Page 1

ANO XII Nº 162 OUTUBRO 2009

Publicação do Centro de Tecnologia em Administração Funerária Órgão Oficial de Divulgação do Setor Funerário Nacional

funexpo2009 Veja cobertura completa

Leia também FUTURO:

Regulamentação do Microsseguro pode inteferir nas atividades das Empresas Funerárias. Informe-se e mobilize-se.


Sumário EDITORIAL

Ano XII Nº 162 OUTUBRO 2009

5

SEFESP / ABREDIF

10

Microsseguro: Entenda porque o assunto exige a máxima atenção do Setor Funerário. Categoria já se mobiliza em busca de solução.

CAPA

16

Acompanhe a cobertura da funexpo2009. Exposição, palestras e a opinião dos visitantes.

Nesta edição • Clipping.......................................... 07 • Cartas............................................ 09 • Sefesp............................................ 10 • Abredif........................................... 11 • Marketing....................................... 15 Palestras do funeráriaBRASIL2009 receberam mais de 700 pessoas/tema. DF OUTUBRO2009

2

• funexpo2009............................... 16


Editorial SOLANGE SERAFIM

Um Grande encontro Esta edição da Revista Diretor Funerário fala exclusivamente da funexpo2009. Para a equipe do CTAF a organização da Funexpo é uma rotina prazerosa. Todos estão sempre buscando novidades que possam somar e ampliar o sucesso das edições anteriores. Tudo é preparado com carinho e muita expectativa: será que os visitantes irão gostar? Será que isso será bom para o expositor? É muito trabalho e bastante preocupação, mas os resultados são compensadores. Não é só a sensação de dever cumprido, é também a impressão de que todo o esforço valeu realmente a pena. Sem contar que cada vez que encontramos diretores funerários de todas as partes do país voltamos energizados. Verdadeiramente contaminados pela alegria, disponibilidade em aprender e capacidade de se reinventar. Características intrínsecas do setor. Além de recompensador, esse resultado é também altamente motivador e ao mesmo tempo impõe um novo desafio: o que faremos para manter o sucesso? Para isso todas as peças são valiosas e em 2009 os expositores capricharam e se preparam para a Feira com muitas inovações e boas oportunidades de negócios. Em todos os stands era possível conhecer um novo produto ou uma solução otimizada. Fornecedores tradicionais investiram em relacionamento, novos expositores trouxeram novidades e tecnologia. Tudo isso foi percebido pelo público, que em 2009 foi mais comedido nas compras no recinto da Feira. Reflexo da crise? Nos 3 dias de evento calcula-se que tenham sido fechados negócios na ordem dos R$ 6 milhões. Nesta edição da Diretor Funerário quem esteve na funexpo poderá relembrar os melhores momentos e se encontrar num mosaico de fotos que estampa quase todas as páginas da revista. Quem não foi vai morrer de remorsos ao acompanhar um pouco de tudo que aconteceu nos dias 04, 05 e 06 de setembro de 2009. A todos, Diretores e Agentes Funerários, expositores, sindicatos e equipes de apoio o muito obrigado do CTAF. Esse sucesso foi escrito a muitas mãos. Fiquem atentos também para a movimentação em torno do assunto do momento: a regulamentação do microseguro e assemelhados, que tramita no congresso e exige muita atenção e seriedade por parte do setor funerário. Detalhes nas páginas de ABREDIF e SEFESP. Um grande abraço A Redação DF OUTUBRO2009

3


Expediente

Diretor Executivo

Conselho Editorial

Conselho Editorial

Lourival Antonio Panhozzi lori@sistemaprever.com.br

Mario Fernando Berlingieri marinhob@hotmail.com

Ilso Sanchez Parra lutopaulista@uol.com.br

Diretora Administrativa

Departamento Financeiro

Redação

Dulce Cristina C. Nascimento dulce@ctaf.com.br

Ana Paula Delmanto paula@ctaf.com.br

Solange Serafim solange@ctaf.com.br

Projeto Gráfico, DTP, Marketing e Publicidade

Assinaturas, Depto. Comercial e Treinamento

Colaboradores

Henrique Teixeira henrique@ctaf.com.br

Leandro da Silva Jerônimo leandro@ctaf.com.br

CARTA AO LEITOR

Maria José Bueno Rocha Leziro Marques Silva Taísa Berlingieri

SERVIÇOS

Por que não cancelar a Funexpo? Em decorrência da proliferação dos casos de Influenza A (H1N1) – Gripe Suína, houve muita especulação sobre a possibilidade de cancelamento da Funexpo 2009. Optou-se pela realização da Feira. As autoridades de Saúde não emitiram nenhum comunicado até o momento orientando o fechamento de estabelecimentos públicos. A própria rede de ensino voltou às aulas na primeira quinzena de agosto, sem prejuízo da saúde pública. Então, os organizadores não sentiram necessidade de cancelar o evento programado com tanta antecedência. O prédio onde acontece a funexpo2009 - Mendes Convention Center - é bastante amplo e alto, com boa circulação de ar, situação recomendada pelas autoridades de saúde para minimizar possível proliferação de doenças de contágio por via respiratória. Além disso, de acordo com informações difundidas publicamente, com o aquecimento do clima a resistência do vírus que causa a gripe tende a diminuir. Fica ainda a recomendação geral. Quem está doente ou teve contato com alguém que contraiu a referida gripe, deve permanecer em casa e não circular em ambientes públicos. Todos os demais cuidados de higiene (lavar as mãos) e comportamento em público (cobrir a boca ao tossir ou espirrar) devem ser observados. Os organizadores da Funexpo acreditam que, com todas essas observações o evento terá o sucesso de sempre, se confirmando como um grande ponto de encontro entre o setor, com excelentes oportunidades de negócio, lançamento de tendências, possibilidade de qualificação e treinamento e ainda como um grande fórum de debate, fomentador de crescimento e fortalecimento da categoria. Um abraço. Estamos na Funexpo A Redação DF OUTUBRO2009

4

Assinaturas Impressas: Para novas assinaturas. Disque para fone/fax: (55) (14) 3882-0595, envie pedido pelo correio para: Rua Dr. Rodrigues do Lago, 464 CEP 18602-091 - Botucatu - SP - Brasil, e-mail para assinatura@ctaf.com.br Atendimento ao assinante: Fone/fax: (55) (14) 3882-0595 Rua Dr. Rodrigues do Lago, 464 CEP 18602-091 - Botucatu - SP - Brasil e-mail: atendimento@ctaf.com.br Na internet acesse: www.funerarianet.com.br Para anunciar: (55) (14) 3882-0595 Redação: (55) (14) 3882-0595 e-mail: revista@ctaf.com.br Jornalista Responsável Solange Serafim - Mtb - 23.860 Impressão: JOARTE - www.joarte.com.br A Revista Diretor Funerário é uma publicação mensal do Centro de Tecnologia em Administração Funerária, órgão oficial de divulgação do Setor Funerário Nacional. A publicação não se responsabiliza pelas opiniões e conceitos emitidos em artigos assinados e em anúncios publicitários.


Clipping Em Joinvile funerárias fazem serviço para o IML O Instituto Médico Legal (IML) de Joinville está desde a quarta-feira passada sem as duas viaturas usadas para carregar os corpos que têm de passar por perícia. O IML tem contado com a Central Funerária, que pede ajuda às quatro empresas que formam o sistema. Elas obedecem a um rodízio na hora do transporte. Um carro do IML está numa oficina em Florianópolis. A viatura mais nova, entregue há poucos meses e com cerca de 20 mil quilômetros rodados, está na oficina da concessionária em Joinville. O problema é numa roda traseira, que costuma travar. Segundo a coordenadora do Instituto Geral de Perícias (IGP), a situação já ocorreu outras vezes e deve ser resolvida no início desta semana. “A viatura nova não passou por revisão. E a outra que o Estado prometeu ainda não veio”, afirma Ruth Corrêa. Ela garante que a falta de carro não causa demora na remoção dos corpos com a ajuda das funerárias. A Notícia setembro 2009

Licitação das funerárias em Curitiba foi apresentada em audiência pública O edital de licitação para concessão do serviço funerário municipal em Curitiba-PR foi apresentado em 25 de setembro. Pelo edital da Prefeitura, 26 funerárias ficarão responsáveis pela prestação dos serviços à população, seguindo o sistema de escolha aleatória (rodízio). Atualmente, 21 empresas prestam os serviços na capital paranaense. A concorrência vale para empresas de todo o país. As vencedoras terão a concessão por 10 anos, desde que cumpram as exigências do edital. A licitação é do tipo maior oferta de pagamento ao Município. O valor total é de R$ 183.989.833,00, dividido entre as funerárias. O valor foi determinado a partir de cálculos dos custos que o Município tem para arcar com os sepultamentos de pessoas carentes e indigentes, como construção de gavetas mortuárias, exumações e armazenamento, entre outros serviços. O edital prevê serviços obrigatórios, como a preparação do corpo, fornecimento de urna no padrão escolhido, montagem do velório e transporte de corpos dentro e fora de Curitiba. Também estão listados serviços facultativos tabelados, entre eles a ornamentação da urna.

Em Angola a falta de serviços funerários preocupa cidadãos A falta de agências locais destinadas a prestação de serviços funerários e outros trabalhos complementares na cidade de Ndalatando, Kwanza Norte, tem estado a contribuir para um tratamento menos digno aos ente queridos falecidos. Segundo cidadãos interpelados quarta-feira pela Angop, devido a inexistência de agências e carros funerários na cidade de Ndalatando, as urnas são transportadas em viaturas inapropriadas, contrariando a prestação de uma homenagem condigna aos falecidos. Frisaram que por falta de serviços funerários, os caixões são adquiridos em carpintarias locais, ao preço de 20 a 22 mil Kwanzas para adultos e quatro a sete mil Kwanzas para crianças.

Rodízio - Com a escolha aleatória, as funerárias atendem os cidadãos de forma escalonada, por meio de um sistema eletrônico de processamento de dados. Caso a família ou o responsável não concorde com os serviços da funerária sorteada, é permitido um novo sorteio. As únicas exceções ao rodízio são para parentes em até terceiro grau do proprietário das funerárias cadastradas e em caso de acidentes com morte de mais de uma pessoa da mesma família. Neste último caso, o atendimento de mais de uma pessoa poderá ser feito pela mesma funerária.

