Issuu on Google+

RELATÓRIO ANUAL 2010 / COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL

SUMÁRIO 01. Mensagem da Administração 04 02. Destaques 06 03. Linha do Tempo 08 04. Perfil da Empresa 24 05. Desempenho Operacional 30 06. Desempenho Financeiro 46 07. Perspectivas, Estratégias e Investimentos 56 08. Governança Coporativa 60 09. Inovação 70 10. Recursos Humanos 74 11. Responsabilidade Ambiental 82 12. Responsabilidade Social 88

RELATÓRIO ANUAL

Acesse também nosso Relatório pelo site

capa_CSN_prelo_black_orelha.indd 1

20/05/11 19:42


Mais do que um anuário com os feitos da Companhia Siderúrgica Nacional em 2010, este Relatório Anual se propõe a ser uma fonte de informação alinhada com as tendências modernas de comunicação empresarial. E consegue, com galhardia. Em suas 96 páginas, textos, imagens e gráficos se unem para oferecer ao leitor uma análise contextualizada do que de mais importante e curioso se passava no Brasil e no mundo enquanto a CSN se transformava na empresa integrada e rentável de hoje. E, em mais uma demonstração de pioneirismo, a empresa aposta em novas mídias e apresenta este relatório em forma de aplicativo para iPad, além dos já tradicionais livro impresso e versão digital em pen drive. Porque assim é a Companhia, desde a sua criação, há 70 anos, e principalmente a partir de sua privatização: inovadora e vencedora. Boa leitura.

02

00_introducao.indd 3

03

20/05/11 15:22


O1

MENSAGEM DA

ADMINISTRAÇÃO

Lingotamento na Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda (RJ)

01_mensagem_adm.indd 4

20/05/11 15:24


A CSN chega aos 70 anos com orgulho do passado, certa do presente e confiante no futuro. Nascida do sonho dos visionários dos anos 40, esta empresa pavimentou a estrada do desenvolvimento brasileiro e galgou mercados além das fronteiras do nosso país. Levamos o verde e amarelo para os grandes mercados, a partir de Portugal, na Europa, e dos Estados Unidos, na América do Norte. Somos sinônimo de competência, competitividade e resultados. O olhar atento sobre os feitos de 2010 atesta que estamos na direção certa. Com orientação estratégica voltada para a excelência operacional e integração, apresentamos robustos resultados financeiros e operacionais. O faturamento recorde de R$ 14,5 bilhões e o lucro bruto de R$ 6,8 bilhões, 71% acima do verificado no ano anterior, são números expressivos do nosso resultado em 2010. Mesmo com o reconhecimento de que, em 2010, o forte crescimento dos países emergentes contribuiu para a recuperação da economia mundial, os resultados apurados na Companhia comprovam a eficiência da administração desta empresa. A partir de 1993, vivemos a metamorfose de usina semifalimentar em Volta Redonda (RJ) em uma corporação lucrativa com ativos em siderurgia, mineração, energia, logística e cimento. São várias leituras possíveis para explicar a transformação. Dentre todas que se faça, aquela que traduz de maneira mais enfática a surpreendente caminhada é a referente aos nossos recursos humanos. A nossa gente. Homens e mulheres que alimentam, com inspiração e transpiração, o universo CSN, onde quer que seja. Na mineração, por exemplo, a CSN e a Namisa totalizaram, em termos de produção, 32,8 milhões de toneladas. Estamos prontos para o crescimento planejado, aumentando cada vez mais a importância da atividade mineradora na CSN. A capacidade da mina de Casa de Pedra atingirá 70 milhões de toneladas nos próximos anos, enquanto na Namisa o projeto chegará a 39 milhões de toneladas. Os projetos de concentração e pelotização também completarão a capacidade total. Na siderurgia, nossa origem, aumentamos em 15% a produção de laminados e estamos preparados para atender à forte demanda do segmento de construção civil, com um portfólio mais completo, com produtos diversificados e inovadores. Com um sistema integrado de produção, a Companhia domina toda a cadeia produtiva do aço. Esse posicionamento nos garantiu um lugar entre as empresas mais competitivas e rentáveis do mundo. Condição que nos encoraja para os novos desafios, como na CSN Cimentos, onde a produção triplicou, viabilizando um portfólio completo para atender ao mercado interno da construção civil. Setor de fundamental importância num Brasil que, em 2010, se destacou com o crescimento do PIB de 7,5%, sustentado pelo forte consumo interno, em função do aumento do emprego, da renda e da oferta de crédito. O ano foi, ainda, de grandes investimentos, que totalizaram R$ 3,6 bilhões. Estamos entre as empresas que mais investem no país. Prova do nosso compromisso com o desenvolvimento do Brasil. O projeto da Transnordestina recebeu o maior volume desses investimentos e hoje emprega mais de 12 mil trabalhadores. Além dos projetos de crescimento orgânico, suportados por uma confortável situação corrente de caixa, continuamos atentos às oportunidades de aquisição e aliança estratégica em todos os segmentos em que atuamos. O ano de 2011 simboliza muito mais do que o aniversário de 70 anos da CSN. Marca, com emoção e orgulho, a nossa determinação de – como fazemos desde aqueles sonhadores dos anos 40 – continuar construindo o futuro do Brasil. Boa leitura.

Benjamin Steinbruch Presidente do Conselho de Administração

04

01_mensagem_adm.indd 5

05

20/05/11 15:24


O2 DESTAQUES DE

2010

006_007_port.indd 6

21/05/11 12:26


 receita líquida de R$ 14,5 bilhões do ano de 2010 é recorde A da Companhia, 32% superior à receita líquida do ano anterior.  margem bruta do ano de 2010 alcançou 47%, um crescimento A de 11 pontos percentuais sobre a margem bruta de 2009.  lucro bruto em 2010 atingiu R$ 6,8 bilhões, 71% superior ao O lucro bruto de 2009.  EBITDA ajustado do ano de 2010 atingiu R$ 6,4 bilhões, um O crescimento de 76% em relação ao EBITDA ajustado de 2009.  margem EBITDA ajustada do ano de 2010 chegou a 44%, sendo 11 A pontos percentuais maior que a margem EBITDA ajustada de 2009.  s receitas de mineração atingiram o recorde de R$ 3,6 bilhões A no ano de 2010, um crescimento de 84% em relação a 2009.  s vendas de minério de ferro em 2010 atingiram 25,3 milhões de A toneladas, recorde da Companhia, correspondendo a um crescimento de 13% em relação ao volume comercializado em 2009.  o ano de 2010, o volume consolidado de produtos siderúrgicos N comercializado pela CSN no mercado interno, onde historicamente as margens são mais elevadas, representou 86% das vendas totais.  s investimentos realizados pela Companhia em 2010 totalizaram O R$ 3,6 bilhões.  m dezembro de 2010, a relação dívida líquida/EBITDA ajustado E de 1,55x caiu 0,19x em relação ao fim de 2009. A CSN é uma empresa altamente líquida, com R$ 10,2 bilhões em caixa.

06

006_007_port.indd 7

07

21/05/11 12:26


O3

LINHA DO

TEMPO

008_009_port.indd 8

20/05/11 17:42


Para saber mais sobre a hist贸ria da CSN tire uma foto deste QRCode com seu celular.

