabilidade, elevação CÂNCER DA PARAÍBA da autoestima e carinho, priorizando os que estão A Rede Feminina de Combate ao Câncer da Paraíba em vulnerabilidade social, provendo o acesso aos - RFCCPB - é uma Organização Não Governamen- meios de promoção à vida. Fortalecer a prevenção tal - ONG, sem fins lucrativos, criada em 1962 que do câncer, com ações que visem a qualidade de presta serviço de assistência e apoio aos pacientes vida. portadores de câncer em tratamento no Hospital A RFCCPB é uma Organização Não GovernamenNapoleão Laureano – HNL, por meio do seu vo- tal diferenciada pelo seu atendimento, tornando-se luntariado composto de aproximadamente 200 um centro de referência para a garantia de direitos pessoas (voluntários efetivos) e também por meio de portadores de câncer e de seus familiares. da sociedade civil (voluntários colaboradores) que contribuem com doações de natureza variada. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELOS VOOs objetivos da RFCCPB são: 1 - servir de abrigo, fornecendo alimentação, medicamentos, suporte emocional, assistencial e terapêutico a até 40 pacientes portadores de câncer, que não residam em João Pessoa, bem como suas famílias; 2 - atender a pacientes acamados, moradores na grande João Pessoa, com visita domiciliar e distribuição de material de higiene pessoal, fraldas, cestas básicas, cadeiras de banho, de rodas, camas hospitalares, medicamentos, além de acompanhamento psicossocial. Diariamente são distribuídos, pelos voluntários,

LUNTÁRIOS NOS DIVERSOS SETORES DO HNL E CASA DE APOIO Ambulatório •Dar direcionamento e acolhimento ao paciente •Distribuir fichas •Organizar filas •Pegar exames e prontuários, quando necessário •Levar paciente de um setor a outro

Autoestima •Cuidar para manutenção da aparência pessoal do paciente: fazer barba, cortar cabelo, pintar unhas, maquiagem, entre outros. Brechó Revue Cultive - Genève

13


Pediatria •Brinquedoteca: atendimento às crianças no Ambulatório enquanto aguardam consulta, exames ou tratamento, oferecendo contação de histórias, leituras, atividades lúdicas, pintura e atividades lúdicas com as crianças com objetivo de minimizar a tensão da internação/tratamento e atendimento psicossocial aos acompanhantes, proporcionando Casa de Apoio •Confecção de trabalhos manuais pelos pacientes, recursos para o enfrentamento da doença com serenidade. orientados pelas voluntárias •Musicoterapia •Providências para confecção de documentos para Apoio para a Quimioterapia e a Radioterapia •Oferece aos pacientes e acompanhantes, com obaposentadoria e passe livre jetivo de aliviar as tensões durante o tratamento, •Passeio terapêutico instrumentos como a leitura de mensagens de au•REIKI toestima, fé, força, troca de experiências e outras. Ceasa Urgência •Arrecadar doações de mercadorias nas barracas •Transportar para a Casa de Apoio os produtos ar- Receber e agilizar os documentos dos pacientes para que sejam rapidamente atendidos. Apoio à farecadados mília para o enfrentamento do momento de tensão. Costura •Confecção de próteses mamárias por uma vo- Visita domiciliar •Proporcionar ao paciente e sua família conforto luntária para o enfrentamento da doença e suas consequências através da doação de cestas básicas, medicaCozinha mentos, material de higiene, etc. •Auxílio na limpeza de louças, armários e outros •Preparo na alimentação dos pacientes e fun- •Orientar para providências de documentos e benefícios cionários •Organização dos produtos recolhidos no Ceasa AÇÕES EM PARCERIAS Dia da Boa Vontade – quando médicos de vários esEnfermaria •Dar atenção para proporcionar conforto ao pa- tados vêm fazer cirurgias de reconstrução mamária ciente com música e ouvindo suas histórias, aten- e doam seus honorários para a Rede Feminina. tando para as recomendações de não sentar no leito, não trocar o soro, não ministrar medicação nem Sou Vida Sou Mulher – parceria com a maquiadora Kátia Freire e a cabeleireira Larissa Holanda, no acompanhá-los ao banheiro. projeto dos calendários da Rede Feminina para promoção da autoestima às pacientes de câncer. Eventos •São planejados pela diretoria no início de cada Focus Hair – o cabeleireiro Sérgio Pereira, proano, viabilizando-os na época oportuna. prietário da Focus Hair, recolhe os cabelos doados pela comunidade pessoense e de outros municíLanche •Preparado na Casa de Apoio, nos padrões de hi- pios e confecciona as perucas que são doadas às giene e demais cuidados, o lanche que é oferecido pacientes em tratamento de quimioterapia. diariamente. Distribuido de forma amável e cordial aos pacientes e seus acompanhantes nos diversos Participação em eventos – a Rede Feminina colabora e participa dos eventos promovidos pelo setores do HNL. Hospital Napoleão Laureano, como nos Dias D do Outubro Rosa, Novembro Azul, Dezembro LaranMúsica •Acolhida de boas vindas, pela manhã, a todos que ja, etc. chegam ao Ambulatório. •Receber doações diversas fazendo a triagem e destinando-as, conforme o estado de uso, ao brechó ou a comunidades carentes. •Organizar as doações encaminhando-as para o brechó onde serão vendidas com a renda revertida para a RFCCPB.

14

Revue Cultive - Genève


DIREÇÃO O QUE É E COMO FUNCIONA? Esse setor é a cabeça da rede. Maria da Paz é a atual presidente e responsável por unir voluntários em prol de um mesmo objetivo, oferecer uma HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De segunda a sexta – 7h às 15h Sábado – 7h às 13h Domingo – 8h30 às 11h30 COORDENADORA: Marli . RESPONSABILIDADES DO SETOR: A direção tem a obrigação de manter a equipe unida, estar adequada às normas de comportamento estabelecidas pela instituição, captar recursos e parceiros, que não sejam os mesmos que já doam para o HCP, ajudar essa instituição a oferecer o melhor e atingir a excelência no atendimento, promover ações, realizar projetos “São pessoas comprometidas com o social, com o bem-estar dos pacientes, que acreditam em Deus e que estão no HCP em missão. As voluntárias da rede feminina são missionárias que fazem o possível, com muita dedicação e amor em ajudar o próximo, para tentar amenizar o sofrimento dos

que ali estão.” O COMEÇO DE TUDO: Tudo começou com elas, em novembro de 1945. O amor e a solidariedade foram os pilares para nascer a Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer. Um grupo de senhoras da sociedade pernambucana se reuniu e estava em pauta a vontade de ajudar o próximo. Dília Henriques, anfitriã e esposa do médico José Henriques, propôs então a criação de uma sociedade beneficente para dar apoio aos enfermos carentes nos hospitais do Recife. Nascia a Sociedade de Assistência aos Indigentes Hospitalizados. A idealizadora, Dília, assumiu a presidência da entidade e as demais senhoras, acreditaram na proposta, entre elas, Maria Esther Souto Carvalho (vice-presidente), Anita Valença Rodrigues (primeira secretária), Zilda Henrique Lambert (segunda secretária), Lígia da Silva Bruhu (tesoureira), Maria de Lourdes Góes Hinrichsen (oradora). Além das conselheiras: Paulina Tourton, Elmira Pinto, Gerusa Souto Malheiros, Vitória Góes Bezerra de Melo, Marina da Silva Reis e Almerinda Meira. Revue Cultive - Genève

15


PERFIL DO VOLUNTÁRIO Número de voluntários: 300 (240 mulheres e 60 homens) Residência: Jaboatão (maioria), Recife, Olinda e Gravatá (minoria) Classe: C e D Renda: 1 salário mínimo (aposentadoria) Histórico: ex-pacientes do HCP ou familiares de pacientes com câncer. MISSÃO “Ser uma rede de apoio aos pacientes nas suas necessidades físicas, psíquicas e emocionais e assim contribuir com o bem estar dos mesmos e com a missão do HCP. Ocupando, junto à sociedade eco-

nomicamente e/ou socialmente ativa, a tarefa de captação de insumos. Num conjunto de atitudes que sejam exemplo de amor ao próximo.” VISÃO “Obter o reconhecimento da sociedade como instituição essencial à qualidade de vida dos pacientes. Ser exemplo de voluntariado para todas as Redes do Brasil e estímulo para o desenvolvimento cola-

VALORES “Compromisso com o paciente. Ética, respeito às pessoas e às normas médicas, sanitárias e administrativas das instituições em que atuar. Responsabilidade no cumprimento das tarefas assumidas.” ÁREAS DE ATUAÇÃO ÁREAS DE ATUAÇÃO (REDE FEMININA) • Chá e Sopa • Rendarte • Espaço da Paz • Bazar • Xerox / Lojinha • Atendimento Ambulatorial / Patologia / Arquivo 1e2/ Radioterapia / Quimioterapia • Rouparia • Capela • Casa de Mirella • Arteterapia • A pipoca do Amor • Espaço Renascer • Grupo de Assistência às Enfermarias / Emergência / UTI 1 e • UTI2 • Assessoria de Comunicação • Eventos • Congresso • Espaço da Beleza • Direção

CHÁ E SOPA O QUE É E COMO FUNCIONA? Há mais de 50 anos, esse setor foi criado para oferecer diariamente de forma gratuita lanchinho aos pacientes ambulatoriais e seus acompanhantes, principalmente do interior que às vezes não tem o que comer. A Rede Feminina cede os insumos, que recebe de doação para o setor de nutrição preparar alguns alimentos. Quando não conseguem doação de determinados produtos, a própria rede feminina compra. Inclusive a Rede Feminina envia lanchinho para o Hospital Nossa senhora das Graças, para os pacientes de radioterapia do HCP que estão sendo atendidos lá. O QUE É OFERECIDO? Chá, biscoito, bolacha, munguzá, arroz doce, bolo, sopa, pãozinho. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De segunda à sexta: 7h30 às 12h – Chá 11h às 14h borativo do terceiro setor, além de influenciar nas - Sopa políticas públicas de assistência à saúde.” 16

Revue Cultive - Genève


COORDENADORA DO SETOR: Maria Helena QUANTAS PESSOAS SÃO BENEFICIADAS: 200 pessoa

O QUE É E COMO FUNCIONA? Maria da Paz, presidente da RFCC de PE criou esse projeto em 2011 para fazer doações de cestas básicas para os pacientes da pediatria, pois identificou que esses pacientes iam para casa bem e retornaRENDARTE vam debilitados porque eles em suas residências O QUE É E COMO FUNCIONA? não tinham alimentação adequada. Nessas cestas Setor onde as voluntárias ensinam as pacientes e básicas contém como diferenciais itens como suacompanhantes cursos de capacitação em artesa- plementos alimentares, farinha láctea, etc. Atualnato para que possam aprender atividades que ge- mente, são entregues também outros produtos e rem renda. Alguns dos produtos desenvolvidos são não apenas cestas básicas e outras pessoas tamvendidos no local e as vendas são revertidas para a bém são beneficiadas: pacientes da quimioterapia, compra de novos materiais utilizados nos cursos. A radioterapia e do pós-cirúrgico. A rede feminina estrutura desse setor foi investimento da Petrobrás verifica a situação socioeconômico dos pacientes, em 2005. A prioridade para participar dos cursos inclusive pede auxílio ao setor de serviço social do HCP para saber de fato os pacientes que necessitam de doações. O serviço social então envia para a rede uma guia de prescrição médica, detalhando o nome do paciente e as necessidades específicas dele para que sejam atendidas. As doações são entregues 1 vez por mês para cada paciente beneficiado cadastrado pela rede feminina. O QUE É OFERECIDO? Hoje, nesse espaço, são doados mais do que cestas básicas, são entregues também fraldas, medicamentos, casacos de frio, travesseiros, brinquedos, cadeiras de rodas, kits de higiene (escova e pasta de dentes, sabonetes, etc.) aos pacientes cadastrados são os pacientes, mas no caso de serem de enfer- pela rede feminina. marias, por estarem impossibilitados, eles podem HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: mandar seus acompanhantes aprenderem e repli- De domingo a domingo – 7h às 15h carem para eles depois. Os cursos são divulgados em folders informativos que a Rede Feminina dis- COORDENADORES DO SETOR: ponibiliza. As inscrições são limitadas. Maria da Paz (Coordenadora direta) Nelba e O QUE SÃO OFERECIDOS? Afonso (Responsáveis) Cursos de artesanato (tricô, crochê, pintura e re- QUANTAS PESSOAS SÃO BENEFICIADAS: ciclagem) e oficina de peruca. Inicialmente eram 200 e hoje são 1.000 pessoas caHORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: dastradas BAZAR Funciona 3 dias na semana: (Segunda, Terça e Quinta) – 8h às 12h O QUE É E COMO FUNCIONA? As voluntárias também ensinam na enfermaria São Esse setor é a principal fonte de renda da Rede FeLucas 1o (Cuidados Paliativos), toda segunda. minina, inclusive esses recursos financeiros ajudam na compra de medicamentos, passagens para os pacientes, manter a Casa de Mirela e a suprir as necessidades do hospital. As doações de roupas, calCOORDENADORA DO SETOR: çados e eletrônicos são vendidas nesse bazar por Teresa Belo preço acessível para pacientes e acompanhantes. QUANTAS PESSOAS SÃO BENEFICIADAS: O QUE É OFERECIDO? De 12 a 20 pessoas Venda de roupas, calçados, eletrônicos, novos ou usados. ESPAÇO DA PAZ HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? Revue Cultive - Genève

17


De segunda a sexta: 8h às 14h LOCALIZAÇÃO: Fica ao lado da engenharia clínica COORDENADORA DO SETOR: Helena Acioli BAZAR O QUE É E COMO FUNCIONA? Esse setor é a principal fonte de renda da Rede Feminina, inclusive esses recursos financeiros ajudam na compra de medicamentos, passagens para os pacientes, manter a Casa de Mirela e a suprir as necessidades do hospital. As doações de roupas, calçados e eletrônicos são vendidas nesse bazar por preço acessível para pacientes e acompanhantes. O QUE É OFERECIDO? Venda de roupas, calçados, eletrônicos, novos ou usados. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? De segunda a sexta: 8h às 14h COORDENADORA DO SETOR: Helena Acioli QUANTAS PESSOAS SÃO BENEFICIADAS: De 30 a 40 pessoas por dia. EROX/LOJINHA O QUE É E COMO FUNCIONA? Atende pacientes e acompanhantes que precisam tirar cópia de documentos para apresentar ao hospital, assim como, quando há necessidade de atender demanda maior de xerox de folhetos/informativos do setor de Serviço Social e do Espaço Renascer. Os voluntários que estão nesse setor também dão informações às pessoas sobre localização, como chegar a determinado setor ou ambulatório, por exemplo, assim como também solicitam apoio aos maqueiros quando percebem a necessidade de dar suporte a algum paciente. Nesse setor também funciona uma lojinha de artesanato com preço acessível, assim como venda de camisa e lacinhos de campanha. No final do dia, prestam contas à rede feminina. O QUE É OFERECIDO? Realiza xerox de documentos (R$0,25) cada folha. Vende produtos de artesanato e materiais de campanha na lojinha. Disponibiliza revistas, livros, gibis, folder de evangelização. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De segunda a sexta: 7h às 12h COORDENADOR DO SETOR: 18

Revue Cultive - Genève

Daniel, mas no momento quem está no lugar dele é Edson. ATENDIMENTO AMBULATORIAL/ ARQUIVO 1 E 2/ PATOLOGIA / QUIMIOTERAPIA / RADIOTERAPIA O QUE É E COMO FUNCIONA? Voluntários que dão suporte às necessidades dos ambulatórios, arquivo 1, arquivo 2, patologia, quimioterapia e radioterapia. Pegam prontuários nos arquivos, protocolam e levam documentação para outros departamentos, anotam cartões dos pacientes que serão atendidos e levam pacientes para determinado setor. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De segunda a sexta: 6h às 14h COORDENADORAS: Marli (Atendimento ambulatorial) Maria José (Arquivo) Maria Betânia (Quimioterapia) Raimunda (Patologia) Aparecida (Radioterapia) QUANTOS VOLUNTÁRIOS ATUAM EM CADA SETOR? Ginecologia: 4 voluntários Cabeça e Pescoço: 4 voluntários Cirurgia Geral: 4 voluntários Mama: 4 voluntários Ortopedia: 1 voluntário Urologia: 1 voluntário Dermatologia: 1 voluntário Arquivo 1: 2 voluntários Arquivo 2: 2 voluntários Patologia: 3 voluntários Quimioterapia: 10 voluntários Radioterapia: 6 voluntários ROUPARIA O QUE É E COMO FUNCIONA? As voluntárias dão suporte há muitos anos ao setor da rouparia, fazem reparos nas peças e atuam na costura, confeccionando os artigos que o HCP utiliza. O QUE É OFERECIDO? Apoio nos reparos das peças da rouparia que vem rasgadas da lavanderia ou doadas e também costuram coisas novas, como lençóis, fronhas, sacos de dreno, campo simples, capotes, batas. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? Segundas, quartas e sextas 8h às 12h COORDENADORA: Marli LOCALIZAÇÃO: Rouparia


CAPELA O QUE É E COMO FUNCIONA? Foi construída pelo voluntariado, através de Esther Souto, há pouco mais de 75 anos. A construção dela foi com mãode obra gratuita e os recursos financeiros foram doados pela sociedade. Chamada de Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ela é mantida até hoje pela Rede Feminina e funciona diariamente para acolhimento aos pacientes e acompanhantes que chegam ao HCP e buscam forças para enfrentar a doença, momentos de fé através de orações, assistir às missas, etc. No início, as celebrações eram realizadas por Dom Fernando Saburido, atual arcebispo de Recife e Olinda, porém há muitos anos quem celebra é Padre Fábio e quem toca as celebrações é o voluntário Paulo O QUE É OFERECIDO? Missas, ações de graças, sacramentos (terço), celebrações de casamento, batizados, bodas, aniversários. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? De segunda a sexta: 5h às 12h LOCALIZAÇÃO: Fica entre a cardiologia e o laboratório COORDENADORA DO SETOR: Lúcia

CAPACIDADE MÁXIMA DA CAPELA: 100 pessoas QUANTOS VOLUNTÁRIOS FAZEM PARTE DESSE SETOR? 10 voluntários CENTRO DE APOIO AO PACIENTE DO HOSPITAL DE CÂNCER DE PERNAMBUCO (CASA DE MIRELLA) O QUE É E COMO FUNCIONA? Em 2010, Maria da Paz, começou a pesquisar casas de apoio no Recife para abrigar os pacientes com câncer e seus acompanhantes, que viam do interior

e que não tinham condições financeiras de ficar no Recife enquanto realizavam seus tratamentos no HCP. Em 2012, Maria da Paz acolheu dona Eugênia e foi ela quem indicou um local onde funcionava uma creche há 15 anos, mas que estava fechada, sem pertencer a nenhuma entidade. A Rede Feminina acatou na hora, abraçaram e assumiram o compromisso de transformar aquele local em acolhimento para os pacientes do HCP. Em 2013, batalharam e conseguiram parceiros para reformar o espaço. Em 2015 foi inaugurada a Casa de Mirela, através de comodato, sendo então a administração e gestão financeira de responsabilidade da Rede Feminina. O QUE É OFERECIDO? Acolhimento humanizado, respeito, dignidade, carinho. Nesse local todos são tratados como pessoas que tem necessidades e precisam de cuidado, dormida limpa, banho, funciona como se fosse uma pousada, incluindo as refeições, atividades terapêuticas, recreativas: jogos, dominó, dama, pintura e confecção artesanal. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? De domingo a domingo – 24h LOCALIZAÇÃO: R. Frei Afonso Maria, 357 - Amaro Branco, Olinda ARTETERAPIA O QUE É E COMO FUNCIONA? Esse grupo ajuda os pacientes e acompanhantes a se desligarem do mundo do hospital, ou seja a saírem do mundo da escuridão e entrarem no mundo das cores para que possam sorrir e projetar sonhos, desejos. São oferecidos concursos ligados à arte com comissão julgadora e premiação para os vencedores. O QUE É OFERECIDO? Concursos de arte promovidos semanalmente e em datas comemorativas, estimulando a participação e entretenimento de pacientes e acompanhantes, através de desenhos e pinturas. A Rede Feminina oferece lápis de cor, desenhos e pranchetas para essas ações. As premiações geralmente são: livros, quadros, camisas de campanha, troféu ou outros itens, frutos de doação ou comprados com recursos próprios da rede. A comissão julgadora é composta de uma pessoa do serviço social, um médico, um burocrata e uma pessoa da própria rede. A divulgação do resultado da arte preferida é realizada nos ambulatórios e enfermarias. Localização: Os materiais de arteterapia ficam guardados no Revue Cultive - Genève

19


Rendarte A PIPOCA DO AMOR VALE UM SORRISO O QUE É E COMO FUNCIONA? É um grupo de voluntárias que se reúnem para quebrar o estresse, levar amor e carinho ao paciente e acompanhante, através de um alimento hospitalar nutritivo simples, higiênico e barato. O intuito dessa ação é transmitir alegria, descontrair, favorecer a integração interpessoal, auxiliar na terapia psicoemocional. Para ganhar a pipoca é preciso apenas dar um sorriso. As pipocas são doações de parceiros e da sociedade que contribuem com dinheiro para compra da pipoca. Os voluntários “Pipoqueiros”, usam como uniformes aventais estampados e alegres e decoram cestas, onde são colocadas as Pipocas, de acordo com datas comemorativas e plaquinha com frase: “Troca-se por um sorriso”. O QUE É OFERECIDO? Pipoca doce e salgada. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? Quinta- feira – 8h às 12h LOCALIZAÇÃO: As pipocas são distribuídas pelos ambulatórios, emergência, Rendarte, Refeitório, Radioterapia, RX e Quimioterapia. Esse grupo conta com o apoio do Rendarte para decoração. e é nesse local onde guardam as pipocas e uniformes. ESPAÇO RENASCER O QUE É E COMO FUNCIONA? Local onde as mulheres renascem para a vida, através do resgate da autoestima, as mulheres aprendem a amar seu corpo e ter mais qualidade de vida. Esse espaço tem como objetivo reintegrar a mulher à sociedade de uma forma holística, tendo em vista a sua recuperação como um todo (bio, psíquico, físico e social). É um atendimento prestado na grande maioria às mulheres mastectomizadas ou que passaram por outros tratamentos de câncer de mama, através de uma equipe multidisciplinar, composta de uma assistente social, psicóloga e educadora física. Esse trabalho tem mais de 40 anos e surgiu através do mastologista e cancerologista. Dr. Esdras de Queiroz Marques e que em seguida foi encabeçada por Giorgina Moreira e Fátima Cabral. O QUE É OFERECIDO: Suporte de assistente social, apoio psicológico, atividades como dança, jogral, comemoração das datas festivas, aniversariantes do mês de 3 em 3 meses. 20

Revue Cultive - Genève

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO? Quinta-feira – 8h às 12h Funciona de forma individual, através dos atendimentos psicológicos e social ou em grupos com atividades como dança, jogral. GRUPO DE ASSISTÊNCIA ÀS ENFERMARIAS/ EMERGÊNCIA / UTI 1 E 2. O QUE É E COMO FUNCIONA? São voluntárias que ajudam os pacientes internados e que tiveram alta e também o próprio hospital, conseguem remédios que o HCP não dispõe para oferecer ao paciente ou exames que essa instituição não realiza a rede tenta conseguir com parceiros ou levantar verba para custeio deles. O QUE É OFERECIDO? Assistência aos pacientes das enfermarias, emergência e UTI ́s. Entregam kits de higiene pessoal (sabonete, pasta, escova, condicionador, fraldas, roupas, suplementos específicos, solicitado pela nutrição do HCP, itens doados ou comprados com recursos do próprio bazar), a rede também oferece corte de cabelo e barba para pacientes. Horário de funcionamento: De domingo a domingo, inclusive feriado. Segunda a sexta – 7h às 14h Sábado – 8h às 12h Domingo – 8h30 às 11h EVENTOS O QUE É E COMO FUNCIONA? O grupo de eventos é composto por voluntários responsáveis por captar parceiros para realizar sonhos, fazer com que os pacientes se sintam parte integrante da sociedade. Mesmo durante o tratamento, as comemorações da vida continuam, como casamentos, batizados, bodas, aniversários, formaturas e festejos de datas comemorativas. COORDENADORA: Joselane QUEM ORGANIZA: Dona Maria da Paz está a frente. Quem organiza é Joselane com mais 10 voluntárias. LOCAL: Capela do HCP ou locais externos. QUEM ARCA COM AS DESPESAS: Parceiros e a rede feminina, quando há necessidade. LOCAL DAS REUNIÕES: No espaço do Rendarte, no período da tard ESPAÇO DA BELEZA COMO E É FUNCIONA:


É um espaço que acolhe pacientes mastectomizadas, que precisam de uma prótese mamária. Nesse espaço Também são oferecidas perucas, sutiãs, lenços, toucas, chapéus e o mais importante: o amor, o ombro amigo.

na como casa de apoio para os pacientes do HCP que vêm do interior e funciona em regime de comodato. - Aquisição de equipamentos pela rede que foram doados para o HCP: para biópsia de próstata, ginecologia, colposcópio, centrífuga para banco de

O QUE É OFERECIDO? Perucas, próteses, sutiãs, lenços, toucas e chapéus e Almofadas em formato de coração. COORDENADORA: Marta Rabelo HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De segunda a sexta 8h às 14h QUANTAS SÃO PESSOAS SÃO BENEFICIADAS?: São beneficiadas em média 50 a 60 pessoas. Atende também pacientes de outras instituições (Imip, Oswaldo Cruz e instituições privadas)

sangue, máquina a laser para câncer de boca. O HCP faz os orçamentos de alguns equipamentos necessários e a Rede Feminina se mobiliza para captar os recursos financeiros, através de pessoas físicas para aquisição desses bens (ao realizarem algumas ações como São João beneficente e outros eventos de datas comemorativas, rifas, bingos, vendas de camisas, bazares). As pessoas se sensibilizam para ajudar a Rede Feminina, pois confiam na credibilidade dessa entidade. - A Rede Feminina conseguiu resgatar o VEM (passagem) de alguns pacientes que perderam esse direito porque a prefeitura cancelou. CONQUISTAS DA REDE FEMININA Foi dada entrada no jurídico para resgate desse - As conquistas começaram desde a fundação, benefício de praticamente todos os voluntários, quando 12 mulheres da sociedade se juntaram e através do advogado da Rede Feminina (Rossano como voluntárias criaram livros de ouro, chá bene- Azevedo). Ele atua para adquirir, em prol dos paficente, bingo, que levaram à construção do HCP. cientes, qualquer benefício externo que não - Outra conquista foi resgatar a credibilidade comprometa o hospital, como por exemplo para do HCP, quando foi considerada instituição não pleitear a aposentadoria dos pacientes. confiável, em 2007, ano da intervenção. As pessoas passavam a confiar na rede, que sempre foi muito AÇÕES QUE MERECEM DESTAQUE transparente e realizava prestação de contas para Ações importantíssimas são as de prevenção, pois toda a sociedade. Esther Souto sempre foi muito através delas são levados conhecimentos sobre querida por Jarbas Vasconcelos e outros políticos saúde, ajudando as pessoas e o próprio hospital. e empresários, fez com que essa instituição fosse Essas ações levam muitas pessoas ao HCP e boa acompanhada de perto, nunca houve envolvimen- parte delas descobrem o câncer na fase inicial, por to em nenhum escândalo, logo a sociedade passou terem sido alertadas que deveriam buscar trataa depositar confiança na rede feminina. mento adequado e dessa forma muitas vidas são Um grupo de pessoas foi até Eduardo Campos, salvas. na época da intervenção, pedir apoio para salvar As ações preventivas acontecem em escolas, igreo Hospital de Câncer de Pernambuco, incluindo jas, faculdades e se estendem até outros municípios Marta Rabelo, voluntária da rede feminina. (Nazaré da Mata, Carpina, Garanhuns, Lagoa do - Conquista em 2012 – Casa de Mirella, que funcio- Carro, etc. Revue Cultive - Genève

21


A Rede Feminina realiza o trabalho de fazer as pessoas entenderem que qualquer um pode ser acometido pelo câncer e ajudam milhares de pessoas, conscientizam sobre os cuidados com a saúde, fornecem palestras, disponibilizam técnicos para realizarem prevenção ginecológica, PSA e outros. Esses exames são realizados nos postos de saúde dos municípios, a rede compra os materiais necessários e após os profissionais fazerem a coleta dos exames, os mesmos são trazidos ao laboratório/patologia do HCP para realização de biópsia. PRIORIDADES DA REDE • Assistência à saúde dos voluntários. Ampliar os meios de comunicação para que todos tomem conhecimento em tempo hábil das ações da rede. Computadores para todos, integrado ao novo sistema. Oferecer treinamento para novos voluntários (90 dias) Reciclagem (a cada 6 meses) – São seminários, geralmente acontecem na capela ou na Interne. Treinamento motivacional sobre finanças (principalmente aposentados) Criar SAP (para orientar pacientes em relação a todas as necessidades deles e concentrar informações em um mesmo lugar). Melhorar estrutura física e logística, com espaço mais amplo para recebimento e armazenamento das doações. CRITÉRIOS 1. Entrevista com Maria da Paz. 2. Realizar treinamento “Capacitação Ética pela Rede Pernambuco Voluntários”. (Nesse treinamento mostra o perfil do(a) voluntário(a), se ele (ela) tem condições de ser voluntário(a) ou não da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pernambuco). 3. Realizar capacitação, precisará trazer a documentação para ser cadastrado(a) na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pernambuco. 4. Realizar treinamento prático de 90 dias, no HCP, com acompanhamento supervisionado para ter experiência e estar apto. 5. É exigido disponibilidade de no mínimo 1 dia na semana (pelo período de 4 horas). Em caso de falta por 3 vezes consecutivas, a(o) voluntária(o), é convidado a justificar o motivo das faltas. Em caso de motivo pessoal que não esteja conciliando com a dedicação como voluntário, pode ser sugerido a 22

Revue Cultive - Genève

ele(ela) priorizar a vida pessoal. No início também é apresentado aos voluntários o regulamento/normas que existem para serem seguidas. DIRECIONAMENTO Inicialmente, será identificado um setor que esteja carente de voluntários, mas existe a chance de ser remanejado para outro setor, uma forma do(a) voluntário(a) passar por todos os setores e conhecer o funcionamento de cada um deles, para em caso de necessidade, esse(a) voluntário(a) possa substituir outro voluntário(a) PRECE DAS VOLUNTÁRIAS Senhor, Pai de todos nós, Faz-me lembrar sempre dos que sofrem, Na mente e no corpo. Faz de mim um instrumento da tua paz. Onde houver alguém desesperado, Que eu leve alegria. Não me deixe esquecer a responsabilidade de ajudar o próximo. Faz-me ver o quanto minha vida enriquece Toda vez que conforto e sirvo alguém. Põe no meu coração o carinho pelos que repousam com dor, Senhor. Ajuda-me a não ser egoísta, a não buscar Pretextos para fugir ao dever de ajudar. Oh! Pai bem amado, Guia os pesquisadores de todo o mundo, Para que descubram A solução final para o problema do câncer. Que eu compreenda o privilégio e a importância de ser voluntário, nesta Cruzada Heroica, Infatigável, para vencermos o inimigo cruel, que se chama câncer.


CRIANÇA

Por Valquiria Imperiano

netos. Como? Cuidando deles de forma atentiva, transformando-so no nosso principal objetivo.

Criança sabe amar, criança sabe expressar seus sentimentos, por traz de cada palavra a brandura, o carinho e a sinceridade estão presentes. Criança sabe amar, criança sabe dizer a verdade.

Portanto zelar e estimular sua aprendizagem é o processo para que os adultos do futuro agucem a sua compreensão do todo e do próximo.

CriAnça precisa brincar, de cuidados, ler, de incentivo, de atenção e de carinho. Os adultos os geram e esquecem às vezes que já foram criança precisando da segurança, da proteção e do respeito a sua fragilidade e crescimento. Fomos criados para perpetuar a espécie. Somos inteligentes, podemos e devemos incluir na perpetuação, tendo cuidado com a evolução física, intelectual e moral. Nosso dever é promover a evolução e trabalhar pelo aprimoramento moral das nossas crianças para que o reflexo da nossa atualidade se modifique. O que vemos no espelho? Um ser egoísta, egocentrista, cuja vista e sentidos não conseguem ultrapassar o perímetro da sua casa. A sua necessidade é primordial antes de tudo. Essa pessoa não consegue enxergar através das suas paredes e comete erros. Mas algo é possivel para que essa visão atravesse os muros: desenvolver a visão dos nossos filhos e

O ensino é sútil e lento, mas é provável e contínuo e esse é o maior trabalho de solidariedade e amor à humanidade que podemos fazer. Não podemos deixar nossas crianças ao léu para que se transformem em bandidos e marginais. Na sociedade de todos os países, o homem é centro do sistema, tudo gira em torno desse homem que criou a própria sociedade e estipula regras. O adulto é o responsável por tudo que o cerca, que transforma e que adultera o meio ambiente. O adulto que foi criança age conforme seu apredizado, conforme o amor recebido, conforme o cuidado que lhe dispensaram. A semente precisa ser regada e a pequena planta precisa de cuidados para que na fase adulta produza bons frutos. Nossas sementes estão brotando e crescendo e não podem ser abafadas pelas ervas daninhas que tentam sufocá-las. O Dia das Crianças é uma data comemorada em Revue Cultive - Genève

23


diferentes países. De acordo com a história e o significado da comemoração. Cada país escolhe uma determinada data e certos tipos de celebração para lembrar de seus menores. Ao mesmo tempo, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) convencionou o dia 20 de novembro para se comemorar o dia das crianças. A escolha desta data se deu porque nesse mesmo dia, no ano de 1959, o UNICEF oficializou a Declaração dos Direitos da Criança. Nesse documento, se estabeleceu uma série de direitos válidos à todas as crianças do mundo: como alimentação, amor e educação.

regam-se de organizar eventos para marcar a data. O Genebrino não marca essa data com festividades, o comércio também não explora a data. Portanto cabe aos brasileiros residentes em Genebra tornar esse dia festivo. As programações são repletas de eventos da cultura brasileira, tais como dança, comidas, desfiles de modas, contação de histórias, teatro, canto, distribuição de presentes etc, tudo realizado pelos membros das associações locais

No Brasil, no dia 5 de novembro de 1924, oficializou-se o decreto nº 4867 que instituiu o 12 de outubro como data oficial para comemoração do Dia das Crianças. Somente em 1955, a data começou a ser celebrada a partir de uma campanha de marketing elaborada pela indústria de brinquedos Estrela. Primeiramente, Eber Alfred Goldberg, diretor comercial da empresa, lançou a chamada “Semana do Bebê Robusto”. O sucesso da campanha logo atraiu a atenção de outros empresários ligados à indústria de brinquedos. Com isso, lançaram uma campanha publicitária promovendo a “Semana da Criança” com o objetivo de alavancar as vendas. Os bons resultados fizeram com que esse mesmo grupo de empresários revitalizassem a comemoração do “12 de outubro” criado pelo deputado Galdino. Dessa forma, o Dia das Crianças passou a incorporar o calendário de datas comemorativas do país. O dia é reverenciado no Brasil e pelos brasileiros espalhados pelo mundo. Uma portunidade de se organizar festas e encontros envolvendo as Crianças. Na frente dos projetos festivos propostos estão os professores nas escolas, o comércio, as associações infantis e as bibliotecas públicas. Muitos brasileiros pelo mundo preservam e festejam esse dia para que seus filhos aproveitem um pouco do seu dia. Aqui em Genebra, as associações brasileiras encar24

Revue Cultive - Genève

O Dia das Crianças na Cidade de João Lisboa no Maranhão - Brasil foi feste-

jado com contação de histórias no Espaço Cultive, na Biblioteca Comunitária Incentiva, patrocinado pelo Instituto Cultive Brasil Suíça. A bilioteca está localizada no povoado de Bom Lugar. Crianças de Bom Lugar participaram do evento sob a coordenação do Padre Ernane que agradece à equipe de organização do evento: Vilma da Silva e a professora Rosângela. Agradeciemntos também à equipe de limpeza da Biblioteca e a todos os patrocinadores. Mais de 60 crianças participaram da comemoração.