O jovem Paulo de Lima Nogueira mostrou-se preocupado com a situação, a par do mau estado dos cemitérios, tendo apelado aos empresários interessados a investir nesta área a fazerem-no em Ndalatando, de forma a contribuírem na melhoria dos serviços funerários locais.

A livre escolha é permitida apenas três casos: quando o domicílio do falecido for em outra cidade e o óbito tenha ocorrido em Curitiba, desde que o velório e o sepultamento sejam realizados fora desta capital; quando o domicílio do falecido for em outra cidade e que o corpo tenha sido encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba, desde que o velório e sepultamento sejam realizados fora desta capital; quando o óbito e velório acontecer na cidade do domicílio do falecido, desde que a família opte em sepultá-lo em Curitiba, com prévia autorização do Serviço Funerário Municipal.

Angola Press setembro 2009

Bem Paraná setembro 2009

Para os cidadãos que dispõem recursos financeiros a aquisição de urnas é feita na capital do país (Luanda), onde os preços variam entre os 500 a 2000 dólares, sem ter em conta o uso de viaturas funerárias.

ALGUMAS DAS CITAÇÕES SOBRE A FUNEXPO2009 MA MÍDIA IMPRESSA Indústria funerária vende caixão ecológico e limusinerabecão e luta contra preconceitos Uol - 09/09/2009

Funexpo 2009, a maior feira para o setor funerário da América Latina Falando de Feiras - 28/08/09

Feira Funerária oferece caixão “ecológico” e limousine com DVD

Folha On Line - 05/09/09

NOTA:

O Clipping é uma coletânea de notícias do setor funerário publicadas nos jornais de todo o país. Ele é um painel do que está acontecendo no setor e chega para a Diretor Funerário através de um serviço especializado que rastreia tudo o que é publicado na imprensa. A redação apenas transcreve a notícia, dando os créditos dos órgãos de imprensa onde foram primeiramente veiculadas e a data. Não são reportagens realizadas pela redação da Diretor Funerário. DF OUTUBRO2009

5


Registro

OUTUBRO

01/09 01/09 03/09 03/09 04/09 05/09 05/09 05/09 05/09 06/09 06/09 07/09 07/09 07/09 07/09 08/09 08/09 09/09 09/09 10/09 10/09 10/09 10/09 10/09 11/09 11/09 11/09 13/09 13/09 14/09

Nilton Cesar Vieira............................... Pindamonhangaba-SP Odilon Barbosa da Silva.......................... Patos de Minas-MG Eder Carlos de Oliveira.....................................Borborema-SP Renato Almeida Souza......................... Senhor do Bonfim-BA Marcio de Medeiros............................................. Mossoró-RN Benhur Ratachi..................................................Palmitinho-RS Lucia Helena de Oliveira Silva...... Santa Rita do Sapucaí-MG Marcos Valentin Reyinaldo..................................... Jundiaí-SP Reinaldo Mendes..............................................Itapuranga-GO Dorcemira Nunes de Marais.................... Patos de Minas-MG Flávio Silva Nunes de Brito.............................. Porteirinha-MG Ailton dos Santos Silveira.....................................Resende-RJ Ana Maria Costa...........................................São Gotardo-MG José Carlos Cintra...............................................Cascavel-PR Kemuel Campos da Silva.....................................Cáceres-MT Manoel Natividade C. Oliveira............................. São Luis-MA Willian Batista.................................São João da Boa Vista-SP Millena Mickaely M. Rodrigues......................... São Tiago-MG Vera Lucia Alarcom Gonçalves............................ Guaraçaí-SP Adailton Alvez...............................Santa Helena de Goiás-GO Aderivaldo José Moreira...................................... Inhumas-GO Luciana Gonçalves Santos..........................................Luz-MG Olmar Gadineschi............................................... Soledade-RS Pablo Jeronimo Mota Matos................................ Manaus-AM Heleno F. Souza..................................................... Paulista-PE José de Carvalho Melo Junior.............................Cascavel-PR Tulio Luis Resende............................Entre Rios de Minas-MG Marizeti Ap. Marmirolli Dinato............................... Pedreira-SP Wiliane Zirke.......................................................Guabiruba-SC Renniery José Ferreira de Almeida...Brejo de Madre Deus-PE

15/09 15/09 16/09 16/09 16/09 17/09 17/09 19/09 19/09 19/09 20/09 20/09 20/09 20/09 21/09 21/09 21/09 22/09 22/09 23/09 23/09 24/09 26/09 27/09 27/09 27/09 28/09 28/09 30/09 30/09

Elessandre dos Santos Silva........................Alto Araguaia-MT Roberto Pimentel Goulart....................................Cruz Alta-RS Aloisio Antonio de Castro Junior....................... Caçapava-SP Antonio R. Ferrari.................................................... Pinhão-PR Valdir Silva.................................................. Pérola D’Oeste-PR Jociane Tinfel.................................................... Canoinhas-SC Luiz Carlos F. de Souza......................................Paranavaí-PR Deokcelmo Gontijo Vieira de Carvalho................ Anápolis-GO Maria Adelina Ferreira Castanho.........................Cambará-PR Paulo Henrique Gesualdi............................................... Itaí-SP Joacir Silva Conceição................................Rio de Janeiro-RJ João Gilberto Cogo...................................... Passo Fundo-RS Marcelo de Paula Siqueira.................................... Barrinha-SP Wanderley Balestrim.......................................... Dourados-MS Claudionor Evaristo de Santana............................ Abaeté-MG Jairo Divino de Queiroz...............................................Irecê-BA José Ribeiro Leite Sobrinho...........................Aquidauana-MS Guilherme Cardassi........................................... Araçatuba-SP Izaltino Soletti.................................................... Espumoso-RS Leyla Azevedo.................................... União dos Palmares-AL Salvador da Costa............................................ Rubiataba-GO Affonso Passos Neto........................................Araraquara-SP Edir Spirlandeli Filho.....................São Luiz Montes Belos-GO Alex da Crus Cardoso..................................Rio de Janeiro-RJ Jorge Damião Braga de Brito......................Rio de Janeiro-RJ Joselino Queiroz ............................................Aquidauana-MS Marcelo Gouveia Assis......................................... Getulina-SP Valmir Costa Faria...........................Palmas de Monte Alto-BA Marcio da Silva............................ Santo Amaro Imperatriz-SC Valdemir Misto...................................................... Orlândia-SP

NOVEMBRO

Agora, você assinante, também tem seu espaço para comemorar seu aniversário. E , desde já, desejamos a todos os nossos votos de feliz aniversário.

01/11 01/11 01/11 02/11 02/11 03/11 04/11 05/11 06/11 08/11 08/11 08/11 09/11 09/11 10/11 10/11 11/11 12/11 12/11 12/11 12/11 14/11 14/11 15/11 15/11 15/11 16/11 16/11 18/11 18/11 19/11

Carlos Roberto dos Santos...........São José do Rio Claro-MT Maria Luiza de Melo.......................... Santana do Ipanema-AL Sema Ferreira Piva..........................................Bataguassu-MS Darci Borba...........................................................Caçador-SC Domervil Honorato da Silva...............................Guanambi-BA Frank Abrain Lima................................................. Manaus-AM Antonio Francisco de Macena........... Itinga do Maranhão-MA Marcilene Adriana Silva Apolônio...........................Viçosa-MG Iwana Barbosa Taveira de Carvalho.................... Anápolis-GO Francisco de Assis Souza................................... São Luis-MA Nilton Lima..............................................................Itabuna-BA Simeão Raphael Batista.................................Porto Alegre-RS Leo Marino Passuello............................................Erechim-RS Manoel Cunha Viana............................................. Manaus-AM Nedio Soletti...................................................... Espumoso-RS Paula Costa........................................................Caratinga-MG Gustavo Baranoski......................................Foz do Iguaçú-PR Caio Pessanha Felício........................................... Sumaré-SP Edney Arakaki.................................................... Rio Verde-GO Jorge Francisco Rodrigues Rosa................Ribeirão Preto-SP Sthella Marcia Rodrigues...................................Promissão-SP Marcelo Foltran.................................. São Caetano do Sul-SP Teodomiro Borges.................................... Barra do Ribeiro-RS Antonio Domingues Felipe..................Santa Izabel do Ivaí-PR Marcia Souza...................................................... Ji Paraná-RO Wagner Luiz Citolino....................................Foz do Iguaçú-PR Denice Pereira do Nascimento.....................Alto Araguaia-MT Helio Batista....................................................Porto Alegre-RS Fabio Rodrigues.......................................................... Tatuí-SP João Batista da Silva.................... Santa Rita do Sapucaí-MG Joana Amélia da Silva Nunes........................... Patrocínio-MG

19/11 19/11 20/11 20/11 20/11 20/11 21/11 21/11 21/11 21/11 21/11 22/11 22/11 23/11 24/11 24/11 25/11 25/11 26/11 27/11 27/11 28/11 28/11 28/11 28/11 28/11 29/11 29/11 30/11 30/11

Moisés Zacarias Pires.......................................... Conchas-SP Talis Mazzarino.................................................. Encantado-RS Erisvânia Fontes....................................... Delmiro Gouveia-AL Gislaine Hiera.................................................... Canoinhas-SC Olímpio José de Andrade............................................Ibia-MG Pedro Israel de Ávila................................................ Araxá-MG Edson Roberto Marcelo................................... Hortolândia-SP Elienay Silva de Oliveira..................................... Paramirim-BA Marcos Leme Batista............................................... Marília-SP Rita de Cássia Mendes...................... São Caetano do Sul-SP Vinicius Pozzer.....................................Faxinal do Soturno-RS José Ori de Oliveira Lima..........................Lagoa Vermelha-RS Maria de Lourdes Costa................................... Rubiataba-GO Rene Lopes...................................................Pirassununga-SP Renato Luiz Botini...................Santo Antonio Descoberto-GO Thiago de Souza...................................Mirassol do Oeste-MT Cristina Davila.........................................................Piumhi-MG Helio Gomes Filho..................................................... Pirajui-SP Cesar Rodrigues.................................................... Pitanga-PR Letícia Garcia Freitas..............................Caçapava do Sul-RS Thiago Henrique Soares Verçosa...................Esmeraldas-MG Evandro P. dos Santos..........................Mata de São João-BA Gilvano de Avila......................................................Sorriso-MT Luiz Carlos de Santis.................................... Morro Agudo-SP Marcos Vieira...................................................Cidrolândia-MS Waldison Fernandes Rosa....................................... Guaraí-TO Geraldo Bezerra dos Santos......... Vitória do Santo Antão-PE Maria Rita M. Pereira........................................... Mineiros-GO Antonio de Pádua Gomes........................................ Pirajui-SP Clenio Silva............................................................... Patos-PB