08

008_009_port.indd 9

09

20/05/11 17:42


LINHA DO TEMPO

I940-I949 Estados Unidos entram na Segunda Guerra após o ataque de Pearl Harbor, em 7 de dezembro

Hollywood invade o Brasil, assim como a Coca-Cola e uma quantidade imensurável de produtos norte-americanos

A peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, estreia no Teatro Municipal do Rio de Janeiro

1941 1940 Charles Chaplin estreia O Grande Ditador Carmen Miranda retorna para os Estados Unidos e vira ícone mundial

Faltava pouco para o nascimento da Companhia Siderúrgica Nacional.

010_011_port.indd 10

Getúlio Vargas assina, em 30 de janeiro, o decreto-lei que determina a criação da Companhia Siderúrgica Nacional. Em 9 de abril, a primeira Assembleia Geral de criação da CSN é realizada. O capital inicial seria de 500 mil contos.

No dia 1º de maio, o presidente Getúlio Vargas anuncia a criação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho)

1943 1942 Iniciados os trabalhos de terraplanagem em Santo Antônio da Volta Redonda. São construídos, em um ano, 62 alojamentos provisórios de 36 m2 cada. Além de um hospital, escritórios, lavanderias, estações para tratamento de água, oficinas e refeitórios.

A Fiesp promove uma visita de 120 industriais e engenheiros paulistas a Volta Redonda. As primeiras casas de Volta Redonda começam a ser entregues.

Concluídas as obras civis de construção do alto-forno, da coqueria, da estação de tratamento de água e de grande parte da usina termoelétrica.

1944

DIA D. Aliados desembarcam na Normandia no dia 6 de junho Roma é ocupada pelo Aliados O Cassino Quitandinha é inaugurado em Petrópolis, Rio de Janeiro

20/05/11 15:38


Em maio, a Alemanha rende-se. Hitler suicida-se e Mussolini é assassinado

Norte-americanos lançam bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki

A usina de Volta Redonda é inaugurada oficialmente em 12 de outubro e conta com a presença do presidente Dutra. Getúlio, exilado voluntariamente, não estava na cerimônia. O alto-forno é aceso no dia 11 de junho e o ferro-gusa corre pela primeira vez na usina.

1945 Getúlio Vargas é deposto por militares. Fim do Estado Novo

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, 80% das obras já estavam concluídas.

O swing ainda é o ritmo do momento. E Frank Sinatra é ídolo de milhões

Três fornos SiemensMartins produziam 150 toneladas por corrida cada um. A produção chega ao número de 94.342 toneladas de laminados, 31,79% da produção brasileira.

Baby boom norte-americano A Declaração dos Direitos Humanos é aprovada na ONU Criado o Estado de Israel

1949

1947 1946

O Plano Marshall é anunciado em 5 de junho

Rita Hayworth conquista uma geração inteira com o filme Gilda

A barreira do som é quebrada

IBM cria o Eniac, primeiro computador digital produzido em larga escala

O MASP, Museu de Arte Moderna de São Paulo, é inaugurado

1948 Primeiro ano de funcionamento de todos os setores da usina em conjunto. Para atender à produção, são construídos o quarto forno e uma quinta bateria de fornos-poços.

Depois de anos de crise, a economia mundial cresce. 10 milhões de TVs são vendidas

A produção de laminados chega ao patamar de 226.900 toneladas.

A expansão começa a gerar frutos. 198.300 toneladas de laminados são produzidas.

11

010_011_port.indd 11

11

20/05/11 15:38


LINHA DO TEMPO

I950-I959 A população de Volta Redonda chega a 33 mil habitantes. A indústria siderúrgica é a grande responsável pela atração de mão de obra e migração no país.

A animação de Walt Disney Alice no País das Maravilhas conquista a imaginação do mundo inteiro

A CSN decide elaborar um novo plano urbanístico para Volta Redonda.

1950 Getúlio Vargas é eleito presidente da república com 49% dos votos válidos Em pleno Maracanã, a seleção brasileira perde final da Copa para o Uruguai, por 2 a 1 É dada a largada da primeira corrida oficial do campeonato mundial de Fórmula 1, em Silverstone, Inglaterra

Vargas anuncia a nova meta de produção da CSN pós-expansão: 1 milhão de lingotes de aço ao ano.

Entrada em atividade da Fábrica de Estruturas Metálicas (FEM).

No primeiro semestre, Getúlio Vargas inaugura o segundo alto-forno.

Falta de materiais importados prejudica a produção da CSN.

Volta Redonda é emancipada e se torna um novo município fluminense.

1952 1951

1953

Mais de 5 mil pessoas prestigiam a primeira Bienal de Artes de São Paulo

Marilyn Monroe vira diva do cinema após o sucesso do filme Os Homens Preferem as Loiras

Um Bonde Chamado Desejo catapulta ao estrelato o jovem ator Marlon Brando

Início da expansão (Plano B): construção do alto-forno nº 2, de mais 21 fornos na coqueria e dos fornos SiemensMartins nº 5 e nº 6. Projeção de expansão produtiva para 750 mil toneladas/ ano de aço.

1954

Truman anuncia o desenvolvimento da Bomba de Hidrogênio

Elizabeth II torna-se rainha da Inglaterra

Sir Edmund Hillary e Tenzing Norgay são os primeiros homens a alcançar o cume do Everest

Getúlio Vargas dispara um tiro fatal no peito no dia 23 de agosto Chega ao Brasil a primeira TV colorida produzida em larga escala O rock’n’roll nasce e Bill Haley explode com “Rock Around The Clock” Martha Rocha perde o título de Miss Universo por apenas duas polegadas

Gene Kelly dança em Cantando na Chuva Eisenhower é eleito presidente dos Estados Unidos O Diário de Anne Frank é publicado no Brasil

012_013_port.indd 12

20/05/11 18:18


Realizada a 1ª Conferência Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos, organizada pelo sindicato de Volta Redonda com apoio da CSN. JK assume a presidência e lança o Plano de Metas, que prevê expansão na CSN. Os primeiros refrigerantes em lata são vendidos Explosão de consumo. A venda de carros no mundo inteiro cresce. Nos Estados Unidos, sete em cada dez famílias têm carro

1955 A produção interna de laminados do país chega a 1,07 milhão de toneladas.

O Plano C de expansão tem início. A meta é alcançar a capacidade de produção de coque da usina de 1.970 toneladas/dia.

1956 A concessão do empréstimo pelo Eximbank é anunciada durante a visita do vicepresidente dos Estados Unidos Richard Nixon ao Brasil. O príncipe Ranier de Mônaco casa-se com Grace Kelly Elvis Presley alcança o primeiro lugar das paradas com “Heartbreak Hotel”

Juscelino Kubitschek é eleito presidente

Juan Manuel Fangio conquista o seu 5º Campeonato Mundial de Pilotos da Fórmula 1 Brasil reforça as tropas da ONU que ocupam o canal de Suez Russos lançam o primeiro satélite artificial da Terra: o Sputnik. Meses depois enviariam o primeiro ser vivo ao espaço, a cadela Laika

1957 O alto-forno nº2 atinge a marca de 1 milhão de toneladas produzidas. A CSN produz trilhos e perfis, chapas grossas, bobinas e chapas finas a quente, laminados a frio, galvanizados e folhas de flandres.