GUILHERME DA SILVA O vento me levou ao meu primeiro amor O vento me levou Para muito longe de você Não sei se a verei novamente Espero nunca te perder És muito especial para mim. A saudade vem Quando você menos espera Fico lembrando de nós dois Juntos naquele gramado verde Com aquele vento bem suave. Às vezes fico sentindo O vento bem suave Para me lembrar dos nossos momentos incríveis Juntos espero te ver O mais rápido possível. Guilherme da Silva.

Revue Cultive - Genève

25


A EDITORA CULTIVE em parceria com o Informações sobre o congresso e a antologia Cultive: Institut Cultive Suisse Brésil promove o concurso GRAND PRIX FEMME D LITTÉRAIRE 2021. Com esse projeto o ICSB promove a mulher colocando em valor a sua criatividade literária e proporcionando à sociedade a possibilidade de conhecer os talentos feminino nos diversos gêneros literários.

A Edition Cultive e o Institut Cultive Suisse Brésil estabelecem as seguintes disposições para a participação no GRAND PRIX FEMME LITTÉRAIRE 2021: 1. Quem pode se inscrever • Todas as escritoras registradas como membros no Institut Cultive Suisse Brésil • Todas as escritoras inscritas no Congrés International Cultive de la Culture de la Femme que tenham obra publicada em um livro, seja solo ou antologia. • Todas as escritoras que se inscreverem na Antologia Cultive. • Escritoras que tenham participado das Antologias Cultive ou tenham obras publicadas pela Editora Cultive. 26

Revue Cultive - Genève

https://institut- cultive.com/congresso-da-mulher 2. Inscrição • Ao fazer a inscrição, a concorrente concorda totalmente com este regulamento. • A escritora deve escolher no máximo 3 categorias propostas para se inscrever. • A escritora que não possui livro solo publicado pode se inscrever na categoria Antologia, informando o título da obra publicada. • O período de inscrição para concorrer ao prêmio será de 20 de agosto ao 15 de outubro 2021. • As inscrições são gratuítas. • Link para inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/ 1FAIpQLSd-1mmRlUjwMNYhZHepdzH1DsjzGBLiuVRUPrwDdVi3kvIjQ/viewform?usp=pp_url 3. Votação • Após encerrada a fase de inscrição, os trabalhos dos inscritos serão divulgados no Canal Cultive para votação. • A votação será realizada pelos membros da Cultive e pelo público.


• O eleitor deve se cadastrar no Canal Cultive para escolher e votar no escritor da sua preferência: https://www.youtube. com/c/CanalCultive • A fase de votação será entre 20 de outubro e 20 de novembro de 2021 • A votação encerra-se às 24 horas (hora de Brasília) do dia 20 de novembro. • Os autores poderão acompanhar a votação pelo https://www.youtube.com/c/CanalCultive 3. Do resultado • O autor que receber mais likes de cada categoria será o vencedor do Concurso GRAND PRIX FEMME LITTÉRAIRE 2021. • O número de votos não será publicado em nenhum meio de comunicação, nem aos participantes. • Os vencedores serão anunciados no dia 28 de novembro de 2021 no Congrés International Cultive de la Culture de la Femme dia 26/11/2021. Os vencedores serão convidados para receberem a premiação no dia 05 de dezembro, hora a ser informada posteriormente. 4. Categorias para se inscrever • Conto e Crônica • Poesia • Romance • Bibliografia • Ensaios • trabalho de pesquisa ou tese de diploma • Infantil/Juvenil • Haikai • Histórico • Antologia 5. Como se inscrever • Preencher a ficha de inscrição pelo computador. • Enviar um vídeo de até 4 minutos (instruções no item 6). • Enviar o vídeo pelo link de inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/ 1FAIpQLSd-1mmRlUjwMNYhZHepdzH1DsjzGBLiuVRUPrwDdVi3kvIjQ/viewform?usp=pp_url 6. Premiação • Cerimônia de premiação dia 05 de dezembro pelo Canal Cultive no Youtube. • Certificado enviado pelo youtube. • Reportagem sobre os vencedores na Revue Cultive. 7. Como preparar o vídeo • Tempo máximo do vídeo 4 minutos. • Abrir a apresentação no vídeo com a seguinte fala: Eu sou....... e estou participando

do GRAND PRIX FEMME LITTÉRAIRE 2021 organizado pelo Editora Cultive com apoio do Institut Cultive Suisse Brésil com a obra (citar o título da obra). Um pouco da minha escrita.....(ler uma passagem da sua obra). • O autor deve falar apenas o seu nome sem citar biografia. • Apresente a capa do seu livro. • Durante o registro não pode aparecer nenhum outro livro, apenas o que está concorrendo ao prêmio. • O fundo do vídeo deve ser de uma cor única e pode ser um muro, uma cortina, ou um tecido liso, retire todos os objetos que venham poluir o vídeo. • Não pode ter flayer, nem panô, nem card, nem banner de nenhuma espécie. • O vídeo pode ser feito por uma pessoa que representa o autor, desde que siga as instruções dadas. • A gravação não pode haver alusão a nenhuma outra instituição. • O autor pode mencionar o título e a editora da obra. • Os vídeos que não seguirem essas regras serão eliminados. • Os vídeos devem ser enviados editados com a abertura que o autor receberá após a inscrição. • O vídeo editado deverá ser enviado unicamente pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/ 1FAIpQLSd-1mmRlUjwMNYhZHepdzH1DsjzGBLiuVRUPrwDdVi3kvIjQ/viewform?usp=pp_url Atenção : Os candidatos aprovados terão seus vídeos publicados no Canal Cultive : https://www.youtube.com/c/CanalCultive Não comunicamos as aprovações. Verifique se você foi aprovada/o, verificando os vídeos no Canal Cultive a partir do do dia 20 de outubro pelo youtube: https://www.youtube.com/c/ CanalCultive

Revue Cultive - Genève

27


seus filhos das escolas brasileiras, onde a mensalidade eram altas, e para as crianças não ficarem sem estudar, foi inaugurado o IIEC- International of Education and Culture e iniciamos ao PROGRAMA AS VALKYRIES Institute suporte educacional as crianças brasileiras e de outras nacionalidades no Japão, convidada para fazer ENTREVISTA parte do CCH- Conselho de cidadãos do ConsulaParte 1 do Geral do Brasil em Hamamatsu como Secretária 1- Seu nome, cidade e origem. executiva e Vice-diretora do Conselho cidadãos de Adriana Sugino, Hamamatsu city, Japan. estrangeiros da prefeitura da cidade de Hamamatsu.Como presidente do IIEC, fui idealizadora e 2- Fale da infância, da adolescência, da mulher es- realizadora de vários eventos tais como a Educaposa e mãe, da mulher artista, da sua ideologia e tion Fair Brasil- Japan , evento que posteriormente objetivos. foi feito em vários países com consulados brasileiros, projeto biblioteca brasileira na cidade de HaSou descendente de pai japonês e mãe portugue- mamatsu, Expoart-Brasil e Japan e outros... sa, formada em Administração de empresas pela FMU. Com 25 anos, emigrei para o Japão , trabal- 3- Que caminhos percorreu, até chegar na mulher hando como operária em fábrica de componentes que é hoje? eletrônicos, como muitos dos brasileiros descen- Criada em uma família humilde, mas com educadentes na década de 90. Mãe do Guilherme Yuichi, ção rígida e feliz. A minha mãe sempre nos ensinou nascido no JP. valores da mulher, a importância de sermos fortes, batalhadoras e independentes. Após 8 anos no país iniciei minha carreira como professora de PLE- Português como Língua es- 4- Você sempre foi como hoje? trangeira, amando a nova profissão, resolvi me Eu sempre soube o que quis , mas com o amadurededicar também à sociedade brasileira no Japão, cimento, eu consegui ser uma mulher totalmente iniciando o Projeto Crescer, com aulas de PLH- independente. Sou uma pessoa realizada. Português como Língua de Herança e suporte educacional e socioemocional. No ano de 2008, após 5- Você é uma guerreira? uma crise econômica na Ásia, e muitos brasileiros Acho que sim, mas ser guerreira também significa com dificuldades financeiras no país, retiraram ser perseverante e sonhadora.

CORAGEM E AÇÃO NO JAPÃO

28

Revue Cultive - Genève


11- Alguém em particular lhe deu a mão? Muitos desconhecidos me ajudaram no inicio, pois eu não dominava o idioma, nunca tinha me afastado da família e amigos, sou grata aos japoneses que me ajudaram e me acolheram. 12-Qual é a importância de RECEBER apoio? A importância é para diminuir a solidão e ajudar no aprendizado da cultura local e o idioma , o que facilita muito a sua vida. 13-O que mudaria na sua história? Não mudaria nada, talvez teria mais filhos... 14-Por que você participa de movimentos culturais? Eu participo, por causa do meu filho principalmente, o Japão é um país no qual a diferença cultu6- A vida foi fácil e sempre foi um mar de rosas? Não, nunca foi.... desde a infância a vida foi dura, ral é extremamente diferente da cultura ocidental. no entanto muito jovem larguei meu país, min- Idioma dificílimo, e isso faz as crianças e jovens teha família e fui para o outro lado do mundo, sem rem problemas sociais graves. conhecer ninguém, pouco dinheiro e sem falar o 15-Você é estudiosa de uma mulher guerreira. idioma local.¨ Qual a mulher na história que você se assemelha? 7- Que momento da sua vida a sua estrada bifurcou A minha mãe, é a pessoa que mais admiro, e em e como você fez a escolha e para onde ela te levou? segundo lugar Monja Coen. Como você chegou até à Europa e o qual a trouxe 16-O que desejar alcançar ainda? Seus projetos? até? Pretendo melhorar a educação das crianças braDecidi me aventurar no Japão, no momento em sileiras no Japan , os meus projetos caminham para que a minha família passava por momentos ter- isso. Sem educação o ciclo vicioso de parar os esturíveis financeiros, tinha terminado a faculdade mas dos precocemente não terminará . não conseguia emprego, e naquela época o Japão abrira as portas para os descendentes de japoneses 17-Conselho para quem deseja imigrar. para suprir a mão de obra escassa nas fábricas, essa Se prepare emocionalmente, pois migrar não é decisão mudou totalmente o ruma da minha vida e férias. Tudo é muito difícil, principalmente a saudade dos seus. da minha família. 18-Mensagem final. Quando tudo o que você julga é baseado em sua própria sabedoria, você se inclina para o egoísmo e se desvia do caminho certo . (Ya9- Você mudou como pessoa? Em que você mu- mamoto Tsunetomo) dou? O que a fez mudar? Mudei muito, quando você emigra ou migra para http s : / / w w w. y outu b e . c om / w at c h ? v = 0 Eu algum lugar oamadurecimento é inevitável. zOkTzWew 10-Onde e como encontrou força ou coragem para tal mudança, para conquistar seus objetivos? Faria tudo outra vez? Sim, faria tudo novamente, a minha força veio da minha família, eu sabia que eles dependiam de mim. 8- O que é necessário para imigrar? Coragem, perseverança, muito trabalho e obviamente um planejamento..

Revue Cultive - Genève

29


Homeschooling, Diversity Camp , projeto voltado

O NOSSO PROJETO CRESCER( PLH ) É para intercâmbio cultural dos brasileiros e japoO PRINCIPAL PROJETO DO IIEC. neses e o suporte para crianças, jovens e famílias O português como língua de herança (PLH) é um patrimônio linguístico e cultural transmitido às crianças por suas famílias. É a língua diferente do idioma do entorno onde vivem que não se usa socialmente, mas que, no entanto, é o idioma da família. Portanto, a língua de herança está carregada de sentimentos, história familiar e identidade. É uma língua-cultura.

com o Socioemocional.

Ensinar o português como língua de herança é diferente de ensinar português no Brasil ou ensinar português a um estrangeiro porque exige uma didática que considere que as possibilidades de uso do idioma de herança pelos alunos estão restritas aos ambientes familiares e suas comunidades nos países de destino. Todos os projetos são em parcerias com o governo japonês e o governo brasileiro e instituições privaA possibilidade de uso do idioma de herança é a das. principal razão pela qual os falantes apresentam diferentes graus de compreensão da língua falada e O Projeto principal é o PLH, que contamos com escrita. Há aqueles alunos que compreendem a lín- 76 crianças inscritas. No IIEC contamos aproxigua falada com vocabulário reduzido, e há aqueles madamente com 115 entre crianças, adolescentes e que possuem pleno domínio do idioma falado, mas jovens, participantes dos nossos projetos na cidade estão em busca de aperfeiçoar a escrita ou encon- de Hamamatsu -Japão. A cidade com a maior cotrar meios de praticá-lo. munidade brasileira no Japão. O ensino da língua de herança, portanto, deve ultrapassar o aprendizado estrutural (gramática, ortografia, etc.) para incentivar a comunicação entre os falantes em terras estrangeiras, com o objetivo de torná-los bilíngües e fortalecer a identidade cultural. Os Projetos do IIEC se divide em: PLH, PLE, Reforço Escolar, Preparação para iniciar e suporte escolar para escolas japonesas, Suporte para ingressar nas universidades japonesas, aulas de inglês, 30

Revue Cultive - Genève

Nossos projetos são abertos a qualquer nacionalidade, no momento temos alunos de todos os países da América Do Sul e outras nacionalidades. Esse ano o IIE completa 13 anos de existência. E com grande colaboração de voluntários japoneses.


da comunidade. Após dois anos, tive uma estafa, fomos morar mais próximo do hospital. Com 14 anos, passei a trabalhar como balconista numa loja de tecido e depois numa revendedora de peças de veículos. Nos finais de semana, saía de porta em porta para vender as roupas que minha mãe costurava. Meu pai faleceu, eu estava com 16 anos de idade. Continuava a necessidade de trabalhar para colaborar no sustento familiar. Com 18 anos, me casei, voltei a morar na minha terra natal, as condições de vida não permitiram que eu continuasse meus estudos. Ainda que somente com oitava série do ensino fundamental, consegui uma vaga para lecionar. Encantei-me com a profissão de professora, voltei a estudar... Com 20 anos, tive a minha primeira filha - JANAÍNA - depois de quatro anos, no término de outra gestação, minha filha foi atropelada, passou para o plano espiritual. A dor tomou conta do meu ser... Dois dias depois, nasceu PROGRAMA AS VALKYRIES um menino - JESSÉ - após um ano e meio, outro Entrevista Hélia Alice dos Santos homenageada menino - THIAGO - ao passar de oito anos, mais pelo Insitut Cultive Suisse Brésil- Prêmio Valkyrie uma menina - ESTER. A relação conjugal foi um 2021 em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pouco conturbada, meu esposo tinha a dependênno projeto Associação Pró-CREP. cia do álcool, não admitia, muito menos aceitava tratamento. Para melhor lidar com a situação, Parte 1 eu participava de terapias e movimentos que me 1- Seu nome, cidade e origem. fizessem feliz. Faz quase 10 anos que meu marido Hélia Alice dos Santos - Palhoça, Santa Catarina, foi acometido por um AVC, está numa cadeira de Brasil. rodas, também perdeu a fala. Continuo dando suporte a ele. 2- Fale da infância, da adolescência, da mulher esposa e mãe, da mulher artista, da sua ideologia e Tive o privilégio de ser professora dos meus três objetivos. filhos, minha relação com eles sempre foi baseada Desde muito cedo, ajudava nas atividades domésti- no amor, respeito e muita parceria. Sempre gostei cas, nos domingos à tarde, normalmente, com uma da arte, dos detalhes que incrementassem os amou duas colegas, brincava de piquenique nos arre- bientes, assim me movimentava na minha casa, na dores da nossa morada. Meu pai, que era pescador escola, na comunidade... Minha essência é voltada de embarcação industrial, voltou pra casa para se para semear o bem, conectar pessoas, cuidar dos tratar de um câncer. Tínhamos vacas leiteiras, min- espaços, tomada de atitudes e perseverança naquiha mãe trabalhava como atendente de enfermagem. lo em que acredito. Tenho como objetivo promover Nesse tempo, eu estava com 12 anos de idade, min- o desenvolvimento sustentável por meio do amor, ha mãe precisou dar atenção ao meu pai, que vivia da inclusão social e das trocas dos saberes. muito mais no hospital do que em casa. Apesar de muito jovem, junto com meu irmão, que tinha ape- 3- Que caminhos percorreu até chegar na mulher nas um ano e quatro meses mais que eu, assumi os que é hoje? cuidados com os dois irmãos mais novos (quatro e Percorri um caminho de muita resiliência. Fazia cinco anos de idade). Além disso, cuidávamos dos o enfrentamento dos que tentavam me bloquear. animais, pegávamos ração (capim) nos morros, Sempre fui muito intensa, focada nos propósitos tirávamos o leite das vacas e o colocávamos em li- que surgiam no dia-a-dia. tros de vidro e o destinávamos para o armazém da comunidade. Paralelamente, assumi os trabalhos 4- Você sempre foi como hoje? de minha mãe e, com doze anos de idade, já apli- De maneira alguma, quando mais jovem, minha cava injeção intravenosa e muscular nas pessoas Revue Cultive - Genève

31


auto-estima era baixa, me sentia inferior em todos os sentidos. Sofria com as desilusões, em especial com as pessoas que tentavam me afetar negativamente. 5- Você é uma guerreira? Hoje, fazendo uma retrospectiva de vida, me sinto uma guerreira, sim, quantos obstáculos vencidos, sou segura, minha maturidade transcende o ato de gratidão. 6- A vida foi fácil e sempre foi um mar de rosas? Não, enfrentei muitas marolas, às vezes tão fortes que me sentia sem forças. 7- Em que momento da sua vida a sua estrada bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela te levou? Quando senti que precisava voltar a estudar, do contrário perderia o espaço de professora, me encantei e percebi um maior sentido para a minha vida. Com dedicação e persistência, segui o magistério até o mestrado. O que me levou a ser professora em todos os âmbitos educacionais – da educação infantil ao curso superior. Meu trabalho como educadora foi de extrema dedicação, o entusiasmo me impulsionava para ir além de uma sala de aula construída por quatro paredes, se estendia às famílias que aos poucos se movimentavam comigo nas ações da escola, ao mesmo tempo, como uma onda gigante, ultrapassava os muros da escola e banhava a comunidade. O maior exemplo foi o projeto Pró-CREP (Criar, Reciclar, Educar e Preservar), quando na década de 90 fui trabalhar na 32

Revue Cultive - Genève

Escola Reunida Prof. Olga Cerino (multisseriada, apenas eu de professora e uma merendeira) no bairro da Guarda do Embaú – Palhoça – SC. Na época, o referido bairro era abarrotado de lixo, pois a coleta dos resíduos, até mesmo a convencional, era deficiente. A escola, por sua vez, em condições precárias tanto na estrutura física quanto pedagógica. Vi nos resíduos a oportunidade de transformar essa realidade num novo cenário. Primeiro, a mobilização com as pessoas da comunidade escolar e local, logo iniciamos o processo de coleta dos resíduos que eram lançados em terrenos baldios e fundos de quintais. Passei a observar as embalagens e transformá-las em material didático e decorativo, inclusive com o embelezamento do bairro com árvores natalinas. Nesse contexto, os recursos provenientes da comercialização dos resíduos também eram empregados em benfeitorias para a escola e a comunidade. No ano de 1997, fui estimulada a participar do “Prêmio Incentivo à Educação Fundamental”, fui contemplada nacionalmente. A partir de então, fui designada a expandir o projeto para toda a região sul do município (13 bairros). A prefeitura conseguiu recurso federal e construiu um galpão para o Centro de Triagem de Resíduos Sólidos Recicláveis e as atividades passaram a ser desenvolvidas ali e a renda adquirida começou a ser rateada entre as famílias que faziam o processo de coleta e triagem dos materiais. Depois de um ano e meio de trabalho, com a mudança de gestão municipal, fui recolhida para sala de aula e tiraram a caçamba que fazia a coleta dos recicláveis. Sem uma pessoa para mediar e sem a coleta dos recicláveis, foi impossível continuar o projeto. Um ano de paralisação do projeto, inconformada com a situação, paralelo ao meu trabalho de sala de aula, voltei a mobilizar outras pessoas, aproveitava o horário do recreio, das aulas de educação física e fins de semana para dar assistência ao grupo. Houve o reinício das lutas, coleta com carrinho-de-mão, carrinho de papeleiro, mutirões na comunidade. Diante de alguns desafios, transformamos o projeto na Associação Pró-CREP, legalmente instituída. Continuo voluntariamente atuante na Associação. Atualmente, fazemos a coleta e enfardamento dos materiais recicláveis, coleta do óleo de cozinha e, a partir dele, produzimos biodiesel e sabão, contamos com o brechó “Consumo Consciente”, Feira do Cacareco; reaproveitamos cerâmicas para oficinas de mosaico e tecidos para oficinas de costura. Proporcionamos educação socioambiental para diversos níveis da educação. Contamos com veícu-


los próprios para a coleta dos recicláveis e do óleo de fritura. Temos parcerias com diversas universidades, o espaço da Pró-CREP serve de laboratório para pesquisas acadêmicas e diversos outros trabalhos envolvendo escolares desde a educação infantil ao nível superior. Atualmente, 53 pessoas tiram seu sustento do projeto. São 50 toneladas de resíduos/ mês que deixam de ir para um aterro sanitário. O mais belo de tudo é a inclusão social de dependentes químicos em recuperação, ex- presidiários, imigrantes haitianos, mulheres chefes de famílias e desprovidas de oportunidades, afrodescendentes. Se trata de uma inclusão que transforma. Entendo que todo esse processo se deu pelo caminho de uma educação empreendedora, emancipada, humanizada e descolonizada. Via educação podemos melhorar o mundo. Como em qualquer lugar, basta ter pessoas para existir problemas com o consumo (muitas vezes desenfreado) e a discriminação social. Quem me conhece, ao se deparar com essas situações, impossível não lembrar das ações em que me movimento, assim fui indicada para chegar até a Europa. Sem dúvida alguma, o caminho foi a educação.

estimulados a prosseguir e a enfrentar os desafios. 13- O que mudaria na sua história? Nada, sou feliz e grata. 14- Por que você participa de movimentos culturais? Considero importante o respeito pela riqueza e diversidade das culturas, as histórias precisam ser preservadas. 15- Você é estudiosa e uma mulher guerreira. Qual a maior particularidade na história da Anita Garibaldi, existe alguma semelhança de comportamento dela com o seu? Penso que diante da época, da realidade de uma educação totalmente tradicional, os movimentos em que me dediquei como educadora foram de muitos enfrentamentos, e o resultado de todo contexto não deixa de ser uma revolução, foi uma trajetória que deixou marcas. O alcance das minhas lutas foi sempre baseado no Amor Exigente, na resiliência, talvez nessa perspectiva eu tenha alguma semelhança com Anita.

8- O que é necessário para imigrar? Coragem e oportunidade.

16- O que deseja alcançar ainda? Seus projetos? Desejo ver a transformação da educação, que através dela possamos formar pessoas mais humanas 9- Você mudou como pessoa? Em que você mu- e responsáveis, conectadas ao desenvolvimendou? O que a fez mudar? to sustentável. Almejo preparar pessoas para dar Minha trajetória de vida provocou mudanças em continuidade ao projeto Pró-CREP, que essas sejam meu ser, me sinto mais segura, tenho muito mais promotoras dos princípios já construídos e tenham discernimento para entender as diferenças e a visão a espiritualidade aguçada para ampliar e inovar do compartilhar para outros darem continuidade outras perspectivas. Também almejo colaborar na nas ações que me propus a fazer. Sem dúvidas, o construção de uma nova educação. que me fez mudar foi a superação de cada obstáculo, a persistência e entusiasmo pelo bem maior. 17- Conselho para quem deseja imigrar. Que seja seguro de seus objetivos. 10- Onde e como encontrou força ou coragem para tal mudança, para conquistar seus objetivos? Faria 18- Mensagem final. tudo outra vez? Me inspira a mensagem de Paulo Freire: “A educaNão tenho explicação, tudo aconteceu natural- ção não muda o mundo, modifica as pessoas que mente, vivi o esperançar, uma luta a cada dia. Sim, vão modificar o mundo”. faria tudo de novo, logicamente com novo olhar, Também o dizer de Madre Tereza de Calcutá: “As pois vivemos em outra era. mãos que fazem valem mais do que os lábios que rezam”. 11- Alguém em particular lhe deu a mão? Nossa vida deve ter sentido, o resultado de nossas Sim. Nunca fiquei só, sempre tive o apoio familiar ações deve pelo menos ser equivalente ao direito e da comunidade. que recebemos de viver no planeta Terra. Sou grata ao espírito de liderança, de conciliação, 12- Qual é a importância de RECEBER apoio? de agregadora. As pessoas precisam de quem as Quando recebemos e valorizamos os apoios, somos conduza, de quem valorize seus atributos e canaRevue Cultive - Genève

33


desde 2012. Atualmente para as atividades da Covid-19, ela atua como: • Investigadora, e Coordenadora dos estudos da vacina de Oxford-Astra Zeneca no Brasil • Coordenadora dos estudos da vacina da Clover no Brasil • Presidente do Comitê Científico de Covid-19 do Instituto Médico de Pesquisa Bill e Melinda Gates, • Membro do Comitê Científico da vacina Covid-19 da Curevac, Alemanha, • Membro do Comitê Científico da vacina de Covid-19 da Clover, China. • Investigadora Principal do projeto Fundacao Bill e Melinda Gates - Projeto de preparação de centros em Pesquisa clinica na America Latina para vacinas de COVID -19. Preparou 22 centros em 7 países. • Membro do Grupo de Especialistas que fizeram recomendações formais aos Ministros da Saúde do G7 2021. • Condecorada com a Medalha de Ordem do Mérito Médico na classe de Comendador, Conferida pela Presidência da República e Ministério da Saúde do Brasil • Condecorada com a Medalha Rui Barbosa, COMENDADORA PROF. DR. SUE Conferida pelo Ministério de Turismo, Secretaria ANN COSTA CLEMENS SERÁ HOME- Especial da Cultura, Fundação Casa Rui Barbosa

NAGEADA NO CONGRÉS CULTIVE INTERNATIONAL CULTUREL DE LA Sue Ann tem mais de 25 anos de experiência na indústria farmacêutica (GSK, Merck, Novartis) em FEMME 2021. diferentes funções e responsabilidade crescente no A Profa. Dra. Sue Ann Costa Clemens é chefe do Instituto de Saúde Global da Universidade de Siena, sendo uma de suas fundadoras. Também é uma das fundadoras e Diretora do Programa pioneiro de Mestrado em Vacinologia e Desenvolvimento de Medicamentos da Universidade de Siena, desde 2008, treinando futuros líderes em vacinas. Sue Ann tambem é Professora de Infectologia Pediátrica no mestrado, na Universidade de Siena.

desenvolvimento clínico, assuntos médicos, assuntos regulatórios e governamentais. Sue Ann liderou o desenvolvimento de vacinas como por exemplo Rotavírus, HPV, pneumococo, meningococo, pentavalente, COVID -19 entre outros.

Liderou um dos maiores estudos de fase 3 até a presente data. Os maiores estudos foram de rotavirus da Merck e GSK. Fez parte do desenvolvimento Diretora do Grupo de Vacinas Oxford-Brasil, clínico da primeira vacina que obteve uso emerProfessora em Saúde Global na Universidade de gencial no mundo em outubro de 2020, a nova vaOxford. cina oral contra poliomielite, nOPV. Ela também é professora e Chefe do Departamento Clínico e Relações Internacionais do Instituto Carlos Chagas, no Brasil. Além disso, ela é conselheira sênior e consultora em desenvolvimento de vacinas da Fundação Bill e Melinda Gates, cargo que ocupa 34

Revue Cultive - Genève

Ela também foi responsável por implementar Educação Médica Contínuada como membro do Grupo Internacional da Comissão Educacional para Graduados em Medicina para Estrangeiros (ECFMG- Filadélfia, EUA).


PROGRAMA AS VALKYRIES ENTREVISTA 1-

Seu nome, cidade e origem:

Comendadora Prof. Dra. Sue Ann Costa Clemens, natural do Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

gia e objetivos. Tive uma infância feliz, saudável, cheia de descobertas e curiosidades. Foi a curiosidade que traçou minha trajetória na medicina e na pesquisa, na tentativa de, por meio da saúde pública, fazer um bem maior.

As diferenças sociais e econômicas me deixavam muito angustiadas – eu lembro que discutia sobre 2- Onde reside? isso com meu pai e sempre tentava pensar em Costumo dizer que minha casa é o mundo, fazendo como salvar o mundo, dentro da minha imagipesquisa. Há alguns anos moro na Itália, compro- nação infantil. Desde criança ele me levava para metida com o Instituto de Saúde Global e o Mestra- conhecer orfanatos e, lá, oferecer ajuda, lendo para do na Universidade de Siena, mas desde o início os internos, convivendo e entendendo as diferentes de 2020, com o trabalho focado na pandemia do realidades — essa foi minha introdução em saúde novo coronavírus, estou fixada no Brasil, no Rio de pública, e fez toda a diferença em minha vida. Janeiro. 9- Como você chegou hoje na posição de Coordenadora dos estudos da vacina da Clover no 3- Sua profissão? Brasil. Médica, pesquisadora e professora.

O caminho da persistência e do enfrentamento de desafios, especialmente por ser mulher e lati4- Atividade cultural que exercer? no-americana. Mas, com humildade, eu sempre Não exerço atividade cultural, mas desfruto de tentava dar um passo à frente. concertos musicais, exibições de arte, e tenho sentido muita falta desse contato cultural durante a Fui professora primária, me formei médica e me especializei em pesquisa clínica, carreira que me pandemia. possibilitou atuar internacionalmente e me levou também a lecionar no Brasil e fora dele 5- Quais as causas que você defende? Saúde pública, equilíbrio de gêneros e acesso igualitário a benefícios.

Trabalhar com a Fundação Bill e Melinda Gates já há 10 anos me deu uma dimensão muito maior e diferente das diversidades em saúde global.

6- Sua relação com o meio ambiente, com o 10- O que faz cresacer uma pessoa’ O contato com o ambiente que nos circunda é homem? transformador. O conhecimento nos faz pensar. Relação de respeito, admiração, proteção. Eu pro- Aprendi a ouvir mais e a tentar entender as razões curo sobretudo ajudar na conscientização dos de- das coisas e das pessoas. A refletir mais antes de mais em relação à importância de abraçarmos tais reagir, a pensar a longo prazo e não só no imediato. Não acho que mudei na essência, mas, para enfrencausas. tar os desafios que a vida e o mundo em que vivemos nos impõem, fiquei mais “dura”, mais objetiva 7- Ser ou não ser, ter ou ser? Ser – descobrir a missão pela qual viemos a este – pois para entregar resultados devemos estabelecer ou respeitar prazos, focar nos objetivos e nos remundo Ter – a habilidade e a coragem de cumprir esta sultados de qualidade. Isso fez toda a diferença no meu trabalho durante esta pandemia, atuando no missão desenvolvimento de 3 vacinas e ajudando a trazer 8- Fale da infância, da adolescência, da mul- uma vacina à população mundial ainda em 2020; her esposa e mãe, da mulher artista, da sua ideolo- preparando centros de pesquisa em toda a América Revue Cultive - Genève

35


Latina aptos a testar qualquer vacina contra COVID que chegasse à fase 3. Preparação, estratégia.

médicos de Israel, da Espanha, da Índia, entre outras nacionalidades. Eu também fazia parte do grupo de estudo de doenças tropicais, e neste entendi 11- Você é uma guerreira? e troquei informações em saúde pública muito imCom certeza portantes para o meu desenvolvimento. O entendimento da realidade de outros povos, suas cultu12- A vida foi fácil ou sempre foi um mar de ras, dificuldades e de como eram os seus sistemas rosas? de saúde e sua capacidade de resposta abriu horizontes e me proporcionou uma bagagem de conheA vida e as pessoas têm sempre algo de positivo, cimentos valiosa para a vida pessoal e profissional. de belo, e nós temos que buscar isso, e nos adaptar da melhor forma. Não aceitar os movimentos Depois, devido à pesquisa na indústria, me mudei e curso natural da vida e dos acontecimentos, não para a Europa, sendo responsável pela pesquisa inentender esses acontecimentos e seu ciclo natural, ternacional em países em desenvolvimento. Após as perdas, as diferentes fases, o envelhecimento, a Europa, voltei aos Estados Unidos, onde iniciei os desencontros etc., tudo isso dificulta o viver, a a preparação e a estratégia de desenvolvimento do felicidade, a evolução. É preciso assumir suas res- que pensei à época ser o meu maior desafio: uma ponsabilidades, seus erros, suas vitórias e evoluir. das maiores pesquisas de fase 3 realizadas até hoje, Emoções e relações humanas em âmbito pessoal e a do rotavírus. profissional são nossos maiores desafios. Ninguém nos ensina a viver — nós simplesmente vivemos. Trabalhando em desenvolvimento clínico interAlguns aprendem com isso, outros não. É impor- nacional, principalmente com a pesquisa do rotante ouvir, saber conceber a mensagem, imple- tavírus, recrutando voluntários em 12 países na mentar e executar. América Latina e na Europa, senti a necessidade de criar algo ainda mais significativo em pesquiA forma como reagimos aos fatos faz toda a di- sa e, principalmente, onde havia mais necessidade ferença e norteia nossa trajetória. Não importa a – nos países em desenvolvimento na África, na nacionalidade, as pessoas e suas emoções são pre- Ásia e na América Latina. Nesse sentido, fui parar visíveis, só moldadas por diferentes culturas. Temos em Siena para criar o mestrado em vacinologia e que ser maiores, pensar mais alto, não nos abalar e desenvolvimento clínico de fármacos da Universienfrentar o que vem, sabendo que podemos vencer dade de Siena, programa pioneiro e único até hoje. ou não, mas lutando, vivendo, participando faz a diferença! 14- Alguém em particular lhe deu a mão? 13- Como você foi trasbalhar fora do Brasil? Eu já conduzia pesquisas clínicas no Brasil e na América Latina, primeiro com minha tese de mestrado e depois na indústria farmacêutica, como sub-investigadora e, posteriormente, trabalhando part time no departamento médico de pesquisas clínicas.