DF OUTUBRO2009

6


Cartas Conheça a opinião de quem esteve na funexpo2009 “Estou instalado numa cidade onde 80% dos moradores são brasileiros, então presto serviços no padrão adotado aqui. Estou gostando muito da Funexpo. A Feira superou as minhas expectativas. Eu e meus companheiros estamos levando uma imagem muito positiva. Aprendemos muito”. Marcelo, Funerária Cristo Rei Santa Rita - Paraguai

“Para mim essa é a melhoir Feira que eu já participei. Participei de todas. Nós viemos num grupo de 40 pessoas lá de Minas Gerais e o que escuto é só elogios, de todos eles”. José Afonso do Real, presidente do Sindinef-MG

“O conteúdo das Palestras foi muito bom. Está valendo a pena. Também gostei da Feira”. Denílson Gonçalves Pereira, Funerária Araújo “Achei esta Feira ótima, como todas. Nesta edição temos muitos carros, mas isso não atrapalha, só agrega. Acho, porém, que as palestras merecem mais atenção. Elas poderiam acontecer paralelamente á Feira e não em horários opostos, como nos congressos médicos, por exemplo. O Conteúdo das palestras foram maravilhosos. Achei boa idéia de expor as experiências das empresas e de muito boa vontade das empresas em passar para as outras as suas experiências. Excelente!”.

“A Feira está muito boa. Fizemos bons negócios e sempre vale a pena viajar para participar deste evento. Gostamos muito também das palestras. Foram excelentes”. Washingtom Campos e George OSAF e Antonio José - Pax Atalaia Aracaju-SE

“Estou no setor há apenas 2 anos e vim pela primeira vez na Funexpo. Estou amando! Só agreguei valor com a minha vinda. A Feira me surpreendeu muito e superou todas as minhas expectativas. Eu tinha uma idéia do que era, porque o pessoal da empresa tinha me passado, mas a experiência é muito mais rica. Tudo vale a pena, os negócios, os contatos e as palestras”. Leonardo Molina Prado, Pax Cristo Rei - Corumbá-MS

“Estou muito feliz com o crescimento da feira e com a importância que ela vem tendo no nosso setor. Nós Diretores Funerários precisamos disso: do apoio e do encontro. Tudo é importante, mas principalmente os contatos. Nessa Feira, por exemplo, nós obtivemos informações preciosas que quem não veio perdeu”.

Giuliana Tavares - Central de Velórios A Viagem Campina Grande-PB

“Sempre participamos dessas Feiras porque elas nos orientam. As palestras são muito enriquecedoras. Achei muito interessante. É mesmo um grande aprendizado. Tudo estimula o crescimento. O CTAF está de parabéns”.

“É a primeira vez que participo e achei excelente. Tudo é muito inovador e abre a mente. Gostei tanto da Feira como das palestras. O objetivo é sempre alavancar o crescimento da empresa com as idéias que vimos aqui”.

Jeice Martins Nunes de Freitas, Pax Cristo Rei - Corumbá-MS

Maria de Lourdes de Oliveira, Mortuária São Vicente de Paula

mai/09 a out/09

DF OUTUBRO2009

7

Miriam Rosa, Funerária Cosme e Damião, Salgueiro-PE


Sindicato das Empresas Funerárias do Estado de São Paulo Rua Saint Martin, 35-65 - Jd. Aeroporto CEP 17043-081 - Bauru-SP Fone/fax: (14) 3227-4448 e-mail: sefesp@uol.com.br

Sefesp

MICROSSEGURO E O SETOR FUNERÁRIO Microsseguro fecha 99,75% das empresas funerárias em outros paises. A criação do microsseguro com ênfase no plano funerário tem fechado em outros paises 99,75% das empresas funerárias que operam planos de assistência funeral. Esta é uma realidade que poderemos viver no Brasil se a categoria não se mobilizar e defender o direito conquistado com mais de 40 anos de trabalho. Plano funerário pode até, em alguns aspectos, ser assemelhado a um seguro, mas aquilo que é assemelhado não é igual. Portanto, diante das características específicas e únicas de um e outro produto não podemos simplesmente, sem um estudo mais detalhado, querer mudar a identidade dos planos de assistência funeral a pretexto de dar uma garantia que hoje já existe, se não de forma explicita, mas certamente de forma implícita. A categoria hoje opera sob a égide da lei: recolhe impostos, cumpre suas obrigações com a sociedade e com seu contratante, não podemos admitir deitar na legalidade e acordar na ilegalidade sem ter nenhuma oportunidade de demonstrarmos a realidade da nossa atividade e principalmente do seu grande alcance social. Se hoje vinte e cinco milhões de pessoas possuem planos funerários é porque este serviço tem atendido a população naquilo que ela realmente necessita: uma relação de confiança. Não existe produto mais democrático e popular! As condições hoje existentes nos planos funerários dificilmente poderão ser absorvidas na sua totalidade por um seguro, isto seria um grande golpe junto a pessoas com mais idade, que por muitos anos se mantiveram associadas. Desde a criação os planos funerários buscam uma regulamentação especifica, é um direito e uma necessidade, é assim que tem acontecido com outras atividades. Foi assim com os planos de saúde. Muito embora a operação do plano de saúde também seja assemelhada a um seguro, a sua regulamentação, por existir condições próprias somente a elas, se deu por meio de uma regulamentação específica. É o que precisa ocorrer com os planos funerários. O projeto de lei que cria o microsseguro é de abril de 2008, mas apresentou recentemente um substitutivo que no seu artigo 5 encerra a comercialização de plano funerário pelas empresas funerárias, podendo a partir da sua aprovação somente ser feito por seguradora. Em toda a historia do plano funerário no Brasil nunca tivemos diante de uma ameaça tão grave e tão injusta para com os 25 milhões de pessoas que decidiram ter um plano funerário e não um seguro de vida, estão tirando o direito de livre escolha. Plano funerário não é seguro de vida, e nunca desejou ser! Quem esta querendo ser plano funerário são as seguradoras e, como este mercado só se conquista pelo relacionamento pessoal das mais de 5.000 empresas funerárias do Brasil, querem por força da lei e não do trabalho seqüestrar esta carteira de clientes. Estou neste momento chamando todas as empresas funerárias do Brasil para que fiquem em alerta Maximo. As entidades representativas da classe estão trabalhando para tentar reverter a situação gravíssima em que nos colocaram. Mas esta é uma luta de todos, precisamos de todos. Não precisamos de ações isoladas, que podem trazer muito mais dúvidas que esclarecimentos. È preciso neste momento centralizar nossas ações, adotarmos uma estratégia consistente, um plano de ação que possa conduzir o setor à realização de seu objetivo maior: que é garantir a seus associados o direito de receberem o que contrataram de quem escolheram para executar. Peço apoio de todos neste momento. Estou me dedicando exclusivamente a este assunto até que o mesmo se resolva. Qualquer funerário que tiver sugestão ou condição de participar desta batalha poderá entrar em contato com o Grupo de Trabalho que esta sendo constituído para este fim e que é composto pelas entidades do setor reconhecidas e operantes. Lourival Panhozzi Presidente da ABREDIF. (14) 9118.5353 e-mail: loripz@hotmail.com DF OUTUBRO2009

8


Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário

Abredif

Av. Paulista, 2006 - 9º andar- conj. 903/904 CEP 01310-200 - São Paulo-SP fone/fax: (11) 3283-3384 - abredif@terra.com.br

SUBSTITUTIVO INTEGRAL PROJETO DE LEI N.° , DE JULHO DE 2009 Dispõe sobre microsseguros, estabelece critérios para a autorização de sociedades seguradoras e corretores de seguros especializados, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º. Microsseguro é a proteção securitária fornecida pelas sociedades seguradoras de que tratam os incisos I e II do art. 2º desta Lei, visando primordialmente preservar a situação socioeconômica, pessoal ou familiar da população de baixa renda, contra riscos específicos, mediante pagamentos de prêmios proporcionais às probabilidades e aos custos dos riscos envolvidos, em conformidade com a legislação e com os princípios de seguro globalmente aceitos. §1º Poderá ser segurado de plano de microsseguro a pessoa natural ou a microempresa definida no art. 3º, inciso I da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006. §2º Para os efeitos desta Lei, considera-se plano de microsseguro aquele aprovado como tal pelo órgão fiscalizador de seguros privados, observados, entre outros, os seguintes parâmetros a serem fixados pelo órgão regulador de seguros privados: I – tipos de produtos e coberturas; II - limite máximo de garantia e/ou de capital segurado; III – prazo máximo para pagamento de indenização; IV – prazo de vigência; V – formas de comercialização simplificadas, inclusive por meios eletrônicos; e VI – formas de contratação simplificadas por apólices, bilhetes, certificados individuais e meios eletrônicos. Art. 2º. O órgão regulador de seguros privados estabelecerá os critérios de operação dos microsseguros e também as condições específicas para: I - autorização e funcionamento da sociedade seguradora que opere exclusivamente microsseguros; e II - segregação patrimonial e contábil das operações de microsseguros das sociedades seguradoras que não operem exclusivamente microsseguros. Art. 3º. O órgão regulador de seguros privados disciplinará a habilitação e o registro das pessoas naturais que realizem intermediação exclusivamente em microsseguros, os quais serão denominados “Corretores de Microsseguro” e estarão sujeitos, no que couber, às demais regras aplicáveis aos corretores de seguros.