Nesse ano a empresa consegue realizar um expressivo aumento de capital. O Guggenheim Museum é aberto ao público em Nova York Começa a guerra do Vietnã

1958 Um compacto simples com a música “Chega de Saudade” é lançada por João Gilberto. Nasce a bossa nova Pela primeira vez na história o Brasil conquista a Copa do Mundo da Fifa, na Suécia Charles de Gaulle é eleito presidente da França com 78,5% dos votos

Fidel Castro toma o poder em Cuba

1959 A empresa consegue gerar, no período de implementação do Plano C, lucros de aproximadamente US$ 117 milhões. O Fusca começa a ser fabricado no Brasil

12

012_013_port.indd 13

13

20/05/11 18:18


LINHA DO TEMPO

I960-I969 Brasília é inaugurada substituindo o Rio de Janeiro como capital do Brasil

1960 A pílula anticoncepcional é lançada no mercado

É criada a Fundação General Edmundo Macedo Soares e Silva (futura Fundação CSN),o braço social da empresa, que realiza ações voltadas para a construção da cidadania junto às comunidades em que a CSN atua.

1961

Éder Jofre é campeão mundial dos pesos-galo (AMB)

A usina de Volta Redonda passa a se chamar Usina Presidente Vargas. Renúncia de Jânio Quadros. Crise política no Brasil Regime parlamentarista no Brasil. Posse de João Goulart John Fitzgerald Kennedy toma posse como presidente dos Estados Unidos

014_015_port.indd 14

O setor siderúrgico torna-se instrumento de política econômica do governo militar. O general Pinto da Veiga toma posse na presidência da CSN em 26 abril.

Com Garrincha, a seleção brasileira conquista a taça de bicampeão mundial na Copa do Mundo do Chile

1962 O Escritório Central da CSN foi o primeiro edifício de múltiplos pavimentos a utilizar perfis compostos de chapas de aço soldadas. Primeira intervenção do governo federal quanto aos preços dos produtos da CSN.

1964 1963 A produção da CSN alcança a marca de 1,3 milhão de toneladas/ano. A música “She Loves You”, dos Beatles, é uma das músicas mais tocadas do mundo Primeiro voo do Boeing 727

Golpe militar no Brasil derruba o presidente João Goulart Criada a OLP com o apoio da Liga Árabe, no Cairo, Egito Vietnã do Norte é bombardeado pelos Estados Unidos A minissaia toma conta das ruas de Londres e do mundo

20/05/11 15:49


Definido o Plano Siderúrgico Nacional, que representou, na prática, a institucionalização do planejamento estatal no setor siderúrgico. A crise que se implantara no setor siderúrgico leva o presidente Castelo Branco a contratar uma consultoria norte-americana para avaliar o cenário e levantar soluções.

1966 1965

É lançado em Buenos Aires o romance Cem Anos de Solidão, do escritor colombiano Gabriel García Márquez, esgotando 8 mil exemplares em duas semanas

Elis Regina vence a final do Festival de Música Popular Brasileira, o primeiro de uma série de festivais que durariam cerca de 20 anos 35 mil pessoas marcham em Washington num protesto histórico contra a guerra

Continuam as obras do Plano D, que visava ao aumento da capacidade da usina para 1,7 milhão de toneladas/ ano de lingotes, com ênfase em revestidos (folhas de flandres e zincadas).

Início do Maio de 1968. Estudantes se manifestam nas universidades francesas de Nanterre e Sorbonne contra o status quo. Barricadas são levantadas nas ruas e ocorrem confrontos com a polícia

1969 Primeiro voo supersônico do Concorde Médici toma posse sem eleições diretas Neil Armstrong pisa na Lua

A Revolução Cultural na China é lançada por Mao Tsé-tung Indira Gandhi é eleita primeira-ministra da Índia Presidente do Brasil, o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco fecha o Congresso Nacional

014_015_port.indd 15

Em meio à mais séria das crises desde sua criação, a CSN também vê a necessidade de ampliar a capacidade de sua usina. A empresa adota diversas medidas para reverter o quadro. No fim do ano, apareciam os primeiros sinais de recuperação financeira.

1968 1967

A sonda espacial Venera chega ao planeta Vênus

Última performance pública dos Beatles acontece no telhado da Apple Records

14

15

20/05/11 15:49


LINHA DO TEMPO

I970-I979 ABBA, Elton John e Rod Stewart disputam as paradas de sucesso

Brasil derrota a Itália por 4 a 1 e é tricampeão no México

1970 O país vive o “milagre econômico”. Continuidade de projetos de ampliação da produção da CSN. As obras de expansão avançam. Paul McCartney anuncia o fim dos Beatles Depois de muita tensão, a Apollo 13 finalmente pousa no Pacífico

A empresa adota medidas para eliminar qualquer atividade que não esteja totalmente relacionada com a produção do aço.

1971 A Intel lança o primeiro microprocessador do mundo

As obras do primeiro estágio do Plano D, previstas para acabarem nesse ano, ainda continuam. O primeiro Festival de Gramado é realizado

1972 O Poderoso Chefão domina as bilheterias dos cinemas

O filme Love Story é sucesso nos cinemas

Emerson Fittipaldi torna-se o campeão mundial mais jovem da história da Fórmula 1

Joe Frazier derrota Muhamed Ali no Madison Square Garden

O game Pong é lançado e muda a forma de diversão no mundo

Volta Redonda assiste à retomada do movimento sindical.

A Brasília e o Chevette passeiam pela primeira vez pelas ruas das cidades

1973

As obras do Estágio II trazem na bagagem diversos problemas que a empresa tem de enfrentar.

1974 O general Ernesto Geisel assume a presidência do Brasil Richard Nixon renuncia após o escândalo de Watergate A ponte Rio-Niterói é inaugurada

O programa Fantástico estreia na TV Globo

Salvador Allende é eleito presidente do Chile

016_017_port.indd 16

21/05/11 12:29


Nadia Comaneci, de 14 anos, conquista três medalhas de ouro nas Olimpíadas de Montreal

As revisões reconsideram a capacidade de produção a ser atingida pela CSN, ampliando-a para 4,6 milhões de toneladas.

1975 Acaba a guerra do Vietnã

Spielberg lança Tubarão e leva milhões ao cinema Crise do petróleo e lançamento do Pró-Álcool Acordo nuclear Brasil-Alemanha é assinado

016_017_port.indd 17

Chico Buarque protesta contra a ditadura militar e lança “Cálice” e “Apesar de Você”

O Estágio III previa não apenas a expansão da produção, mas também a modernização completa da antiga usina, com substituição total de equipamentos.

1976 Steve Jobs e Steve Wozniak criam a Apple Computer Company As telenovelas vivem a fase dourada no Brasil: Pecado Capital, Saramandaia, Estúpido Cupido e Escrava Isaura

A empresa inaugura o alto-forno nº 3. Chegam ao fim as obras que garantiriam à CSN uma produtividade de 1,7 milhão de toneladas de lingotes/ano e de 1,27 milhão de toneladas de laminados/ano.

A sonda Voyager 1 começa sua viagem interplanetária e revela segredos do universo Jimmy Carter assume a presidência dos Estados Unidos Elvis morre aos 42 anos George Lucas lança Star Wars e nasce um novo ícone: Darth Vader

Regina Duarte estreia Malu Mulher, um dos maiores sucessos da TV brasileira A Revolução Iraniana transforma o Irã em uma república islâmica

1978 1977

O general João Batista Figueiredo assume a presidência do Brasil

Nasce o primeiro bebê de proveta Geisel acaba com o AI-5 e restaura o habeas-corpus

Nessa década, a empresa investe pesado em equipamentos de controle de poluição, ciente da responsabilidade com o meio ambiente. Só no Estágio III foram investidos US$ 123 milhões.