Tive 3 mestres, que sempre me apoiaram nas diferentes fases da vida: meu pai, Antonio Carlos Fontão Costa, a Dra. Miriam Friedman (ECFMG) e o Prof. Dr. Ernani Aboim (Carlos Chagas Institute).

E tenho o melhor dos companheiros, meu marido Ralf, como um apoiador pessoal e profissional, Meu primeiro desafio internacional foi morar nos mestre diário, pois tem um conhecimento infinito EUA, na Filadélfia, por intermédio do ECFMG em vacinas em geral. (Educational Commission for Foreign Medical Graduates). Fiz parte do meu treinamento no hos- 15- Qual é a importância de RECEBER apoio? pital infantil da Penn University e depois no grupo internacional de Medical Education da Hahne- Poder dividir pensamentos, enxergar além fronteimann University, onde criamos o projeto que se ras, receber críticas, pensar diferente, crescer.Divichama de Standardized Patient Training. Com essa dir os anseios, receios , metas, sucessos e falhas. experiência, tive a oportunidade de conviver com diferentes culturas em um outro país. Tive colegas 16- O que mudaria na sua história? Onde e 36

Revue Cultive - Genève


sofreu com o idioma, mas se fez entender e venceu os obstáculos. Guerreira, diplomata. 19-

O que deseja alcançar ainda? Seus projetos?

Gostaria de me dedicar mais à Yoga e à meditação – de forma muito mais regular. Ser feliz e saudável. Expandir o mestrado de vacinologia da minha universidade, em Siena, para outros continentes e contemplar mais alunos. Visitar os orfanatos para os quais contribuo há mais de 2 décadas, pois nunca os visitei. , ficam na Bolívia Criar o primeiro braço da Universidade de Oxford nas Américas, no Brasil – um braço avançado na como encontrou força ou coragem para tal mudan- pesquisa clínica de excelência, continuando o traça, para conquistar seus objetivos? Faria tudo outra balho suado que tivemos nesta pandemia, e não deixar que toda essa capacitação de pessoal e criavez? ção de infraestrutura tenham sido em vão. Não acho que posso pensar em mudar algo, pois tudo tem uma harmonia e está encadeado – se 20- Mensagem final. mudo algo, penso que todo o resto será impactado Como pessoa: seja você mesma sempre, evolua e posso não me reconhecer. aprenda com seus erros, tente ver sempre um lado Posso pensar em mudar minha atuação no pre- positivo nas experiências que a vida nos traz. sente e no futuro, com ações e reflexões pós-pandemia. Creio que todos tivemos muitas lições, em Como profissional, é ter claras essas quatro resposdiferentes aspectos e grandezas, e que devemos pa- tas: what, how, who and when. rar e refletir para continuarmos de forma melhor, What - defina o que gosta; How - identifique os meios para chegar a esse mais inteligente e mais coletiva. “goal”, se dedique, não meça esforços nem se abale 17- Você é estudiosa de uma mulher guerreira. com os obstáculos, porque eles existem; Na minha vida, é minha avó paterna: mulher deter- Who - identifique as pessoas que possam te apoiar minada, sem medo de estar à frente de seu tempo. nessa caminhada; Guerreira, contribuiu para a ciência e a saúde co- When - saiba aproveitar as oportunidades ou, se letiva ao caçar cobras e enviá-las ao Instituto Bu- elas não vierem, aprenda a criá-las, mas não desistantã, em troca de receber soro antiofídico para os ta. profissionais de sua fazenda. "Não há temas esgotados, mas pesquisadores esgo18 - Qual a mulher na história que você se asse- tados no tema.” melha? Na história, prefiro pensar em alguém significativa para o Brasil: Maria Leopoldina (estrangeira , enfrentando o desafio de se adaptar a uma cultura diferente, a pessoas desconhecidas, em um lugar totalmente novo, e que, mesmo em seu tempo tempo, desempenhou um papel crucial, profissional e na política, para o destino de um novo país/nação – sensível e curiosa em relação às ciências, ela enfrentou o mundo dos homens, do alheio na cultura, Revue Cultive - Genève

37


Fabiana Machado Mendes, natural de Irecê-Bahia/Brasil, é advogada, formada em Direito pelo Centro Universitário Nobre (UNIFAN), em 2012. Pós-Graduada em Filosofia Contemporânea pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Pós-Graduada em Direito da Mulher pelo Centro Universitário UNIDOMBOSCO (UniDBSCO). Membro da Academia de Cultura da Bahia - ACB. Foi a 1° colocada no Concurso de Artigos, realizado durante o Evento Novas Teses das Ciências Criminais - Ano XI & X, no Encontro Baiano de Direito Penal, em outubro de 2013, com o tema “A Caixa de Pandora: perfil genético no âmbito da investigação criminal à luz do princípio do Nemo Tenetur se Detegere”. Ideóloga do Projeto Versos de Mulher (@versosdemulher), uma organização de mulheres que apoia meninas e mulheres em situação de violência doméstica e familiar, com atendimentos que são gratuitos para as mulheres que estão na condição de vulneráveis sociais. Também são realizados saraus beneficentes e o projeto conta com uma linha de roupa própria da marca Versos de Mulher, a qual ajuda a sustentar as atividades do projeto. Ideóloga do Projeto Histórias Brilhantes (@historiasbrilhantes), que é uma ação social que visa renovar a esperança nos corações das pessoas através da difusão de histórias e experiências de vidas alheias. O projeto Histórias 38

Revue Cultive - Genève


Brilhantes publica entrevistas de pessoas que superaram grandes desafios da vida, a fim de servir de exemplo para outras pessoas que estão atravessando sérios e difíceis problemas, pois acredita que é necessário espalhar motivação às pessoas para que elas transponham as barreiras e alcancem os seus sonhos. Fabiana possui o encanto e a beleza da arte poética inoculados em suas veias. Desde sua juven-

tude, escreve ensaios poéticos, influenciada pelo movimento social, filosófico e político. Contudo, foi a partir da amizade e incentivo da amiga Solange Durães, escritora e poeta baiana, que eclodiu a vontade de escrever e publicar poesias. Possui vários textos, artigos e poesias publicados pela imprensa local. veja a entrevista com Fabiana Machado https://www.youtube.com/watch?v=LiXdfGBqCgM

Revue Cultive - Genève

39


do trabalhar desde muito nova e, de tentar fazer a escolha de pessoas que agreguem ao que considero importante.

PROGRAMA AS VALKYRIES: ENTREVISTA Daniana Quelle possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (1987). Formação em Psicanálise no Círculo Psicanalítico da Bahia (2000) e Instituto Brasileiro de Psicanálise. Mestra em Psicanálise pela Universidad Argentina Jonh F. Kennedy – Argentina, aprovada na defesa da tese com título sobressaliente por unanimidade.Atende em Consultório de Psicanálise há mais de 20 anos, atendendo pacientes do Brasil e do Exterior.Conferencista e Palestrante Internacional.Autora do livro Diário de Uma Analista: A Psicanálise que Ninguém te Conta. Editora Scortecci. São Paulo. Autora do livro Psicoanálisis Aplicado como Tratamento de los Nuevos Síntomas (no prelo) na Editora Letra Viva em Buenos Aires 1. Você sempre foi como hoje? Não, a mudança me acompanha. Desde os cabelos, algumas percepções mudaram. Sei que meus valores e princípios se aperfeiçoaram e persevero para que sejam imutáveis.

3- Fale da infância, da adolescência, da mulher esposa e mãe, da mulher artista, da sua ideologia e objetivos. Fui uma menina muito tímida e de uma cobrança grande, afinal, entrei na escola aos dois anos. Uma adolescente melancólica, com problemas internos que só se desaguavam no sorriso amarelo, nos cadernos e atividades escolares e na poesia escrita com muita vergonha. Hoje sou mulher, esposa de um cara muito legal, que é meu melhor amigo, que me incentiva e partilha das melhores conversas. Com Júlio há espaço para minhas inquietações e espontaneidade. Não sou mãe, acho que só espiritual e quando, mesmo que sem querer, materno meus alunos. Me asseguro em valores bíblicos, com muita criticidade e verdade. Sobrevivi ilesa a um acidente no momento de seleção do doutorado, um dos milagres mais lindos que posso contar, deste modo, sei que minha literatura é atravessada por mensagens bíblias, por provocações à religião, pela denúncia da violência contra mulher, pelo questionar do pensamento machista imbuído em diversos tipos humanos. Quanto a minha vida de escritora, tive a oportunidade de ser incentivada pelas professoras Carine Araújo, João Neto e Evany (no Ensino Médio), Rita Queiroz (minha orientadora da graduação e agora do doutorado) que me convidou para participar da Confraria Poética Feminina. Lá pude colocar meus primeiros poemas e contos curtos, fui incentivada por muita gente – AnaCarol Cruz, Érica Azevedo, Adna Couto, Alexandra Patrocínio, entre outras. Ali ganhei fôlego para publicar meu primeiro livro – Contos às Marias (2017) e, nem passava pela minha cabeça que as pessoas fossem gostar. Eu me vi com a necessidade de publicar as histórias que ouvia, os relatos que sabia depois de apresentar trabalhos filológicos a partir de um processo crime de estupro localizado no acervo do Centro de Documentação e Pesquisa da Universidade Estadual de Feira de Santana, onde fiz a graduação e mestrado. Entrei no doutorado em 2019, e continuei a estudar processos crimes, é a forma de ter acesso a fontes reais de violência e problematizar posturas e penas para as vítimas, acusados, testemunhas e outros os envolvidos nos crimes.

2. Que caminhos percorreu, até chegar na mulher que é hoje? Muitos e, geralmente, difíceis. Foi preciso me mirar na força das minhas avós, na paciência de meu pai, na garra de minha mãe, no eterno desvencilhar das opiniões que nos são postas para paralisar. No exercício contínuo do me desligar daquilo que 3. não me compete, do estudar na loucura do tempo, 40

Revue Cultive - Genève

Você é uma guerreira?


Sou. Apenas não quero romantizar a jornada tripla, às vezes, de estudo e trabalho. Sei que tenho a mente inquieta, mas sem que pareça vitimismo, eu tive que aprender que minha melanina e cabelo 4C e biotipo fora dos ditos padrões me isolavam na escola. Além de tudo só comecei a me reconhecer, na literatura, por exemplo, depois da graduação. Tenho uma história engraçada, pois vi meu marido pela primeira vez na biblioteca da Universidade Estadual de Feira de Santana, quando fui pegar o livro – Quarto de despejo: diário de uma favelada – de Carolina Maria de Jesus. Eu já no doutorado, não tinha lido esse livro. Meu marido é negro também e esse livro nos marca de diversas maneiras.

cumentos literários e não literários: estudos filológicos, linguísticos e históricos” (2017) – publicado pela editora CEPLiB, apoiado e financiado pelo Colégio Adventista da Bahia naquele contexto e gestão. Foi uma felicidade ter meus alunos aprendendo a fazer uma edição filológica nos poemas originais de Castro Alves. Eu pude ensinar o Romantismo, a história da língua e mostrar a ciência que estava reservada aos cursos de Letras e pós-graduações. Então, pude viver a transdisciplinaridade, ela que tanto diz de mim, desde o meu viver ao me relacionar com o mundo.

8. Você mudou como pessoa? Em que você mudou? O que a fez mudar? Me acho melhor, menos agoniada e mais aberta às mudanças. Além disso, tento ser cristã na essência, não me vejo mais sem ser igreja, onde encontro 4. A vida foi um mar de rosas? Diante do que falei nas perguntas anteriores, não afago, histórias de dores e superação, o sobrenatufoi fácil, acho que para ninguém é. No entanto, ral e uma vida além dessa finitude. A insatisfação percebo que quando “trago à memória o que me comigo mesma me fez mudar, me sinto mais bonitraz à esperança” (Lamentações 3:21) consigo pen- ta, mais autêntica e com uma nova oportunidade a sar em estratégias para sair dos momentos difíceis, cada manhã. das crises criadas e surgidas no caminhar. Então, Onde e como encontrou força ou coragem tento plantar as rosas e sentir o perfume ao longo 9. para tal mudança, para conquistar seus objetivos? do tempo. Faria tudo outra vez? Em Deus, em pessoas que me motivaram, na tera6. Quanto às dificuldades, existiram? Sempre, nos estudos, apesar de estudar com muito pia, na literatura, nas orações de Dalva e de outros esforço na escola particular, nem sempre conseguir irmãos da igreja, nos joelhos dos meus pais, no acompanhar tanta competição e conteudismo. Eu abraço, no amor, nas conversas dos amigos, no gostava mesmo era de ler, me encontrava na lite- amor do marido, nas histórias bíblicas. ratura para fazer universos paralelos àquilo tudo.

7. Em que momento da sua vida a sua estrada bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela te levou? Quando eu entrei na universidade achando que seria pesquisadora da literatura. Me vi acuada com tanta teoria e apaixonada pela Filologia, através das aulas da Rita Queiroz. Então estudei cartas, processos crimes e, compreendi que poderia fazer o retorno à literatura a partir das aulas no Ensino Médio alinhando à filologia ao espaço da sala. Junto com outro colega na época – Gilmar Costa, organizei um livro denominado “Ecos da escravidão em do-

10. Alguém em particular lhe deu a mão? Dalvinha. Ela e eu lemos o novo testamento todinho pelo celular, num momento de muita dor pra mim. Muito antes de existir pandemia, nós virtualmente, nos encontramos. Com uma diferença de idade e de mundo. Encontrei nela o espaço do cuidado. 11. Qual é a importância do apoio? A possibilidade de uma nova visão, o entendimento de não estarmos sozinhos, a troca de sorrisos e de lágrimas, as várias histórias que te levam a saber que é possível sobreviver. Revue Cultive - Genève

41


a AILB – Academia Internacional de Literatura 12. O que mudaria na sua história? Brasileira; a AVAL – Academia Virtual de Arte LiTer conhecido o amor de Deus mais cedo e confiar terária e a AIML – Academia Internacional Mulmais em mim. Ter lido mais referências que se ajus- heres das Letras. tam comigo. Ter sabido do termo midsize e entendido o limbo-lindo do corpo que tenho. Mas tudo 16. Em que você trabalha? faz parte da história, então, melhor que eu ressigni- Sou professora de Língua Portuguesa e Literatura fique os erros, as decepções e virem aprendizado. dos ensinos fundamental anos finais e médio. Mas preciso confessar que minha paixão mesmo é lite13. Por que você participa de movimentos ratura. É o lugar do meu encontro, dos questionaculturais? mentos, da observação da repetição e dos paradigAtualmente não estou filiada, mas sempre que mas quebrados ao longo do tempo. convidada, participo de palestras e ambientes que ressaltem a cultura. 17. Você trabalha em alguma entidade filantrópica ou realiza ou apoia algum projeto ou en14. O que desejar alcançar ainda? tidade social? A vida abundante, a plenitude das escolhas. O não Eu trabalho no Colégio Adventista da Bahia, que ter tudo, mas ser feliz com cada conquista, com cada faz parte de uma rede filantrópica. Me sinto, hoje, passo. Em termos de metas, o término do doutora- feliz em compreender e implantar na minha prádo, a escrita de, ao menos, um romance. As viagens tica docente os valores socioemocionais alinhados e fotografias pelo mundo. As amizades mais since- aos princípios e valores cristãos. Há objetos de ras. O viver cada vez mais, em contraponto com o conhecimentos a serem estudados, há metas e alvos que é líquido, com o sobreviver às engrenagens da quanto ao ENEM e vestibular, mas também há uma vida. preocupação no tipo de estudante e futuro profissional que estou comprometida em formar. 15. Que tipo de formação você tem? Sou licenciada em Letras Vernáculas, mestra e dou- 18. A Educação a arte ou a Literatura ou escrita toranda em estudos linguísticos pela Universidade mudou a sua vida ou pode proporcionar mudanças Estadual de Feira de Santana (UEFS). Fiz também no homem? Como? uma especialização em Metodologia da Língua A junção de todas elas. Eu acho que o mundo é Portuguesa e Literatura Brasileira pela UNINTER/ transcendental e transdisciplinar, então, cada vez IBPEX. MBA em Gestão de pessoas, lideranças, que temos acesso à Educação, que estamos abertos carreiras e coaching - PUCRS - Rio Grande do Sul. à arte, que vivenciamos a Literatura e compreenTema do trabalho de conclusão: Segurança Para demos que ela está na vida, nas nossas conversas Errar Gera Lucro. Aprovada com nota 9,8. Espe- e que pode ser um jeito de ler a vida, escrevemos cialização em Teoria da Psicanálise de Orientação uma nova história, ressignificamos o que dói, proLacaniana, pela Escola Bahiana de Medicina. jetamos novos sonhos e metas. Sei que pode pareEspecialização em Administração Hospitalar pela cer utópico, mas aprendi que na literatura a liberFaculdade São Camilo - São Paulo. Preciso pontuar, dade é uma ferramenta extremamente acessível. que no sexto semestre do curso de Letras, fui bolsista de iniciação científica nos projetos do Núcleo Sou coautora do livro Passou e Agora? (no prelo). de Estudo do Manuscrito – NEMa – coordenado Editora Literare Book. São Paulo. pela profa. Rita de Cássia Ribeiro de Queiroz. Falo isso, pois a partir da instrução filológica construída https://www.youtube.com/watch?v=xQN9-Knatravés das leituras e reuniões no núcleo fui alin- D4Yo&t=1329s hando histórias, linguística, memória e literatura. É veja a entrevista no canal cultive e dê o seu like uma gratidão imensa ter sido fruto do NEMa, pois pude conhecer a filologia como área do saber que nos possibilita conhecer cultura, povos e grupos de povos, através, principalmente, dos textos escritos ao longo do tempo. Atualmente estou maravilhada ao participar de três academias literárias, são elas: 42

Revue Cultive - Genève


minha ideologias seriam respeitadas e serviriam de influencia para aqueles que sabem a força das palavras. 3- Que caminhos percorreu, até chegar na mulher que é hoje? A minha trajetória cultural não foi fácil, tudo que conquistei foi com muito empenho e esforço. Sempre sonhei com um mundo melhor e priorizei a imaginação como forma de minimizar o sofrimento e a injustiça. Sempre amei escrever, faz parte do meu dia a dia, através das letras vou construindo um mundo mais justo, com mais ética e humanidade. Sinto a vida, vejo as pessoas e formas... A magia se instaura e o amor explode de todas as formas detalhando toda a diferença. Escrever é meu oxigênio, minha força, meu refugio...

ELISA AUGUSTA DE ANDRADE FARINA

4- Você sempre foi como hoje? Claro que não! A cada dia nos transformamos com as veredas que a vida nos oferece. Como bem o disse Heráclito: “ ninguém mergulha nas mesmas aguas do rio, pois ao fazer a travessia, já não sou a mesma pessoa e nem as aguas as mesmas. Estamos sempre nos transformando.”

5- Você é uma guerreira? ENTREVISTA PROGRAMA AS VALKY- Acredito que sim, sou destemida e busco sempre lutar para garantir o meu espaço e estar bem comiRIES go com todos e com Deus. 1- Seu nome e cidade de origem. Elisa Augusta de Andrade Farina, Nascida em Teófilo Otoni – MG, Brasileira

6- A vida foi fácil, sempre foi um mar de rosas? Seria irônico afirmar que vivi um mar de rosas. A 2- Fale da infância, da adolescência, da mul- vida em si já nos leva a ter cuidados com as rosas her esposa e mãe, da mulher artista, da sua ideolo- e muito medo de mar como boa mineira que sou... gia, e objetivos. Em que momento da sua vida a sua estrada Tive uma infância feliz e peripécias, a maior parte 7- bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela dela vivida no campo, entre brincadeiras e muito exemplo de trabalho e disciplina. A minha adoles- te levou? cência foi tranquila, sempre fui muito ponderada e Eu era a pessoa que não sabia dizer não, era corsempre soube o que queria para minha vida. Não data em tudo. Até que um dia, estive na UTI por fui namoradeira, casei-me por amor e sempre me uns dias...quase que transpus o outro lado. Depois dediquei a minha família. São 48 anos de casa- desse episódio mudei radicalmente. Priorizo-me mento pautado no respeito e na individualidade. em tudo, pois tenho que me cuidar e me amar para Acredito que sou uma boa mãe e esposa, sempre poder alcança as pessoas que amo. atenta aos cuidados que minha família merece. A Você mudou como pessoa? Em que você arte sempre esteve presente em minha vida, sempre 8- mudou? O que fez você mudar? cultivei as letras, a maior conquista da minha vida foi quando consegui juntar silabas e formar pala- Eu continuo a mesma Elisa, alegre, despojada. Só vras. Foi mágico e essa magia se arrasta até hoje. mudei o enfoque e o foco da minha vida. Todos Sempre acreditei que um dia seria ouvida, que as nos temos potencialidade para mudança, sem com Revue Cultive - Genève

43


isso desestruturar a vida e a todos que fazem parte sentações culturais e projeto voar com as letras que dela. trabalho em escolas municipais, estaduais e particulares da cidade. 9- Onde e como encontrou força ou coragem LIVROS: Antes de tudo mulher (poemas), para tal mudança, para conquistar seus objetivos? Reino Feliz, Aventuras do Príncipe Bernardo no Faria tudo outra vez? Reino do Transito, Quando você passa por um impasse na vida, você Aventuras do Príncipe Bernardo no Reino da Água tem que redimenciona- la. Eu busquei força em Preciosa, Deus e na família, principalmente nos filhos que O príncipe Bernardo no reino das finanças E em eram pequenos e necessitavam dos meus cuidados construção: maternos. Sim não me arrependo de nenhuma ati- O príncipe Bernardo e o mundo cooperativista. tude que tomei. 16- Mensagem final. 10- Alguém em particular lhe deu a mão? Acredite sempre na realização dos seus sonhos. A família sempre presente e amorosa. 17- Prepare dois poemas para você ler durante 11- Aguem é a importância de RECEBER a entrevista apoio? Quando fragilizados o apoio dos que amamos é de 18- Me envie um poema para eu recitar. suma importância. MULHER 12- O que mudaria em sua história? Para ser franca acho que viveria a mesma historia Eu sou chama que queima. com algumas modificações que a experiência da Luz que alumia. vida nos deu. Sentimento que aflora. Verdade que incomoda. 13- Porque você participa de movimentos Sou também sombra que acolhe. Sorriso que iluculturais? mina todo ser. Eu tive uma formação acadêmica clássica. Bibi em várias fontes a agua do conhecimento. Sempre Sou lágrima sentida dos sonhos que não consegui. acreditei que o conhecimento faria a transforma- Sou também esperança de toda transformação que ção cultural e social. Ser membro da ALTO, foi a vida irá sofrer. a realização de um sonho que sempre acalentei e acreditava bem distante da minha realidade. Quan- E quem me olha assim meio isso, meio aquilo não do surgiu a oportunidade de criar uma academia sabe a foça que tenho a me impulsionar. de letras, trabalhei arduamente juntamente com alguns companheiros de sonho para a sua concreti- Se faço isso ou deixo de fazê-lo é que eu tenho um zação. Sua um dos membros fundadores da ALTO. selo que é o segredo para me desvendar. O amor, compromisso e dedicação foram as molas propulsoras para a minha conquista à presidência É só conjugar a primeira pessoa do presente do verdessa ilibada instituição cultural. bo amar, amo, logo existo. Diante dessa verdade, só me resta dizer: 14- Concelho para quem deseja imigrar? Sou Mulher!... Antes de qualquer atitude pesar os prós e contras do que pretende para a sua vida. Não adianta mu- Elisa Augusta de Andrade Farina –Extraído do lidar de país se não fizer a mudança estrutural do seu vro : Antes de tudo Mulher. querer, poder e reais de sucesso. 15- Que tipo de arte você realiza? Cite suas obras. Sou escritora e poeta, tenho várias participações em antologias literárias, prefácios de livros apre44

Revue Cultive - Genève


VIVÊNCIA INEXPLICÁVEIS PROGRAMA - ENTREVISTA

4- Você sempre foi como hoje? Hoje sou mais madura e procuro na espiritualidade meus caminhos em direção a luz, me conhecendo mais e mais e buscando servir ao bem e ao próximo.

1- Seu nome, cidade e origem. Mabel Cavalcanti, de Caruaru, PE, BR, filha do poeta Lídio Cavalcanti e da professora Rejane de 5- Você é uma guerreira? Figueiredo Cavalcanti. Já fui mais, hoje entendo as escolhas de cada um e descobri que somos fruto de nossas escolhas e ca2- Fale da infância, da adolescência, da mu- minhos. Sou de paz. lher esposa e mãe, da mulher artista, da sua ideologia e objetivos. 6- A vida foi fácil e sempre foi um mar de roTive uma infância feliz, foi minha usina de felici- sas? dade. Vivi minha infância em Caruaru e parte de Não, mais não posso reclamar de tudo que aprenminha adolescência em Recife, onde casei e tive di e aprendo. Não estamos aqui para nos curarmos 03 filhas. Depois, divorciada, em 1986, voltei à nossas dores e sim nos curarmos através delas, já Caruaru, onde contruí minha carreira como Edu- nos disse Chico Xavier. cadora na Rede pública , onde trabalhei 25 anos. Sou artista dese criança, cantando nos programas 7- Em que momento da sua vida a sua estrada de auditório de meu Pai, que era um multi-artista. bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela Sempre tive como objetivo ser feliz e aprender nos te levou? Como você chegou até à Europa e o que a caminhos do bem, além de vivenciar a cultura de trouxe até a Europa? minha cidade, o “País de Caruaru”. Tive vários, mas o mais marcante foi quando, com 24 anos resolvi voltar para casa de meus pais com 3- Que caminhos percorreu, até chegar na minhas 03 filhas. Cheguei aqui pelo caminho do mulher que é hoje? Sou educadora, artista popular amor, vim para o batizado d emeu primeiro neto, mais acima de tudo uma pessoa de fé e foi nessa Arthur, e aí conheci meu grande amor Aníbal, em crença sempre em dias melhores que construí meus 2011. Logo depois, decidi vir, em 2013. caminhos. Nele fiz de tudo dentro do que acredito. Revue Cultive - Genève

45


8- Como é viver na Bélgica, é fácil a integraA IGREJINHA DA MINHA CIDADE ção? Quais as diferenças entre o Brasil e Portugal? Viver em Portugal é muito tranquilo, as diferenças Guarda com ela minhas lembranças culturais só nos aproximam, Do acender dos novos anos Da minha vida de criança 9- O que é necessário para imigrar’- ter obje- Do tempo da pureza tivos claros e uma rede de apoio. Dessas luzes acesas Anunciando esperanças. 10- Você mudou como pessoa? Em que você Antes disso andar na feira mudou? O que a fez mudar? Comprar roupa nova e sapatos Sempre mudamos para sermos cada vez mais nos Pra fica tudo muito lindo mesmos, isso é estar vivo. Num Natal de luz e abraços Depois passear na festa 11- Onde e como encontrou força ou coragem E esperar a luz certa para tal mudança, para conquistar seus objetivos? Que anunciava o tempo novo Faria tudo outra vez? Andar no carrossel Mudo porque amo, o amor é minha fonte de trans- Roda de gigante perto do céu formação. Faria tudo de novo. E começar o ano de novo. Hoje essas luzes acendem 12- Alguém em particular lhe deu a mão? Minha história de saudade Minha filha, que já mora aqui faz 20 anos, e meu Minhas melhores histórias amor Aníbal Pinheiro. E os risos de memoria Estão todos ali 13- Qual é a importância de RECEBER apoio? Na igrejinha da minha cidade. fortalecer o caminho e as escolhas feitas. (Igreja da Conceição-Pais de CARUARU) 14- O que mudaria na sua história? Nada..aprendi muito. https://www.youtube.com/watch?v=t50NU9n15- Por que você participa de movimentos fhiQ&t=3s culturais? Sou artista e acredito no poder humanizador da ARTE. 16- O que desejar alcançar ainda? Seus projetos? Só tenho 1, ser feliz! 17- Conselho para quem deseja imigrar. -Venha sabendo o que quer e as suas possibilidades de vencer. E não desanime diante dos desafios, transforme os em possibilidades. 18- Mensagem final. Ame, e ame sem saber o porque, ame e sirva, trabalhando em prol do bem maior. Tenho 04 livros publicados, 20 participações em Antologias BR e Portugal, 20 títulos em Literatura de Cordel.

46

Revue Cultive - Genève


ENTREVISTA PROGRAMA AS VALKYRIES 1- Seu nome, cidade e origem. Rosângela Matos Teixeira de Almeida 2- Sua profissão? Psicanalista, Terapeuta quântica e escritora 3- Atividade cultural que exercer? Autora dos projetos audiovisuais: A loucura nossa de cada dia e Quantos de mim sou eu. Palestrante e conferencista abordando temas de autoconhecimento. Divulgo também meus livros que trazem mensagens de conhecimento, cultura e ferramentas para que as pessoas possam entender melhor a si mesmo e ao outro, trazendo reflexões sobre os verdadeiros valores da vida. 4- Quais as causas que você defende? Defendo o autoconhecimento como ferramenta de empoderamento. 5- Sua relação com o meio ambiente, com o homem? Não sou ativista no que se refere a ações externas. Pratico todas as ações para tornar o mundo mais limpo. No entanto invisto mais na questão da saúde mental, porque entendo que as pessoas estão doentes e por isso mesmo, enquanto estiverem lutando com suas próprias dores e desequilíbrios não conseguirão contribuir nessa luta que é de todos nós.

