Page 1

CAMPANHA SALARIAL: NÃO HÁ O QUE COMEMORAR! Mais uma vez a categoria têxtil de Blumenau foi derrotada pela patronal com a ajuda da diretoria do SINTRAFITE. Outros sindicatos têxteis fecharam acordo com 8% de aumento sem fazer nenhuma mobilização, e aqui foi 7,5% depois de uma operação tartaruga. E este 7,5 foi uma mediação do judiciário. A consequência final foi o aumento abaixo do esperado. A diretoria não teve nem a vergonha de mentir nos informativos, que passavam a impressão de que a categoria estava intensamente mobilizada, e todos sabíamos que era mentira! Bastava ver quantos trabalhadores participavam das poucas assembléias que aconteceram. O fato é que uma campanha salarial bem feita começa já no final da anterior: é um ano de preparação! Neste ano, a diretoria só se mexeu depois que o patronal antecipou a inflação de 6,07%, iniciando tardiamente a operação tartaruga. Depois, a diretoria não intensificou a luta, e deixou, propositalmente, a operação tartaruga morrer: isso trouxe desânimo para quem participou da mobilização! Ainda por cima, para acabar de vez, cobrarão a “taxa negocial” que nem sabemos para onde vai esse dinheiro! E a UGT (a central a qual o Como a diretoria é traidora, fomos SINTRAFITE é filiado)? E a derrotados em bandeiras como creche, INTERSINDICAL (que estava contra o assédio sexual e moral dentro em Blumenau para ajudar das fábricas, melhorias das condições de na campanha salarial)? trabalho, e principalmente a questão Afinal, o que elas fizeram salarial. Para se ter uma ideia, nas para nos ajudar? NADA! reuniões da comissão de negociação houveram membros da diretoria que defenderam que se aceitasse apenas 7% de reajuste. Isso numa realidade em que é comum ver trabalhadores têxteis tendo que trabalharem em dois empregos para poderem sobreviver com o mínimo de condições de vida!


O QUE QUEREMOS? REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO SEM REDUÇÃO DE SALÁRIO OU BANCO DE HORAS (SÁBADO LIVRE) A direção do sindicato tem feito muito alarde em relação ao sábado livre. Queremos perguntar: mas será que o sábado livre é realmente vantajoso para os trabalhadores? Ou só atende os interesses dos patrões? Por que os próprios patrões têm demonstrado interesse em implantar o sábado livre? A própria forma com que a diretoria do sindicato apresenta a proposta para os trabalhadores já é estranha, pois primeiro a presidenta Vivian negocia com os patrões a portas fechadas, e depois de tudo acertado a proposta é levada para os trabalhadores aprovarem. E tudo isso vai para um contrato anual que não tem garantia que vai continuar. Há uma reivindicação antiga de toda a classe trabalhadora que é “REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO SEM A REDUÇÃO SALARIAL”: isso é uma bandeira das centrais sindicais do mundo todo. Mas isso é diferente do que a diretoria do SINTRAFITE está fazendo com o “sábado livre”. O “sábado livre” significa que durante a semana nós trabalhamos mais horas, e somos dispensados no sábado: isso mais se parece com um banco de horas, do que com diminuição da jornada de trabalho! Nossa luta deve ser por não trabalhar aos sábados e não repor este trabalho durante semana, e tudo isso sem redução salarial. Esta é a luta! E deve ser bandeira de um acordo coletivo de trabalho, abrangendo toda a categoria têxtil, e não apenas em algumas fábricas. E mais: o sindicato precisa participar da campanha nacional que luta pela Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 231/95, que está tramitando no congresso nacional pressionar o governo Dilma para aprová-la. Esta PEC reduz a jornada de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial.


25/11: DIA DE LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA À MULHER O governo Dilma fala que está combatendo a violência machista. No entanto, dados recentemente divulgados na mídia mostram que no ano de 2012 o número de estupros registrados foi maior que o número de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar). E o que é pior: em SC a média de estupros é o dobro da média nacional, com 45,8 casos por 100 mil habitantes. Estatísticas também mostram que lei Maria da Penha não diminuiu em nada a violência, pois LULA e Dilma não repassam verbas suficientes para a aplicação da lei: preferem pagar os banqueiros estrangeiros e as obras superfaturadas da copa. E por que Dilma, sendo mulher, não resolve esta situação? Porque não basta ser mulher, é preciso romper com os patrões e estar na luta com as trabalhadoras. A mesma coisa acontece no * por 100 mil habitantes SINTRAFITE: a presidenta Vivian, por ser aliada dos patrões, não organiza nem sequer as lutas específicas das operárias têxteis, quanto mais a luta contra a violência machista! Só para termos uma idéia, o tema do encontro do grupo de mulheres do SINTRAFITE em outubro foi “cuidados com a saúde e pele no verão”. Sindicato não é prá isso, sindicato é prá lutar!

ENCONTRO DE MULHERES Em outubro o Movimento Mulheres em Luta, ligado a Central Sindical e Popular CONLUTAS, realizou um encontro com mais de 2.300 mulheres tendo como principal resultado o início de uma campanha contra a violência às mulheres. A campanha vai, através da luta, exigir do governo, dos patrões e do Estado medidas pelo fim da violência às trabalhadoras, em cinco questões: violência sexual (luta contra estupros), violência doméstica (reivindicando a aplicação e ampliação da Lei Maria da Penha), vida nas cidades (destacando o tema dos transportes), relações de trabalho (contra os assédios moral e sexual) e violência do Estado. Veja mais no Blog:


O PT TAMBÉM PRIVATIZA, PREJUDICANDO OS TRABALHADORES! Todos nós lembramos que Lula e Dilma diziam que eram contra as privatizações, e criticavam FHC, Serra e Alckmin por privatizarem. Pois bem, agora o governo do PT fez a maior privatização da história do Brasil: o campo de Libra, com o melhor petróleo já encontrado aqui! O Campo todo vale cerca de 3 trilhões de dólares, mas foi vendido por apenas 15 bilhões. E 60% ficaram com empresas estrangeiras, e apenas 40% com a brasileira Petrobras, que por sua vez também tem muitos acionistas/sócios estrangeiros. Ou seja, deram um presente para os grandes empresários e banqueiros mundiais. O PT é igualzinho ao PSDB, ao DEM, etc. E é igual em tudo: nas privatizações, na corrupção, na repressão contra as lutas dos trabalhadores. Tudo! Enquanto isso, o povo paga uma grana enorme pela gasolina: há países que não produzem petróleo e o preço na bomba é mais barato do que aqui. Outra mentira do governo é que investirão o dinheiro do petróleo na educação. Ora, todos os royalties do petróleo não passam de 0,6% da renda nacional, e a educação precisa de 10% de toda a riqueza nacional. Vai continuar faltando verba para dar aumento aos professores, mas as multinacionais do petróleo estão felizes! Por isso é que nós trabalhadores têxteis precisamos seguir o exemplo de outras categorias (professores, carteiros, bancários, petroleiros) e nos organizarmos para a luta: temos que participar do sindicato, fazer abaixo-assinados com as nossas reivindicações (um bom exemplo foi a luta pela melhoria da alimentação da Hering),disputar a CIPA da fábrica, participar do nosso grupo LINHA OPERÁRIA de oposição para termos uma diretoria democrática e combativa no SINTRAFITE, enfim, precisamos LUTAR!! Procure-nos pelo telefone e venha para o nosso grupo!

Linha Operária Nº 10  
Advertisement