O Estágio III movimentou as cidades de Volta Redonda, Rio de Janeiro e São Paulo: indústrias trabalham para atender à demanda, novas áreas de produção são criadas, novos galpões, construídos.

1979 Margaret Thatcher torna-se a primeira mulher a ocupar o cargo de primeiroministro do Reino Unido

17

17

21/05/11 12:29


LINHA DO TEMPO

I980-I989 O mascote Misha vira símbolo das Olimpíadas de Moscou

1980 O game Pac-Man é lançado Ronald Reagan é eleito presidente dos Estados Unidos O arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer cria o Memorial JK

A CSN começa a dar mais foco às exportações.

A empresa faz ajustes de produção para enfrentar a crise nacional: contenção de déficit público e retração do mercado interno.

1981 O papa João Paulo II é baleado no Vaticano Lady Di casa-se com príncipe Charles A MTV entra no ar nos Estados Unidos Promulgada a lei que cria o estado de Rondônia Primeira missão espacial da nave Columbia

018_019_port.indd 18

1982 E.T. domina as telas de cinema

Com a crise, a empresa é obrigada a frear o ritmo das obras de expansão. Mercado internacional dá sinais de paralisia. A Argentina invade as Ilhas Malvinas Entra em funcionamento a Usina Hidrelétrica de Itaipu Michael Jackson lança “Thriller”

Apesar de a cotação mundial do aço estar em queda, as exportações e os esforços da empresa garantem um aumento de vendas de 33%.

1983 A população chinesa chega ao primeiro bilhão de habitantes A primeira geração de celulares é lançada pela Motorola

1984 O primeiro Apple Macintosh é lançado O formato Betamax colide com o VHS na disputa pelos consumidores de videocassetes O movimento Diretas Já toma conta do país

O Compact Disc (CD) transforma a indústria da música Os Paralamas do Sucesso lançam seu primeiro álbum e uma nova fase do rock brasileiro começa

21/05/11 12:30


A CSN concentra esforços para aumentar a eficiência operacional da Usina Presidente Vargas. O Live Aid arrecada milhões para ajudar a combater a fome na Etiópia A Microsoft lança a primeira versão do Windows Cientistas britânicos encontram um buraco na camada de ozônio

Gorbachev apresenta as ideias reformistas da Perestroika A União Soviética lança a Estação Espacial Mir O presidente José Sarney lança o Plano Cruzado para combater a inflação Realizadas as eleições gerais no Brasil

1986

1985 Michael J. Fox alcança o sucesso com o filme De Volta para o Futuro Tancredo Neves é eleito presidente do Brasil O Rock in Rio atrai 1,5 milhão de pessoas

No primeiro semestre do ano, a CSN exporta 215 mil toneladas de aço. E no fim do ano a empresa consegue subir esse número para 615 mil toneladas.

Crise nacional afeta a performance da CSN. Ainda assim, ela investe em melhorias tecnológicas, como a sexta linha de estanhamento eletrolítico, o que torna a empresa a terceira maior produtora de folhas de flandres do mundo.

1988 1987

Início da formação do Mercosul Promulgação da Constituição brasileira

O Plano Cruzado afeta a produção de aço da CSN, que é obrigada a reduzir o ritmo das exportações para atender à demanda interna.

1989 Os Simpsons conquistam os telespectadores O primeiro dos 24 satélites que formarão a rede GPS global é lançado Cai o Muro de Berlim

O Food and Drug Administration aprova a droga que tenta combater o vírus da Aids Nelson Piquet conquista o tricampeonato mundial de Fórmula 1

Fernando Collor de Mello é eleito presidente do Brasil

A CSN aponta um significativo crescimento do lucro bruto e diminuição do prejuízo.

18

018_019_port.indd 19

19

21/05/11 12:30


LINHA DO TEMPO

I990-I999 Fernando Henrique Cardoso assume o cargo de ministro da Fazenda A Intel lança o processador Pentium

A rede McDonald’s abre sua primeira filial na China

1990 Uma Linda Mulher é um dos sucessos de bilheteria do ano Lançado o Plano Collor, que entre outras medidas confiscava a poupança dos brasileiros É inventado nos Estados Unidos o air bag

A empresa toma uma série de medidas para otimizar os processos produtivos.

020_021_port.indd 20

Primeiros passos começam a ser dados para o choque de mudança na CSN.

1992

1991 50 anos da CSN e uma nova perspectiva pela frente: a privatização. África do Sul aprova medidas definitivas para o fim do apartheid Ayrton Senna vence pela primeira vez o GP Brasil

Leilão da CSN é previsto para o dia 22 de dezembro, mas é adiado. A empresa alcança um lucro líquido de US$ 125 milhões. Bill Clinton é eleito nos Estados Unidos Com receio de sofrer impeachment, Fernando Collor de Mello renuncia a presidência do Brasil Brasil ganha o ouro olímpico no vôlei masculino em Barcelona

1994 1993 A CSN é vendida em sucessivos leilões na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. O governo se desfaz de 91% das ações que detinha na Companhia e o controlador atual passa a ser um dos sócios controladores da empresa. Tem início um período de grandes investimentos com o objetivo de aprimorar a qualidade de seus produtos e aumentar a produtividade de suas unidades produtoras.

Lançamento do Plano Real, que tinha como principal objetivo o controle da hiperinflação que assolava o país O Brasil elege Fernando Henrique Cardoso É inaugurado o túnel ferroviário que liga França e Inglaterra Morre, durante corrida na Itália, Ayrton Senna Depois de 24 anos de espera, a seleção é tetracampeã mundial de futebol

21/05/11 12:33


Nelson Mandela assina a nova Constituição sul-africana A Light, empresa de energia elétrica do Rio, é privatizada

Benjamin Steinbruch torna-se presidente do Conselho de Administração da CSN. Movimento de modernização toma corpo e a empresa começa a ganhar maior eficiência.

1995 Pelé se torna ministro do Esporte Dow Jones fecha acima de 5 mil pontos pela primeira vez É aprovada a livre circulação de pessoas na União Europeia É lançado o DVD

Robert Scheidt leva a medalha de ouro nos Jogos de Atlanta Nasce Dolly, o primeiro mamífero clonado

Microsoft se torna a empresa com maior valor de mercado

Nasce o Google Tony Blair assume o cargo de primeiroministro da Grã-Bretanha

1996 Com a missão de preparar a CSN para atuar numa economia cada vez mais globalizada, a executiva Maria Silvia de Bastos Marques assume a presidência. A empresa amplia sua atuação no setor de Infraestrutura, com a participação em projetos de duas novas usinas hidrelétricas, no Porto de Sepetiba, e na ferrovia MRS Logística , integrando suas operações.

Gustavo Kuerten vence Roland Garros em Paris

1997

Brasil perde a final da Copa para a França

1998 A CSN adquire a INAL e a Intermesa, distribuidora de aço com sede no Rio de Janeiro. Com a unificação das duas operações, surge a nova Indústria Nacional de Aços Laminados (INAL).

É inaugurada a central de cogeração termoelétrica na Usina Presidente Vargas, que além de suprir 60% das suas necessidades representa um benefício para o meio ambiente.