Parágrafo único. O corretor ou corretora de seguros habilitado a intermediar seguros, previdência complementar aberta e/ou capitalização fica automaticamente autorizado a angariar e promover contratos de microsseguro, na forma estabelecida pelo órgão regulador de seguros privados. Art. 4º. As sociedades seguradoras referidas nos incisos I e II do art. 2º desta Lei poderão contratar e/ou firmar convênio com qualquer pessoa jurídica ou empresário a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002, na condição de correspondente de microsseguro que, de acordo com previsão contratual específica, poderá recolher e repassar prêmios e promover quaisquer atos necessários à comercialização e operacionalização de microsseguros. §1º O pagamento do prêmio ao correspondente de microsseguro considera-se feito à sociedade seguradora. §2º A remuneração ajustada entre a sociedade seguradora e o correspondente de microsseguros deverá estar expressa no contrato entre as partes. §3º Não se aplica ao correspondente de microsseguro de que trata esta Lei a legislação especial aplicável aos representantes comerciais. §4º O órgão regulador de seguros privados regulamentará a atividade do correspondente de microsseguro, inclusive quanto à necessária habilitação como corretores de microsseguro de seus empregados ou prestadores de serviços atuantes no processo de angariação de microsseguros. Art. 5º. Os contratos que prevejam assistência funeral de qualquer natureza, inclusive auxílio funeral, na modalidade de pré-pagamento parcelado ou não, somente poderão ser garantidos por sociedades seguradoras devidamente autorizadas a operar seguros no País, inclusive aquelas de que tratam os incisos I e II do art. 2º desta Lei. Parágrafo único. As empresas não constituídas sob a forma de sociedade seguradora que comercializem contratos que prevejam assistência funeral deverão adaptar-se às exigências legais no prazo e condições fixados pelo órgão regulador de seguros privados. Art. 6º. Mesmo quando o microsseguro for contratado por pessoa jurídica em favor de grupo de pessoas naturais que a ela de qualquer modo se vincule, a relação jurídica entre cada segurado e a sociedade seguradora será sempre considerada individual para todos os efeitos, e a pessoa jurídica contratante ou conveniada será equiparada ao correspondente de microsseguro no seu relacionamento com os segurados e a sociedade seguradora. Parágrafo único. Na hipótese prevista no caput, a pessoa jurídica contratante

mai/2009 a abr/2010

CAS INDUSTRIAL - Qualidade e confiança Ref. 60 Madona Marfim Acabamento interno: Cetin drapeado, babado e sobrebabado em rendão de luxo; Acabamento externo: Verniz PU alto brilho (Visor inteiro)

Ref. 18x cor 3 envelhecido Acabamento interno: Cetin liso, babado em cetin e sobrebabado em rendão de luxo; Acabamento externo: Verniz PU alto brilho (Visor inteiro)

www.casindustrial.com.br - Fone (48) 3652-1337 Rua Orleans, 556 - CEP 88890-000 - Grão Pará-SC DF OUTUBRO2009

9


Sindicato das Empresas Funerárias do Estado de São Paulo Rua Saint Martin, 35-65 - Jd. Aeroporto CEP 17043-081 - Bauru-SP Fone/fax: (14) 3227-4448 e-mail: sefesp@uol.com.br

Sefesp ou conveniada não representará os interesses dos segurados perante a sociedade seguradora. Art. 7º. A alíquota máxima do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários - IOF nas operações de microsseguros é de 1% (um por cento). Art. 8º. Fica instituído o Regime Especial de Tributação aplicável às operações de Microsseguros - RET-Ms. Art. 9º. A sociedade seguradora referida no inciso I do art. 2º desta Lei fica autorizada, em caráter opcional, a efetuar o pagamento unificado de tributos equivalente a 1% (um por cento) da receita mensal auferida com as operações de microsseguros. §1º Para os fins do disposto no caput considera-se receita mensal a totalidade das receitas auferidas pela sociedade seguradora em decorrência da comercialização de microsseguros, bem como as receitas financeiras e variações monetárias relacionadas à operação. §2º O pagamento mensal unificado de que trata o caput corresponderá aos seguintes tributos: I - Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas - IRPJ; II - Contribuição para o PIS/PASEP; III - Contribuição Social sobre o Lucro Líquido - CSLL; e IV - Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - COFINS. §3º Para fins de repartição de receita tributária, o percentual referido no caput será considerado: I - 0,44% (quarenta e quatro centésimos por cento) como COFINS; II - 0,09% (nove centésimos por cento) como Contribuição para o PIS/PASEP; III - 0,31% (trinta e um centésimos por cento) como IRPJ; e IV - 0,16% (dezesseis centésimos por cento) como CSLL. §4º O pagamento dos impostos e contribuições na forma do disposto no caput será considerado definitivo, não gerando, em qualquer hipótese, direito à restituição ou à compensação. §5º O pagamento unificado de tributos efetuado na forma do caput deverá ser feito até o décimo dia do mês subsequente àquele em que houver sido auferida a receita. Art. 10. A opção prevista no art. 9º também pode ser exercida pela sociedade seguradora referida no inciso II do art. 2º desta Lei. §1º Caso a sociedade seguradora referida no inciso II do art. 2º desta Lei opte pelo RET-Ms, este será aplicável exclusivamente às receitas auferidas em decorrência da comercialização de microsseguros, bem como às receitas financeiras e variações monetárias relacionadas à operação. §2º As receitas, custos e despesas próprios da sociedade seguradora, sujeitos à tributação na forma do art. 9º, não deverão ser computados na apuração das bases de cálculo dos impostos e contribuições devidos pela sociedade seguradora em virtude de suas outras atividades empresariais. §3º Para fins do disposto no caput, os custos e despesas indiretos pagos pela seguradora no mês serão apropriados à atividade de comercialização de microsseguros na mesma proporção representada pelos prêmios diretos próprios desta atividade, em relação aos prêmios diretos da sociedade seguradora, assim entendidos como a soma de todos os prêmios auferidos em todas as comercializações de seguros, de microsseguros, e em outras atividades exercidas pela

sociedade seguradora. Art. 11. Os créditos tributários devidos pelas sociedades seguradoras referidas nos incisos I e II do art. 2º desta Lei não poderão ser objeto de parcelamento. Art. 12. A opção pelo RET-Ms será efetivada mediante entrega do termo de opção na unidade competente da Receita Federal do Brasil, conforme regulamentação a ser estabelecida. Art. 13. O empregador pessoa jurídica que custear integralmente o prêmio de microsseguro oferecido indistintamente para todos os seus empregados poderá deduzir a respectiva despesa da base de cálculo do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica - IRPJ e da Contribuição Social sobre o Lucro - CSLL, apurados na sistemática do Lucro Real. §1º O valor do prêmio do microsseguro custeado pelo empregador, em benefício de seus empregados, não comporá o rendimento bruto do empregado para fins de incidência do imposto sobre a renda da pessoa física - IRPF, retido na fonte ou apurado em sua Declaração de Ajuste Anual. §2º O valor do prêmio de microsseguro custeado pelo empregador em benefício de seus empregados, na forma do caput, poderá ser deduzido do IRPJ apurado como devido, até o exercício de 2015, anocalendário de 2014, limitado a 1% (um por cento) do IRPJ pela pessoa jurídica empregadora. Art. 14. O empregador pessoa física que custear integralmente o prêmio de microsseguro, para empregado doméstico devidamente registrado, poderá deduzir do IRPF apurado como devido em sua Declaração de Ajuste Anual, até o exercício de 2015, ano-calendário de 2014, o prêmio de microsseguro custeado. Parágrafo único. A dedução de que trata o caput deste artigo: I - está limitada a 1 (um) empregado doméstico por declaração, inclusive no caso da declaração em conjunto; II - está limitada ao valor recolhido no ano-calendário a que se referir a declaração; III - aplica-se somente ao modelo completo de Declaração de Ajuste Anual; IV - não poderá exceder ao valor equivalente ao percentual de 10% (dez por cento) aplicado sobre 12 (doze) salários mínimos vigentes em 31 de dezembro do ano-calendário a que se refere a Declaração de Ajuste Anual; e V - fica condicionada à regularidade do empregado doméstico perante o regime geral da previdência social e também do empregador doméstico, quando se tratar de contribuinte individual. Art. 15. Fica inserida a alínea “y” no §9º do artigo 28 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, na forma a seguir: “Art. 28. ......................................................................................................... § 9º ................................................................................................................ y) o valor correspondente aos microsseguros custeados pelo empregador, oferecidos indistintamente para todos os seus empregados.” (NR) Art. 16. Fica alterada a redação do inciso V do §2º do art. 458 da Consolidação das Leis do Trabalho, na forma a seguir: “Art. 458. ....................................................................................................... §2º ................................................................................................................. V - seguros de vida e de acidentes pessoais, e quaisquer microsseguros custeados pelo empregador, oferecidos indistintamente a todos os seus empregados;” (NR) Art. 17. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Congresso Nacional, em julho de 2009; 188º da Independência e 121º da República.