6- Ser ou não ser, ter ou ser? Exatamente isso! Eu sou e invisto no ser. Essa é minha bandeira de luta! Trabalho isso desde sempre, tanto na minha família, pacientes e pessoas em geral. Os meus livros falam disso. 7- Fale da infância, da adolescência, da mulher esposa e mãe, da mulher artista, da sua ideologia e objetivos. Tenho 5 irmãos. Sou de origem pobre. Tão pobre que só tínhamos direito a comer meio pão por dia. Sofremos discriminação séria por sermos pobres, a ponto de nunca termos direito de ser convidados para um aniversário. Na verdade, nunca comemoramos um. Estudamos em escolas públicas e nunca tivemos direito a material escolar. Nem livros podíamos ter. Muitas vezes fui retirada de sala de aula porque meu pai não pagava nem uma taxa que tinha que pagar. Isso era feito em público. Muita humilhação. Apesar de ter um avô que era um “coronel” fazendeiro, ele não ajudava porque foi totalmente contra o casamento da minha mãe porque meu pai além de pobre era negro. A família de minha mãe o discriminava muito e eu sofri muito com isso. Em casa a vida era um caos porque além da dificuldade financeira meu pai e minha mãe brigavam muito, a ponto dele ameaçar ir embora inúmeras vezes e minha mãe me colocar como escudo na porta para não deixa-lo passar. Quando adolescente sofri uma crise convulsiva aos 16 anos dentro da sala de aula e daí em diante ninguém chegava nem perto de mim com medo de pegar porque achavam que eu tinha epilepsia e que seria contagioso. Perdi o naRevue Cultive - Genève

47


morado porque os pais o obrigaram a terminar por medo que se contaminasse. Tinha os dentes podres porque dentista era luxo. Quando chegava ao ponto de ir ao dentista, o procedimento era feito sem anestesia. Fugi de casa com 17 anos por não aguentar tanta instabilidade já que tinha ideações suicidas diariamente. Vim morar em Salvador e aí tudo piorou porque eu só tinha dinheiro para pagar um quarto, então passava tanta fome que desmaiava na rua. Fui vender cerveja na praia e cafezinho na rua, mas mesmo assim eu nunca pensei em voltar. Casei aos 18 já grávida de uma menina que nasceu aos sete meses num hospital público onde permaneci quase 24 horas num corredor, numa maca fria que não tinha nem lençol. Não tinha vaga na sala de parto. Quem passava por ali me dizia que o bebe estava morto. Até que chegou um médico novo de plantão e se compadeceu de mim e me levou para a sala de parto. Nasceu minha filha com 1.6 kg. O pediatra chegou a dizer: não gaste dinheiro com ISSO porque não tem jeito. Engravidei do segundo filho a seguir e ele nasceu numa noite de natal numa maternidade que não tinha NINGUÉM. Pari sozinha. Só depois de muitas horas apareceu uma auxiliar de enfermagem que chamou um estudante de medicina para me suturar. No início da gravidez da minha quarta filha eu tive rubéola. Indicado o aborto terapêutico. Fui encaminhada para sala cirúrgica para fazer a curetagem por quatro vezes e eu saia correndo. Assisti meus filhos dormirem de tanto chorar de FOME. Teria mil coisas para contar, mas acho que basta. Um fato recente se deu há mais ou menos seis anos atrás quando tive um tumor no ouvido que me afastou do consultório. Tinha que ficar imóvel na cama porque além das dores ficava extremamente tonta e enjoada quando abria os olhos. Caí num abismo! O meu órgão de trabalho estava doente. Depois de me deprimir muito eu tive uma ideia de escrever um livro, mas não tinha como. Então decidi gravar. Assim fiz. Assim eu me ergui, porque todos os dias acordava para trabalhar no livro. Depois de todo o processo de tratamento eu transcrevi o livro que se intitula Diário de uma Analista: a psicanálise que ninguém te conta. Meus pacientes me ajudaram dando depoimentos. Não conto essa história no livro porque achei que poderia parecer apelação. No entanto tenho o maior orgulho da forma como escrevi essa obra que cada vez mais é aceita. Eu consegui! Sou uma mulher de 64 anos, profissionalmente reconhecida, tenho 4 filhos. Todos formados e casados, inclusive um deles é procurador da república. O pai deles é fa48

Revue Cultive - Genève

lecido. Tenho sete netos maravilhosos. Somos uma família unida e respeitada. Sou reconhecida como uma pessoa que não deixa de ajudar a quem chega até a mim. Me orgulho muito da minha história. 8- Que caminhos percorreu, até chegar na mulher que é hoje? Acho que o relato acida pode dar uma ideia, mas vou tentar achar um mais específico. Como sofri a convulsão eu desenvolvi uma depressão grave e síndrome do pânico (na época não diagnosticada) e eu me afastei de todos e comecei a ser uma leitora compulsiva. Por outro lado, comecei a fazer análise e ali descobri que esse era o meu caminho. Me formei primeiro em enfermagem e trabalhei duro num hospital público onde via médicos escolherem quem iam salvar devido a falta de recursos físicos. Era um horror! Trabalhava em três hospitais e muitas vezes ficava uma semana fora de casa trabalhando. Fazia formação em psicanálise paralelamente (porque tinha 4 filhos e um irmão para criar e eles dependiam só de mim) até que concluí e montei meu consultório. Me tornei psicanalista e depois, por entender que o ser humano não é formado só de um corpo fui fazer formações complementares na área holística. Hoje trabalho nas duas áreas com resultados excelentes. 9- Você sempre foi como é hoje? O que mudou? Como você viu, externamente mudou tudo, mas internamente eu sempre fui essa mulher que vai atrás do que quer e entende que as dificuldades são ensinamentos. O que mudou é que agora tenho estrutura muito mais forte para enfrentar os problemas. 10- Você é uma guerreira? Não! Por ser Terapeuta quântica não gosto do termo guerreira porque frequencia com luta. Mas considerando o que dizem de mim eu sou. Prefiro dizer que sou uma vencedora!. 11- Em que momento da sua vida a sua estrada bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela te levou? A minha estrada se bifurcou quando comecei e fazer análise. Ali eu descobri o que gostaria de ser. Como você chegou até à Europa e o qual a trouxe até? Eu já transito pela Europa. Tenho vários pacientes tanto da Europa quanto dos Estados Unidos e Vancouver. Se você se refere ao Congresso foi através de um convite de amizade que recebi na


minha página no facebook.

minha. 16- O que mudaria na sua história? Eu escolheria não ter sido abusada sexualmente pelos “amigos do meu pai”.

12- Você mudou como pessoa? Sim. Em que você mudou? Sou mais forte. O que a fez mudar? As dificuldades que enfrentei. O que me fez mudar foi entender que se eu não fizer escolhas 17- Por que você participa de movimentos para mudar a minha vida ninguém fará por mim. culturais? Para levar adiante a minha missão de Saí da posição de vítima e passei para a superação. contribuir com o que eu sei e posso. 13- Onde e como encontrou força ou coragem para tal mudança, para conquistar seus objetivos? Vivi um dia de cada vez porque se olhasse para o futuro não via nada. Faria tudo outra vez? Não gostaria de passar por tanta dificuldade. Na verdade, a minha vida é um milagre, já que estive entre a vida e a morte muito criança. Não posso dizer que gostaria de passar por tudo isso de novo, no entanto no que se refere ao que fiz eu faria.

18- Você é estudiosa de uma mulher guerreira. Qual a mulher na história que você se assemelha? Não tive tempo de criar um modelo porque tive muitos, independente de ser homem ou mulher.

19- O que deseja alcançar ainda? Ver as pessoas acordarem para a realidade de que a busca só pelo ter é pura fantasia que não leva a nada. Seus projetos? Tenho uma mentoria em andamento que mostra caminhos para o reequilíbrio e a reconexão. Conti14- Alguém em particular lhe deu a mão? nuo escrevendo. Tem um livro que está sendo puSempre! Estranhos que me pegavam no chão des- blicado na Argentina e será distribuído na América maiada de fome e me levavam para suas casas para latina. Participo regularmente de palestras (includar comida. Vizinhos que deixavam cascas de sive internacionais) conferências, projetos audiovifrutas e verduras no lixo que eu pegava para co- suais entre muitos outros. mer. Uma vizinha que tinha um filho que enjoava do leite e ela levava para os meus que não tinham 20- Mensagem final. Espero que a minha nenhum. Um médico que quando tive suspeita história e meus livros ajudem a muitas pessoas a de câncer no útero me tratou por caridade. Teria entenderem melhor a si e ao outro e assim podemilhares de exemplos. Sempre surgia alguém “do rem viver melhor. nada”. Deus sempre esteve lá! Por isso mesmo me 21- Que tipo de arte você realiza? sinto na obrigação de estar lá para alguém. Cite suas obras. Apresente as capas das suas cria15- Qual é a importância de RECEBER apoio? ções. Já enviei, mas vou reenviar como anexo. Fundamental! Criei os meus filhos com o lema todos por UM e assim é. Não precisa ninguém pe- Visite o Canal Cultive e veja a entrevista com Rodir porque nós nos antecipamos. Isso não serve só sangela Matos - uma lição de vida para o núcleo familiar, mas para quem aparecer. Clic no link Por isso mesmo recuperamos tantos viciados em https://www.youtube.com/watch?v=1WwR-ULudrogas. Por isso mesmo atendo pacientes que não Hm8&t=1s me pagam nada se tenho vaga na agenda. Entendo que, se não servimos para servir não prestamos para viver. Somos parte de uma engrenagem. Cada um tem que fazer a sua parte. Eu procuro fazer a Revue Cultive - Genève

49


gia em UTI Neonatal, Psicologia Oncológica, Psicologia no SUS e Psicologia Organizacional e do Trabalho.

GRASIELA ESTANISLAUA KONESCKI FÜHR 1. Seu nome, cidade e origem. Grasiela Estanislaua Konescki Führ. Nasceu em Florianópolis, Estado de Santa Catarina, em abril de 1972, cidade em que reside atualmente.

Como palestrante em seu trabalho, alguns dos temas de domínio são em Psicologia Oncológica (aspectos emocionais do paciente oncológico e família; profissionais de saúde no contexto oncológico; relações interpessoais entre profissional de saúde e paciente e familiar) e em Psicologia Organizacional e do Trabalho (sobrecarga emocional; estresse; fadiga por compaixão; burnout; saúde mental e trabalho; liderança; equipes; motivação; preparação para aposentadoria; relacionamento interpessoal; comportamento humano no trabalho; comunicação; avaliação de desempenho; cultura e clima organizacional; gestão de competências; gestão de pessoas; humanização; interdependência entre setores, Princípios de Diretrizes do SUS; entre outros). Em sua trajetória profissional, busca atualização através de cursos de capacitação, de qualificação profissional, participação em seminários, congressos, simpósios, palestras, etc.

4. Atividade cultural que exercer, se exerce? No início de sua juventude começou a fazer aulas de pintura em porcelana e em tela (tinta a óleo). Em decorrência da necessidade de se concentrar mais 2. Onde reside? nos estudos, precisou parar de pintar, dedicando-se Florianópolis/SC a estudos técnicos em sua área de formação. Sempre apreciou literatura, principalmente poemas. Atual3. Sua profissão? É psicóloga, escritora e poetisa. Exerce sua pro- mente, é também escritora e poetisa, apreciando fissão como psicóloga de 1995, tendo experiência escrever poemas como forma de contemplar a vida, principalmente na área da saúde (incluindo mater- o amor, a natureza e toda a beleza existencial inenidade, hospital oncológico, entre outros) no aten- rente. Para a escritora, a poesia é arte, é uma forma dimento em Psicologia Clínica, Psicologia Hospi- de celebrar a vida com intensidade, é permitir fluir a sensibilidade no existir, é deixar a alma mergultalar e Psicologia Organizacional e do Trabalho. Além disso, possui conhecimento e experiência na har na essência da linguagem poética. Como mulárea de capacitação/treinamento e avaliação de de- her, percebe que suas atividades de psicóloga, essempenho no Serviço Público e acompanhamento critora e poetisa são complementares e coexistem de alguns programas de saúde do SUS. Já atuou na de forma harmônica. assistência psicológica ambulatorial e hospitalar ao Quais as causas culturais e sociais que você paciente oncológico. Foi palestrante de minicursos 5. em sua área de atuação nos locais onde trabalhou. defende? Foi professora de Ensino Superior na área de Psico- Sempre apoiou as causas de Saúde Pública e Coletiva, como campanhas de promoção e prevenção à logia do Trabalho. saúde, saúde mental, saúde ocupacional, saúde do Durante os anos de trabalho como psicóloga, trabalhador, prevenção e combate ao câncer. dentre suas áreas de atuação, citam-se Psicologia Hospitalar, Psicologia Clínica, Psicologia da Saúde, Considera que o bem-estar subjetivo e o autoPsicologia da gravidez, parto e puerpério, Psicolo- desenvolvimento são aspectos que devem ser bus50

Revue Cultive - Genève


cados cotidianamente. O constante aprimoramento pessoal e profissional é substancial para a qualidade de vida e prosperidade pessoal, porém a persistência e a determinação, com visão focada nos objetivos são essenciais para a concretização das metas. Assim, o alcance da autorrealização e da felicidade depende da perspectiva de cada indivíduo, pois a vida tem seus altos e baixos, adversidades e obstáculos para enfrentar. Então, desenvolver uma postura mais proativa e resiliente, vivendo com qualidade no presente e com visão realista do amanhã é um aspecto fundamental para todo ser humano. Outro aspecto que está inserido em sua visão de mundo é a defesa da PAZ e do AMOR, pois o estado de paz interior e a capacidade de amar são atributos essenciais para o bem viver. E acrescenta ”a paz que desejamos começa pela paz que praticamos”.

na imensidão e as estrelas dão brilho esplendoroso. O mesmo vale para as pessoas, quanto mais pessoas tiverem sucesso e prosperidade, quanto mais pessoas estiverem satisfeitas, realizadas e felizes, convivendo harmonicamente, melhor será o mundo. Como há espaço imenso para o brilho das estrelas no céu, há espaço na terra para o brilho das pessoas.

8. Fale da infância, da adolescência, da mulher esposa e mãe, da mulher artista ou mulher esportiva, da sua ideologia e objetivos. Durante a infância e a adolescência, teve um desenvolvimento normal voltado para estudos colegiais e gostava de fazer natação e aulas de dança. É casada há 21 anos e teve apenas uma gestação, sendo gemelar (um menino e uma menina). A família e a maternidade são aspectos de substancial importância na sua vida e não poupa esforços para o cuidado dos filhos. Considera que a educação tanto na família como institucional são fundamentais na 6. Sua relação com o meio ambiente, com o formação do cidadão. homem? A natureza é percebida como fonte de inspiração 9. Que caminhos percorreu, até chegar a mupoética, fonte de vivacidade e de bem-estar. Ama lher que é hoje? o mar, a natureza e toda a sua beleza e em especial Dedicou sua vida à família, aos estudos e à proas flores. Sempre comenta que o mundo precisa de fissão. Foi graduada em Psicologia em 1995. Em cores e flores. 2001, concluiu seu Mestrado em Administração. Também possui quatro Pós-Graduações em Nível Em relação à visão de ser humano, como psicólo- de Especialização, ou seja, em Gestão de Recursos ga, busca sensibilizar sobre a importância da saúde Humanos, em Neuropsicologia , em Gestão Hosmental, do bem-estar psicológico e da qualidade de pitalar e MBA em Coaching. vida das pessoas. O indivíduo precisa buscar entender a sua complexidade e as suas emoções, pre- 10. Você sempre foi como é hoje? O que muservar a autoestima, manter o autocontrole e uti- dou? lizar seus recursos internos para o enfrentamento Sempre foi uma determinada, sabendo o que quer dos agentes estressores do meio no dia-a-dia. e buscando com dedicação alcançar seus objetivos. Sempre acreditou que o melhor caminho é o pau7. Ser ou não ser, ter ou ser? tado na ética e na verdade. Com certeza SER! O ter deveria ser uma consequência de um exitoso ser. Uma das concepções 11. Você é uma guerreira? sobre o sucesso pode ser interpretada através de Sim. Acredita que toda mulher, mãe, esposa, prouma analogia com as estrelas no céu. Quanto mais fissional seja uma guerreira. A guerreira que se deestrelas no céu existirem, mais magnífico o céu fica dica, que acompanha, que batalha, que se esforça, Revue Cultive - Genève

51


que acolhe, que busca sua evolução, que restaura suas forças, que cumpre seus compromissos com responsabilidade, que chora e sorri, que não desiste! Enfrenta os desafios e segue adiante!

15. Você mudou como pessoa? Em que você mudou? O que a fez mudar? Era uma criança tímida. A atuação profissional e o aprendizado ajudaram a superar a timidez. Sempre manteve uma postura voltada para o lado humano 12. A vida foi fácil? em sua trajetória profissional, mas quando comeSempre teve que batalhar, dedicar-se com mui- çou a trabalhar num hospital oncológico, a visão de to empenho para obter conquistas profissionais e mundo e o sentido da vida se ampliaram. pessoais. Suas conquistas sempre foram alcançadas com esforço e trabalho. Acredita que a evolução Enfrentou um câncer de humana e o aprendizado mama em 2014 e precisou são processos que devem fazer mastectomia bilateser contínuos. Enxerral, com reconstrução e ga beleza e elegância na tratamento medicamensimplicidade e na natutoso. Foi uma das fases ralidade das coisas. Na mais difíceis de sua vida, sua concepção, a maneira pois as incertezas sobre como se interpreta o muo futuro e o resultado do ndo e a vida fazem a ditratamento foram angusferença na homeostasia, tiantes, principalmente no equilíbrio interno e na porque seus filhos, na paz interior. época estavam entrando na adolescência. Como 16. Onde e como entinha a experiência de controu força ou coratrabalhar em um hospital gem para tal mudança, oncológico, sabia tudo o para conquistar seus obque poderia enfrentar quando soube do diagnósti- jetivos? Faria tudo outra vez? co. Hoje, encontra-se bem, seguindo sua vida pes- Sempre procurou dar passos seguros, com prudênsoal e profissional normalmente, fazendo acom- cia e cautela nas atitudes e comportamentos. Consipanhamento, conforme orientação médica. dera importante que se tenha um propósito de vida e que seja algo possível de ser alcançado. 13. Você colabora ou participa de associações culturais? 17. Alguém em particular lhe deu a mão? É membro de Academias Literárias: Academia In- Nas suas realizações, teve que se empenhar sozindependente de Letras (AIL), Academia Interconti- ha, mas tendo uma forte espiritualidade que trazem nental Sênior de Literatura e Arte (AISLA), Aca- segurança e conforto nos momentos em que mais demia Internacional de Literatura e Artes Poetas precisa. Considera que manter vínculos afetivos Além do Tempo (AILAP). saudáveis, autoconfiança, desenvolver a resiliência individual e a maturidade emocional são funda14. Em que momento da sua vida a sua estrada mentais para lidar com os desafios da vida. bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela te levou? 18. Qual é a importância de RECEBER apoio? Desde criança gostava de poesias. Durante sua trajetória de vida produziu alguns escritos que se perderam. De uns tempos para cá, começou a se dedicar mais e foi assim que produziu seus poemas que deram origem ao meu primeiro livro A POETISA: MISTÉRIOS DE VIVER E DE AMAR, publicado pela Editora Trevo. 52

Revue Cultive - Genève

Em função de sua profissão, considera fundamental a rede de suporte e apoio social e emocional. O ser humano precisa o autodesenvolvimento para regular as sua emoções, manter o autocontrole e desenvolver sua competências e habilidades pessoais. Porém, é primordial que a pessoa possa identificar quando necessita buscar auxílio para enfrentar as adversidades da vida com mais assertividade.


19. O que mudaria na sua história? Começaria a escrever mais cedo.

LITERÁRIAS do ano de 2021, promovido pela Casa Literária Enoque Cardozo (CLEC), Academia Independente de Letras (AIL), Ordem Literária SCRIPTORIUM e Editorial Casa de Bonecas (ECB). Em junho de 2021, recebeu o Título de Referência Literária Contemporânea do 1º Prêmio de Literatura Coleção Opostos 2021, outorgado pelo Selo Antologias Conectatum. Foi aprovada no Destaque Literário 2021, pela Editora Mágico de Oz. (Evento de premiação será em dezembro de 2021, de forma digital.)

20. O que deseja alcançar ainda? Seus projetos? Seus projetos futuros estão voltados para a literatura, com desejos de realizações e conquistas, escrevendo mais poemas e produzindo livros. Para esta escritora, “um notável poeta é capaz de sentir as durezas da vida, próprias e alheias; tropeçar nas pedras ríspidas da trilha, cair e levantar; manter seus pés firmes no chão e conseguir, com lágrimas ou sorrisos, deixar fluir a criatividade e a inspiração, numa viagem autêntica para a percepção do belo.” 26. Mensagem final. “Meus escritos buscam propagar a esperança e o 21. Qual a mulher na história que você se asse- amor através de uma mensagem de paz. Acredito melha? na bondade humana e desejo que as pessoas enNão consegue se comparar a nenhuma outra mul- trem em contato consigo para se compreenderem her. Considera que cada ser é individual e único. e se autodesenvolverem. Penso que a educação é o Toda mulher pode ser uma grande guerreira e a caminho para a evolução humana e tanto a ciência maior beleza está no amor. como a tecnologia são fundamentais para a qualidade de vida. Entendo que a fé tem poder basilar 22. Quais seus projetos futuros. e a espiritualidade fornece o acolhimento indisManter as atividades profissionais, sempre bus- pensável para a alma. A paz precisa começar no incando atualização e desenvolvimento e continuar terior, na alma. Que minhas mensagens possam ser se dedicando a poesia. Pretende manter um olhar sempre de paz e de amor e que o mundo acredite diferenciado, ampliado para o mundo “com a gra- que o melhor caminho é amar”. ça poética, que eu possa colaborar para fortalecer a alma, impulsionar a fé e compartilhar a paz!” e acrescenta “pudera eu conseguir mostrar tamanha PAZ, UM BEM INTANGÍVEL! magnitude que neste mundo há; a percepção do belo na simplicidade da natureza; e com isso, fazer Meus escritos hoje são de paz outra alma enxergar essa realidade e por fim, fazer e toda avença que este tesouro nos traz! Paz no ser! essa alma sorrir”. Paz no estar! 23. Quais os projetos culturais que você apoia e Paz no conviver! Essa paz que precisamos compartilhar! organiza ou organizou? 24. Que tipo arte você realiza? Cite suas obras. A preciosa paz, acima dos desamores. Apresente as capas dos seus livros. Aquela poderosa paz, vencendo os dissabores. A tão desejada paz, apaziguando as diferenças. Em 2021, publicou seu livro de poesias A Poetisa: A paz interior, superando as indiferenças. Mistérios de Viver e de Amar, pela Editora Trevo. Possui poesias selecionadas em Antologias e Co- Um verdadeiro bem intangível, letâneas, sendo que algumas já foram publicadas mas que requer dos homens o seu querer em livros de Antologia e outras já foram aprovadas para que essa PAZ seja real, plena e possível! e selecionadas por Editoras para publicação. Tem projetos pessoais de publicar outros livros, futura- Autora: Grasiela Estanislaua Konescki Führ (Poetisa) mente. Clic no link para ver a entrevista. https://www.instagram.com/tv/CUvezWkDuRecebeu PRÊMIO APONTADOR: EVIDÊNCIAS j2/?utm_medium=copy_link 25.

Você foi premiada (prêmios já ganhou)?

Revue Cultive - Genève

53


RITA QUEIROZ

PROFESSORA, ESCRITORA PESQUISADORA, FILÓLOGA

54

Revue Cultive - Genève


RITA QUEIROZ

por exemplo, além das obras clássicas da literatura brasileira assinadas por Machado de Assis e José de Alencar. Minha ideologia sempre esteve voltada para o empoderamento feminino, mesmo quando essa palavra ainda não era tão usada no nosso vocabulário. Sempre pensei nisso, desde a infância. Me PROGRAMA AS VALKYRIES incomodava muito ver mulheres que se submetiam aos homens, por qualquer motivo. Não admitia o fato de os pais proibirem as filhas de estudar. Meu 1- Você sempre foi como hoje? Não. Na infância e adolescência fui muito tímida. objetivo é levar conhecimento, partilhar o que sei. Comecei a mudar quando ingressei na universidade e fui me soltando aos poucos. Depois, como 4- Você é uma guerreira? Sim. Toda mulher é uma guerreira, porque ser professora, a timidez foi embora de vez. mulher é lutar todos os dias contra todo tipo de 2- Que caminhos percorreu, até chegar na mulher preconceito e abuso. Em pleno século XXI, no Brasil e em outros países, ainda há um machismo que que é hoje? De menina tímida a adolescente insegura até che- mata, que ultraja, que agride. gar na mulher madura e confiante, percorri muitos caminhos, sempre me inspirando em grandes 5- A vida foi fácil e sempre foi um mar de rosas? mulheres, sejam estas conhecidas ou anônimas. Não, a vida não foi fácil, mas tive a sorte de ter um Meu grande exemplo foi minha mãe que, para pai com a cabeça à frente de seu tempo, mesmo poder se casar com o homem que queria, teve de sem ter estudo. Assim, as coisas foram melhores enfrentar o pai. Minha mãe sempre foi guerreira, para mim do que foram para minha mãe, cujo pai saiu do interior da Bahia para casar e viver na ca- não a deixou estudar e a quem teve de enfrentar pital, onde teve de enfrentar os próprios medos e para casar. Meus pais me propiciaram educação e criar os filhos, cuidar da casa e do marido. Além com esta eu avancei, conquistei meu lugar ao sol. de minha mãe, escritoras como Carolina Maria de Jesus e mulheres que vivem no anonimato, mas que 6- Quanto às dificuldades, existiram? tiveram de superar obstáculos para sobreviver são Sempre existem, mas há os graus de dificuldades. minha fonte de inspiração. Sempre quis ser uma As que enfrentei, tinham grau baixo e por isso não mulher independente, estudar e trabalhar, vencer me afetaram. O apoio de meus pais foi fundamenpelos meus méritos. Por isso os estudos sempre fo- tal. ram a minha meta e assim me graduei em Letras, cursei mestrado e doutorado, me tornei professora 7-Em que momento da sua vida a sua estrada bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela e formei muitas gerações. te levou? 3- Fale da infância, da adolescência, da mulher es- Não houve esse momento. O que tracei para mim: posa e mãe, da mulher artista, da sua ideologia e estudar, ter um trabalho fruto da minha educação, eu conquistei. As minhas escolhas sempre foram de objetivos. Tive uma infância feliz, cercada pelo amor de meus mão única. Quando fiz o vestibular, marquei apepais, que não tinham muitos recursos financeiros, nas uma opção: Letras, e foi com esse curso que mas que nunca deixaram faltar o básico, princi- cheguei até aqui como professora doutora. palmente a educação, coisa que eles não tiveram. Sempre gostei de estudar e meus pais me incenti- 8-Você mudou como pessoa? Em que você mudou? varam a seguir. Fui casada duas vezes, mas não tive O que a fez mudar? filhos. As artes estão presentes em minha vida a Acredito que não mudei, pois continuo com os partir da escola. Foram as professoras do primário mesmos ideais. Ser uma mulher independente, que me levaram pela primeira vez a um museu, o fazer o que gosto, trabalhar onde queria. O que fiSolar do Unhão, em Salvador. Até hoje trago na cou para trás foi a timidez. Hoje me considero uma memória o que vi naquele dia. Foi na escola tam- pessoa até arrojada, pois não meço obstáculos para bém onde tive contato com a literatura, conhecen- fazer o que quero. do escritores como Jorge Amado e Érico Veríssimo, Revue Cultive - Genève

55


Minha mãe e meu pai. Qual é a importância do apoio? Apoio é tudo e isso tive da minha família. 11- O que mudaria na sua história? Gostaria de ter me dedicado mais às artes, especialmente à música. Participei de coral quando estava na universidade, mas como trabalhava e estudava, o tempo era insuficiente. 12- Por que você participa de movimentos culturais? Os movimentos culturais são a mola mestra de avanços sociais, em diversas frentes, principalmente para as mulheres. Participar desses movimentos me tem levado a me relacionar com muitas pessoas no Brasil e no mundo, a conhecer projetos fantásticos. 9-Onde e como encontrou força ou coragem para tal mudança, para conquistar seus objetivos? Faria tudo outra vez? Não me arrependo do que vivi. Viveria tudo outra vez, pois sempre fui fiel ao que sentia. 10-Alguém em particular lhe deu a mão?

56

Revue Cultive - Genève

13- O que deseja alcançar ainda? Sou uma pessoa feliz, que plantou boas sementes e hoje tem colhido frutos maravilhosos. Mas quero ainda conhecer muitos países, aprender outras línguas, mergulhar em outras culturas.


Congrés Cultive International de la Culture de la Femme. Do 26 ao 28

Revue Cultive - Genève

57


58

Revue Cultive - Genève


IX ANTOLOGIA CULTIVE “AS VALKYRIES VISITAM O BRASIL” COORDENADORA DO PROJETO: ELUCIANA IRIS ALMEIDA CARDOSO O Institut Cultive Suisse Brésil (ICSB) lança a IX Antologia intitulada “AS VALKYRIES VISITAM O BRASIL” uma produção que colocará em evidência as mulheres brasileiras que fazem ou fizeram a diferença na história da sociedade e da cultura do Brasil. Vamos eternizar e reviver tantas mulheres brasileiras, que vivem no anonimato, homenageando-as nesta brilhante antologia dedicada à mulher. Participe e compartilhe com outras mulheres e homens para que tenham a oportunidade de soprar o perfume, que vem das linhas do seu pensamento, nas páginas desse livro. Realizando esse projeto, o Institut Cultive Suisse Brésil colaborará com a “Rede Feminina de Combate a Câncer” da Paraíba e de Pernambuco, uma associação brasileira que trabalha para ajudar pessoas acometidas de câncer. 1- QUEM PODE PARTICIPAR DA IX ANTOLOGIA CULTIVE AS VALKYRIES VISITAM O BRASIL a- Homens e mulheres de todas as nacionalidades:

b- IDADE: A partir de 12 anos; c- Menores de 18 anos: com autorização do representante. 2- REGRAS SOBRE O TEXTO E FORMATAÇÃO a- Tema do texto: sobre uma mulher, sobre a mulher ou sobre você. b- Cada inscrição - ocupará 3 páginas no livro com foto de rosto preta e branca + biografia de até 5 linhas e texto português; c- Textos: poesia ou prosa com o nome do autor completo d- Título diferente do tema 3- Formatação do texto, 2 páginas word/doc, arial 12, espaço simples, 999 palavras; 6322 caracteres contando com os espaços (favor não enviar o texto em pdf) e- Seguir rigorosamente as indicações no final desse documento. Se passar uma linha em outra página, conta-se como página extra. f- Língua do texto: português revisado por conta do autor. Anexo segue o modelo do tamanho do texto, apague o texto escrito e escreva o seu no lugar seguindo o mesmo formato, válido para poesia ou prosa. 4- DATA LIMITE PARA ENVIAR O TEXTO 30/09/2021; 5- INVESTIMENTO a- Valor – 200 reais ( para o Brasil) outros países 35 euros (o autor tem direito a 2 volumes); b- Pagamento à vista ou divido até setembro de 2021 c- Páginas extras no livro -100 reais (Brasil); 17euros (outros países); d- Por cada página extra no livro o autor recebe 1 livro; e- Membros Cultive tem direito a 3 volumes por inscrição de 2 páginas f- O livro será vendido no site antecipadamente e após o lançamento; g- Preço para os coautores com pedidos antecipados: 1 volume:12 euros; h- Número de livros por inscrição: 2 livros. 6- SOBRE O LIVRO – Impresso e E-book Livro impresso: 14x21 cm; Papel of-set 90 gr; Produção Editora Cultive; Registro na Biblioteca Nacional Suíça; Lançamentos em países da Europa, na Suíça, no 2° Salon International du Livre et de la Culture de Genève Cultive; nas Bibliotecas Públicas Brasileiras. Revue Cultive - Genève

59


7- Marketing a- Pré-lançamento: Congrès Cultive International Culturel de la Femme - dia 28 de novembro 2021; b- Distribuição: biblioteca Nacional Suíça, Biblioteca Pública de Genebra, Instituto Íbero Americano de Berlim, Brasil, Portugal, Noruega, Grécia, África, Europa, Argentina, Equador, Caribe, Angola; Moçambique c- Lançamento: Canal Cultive, Biblioteca de Florianópolis, Biblioteca de Pernambuco; Sabepe (Sociedade dos Amigos da Biblioteca Pública de Pernambuco) dDivulgação:CanalChá&PoesiaComElas,TVCultura,ArtAgora,CaféPatriota, Canal Cultive, Revue Artplus, Revue Cultive, Gazeta de Mandaguari; Chá da vida, Revista da Mulher; 8- INSCRIÇÃO: a- Preencher o formulário no link. https://forms.gle/eEj2YaQWSjKDsxbv7 b- Anexe 1 foto de rosto preta e branca (boa resolução),1 foto colorida, o texto dentro das normas, biografia com 5 linhas. c- Nomear todos os arquivos (doc) da seguinte forma: Valkyrie+nome do autor; d- O texto deve constar o seu nome; e- O autor recebe certificado de participação na IX Antologia; f- Os Membros Cultive recebem um volume extra pela sua inscrição: g- Cada autor ocupa duas páginas no livro em língua portuguesa e biografia de 5 linhas; 9- DO ENVIO DOS LIVROS a- Previsão para impressão - fevereiro/2022. b- Autores receberão seus volumes pelo correio c- A Cultive fará o envio 1 mês após o lançamento; o valor da remessa pelo correio é por conta do autor; d- A Cultive não se responsabiliza pelo não recebimento da encomenda, caso o autor não aceite a encomenda ou não esteja presente em casa para receber o pacote; e- Uma vez a encomenda enviada, a Cultive não se responsabiliza pela entrega, nem pela prestação de serviço de má qualidade do correio, que porventura venha ocorrer; Se o correio não entrega encomendas no endereço dado, o autor é quem terá́ que providenciar a reti60

Revue Cultive - Genève

rada das obras no correio; f- A Cultive se compromete a reenviar as nossas custas, se e somente se, nos cometermos erros equivocados de endereçamento; Não nos responsabilizamos por mercadoria deteriorada; g- O autor escolhe a forma de envio: envio com seguro, envio registrado, etc. Se o pacote for devolvido por qualquer motivo, todas as taxas cobradas pelo correio, assim como o novo valor para reenvio, serão a cargo do autor; h- Se a encomenda for devolvida, o correio cobrará um valor para a retirada do pacote, esse valor deverá ser reembolsado pelo autor. Caso o autor se recuse a reembolsar a Cultive só reenviará outros volumes após pagamento do reembolso mais o valor do novo envio. 10-CONTA PARA DEPÓSITO: Residentes em OUTROS PAÍSES Favorecido: Valquiria Guillemin conta:17-703134-1 Iban: CH60 0900 0000 1770 3134 1 bic: POPFICHBE BANCO: POST FINANCE SA ENDEREÇO DO BANCO: MIGERSTRASSE 20, 3030 BERN – Suísse Brasil Banco Nubank banco 260-Nu pagamentos S.A Valquiria Imperiano Guedes agencia: 0001 Institut Cultive Brésil Suisse 12 Rue du Pré - Jérôme - 1205 Genève - Suisse www.institut-cultive.com e-mail : edicaocultive@gmail.com conta: 59471505-0. cpf- 072816253-91 Pix: 072816253-91 Para se inscrever entre no link: https://forms.gle/eEj2YaQWSjKDsxbv7


Revue Cultive - Genève

61


62

Revue Cultive - Genève


Revue Cultive - Genève

63


64

Revue Cultive - Genève


Revue Cultive - Genève

65


66

Revue Cultive - Genève


Revue Cultive - Genève

67


MEU NOME É ROSE CALZA E HOJE MORO EM BOTUCATU, BRASIL. 1.