1999 A população mundial passa dos 6 bilhões de pessoas Lance Armstrong ganha a primeira das sete Tour de France que venceria É lançado o filme Matrix

A empresa passa a ter ADRs (American Depositary Receipts) listados na Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE). A produção de aço atinge a marca histórica de 100 milhões de toneladas de aço.

020_021_port.indd 21

Fernando Henrique Cardoso é reeleito

20

21

21/05/11 12:33


LINHA DO TEMPO

2000-2010 O Bug do Milênio não passa de um susto A internet se espalha no mundo inteiro e o efeito “bolha” também Brasil comemora 500 anos em festas que tomam todo o país A conclusão do Projeto Genoma é anunciada

2000 Inauguração da GalvaSud, fábrica especializada em galvanizados em Porto Real, Rio de Janeiro. Inauguração da hidrelétrica de Itá, Santa Catarina. Inauguração do Terminal de Contêineres (TECON), no Porto de Sepetiba, Rio de Janeiro.

022_023_port.indd 22

O mundo assiste aos ataques terroristas às Torres Gêmeas e ao Pentágono, nos Estados Unidos

Saddam Hussein é capturado por tropas norte-americanas no Iraque

A CSN adquire a Heartland Steel e constitui a CSN LLC, que iniciou o processo de internacionalização.

Arnold Schwarzenegger é eleito governador da Califórnia

2001 É assinado o termo de descruzamento de participações acionárias com a Companhia Vale do Rio Doce. A Vicunha Siderurgia passa a ser o sócio controlador da empresa. Reformas no alto-forno nº 3 e no laminador de tiras a quente nº 2 elevam a capacidade para 5,6 milhões de toneladas de aço bruto e 5,1 milhões de toneladas de produtos laminados.

2003 2002 Brasil é penta no mundial da Coreia e Japão Luis Inácio Lula da Silva é eleito presidente da república do Brasil

Benjamin Steinbruch, presidente do Conselho de Administração, assume também a presidência da CSN. A CSN adquire a Metalic, fábrica de latas de aço de duas peças, localizada no Ceará.

A CSN adquire 50% do capital da Lusosider, em Portugal, e o controle da CSN LLC. A CSN passa a deter 100% do TECON e 49,9% das ações na CFN, operadora da antiga malha nordeste da RFFSA. É inaugurada a CSN Paraná, dedicada à produção de aços revestidos, galvalume e pré-pintados.

A CSN passa a deter a totalidade do capital da GalvaSud, em Porto Real.

2004 Tsunami deixa rastro de destruição na Ásia A rede social Facebook é lançada e transforma a forma das pessoas se relacionarem Delegação brasileira volta com dez medalhas nos Jogos Olímpicos da Grécia

26/05/11 15:55


O laboratório especial europeu Columbus conecta-se à Estação Espacial Internacional

A CSN adquire a PRADA, maior fabricante de embalagens de aço do país. A CSN adquire os 50% restantes da Lusosider, em Portugal, passando a deter a totalidade do capital dessa empresa. Iniciam-se as obras de expansão de Casa de Pedra.

2005

O furacão Katrina atinge a costa da Louisiana, Mississipi e Alabama Ronaldinho Gaúcho é eleito melhor jogador do mundo O cardeal Joseph Ratzinger é nomeado papa

Começa a construção da Nova Transnordestina, ferrovia com 1.728 quilômetros de extensão, que escoará a produção do Nordeste para os portos de Pecém e Suape.

2006 Um bilhão de músicas são baixadas pelo iTunes da Apple

Plutão deixa de ser considerado planeta

Bush e papa Bento VXI visitam o Brasil O uso da energia solar agora é realidade iPhone muda a forma de usar o celular

2007 Em fevereiro, a CSN realiza o primeiro embarque de minério de ferro para exportação. A CSN compra, em 20 de julho, a Companhia de Fomento Mineral (CFM), localizada em Minas Gerais, e reestrutura a empresa, que passa a se chamar Nacional Minérios S.A. (Namisa).

Usain Bolt é o homem mais rápido do mundo

2008 A CSN anuncia uma parceria estratégica com um consórcio de siderúrgicas asiáticas envolvendo alienação de 40% do capital da Namisa. Em abril, a empresa lança o CSN Steelcolors, voltado para a construção civil.

O quadro Nu au Plateau de Sculpteur, de Pablo Picasso, é vendido por U$ 106 milhões

Em maio, a CSN entra no mercado de cimento, com o lançamento da fábrica de moagem localizada em Volta Redonda.

2009 2010 Dilma Rousseff é eleita a primeira mulher presidenta do Brasil Cinzas do vulcão Eyjafjallajökull, na Islândia, causam caos aéreo na Europa A Espanha é campeã mundial de futebol pela primeira vez

22

022_023_port.indd 23

23

26/05/11 15:55


04

PERFIL DA EMPRESA Instalações da CSN em Minas Gerais

022a029_port.indd 24

26/05/11 15:58


24

022a029_port.indd 25

25

26/05/11 15:58


Projetos para triplicar a capacidade na mineração e logística

MISSÃO Destacar-se como um ícone de empreendedorismo e cidadania para o Brasil e aumentar o valor da empresa para os acionistas de forma sustentável, por meio do foco na indústria siderúrgica, mineração, cimento e infraestrutura, que propiciam vantagem competitiva para o crescimento da empresa, oferecendo produtos e serviços de qualidade, atuando de forma ética com colaboradores, fornecedores, clientes e comunidades onde opera e em harmonia com o meio ambiente.

022a029_port.indd 26

A Companhia Siderúrgica Nacional completa 70 anos em 2011. Marco da industrialização brasileira quando foi criada em 1941, e também quando foi privatizada, em 1993, hoje a empresa mira o futuro com uma produção altamente integrada, um dos mais baixos custos de produção e logística e umas das maiores rentabilidades na siderurgia mundial. Com a firme meta de crescer e aumentar suas áreas de atuação, a Companhia opera em toda a cadeia produtiva do aço, desde a extração do minério de ferro até a produção e a comercialização de bobinas, folhas metálicas e embalagens de aço. Posicionada como a segunda maior exportadora de minério de ferro do Brasil, a CSN tem projetos para triplicar sua capacidade em mineração e logística portuária. Com a força da siderurgia e da mineração como principais fontes de receita e resultados, a CSN tem sua rentabilidade reforçada para crescer em outros negócios promissores, como cimento e aços longos e fortalecer sua infraestrutura logística e de energia. A presença e a participação acionária em ferrovias e terminais portuários, a crescente produção de cimento, bem como os investimentos em geração de energia, contribuem para uma empresa eficiente e autossuficiente em recursos. Fatores que permitem à CSN habitualmente sustentar margens de EBITDA acima dos 40%. No ano de 2010, a Companhia manteve o ritmo de crescimento. Na siderurgia, a principal planta da CSN, a Usina Presidente Vargas (UPV), em Volta Redonda (RJ), opera com dois altos-fornos e tem capacidade total de 5,6 milhões de toneladas de aço bruto por ano. No ano passado, a produção foi de 4,9 milhões de toneladas ou 12% superior ao desempenho registrado em 2009. Já a produção de laminados atingiu 4,7 milhões de toneladas em 2010, um aumento de 15%. O aço da CSN está presente no dia a dia das pessoas, desde a indústria automotiva, linha branca e construção civil até embalagens. Na área de mineração, a Companhia bateu recordes históricos e aumentou suas vendas em 2010 em comparação ao ano anterior. Considerando a totalidade de produtos acabados de minério de ferro tanto na mina Casa de Pedra quanto na Namisa, ambas localizadas no Quadrilátero Ferrífero, a CSN comercializou 25,3 milhões de toneladas, 13% maior do que em 2009. Desse total, as exportações representaram 23,8 milhões. Vale ressaltar, dentro da política de integração da empresa, que a CSN destinou ao consumo próprio 6,9 milhões de toneladas de minério de ferro. A CSN tem projetos em implantação para aumentar a capacidade de produção para 89 milhões de toneladas e, no porto, para 84 milhões de toneladas. No setor de cimento, com menos de dois anos de atuação, a CSN produziu e comercializou em 2010 cerca de 1 milhão de toneladas de cimento tipo CPIII, através de sua primeira fábrica localizada em Volta Redonda, mais do que o dobro do ano anterior. Projeta-se ritmo de comercialização plena em 2012, com 2,4 milhões de toneladas. Já em 2011, entra em operação a fábrica para produção de clínquer (com 830 mil toneladas de capacidade total), que garantirá aumento na produção e diminuição de custos. Em logística, destaque para a construção da Nova Transnordestina com 1.728 quilômetros de extensão, conectando o sertão aos portos de Pecém e Suape, maior investimento da CSN em 2010 e uma das maiores obras do PAC na região Nordeste do Brasil. Outra ferrovia, a MRS Logística, empresa que a CSN detém 33,27% de participação, transportou cerca de 144 milhões de toneladas, volume 12% superior ao ano de 2009.