DF OUTUBRO2009

10


Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário

Abredif

Av. Paulista, 2006 - 9º andar- conj. 903/904 CEP 01310-200 - São Paulo-SP fone/fax: (11) 3283-3384 - abredif@terra.com.br

FUNDAMENTAÇÃO O seguro privado é uma ferramenta essencial para o desenvolvimento econômico, tanto pelo aspecto de acumulação de riquezas para investimento em atividades produtivas como, especialmente, pela proteção social que representa. O valor que o setor de seguros representa em cada economia é um dos índices mais utilizados para identificar o índice de desenvolvimento humano de uma nação. E em países como os Estados Unidos da América, a Alemanha e o Japão, o setor de seguros privados representa aproximadamente 10% do Produto Interno Bruto. No Brasil, o setor de seguros representa 3,2% do PIB e nos últimos anos tem se desenvolvido muito. No ano de 2008, por exemplo, cresceu 8%, enquanto o mercado internacional sofreu uma queda de 2%. Mas a penetração dos seguros no Brasil ocorre especialmente nas classes A e B, em razão de custos comerciais e tributários que tornam excessivamente cara a emissão de cada apólice. Por outro lado, as classes C, D e E são aquelas cuja necessidade da proteção do seguro é maior. Isso tendo em vista a pouca capacidade de acumulação de poupança individual e de patrimônio e a relevância que alcança a renda de cada pessoa na manutenção do padrão de vida da família. De fato, é nas classes C, D e E que a morte de uma pessoa ou a perda de um patrimônio causa os maiores danos e tem o maior potencial de desestabilização social, nada obstante a rede de proteção oferecida por organizações comunitárias e Igrejas. Vale notar que pelo menos 100 milhões de pessoas estão fora do mercado de seguros no Brasil, o que revela o amplo espaço para melhoria das condições de vida da população, por meio da maior oferta e acesso a seguros de custo mais baixo. Não é demais salientar que o uso do microsseguro como instrumento de proteção social tem sido uma realidade em diversos países, entre os quais a Índia é o maior exemplo de sucesso, reconhecido internacionalmente. Nesse contexto, o art. 1º do Projeto cria a figura do microsseguro, o seguro destinado exclusivamente às classes de menor poder econômico, e prevê o tratamento diferenciado desse seguro, que deverá ser comercializado por seguradoras especializadas ou ser segregado, do ponto de vista patrimonial, contábil e operacional, dos demais seguros, conforme estabelecido pelo art. 2º. O art. 3º prevê a existência de corretores especializados em microsseguro, os quais estarão sujeitos a regras específicas. Assim, abre-se a possibilidade de pessoas das próprias comunidades e dos grupos mais carentes assumirem essa função. Com isso, objetiva-se a criação de aproximadamente 20 mil novos corretores de microsseguro nos próximos 5 anos, pessoas que receberão treinamento técnico e específico e que farão parte desse grande processo de inclusão social. O art. 4º, na mesma linha do art. 3º, torna possível a utilização, pelas seguradoras, de canais alternativos para a comercialização e estruturação da operação do microsseguro, como forma de possível redução de custo e de envolvimento de membros da própria comunidade na sua comercialização. O §1º prevê que os pagamentos de prêmios aos correspondentes representará a quitação com a sociedade seguradora, medida salutar para aumentar a segurança jurídica dessa nova classe de consumidores, especialmente para se evitar discussões, por exemplo, quanto aos impactos de eventual atraso no repasse dos prêmios arrecadados. O art. 5º disciplina os serviços de assistência funeral, que, na prática, apesar de serem essencialmente uma forma de seguro, não vinham sendo tratados dessa forma, com prejuízo para a segurança dos contratos e dos próprios consumidores. A formalização e regulação dessa atividade trará inquestionáveis benefícios para toda a população brasileira, em especial para as classes C, D e E, menos favorecidas e atualmente com enorme dependência desse tipo de serviço. O art. 6º objetiva esclarecer que no microsseguro a relação entre a sociedade seguradora especializada e o segurado será sempre considerada individual e não haverá a figura do estipulante representante dos segurados. Isto é necessário por duas razões: a) legitima uma situação de fato existente e importante para o desenvolvimento do microsseguro, que é a contratação de apólices em que o único vínculo do segurado com o contratante é o próprio contrato de seguro; e b) exime a pessoa jurídica contratante, que no caso será equiparada ao correspondente, do ônus de representação dos segurados perante a sociedade seguradora, que poderia dificultar a difusão do microsseguro.

O art. 7º estabelece a alíquota máxima de 1% para o IOF nas operações de microsseguro, com o objetivo de reduzir o impacto do imposto no custo do produto, a fim de torná-lo acessível ao público a que se destina. Os arts. 8º, 9º e 10 criam regime especial de tributação, opcional, aplicável às operações de microsseguro realizadas por sociedade seguradora especializada, ou com contabilidade e patrimônio segregados para tal fim. O novo regime, denominado RET-Ms, prevê uma tributação simplificada, com a alíquota única de 1% sobre a receita bruta mensal decorrente de operações de microsseguro, englobando o IRPJ, PIS/PASEP, CSLL e COFINS. O menor impacto tributário deverá proporcionar, também, redução do custo final do microsseguro para os segurados e empregadores que se dispuserem a custeá-lo. É indiscutível que este benefício opcional não apenas funcionará como um incentivo para a entrada de novas seguradoras no mercado segurador, atraindo novos investimentos para o País, como também, via de consequência, para a redução da concentração atualmente observada neste mercado. O art. 11 veda o parcelamento dos tributos calculados dentro da sistemática do RET-Ms. O art. 12 estabelece que a opção pelo RET-Ms será efetivada mediante entrega de termo de opção à Receita Federal do Brasil, conforme regulamentação a ser estabelecida. Como o regime é opcional, necessária a formalização da intenção de aderir por parte da sociedade seguradora. O art. 13 cria um incentivo para que as empresas custeiem o prêmio de microsseguro para seus empregados. O benefício consiste na possibilidade de dedução da despesa da base de cálculo dos tributos incidentes sobre o seu lucro (Imposto sobre a Renda Pessoa Jurídica - IRPJ e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido - CSLL). Como se trata de um benefício assistencial para empregados, cabível tal dedução desde que o microsseguro seja oferecido indistintamente a todos os empregados elegíveis. O §1º cria um benefício para o empregado que tem o microsseguro custeado pelo empregador, ao prever que o valor do prêmio não será tributado pelo imposto sobre a renda. O §2º prevê um benefício adicional para o empregador pessoa jurídica, por prazo pré-determinado (até o exercício de 2015, ano-calendário de 2014), consistente na possibilidade de deduzir os prêmios de microsseguro custeados do IRPJ devido, até o limite de 1% de seu valor. Este benefício visa popularizar o custeio do microsseguro por empregadores, o que é benéfico para a sociedade, no período inicial de sua implantação (primeiros 5 anos). Após tal período, permanece apenas a dedutibilidade da despesa da base de cálculo do IRPJ e da CSLL, e a isenção de IRPF. O art. 14 cria benefício análogo ao do art. 13, §2º para o empregador doméstico pessoa física, com o mesmo prazo de vigência (até o exercício de 2015, anocalendário de 2014). Permite que os prêmios de microsseguro por ele custeados sejam deduzidos do IRPF devido, até o limite estabelecido. O objetivo é, também, o de popularizar o custeio do microsseguro por empregadores no período inicial de sua implantação (primeiros 5 anos). Este benefício tem por objetivo incentivar a formalização de empregados domésticos, propiciando, inclusive, maior arrecadação de contribuições previdenciárias, pois fica condicionado à regularidade do empregado doméstico perante o regime geral da previdência social e também do empregador doméstico, quando se tratar de contribuinte individual. O art. 15 inclui alínea “y” no §9º do artigo 28 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, para o fim de excluir do conceito de “salário de contribuição” o valor correspondente ao microsseguro custeado pelo empregador, indistintamente para todos os seus empregados elegíveis. Como se trata de benefício assistencial, não seria cabível onerá-lo com contribuições previdenciárias, razão pela qual a alteração legislativa se justifica. O art. 16 altera o §2º do art. 458 da CLT para o fim de se excluir do conceito de salário-utilidade todos os microsseguros custeados pelo empregador. A matéria objeto do projeto não implica em aumento ou diminuição da receita pública, uma vez que se trata de produto novo no mercado. Por esta razão, não cabe pronunciamento quanto à sua adequação financeira e orçamentária. Brasília, de julho de 2009.

DF OUTUBRO2009

Deputado Federal Adilson Soares PR/RJ 11


Registro

NOVEMBRO

Antecipamos a relação dos aniversariantes para você não perder a festa. 01/11 01/11 01/11 02/11 02/11 03/11 03/11 05/11 06/11 07/11 08/11 08/11 08/11 11/11 11/11 12/11 12/11 12/11 13/11 14/11 15/11 16/11

Francisco Reis.............................. Cerqueira Cesar-SP João Laluce Neto....................................Araçatuba-SP Zelir Vígolo.................................................. Sorriso-MT Maria de Fátima Silva......................... Martinópolis-SP Zelir Vígolo.................................................. Sorriso-MT Elmar Mello Lopes....................................Cruz Alta-RS Frank Abrahim Lima..................................Manaus-AM Manuel das Graças de Sousa................. Santarém-PA Antonio Zambretti....................................Cerquilho-SP Felismino A. Ferreira Neto.......................Planaltina-DF Líria T. Diersmann........................................ Estrela-RS Lourival Panico........................................Penápolis-SP Reinaldo Fernandes Pinto...........................Ibitinga-SP Raimundo Cordeiro de Freitas................... Russas-CE Rodrigo F. Guandalini.......................... Serra Negra-SP Guizzella Minini dos Santos.... Presidente Epitácio-SP Jorge Francisco R. Rosa................. Ribeirão Preto-SP Maria José Roma Barreto............................... Jales-SP Osvaldo Graciani................São José do Rio Preto-SP Gonçalo S. de Sousa Junior........................Teresina-PI Paulo Sérgio Matos..................................... Franca-SP Gerson Griffanti........................................... Sorriso-MT

set / out / 2009

DF OUTUBRO2009

12

16/11 17/11 18/11 20/11 20/11 20/11 21/11 21/11 22/11 23/11 23/11 25/11 25/11 25/11 26/11 27/11 28/11 29/11 29/11 29/11 30/11

Vadelma Pizzo.................................... Barra Bonita-SP Sulivan Telles da Costa....................... Porto Alegre-RS Jussara Undiciatti Roveri.......................Araraquara-SP Gislaine Dias Hiera.................................Canoinhas-SC Nilton Claudio C. Belsarema..................... Cajamar-SP Régis Luis Diersmann.................................. Estrela-RS Marilene L. V. Rodrigues........Carmo do Rio Claro-MG Nilson Soeiro Maia.............................Capitão Poço-PA Edna T. Tragant..............................................Bauru-SP Alessandra L. Garcia Lopes..................... Pompéia-SP Geraldo Batista Conti.................... Belo Horizonte-MG Antonio Edson Camargo......................Itapetininga-SP Aristides Domingos Espanholo.....................Bauru-SP Cristiano Leonardo Franceschetti.Novo Hamburgo-RS Ritsuo Sumihiro..........................................Taubaté-SP Joaquim de Oliveira Alves............... Rio de Janeiro-RJ Guilhermina S. Fernandes................................Lins-SP Antônio Edison Camargo Júnior..........Itapetininga-SP Antônio José Izatto............................................Jaú-SP Dulce C. C. do Nascimento......................Botucatu-SP Eunice Moares Burckarte.......................... Capivari-SP


Marketing por TOM COELHO

SINAIS DE DESMOTIVAÇÃO “As pessoas que vencem neste mundo são as que procuram as circunstâncias de que precisam e, quando não as encontram, as criam.”