Quem é você

Sempre fui uma garota atrevida, curiosa, irrequieta. Meu temperamento se adequou às tendências que viriam com a direção que dei para minha vida intelectual e profissional, ou seja, do ginásio fui para o colegial e escolhi fazer o Clássico, na área de Humanas - (no meu tempo era também possível optar pelo Normal e ser professora primária ou o Científico, seguir na área de Exatas). O curso Clássico me expôs ao estudo do Latim, Espanhol, Filosofia, Português, Literaturas e o caminho foi aberto para escolher Letras, no Vestibular. Também coincidia 68

Revue Cultive - Genève

ficar mais tempo em minha cidade natal, Catanduva, pois, meu pai deixou minha mãe viúva muito cedo, com 4 filhos para criar, partindo aos 47 anos. Mestrado, Doutorado, Livre Docência, na França, meu trabalho na televisão como roteirista, publicar livros e mais especificamente, mais tarde, preferir escrever poesia, foram consequências naturais de minhas escolhas feitas anteriormente. 2. Fale da Infância, da adolescência. ¨da sua ideologia e objetivos. Minha infância foi entre a chácara de meu avós paternos e a fazenda, no Paraná, de meus avós maternos. Eu era diferente de outras crianças, me isolava em árvores do pomar, nos troncos , dizia estar à cavalo e falava sozinha uma outra língua. Dizia que era inglês. Fazia brinquedos, cozinhava para os animais, era meio moleque, pois, tinha que cuidar


de meu irmão dois anos mais velho, epilético. Tinha que protegê-lo, eu o defendia e aprendi a brigar “homem a homem”, (rs). Minha adolescência foi mais traumática. Passávamos o inverno na fazenda dos avós maternos, no Paraná e eu era a atração dos primos e tios; cantava, tocava violão e cobrava as performances (o chapéu no chão para arrecadar dinheiro para comprar chocolates). Um dos tios estava com tuberculose e quando voltei para o início do ano escolar, não passei no teste Mantoux, obrigatório, no Dispensário. Foram 3 anos em que fui tratada com estreptomicina (perdi 4 decibeis de agudos na audição) e hidrazida. Tinha 14 anos, fui afastada de todos e foi o suficiente para eu mergulhar nos livros da Biblioteca Municipal, perfeita heroína romântica. Enquanto as amigas namoravam e pensavam que eu tinha reumatismo infeccioso - minha família escolheu esta doença para eu não sofrer preconceito, eu, isolada, lia e estudava. Mais tarde, grávida de minha primeira filha, tive uma forte pneumonia e pensei estar doente novamente. Meu marido levou meu prontuário para o Emílio Ribas e a pneumologista disse que eu nunca desenvolvi a doença e tive somente uma inflamação nos gânglios. Adenopatia justo hilar esquerda. Enfim, esposa em 4 casamentos, mãe de 3 filhos, morando em países diferentes, falando línguas diferentes, tive fartas experiências que agregaram enteados, ex-mulheres de ex-maridos, o que muito me fez refletir e repensar sobre a família núclear e seus propósitos, sobre religião, moralismos, amores, desamores. E como, sobrevivente, cheguei até aqui, agora com os netos, cachorrinhos e plantas. Há ainda muito a fazer, escrever, descobrir, inventar, transformar. 3. Como foi a passagem de menina para mulher? Vivi em Catanduva desde a infância até deixar a cidade com 21 anos, bacharel em Letras para vir a São Paulo iniciar meu Mestrado, na USP. Cresci, portanto, no interior, protegida, numa época de clima menos intenso com relação à questionamentos sobre sexualidade, relações interpessoais, política, diferente do que vivemos hoje. Mas já fugia do clichê. Garotas como eu se casavam muito cedo, muitas vezes grávidas; passavam a cuidar da família, sob a tutela do marido provedor. Para mim sempre houve uma certeza, a de ampliar meu espaço, continuar os estudos, conhecer o mundo. Porém, fazendo o Mestrado na USP, conheci meu

primeiro marido, recém formado médico, fazendo residência na Escola Paulista de Medicina. Com ele tive dois filhos e iniciei a tarefa árdua me dividindo entre crianças, o trabalho, os estudos e a administração da casa. Durante quatro anos estive na USP e concluí os créditos necessários para o Mestrado, em Literatura Portuguesa, mais especificamente sobre o Neorrealismo Português. Minha dissertação era sobre a obra de Almeida Faria. Mas, conheci Décio Pignatari em uma de suas palestras e ele me aceitou como orientanda. Desisti da USP/ Brasil e fui para a PUC-SP/ Brasil, começar tudo de novo. Na PUC, me tornei Mestra e Doutora, fazendo carreira docente como professora da Universidade; fui Coordenadora do Curso de Publicidade Propaganda e orientadora em Pós Graduação. Ao mesmo tempo já trabalhava simultaneamente na Rede Globo de Televisão, como roteirista de Telenovelas, Você Decide, Teletemas. E também já estava no meu segundo casamento, com meu terceiro filho, onze anos mais novo que o casal do casamento anterior. A vida profissional e intelectual se misturam inexoravelmente com a amorosa e familiar, é inevitável. Em 2000, com o terceiro marido fui morar na França, onde fiz minha Livre Docência, na Université de Provence, Aix - Marseille e lá, obtive meu HDR (Habilitation à Diriger des Recherches). Para tal, precisava de mais um ano na França e meu departamento, na PUC- SP/ Brasil, não me deu a prorrogação necessária. Então, pedi demissão (estava em afastamento sem remuneração). Continuei na França, vivi ao todo, 7 anos em Paris, até o final deste casamento. Neste percurso já havia publicado parte de minha tese de Mestrado, “O que é Telenovela”, e “Entre Pedaços” (poesia); fui organizadora de livros sobre Publicidade e Propaganda - “Contemporary Brasilian Theory,” que saíram pela SDSU Press, San Diego State University. Em 2007, voltei ao Brasil. Casei-me novamente e me aposentei. Nos anos sequentes, voltei a escrever. Cheetah é de 2016, um multilivro e há dois outros a caminho: “Euamo/res” ( poesia) e “A Garota Que Não Gostava Do Nome”, (multilivro). 3. Em que momento da sua vida a sua estrada bifurcou e como você fez a escolha e para onde ela te levou? Nesta profissão ´escritora, poeta, (falo por mim e por poetas que acompanho), há uma força inigualável que nos faz seguir em frente, na persecução de um gênio verbal, (incansável), cuja preRevue Cultive - Genève

69


tensão é nos distanciar da vulgaridade do mundo. Para mim, particularmente, então, enfrentar os estragos, desmanchar tudo, seguir impulsos têm uma missão semiótica embutida no objetivo a ser alcançado. Tal como Céline, um escritor maldito francês, sempre quis “transformar tudo em som, em toque, em pele, tecido, tudo em uma imensa gargalhada, revolver a crosta da linguagem, formada pelo magma das profundezas.” Ir até as últimas consequências.

claro, vem a nós um atributo e a nós é oferecido um lugar para ocupar. A designação “poeta” é um louro admirável, um graal a ser alcançado, sem nunca ser encontrado. É preciso não se iludir. Há pessoas no caminho que indicam setas, mas aprendi que sempre algo é cobrado. Há dissabores pelo caminho e há também ajuda (pouca), desinteressada. Não sei ainda se a minha história influenciou minhas escolhas. O que escrevo é TAMBÉM parte de minha biografia e vice-versa.

4. O que é poesia’ Não é linear, mas também não é seguir na contramão: é a batalha de inventar um novo fôlego, algo que afete a sensação e a consciência do mundo. É preciso deslocar o denotativo para o conotativo; é preciso seduzir o leitor para investigar o sentido polissêmico das múltiplas sensações, no encalço da emoção, da catarse; é preciso desmistificar a frugalidade; é preciso reconhecer o espantoso; é preciso se render a uma sensibilidade enorme, se se quer tangenciar o não dito, o de vir, o novo que deve permanecer novo para ser novo; é preciso provocar indignadas coceiras em si e no próximo; é preciso entender que não são ideias que fazem poemas, mas palavras e é preciso saber que nossa busca é a busca eterna pela palavra não dita. Estabelecer isto é decretar um plano contínuo de investigação que não cessa nunca. Só ganha volume. Fazer poesia não é auto ajuda, nem é a construção de um conglomerado de palavras desconexas. O poema é um ser de linguagem, estamos fazendo linguagem quando escrevemos e é preciso elevar o nível de competência para poder se entender criando algo. A poesia é um reduto de (não)subserviência, é a arte do anticonsumo; trabalhar a linguagem é regenerar a língua, revesti-la, ornamentá-la ou despi-la, cruelmente, de formas também horríveis e doídas. Trabalhar com palavras é viajar no vácuo, tentando preencher os conflitos que a associação/dissociação, a interconexão, seleção, combinação, sínteses, estimulam. É preciso entender que escrever é trabalhar O signo e não COM o signo.

6. Você participa de movimentos culturais?

5. Você tem algum arrependimento? Não mudaria nada do que vivi até aqui. Não seria outra coisa, estou em minha casa criativa, não me arrependo de travar, iniciar e continuar tais batalhas. Há um sofrimento nisto, faz parte. 6. Os apoios acontecem? Quando é possível se destacar do lugar comum, 70

Revue Cultive - Genève

Só agora retomei tais atividades. Muito tem me incentivado o blog Mulherio das Letras na Lua. Fiz muitas amizades gratificantes e afetuosas com aquelas lindas mulheres. Comecei a participar de antologias e concursos. É interessante e novo para mim. 5. Deseja alcançar mais o quê? Tudo o que eu ainda puder. Rose Calza


Revue Cultive - Genève

71


VEM AÍ O SALÃO INTERNACIONAL DO LIVRO E DA IMPRENSA DE GENEBRA

Após 2 anos sem acontecer o grandioso Salão do livro de Genebra ele votta com a sua força em abril de 2022 e para comemorar a altura A Cultive está preparando uma programação rica e cheia de novidades. Queremos oferecer aos autores e aos artistas partcipantes um evento inesquecível. Cada autor será merecidamente homenageado e receberá prêmios segundo o seu empenho e participação em prol da literatura e da cultura.

dar os detalhes. Como sempre, a Cultive coloca-se à disposição para informar e auxiliar o autor a planificar a sua participação e a sua viagem. Estaremos de palntão pelo zap. +41796163797 E-mail: cultivelitterature@gmail.com

Para comemorar o retorno do evento as EdiAlém de Genebra, a cultive está programando tions Cultive irá promover uma Antologia com eventos em países da Europa que farão parte do tema livre para ser lançado no Salão de Genebra Intercâmbio Interncional Cultive. Portugal e Itália cuja participação para os clientes da Editora e os farão parte desse projeto que a Cultive deve abrir membros da Cultive será gratuita. Texto poesia ou com chave de ouro. Os autores já podem reservar prosa 1 página word A5, 25 linhas seus lugares nesse evento feito para que a literatura seja colocada num pedestal de importância durante 15 dias. A programação, assim como valores serão fixados e anunciados no final de novembro, visto que estão sendo providenciados e planificados os detalhes do evento. você pode fazer a sua reserva para o salão e aguar72

Revue Cultive - Genève


EU E A NATUREZA HUMANA Amanheceu. A vida se refaz. As flores desabrocham. O Rouxinol apresenta o seu belo canto. O Sol oferece um Céu multicolorido convidando a apreciá-lo. O burburinho nas ruas passa a ser ouvido e Deus traz a sua presença em cada ponto aqui posto. Vem nos dizer que as ações bem transcorrerão e os passos serão seguros por onde se colocarem. Amanheceu. Acordo. Há sentimento de benção divina para mais um dia de graças e ações rotineiras, mas positivas. Passo a tecer os meus movimentos com a certeza de que, ao final do dia, o proposto terá sido alcançado. Amanheceu. Que os olhos só alcancem horizontes belos e grandiosos. Que o coração tenha batidas coordenadas por nobre sentimento. Que ao meu redor só aconteçam atos reforçando o bom, o justo, o verdadeiro. Amanheceu. Que neste raiar de dia todos os seres sejam felizes. Maria Inês Botelho

Revue Cultive - Genève

73


AVANI PEIXE Tempestade Silenciosa A fria e densa areia do meu amor, desvelo Um violão um dedilhar de cordas uma canção a debruçar-se em oração É tanto amor contido em meu coração deveras sofrido A minha inspiração exaltada Quem diria? restaurada O mar revolto em ondas uma praça, em realidade uma igreja, sombra, luz, o versejar de um violão Um ombro amigo almas em transição e conexão meu intelecto confundido minha paixão desenfreada a fria e densa areia desse amor, desvelo Abraço-me a ti e eu, de pronto, assim definitivamente envolvida nessa paisagem metafórica e emblemática 74

Revue Cultive - Genève

canto e aos deuses do mar, das tempestades avista um mantra, um canto Nesta madrugada fria de pronto se produz a calma no aconchego das notas musicais saltitantes povoando o universo cantante vestindo meu corpo nu e a alma lavada que intervalam e calam Faz-se um silêncio profundo que advém da longa espera resultante das questões análogas Sopra um vento açoitando os pensamentos e o universo conspira a favor da melódica saga E o violão toca uma canção de despedida a densa e fria areia desse amor sem medo a conjugá-lo em todos os tempos com o óbvio do amor perfeito


Norma Bezerra de Brito

NORMA BEZERRA DE BRITO nasceu em Crato/ CE. Reside em Brasília desde 2011. Professora de Línguas Portuguesa e Inglesa em escolas e universidades públicas e particulares. É aposentada pela Universidade Regional do Cariri/URCA, do Crato. Norma Brito é cronista e contista, com algumas incursões na poesia. Participou de mais de 50 antologias no Brasil e no exterior. É membro de várias academias literárias nacionais e internacionais. Publicou um livro de contos e crônicas: A Vida não é Ensaio. É delegada da Association d’Art, Litterature et Solidarité, de Genebra

TROVAS HUMORÍSTICAS O guarda me segurou, pôs algemas, deu-me um tapa, Só depois é que falou: estás em cana, meu chapa! O bicho-papão é lenda do nordeste brasileiro, tem uma cara horrenda, fique esperto, parceiro! O homem no bar bebia brigou por uma mulher, levado em cana, dizia: vê se larga do meu pé! Ouvi falar que a fofoca é da mulher o brinquedo, que mentira, que lorota, o homem que é fuxiqueiro!

TROVAS LÍRICAS/FILOSÓFICAS (DIVERSOS TEMAS) Saudemos os escritores de toda e qualquer nação, pois eles são detentores de sonhos e sedução! Eu louvo as minhas raízes de negros, brancos e índios, sou brasileira em matizes, o racismo é vilipêndio. Outono. Soprava o vento, as folhas secas do chão, levou todo o meu lamento e aliviou meu coração. Rendeiras nos devaneios, baião-de-dois e pequi, carne de sol nos braseiros, sabores do Cariri. Anjos feitos de ternura, carinhos, compreensão, mães amorosas e puras guardamos no coração. No arraiá de Chico Bento tinha fogueira e baião quadrilha em que me arrebento, dando voltas no salão

Revue Cultive - Genève

75


a violência de gênero está manchada de sangue na classe alta na favela no trabalho... VIOLÊNCIA DOMÉSTICA os corações petrificados matam sem dó ou piedade lágrimas rolam o mundo arde enfurecido A sociedade machista e a falta de leis severas fala-se em inclusão social mas esconde-se são culpadas da violência contra a mulher as diferenças. a ausência de boa formação familiar e educacional A violência doméstica é comum vive escondida caracterizam a violência de milênios homens usam máscaras sociais camuflando a fruto das atitudes individualistas violência que não apagam essa mácula. mas é difícil esconder porque o hematoma fica na pele O homem sem dignidade parte para a violência e no silêncio do coração. a mulher é vítima do preconceito e da ignorância A violência moral é a pior de todas a sociedade se reproduz num ciclo vicioso caracteriza-se por as mulheres estão levantando uma bandeira ofensa contra a honra solicitando mudanças contra a violência. injúria difamação... Violência de gênero é um veneno em conta-gotas -está no Código Penalinstaura terror e ódio o silêncio é aliado do agressor a agressão é a voz dos covardes a mulher apanhava e a justiça não punia é construto cultural inaceitável com a lei Maria da Penha o crime não é aceitável demanda-se um mundo tranquilo feliz sem prealguns juízes transgridem o estabelecido em lei conceitos a violência é cometida por que sejam consideradas qualidades e defeitos

ANELY GUIMARÃES

76

Revue Cultive - Genève


puxões de orelhas tapas beliscões chutes… A violência psicológica se dá por insultos humilhações chantagens gera profundos danos aumenta o sofrimento baixa à autoestima em quaisquer circunstâncias a violência choca na guerra entre as famílias e no trabalho ocorre por falta de inteligência emocional e do saber agir vaidade e prepotência deixam rastro de morte na alma. A violência patrimonial ocorre pela subtração retenção destruição dos pertences -nesse caso gera ação penalretração de documentos recursos econômicos que resultam em danos materiais. Os atos violentos ocorrem em vários espaços mas é no âmbito familiar que a violência doméstica tem maior ocorrência os maiores agressores são maridos namorados ex-amores irmãos filhos patrões vizinhos. Hoje pintarei o céu com mulheres estrelas de todas as raças crenças credos para mostrar o quanto elas são importantes Deus as colocou no mundo à procriação e evolução humana todos pedem clemência e menos violência nada justifica a violência doméstica psicológica moral.

“A VIOLÊNCIA É O ÚLTIMO RECURSO DO INCOMPETENTE” (Isac Asimov) NOSSA TENDA Nós dois, vozes e olhares na noite No espelho, lado a lado Beleza de amante Sentimentos, perfume, futuro certo Certo do que queremos E quando queremos Vamos mais longe Profundo olhar, presença obrigatória Água da fonte No frescor da mata Com o canto dos pássaros A brisa no rosto, os cabelos ao vento E o perfume exalando Dos corpos ardentes Uma paixão progressiva Com sabor de pecado Na fantasia da meia idade Responsabilidades e impulsos Necessidades e alegrias Com um simples olhar Olhar profundo a querer A lua ou o sol Nós dois, mais ninguém Sol, céu, chão, nós! Estrelas e lua ou chuva na janela Melodia ao amor, do aconchego… Da paixão! O toque mágico, o recado certeiro O arrepio pelo corpo O desejo explodindo E o carinho presente E o olhar. Ah, o olhar! Entregamo-nos, não negamos Queremos! Palavras? Não há! Não se explica. Apenas sensações Maravilhosas sensações Sem nada dizer Companheiros no amor Revue Cultive - Genève

77


e água, projetada na superfície, não tridimensional. Será que Veneza foi planejada e estudada para ser múltiplas cidades em uma, que muda conforme a luz? As imagens, muitas vezes abstratas, que se formam nos canais me atraem, me puxam, me chamam, me fazem querer entrar por portas e janelas imaginárias, mergulhar num reflexo ou espelho, como a Alice do Lewis Carroll, e me encontrar em outra dimensão.

Amantes na fantasia Sem coragem para quebrar regras sociais Amantes da natureza Do sentimento, da beleza Amantes em potencial Amando por juras Amando sem censura Com paixão, com desafios Tenda especial Escolhida e marcada

Passeando sem direção determinada, nem física nem de pensamento, munida de máquina fotográfica, fui colecionando as imagens. Algumas estruturas arquitetônicas passageiras, perspectivas móveis, que brincam com a imaginação, oníricas, que te levam para dentro dos canais como um vórtice, imagens que nunca se repetiriam se eu não as congelasse fotograficamente. As minhas, são anotações fotográficas. O quê abre o quê? Fotografei o que pude enxergar, sem pressa, por amor, por atenção, por simplesmente estar onde estou. Tive imensa dificuldade em escolher as imagens. Roberto Cecato, meu irmão e fotógrafo, me ajudou na seleção e edição das fotos.

É como abrir as portas da minha própria casa para quem quiser entrar. Faço de Veneza minha casa, desses reflexos os meus cômodos. A dicotomia mágica de estar do lado de fora, na superfície, mas Lindo! Sentimentos. também no lado de dentro, dentro dos canais, no flexos-reflex%C3%B5es-photos-from-venice-s-re- subconsciente de quem visita a cidade. Espero que as imagens pesquem os olhares, e que se sinta a neflections-on-water-1 cessidade de vir conferir de perto a beleza entreli Em relação aos reflexos, por exemplo, lendo sobre a nhas, entre canais, lagoa e mar. construção da Catedral da Piazza San Marco, diz-se que no projeto arquitetônico inicial, constava um Deleuze se deleita sobre o artista e diz que é um rio ou canal na frente da fachada para que o reflexo mostrador de afetos, e inventor de afetos, criador da cúpula bizantina pudesse sugerir uma esfera. de afetos. Essas imagens me são íntimas, são meus Será que se inspiraram no Taj Mahal, da India? Que afetos. metades são essas? Metade da esfera construída em pedra, de mármore, na vertical; a outra metade vi- Lica Cecato é uma artista multimídia que trafega sual, virtual, formada de reflexos, construída de luz com igual desenvoltura pelas áreas das artes viPara um relacionamento. Humano? Romântico? Erótico?

78

Revue Cultive - Genève


suais, da música, da poesia e do movimento corporal.
Possuidora de um traço peculiar, Lica atribui ao seu desenho o mesmo caráter efêmero da música que, em suas palavras, “...só existe naquele momento, direcionada para aquele público. Um e o mesmo, um elo entre a energia e o que nasce no papel.” Um diário visual interpretado à luz dos estímulos mais evidentes do cotidiano, assim é também a sua música, assim também é ela própria, a obra declaradamente sem véus para o artista que, por isso, deixa para o outro a leitura do que está velado. Martha Pagy, galerista e curadora

Em duo com o pianista jazz Carlo Morena, temos a honra de ter publicada a única versão oficial em lingua italiana por Lica Cecato de uma música do Caetano Veloso, Coração Vagabundo https://tratore.ffm.to/cuorevagabondo… Fado composto por Paolo Baltaro, que foi a trilha sonora de um curta. Minha Mente, Somente https://paoloandlica.hearnow.com

BIO LICA CECATO 2021 – 2001 2021 Lançamento do songbook LICA CECATO SONGS, com trasncrições de Ricardo Gilly, contendo 45 composições originais, das quais 10 com parceiros. Gravação e lançamento do álbum DUE COMETE, em duo com o violonista italiano Stefano Scutari, com 12 músicas nossas, originais. 2020 MARTHA PAGY ESCRITÓRIO DE ARTE, Reflexos Reflexões; b-gallery, Tokyo, “Collection”. Lançamento do single BOSSA BLUE, TIÊ PROS MENINOS, em parceria com Ricardo Gilly | DREAMBOX video-poema com Paulo Calasans 2019 CAFÉOTHÈQUE PARIS, exposição individual “Caffè” ; Fête de la Musique, UNPLUGGED; b-gallery Tokyo, individual “Caffè”; Hako Gallery Tokyo, individual & live concert; Bossa Aoyama Tokyo 2019 LIVE; Yamaki Nobue e Lica Cecato interpretam Villa-Lobos, Palazzo Barbarigo-Minotto Venezia; Punga Ponga, Okinawa com Midori Onaga; Copo do Dia Tokyo; Kumano Christmas Concert com Kinokawa Ryoko; Condecoração Embaixadora de Turismo e Cultura da cidade de Kumano | Tour Toohoku JAPAN com Nasu Shohei LINKS Solo exhibition at Martha Pagy Escritório de Arte, Rio de Janeiro https://youtu.be/PRNTq0hVSig Colaboração com Paulo Calasans no «Enquanto o corona» https://youtu.be/LHenNdtmj04 Quatro singles inéditos, dentre os quais, dois em parceria com Ricardo Gilly, https://tratore.ffm.to/ tieprosmeninos https://brasilcalling.wordpress.com/2020/12/14/lica-cecato-ricardo-gilly-tie-pros-meninos/ https://open.spotif y.com/track/6R lBS6SF7zUP4VVFmFqt5L?si=-hBM6YIsTx2gwshJTlxwnA https://youtu.be/PGydVOQDzkw Revue Cultive - Genève

79


FILHOS DA MÃE Valquiria Imperiano Para escrever um texto em homenagem à mulher, procurei frases sobre mulher no google e deparei-me com vários sites cuja frases atacavam as mulheres de modo cínico, irônico e piegas. Na maioria das frases, mesmo sem estarem assinadas, reconhecia-se de imediato o dedo do homem. Fiquei chocada com as imundícies escritas, baixarias e piadas com senso duplo saídas da cabeças de pretenciosos filósofos da natureza humana, sobretudo especialistas da mulher. Nem uma frase inteligente e sutil apenas indecências ridículas.

autoanálise em que o egoísmo o exclui das suas próprias conjeturas. Chego a uma conclusão após análise dos fatos que esses machos, revoltados com o sexo oposto, camuflam, na verdade, uma revolta escondida dentro de si mesmos por não terem a coragem de assumir o seu lado feminino e como vingança estúpida põem-se a criticar o objeto da frustração denegrindo sua imagem como se fossem, elas, as responsáveis pelas suas tendências escondidas. Se não for essa a explicação continuo ainda sem compreender o motivo de tal agressividade verbal que são jorradas desses homens revoltados.

O século é XXI e a mentalidade é medieval. Ainda Cheguei então à conclusão que o homem cospe existem sociedades secretas, sociedades religiosas, sempre no prato que come. Precisa de nós, assim sociedades culturais, funções trabalhistas, coroas como precisamos deles (pelo menos do seu se- monarquistas, sistemas de heranças, locais de reumem) e usa de sarcasmo para rebaixar a mesma nião, igrejas, práticas religiosa, escolas, universicategoria em que se encontra a sua mãe, sua irmã, dades cujo direito de uso e participação são exclusua filha e a mãe dos seus filhos porque não sabe sivamente masculinos. analisar que ao adjetivar a mulher indefinida está Continuarei a minha pesquisa quem sabe eu entambém incluindo as mulheres que o cerca. contre alguma palavra de respeito saída da boca de A inteligência relativa desse ser incapaz de ra- uma criatura com testosterona. ciocinar não o deixa colocar-se na roda dos atingidos pelas suas próprias palavras e fica violento Mas encontrei, afinal algumas boas frases e, é claro, quando outro chama a sua mãe disso ou daquilo, saídas de cabeças inteligentes homens e mulheres. é uma falta de bom senso coletivo, é uma falta de 80

Revue Cultive - Genève


FLORES VERMELHAS Precisamos de Flores Vermelhas! as azuis e as amarelas são lindas... são belas!... mas precisamos de Flores Vermelhas! as cor-de-rosa são bem femininas mas precisamos de Flores Vermelhas... para alegrar o dia a noite a vida e a própria alegria!...

DILERCY ADLER

precisamos de Flores Vermelhas! para enganar a dor que vem da morte da separação da perda... ... do incisivo corte! é natural de São

Vicente Férrer/MA/Brasil (07/07/50). Psicóloga, Doutora em Ciências Pedagógicas, Mestre. em Educação. Publicou 18 livros (Poesia, Acadêmico, Biográfico e História Infantil). Organizou 12 Antologias e tem participação em antologias nacionais e internacionais. Detentora de prêmios, troféus e menções honrosas por trabalhos acadêmicos e culturais. Membro Fundador e Pres. (Biênio 20162017) da Academia Ludovicense de Letras-ALL, Membro Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, Presidente da-Sociedade de Cultura Latina do Brasil-SCLB, Membro efetivo do Pen Clube Brasil, 2ª Diretora Cultural da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil -AJEB-MA, Délégue da Cultive, entre outras instituições.

só as Flores Vermelhas com o seu vermelho-sangue vermelho de coração vermelho de força vermelho de retidão de indignação vermelho que esconde o limo que devolve a vida que energiza a emoção podem germinar vida! preciso de Flores Vermelhas! precisas de Flores Vermelhas! precisamos de Flores Vermelhas!... precisamos tê-las sentir seu cheiro sua maciez sentir o seu espinho e só depois então se pode morrer de uma única vez!!!!

Revue Cultive - Genève

81


82

Revue Cultive - Genève


IRLANA JANE MENAS

CONFIANÇA

Na primavera Olho pelos jardins a sua mais linda decoração Procuro as flores Que se vestem lindamente E bailam as músicas Que o vento Sussurra em suas pétalas, Cada flor escolhe seu ritmo Veste o seu mais lindo Vestido E reinventa seus movimentos Ao doce sabor do vento Que admira sua beleza E canta novas melodias Para assistir com euforia A dança das flores Que projeta O dever cumprido Da Criação.

IZABEL MARUM POESIA Meu reino é feito de apelos... Ao grande Deus das florestas, nos mistérios mágicos segredos dos espíritos... Um mundo de morte e vida na nossa eternidade. Teu espírito se funde ao meu Uma voz me traz à direita da eternidade Evoco seu nome e divido com você, meu estado de graça.

Revue Cultive - Genève

83


FRAHM TORRES

WANDA CRISTINA DA CUNHA

PAISAGEM

POEMA CONDICIONAL – WANDA CRISTINA DA CUNHA E SILVA (WANDA CUNHA)

21 de setembro, Primavera de 2021 O que vejo é um pedaço do planeta Sempre quente e claro Aqui, as borboletas voam Na policromia da sempre primavera. O inverno não é rigoroso Não fosse a neve nas almas Reclusas no reflexo do absurdo. Rigorosas são as águas no verão Toda a terra se inunda de esperança Mas são gris os corações Espíritos ingratos nas verdes sendas Deixam passar em divagações A vida que gira nas estações. Haverá outros campos por onde andar? Haverá outras vidas em que Nas almas a neve não se faça permanente? Que bom ter olhos de primavera a esperançar! Francinete Torres do Vale Rocha (Frahm Torres) De Santa Luzia, MA, professora de Linguagens; Psicopedagoga; especialista em Gestão da Educação; ativista cultural, escritora e poetisa, com participação em diversas antologias; membro efetivo da AJEB/MA e da Sociedade de Cultura Latina do Brasil (MA); uma alma cativa pelos textos e gêneros do discurso, nutrindo profunda paixão pela obra literária universal.

84

Revue Cultive - Genève

Seria tão bom se abrisses A janela do teu quarto Na hora da aurora E entregasses um sorriso de luz Ao raio de sol que fosse em tua direção. Seria tão bom se abraçasses a lua. Seria tão bom se compreendesses as estrelas E desses um bom-dia ao teu vizinho. Seria tão bom se tivesses um jardim na tua casa Para que eu tivesse a certeza de que aprenderias a amar com as rosas. E, depois... Seria tão bom se me olhasses E espelhasses um sorriso de luz no meu olhar que é teu Aí, então, eu diria Que tu realmente Aprendeste a amar com as rosas. BIOGRAFIA Wanda Cristina da Cunha e Silva (Wanda Cunha), de São Luís/MA, é escritora (poeta, trovadora, cronista, contista, romancista), jornalista, compositora e professora. Licenciada em Letras - Universidade Estadual do Maranhão; bacharelada em Comunicação Social (Jornalismo) - Universidade Federal do Maranhão. Pós-graduada em Língua Portuguesa; Comunicação e Reportagem; especialista em Teoria da Literatura e Produção de Texto; em Educação Musical e Ensino de Artes. Pós-graduanda em Literatura Brasileira no Contexto dos Clássicos. Oito (08) livros publicados.


LENI ZILIOTO 20 ANOS DE LITERATURA NOSSA TENDA Nós dois, vozes e olhares na noite No espelho, lado a lado Beleza de amante Sentimentos, perfume, futuro certo Certo do que queremos E quando queremos Vamos mais longe Profundo olhar, presença obrigatória Água da fonte No frescor da mata Com o canto dos pássaros A brisa no rosto, os cabelos ao vento E o perfume exalando Dos corpos ardentes Uma paixão progressiva Com sabor de pecado Na fantasia da meia idade Responsabilidades e impulsos

Necessidades e alegrias Com um simples olhar Olhar profundo a querer A lua ou o sol Nós dois, mais ninguém Sol, céu, chão, nós! Estrelas e lua ou chuva na janela Melodia ao amor, do aconchego… Da paixão! O toque mágico, o recado certeiro O arrepio pelo corpo O desejo explodindo E o carinho presente E o olhar. Ah, o olhar! Entregamo-nos, não negamos Queremos! Palavras? Não há! Não se explica. Apenas sensações Revue Cultive - Genève

85


Para um relacionamento. Humano? Romântico? Erótico? Lindo! Sentimentos.

Maravilhosas sensações Sem nada dizer Companheiros no amor Amantes na fantasia Sem coragem para quebrar regras sociais Amantes da natureza Do sentimento, da beleza Amantes em potencial Amando por juras Amando sem censura Com paixão, com desafios Tenda especial Escolhida e marcada

86

Revue Cultive - Genève

Leni Chiarello Ziliotto é natural de Guaporé, Rio Grande do Sul, e atualmente reside em Mato Grosso, com título de cidadã mato-grossense. É escritora e produtora cultural, com 19 obras publicadas e mais de 40 participações em antologias e coletâneas nacionais e internacionais. Recebeu títulos e troféus e é membro de Academias, Federações e Associações literárias. Em suas obras predomina o poema e escreve também ficção, fantasia infanto-juvenil e biográfico. Organiza obras, coordena projetos de audiovisual e faz curadoria para exposições e eventos. Onde encontrar os livros: linktr. ee/lenizilioto


PARADOXO

MÁRCIA REGINA DOS REIS LUZ Nasceu em Caxias/Maranhão, mora em São Luis/ MA, é formada em Letras e Direito. Tem obras premiadas e publicadas em Coletâneas. Adora escrever poesias. Ama tudo o que faz, pois faz com amor. É membro do Núcleo de Letras e Artes de Portugal; da Sociedade de Cultura Latina/Seccional Maranhão; da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil/Coordenadoria do Maranhão; da Academia Norte Americana de Literatura Moderna/Capítulo Brasil; da Comissão da Mulher e da Advogada da OAB/MA; da Comissão de Direito Trabalhista da OAB/MA; da Comissão de Direito Previdenciário da OAB/MA, da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica/Coordenação do Maranhão; CORRESPONDENTE da Academia Vargem-Grandense de Letras e Artes/AVLA/MA. É diplomada, pela relevante contribuição em prol da Cultura Latina, pela Sociedade de Cultura Latina do Brasil.

Nossos olhos se cruzaram através de uma grade Tivemos a opção da escolha que liberdade ela nos trouxe Ali decidimos nosso destino, dançamos, roçamos nossos corpos, unimos nossos rostos, levemente nos beijamos, rodopiamos no salão, sentimos a respiração suave um do outro e fomos aplaudidos A grade que aprisiona é a mesma que liberta Que paradoxo O mar foi testemunha da nossa alegria de viver O céu cúmplice de um amor que lutava para chegar A brisa, responsável pelos afagos, beijos e amassos O 114 foi o Artigo do Código do Amor que nos levou ao êxtase completo Aprendemos novos valores, nova maneira de viver e amar Que paradoxo A grade que nos libertou na escolha nos prendeu no Amor Pois tudo ficou tatuado na Alma.