26/05/11 15:58


FĂĄbrica de Porto Real (RJ) ĂŠ voltada para o setor automotivo

022a029_port.indd 27

26

27

26/05/11 15:58


Veja a localização da mina no mapa

Caminhões fora de estrada circulam pela mina Casa de Pedra

022a029_port.indd 28

26/05/11 15:58


VALORES P  autamos nossas ações pela ética e pela transparência. I ncentivamos o respeito às pessoas e a confiança mútua. Z  elamos por um ambiente seguro e saudável. D  efendemos uma atuação social e ambiental responsável. V  alorizamos a gestão integrada e o trabalho em equipe. P  riorizamos o compromisso com os acionistas. B  uscamos a satisfação e o reconhecimento dos clientes. E  stimamos a parceria com fornecedores. C  onsideramos a cultura da CSN o alicerce de nossa atuação.

Além das ferrovias, a CSN administra dois terminais portuários em Itaguaí (RJ): o de granéis sólidos (Tecar) e o de contêineres (Sepetiba Tecon). Em 2010, o Sepetiba Tecon manteve-se na primeira posição no market share entre os quatro principais terminais dos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. No mesmo ano, o Tecar embarcou 25 milhões de toneladas de minério de ferro, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. Desembarcou cerca de 4 milhões de toneladas de outros produtos como carvão, coque, barrilha e clínquer para consumo próprio e para clientes diversos. A CSN é uma das maiores consumidoras de energia do país e, mesmo assim, é autossuficiente. O que garante essa independência é a Central Termoelétrica de Cogeração de Energia (CTE), instalada no complexo da Usina Presidente Vargas, e as usinas hidrelétricas de Itá (SC) e Igarapava (SP/MG), nas quais possui participação acionária. Reunidas, geram 428 MW em média. A empresa já tem planos de expansão dessa capacidade para o futuro que suportarão os novos investimentos. Para 2011 está programada a finalização da turbina no topo do alto-forno nº 3 que aumentará a capacidade em 18 MW. Atenta ao mercado, a CSN tem feito estudos visando fusões e aquisições e conquista de novos mercados. A CSN iniciou no fim do ano passado uma negociação com a espanhola Alfonso Gallardo, de olho numa entrada para o mercado europeu de aços longos e cimento. Para realizar toda essa operação e manter a empresa entre as cinco maiores do Brasil, integrada e rentável, a CSN conta com cerca de 19 mil empregados, 12,7% a mais do que no ano anterior, que são capacitados e desenvolvidos constantemente. A responsabilidade sócioambiental consta dos valores da Companhia e a Fundação CSN investiu R$ 14,9 milhões em 2010 nas áreas de educação, cultura, esporte e saúde. Com capital aberto nas bolsas de São Paulo e Nova York, a CSN prioriza o compromisso com seus mais de 42 mil acionistas.

022a029_port.indd 29

28

29

26/05/11 15:58


05 DESEMPENHO

OPERACIONAL

A Usina Presidente Vargas tem capacidade anual de produção de 5,6 milhões de toneladas de aço bruto

030a045_port.indd 30

20/05/11 17:39


30

030a045_port.indd 31

31

20/05/11 17:39


Casa de Pedra e Namisa (foto) comercializaram 25,3 milhĂľes de toneladas de minĂŠrio de ferro

030a045_port.indd 32

26/05/11 16:02


Mineração e siderurgia cresceram suas receitas em 2010

2010 marcou um sólido aumento na produção da Companhia Siderúrgica Nacional nas suas diversas fontes de receita. Na siderurgia, a produção de aço bruto cresceu 12%; na mineração, a produção própria de minério de ferro, somada a compras de terceiros, cresceu 17%; e o volume de vendas de cimento em 2010 alcançou 992 mil toneladas, representando crescimento de 193% em comparação ao volume vendido em 2009. Veja a seguir o desempenho detalhado de cada uma das atividades da CSN em 2010, levando em conta o cenário dos setores envolvidos.

MINERAÇÃO Minério de ferro Posicionada como a segunda maior exportadora do Brasil e com grandes projetos de expansão de mineração e logística portuária, a CSN, com a Namisa, teve um crescimento de 13% nas suas vendas em 2010, em comparação ao ano anterior. De maneira geral, o Brasil teve destaque no mercado de minério de ferro, apresentando um recorde de exportações, com 307 milhões de toneladas ou 15% superior a 2009, de acordo com dados da LBH Group. Considerando a totalidade das vendas de produtos acabados de minério de ferro da mina de Casa de Pedra e da Namisa, a CSN comercializou 25,3 milhões de toneladas em 2010. Desse total, as exportações representaram 23,8 milhões. Além disso, no ano passado, a Companhia produziu e destinou ao consumo próprio 6,9 milhões de toneladas de minério de ferro. 2010 será lembrado como o ano de profundas mudanças no mercado de minério de ferro. O sistema de precificação tradicional, usado há mais de 40 anos, foi substituído por alternativas mais flexíveis às oscilações de mercado e com revisões periódicas em seu valor ao longo do tempo.

Calcário A mina, localizada em Arcos (MG), é responsável pelo suprimento de calcário calcítico e calcário dolomítico, fundentes consumidos na produção de aço. Em 2010, forneceu para a Usina Presidente Vargas cerca de 1,8 milhão de toneladas do insumo. Com a entrada da CSN no mercado de cimento, a mina de Arcos deverá fornecer, a partir de 2011, o calcário não siderúrgico, a ser utilizado para a produção de clínquer, uma das principais matérias-primas utilizadas na fabricação do cimento em Volta Redonda. Com isso, a CSN demonstra ainda mais integração entre suas atividades, verticalizando a produção e ganhando em competitividade e rentabilidade.