(George Bernard Shaw)

O entardecer do domingo oferece uma sensação de angústia diante do início de mais uma semana de trabalho que se avizinha. Você logo imagina o desconforto de levantar-se cedo e encarar um pesado trânsito – ou transporte público lotado – até sua empresa, onde reencontrará colegas com os quais mantém um relacionamento superficial, caixa de entrada cheia e reuniões intermináveis que parecem não levar a ações concretas. Um almoço insípido, alguns telefonemas e uma eventual discussão podem completar uma rotina que se estenderá até a sexta-feira ou o sábado, quando finalmente a alegria se manifestará com uma pausa em suas atividades profissionais. Se você se identifica com o cenário acima é porque sinais de desmotivação bateram à sua porta. Você se sente desanimado com tudo, sem notar que “ânimus” representa o princípio espiritual da vida, do latim anima, ou o sopro de vida. Assim, estar desanimado é estar sem alma, sem espírito, sem vida... Basicamente, esta situação pode decorrer de um aspecto interno, a falta de entusiasmo, ou externo, a falta de reconhecimento. A perda de entusiasmo é um processo endógeno, ou seja, inerente a você. Ela parte de dentro para fora e pode ser consequência de diversos fatores. Primeiro, de um trabalho desalinhado com seus propósitos, em especial missão e visão. Se a sua atividade não guarda sinergia com os objetivos que você determina para seu futuro, é natural que gradualmente o interesse se desvaneça, porque você não enxerga sentido no que faz. Além disso, há que considerar a influência do ambiente de trabalho - coisas e pessoas. Uma infraestrutura inadequada, formada por equipamentos ultrapassados, que comprometem um bom desempenho profissional, associada a um clima de trabalho tenso em virtude de desarmonia com os colegas, certamente prejudicam seu estado emocional. Outra variante possível é o que denomino de “síndrome da cabeça no

teto”. Isso acontece quando mesmo dispondo de boa infraestrutura, clima organizacional favorável e atividade sintonizada com seus objetivos pessoais, a empresa mostra-se pequena para seu potencial. Neste contexto, você se sente maior do que a estrutura que lhe é oferecida e percebe que seu crescimento está ou ficará limitado. Todas estas circunstâncias conduzem a um crescente desestímulo. A apatia floresce, o desalento toma conta de seu ser e o entusiasmo se despede. E quando remetemos à raiz grega da palavra entusiasmo, que significa literalmente “ter Deus dentro de si”, compreendemos a importância de cultivá-lo para alcançar o sucesso pessoal e profissional. Já a falta de reconhecimento é uma vertente exógena, ou seja, dada de fora para dentro. Em maior ou menor grau, todas as pessoas precisam de doses de reconhecimento. Aqueles dotados de uma autoestima mais elevada conseguem saciar esta necessidade individualmente. Porém, em especial no mundo corporativo, espera-se que nossos pares, e mais ainda, os superiores hierárquicos, demonstrem reconhecimento por nossos feitos, seja como identificação ou por gratidão. Este reconhecimento pode vir travestido por um sorriso ou um abraço fraterno, congratulações públicas ou privadas, recompensa financeira ou promoção de cargo. Mas é fundamental que se demonstre, pois funciona como combustível a nos mover em direção a novas realizações, maior empenho e satisfação. Em regra, note que aplacar os sinais de desmotivação depende exclusivamente de você. Em princípio, esteja atento para identificar estes sinais. Em seguida, procure agir para combatê-los. Isso pode significar mudar ou melhorar o ambiente de trabalho, buscar relações mais amistosas com seus colegas, alterar sempre que possível sua rotina, perseguir novos desafios, estreitar o diálogo com seus supervisores. E, num extremo, até mesmo mudar de organização se preciso for, planejando sua saída com consciência e racionalidade.

jul a out/2009

DF OUTUBRO2009

13


patrocínio

funexpo2009 por SOLANGE SERAFIM

DF OUTUBRO2009

14


funexpo2009 Mais de 4 mil pessoas visitam a maior feira do Setor Funer´ario na América Latina A funexpo chega a sua 8ª edição com sucesso de público, excelentes palestras e bons negócios Mais de 4 mil pessoas visitaram o pavilhão da funexpo, no Mendes Convention Center - Santos-SP, entre os dias 04 e 06 de setembro de 2009. Diretores e agentes funerários vindos de todas as partes do Brasil aproveitaram o momento para confraternização, aprimoramento e troca de experiências, além da oportunidade de realizar bons negócios e conhecer as novidades oferecidas pelas indústrias e prestadores de serviços para o segmento. Ao contrário do que se temia, a gripe A (H1N1) não impediu as pessoas de participar do evento. A distância entre Santos e a capital paulista também não. Acreditase que algumas facilidades negociadas pelo CTAF ajudaram os Diretores Funerários no planejamento de suas participações, como o desconto de 25% nas passagens aéreas via TAM e os preços reduzidos das hospedagens em alguns hotéis. Os expositores também demonstraram maturidade e, sem exceção, investiram, apresentando novidades e oferecendo atrativos na negociação. Fatores que atraem o visitante e fortalecem o evento. Em 1520m2 de área, 50 empresas expuseram seus produtos. A expectativa de negócios realizados gira em torno de 6 a 8 milhões de Reais, mas o volume final de vendas ainda não está contabilizado. O Congresso Funerária Brasil, realizado junto com a funexpo, surpreendeu. A procura foi maior que a expectativa o que forçou a Organização a repetir as palestras, inicialmente programadas para uma única apresentação. Cerca de 700 pessoas assistiram as palestras “Comunicação e Vendas na Empresa Funerária”; “Agregando Valor ao Atendimento” e “Cerimonial.: Resgate dos Rituais Fúnebres”. A Feira também atraiu a mídia: TVs, rádios, jornais, sites e portais falaram sobre a funexpo2009. Texto: Solange Serafim - Imagens: Iran/Lígia - Vinagre Foto e Vídeo DF OUTUBRO2009

15

Todas as imagens da funexpo2009 estão disponíveis no portal www.funerarianet.com.br


patrocínio

funexpo2009 Grandes Parceiros com ótimas idéias Expositores tradicionais também inovaram e buscaram formas de atrair e fidelizar seus clientes. Acompanhando o crescimento do setor fornecedores do segmento procuram novas tecnologias, designers avançados, preços competitivos e produtos inusitados para oferecer ao mercado sempre ávido. Modial, Di Pace, Grupo Bruschetta, Funeart, Tanatus, Art Calhas, Gold System, Urnas Tanabi, Seguralta, Castiçais Araçatuba, Michigan Cards, Nebraska, CAS, Laidom, AI Crematórios, Metalúrgica São Thiago, Faurtil, Godoy Santos, Tanart, Ortopedia Campestra, Jacto, Castiçais Zambello, Engeaplic, Etérnia, AESPE, Catherine Hill e JoyMed são empresas tradicionais, que a cada Feira se consagram como parceiras e aliadas das funerárias. Em 2009 muitas destas empresas investiram no fortalecimento dos vínculos com os clientes e usaram ferramentas como sorteios, promoções e até festas fechadas, algumas fora do ambiente da Feira. Alcançaram sucesso e imprimiram suas marcas indeléveis na mente dos Diretores Funerários.

DF OUTUBRO2009

16


DF OUTUBRO2009

17


patrocínio

funexpo2009 Novos expositores e seus produtos inovadores A funexpo2009 contou com várias empresas que estrearam recentemente no segmento A Feira deste ano atraiu muito fornecedores novos. Eles vieram de todos os ramos: urnas, veículos, sistemas de informática, e outros. Como toda novidade, atraíram o público e a imprensa. Entre as principais atrações está o forno crematório com tecnologia nacional, produzido pela recém fundada Brucker, mas com a retaguarda da tradicional Inforgel, uma empresa brasileira que produz fornos e atende grandes empresas como a Embraer e a Petrobrás, por exemplo. O forno crematório tem todas as funcionalidades dos concorrentes e é compatível com as normais ambientais do CONAMA, com a vantagem do custo reduzido e a promessa da assistência técnica bem mais próxima e portanto mais rápida. O prazo de entrega dos fornos é de 60 a 90 dias e a empresa também fabrica fornos crematórios para animais. Outro lançamento que movimentou a feira foi a Urna Ecológica, fabricada pela Ecoíme - uma divisão da Sulamericana Industrial, tradicional fábrica de papel que está há mais de 50 anos no mercado e emprega 300 colaboradores. A Urna de papelão é uma nova aposta da Ecoime, que se surpreendeu com o mercado e com a própria Funexpo. Leve, resistente, com apelo ecológico e com preço reduzido promete ser uma alternativa sustentável nesse novo milênio. A urna é feita de papelão resistente, suporta até 150 Kg. O acabamento é feito com vernizes e polímeros a base de água e acessórios feitos em plástico biodegradável (NPP). “Nós nos surpreendemos com a Feira. Para a Ecoime foi excelente”, revela o Sr. Vicente Muniz. As empresas de transformação de veículos também se superaram: a Elmaz, concessionária VW, lançou a nova Saveiro Funerária, com acabamento sofisticado e detalhes como o teto “sky window” (de vidro). A SAMB caprichou no acabamento “luxo” da Montana Funerária. Da Vinci Montadora, pela primeira vez na Funexpo, apresentou seus carros de acabamento impecável e visual sofisticado e moderno. A Engesig, mostrou um Peugeot funerário e a Pic up & Cia e Pelican modelos adaptados de várias marcas. A vedete da Feira, no entanto, foi o Funeral Car Deluxe, um luxuoso carro funerário, adaptado pela Procópio Limousines, também pela primeira vez na funexpo. A empresa adaptou um Chrysler 300C, alongando-o a partir da porta traseira em 1,60m e investindo em acabamento e acessórios luxuosos. O carro, de propriedade do Grupo Bom Pastor - sede DF OUTUBRO2009