Revue Cultive - Genève

87


tidos filtram e apresentam. No ardor fervoroso do nosso bem-querer, apresentá-los-emos o que há de melhor por aqui. A composição da biodiversidade faz a diferença, mostrando-nos a vida da caatinga, do cerrado e da mata numa conjuntura que faz os nossos pensares delirarem no êxtase vibracional do que vimos e sentimos em um momento exato. Às vezes nos envolvemos de tal maneira na condução proposta, que não percebemos os impulsos aventureiros, que fazem de nós verdadeiros desbravadores das nossas próprias intuições. É fascinante quando deparamos com os colossais paredões montanhosos com suas fissuras deixadas pelos elementos da natureza, muitos deles apresentam-nos variadas formas, outros com imensas quedas d’águas. Por tantas riquezas que nos são apredo jovem Dr. João Gabriel Negrão dos Santos . Es- sentadas, chegamos a pensar que estamos vivendo critora, Artista Plástica, Pesquisadora, Bancária em um ambiente que só existe em contos de fadas aposentada, Formada em Magistério, Bacharel em madrinhas. Teologia, Doutoranda em Psicanálise. Doutora Honoris Causa por 3 instituições Brasileiras, Em- Esses belíssimos cenários criados por um Ser Subaixadora da Paz por 4 Instituições Latina Ame- premo deixam-nos fascinados (as)! ricanas, Comendadora das Letras, Artes e Sociais em 4 Instituições Brasileiras e Europeia. Membro Quantas centenas de anos ou milênios demoraram em diversas Academias Nacionais e Internacio- para se formar essas deslumbrantes visões? nais. Autora do Livro infantojuvenil bilíngue “A menina que falava com o beija-flor” ganhador de Que maravilhoso seria se não houvesse a destrui4 prêmios. Coautora em 51 Antologias, sendo 6 ção pelas mãos dos seres inconsequentes de um em idiomas estrangeiros. Detentora de Medalhas, palco tão rico, que nos dar a oportunidade de serTroféus e Títulos Honoríficos em Literatura, Artes mos os protagonistas das nossas próprias histórias Plásticas e Sociais. Membro do IHGFS e Membro e com melhor qualidade de vida! Nobiliárquico da Domus Augusta, Antiguíssima e Augustíssima Casa Imperial e Real Apostólica dos Deslumbrá-lo-emos uma vitalidade da qual encontramos nos registros no Livro da Sabedoria. Romanos .

MARIA JOSÉ PERY NEGRÃO DOS SANTOS D’ PIEMONTE DO PARAGUAÇU (Zezé Negrão), mãe

A Realeza da Natureza. Um lugar igual, ainda não virmos! É o nosso Sertão! Muitos contam as suas pelejas, alguns contam as suas aventuras e outros, as vivências esplêndidas com os seus verdadeiros amores! E assim vamos contando e rimando o que os sen88

Revue Cultive - Genève

Nós, os seus admiradores, proprietários temporários dessas magnificências, através das letras e das artes, apresentamos as belezas naturais Sertanejas e patenteamos nas mentes pensantes e atuantes, as veracidades executadas pelas mãos do nosso Artista Maior. Maria José Negrão.


Triste avião! Voando...deixando um milhão... Desumanidade, muitas vidas... Em que condição .... Voando... deixando seres, sem perdão... No desespero, na dor, a procura da salvação... Chega, vai e vem de montão... O mundo se cala, aceita, não rejeita...não Crime sem perdão... A vida usando o alcorão Faz desta tragédia ... Sem proporção... Uma constatação ... A vida não pode usar a sua religião ... Deus ou qualquer outro ser... Quer acender a união... Vem da solidariedade ... Do jeito de ser, do seu irmão...humanidade! Temos que ter mais amor no coração ... Não importa em que religião! Em todas e qualquer situação. Maria José Esmeraldo Rolim

Revue Cultive - Genève

89


PIETRO LEMOS COSTA ALEGRE ALVORADA Em deferência ao irmão Alexis, A vó Alexandrina, em memória. O desígnio dEle assim o quis: Nossa benção, tão Sua glória! Muito alegres pelo teu advento, Alexandre Spíndola Costa. A nortear teu caminho e intento: O amor, a direção e resposta. Que o teu caráter sejas estruturado No primor da educação e literatura, No viés espiritual lúcido e abalizado, No usufruto das artes e da cultura. Presença que evoca alegre alvorada: A revestir de luz e cor o ambiente. O afeto duradouro, vivo, presente Em nossos corações - a tua morada.

Pietro Lemos Costa. Pseudônimo: Pietro Costa. 30.06.1981, Brasília/ DF, Brasil. Escritor. Poeta. Produtor Cultural. Presidente da Academia Cruzeirense de Letras. Membro de Academias e Entidades Culturais no Brasil e no exterior. Dr. h.C. em Literatura pelo CSAEFH. Autor de 5 obras literárias. Coautor de mais de 100 coletâneas. Várias honrarias, prêmios e títulos.

90

Revue Cultive - Genève


Ah, se o tempo voltasse... Em teus braços eu iria debruçar... Pediria a Deus pra fazer o tempo parar. Você é fruto da mais perfeita essência, Que o tempo levou embora, Só ficou a saudade estampada em minha memória. Para onde você foi, jamais vou esquecer, Lembro-me naquela sala bem pertinho de você... Eu olhava e dizia: Jamais vou esquecer àquele grande dia em que eu me afastei de você. Os dias vão passando, as noites chegando... A dor do peito cada vez aumentando, Nunca mais vou poder lhe dizer: --“Mamãe, eu te amo! Hoje eu sei do que é feita a dor... Jamais vou esquecer daquele seu cobertor que me curava do frio de não ter mais o seu amor. (Padre Ernane) Bom Lugar (MA), agosto 2021.

EFEITOS DE SEUS ABRAÇOS Lembrei-me de abrir a janela do tempo Mergulhar no vazio de minha alma Sinto-me sem vida, sem aconchego Sem o calor dos teus (a)braços Nas noites obscuras, posso ver o escuro do meu quarto Sei que o tempo não vai voltar... Olhar em teus olhos Poder te abraçar Não, mais! O frio me atormenta e o teu nome passo a chamar Bem sei que próximo de mim nunca mais vai estar Na velocidade do relógio, você partiu a me deixar. Sinto falta de você, minha mãe! Nunca mais poder te abraçar É saudade sem fim! Revue Cultive - Genève

91


NOSSO BEM Não era vontade do pai celestial que pecássemos e fossemos para o inferno, mas ele deu ao homem livre arbítrio de escolha. Não nos fez fantoches, e sim seres inteligentes de desejos e escolhas. Ensinou o que era certo. mas o homem por ter este livre arbítrio se achou no direito de decidir a sua escolha. Ai entra o inimigo de nossas almas que já era expulso do reino celestial e convida o homem a juntar-se a ele. E pela desobediência e este, sem reflexão ouve a voz do inimigo que tinha e tem como propósito nos roubar de Deus. Aqui entra uma das mais importantes vontades de Deus; Restaurar seus filhos das mãos do diabo. Somos criaturas de Deus, Ele é o autor desta criação, não permitia que, o diabo te roube de Deus. Eu e você somos a obra preciosa, ele deseja salvar seus filhos, por meio de seu filho Jesus, um homem nasCOVID-19 –E PERMISSÃO DE cido de mulher, mas não de semente do homem. Ele era o próprio Deus, mas se fez homem afim de DEUS! nos tomar das garras do diabo. Porque Deus amou Amados leitores, antes de iniciar o que está em meu o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigêcoração, informo que nada sei, de algo tão sublime, nito, para que todo aquele que nele crê não pereça, se o Espirito de Deus não me enviar. Desejo ser mas tenha a vida eterna (João 3:16) apenas instrumento. Provérbios 3:5 Isaías 11:2 vejam amados a vontade de Deus na fala do seu filvontade e permissão ho unigênito; Jesus na noite em que foi preso esteve Não devemos confundir vontade de Deus com per- orando, pedindo a Deus que não o deixasse mormissão de Deus, nem tudo o que acontece é de sua rer. Pedido este como Deus homem, mas, havia vontade, mas nada acontece sem sua permissão. um propósito de Deus para a morte de Jesus Deus Tem um proposito e que nada acontece sem a per- homem, que era nos salvar. o mesmo acontece comissão do único e todo poderoso Deus. Ele é justo e nosco. o senhor permite que coisas aparentemente fiel para com seus filhos, que entendem, que o mel- ruins aconteçam em nossas vidas, porque por trás hor vem para aqueles que esperam, confiam e tem delas tem um propósito, uma lição. em momentos compromisso com Deus. Necessário se faz descan- de aflição nos resta orar confiar e esperar. sar inteiramente em deus em todos os momentos. isso é confiança. Em nossa vida há momentos que DEUS É SOBERANO somos provados diante de circunstâncias terríveis, que não entendemos. Lembramos da passagem Quando entendemos um dos atributos de Deus que é um pouco difícil entender como um filho de que é sua soberania, ou seja, seu poder absoluto, Deus pode ser provado tão ardentemente em sua sua supremacia diante de tudo que acontece, povida. Também difícil compreender como um pai demos certamente compreender também o porquê permite que um dos seus filhos sofra risco de vida, da sua permissão antes algumas circunstâncias. como vemos com Abraão no sacrifício de Isaque Nada acontece sem permissão e o conhecimento (gênesis 22) estes pensamentos norteiam a mente de Deus. gênesis 1:11 - então disse Deus: "cubra-se de muitos cristãos que entram neste momento. A a terra de vegetação: plantas que deem sementes e fé, esta traz vitorias no final. Isaque foi devolvido árvores cujos frutos produzam sementes de acor¬do com as suas espé¬cies". e assim foi. com vida a Abraão.

JAIDE SIQUEIRA

A SUA PERMISÃO OU VONTADE É SÓ PARA O A COVID-19 É UMA ALERTA! 92

Revue Cultive - Genève


tudo tem um sentido no mundo espiritual. é necessário que vivamos não só na matéria mas devemos mais ainda buscar o espiritual, o que vem do alto, e desta área de nossa existência que vem condições de descansar e confiar naquele que pode todas as coisas, Deus permitiu o coronavírus está ai para nos alertar da nossa desobediência, Deus permite tal nuvem para que ...deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, fitando os olhos em jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia,.. (Hebreus 12:1,2), quando era, eu era você que deveria estar naquele lugar. Mas o amor de Deus foi tanto que se fez um de nós. Aleluia! ele está assentado à direita do trono de Deus. (hebreus12:12) esta é a vontade do pai celestial. Este é o propósito: que sejamos salvos e reine com ele eternamente. O prazer do pai é ver seus filhos salvos do perigo, mas não o poupa se precisar ser disciplinado pela desobediência. [...] Cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. (Tiago 14:-15 14)

NOSSO CARÁTER. Muitos falam de tragédia pessoal que teve que ser suportada. as pessoas firmes em Deus, frequentemente têm orgulho dos tempos traumáticos em que viveram. Sim. é porque elas sabem que isto é evidência de um caráter e uma constituição fortes, que talvez tenham sido forçadas sobre eles pelas suas adversidades. e quando esta mudança é baseada nos princios de Deus. a vitória é contada com vibração e unção, elas têm prazer de recordar as lutas, as provações que os colocaram onde estão. E são experiências como estas que não trocam por nada. Sabem que foram as provações os sofrimentos na confiança e perseverança em Deus que produziram a força de caráter de um cristão que se tornaram. sabemos que Deus "...não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar" (1 coríntios 10:13) se estivermos nele!

ATRAVÉS DO SOFRIMENTO NOS HUMILHANADA, EM TODA A CRIAÇÃO, ESTÁ OCULTO MOS AOS OLHOS DE DEUS . Queridos, entendemos e aprendemos em 2 corínAté os cabelos da nossa cabeça estão todos tios 12:4-10 que Paulo tinha uma enfermidade com contados. não tenham medo; vocês além mais do o propósito de ajudá-lo a manter sua humildade e que muitos pardais! (lucas 12:7); Contudo, nen- para que outros não o exaltassem acima da conta. hum fio de cabelo da cabeça de vocês se perderá. É na adversidade que percebemos que nossa única (lucas 21:18). Os olhos do senhor estão em toda segurança e força verdadeira estão em Jesus Cristo. parte, observando atentamente a todos. Os maus e Por nós mesmos jamais teríamos a força e a autosos bons. para que vocês venham a ser filhos de seu suficiência (2 coríntios 12:10). pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e CONCLUSÃO: injustos. (Prov 15:3 - Mateus 5:45-46); Nada, em FINALIDADE DA PERMISSÃO DE DEUS PARA toda a criação, está oculto aos olhos de Deus. tudo CORONASVIRUS está descoberto e exposto diante dos olhos daquele a quem havemos de prestar contas. (heb 4:13) Deus quer abrir nossos olhos para o arrependimento acima de tudo, lembrar de que nossa meta Todas as árvores do campo saberão que eu, o sen- não é uma vida feliz, se esta felicidade é baseada hor, faço cair a árvore alta e faço crescer bem alto nos bens materiais, culturais e profissionais com a árvore baixa. eu resseco a árvore verde e faço flo- despreocupações, nesta terra. Lembrar que a nossa rescer a árvore seca. "eu, o senhor, falei, e o farei". felicidade já nascemos com ela, no entanto é ne(Ezequiel 17:24) vendo uma figueira à beira do ca- cessário vivenciar através dos ensinamentos bíbliminho, aproximou-se dela, mas nada encontrou, a cos e ter a certeza de que Deus cuida e está em nós não ser folhas. então lhe disse: "nunca mais dê fru- em todo tempo. Esta sim é a verdadeira felicidade. tos!" imediatamente a árvore secou. (Mateus 21:19) Pode vir tempestades, aflições, venceremos, pois assim ele nos garante. mas guerreando e as vezes O SOFRIMENTO NOS FORTALECE E MUDA sofrendo para que possamos atingir o objetivo do Revue Cultive - Genève

93


pai. Chegarmos ao lar celestial que Jesus Cristo foi preparar para nós com um desejo profundo e apreciação pela esperança em nós se formos cristãos e fiéis ao senhor. Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida!¨ Esta deve ser a declaração de todos nós, em meio aos sofrimentos." para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós" (Romanos 8:18). A VITÓRIA DA DIFERENÇA DO JUSTO E O INJUSTO NO SOFRIMENTO A diferença é exatamente como encaramos. Não que sejamos justos pois a palavra de Deus registra que não há nenhum justo sequer...Romanos 3:1023, a cada dia devemos buscar ser tementes e praticante da palavra e ela nos ensina a usar o nome e o poder de jesus para tomar a nossa frente em qualquer situação que seja: as pragas, vírus ou outra qualquer tempestade, sabemos que vai passar no tempo de Deus, pois nada esta fora do seu controle. Homem algum tem poder de fazer ou deixar de fazer o que Deus determina.. Mesmo o que é ruim se o homem quiser agradar o deus deste mundo, o Poderoso Deus saberá e permitirá ou não. Só Ele Tira ou bota. Quanto ao Vírus atual não tenho dúvida que foi a vontade de Deus. O Homem não teria tamanho poder de atingir o mundo inteiro com tamanha velocidade ou mesmo se tivesse. Mas Deus Sim. Devido a nossa desobediência e insensatez. Mas por amor nos levar ao despertamento a todos. Deus enviou a Covid 19 como fez várias vezes tempos atrás pela mesma circunstância. Ela é mais uma verdadeira mensagem de Deus!! E não estamos imunes. Só se Deus permitir a quem Ele quiser será poupado, independente de sermos obedientes ou não.. Como disse o sol e a chuva vem para todos. Jesus Cristo está voltando. Só o grande amor de Pai chamaria atenção de seus filhos para estarem atentos. Não devemos nos desesperar, pois a nossa confiança está firmada no Senhor o único e todo poderoso. E como tementes e confiantes Sl 46:1 a 3 Pelo que não temeremos ainda que a terra...não temos dúvidas da nossa vitória. Pode não ser aqui nesta terra, mas na cidade permanente junto a Jesus onde o choro e o lamento não têm lugar, mas caminhamos, louvando, e agradecendo a Deus em 94

Revue Cultive - Genève

jesus cristo por tudo. Veja que a palavra de Deus chama a nossa atenção para que observemos as pessoas, que temem ao senhor e as que não temem; devemos observá-las pela forma como vivem como enfrentam os problemas quando surgem, como educa e trata os seus familiares, e principalmente como reage diante do inesperado. Pois, o mal vem sobre os justos e injustos, sobre bons e maus, ele nos dá sabedoria para os devidos cuidados a cada situação. “para que sejais filhos do pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons...” (mateus 5.45) Então amigos, seus olhos estão abertos para perceber este mal em todas as nações? são os últimos avisos, não duvide. este é mais uma vez o amor de Deus por nós. lembre-se que por amor a mim e a você, ele se fez homem e sofreu da forma mais terrível. Então: “sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; mas o que, de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca. ” (1 joão 5.18) a nossa segurança é viver e praticar a palavra de Deus, pois somente nele somos mais que vencedores. Agrada-te do Senhor e Ele concederá os desejos dos vossos corações. (Salmo 37:4 a 6) Entregue sua a vida totalmente a Deus, se ainda não fez. A maior ofensa de um homem é se curvar diante de qualquer pessoa, imagem, ou seja, ídolos. Leia a sua palavra contida na bíblia, e comprove. Só a Ele prestarás culto. Pois este foi e é o desejo do diabo, ser adorado através destes misticismos. Nenhum outro além de Deus em Jesus Cristo tem poder de te atender. Todos Os demais seres criados por Deus humanos necessitam de Salvação e vida eterna. Mas Só Jesus pode dar. Que Deus ilumine vossas vidas Jaide Siqueira é Doutora em Psicanálise Clínica na Saúde e Educação, Advogada com experiência na vara da família. Casada à 53 anos, mãe de 5 filhos e 14 netos, Fundou o E.C.C ( Encontro de Casais com Cristo evangélico) em Feira de Santana – BA. É estudante constante da palavra de Deus na bíblia sagrada e o que mais a faz feliz é servir a Deus a quem atribui tudo o que é e alcançou.


LICA CECATO

VENEZA, PAIXÃO À PRIMEIRA VISTA REFLEXOS REFLEXÕES Em março de 2020, início da pandemia, fiz uma exposição individual na Martha Pagy Escritorio de Arte, no Rio de Janeiro. O que vem depois, todos sabemos. Certas obras e ideias sobrevivem com coragem, algumas ainda não tiveram a chance de serem lidas, ouvidas, vistas, mas pairam no ar, cometas distraídos, esperando seu ciclo para se completar. O título da exposição e desse artigo é REFLEXOS REFLEXÕES. Veneza, cidade que foi um golpe de amor à primeira vista, desde que cheguei, em 1978 . São fotografias impressas em papel-aquarela Fabriano, dos reflexos nos canais,

da cúpula bizantina pudesse sugerir uma esfera. Será que se inspiraram no Taj Mahal, da India? Que metades são essas? Metade da esfera construída em pedra, de mármore, na vertical; a outra metade visual, virtual, formada de reflexos, construída de luz e água, projetada na superfície, não tridimensional. Será que Veneza foi planejada e estudada para ser múltiplas cidades em uma, que muda conforme a luz? As imagens, muitas vezes abstratas, que se formam nos canais me atraem, me puxam, me chamam, me fazem querer entrar por portas e janelas imaginárias, mergulhar num reflexo ou espelho, como a Alice do Lewis Carroll, e me encontrar em outra dimensão. Passeando sem direção determinada, nem física nem de pensamento, munida de máquina fotográfica, fui colecionando as imagens. Algumas estruturas arquitetônicas passageiras, perspectivas móveis, que brincam com a imaginação, oníricas, que te levam para dentro dos canais como um vórtice, imagens que nunca se repetiriam se eu não as congelasse fotograficamente. As minhas, são anotações fotográficas. O quê abre o quê? Fotografei o que pude enxergar, sem pressa, por amor, por atenção, por simplesmente estar onde estou. Tive imensa dificuldade em escolher as imagens. Roberto Cecato, meu irmão e fotógrafo, me ajudou na seleção e edição das fotos.

https://www.licacecato.com/ product-page/reflexos-reflex%C3%B5es-photosÉ como abrir as portas da minha própria casa para from-venice-s-reflections-on-water-1 quem quiser entrar. Faço de Veneza minha casa, Em relação aos reflexos, por exemplo, lendo sobre a desses reflexos os meus cômodos. A dicotomia construção da Catedral da Piazza San Marco, diz-se mágica de estar do lado de fora, na superfície, mas que no projeto arquitetônico inicial, constava um também no lado de dentro, dentro dos canais, no rio ou canal na frente da fachada para que o reflexo subconsciente de quem visita a cidade. Espero que Revue Cultive - Genève

95


as imagens pesquem os olhares, e que se sinta a ne- Quatro singles inéditos, dentre os quais, dois em cessidade de vir conferir de perto a beleza entrelin- parceria com Ricardo Gilly, https://tratore.ffm.to/ has, entre canais, lagoa e mar. tieprosmeninos https://brasilcalling.wordpress.com/2020/12/14/liDeleuze se deleita sobre o artista e diz que é um ca-cecato-ricardo-gilly-tie-pros-meninos/ mostrador de afetos, e inventor de afetos, criador https://open.spotif y.com/track/6R lBS6SFde afetos. 7zUP4VVFmFqt5L?si=-hBM6YIsTx2gwshJTEssas imagens me são íntimas, são meus afetos. lxwnA https://youtu.be/PGydVOQDzkw Lica Cecato é uma artista multimídia que trafega Em duo com o pianista jazz Carlo Morena, temos com igual desenvoltura pelas áreas das artes vi- a honra de ter publicada a única versão oficial em suais, da música, da poesia e do movimento corpo- lingua italiana por Lica Cecato de uma música do ral.
Possuidora de um traço peculiar, Lica atribui ao Caetano Veloso, Coração Vagabundo https://traseu desenho o mesmo caráter efêmero da música tore.ffm.to/cuorevagabondo… que, em suas palavras, “...só existe naquele momen- Fado composto por Paolo Baltaro, que foi a trilto, direcionada para aquele público. Um e o mes- ha sonora de um curta. Minha Mente, Somente mo, um elo entre a energia e o que nasce no papel.” https://paoloandlica.hearnow.com Um diário visual interpretado à luz dos estímulos mais evidentes do cotidiano, assim é também obras da LICA CECATO na Galeria Artplus página a sua música, assim também é ela própria, a obra 133 declaradamente sem véus para o artista que, por isso, deixa para o outro a leitura do que está velado. Martha Pagy, galerista e curadora. BIO LICA CECATO 2021 – 2001 2021 Lançamento do songbook LICA CECATO SONGS, com trasncrições de Ricardo Gilly, contendo 45 composições originais, das quais 10 com parceiros. Gravação e lançamento do álbum DUE COMETE, em duo com o violonista italiano Stefano Scutari, com 12 músicas nossas, originais. 2020 MARTHA PAGY ESCRITÓRIO DE ARTE, Reflexos Reflexões; b-gallery, Tokyo, “Collection”. Lançamento do single BOSSA BLUE, TIÊ PROS MENINOS, em parceria com Ricardo Gilly | DREAMBOX video-poema com Paulo Calasans 2019 CAFÉOTHÈQUE PARIS, exposição individual “Caffè” ; Fête de la Musique, UNPLUGGED; b-gallery Tokyo, individual “Caffè”; Hako Gallery Tokyo, individual & live concert; Bossa Aoyama Tokyo 2019 LIVE; Yamaki Nobue e Lica Cecato interpretam Villa-Lobos, Palazzo Barbarigo-Minotto Venezia; Punga Ponga, Okinawa com Midori Onaga; Copo do Dia Tokyo; Kumano Christmas Concert com Kinokawa Ryoko; Condecoração Embaixadora de Turismo e Cultura da cidade de Kumano | Tour Toohoku JAPAN com Nasu Shohei LINKS Solo exhibition at Martha Pagy Escritório de Arte, Rio de Janeiro https://youtu.be/PRNTq0hVSig Colaboração com Paulo Calasans no "Enquanto o corona" https://youtu.be/LHenNdtmj04 96

Revue Cultive - Genève


do Itapecuru-Mirim, ainda Município de Itapecuru-Mirim, pertencente à Provincia do Maranhão, em 22 de março de 1812 e faleceu em Lisboa, Portugal, em 26 de abril de 1863. Foi considerado por Capistrano de Abreu como um dos maiores historiadores brasileiros do século XIX, especialmente por ter sido julgado o pioneiro na escrita de uma história “das municipalidades”. Entretanto, isso não foi suficiente para que JOÃO LISBOA se igualasse a grandes historiadores brasileiros da época lembrando algumas das obras e características da escrita da história de JOÃO LISBOA, avaliando também as possibilidades discursivas de observar como escrevia a história do Brasil no século XIX. Era o primeiro filho do casal João Francisco de RAIMUNDO CAMPOS FILHO Melo Lisboa e Gerardes Rita Gonçalves Nina. Descendente de famílias tradicionais ligadas à aristoProfessor, membro Fundador da Academia Ludo- cracia rural instaladas no vale do Itapecuru. vicense de Letras, ocupante da Cadeira n. 5, que Em 20 de novembro de 1834, casou-se com Viotem como patrono JOÃO FRANCISCO LISBOA; Membro do Instituto Histórico e Geográfico do lante Luísa da Cunha, sobrinha de João Inácio da Maranhão, ocupante da Cadeira n. 5, que tem Cunha, visconde de Alcântara. O casal não teve filcomo Patrono o Padre LUIS FIGUEIRA: Dire- hos. Adotou um filha de Olegário José da Cunha. tor-Membro da Sociedade de Cultura Latina do Esta é parenta da esposa. Mas a menina veio a faBrasil; Professor de Direito Civil da Universidade lecer pouco depois. Outra filha de Olegário (Maria Federal do Maranhão, desde 1989; Mestre em José) foi adotada pelo casal e sobreviveu a ambos. Ciências da Educação; Doutorando em Educação; Já, idosa, assistido à inauguração da estátua do pai adotivo, na cidade de São Luís, em 1918. e Doutorando em Direito JOÃO LISBOA Patrono - Biografia Caríssimos Senhores Organizadores, Primeiramente, agradecer o convite para participar deste evento e externar a minha satisfação de integrar o seleto quadro de membros fundadores da Casa de Maria Firmina, que se configura como expoente da intelectualidade maranhense ao qual reputo grande significação e responsabilidade em minha vida, por marcar a minha ocupação na Cadeira de n°. 5, que tem como patrono o ilustre JOÃO FRANCISCO LISBOA.

JOÃO LISBOA, estudou as primeiras letras em São Luís, onde viveu até os onze anos, quando voltou a Pirapemas. Permaneceu no sítio natal até completar quatorze anos. Falecido o pai, foi enviado para a capital da Província, a fim de trabalhar no comércio como caixeiro da loja do negociante Francisco Marques Rodrigues. Permaneceu nesse ramo de atividade de 1827 a 1829. Largando essa ocupação, dedicou-se inteiramente ao estudo, sob a orientação de alguns mestres renomados, entre os quais o professor de Latim, Francisco Sotero dos Reis. Depois, separados por divergências de natureza política, os dois se tornariam adversários ferrenhos. Sotero dos Reis, em seu Curso de Literatura, gabou-se de ter contribuído para a educação de JOÃO LISBOA que, no entanto, fez sérias restrições ao mestre.

JOÃO LISBOA, jornalista, advogado, publicista, biógrafo, crítico, historiador maranhense, orador de largos recursos e político, nasceu no Distrito de Foi político, historiador, jornalista, escritor e tamPirapemas, freguesia de Nossa Senhora das Dores bém deputado provincial e literato, membro do InsRevue Cultive - Genève

97


tituto Histórico e Geográfico Brasileiro – IHGB e da Academia Brasileira de Letras - ABL, patrono da Cadeira nº 18, por escolha do fundador José Veríssimo. Exerceu o jornalismo na cidade, então agitada por profundos movimentos revolucionários e intensa vida cultural e ideológica – tempo em que ocorrem duas revoltas marcantes, a Setembrada (em 1831) e a Balaiada (de 1838 a 41). Fundou e dirigiu, no Maranhão, vários jornais, dentre os quais, em 1832, o jornal “O Brasileiro”, continuando a pregação interrompida com o fechamento de “Farol Maranhense”, de José Cândido de Morais. Em seguida, reeditou o “Farol”, que dirigiu por dois anos. Entre 1834-36, dirigiu o “Eco do Norte”, que foi retirado de circulação, assim como o “Farol”.

Além do patronato na Academia Brasileira de Letras, a Cidade Maranhense de João Lisboa foi assim batizada em sua memória. Na capital do Estado, uma praça tem seu nome, ornada por uma ESTÁTUA representando-o, inaugurada em 1918.

Em 1855, foi ao Rio de Janeiro de onde partiu para Portugal, com a missão de reunir ali documentos históricos do Brasil. Quando pesquisava também sobre Antônio Vieira. Em Lisboa, já não contava com boa saúde e veio a falecer ainda na capital portuguesa.

Além de exibir sua maestria no domínio da Língua Portuguesa, as obras de JOÃO LISBOA refletem ainda os profundos conhecimentos do autor, autodidata, nos campos da História, do Direito e da Literatura.

Biografia Seus trabalhos, publicados em jornais e periódicos, foram alvo de compilações posteriores: “Jornal de Timon”, reunidos em dois volumes (1852-54); Obras de JOÃO LISBOA (com uma notícia biográfica por Antônio Henriques Leal) - 4 vols. (18641865). (2a ed., acrescida de apêndice de Sotero dos Reis, Lisboa, 1901, 2 vols.); Vida do Padre Antônio Vieira (obra inacabada, puDeixou o jornalismo, ocupando funções públicas. blicação póstuma) - 5a edição, 1891; Foi por três anos secretário de governo. Em segui- Obras escolhidas. Ed. Otávio Tarquínio de Sousa. da, ingressa na política, concorrendo e ocupando Rio de Janeiro, 1946, 2 vol; (por duas vezes) a legislatura provincial. Crônica maranhense, 1969; Crônica Política do Império (Jornal de Timon), Em 1838 retomou o jornalismo, participando, 1984. como entusiasta do Partido Liberal, da direção da “Crônica Maranhense”, ocasião na qual eclodiam Até hoje, sua obra é considerada única devido ao os movimentos rebeldes no Estado. JOÃO LISBOA valor da análise crítica que comporta e à qualidade foi acusado, sem ter tido efetivamente, culpa de es- da sua redação. JOÃO LISBOA representa, ao lado tar envolvido na Balaiada, o que o fez retirar-se da de Varnhagem e de Joaquim Caetano da Silva, o política por uns tempos, voltando-se para a litera- tripé da reforma da historiografia brasileira. tura e a advocacia. Um ano após sua morte, seu amigo Antônio HenEm 1848, retornou à Assembleia Provincial. A 25 de rique Leal editou suas obras completas, que saíram junho de 1852 lançou o famoso “Jornal de Timon” com o título Obras de JOÃO LISBOA. Os volumes dedicado aos estudos políticos, principalmente foram originalmente publicados em São Luís do de cunho eleitoral, à história do Brasil e à história Maranhão, entre os anos de 1864 e 1865. Tem-se do Maranhão – revista inicialmente mensal (cin- conhecimento de outra edição, de 1901, em 2 voco primeiros números) – publicada até o volume lumes, desta vez publicada em Lisboa, também doze. Os dois últimos, feitos em Lisboa. Ali, proce- rara. deu a ataques a outro futuro patrono da Academia, Francisco Adolfo de Varnhagen, criticando-o por Em 1991, foi editada “Obras de JOÃO LISBOA”, seu trabalho na “História do Brasil”. Recebeu na ca- versando sobre a “Vida do Padre Antonio Vieira”, pital lusa uma resposta panfletária do cunhado de “Biografia de Manuel Odorico Mendes”, “FolheVarnhagen, que também cuidou de ripostar no “Os tins”, “Discurso sobre a Anistia” e “A Questão da Índios Bravos e o Senhor Lisboa” (1867). Prata”.