Estanho Uma das matérias-primas essenciais para a produção de folhas de flandres é o estanho, produzido pela ERSA — Estanho de Rondônia S.A., subsidiária da CSN. A ERSA é constituída pela Mineração Santa Bárbara, em Itapuã do Oeste, e por uma fundição em Ariquemes, ambas no estado de Rondônia.

030a045_port.indd 33

32

33

26/05/11 16:02


15% foi o aumento na produção de laminados em 2010

030a045_port.indd 34

SIDERURGIA No cenário internacional, a produção de aço bateu recorde com 1,4 bilhão de toneladas produzidas, de acordo com a World Steel Association (WSA), crescimento de 15% em relação a 2009. Apesar do recorde, com exceção da China, muitos dos países produtores ainda não recuperaram os níveis pré-crise. No Brasil, o consumo aparente de produtos siderúrgicos chegou a 26,6 milhões, 43% acima do que foi realizado em 2009. Para 2011, espera-se totalizar 28 milhões de toneladas nesse mercado. A CSN domina toda a cadeia produtiva do aço. Trabalha desde a extração do minério de ferro até a produção e a comercialização de produtos acabados e com alto valor agregado. A empresa produz os mais diversos tipos de materiais revestidos galvanizados, resistentes à corrosão e menos suscetíveis a oscilações de preços no mercado internacional. Os principais mercados atendidos pela Companhia são: automotivo, construção civil, grande rede (distribuição), linha branca (eletrodomésticos), OEM (bens de capital, motores, etc.) e embalagens metálicas. Em 2010 a produção de aço bruto atingiu 4,9 milhões de toneladas, representando uma utilização de 88% da capacidade instalada de 5,6 milhões de toneladas anuais da Usina Presidente Vargas e um crescimento de 12% em relação ao volume produzido em 2009. Já a produção de laminados atingiu 4,7 milhões de toneladas em 2010, um aumento de 15% em relação à produção do ano anterior. A projeção é ainda maior para os próximos três anos, já que medidas de manutenção foram concluídas para que o aumento da capacidade instalada possa ser implementado. Estão em andamento as obras da nova unidade para produção de aços longos, utilizando a infraestrutura existente no complexo siderúrgico da Usina Presidente Vargas. A CSN Aços Longos recebeu em 2010 investimentos da ordem de R$ 275 milhões. Em aços planos, a CSN possui cinco linhas de galvanização, assim distribuídas: três na Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda, uma em Porto Real, no estado do Rio de Janeiro, e outra filial no Paraná, na cidade de Araucária, região metropolitana de Curitiba, onde se opera também com os processos de laminação a frio e pré-pintura. A linha de galvanização denominada CSN Porto Real trata-se da antiga empresa controlada GalvaSud S.A., que em 29 de janeiro de 2010 foi incorporada e passou a ser uma filial da Companhia. A incorporação visa a otimização dos processos e maximização dos resultados, concentrando em uma única estrutura organizacional todas as atividades comerciais, operacionais e administrativas das duas sociedades. A CSN Porto Real está situada estrategicamente entre as cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, atendendo principalmente o setor automotivo, oferecendo ampla gama de produtos e serviços de padrão internacional. Conta com uma linha de galvanização a quente e um centro de serviços de corte, além de um moderno centro de solda a laser. Em 2010 a produção superou 307 mil toneladas, direcionadas basicamente para o setor automotivo, 30 mil toneladas superior ao ano de 2009. A filial CSN Paraná, em Araucária, é voltada para o mercado de linha branca e também fornece aço para construção civil e grande rede. Em 2010, a produção total integrada em todas as linhas da unidade atingiu 1,02 milhão de toneladas. A CSN conta ainda com duas subsidiárias no exterior: a CSN LLC, instalada em Terre Haute, no estado de Indiana, nos Estados Unidos, que atua em laminação a frio e galvanização, e a Lusosider, em Paio Pires, Portugal, que também produz laminados revestidos. A CSN é a única fabricante de folhas metálicas no Brasil e uma das cinco maiores do mundo, com capacidade instalada de 1 milhão de toneladas por ano de folhas de flandres, largamente utilizadas no setor de embalagens. A Companhia também é produtora de galvalume, aço revestido com zinco e alumínio, que conjuga brilho e durabilidade, além de aços pré-pintados, ambos muito aplicados nos setores de construção civil e linha branca.

26/05/11 16:02


Produção na siderurgia cresceu em relação a 2009 e capacidade utilizada chegou a 88%

030a045_port.indd 35

34

35

26/05/11 16:02


Linha de fabricação de embalagens na Prada

030a045_port.indd 36

26/05/11 16:02


CSN LLC Braço da Companhia nos Estados Unidos, a CSN LLC administra uma usina de laminação a frio e galvanização, instalada no estado de Indiana. Em 2010 foram produzidas 250 mil toneladas de bobinas laminadas a frio e galvanizadas,15% superior em relação à produção de 2009.

Lusosider Instalada em Paio Pires, Portugal, a Companhia opera com laminação a frio e galvanização por imersão a quente. No ano de 2010, a Lusosider produziu e comercializou no mercado europeu 241 mil toneladas de produtos galvanizados, 22% superior em comparação à produção de 2009.

Metalic Nordeste Controlada pela CSN, a Metalic é a única produtora de latas de aço de duas peças para bebidas da América Latina, produzindo também tampas de alumínio para latas de bebidas. Em 2010, a Companhia vendeu 831 milhões de latas de 350 mililitros, 60 milhões de latas de 250 mililitros e 1.284 milhões de tampas, sendo 13% exportadas para a América Latina. Atualmente a Metalic detém 5% da participação no mercado nacional e 34 % no mercado do Nordeste de latas para bebidas.

Prada Embalagens Fundada em 1936, a Companhia Metalúrgica Prada tornou-se uma empresa controlada pela CSN em 2006. Com o maior parque industrial da América Latina voltado à produção de embalagens de aço, a Prada possui duas plantas localizadas em São Paulo (SP) e Uberlândia (MG), constituindo-se em importante cliente de folhas metálicas da CSN. Suas linhas estão capacitadas a atender aos elevados volumes e às especificações técnicas demandados pelas indústrias de alimentos, química e de aeross��is. A Prada revalidou sua Certificação ISO 9001:2008, obtida inicialmente em 1995, tendo sido a primeira empresa do segmento a alcançar tal qualificação. Em 2010, a empresa manteve os níveis de investimento dos anos anteriores, focando suas operações no mercado de produtos químicos e aerossol, segmentos de atuação que apresentam maior rentabilidade no setor de embalagens metálicas.

Prada Distribuição A CSN atua no mercado de distribuição e serviços por meio da unidade de negócios Prada Distribuição, pertencente a sua coligada, Companhia Metalúrgica Prada. Cobrindo o território nacional, a empresa possui três centros de serviço e oito centros de distribuição preparados para atender, com produtos como chapas, blanks, rolos, perfis UDC, tubos com costura, steel deck e telhas metálicas, aos mais diversos segmentos da indústria, do automotivo à construção civil. A Prada Distribuição está entre as maiores do segmento de distribuição e processamento de aços planos e, por meio de sua ampla gama de serviços de corte, conformação e logística, oferece serviços de pronta entrega, sob encomenda e kanban, agregando valor ao portfólio da CSN, de forma que atenda plenamente às necessidades dos consumidores mais exigentes. Em 2010 a unidade de negócios Prada Distribuição comercializou 372 mil toneladas de produtos, volume 3% superior ao verificado no ano anterior, e reposicionou seu centro de distribuição no Paraná, o que torna a empresa uma atividade estratégica para a CSN. Para os próximos anos, a meta é continuar investindo no aumento de sua capacidade de armazenamento, beneficiamento e no aumento de sua abrangência geográfica e logística na distribuição. Para tanto, prevê, ainda em 2011, a abertura de mais três novos centros de distribuição.