18


avulso

DF OUTUBRO2009

19


patrocínio

funexpo2009 em Limeira-SP e atuação em 22 cidades da região - tem capacidade para 5 acompanhantes e mais a urna. Após a transformação sua extensão é de 7,20m. Só a transformação custa cifras de 3 dígitos, some-se aí o preço do carro original e teremos um investimento importante, mas o resultado é de deslumbrar. Só para registrar, extraoficialmente, pelo menos 5 pedidos foram feitos na Feira. Até empresa especializada em arquitetura se apresentou na funexpo. A Retak Arquitetura, ofereceu projetos para velórios, cemitérios, tanatórios, clínicas e empresas funerárias. Tudo funcional, com conceito, harmonioso e profissional, bem ao encontro do que desejam as novas empresas funerárias brasileiras. A Centercob, empresa de serviço de cobrança autorizada na conta de luz de qualquer concessionária, também esteve pela primeira vez na Feira. A idéia é oferecer conforto para usuários e segurança para as empresas funerárias, possibilitando redução da inadimplência. E quem diria que uma empresa que comercializa impressoras para cartões em PVC faria sucesso numa Feira Funerária. Pois é, a Globcard inovou e gostou muito dos resultados. Longer, comerciante chinesa de urnas funerárias de alto padrão, e Urnas Espírito Santo foram as estreantes em seu segmento. Espírito Santo apostou no relacionamento com o cliente e investiu num stand ilha, no meio do pavilhão, atraindo muitos visitantes para seus produtos. A Longer estava conhecendo o setor, e se surpreendeu com o potencial. No ramo de informática novos e antigos fornecedores mostraram inovações e soluções integradas. Simbolus, Gold System, NP Informática e MS Consultoria e Sistemas fizeram bons negócios.

DF OUTUBRO2009

20


set/out/2009

DF OUTUBRO2009

21


patrocínio

funexpo2009 CTAF recebeu clientes em stand exclusivo Sindicatos e representantes da categoria também marcaram presença na Feira A funexpo é organizada, desde sua segunda edição (1997) pelo CTAF - Centro de Tecnologia em Administração Funerária. Em 2009, pela primeira vez, a empresa, que atende clientes em todo o país e até em Portugal e Angola, investiu num espaço especial para receber seus parceiros. No stand, movimentado, estavam os consultores - docentes de cursos oferecidos pelo CTAF, o portal www.espacoviver, que disponibiliza um produto específico para o segmento: o Cadastro Nacional de Falecidos, e toda a equipe do CTAF. Entidades: ABREDIF - Associação Brasileira de Empresas e Diretores Funerários, SEFESP - Sindicato das Empresas Funerárias do Estado de São Paulo, SINDINEF - Sindicato das Empresas Funerárias do Estado de Minas Gerais, marcaram presença na Funexpo com seus stands.

fev/09 a jan/10

DF OUTUBRO2009

22


out/2009 a mar/2010

DF OUTUBRO2009

23


patrocínio

funexpo2009 O Sindicato de Minas organizou uma excursão, que permitiu que um grupo de diretores funerários daquele estado pudesse visitar a Feira com tranquilidade. A Feira recebeu também representantes de vários Sindicatos e associações. Entre eles o Sindicato das Empresas Funerárias do Estado do Ceará, dos Funcionários de Empresas Funerárias de Minas Gerais, das Empresas Funerárias do Rio Grande do Sul e também de Manaus.

SINAF é novamente patrocinadora oficial da funexpo Empresa recebeu diretores funerários num stand animado e além de confraternização discutiu assuntos sérios para o futuro do setor Em 2009 a funexpo contou com o patrocínio exclusivo da SINAF Seguros, uma empresa do Rio de Janeiro, controlada por uma holding familiar, que gera 390 empregos diretos. Em sua fundação, há 27 anos, vendia Planos Assistenciais Funerários (antes mesmo disto ser um produto formatado) mai/2009 a out/2009

DF OUTUBRO2009

24


TUDO SEGURO? A FUNSEG é hoje a principal corretora de seguros do setor funerário. Possui uma história construída ao longo de vários anos de parceria sólida com as entidades e empresas do setor. Entre os produtos da FUNSEG, destacam-se: RAMO VIDA: Vida Empresa; Plano assistencial; Acidentes pessoais; Decessos; Prestamista; Previdência privada. RAMO ELEMENTARES: Automóvel (inclusive cortejo e ambulância); Caminhão; Residencial; Comércio e Serviços; Moto (Mapfre 2 rodas).

SOLICITE AGORA MESMO UMA COTAÇÃO

(14)

3815.4057 • (11) 3050.0516

e-mail: funseg@ctaf.com.br

DF OUTUBRO2009

25


patrocínio

funexpo2009 e hoje comercializa seguros na forma de pacotes para a proteção de toda a família. Dirigida pelo empresário Pedro Bulcão, a SINAF, recebeu Diretores Funerários num stand animado, montado bem no centro da Feira. Além da confraternização a Seguradora trouxe também informações estratégicas para o setor. Numa reunião fechada, somente para Diretores Funerários, SINAF, ABREDIF e SEFESP expuseram a tramitação da regulamentação do MICROSSEGURO e Assemelhados (muitos entendem que entre os assemelhados está o Plano Assistencial Funerário) e as conseqüências que essa possível regulamentação pode trazer para o setor funerário nacional (veja matéria nas páginas da ABREDIF e SEFESP).

jun a out/2009

DF OUTUBRO2009

26


Hagáteixeira

indeterminado

www.tanatus.com.br

Carrinho elétrico para elevação de urnas. A Bateria.

PROMOÇÃO PRAS GRUPO DE COM te consul

Pioneirismo Científico em Tanatopraxia DF OUTUBRO2009

27


patrocínio

funeráriaBRASIL

CONGRESSO NACIONAL DE DIRETORES DO SETOR FUNERÁRIO

Teoria e Prática nas palestras do Congresso Funerária Brasil O sucesso das palestras do Congresso Funerária Brasil 2009 pode ser creditado ao novo formato, que privilegiou as experiências de sucesso dentro do setor funerário. Para acomodar todos os interessados o CTAF precisou repetir as principais palestras. Cerca de 700 pessoas assistiram cada uma delas. A dinâmica proposta parece ter alcançado a expectativa do público. Foi apresentada uma palestra com os consultores do CTAF, e em seguida empresas funerárias brasileiras, convidadas, gentilmente repartiram suas experiências com a platéia, mostrando indeterminado

DF OUTUBRO2009

28


ago/out/dez/2009

CAPELAS EM PROMOÇÃO

DF OUTUBRO2009

29


patrocínio

funeráriaBRASIL

CONGRESSO NACIONAL DE DIRETORES DO SETOR FUNERÁRIO

que a teoria pode sim ser aplicada na prática - às vezes com alguns percalços e sobretudo com muito empenho. Reginaldo Czezacki, diretor e sócio proprietário do Prever Paraná (Santa Catarina e Rio Grande do Sul com a Funerária Angelus), e Albírio Gonçalves, gestor Executivo do Grupo Vila (Natal-RN, Paraíba e Pernambuco) falaram sobre comunicação e mostraram exemplos bem sucedidos da difícil tarefa de comunicar metas e filosofias da empresa para grupos de mais de 800 colaboradores em unidades de negócios diversas, espalhadas por várias cidades, inclusive de Estados diferentes. Também mostraram campanhas de divulgação de Planos Funerários para a grande massa. Humor, irreverência e muuuita criatividade são armas recorrentes. Ambos os grupos, líderes e referencia em seus negócios, foram taxativos ao afirmar que a transparência deve ser o principal ingrediente das campanhas. “Nosso produto é legítimo”, temos que divulga-lo e vendê-lo com orgulho e seriedade”, afirmaram. Munidos de relatórios gerenciais Czezacki e Albírio, explicaram que o cliente que sabe o que está comprando é um cliente bom. Fiel e adimplente. As apresentações só confirmaram os ensinamentos de Luis Quijada, consultor do CTAF e docente do Curso Vendas de Planos Funerários. “Nós não vendemos nada mais ou menos como ... Nós vendemos um produto específico e importante para a sociedade “Plano Funerário”, enfatiza. Célia Querido, Assistente Social, atualmente na Organização Terra Branca, de Bauru-SP, e membro atuante do GRESSOF - Grupo de Estudos do Serviço Social na Empresa Funerária, falou sobre a importância da atuação do Serviço Social nas empresas funerárias. Mostrou a gama de opções que podem ser implementadas e ressaltou os resultados positivos diante dos clientes e até dos colaboradores. Elen Graziela Conezza, Assistente Social do Prever Luto Paulista - Jaú-SP - reforçou o tema e mostrou as ações da empresa, contabilizando números e a satisfação dos clientes. Em Jáu várias datas são lembradas e comemoradas junto à comunidade: Dia da Secretária, Dia da Mulher, Dia do Idoso, Dia das Crianças. Cada uma merece um evento especial, contou Elen.

DF OUTUBRO2009

30


Susana Fidelis, da Seewald Troian - de São LeopoldoRS, mostrou a experiência da empresa no atendimento ao enlutado e falou sobre o valor agregado que a ação traz ao produto. Emocionou os presentes com sua exposição simples e apaixonada. As três apresentações só reforçaram os ensinamentos da palestra “Agregando Valor ao Atendimento”, com João Carlos Simões, consultor do CTAF e docente do curso Excelência no Atendimento. Simões explicou que atitudes simples por parte do empregador e também dos colaboradores podem mudar definitivamente a imagem da empresa perante seus clientes. Após os investimentos em estruturas físicas, as empresas funerárias do país voltam-se para o resgate das cerimônias fúnebres. Nesta linha destacam-se o Grupo Nobre - Fortaleza-CE e a Pax Nacional Campo Grande-MS, com cerimoniais especiais, diferenciados e de bom gosto. Ambas as empresas dividiram suas experiências com o público da funexpo2009. D. Iracema Nobre - Diretora Funerária, também presidente do Sindicato das Empresas Funerárias de Fortaleza - e Mônica Cruz- gerente de cerimonial do Grupo explicaram que nem tudo são flores. “Tivemos alguns percalços. Ficamos até com vontade de desistir, mas valeu a pena perseverar, porque os resultados são ótimos”, contou D. Iracema sobre o início dos cerimoniais no Grupo Nobre. Para ela o grande segredo do sucesso é o compromisso dos envolvidos - de colaboradores a fornecedores - e a presença de uma pessoa criteriosa e exigente no comando das ações. Sr. Artur de Carli, Diretor Executivo, e Nilma Ribeiro Cardoso, Diretora Presidente da Pax Nacional, também ressaltaram o comprometimento das pessoas envolvidas. Artur destacou ainda, a importância dos detalhes: os uniformes, a qualidade da música a atenção às minúcias. A palestra “Cerimonial - Resgate dos Rituais Fúnebres” foi ministrada por Vital Walter de O. Filho, consultor do CTAF e docente do curso Cerimonial: Celebração da Vida. O público ainda pode prestigiar as palestras: Crematórios - Trâmites para obtenção de licenças ambientais, com Paulo Simões Jr., da Resi Consultoria e Projetos de Engenharia e Meio Ambiente e Trâmites para traslado aéreo em Território Nacional, com a equipe da Tam Cargo. As palestras foram gratuitas.