Homenagens 98

Revue Cultive - Genève

Em 1838, retomou o jornalismo, assumindo a direção da Crônica Maranhense, em sua fase áurea


como escritor. Segundo Antônio Henriques Leal, a Crônica era um jornal de combate, especialmente criado para defender os interesses do Partido Liberal, reproduzindo a história viva das lutas políticas daqueles anos. Deixou de circular em dezembro de 1840. O Museu Histórico Nacional, do Rio de Janeiro, publicou, em 1969, dois volumes onde se encontra coligida grande parte da colaboração de JOÃO LISBOA nas páginas da Crônica Mara nhense.

na-se cada vez mais precário, e ele veio a falecer às duas horas da madrugada em 26 de abril de 1863, tendo sido sepultado em caixão de chumbo no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

Ainda, naquele ano, já de volta ao Maranhão, D. Violante da Cunha Lisboa tomava providências para que o corpo do marido fosse trasladado de Lisboa para São Luís. Houve alguma demora e somente em 24 de maio de 1864 aqui chegou a bordo do brigue Angélica, um ano depois do seu faleciEra o período difícil da Regência e da Maioridade mento. Esta embarcação trouxe os restos mortais de D. Pedro II. Na tribuna parlamentar e na im- de JOÃO LISBOA, o que movimentou milhares de prensa, JOÃO LISBOA defende princípios da li- maranhenses. berdade e interesses do povo, sendo injustamente acusado de participação na “Balaiada”, movimen- Foi sepultado pela segunda vez, no seu Estado Nato revolucionário maranhense. Por isso, retirou-se tal, na capela-mor da Igreja do Carmo, com uma temporariamente da política, dedicando-se à lite- lápide modesta, onde se lia “JOÃO LISBOA. Nasratura e à advocacia. Em 1847, recusou o convite ceu em 22 de março de 1812, na Província do Maque lhe fizeram os liberais para se apresentar como ranhão. Faleceu em 26 de abril de 1863, na cidade candidato a deputado geral. Contudo, aceitou a de Lisboa”, recebendo a alcunha de “Timon Mara participação na Assembleia Provincial, para a qual nhense”. foi eleito no ano seguinte. JOÃO LISBOA teria a terceira sepultura, no CemiEm 25 de junho de 1852, saiu o primeiro número tério do Gavião, de onde, para uma quarta e última do Jornal de Timon, folheto composto de 100 pági- morada, foi transferido em 1911 para a praça que nas, inteiramente redigido por JOÃO LISBOA. Os tem seu nome, com grande acompanhamento. Jaz cinco primeiros números circularam mensalmente. o mestre no pedestal de sua estátua, de frente para Somente em 1854 saíram, em volume de 416 pági- a Rua do Sol. nas, os fascículos de 6 a 10; o 11 e o 12, em março de 1858, quando o publicista residia com a fa- Sua mulher, d. Violante, faleceu em São Luís em 14 mília em Lisboa. Atacou, entre outros, Varnhagen, de maio de 1891. pelo método que empregou na História do Brasil. Surgiu, em Lisboa, o panfleto Diatribe contra a ti- A filha adotiva do casal casou-se com o súdito monice. Seu autor, disfarçado sob o pseudônimo inglês Henry Airlie, residente em São Luís. de Erasmo, era o cunhado do próprio Varnhagen, Frederico Augusto Pereira de Moraes. Também Os bens deles descritos não revelam qualquer forVarnhagen replicou no opúsculo os índios bravos tuna, prova de que o casal levou vida modesta. e o senhor JOÃO LISBOA (Lima, 2002.) Logo após o regresso de D. Violante Lisboa ao JOÃO LISBOA transferiu-se em 1855, para o Rio Maranhão, os amigos da família, destacando-se de Janeiro, de onde, após curta permanência, par- à frente deles Olegário José da Cunha e Antônio tiu para Lisboa, incumbido pelo Governo Imperial Henriques Leal, iniciaram as gestões para que fosde coligir, em Portugal, documentos e dados eluci- sem reunidas todas as obras de JOÃO LISBOA, dativos da história brasileira. Lá pesquisou também incluindo-se entre elas a “Vida do Padre Antônio sobre a vida do Padre Antônio Vieira, para uma Vieira”, inacabada. biografia, que ficou inacabada. Após um período de intenso trabalho em arquivos portugueses, rea- Por sua atividade e por sua obra, JOÃO LISBOA lizou uma viagem de despedida ao Maranhão, no é um típico representante de uma época e de uma período de 5 de junho a 11 de dezembro de 1859. sociedade. Fez parte do movimento maranhense Nos anos que se seguiram, o seu estado de saúde, do século XIX que se distinguiu, talvez pela proxiem função de complicações renais e hepáticas, tor- midade material e espiritual da metrópole, por Revue Cultive - Genève

99


acentuado pendor classicizante. Foi traduzido na fidelidade aos padrões tradicionais do vernáculo e na defesa da tradição e do rigorismo gramatical, o que conferiria à capital do Maranhão o honroso título de Atenas Brasileira. Foram seus contemporâneos Odorico Mendes, Sotero dos Reis, Joaquim Serra, Franco de Sá, Sousa Andrade, Antônio Henriques Leal, Cândido Mendes de Almeida e César Augusto Marques. Todos os estudos biográficos sobre JOÃO LISBOA, cognominado o “Timon Maranhense”, se baseiam nos dados publicados por seu contemporâneo e amigo íntimo Antônio Henriques Leal na “Notícia acerca da vida e obras de JOÃO LISBOA”, que precede as suas Obras (4 volumes) impressas no Maranhão em 1864-1865, e na biografia, ampliada, reproduzida no Tomo 4º do “Pantheon Maranhense”, editado em 1857 pela Imprensa Nacional de Lisboa.

http://www.institutodoceara.org.br/[consulta: 01.11.2010]. STUDART, Guilherme. A relação do Maranhão pelo Pe. Luis Figueira. Dirigida ao Propósito Geral da Ordem de Jesus Cláudio Aquaviva. In: Documentos para a História do Brasil e especialmente a do Ceará 1608-1625. Fortaleza: Typ. Studart, 1904. Colleção Studart, v. I. Recuperado de http://www. institutodoceara.org.br/ [consulta: 01.11.2010]. STUDART, Guilherme. A Relação do Maranhão, 1608, pelo jesuíta Padre Luiz Figueira enviada a Cláudio Aquaviva. In: Três documentos do Ceará Colonial. Fortaleza: Departamento de Imprensa Oficial, Coleção História e Cultura dirigida pelo Instituto do Ceará, 1967. Recuperado de http://www.institutodoceara.org.br/ [consulta: 01.11.2010].

GALLANTI, Rafael. História do Brasil. 2ª ed. São ALGUMAS OBRAS Paulo: Duprat & Comp. 1911, tomo II e III. GALLANTI, Rafael. História do Brasil. 2ª ed. São PauFesta de Nossa Senhora dos Remédios lo: Duprat & Comp. 1911, tomo II e III. NUNES, JORNAL DE TIMON - Timon a seus leitores Joaquim José. Compêndio de Gramática Histórica Para finalizar, quero enfatizar a necessidade e im- Portuguesa. 9ª. Lisboa: Clássica, 1989. Recuperado portância dos registros históricos, lembrando, no de www.filologia.org.br [Consulta: 01/11/2010]. entanto, a dificuldade da apreensão de todos os aspectos de cada objeto de pesquisa, principalmente FIGUEIRA, Luís. Arte da Lingua Brasilica, Comdaqueles das Ciências Sociais e Humanas. Isso posta pelo Padre Luis Figueira da Companhia de se deve a múltiplos fatores. Principalmente, à di- IESV, Theologo, Lisboa, Oficina de Manoel da Silmensão subjetiva, tanto do observador quanto do va, 1621. objeto observado, que, entre outras consequências, resulta em interpretações distintas e até mesmo an- FIGUEIRA, Luis, p., 1573-1643 (1687) Século tagônicas de diferentes observadores em relação à XVII. Arte de grammatica da lingua brasilica, Do mesma situação, sociedade ou pessoa. P. Luis Figueira, Theologo da da Companhia de JESVS. (MIGUEL DESLANDES, LISBOA, 1687) REFERÊNCIAS (4 fls. prels. não nums., 167 (+1) p. (Erro de paginação: 30 i. e. 130). [ ](4) A-K(8) L(4)). BOGÉA, Kátia Santos; RIBEIRO, Emanuela Sousa; BRITO Stella Regina Soares de. Arquitetura e LEITE, Serafim, S.J., Luis Figueira. A sua vida arte religiosa no Maranhão. São Luís: 3ª Superin- heróica e a sua obra literária, Lisboa, 1940 (onde tendência Regional/IPHAN, 2008. se publicam, à excepção da Arte da Lingva Brasilica, as obras referidas supra e outras). Recuperado CANEDO, Eneida Vieira da Silva O. Instituto de http://www.institutodoceara.org.br/ [Consulta: Histórico e Geográfico do Maranhão: Patronos e 01.11.2010]. ocupantes de cadeiras. São Luís:PORTGRAF, 2005. LIMA, Carlos de. Caminhos de São Luís: ruas, loSTUDART, Guilherme. A relação do Maranhão, gradouros e prédios históricos. São Paulo: Sicilia1608, pelo jesuíta Padre Luiz Figueira enviada no, 2002. a Cláudio Aquaviva. In: Revista do Instituto do Ceará. 1887, Tomo I, p. 97- 138. Recuperado de POMPEU SOBRINHO, Thomaz. Relação do Ma100

Revue Cultive - Genève


ranhão: Introdução, Notas e Comentários de Th. Pompeu Sobrinho. In:Três Documentos do Ceará Colonial. Fortaleza: Departamento de Imprensa Oficial, Coleção História e Cultura dirigida pelo Instituto do Ceará, 1967. Recuperado de www.filologia.org.br [Consulta: 01/11/2010]. XIMENES, Expedito Eloísio. Relação do Maranhão ou certidão de nascimento do Ceará: necessidade de uma edição crítica. Recuperado de www. filologia.org.br [Consulta: 01/11/2010].

Revue Cultive - Genève

101


cando sorrateiramente o compasso da

102

Revue Cultive - Genève


Rhany Costa, nasceu em Manaus/Amazo-

nas/Brasil, filha de Lizete Wanderley da Costa e carinhosamente adotada pelo avô João Marques da Costa. Casada com Rodolfo Braga e mãe de Nathalie Braga. Escritora de contos e matérias sobre seu Estado, graduada em Administração e Economia, foi empresária do ramo da moda e da gastronomia. Ama fotografar lugares lindos e inusitados.

O Relógio Municipal de Manaus “Vulnerant omnes, ultima necat” Nos idos 31 de março de 1929, na cidade de Manaus-Amazonas, Brasil, era instalado, o que se constituiria em um ponto turístico dos mais procurados, O Relógio. Na época de sua inauguração, Manaus, capital do Amazonas, localizada a margem esquerda do Rio Negro, vivia uma crise devido ao fim do ciclo da borracha e este monumento trazia consigo o simbolismo de marcar uma mudança de tempo na cidade.

época, tudo vindo da França e de outras capitais da Europa. Com o declínio deste período, o Relógio com sua arquitetura neoclássica, badalava anunciando novos tempos.

Localizado na zona central da Cidade, na Av. Eduardo Ribeiro, faz parte do conjunto arquitetônico da zona portuária de Manaus, já conhecida como Paris dos trópicos. Seu maquinário foi todo importado da suíça e montado em base de pedra quadrangular, pelos antigos ourives da cidade de Manaus, conhecidos como Pelosi e Roberti. Sua altura de cinco metros não deixa passar incólume os turistas e nativos que por ali trafegam, atraindo O ciclo da borracha foi o período onde a extração olhares admirados para sua beleza impar. Em 14 de e comercialização do látex, seiva leitosa que é proJunho de 1988, através do Decreto 11.197, foi tomduzida na casca da Seringueira, árvore originaria bado como Patrimônio Estadual do Amazonas. da região amazônica, constituíram atividades basilares da economia. O lindo Relógio, possui uma frase em latim gravada em volta do mostrador que nos remete a breviEste período ficou conhecido como “Belle Époque dade e fragilidade da vida humana, ela nos diz “toAmazônica”, onde cidades como Manaus e Belém, das ferem, a última mata”, nos remetendo para que tornaram-se as capitais brasileiras mais desenvoltudo há um tempo de acabar, até mesmo a vida. E vidas, com eletricidade, sistema de agua encanada assim face a sua beleza e imponência, o tic tac vai e esgotos, museus e cinemas, construídos sob forte marcando sorrateiramente o compasso da nossa influência europeia. Na moda, a opulência e luxo existência, "Vulnerant ornes, ultima necat”. estavam marcados pelas belas vestes das damas da Revue Cultive - Genève

103


missão, Guimarães Rosa conseguia universalizar mensagenzinhas, formas de pensar do sertanejo. Porém sua missão mais importante foi quando cônsul para o Brasil em Hamburgo. Facilitou a retirada de judeus para o Brasil, daqueles que se encontravam sob o julgo do Führer.

VALDIVIA S. BEAUCHAMP Copyright:

NUMA PINCELADA, PRESENÇA DE INTELECTUAIS BRASILEIROS NA EUROPA Quando no Brasil Imperial, na segunda metade do século XIX, no reinado de Dom Pedro II, o teatro Alla Scala de Milão encenou a ópera “Il Guarani", do compositor brasileiro Antônio Carlos Gomes; pela primeira vez, a obra de um autor não italiano, abalaria o procenio daquele templo da Arte, tornando-se um sucesso imediato. Paralelamente foram iniciadas as imigrações europeias para o Brasil, a cargo do governo imperial brasileiro. A amálgama de idiomas e costumes no século XX, daria ensejos a viagens e incursões de brasileiros, no sentido das pátrias de seus antepassados, talvez, um chamamento do DNA do"inconsciente coletivo" do povo, traduzidos na admiração pela arte e cultura. Na Europa, o diplomata João Cabral de Melo Neto, humanista e minucioso observador das letras, recebia a comenda da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (ordem honorífica portuguesa criada em 1170, extinguida durante a implantação da república, voltando a ser concedida em 1918 por mérito literário, científico e artístico a chefes de Estado estrangeiros ou pessoas de feito extraordinários ou de enorme relevância para Portugal). O pré-modernista João Guimarães Rosa, que em 1967 se apossou da cadeira N.º 2 da Academia Brasileira de Letras, também de formação médica, já escrevia assim em Cordisburgo: "As pessoas não morrem, ficam encantadas.". Bem maior foi sua 104

Revue Cultive - Genève

O paisagista Roberto Burle Marx foi com sua família, em 1928, para a Alemanha devido a um problema de visão que o acometia, lá, ao visitar Botanischer Garten und Botanisches Museum Berlin-Dahlem (Jardim e Museu Botânico de Berlim-Dahlem), decidiu que as plantas seriam seu objeto de estudo, ao voltar para o Brasil, em 1930, se matricula na Escola Nacional de Belas Artes, fato que posteriormente o fez ter contato com personalidades como Niemeyer e Portinari. Fascinado pela flora brasileira, descobriu 35 espécies de plantas nativas, as quais levaram o nome burlemaxii, sendo o paisagista pioneiro em utilizar plantas nativas em projetos arquitetônicos no Brasil. Não poderia deixar de lado Júlia da Silva Bruhns, mãe dos escritores Heinrich e Thomas Mann, que apesar de não ter sido uma intelectual, imigrou para Alemanha com 6 anos, e conseguiu lançar dois de seus filhos no mundo literário, além da mesma escrever um livro de memórias. Os irmãos Mann são considerados exl.literatur, ou seja, um escritor exilado que é crítico do nazismo. Heinrich viveu, produziu e morreu na Suíça, enquanto Thomas o fez nos Estados Unidos. Em vários de seus livros eles se utilizaram de sua própria experiência de vida e de sua família para a criação de cenários ou como base para o realismo presente na obra, em que algumas, representava a burguesia alemã. Foi uma epoca do “bloom” brasileiro, mas a nostalgia, a saudade, primazia da língua portuguesa, estava sempre presente em seus corações, e todos esses regressaram à pátria, e nunca foram esquecidos!


suas características atua como um importante regulador climático para essas regiões. Planície da Baixada do Maciambu-Palhoça/SC https://www.ima.sc.gov.br/index.php/biodiversidade/unidades-de-conservacao/parque-estadual-da-serra-do-tabuleiro Localizada em Palhoça, a Baixada do Maciambu está dentro dos limites do Parque, é uma belíssima planície de relevância ecológica e beleza cênica. Concentra as mais expressivas paisagens de restinga do litoral brasileiro. Com o passar do tempo, o impacto da maré, formou importante monumento geológico. O bioma da Mata Atlântica da Serra do Tabuleiro constitui-se de diversos habitats, é considerado um dos ecossistemas mais evoluídos do Brasil, constitui-se de floresta ombrófila densa, mata de PARQUE ESTA- araucária, campos de altitude, restinga e manguezais.

MATA ATLÂNTICA DUAL SERRA DO TABULEIRO Por Neuza Bernado Coelho

Palhoça é um município da Grande Florianópolis privilegiado por belezas naturais. Recebe grande quantidade de turistas que se tornam em sua maioria amantes desse tesouro verde. Quase 70% da sua superfície territorial é composta de Mata Atlântica, protegida pelo Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, cujo nome origina-se de um dos cumes em formato tabular. O Parque possui área de 84.130 hectares, correspondente a 1% da área total do Estado de Santa Catarina. É a maior unidade de conservação de proteção integral do Estado. Criado em 1975, tem como principal objetivo proteger a rica biodiversidade da região e os mananciais híSede do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro dricos que abriga um dos mais importantes comfoto-Anderson-Coelho-12-9-19 plexos de águas termais do mundo. É responsável pelo abastecimento de água potável das cidades da A sede do Parque localiza-se na Baixada do MaGrande Florianópolis e do Sul do Estado SC. Por ciambu, em Palhoça. Constituída de restinga, configura extrema importância para a manutenção da fauna e flora nativa, permite que os animais de hábitos terrestres ou aquáticos possam se abrigar, alimentar, reproduzir e descansar. No centro de visitantes há trilhas educativas, onde o público conhece as espécies nativas de vegetação e aprecia animais raros ameaçados de extinção

Revue Cultive - Genève

105


Bromélias na restinga da Baixada do Maciambu https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Brom%C3%A9lias.jp

As plantas do entorno das planícies litorâneas são importantes fontes para pesquisa, conservação e reposição de espécies aquáticas, visando o equilíbrio ecológico. Fontes pesquisadas: https://www.ima.sc.gov.br https://www.ima.sc.gov.br/index.php/biodiversidade/unidades-de-conservacao/parque-estadual-da-serra-do-tabuleiro

Neusa Bernado Coelho, natural de Palhoça/SC. Poetisa e historiadora, tem assento em academias nacionais e internacionais: autora e coautora de uma centena de obras literárias. Colunista em revistas e jornais culturais.

106

Revue Cultive - Genève


ANDERSEN VIANA é Doutor em Música pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como compositor, produtor cultural e leciona diversas matérias musicais na Fundação Clóvis Salgado-Palácio das Artes (www.fcs.mg.gov. br) em Belo Horizonte, além de eventualmente ministrar palestras em universidades pelo país e exterior. Andersen iniciou seus estudos com seu pai - Sebastião Vianna - e posteriormente nas seguintes instituições musicais no Brasil, Itália e Suécia: UFMG, UFBA, Reale Accademia di Bologna, Arts Academy of Rome, Accademia Chigiana di Siena, Royal College of Music in Stockholm. Foi também aluno de viola de Paulo Bosísio, Henrique Niremberg e Max Rostal. Por sua obra musical recebeu 32 premiações no Brasil e exterior, incluindo o “Prix de Composition” no I Concurso de Composição – Festin Choral 2013 na França, 1º Lugar no “Concurso Internacional de Composição Susanville Symphony 2012” nos EUA, 1º Lugar no Concurso Internacional de Composição ”Lys Music Orchestra 2001” na Bélgica, 1º Lugar e o “Prêmio do Público” no “Concurso Internacional de Composição Lambersart 2006” na França. Em seu catálogo atual constam 418 obras compostas para quase todas as formações instrumentais e vocais conhecidas. Em 2002, realizou uma das raras gravações de um maestro-compositor brasileiro na direção da renomada orquestra Moravska Filarmonie da República Tcheca, e em 2007 gravou suas obras com a Orquestra Russa Estatal de Cinema em Moscou.

gico da Febem" (1991), "Coro do Centro de Estudos da Embaixada do Brasil em Roma" (1993), "Coro da Cultura Inglesa BH" (1994), "Trio Barroco" (1994), "Orchestra Virtual" (1995), "Estocolmo Nonet" (1996), “The Duo” (1997), “Coro da SMRU”, “Camerata Primavera” (2003), “A Cigarra e a Orquestra” (2006-2008), o “Coral IOCHPE MAXION”(2009) e o “Coral Sebastião Vianna (2014). Durante os últimos 45 anos de atividades, tem desenvolvido projetos musicais nos seguintes países além do Brasil: Alemanha, Argentina, Austrália, Bélgica, Bulgária, Chile, EUA, França, Grécia, Honduras, Itália, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Rússia e Suécia. Tem composto, dirigido e produzido música para os seguintes filmes nacionais e estrangeiros: A Cartomante, Retalhos do Taquaril (Claudio Costa Val), Bem Próximo do Mal, Jogando para o Amanhã, O Próximo Passo, Gun’s Speech, Trem Fantasma, 3:00:AM (Sérgio Gomes), Corações Ardentes (Ray Evans), Filhos de Adão (Afonso Nunes), Vivalma (Rubens Câmara), Manuelzão e Bananeira (Geraldo Elísio), Ofélia (Fernanda Marçola), Opostos (Eduardo Rennó), Minas Portuguesa (Paulo Augusto Gomes), O Homem da Cabeça de Papelão (Carlos Canela), Condenado (Carlos Magno e Carlos Canela), Ser Humano (Fernando Pinheiro), Uma Noite Qualquer (André Rocha), Nego (Sávio Leite), Reenactment (Jacob Moller), Desafios e Por R$50,00 (Márcia Palves), Perdidos em Abbey Road, Oswaldo França Júnior e Padre Victor (Denis Curi), e Belatriz (Adriano Alberti & Pagani).

Organizou e dirigiu diversos conjuntos vocais e instrumentais tais como: "Orquestra Experimental" (1983), "Septheto Rio" (1986), "Coro PedagóRevue Cultive - Genève

107


dessa rede é um exemplo da importância da parceria entre Cultura e Educação. Esta parceria, somada ao comprometimento de suas equipes, tem permitido levar dignidade e cidadania à população, através do acesso à leitura, à informação e ao conhecimento.

A Biblioteca Pública Benedito Leite e o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Maranhão

De janeiro de 2017 para cá já foi possível atender 189 municípios maranhenses, com assistência direta às bibliotecas públicas, formações, supervisões, visitas técnicas e doação de acervos e o mais importante, com abertura de bibliotecas públicas, e junto com elas, levando informação, conhecimen-

A Biblioteca Pública Benedito Leite, como órgão gestor e difusor da informação, comprometido com as políticas públicas culturais estaduais e nacionais e, principalmente, com o Manifesto da IFLA/UNESCO sobre as Bibliotecas Públicas, tem procurado garantir o acesso democrático à informação e ao conhecimento a toda a comunidade maranhense assim como a todos que que necessitam de seus serviços. Como órgão estadual, tem desenvolvido programas, projetos e ações nas diversas regiões do maranhão, seja no fomento à leitura, ao apoio às bibliotecas públicas e comunitárias, aos escritores maranhenses, através da coordenação do Escritório de Direitos Autorais, à difusão da cultura, às políticas públicas de inclusão e acessibilidade, às modernas técnicas de conservação de documentos e democratização do acesso ao conhecimento e à preservação da memória documental e bibliográfica do Estado.

to, dignidade para a população. Já são 67 bibliotecas públicas abertas (revitalizadas com recurso estadual, contemplando reforma física de prédios que estavam abandonados, revisão elétrica, hidráulica, paisagismo, climatização, acessibilidade, capacitação técnica da equipe e renovação do acervo. Este acervo, selecionado pela equipe de bibliotecários da Biblioteca Pública Benedito Leite e adquirido através de compra pelo Governo do Maranhão, com certeza o maior investimento já feito pelo Governo do Estado em prol das bibliotecas públicas A Biblioteca Pública Benedito Leite, segunda bi- de todos os tempos. blioteca pública mais antiga do Brasil, criada em 3 de maio de 1831, coordena o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas e a Rede Estadual de Bibliotecas Faróis do Saber. O Sistema de Bibliotecas Públicas do Maranhão foi institucionalizado pelo Governador Flávio Dino, em julho de 2017. Com a institucionalização, vem mudando a história das Bibliotecas no Maranhão, permitindo uma maior sustentabilidade das nossas bibliotecas públicas, assim como o seu fortalecimento. A partir do Sistema, é possível apoiar todas as bibliotecas públicas municipais do Estado, a Rede de Bibliotecas Faróis do Saber e as bibliotecas comunitárias. A gestão 108

Revue Cultive - Genève


Além das 67 bibliotecas revitalizadas e entregues para a população, a parceria Cultura e Educação no estado do Maranhão, já construíu mais duas bibliotecas públicas na zona rural e está revitalizando mais 11 bibliotecas públicas. Até novembro, será ultrapassada a marca de 75 bibliotecas abertas com recurso estadual e sob a coordenação da Biblioteca Pública Benedito Leite através do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas. Se falarmos sobre a abertura de bibliotecas públicas e comunitárias com o apoio indireto do Sistema de Bibliotecas Públicas, esse número ultrapassa a marca de 110 espaços de cultura, leitura e informação abertos e entregues para a população maranhense.

São equipamentos culturais públicos que devem proporcionar livre acesso aos registros do conhecimento e das ideias do homem e às expressões de sua imaginação criadora, contribuindo para a preservação e divulgação da memória da comunidade, dando ensejo ao crescimento cultural, assim como ao desenvolvimento do gosto pela leitura, apoio à pesquisa e à disseminação da informação e do conhecimento a todas as camadas da população, sem qualquer distinção.

As 118 Bibliotecas estão assim localizadas:  8, em São Luís (em diferentes bairros e em 01 presídio)  110, localizadas em 110 municípios maranhenses, A nossa bandeira, a nossa meta, a nossa luta é nas suas diversas regiões. que todas essas bibliotecas abertas sejam de todos e para todos, contribuindo efetivamente para a SISTEMA ESTADUAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS DO MARANHÃO construção de um Maranhão Mais Leitor. O QUE É A REDE ESTADUAL DE BIBLIOTE- Lei 10.613, de 05 de julho de 2017 - Cria o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Estado CAS FARÓIS DO SABER? do Maranhão e dá outras providências. Um conjunto de 118 Bibliotecas Públicas Estaduais, coordenadas pelas Secretarias da Cultura e Educa- Parágrafo único. O Sistema de que trata esta Lei ção e sob a responsabilidade técnica da Biblioteca será representado pela Rede Estadual de BibliotePública Benedito Leite através do Sistema estadual cas Faróis do Saber, bem como pelas bibliotecas de Bibliotecas Públicas, que se desenvolvem atra- municipais e comunitárias localizadas no Mavés de gestão compartilhada entre o Estado do Ma- ranhão, que, mediante a celebração de Termos de ranhão e municípios, com a finalidade de servir de Compromisso, integrarão uma rede coordenada e suporte aos programas de cultura e conhecimento, operacionalizada pela Biblioteca Pública Benedito integrando-se aos processos culturais e educativos Leite, equipamento cultural integrante da estrutura organizacional da Secretaria de Estado da Cultura desenvolvidos no âmbito do Poder Executivo. do Maranhão. Revue Cultive - Genève 109


Dentro da programação da Biblioteca no mês de outubro foi agendado lançamento do livro O Mundo dos Animais e o Vírus um livro infantil escrito por Maria José Rolim, prublicado pela Editions Cultive.

Editions Cultive

O livro ressalta as causas da pandemia, os meios de prevenção e aimportância de preservar a natureza para evitar contaminações nos seres humanos. A história é contada no estilo de fábula retratas por imagens coloridas desenhadas pelo ilsutrador internacional Cival Einstein. O livro é bilíngue, português/francês e o lançamento foi on-line no dia 8 de outubro 2021. A diretora da Bilioteca Pública Benedito Leite de São Luiz e também coordenadora do sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Maranhão. Aline Nascimento organizou e conduziu o lançamento pelo Canal cultive. guape, UBE do Rio de Janeiro, Divine Academia de Paris. Membro Internacional da Cultive. Veja o catálago de literatura no final desta revista. Recebeu prêmio da Academia de Letras do Brasil/Humanitária, título de Quem é Maria Doutora em Causas José Esmeraldo Humanísticas Internacionais-PHI, e Rolim ? membro da LiteEla nasceu em Floriano – rarte. Prêmio CiPiauí, Estado do Nordeste dade da Prefeitura do Brasil. Criou com anuência da família o projeto de São Pedro da Aldeia_RJ. Possui 23 publicações que transformou a casa familiar no Centro Cultural Cristino Castro, onde funcionam os cursos do conjuntas e 3 solos. A violência dos laços familiares PRONATEC (informática, teatro, dança) e com aos bancos escolares foi o livro que foi mais destafinalidade gerar de renda para artesãs, funciona o cado pela crítica como relevante para a Educação. Prodart, uma cooperativa de artesanato. O Centro, também, abriga o Museu Zezé Castro, e a biblioteca Prêmios: Madre Teresa de Calcutá- Itabira, MG. da Costa e Silva, com um acervo de cinco mil livros. Evita Perón – Buenos Aires, Academia de Letras Estudou fora do país, fez mestrado e doutorado y Artes- EMBAJADOR DE LA PAZ-Argentina. em Educação e escreve sobre estas suas pesquisas ABL-Conab-Conselho Nacional das Academias de sobre a violência simbólica e o bullying que gerou Letras do Brasil- Filósofa Imortal.Brasília.Prêmio um livro. O reconhecimento de seu trabalho foi Cidade de Literatura. Prefeitura Municipal de São feito pela Assembleia Legislativa de Fortaleza, com Pedro da Aldeia-RJ. votos de louvor pela pesquisa. Faz parte de Academias de Letras em Fortaleza, Ala Feminina da Casa Juvenal Galeno, Academia ACLA de MaranVeja o lançamento clicando no link:: https://www.youtube.com/watch?v=2VYAkMqkaXk

ISBN 978-2-940661-03-9

9 782940 661039

110

Revue Cultive - Genève


Outono chegou O outono chegou com muita chuva Com bastante intensidade Pro trabalho vou com o guarda-chuva Porque é muita chuva na cidade Outono começou Que alegria, que beleza O verão já passou Se despedindo com delicadeza

É OUTONO - EDMILSON Maranhão O tempo nublado não faz calor O sol não aparece Mostrando o seu valor Que a gente se aquece As flores tem tanta beleza Mas no outono enfraquecem São lindas por natureza Mas nessa estação desaparecem As folhas caem no quintal Levadas ao vento sem direção Deixando curioso qualquer mortal Pensando em nova transformação No outono folhas e flores são murchadas E no chão são caídas No inverno são desabrochadas Nascem mais belas e coloridas No outono é comida na mesa É um novo tempo de coragem e labuta De força e superação com toda certeza Outono é a estação da fruta

A geada cobre os verdes da terra O orvalho molha o lavrador Homem que cultiva no morro e serra É um sertanejo trabalhador A noite faz tanto frio Acabou-se o calor A noite escura me dá calafrio O outono dou valor As folhas e flores cai no chão Nessa linda estação É tempo de fruta que eu amo de paixão E boa colheita para com satisfação O dia nasce sem o sol brilhar E demora aparecer O orvalho na vegetação vai me molhar E não tem como me aquecer O outono chegou dando boas vindas É a nova estação De noites frias bem infindas De nevadas, orvalhos e geadas em cada nação

É alegria e esperança Amor e paz e coração Um tempo de abonança É outono,é geada A temperatura se modifica É outono é nevada No orvalho lavrador se edifica

Revue Cultive - Genève

111


Art

ARTE 112

Revue Cultive - Genève


A ARTE DO BEIJO DE UMA MULHER BANQUETE EX-CÊNTRICO: a nova obra de Vanda Salles - poeta, escritora e artista plástica brasileira, que trata do primado da Literatura na obra prima de Marcel Proust e a importância de Jeanne Weill Proust em sua arte, ícone do século XX em França e no mundo.

Revue Cultive - Genève

113


Avani Peixe

114

Revue Cultive - Genève


Exposition Avani é bacherel em direito e professora de língua espanhola brasileira, mas é na arte e na poesia que ela libera suas emoções e a sua sensibilidade. Avani é membro Internacional Cultive. Pintura acrílica.

Avani Peixe

Revue Cultive - Genève

115


Avani Peixe

116

Revue Cultive - Genève


LU IMPERIANO mãe, artista, designer, poeta

Revue Cultive - Genève

117


LU IMPERIANO

118

Revue Cultive - Genève


LU IMPERIANO

Revue Cultive - Genève

119


MARIA NAZARÉ CAVALCANTI mãe, avó, artista

Maria Nazaré Cavalcanti Entre as muitas exposições em que participou ela cita algumas mais importqantes na sua carreira: no Palacio da Justiça em Portugal, em Mares e Estrela Guia; sob a curadoria de Ângela Oliveira, Barcelona Calle de Bruc Artéria Bem, Viana, em Licchtensten Vadur Saal e Paris no Carrossel du Louvre em Outubro de 2018. . Nazaré é uma mulher ativa que procura cercar-se da família, de amigos e de colegas da mesma paixão: a arte. consciente que a união faz a força ela estimula, agrupa e divide com outros artistas as suas conquistas, espaços em que expõe e coopera em organizações de eventos artistícos.

120

Revue Cultive - Genève


Maria Nazaré Cavalcanti

Revue Cultive - Genève

121


Maria Nazaré Cavalcanti

122

Revue Cultive - Genève


Maria Nazaré Cavalcanti

Revue Cultive - Genève

123


Maria Nazaré Cavalcanti

124

Revue Cultive - Genève


Maria Nazaré Cavalcanti

Nasceu Recife – PE, mas reside na Europa desde a década de 70, após o casamento com um português. Artplus - o que é fazer arte e como fazer arte ? A arte é vida, é algo visceral e pulsante, é como o ar que se respira. A arte criou um universo paralelo onde os sonhos se tornam alcançáveis. São momentos ricos em sentimentos de paz e plenitude.

A aceitação de um artista dentro de um conceito universal é dinâmica, com variáveis desde os limites da liberdade de expressão e a pouca valorização até o acesso ao entretenimento e à cultura. Os meus interesses na arte, foram sofrendo mutações ao longo do tempo e de forma intuitiva.

Revue Cultive - Genève

125


Maria Nazaré Cavalcanti

126

Revue Cultive - Genève


Maria Nazaré Cavalcanti

Revue Cultive - Genève

127


Maria Nazaré Cavalcanti

128

Revue Cultive - Genève


Rita Guedes

Revue Cultive - Genève

129


Rita Guedes

130

Revue Cultive - Genève


VALQUIRIA

IMPERIANO Revue Cultive - Genève

131


Valquiria Imperiano Pintura

132

Revue Cultive - Genève


Valquiria Imperiano Pintura

Revue Cultive - Genève

133


Valquiria Imperiano Pintura

134

Revue Cultive - Genève


escultura

Revue Cultive - Genève

135


Valquiria Imperiano

136

Revue Cultive - Genève


Valquiria Imperiano Pintura

L’Hindu

Revue Cultive - Genève

137


LICA CECATO

138

Revue Cultive - Genève


LICA CECATO

Revue Cultive - Genève

139


LICA CECATO

140

Revue Cultive - Genève


LICA CECATO

Revue Cultive - Genève

141


MULHER MÃE, AVÓ, POETA, PIANISTA, LINGUISTA, ARTISTA, OTIMISTA. (in Memoriam)

NIRIAN GOES

Desenho 1

142

Revue Cultive - Genève


NIRIAN GOES

Desenho 2

Desenho 3

Revue Cultive - Genève

143


NIRIAN GOES

Desenho 4

144

Revue Cultive - Genève


ABERTA AS INSCRIÇÕES PARA A REVUE ARTPLUS N°3

REVUE ARTPLUS Revista Artplus é um magazine cultural impresso em língua portuguesa e francesa, com registro na Biblioteca Nacional Suíça, com ISSN Suíço. ARTPLUS é um portal de valorização da cultura brasileira e Suíça e Europeia. ARTPLUS é referenciada no site da Cultive, no facebook, no publish on line, no blog Cultive. A Revue ARTPLUS é uma revista anual distribuída na Europa e no Brasil (museus, galerias, salões de literatura e de arte, salão do livro de Genebra, feiras, bibliotecas, associações, hotéis, consultório médico, escolas, universidades etc) ela alcança também os EUA, Angola e América Latina. Os participantes da Revista ARTPLUS aparecem automaticamente na Revista Cultive Online que é publicada 4 vezes por ano em língua. INFORMAÇÕES

https://editioncultive.com/

1- REVUE ARTPLUS – capa e miolo coloridos Miolo - papel couché semi mate -130gr Capa – papel couché semi mate com película - 250gr 2- FORMATOS DA REVUE ARTPLUS - 21x29 cm 3- CONTEÚDO REPORTAGEM OU TEXTO: em duas colunas ilustrada com fotos1 ( página tipo A;B;C;D no gabarito anexo ) 4- TRADUÇÃO : por conta da edição da Revue Artplus 5- VALORES Modelos nos gabaritos A, B; C; D 1 página - 250 euros ou 1125 reais O contraente recebe - 6 revistas por página contratada *Membros Cultive recebem 10 revistas por página.

Modelo no gabarito página E (1/8 de página) – 50 euros ou 230 reais cada espaço (o contraente não recebe nenhum exemplar) Revue Cultive - Genève Modelos nos gabaritos F

145


JU PEREIRA

Natureza morta

146

Revue Cultive - Genève

FOTOGRAFIA


DeIstacando-se

PONTO DE VISTA VI Revue Cultive - Genève

147


Gabriela Lopes

148

Revue Cultive - Genève


Gabriela Lopes

Revue Cultive - Genève

149


Dunas do Mangue da Mata-Fome Bitupitá-CE - Brasil 80cm x 60cm Técnica: Óleo sobre tel 2015

150

Revue Cultive - Genève


Manoel Osdemi

Revue Cultive - Genève

151


Karmem Pires Artiste peintre Acrylique sur toile Dedicando-se às Artes Plásticas e Poesias. Membro das Academias de Letras e Artes de Feira de Santana, Academia de Cultura da Bahia, Academia Internacional de Letras Artes e Ciências da Argentina com sede em Buenos Aires, Academia Superior Di Crescita Personale Italia.Arte Terapeuta /nome artístico “KARMEN PIRES”

Karmen Pires Jesus Acrílica Sobre Tela 1.30 X 1.20

152

Revue Cultive - Genève


Christiane Couve de Murville

O Pequeno Príncipe visita São Paulo

Revue Cultive - Genève

153


ROSALVA SANTOS

154

Revue Cultive - Genève


IZABEL PECORONE Artiste peintre Peinture acrylique

Revue Cultive - Genève |155


IZABEL PECORONE


Zezé Negrão

Revue Cultive - Genève

157


ZEZÉ NEGRÃO

IMAGEM MARIA QUITERIA RECORTADA 158

Revue Cultive - Genève


Catálogo Literário

Comprando um livro você apoia os autores brasileiros. Seja um apoiador da nossa literatura!

Revue Cultive - Genève

159


ALEXANDRE SANTOS, ex presidente da União Brasileira de Escritores (UBE) e coordenador nacional da Câmara Brasileira de Desenvolvimento Cultural, é o curador geral da FLIPO, editor do semanário ‘A voz do Escritor’ e apresentado do programa ‘Arte Agora’.

BALTIMORE O romance fala sobre um golpe de Estado articulado na cidade norte-americana de Baltimore para interferir na política interna do Brasil. língua: Português versão papel

ÁRCHIAS Romance que trata da possibilidade de redenção da humanidade e eventual transformação do mundo dos homens na terra de Deus. língua: Português versão papel

O LIVRO DOS LIVROS Romance que trata da velha luta do bem contra o mal. Se desenrola no entorno da tentativa de controle da humanidade a partir da criação de uma nova religião. língua: Português versão papel

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com o autor pelo email e veja a disponibilidade do livro. E-mail: alexandresantos@br.inter.net 160

Revue Cultive - Genève


AMAURI HOLANDA DE SOUZA

Amauri Holanda de Souza. Bacharel em Direito. Psicopedagogo Clínico e Institucional. Neuropsicopedagogo. Pós graduado em Direito Processual Penal. Teólogo. Missionário. Capelão Internacional. Escritor. Atuou como Conselheiro Titular do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente do Estado do Ceará Nasceu em Quixadá/Ce - Escreve com o coração. Fala de coisas da vida e de sua visão de mundo. Quando se trata de escrever sempre vem coisas que tocam os sentimentos das pessoas.

DISPONÍVEL: 2 EXEMPLARES DE CADA TÍTULOVERSÃO PAPEL

ESQUEÇA-ME: O livro traz o talento de muitos dos autores brasileiros, na modalidade poema. É uma Antologia que traz muitos temas interessantes.

ÂMAGO POÉTICO: Antologia envolvendo autores brasileiros, com ênfase poético e conteúdos diversificados

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: email: amauri.holanda.souza@gmail.com

Revue Cultive - Genève

161


Educação Anapuena Havena é empresária e escritora cearense. Autora dos romances de época Encantos do Café e Descobrindo a Nobreza do Amor, e do livro infantil O príncipe que não sabia Brincar. É a idealizadora do Café Patriota; espaço cultural de incentivo à leitura, propagação do conhecimento e valorização da História e Cultura brasileira.

DISPONÍVEL: 20 EXEMPLARES- VERSÃO PAPEL ENCANTOS DO CAFÉ é um romance de época composto por fortes elementos da história do Brasil, contextualizado no importante período denominado Ciclo do café.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: E-mail: anapuena@hotmail.com

162

Revue Cultive - Genève


CELSO CORRÊA DE FREITAS

Criador da estrutura poética denominada OVERTRIP Participações em Feiras de livros e Festivais e eventos Literários no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Dois Córregos, São Paulo e Praia Grande-SP. Premiações literárias no Rio de Janeiro, São Paulo, Praia Grande-SP e Porto Alegre. Representações como Delegado cultural de Praia Grande-SP em São Paulo e Brasília

DISPONÍVEL: 40 EXEMPLARES - VERSÃO PAPEL VERTRIP - O livro conta a história do nascimento do Overtrip em 2011, e tem os Poemas, meus, criador dessa estrutura e dos demais Poetas brasileiros que ao longo deste tempo de 2011 até hoje, foram aderindo ao Overtrip por verem nele uma nova estrutura poética com conteúdo.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: email: celso.correadefreitas@gmail.com

Revue Cultive - Genève

163


CHRISTIANE COUVE DE MURVILLE - Autora da trilogia A CAVERNA CRISTALINA, da série ATÉ QUANDO e do A VIDA COMO ELA É. Faz as ilustrações de seus livros e é doutora em Psicologia Clínica pela USP.

DISPONÍVEL 10 EXEMPLARES -VERSÃO PAPEL O PEQUENO PRÍNCIPE VISITA SÃO PAULO - Coletânea de ilustrações que mostra o Pequeno Príncipe passeando por locais bem conhecidos da capital paulista. Encontramos um Pequeno Príncipe universal; loiro, moreno, ruivo, cadeirante, cego, criança, adulto... Uma frase explicativa acompanha cada imagem.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: ccmurville@gmail.com 164

Revue Cultive - Genève


CHRIS HERRMANN

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. www.christinaherrmann.com/p/books.html Revue Cultive - Genève

165


Débora Leal Feira de Santana

Sou Pós Doutora em Docência Universitária pelo IUNIR-AR; Doutora em Educação pela - UNINTER- PY; Doutora Honoris Causa em Ciências Humanas pela EBWU- Universidade acreditada pela ANVISA, UNESCO e EBWU - Estados Unidos. Pesquisadora Emérita da Université Libre des Sciences de L’Homme de Paris.

Todas as obras de Debora são em língua portuguesa e publicados em papel CADA TíTULO TEM 2 LIVROS DISPONÍVEIS - VERSÃO PAPEL FORMAÇÃO DOCENTE UM CAMINHO PARA A INCLUSÃO é de natureza qualitativa e objetiva compreender a importância da formação docente no contexto de escolarização de educandos com deficiência. Demonstra o descortinar da educação especial no cenário educacional brasileiro.

VIVÊNCIAS PERMEIAM A HOSPITALIZAÇÃO INFANTIL - A FAMILIA COMO FONTE INESGITÁVEL tem como foco destacar a importância de compreender como os familiares podem reagir em uma unidade hospitalar e como é o acolhimento das crianças internadas.

PENSANDO A EDUCAÇÃO SEXUAL DE DISCENTES CADEIRANTES demonstra a importância do uso das tecnologias da informação e da comunicação no ensino de História como forma de expansão e conexão entre passado, presente e futuro.

DESENHO ENTRE LUZES BECOS traz como objeto de pesquisa e análise os desenhos produzidos pelos internos de uma comunidade socioeducativa de Feira de Santana, o mesmo é fruto de experiências acadêmicas.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: debora@uefs.br 166 166 Revue Revue Cultive Cultive - Genève - Genève


CADA TíTULO TEM 2 LIVROS DISPONÍVEIS - VERSÃO PAPEL

AS MARCAS DA LIBERDADE discorre sobre a Irmandade da Boa Morte, trazendo como foco a relação desta no Ensino local da Cidade de Cachoeira-BA.

NAVEGAR É PRECISO - destaca os principais traços da Herança Cultural Africana, que permanecem vivos no cenário cultural baiano.

A ARTE DE AVALIAR NOVOS POSSIVEIS A AVALIAÇÃO MEDIADORA EM FOCO busca refletir sobre a Avaliação da aprendizagem no cenário educacional a qual se constitui um dos grandes motivos das discussões para o desvelamento das ideias do processo de ensino e aprendizagem.

ENTRE O REAL E O VIRTUAL REFLEXOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA livro tem como objetivo entender os motivos pelos quais a modalidade de Ensino à Distância é vista de maneira desafiadora nas instituições brasileiras

A HISTÓRIA A UM CLIQUE demonstra a importância do uso das tecnologias da informação e da comunicação no ensino de História como forma de expansão e conexão entre passado, presente e futuro.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: debora@uefs.br

Revue Cultive - Genève

167


ELISA AUGUSTA DE ANDRADE FARINA

168

Revue Cultive - Genève


Editora Cultive divulgando os autores brasileiros na Europa

Publicações Traduções Diagramação Revisão Divulgação Isbn suíço Registro bilioteca Nacional Suíça Romance Contos Poesias Livros de Arte Livros Infantis Albuns personalizados Publicações comemorativas Revue Artplus Orientação aos novos escritores Revue Cultive Orçamentos sem compromisso contato: edicaocultive@gmail.com

Revue Cultive - Genève

169


JOSMAN LIMA -

Psicólogo, Artista Plástico e Fotógrafo por hobby. Autor dos livros: Pintando a Vida, Cúmplices do Amor - Romance e As Aventuras de Bolota e Quinzinho, Literatura Infantil. Membro da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana, da Academia de Cultura da Bahia, da Academia de Ciências, Letras e Artes da Argentina.

20 LIVROS DISPONÍVEIS -VERSÃO PAPEL PINTANDO A VIDA conta a história de Arthur; um jovem de classe média que depois de um acidente de carro ficou paraplégico. Trata-se de um drama vivido por milhões de cidadãos do mundo todo e nos ensina a repensar sobre o deficiente físico e a acessibilidade em todos os contextos.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com o autor pelo email e veja a disponibilidade do livro. E-mail: josmanlima@live.com 170

Revue Cultive - Genève


HUPOMONE VILANOVA

Nascido em Vitória de Santo Antão - Pernambuco Formado em Licenciatura em Letras pela FAINTVISA – Vitória de Santo Antão – Pernambuco. Cursou Música pela Universidade de Federal de Pernambuco – UFPE. Músico flautista Cursou de Licenciatura em História pela Universidade Federal de Sergipe - Aracaju Sergipe. Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão – Pernambuco. Membro do Instituto Histórico de Jaboatão dos Guararapes – Pernambuco. Membro da Academia Vitoriense de Letras Artes e Ciência. Vitória de Santo Antão Pernambuco.

10 LIVROS DISPONÍVEIS -VERSÃO PAPEL REFLEXÕES HUPOMÔNICAS CHÁ DA VIDA. Hupomone Vilanova. Reflexões que nos fazem compreender as situações da vida, nossas atitudes, nossos relacionamentos nossos desafios e medos e como podemos vencer tudo isso.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: chadavidahupomone@gmail.com Revue Cultive - Genève

171


IVANILDE MORAIS DE GUSMÃO

Ivanilde Morais de Gusmão professora, advogada, ensaísta, contista e poeta. Estudiosa de Karl Marx e da Literatura. Membro de várias Academias. Livros de ensaios e de poesias em português/francês/ inglês; Participação em várias coletâneas; Recebeu Prêmio Literário de poesia, e de ensaios.

50 exemplares disponíveis PAI Forma poética do livro. Na escuridão, o amanhã do escritor Rogério Pereira, a autora Ivanilde Morais de Gusmão expõe o conflito na relação Pai & Filho buscando na palavra o sentimento que atormenta o protagonista.

TO N E

M

L

ÇA N A

150 exemplares disponível TEMPO PARTIDO 2020 - RESGATANDO SENTIMENTOS DE HUMANIDADE Coletânea sobre o sentimento da dor num período de reclusão em tempo de pandemia. Registro histórico para às futuras gerações. Um livro atual com 121 participantes. Esse livro é um documento histórico. Os depoimento dos parentes que receberam o exemplar a que tinha direito é algo fantástico!!! 50 exemplares disponível

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: E-mail: morais.ivanilde@gmail.com 172

Revue Cultive - Genève


10 exemplares disponíveis UM CAMINHO PARA MARX: reflexão sobre a obra deste grande filósofo e sua importância na compreensão e Transformação do Mundo Humano.

50 exemplares disponíveis SER SOCIAL Trabalho e Mercadoria: Estudo sobre o processo de humanização do homem produzindo seu mundo com o trabalho e sua transformação em mercadoria.

50 exemplares disponíveis MARXIANO & DESVELANDO a autora, a partir da concepção materialista da História, expõe o enigma da Sociedade, Política e Estado mostrarndo como funciona essas Instituições

10 exemplares disponíveis COMPREENDER O MÉTODO DIALÉTICO: reflexão sobre processo de investigação e exposição dos estudos marxianos da realidade social.

50 exemplares disponível SÚPLICA AO SOL ... ERA OUTONO Antologia em Prosa e Verso sobre o homem e sua humanização numa Sociedade em crise.

TOQUE Livro de categorias marxianas em forma de Aldravia para compreender o processo histórico do homem.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: E-mail: morais.ivanilde@gmail.com Revue Cultive - Genève

173


LECI QUEIROZ

Funcionaria pública aposentada do Detran como nutricionista. Professora na área de nutrição na Universidade Vale do Acaraú. Trabalhou na implantação de projeto de nutrição no Nordeste e na Guiné-Bissau África. É presidente da Associação Mãos que Compartilham ligado ao desenvolvimento social em Cacine na Guiné-Bissau.

Esse livro narra histórias de memórias de VIVÊNCIAS À MESA, onde cheiros e sabores trazem à tona histórias da vida. Tem as receitas dos alimentos aqui narrados!! O LIVRO A MESA ESTÁ POSTA discorre sobre escolhas e vínculos construídos a partir da Mesa. A nossa primeira mesa é o útero ou Vida!!!

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: maria-leci@uol.com.br 174174Revue Cultive - Genève Revue Cultive - Genève


LILIA SOUZA

Revue Cultive - Genève

175


Bibliodiversidade: Leni Zilioto prova que ser escritor vai muito além do estilo literário Exemplo para muitos autores brasileiros, escritora gaúcha especialista em Educação Ambiental explora diversos gêneros da literatura para conhecer leitores do Brasil e do mundo Natural de Guaporé, Rio Grande do Sul, Leni Zilioto, publicou obras em pelo menos seis idiomas. A bióloga e pedagoga é autora de 19 livros e reúne mais de 40 participações em coletâneas nacionais e internacionais. Motivada pelos contos clássicos nos anos iniciais da escola, Leni lembra de ter afirmado aos oito anos que seria escritora. Em 2001 publicou seu

176

Revue Cultive - Genève

primeiro livro, um garimpo de todos os poemas que escreveu desde os 12 anos. Os outros gêneros literários afloraram quando migrou para o Mato Grosso, onde surgiram obras biográficas e ficção. Leni Chiarello Ziliotto é seu nome completo, assinado as obras e divulgando seu trabalho nas redes sociais com nome Leni Zilioto. É membro de Academias e Federações literárias, incluindo o Institut Cultive Brésil Suisse, sendo Délégue (como escreve?) para o estado de Mato Grosso.


News

Confira alguns dos lançamentos de Leni Zilioto INFANTIL

Pirulito Rodapé é palhaço de circo. Faz pirueta, conta piada, coisa que um palhaço faz. Faz a gente rir! Leni Zilioto é a escritora que está lançando o livro Pirulito Rodapé em 6 idiomas.

quem lê. Tem história, tem joguinho, tem desenho para pintar e folha em branco para desenhar. Tem amor, tem carinho e muita gargalhada para dar! Pirulito é doce, é palhaço, é brinquedo de papel. É uma historinha gostosa para aproveitar com os pequenos e trazer a eles o rico universo da literatura e a alegria própria do palhaço de circo. O enredo retrata um pouco de nossa trajetória como educadores e artistas e tem o poder de nos transformar em pessoas melhores. Está traduzido para 5 idiomas: inglês, francês, italiano, espanhol e alemão. Uma floresta, uma menina e um manequim: inspirada na saga de mulheres que migraram para o centro-oeste brasileiro nos anos 70, maioria oriunda das regiões sul e sudeste, a fim de colonizar o norte mato-grossense, a escritora Leni Zilioto escreveu o 1º volume de uma série de 5 livros que descreve e descreverá fatos e emoções desse processo social humano, em uma linguagem infanto-juvenil. Uma floresta, uma menina e um manequim – Volume 1, que já está em sua 3ª edição, foi também traduzido para o inglês. É uma leitura infanto-juvenil bem consistente, carregada de vida e detalhes da infância dos anos 50 e 60, por isso pode ser apreciada também por adultos.

Pirulito Rodapé nasceu na infância de Leni Zilioto e ficou dormindo até acordar nas págias de Leni mulher adulta e saudosa dos palhaços que animavam os circos da sua época. Em Pirulito Rodapé ela ressalta. Ela leva as crianças de uma escola na figura da professora. E o nome Pirulito é uma alegoria ao doce, ao sabor prefirido das crianças, muita simbologia está dentro da história Pirulito Rodapé, o doce, o circo, o passeio pelo parque, relembro atitudes educacionais importantes para as crianças, a liberdade vigada, a obediência das regras, a reflexão sobre ser criança e a valorização da profissão do palhaço. O livro também um ponto de instrução levando as criançaw a brincarem de esESPIRITUALIDADE E AUTOAJUDA crever e pensar, e refletir. O livro está sendo vendido em 2 idiomas: portugês, francês; e em breve saíra nos idiomas inglês, alemão, italiano e espanhol. O livro Pirulito Rodapé está sendo lançado em português na semana literária do Sebrae. Pirulito Rodapé: é uma história para divertir e interagir, que traz magia para quem escuta e para

Nossa Senhora Mãe da Juventude: Tudo o que transcende o humano, tem um início e não terá fim. Assim foi e assim será a devoção à NOSSA SENHORA MÃE DA JUVENTUDE. Uma devoção iniciada pela inspiração de Padre Osmar Burulli com o propósito de contribuir na Evangelização da juventude através da parceira dos pais e dos sacerdotes para conduzir os jovens ao eternamente jovem Jesus. Em um ensaio de jornalismo, a escritora Leni Zilioto ousou, nessa obra, narrar a criação e os primeiros passo da devoção, com sua linguagem simples e que bem comunica o que quer

Revue Cultive - Genève

177


comunicar. POESIA

As cores e os amores: evidencia as propostas do respeito ao corpo físico – uma virtude acessível – e da ascensão espiritual – um caminho que exige encontros muitas vezes indesejados, especialmente com questões de amor e ódio. As pessoas que almejam a vitória sobre si mesmas buscam a luz através do tempo e abandonam, gradativa e sabiamente, a sombra das paixões. Sabores ao sol: As formas, as cores, azul e mistério. O que nos reservará o futuro? Quais serão os Sabores ao Sol? A observação e a crítica emergem, quando denuncia o modus vivendi do mundo que a rodeia na sua complexidade inconsequente. O silêncio perturbador grita ao desvelar a eloquência da ausência da palavra. Já a singularidade do amor veio ser por ela reinventada, na romântica definição de unicidade, anulando a existência do outro. Poemas fluentes, impressionáveis, plurais e, ao mesmo, singulares, apreensíveis de um modo de ser e de dizer. Carolinas: a saga de desbravamento é permanente. Migrantes vieram ao Brasil da antiga Europa. Os sulistas migraram para o centro-oeste e norte do Brasil. A escritora Leni Zilioto também, no ano de 2011, migrou do Rio Grande do Sul para se estabelecer em Mato Grosso. Os desafios desse movimento são diferentes para cada um. Para Leni foram intensos, e, escritora que é, registrou. Sentimentos, emoções, conflitos, em prosa e poemas.

BIOGRAFIA

Eu não aceito ser mais ou menos: a obra premiada traz a história de um empresário de sucesso que irá inspirar a todos. Ao ler o livro, o leitor trilhará com ele o caminho que o levou ao sucesso pessoal e profissional, sempre em busca de ser o melhor no que faz. A perseverança, a dedicação e o foco são alguns bons ingredientes para essa jornada! ROMANCE

A Saga de Gigantes: o clima era de festa. Natal e fim de ano provocam movimentos intensos, até mesmo em pequenos locais. A sede da agrovila fechava às 17 horas da sexta-feira e abria às 8 horas da segunda-feira, quando se poderia verificar recados recebidos pelo rádio amador. A avenida principal era pó vermelho e rebuliço de pessoas. Mateo não resistiu. Desabou em choro nos braços da mãe que carinhosamente lhe afagou os cabelos e sussurrou para o universo acolher: “Até breve, meu amor. Ficaremos bem”. Contatos e onde encontrar os livros +55 66 9.9966-2765 linktr.ee/lenizilioto www.lenizilioto.com.br lenizilioto@gmail.com @lenizilioto lenichiarello.ziliotto @branccamaria lenichiarello.blogspot.com Leni Zilioto

178

Revue Cultive - Genève


LÚCIA SOUSA Coorganizadora da obra é membro Inten-

cional, Délégue e Jornalista correspondente em Recife-PE, da Cultive - Genebra -Suíça. Membro da diretoria da União Brasileira de Escritores-UBE-Tesoureira Geral. Integra a diretoria da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil-AJEB/PE, Secretária.

ANTOLOGIA CARRERO COM 70 Trata-se de uma homenagem escrita em prosa, verso e crônica por vários escritores brasileiros, muitos consagrados pela crítica literária. São ex-alunos e amigos do escritor pernambucano Raimundo Carrero, que possui mais de vinte obras publicadas traduzidas em vários idiomas. Raimundo Carrero é membro ilustre da Academia Pernambucana de Letras-APL.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: lucia.1001@hotmail.com

Revue Cultive - Genève

179


Luciana Marino

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: 180

Revue Cultive - Genève


MARIA JOSÉ ESMERALDO ROLIM

Maria José Esmeraldo Rolim nasceu em Floriano – Piauí, Estado do Nordeste do Brasil. Maria José Esmeraldo Rolim fez mestrado e doutorado em Educação no Uruguai. Sua escrita focaliza o tema das suas pesquisas : a violência simbólica e o bullying que finalizou em uma edição traduzida para o espanhol e teve uma ampla aceitação dos educadores e em seguida publicou A violência dos laços familiares aos bancos escolares, livro destacado pela crítica, como relevante para a Educação; Possui 23 publicações conjuntas e 3 solos. Maria se lança na litartura juvenil com o livro «O mundo dos animais», O reconhecimento de seu trabalho foi feito pela Assembleia Legislativa de Fortaleza, da qual recebeu votos de louvor pela pesquisa efetuada.

O MUNDO DOS ANIMAIS No mundo dos bichos, os animais têm um rei que os explora, tem o vírus que isola todo mundo. Mas tudo acaba bem com a descoberta de uma vacina. Um livro para ciranças e adultos. Editado pela Cultive Língua: Português Francês

Lançamento

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a editora para adquirir seu exemplar. E-mail: edicaocultive@gmail.com R$ 70,00 a unidade INCLUIDO A POSTAGEM NO BRASIL

Revue Cultive - Genève

181


Maria Inês Botelho é membro de diversas acade-

mias localizadas no Brasil, em Portugal e na Suíça. Tem livro, coletâneas e antologias publicados.

6 LIVROS DISPONÍVEIS - VERSÃO PAPEL A coletânea EXCLUSIVOStem participação de escritores de vários estados brasileiros escolhidos pela coordenadora Pérola Bensabath. Faço parte e sinto-me muito honrada. Realça desde o tema "Amor" à vivências em diversas ocorrências

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora e veja a disponibilidade. E-mail: mariainesbotelho2@hotmail.com

182

Revue Cultive - Genève


Neusa Bernado Coelho, poetisa, historiadora. Natural de Palhoça SC. Membro de várias Academias; Embaixadora Imortal da Paz; Autora e coautora de obras literárias nacionais e internacionais.

20 EXEMPLARES DISPONÍVEL-VERSÃO PA-

PEL ZILDA ARNS, médica pediatra e sanitarista. Fundadora da Pastoral da Criança nacional e internacional. Morreu em missão no terremoto do Haiti, 2010. Em processo de beatificação.

20 EXEMPLARES DISPONÍVEL-VERSÃO PAPEL

A FADINHA MARICELA foi a primeira publicação das gêmeas Elisa e Sofia. É um conto em defesa da preservação da natureza e reflete a importância da água. Publicaram o primeiro livro aos 9 anos de idade.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: E-mail:farmaciadobetinho@yahoo.com.br

Revue Cultive - Genève

183


NORMA BEZERRA DE BRITO

é professora universitária de Português e Inglês aposentada. É contista, cronista e poeta. Cearense, residente em Brasília, participou de mais de 30 antologias, é membro de quatro Academias Literárias e é deleguée da Cultive em Brasília.

10 LIVROS DISPONÍVEIS -VERSÃO PAPEL

A VIDA NÃO É ENSAIO - livro de contos

e crônicas apresenta escutas e olhares em direção a situações do dia-a-dia, criativamente ampliadas pela imaginação do autor configuradas em uma escrita versátil.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: normabbrito@yahoo.com.br 184

Revue Cultive - Genève


PAULO ROBERTO PAIXÃO BRETAS

Mineiro de Belo Horizonte, 62 anos. Professor associado da Fundação Dom Cabral e de História Econômica, Economia Brasileira Contemporânea e Desenvolvimento Socioeconômico do Centro Universitário UMA, em Belo Horizonte. Se dedica à literatura tendo três livros de poesias haicai publicados.

LANÇAMENTO Meditções: Uma brisa soprou e mudou a minha vida O LIVRO SERÁ LANÇADO EM ABRIl/2020 - FAÇA A SUA RESERVA

to n e m ça n La

DISPONÍVEL: 20 EXEMPLARES -VERSÃO PAPEL O DOCE LIVRO DOS BEIJOS POÉTICOS - trata do cotidiano e dos pensamentos do autor ao interpretá-lo por meio de haikais que nos levam à reflexão sobre a vida e a sociedade.

Um belíssimo livro ilustrado contendo 100 haikais bilíngue: português/francês versão papel

COMO COMPRAR

Língua: Português versão papel Para adquirir o livro entre em contato

com o autor pelo email e veja a disponibilidade do livro. E-mail: paulo.roberto.bretas@gmail.com

Revue Cultive - Genève

Revue Cultive - Genève

185


Sociedade dos Amigos da Biblioteca Pública que colabora com a Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco juntamente com o lnstitut Cultive Suisse Brésil/Edition Cultive realizaram em setembro o lançamento do livro do autor Paulo Bretas : Meditações uma brisa soprou e mudou a minha vida. O evento foi realizado on line pelo Canal Cultive no youtube. O evento foi conduzido por: Eugênia Melo e teve a animação musical por conta de Hupomone Vilanova Meditações uma brisa soprou e mudou a minha vida é livro que reúne 100 haikais escritor em francês e português. O livro é ilustrado com figuras japonesas. A capa foi criada por André Bretas. A produção e a edição é da Editions Cultive.

186

Revue Cultive - Genève


PIETRO COSTA:

Nascido em Brasília-DF. Autor de 4 livros. Co-autor de mais de 30 coletâneas. Membro de Academias Literárias no Brasil e exterior. Detentor de diversos títulos, comendas e honrarias.

DISPONÍVEL:10 EXEMPLARES DE CADA TÍTULO -VERSÃO PAPEL

JURAS DE POESIA ETERNA

COMO COMPRAR

língua: Português versão papel

com o autor pelo email e veja a disponibilidade do livro. E-mail: pietro_costa22@hotmail.com

O amor em suas múltiplas nuances, declarado e exaltado, na beleza sutil da poesia. Para adquirir o livro entre em contato

Revue Cultive - Genève

187


Institut Cultive Suisse BrésilArt-Littérature et Solidarité Genebra

188

Revue Cultive - Genève


RITA QUEIROZ

GRIMALDA: A LAGARTIXA EMPODERADA Neste livro, a autora Rita Queiroz usa a metáfora da lagartixa para falar sobre empoderamento feminino para o público infantojuvenil. Grimalda é uma personagem que mostra as diversas faces do ser feminino: espevitada, vaidosa, altruísta, estudiosa, feminista, empoderada, sem abrir mão das atividades que exerce, sejam estas as domésticas, como cozinhar e lavar, bem como aquelas relacionadas com o mundo profissional e as dedicadas ao labor social. Escrito em português, inglês e espanhol, também é uma ferramenta que pode auxiliar professores de línguas estrangeiras que atuam com as séries iniciais. Conheça a Grimalda e se encante por essa lagartixa empoderada! Uma publicação da Editora Historinhas pra Contar.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo ritaqueirozpoesiando.loja2.com.br

Revue Cultive - Genève

189


ROSANGELA MATOS

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido.

190

Revue Cultive - Genève


VALQUIRIA IMPERIANO

Escritora, Artista plastica presidente da Cultive Publicação: Espelho meu Espelho - poesia, Navegando em Ondas - poesia, Le livre des petits Mots – poesias e pensamentos, Cofre aberto – poesia, O rosa e o Azul- contos e crônicas, Southend on the sea - livro de arte, O jardim da consciência. Redatora da Revue Cultive e Artplus.

Cofre Aberto é o segundo livro de poesia de Valquiria Imperiano. O cofre do coração, o cofre do espírito. Os poemas sairam da gaveta e foram registrados nas páginas desse livro

Navegando em Ondas Altas Um livro que oferece ao leitor a impressão de estar sobre as ondas dos sentimentos. Os poemas são a expressão dos sentimentos. O amor, a paixão, as impressões retiradas da natureza.

Revue Cultive - Genève

191


SOURIR E LEOLEÃO Valquiria Imperiano Livro infantil a partir de 1 ano língua: português/francês versão papel

192

Revue Cultive - Genève


ERA UMA VEZ UM ANJO Antologia Cultive reúne autores e poetas escrevendo sobre anjos língua: português versão papel

Lançamento

Lançamento

SUPERAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA Antologia Cultive reúne textos em prosa e poesia de 23 autores. Nesse livro os autores conta histórias de superação.

A EFEMERIDADE DA VIDA Escritos de 53 autores em torno da efemeridade da vida: amor, felicidade, esperança, morte, alegria tristeza, fé, milagre, perdas e ganhos, saudade. Belos poemas, contos e crônicas.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade do livro escolhido. E-mail: edicaocultive@gmail.com Revue Cultive - Genève

193


Zezé Negrão - Diplomada em Magistério pelo Colégio Estadual de Itaberaba BA, Bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica Nacional/MG, Doutoranda em Psicanalise junto a SPOCB em Feira de Santana BA, Terapeuta Holística junto a Associação Integrativa Bio Psíquica da Bahia com extensão a Universidade Estadual da Bahia (UNEB). Bancária aposentada, Escritora, Artista Plástica e Pesquisadora

DISPONÍVEL: 20 EXEMPLARES - VERSÃO PAPEL

É um livro infantojuvenil bilíngue portugues e inglês ganhador de 4 prêmios a nível internacional. Houve vários lançamentos no Brasil e Europa. A menina que falava com o beija-flor é um conto que enobre a vivência da criança junto aos mais idoso da família e o envolvimento com a natureza, especialmente com o pássaro beija-flor.

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: E-mail: zeze_maria10@yahoo.com.br

194

Revue Cultive - Genève


CLÅÚDIA LEÇA

Revue Cultive - Genève

195


revistas em pdf

CLICK NA IMAGEM PARA ASCESSAR A REVISTA

COMO COMPRAR Para adquirir o livro entre em contato com a autora pelo email e veja a disponibilidade: email:

a unidade /incluído o frete NO BRASIL

196

Revue Cultive - Genève


VEM Aí ART PLUS N° 3 2022 inscreva-se

Revista bilingue - português/francês Texto word em língua portuguêsa E-mail: revueartplus@gmail.com

Revue Cultive - Genève

197


SEJA ESTRELA NA REVISTA CULTIVE Divulgue sua atividade artística e literária nas 4 edições da Revista Cultive. O Membro Escritor da Revista Cultive pode publicar suas atividades nas seções: Lançamentos de livros, ( 1 página: textos + fotos) Eventos ( 1 página: texto + fotos) Literatura( textos literários até 4 páginas + fotos) O Membro Artista da Revista Cultive pode publicar suas atividades nas seções: Evento de Arte - 1página: textos + fotos Exposição - (até páginas: texto+ fotos) Textos: Biografia, crítica de arte - (textos + fotos) O membro recebe o link e o pdf por e-mail gratuitamente. Entre em contato e peça a ficha de insrição. Informações: www.cultive-org.com 198

Revue Cultive - Genève


Revue Cultive - Genève

199


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.