DF OUTUBRO2009

31


VEÍCULOS

Funeral Shopping

BESTA AMBULÂNCIA

MICRO ONIBUS Marcopolo

FIAT DOBLÔ CARGO

AMBULÂNCIA DUCATO

Ano 2001 - reformada (Camargo veículos); Maca dobrável retrátil e banco para acompanhante, motor com 6000 km e pneus meia vida. Valor: a combinar Contato: Panico (14) 3263-1373 - funepanico@hotmail.com

Ano 2004, Modelo Volare - Diesel - Cinza; Capacidade para 19 passageiros; Lindo; Valor: a combinar Contato: Wilson (14) 9784-2165

04/04 - Simples Remoção - único dono; Maca retrátil - revisões em concessionária; Valor: a combinar Contato: Lucimeire ou Túlio (32) 3372.2731

Ano 2002 - motor 1.3 fire Cinza - Gasolina Valor: R$ 25.000,00 Contato: Silvia (11) 4666-2315

PEUGEOT BOXER

CHEVROLET S10

Ano 2004 - Branca - Diesel - Lugar para 5 urnas e espaço para 5 acompanhantes; Valor: a combinar Contato: Jefferson (13) 3821.1540 • 9783.2180

Ano 1997 - Branca - Gasolina Valor: R$ 28.500,00; Contato: Félix (35) 3441-4069 - 3441-1988 DF OUTUBRO2009

32


VEÍCULO ELÉTRICO JACTO

2004, Modelo VPX-06, Prata - com capota e pára-brisa; Valor: a combinar Contato: Priscila (14) 3405-3037 vendas.ve@jacto.com.br

FORD ROYALE 1.8GL

Ano 95/95 - Azul - funerária - 180 mil km; único dono, com ar, dh, vidros e portas elétricas; Limpador traseiro, mesa inox, aprov. 3º banco; Valor: R$ 10.800,00 Contato: Brinati (19) 3463-5151

RENAULT MASTER

Ano 2004- Diesel - IMPECÁVEL; 40.000 km original Valor: R$ 55.000,00 Contato: Cobrinha

(19) 3633-1530

STRADA FIRE

Ano: 2005 Gasolina; Branca; Valor: a combinar Contato: Jefferson (13) 3821-1540 - 9783-2180

SANTANA QUANTUM Ano 96 - Cinza; Gasolina - linda Valor: a combinar Contato: Jefferson (13) 3821-1540 - 9783-2180

FIAT DOBLÔ

Ano 2002; Modelo Cargo; LINDA; Valor: R$ 22.000,00 Contato: Fabiano

(18) 9133-7600 DF OUTUBRO2009

33


VEÍCULOS

Funeral Shopping

KIA BESTA

Furgão - Ano 2000 / 2000; Direção Hidráulica; Muito conservada Valor: A combinar Contato: Wilson: (18) 3821.2424 - 9795.0070 Junior: (18) 3851.1824 - 9795.0088

CHEVROLET BLAZER Ano 2000/2000 - 13.000km Valor: R$ 19.000,00 Contato: Josias

(18) 9114-9931

CHEVROLET BLAZER 2.2

CHEVROLET BLAZER STD

FIAT DOBLÔ

KOMBI FURGÃO

Ano 98/98 - 2.2 MPFI - Preta - Gasolina com conversor para álcool; Ar condicionado; D.H. giroflex - preparada para funeral; conservada; Valor: R$ 23.000,00 Contato: Valdemir: (18) 2101.5555 ramais 5551 ou 5574

Ano 2000; completa; prata; álcool; Direção Hidráulica; Trava elétrica, Ar, Rodas de liga leve; 95000 km; Valor: a combinar Contato: (14) 3282-.292 - 9771.0592

Ano 2004/2005 - Simples remoção Valor: R$ 28.000,00; Contato: Silvia (11) 4666-2315

Ano 2003 - 90.000 km - único dono; Valor: a combinar Contato: Daniel (24) 8802-0138 DF OUTUBRO2009

34


JOSUEL DE JESUS F. MARTINS 14 anos de experiência na área; Disponível para qualquer região do país; Salário: a combinar; Contato: (19) 3863-2555 • 9219-2802

GERENTE FUNERÁRIO

AGENTE FUNERÁRIO

EVEMIR EDUARDO DOS SANTOS 31 anos de idade; 5 anos de experiência no setor; Atua com preparação de corpos, ornamentação e como motorista; Contato: (11) 2240-0021 • 8870-6944

GERENTE FUNERÁRIO

JUNIO CÉSAR CAMPANHOLO Vasta Experiência em Atendimento ao público; Gerenciamento e administração funerária; Conhecimento geral em práticas de serviços funerários. Contato: (17) 3325-2236 - (17) 9721-5463

ANDERSON FRANCISCO 9 anos de experiência com implantação e administração de Planos de Assistência; Experiência em treinamento nas áreas de pós venda, cobrança, atendimento ao cliente e telemarketing; Disponível para qualquer região do país; Contato: (38) 9978-2750 andercrisfe@yahoo.com.br

CONSULTOR FUNERÁRIO CARLOS EDUARDO MASS; 06 anos de experiência, habilitação cat. B Disponível para a região de Porto Alegre. Contato: (54) 8412-3889

GERENTE DE CEMITÉRIO

REPRESENTANTE COMERCIAL

35 anos ,vasta experiência como Gerente Administrativo Financeiro; Conhecimento das principais atividades de necrópoles; Experiência em velórios, exumação, inumação, remoção; Disponível para região de São Paulo-SP Salário a combinar Contato: (13) 3028-5230 / 9703-4630 e-mail: pires-machado@ig.com.br

CELSO DOS SANTOS; Procura por indústria de Urnas para atender na região Centro-Oeste. Experiência de 8 anos no ramo de vendas; Habilidade em negociação, fechamento de negócios e atendimento ao cliente; Localizado em Cuiabá-MT; Disponibilidade para viagens com carro próprio; Inscrito na Junta Comercial de Mato Grosso. Contato: (65) 3641-9092 • 9224.2738 celsodsantos@yahoo.com.br

VENDO CEMITÉRIO EM MAUÁ

TRANSFIRO CONCESSÃO

CEMITÉRIO COLINA DAS AROEIRAS Na alça do anel rodoviário (trecho Sul); Trav. da Av. Papa João XXIII; 40.000m2, com 9.350 jazigos com 4 gavetas; Documentação técnica e propriedade aprovadas, inclusive Funerária; Não inaugurado, com canalização, água, luz e outros. Valor: a combinar Contato: Nicolae (11) 3222-3244 e-mail: nicolaeg@globo.com DF OUTUBRO2009

Transfiro contrato de concessão de serviços funerários para empresa idônea do ramo; Local: Litoral Norte do Estado de São Paulo; Prazo de concessão: 10 anos, renováveis; Valor: R$ 200 mil à vista + R$ 250 mil a combinar = R$ 450 mil. Contato: Sra. Patrícia (12) 8187-0002 35

EMPRESAS

COMPRO Celso Bracalente - Valinhos-SP Contato: (19) 3869-1900 - 7807-3871 Nextel: ID 89*6367 ou celsobraca@linkbr.com.br

PROFISSIONAIS

AGENTE FUNERÁRIO

CARRETA FUNERÁRIA


PROFISSIONAIS

Funeral Shopping TANATOPRAXISTA E AGENTE FUNERÁRIO

AGENTE FUNERÁRIO

JOÃO OLÍMPIO RIBEIRO FILHO 44 anos de idade; 05 anos de experiência como agente funerário; 20 anos como motorista; Experência com ornamentação e serviços funerários em geral. Disponível para a região de Goiás/ Brasília; Contato: (62) 9101-3743 ou (62) 9241-4899

CRISTIANO C. MELO 13 anos de experiência na área; Tanatopraxia, Reconstituição Facial, ornamentação, necromaquiagem e embalsamamento; Gerenciamento de funerária Conforme proposta, disponível para qualquer região do país. Salario: a combinar Contato: (22) 9988-9432 ou 9988-9134 e-mail: mictmr_mictmr@yahoo.com.br

AGENTE FUNERÁRIO

JEAN SANTOS; 23 anos de idade - 5 anos de experiência como agente; Conhecimento das principais cidades do Paraná. Disponível para região de Ponta Grossa/Curitiba; Contato: (42) 8834-0454 jeandalsantos@hotmail.com

AGENTE FUNERÁRIO

FERNANDO DE OLIVEIRA CARVALHO 28 anos; 5 anos de experiência comprovadas, com referência; Faço Suturas, tamponamento, drenagem, ornamentação de urnas, coroas, enfeites florais; Disponível para qualquer região - início imediato; Contato: (19) 9693-9708 • 9273-2331

NOTA: Os anúncios aqui veiculados são de responsabilidade de seus anunciantes, estando a Revista Diretor Funerário isenta de qualquer responsabilidade.

avulso

DF OUTUBRO2009

36


DF OUTUBRO2009

37


DF OUTUBRO2009

38

Revista Diretor Funerario  

Publicacao mensal do CTAF para o setor funerario. Nesta edição a cobertura da FUNEXPO2009, maior feira do setor na America Latina

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you