030a045_port.indd 37

36

37

26/05/11 16:02


Obras daTransnordestina: 1.728 quil么metros de extens茫o no novo trecho

030a045_port.indd 38

26/05/11 16:02


Veja a localização de um dos trechos em implantação no mapa

38

030a045_port.indd 39

39

26/05/11 16:02


LOGÍSTICA Portos A CSN administra dois terminais no Porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro: o terminal de granéis sólidos (Tecar) e o terminal de contêineres (Sepetiba Tecon). Em 2010, o Tecar embarcou 25 milhões de toneladas de minério de ferro, um aumento de 7% em relação ao ano anterior. Desembarcou cerca de 4 milhões de toneladas de outros produtos, como carvão, coque, barrilha e clínquer, para consumo próprio e para clientes diversos. O Sepetiba Tecon, terminal de contêineres e carga geral administrado pela CSN, é um dos pilares do projeto da plataforma logística da Companhia em Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro. Em 2010, o Sepetiba Tecon movimentou 196 mil contêineres, 306 mil toneladas de produtos siderúrgicos e 30 mil toneladas de carga geral, mantendo-se na primeira posição no market share entre os quatro principais terminais dos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo com 29% do total de contêineres movimentados. Como resultado dos constantes investimentos e das excelentes condições de acessos marítimo e terrestre, o Sepetiba Tecon recebeu em 2010 os maiores navios de contêineres operados na América do Sul: o MSC Messina e o Hamburg Süd Santa Clara, com 300 metros de comprimento. Todos esses fatores confirmam a posição do Sepetiba Tecon como porto concentrador de cargas (Hub Port), contribuindo para que seja, além do maior terminal de contêineres do Rio de Janeiro, um dos maiores do Brasil em seu segmento. Para a expansão do SepetibaTecon estão previstos investimentos em infraestrutura, como a equalização do berço 301 em novos equipamentos: dois portêineres Super Post Panamax, quatro transtêineres e seis Reach Stackers. Estão ainda em desenvolvimento projetos para implantação de um polo logístico multimodal e para a adequação dos berços 302 e 303. Após a conclusão desses investimentos, o complexo portuário de Itaguaí se consolidará como um dos principais do país.

Ferrovias O setor de logística ferroviária brasileiro teve um ano de 2010 positivo. O volume de cargas movimentadas aumentou 15% em 2010 em relação a 2009. Com investimentos da iniciativa privada e apoio do poder público, as perspectivas para o setor ferroviário são animadoras. O governo federal prevê que até 2020 o Brasil terá 41 mil quilômetros de ferrovias, um crescimento de 37% em relação à malha atual. A CSN tem participação em duas companhias ferroviárias: a MRS Logística e a Transnordestina Logística S.A.

MRS Logística A MRS Logística opera a antiga malha sudeste da Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), no eixo Rio de Janeiro-São Paulo-Belo Horizonte. A MRS Logística, que completou 14 anos de atividade reafirmando uma trajetória de expressivo crescimento, continua apresentando bons resultados. Em 2010 transportou cerca de 144 milhões de toneladas, volume 12% superior ao ano de 2009. A CSN detém diretamente 22,93% do capital da MRS, além de uma participação indireta de 10,34%. Somando-se as duas participações, a CSN tem 33,27% do capital total da MRS. No setor de contêineres, a MRS manteve sua posição entre os maiores transportadores do setor ferroviário nacional, com 53,5 mil contêineres transportados. O principal segmento de atuação da MRS é o de clientes chamados heavy haul (cargas de minério, carvão e coque), responsável pelo transporte de cerca de 107 milhões de toneladas, o equivalente a 74% do total transportado pela Companhia, bem como contratos de longo prazo, novos negócios e projetos que visam alavancar o crescimento da empresa.

030a045_port.indd 40

26/05/11 16:02


Veja a localização do Terminal no mapa

O Terminal de Granéis Sólidos (Tecar) embarca minério de ferro e desembarca carvão, coque, clínquer, entre outros produtos

Os serviços de transporte ferroviário prestados pela MRS são fundamentais para o abastecimento de matérias-primas e escoamento de produtos finais. A totalidade de minério de ferro, carvão e coque consumidos pela Usina Presidente Vargas é transportada pela MRS, bem como parte do aço produzido pela CSN, tanto para o mercado doméstico como para exportação, além dos produtos de mineração.

Transnordestina Em 2010, a Transnordestina recebeu investimentos de R$ 1.371 milhões, os maiores de toda a Companhia, para a construção da nova malha, com conclusão prevista para o fim de 2013. Esse traçado terá 1.728 quilômetros de extensão e capacidade de transportar até 30 milhões de toneladas de carga por ano. Em 2006 a CSN incorporou a Transnordestina S.A., na época uma companhia estatal, à Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN). A entidade resultante foi posteriormente denominada Transnordestina Logística S.A. A Transnordestina Logística S.A. (TLSA) é operadora da antiga malha nordeste da RFFSA, percorrendo sete estados, com extensão total de 4.534 quilômetros: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. O contrato de concessão da TLSA foi assinado em 1997 por 30 anos, podendo ser prorrogado por igual período. Em 2010, foi transportado 1,5 milhão de toneladas, com destaque para o transporte de combustível, cimento, alumínio, bobinas, malte, entre outros. A participação da CSN no capital social da TLSA no fim de 2010 atingiu 76,45%.

030a045_port.indd 41

40

41

26/05/11 16:02


FĂĄbrica de cimento, em Volta Redonda (RJ), produziu cerca de 1 milhĂŁo de toneladas em 2010

030a045_port.indd 42

26/05/11 16:02


CIMENTO Os incentivos para a aquisição de casa própria, o aumento da renda e do emprego e a ampliação da infraestrutura brasileira liderados pelas obras relacionadas à Copa do Mundo de 2014 e às Olimpíadas de 2016 impulsionaram as vendas de cimento no Brasil. Houve um crescimento de 15% e o mercado interno consumiu 59 milhões de toneladas em 2010. Novo mercado para a CSN, a indústria cimenteira foi a que mais cresceu internamente em 2010. A Companhia produziu cerca de 1 milhão de toneladas de cimento em sua primeira fábrica localizada em Volta Redonda, um expressivo crescimento em relação às 338 mil toneladas produzidas em 2009. O volume de vendas de cimento em 2010 alcançou 992 mil toneladas, um crescimento de 193% em comparação ao volume vendido em 2009. A Hidrelétrica Igarapava (foto) A marca só aumenta a verticalização e a iné uma das participações da CSN no setor tegração da empresa uma vez que a atividade energético, visando autossuficiência cimenteira possui alta complementaridade com a siderurgia e abastece todo o segmento de construção civil, setor de importância fundamental para o desenvolvimento econômico do país. O investimento feito em 2010 na CSN Cimentos atingiu R$ 249 milhões. O cimento produzido pela CSN é atualmente comercializado na região da Baixada Fluminense, sul do estado do Rio de Janeiro, Vale do Paraíba e Grande São Paulo, além do sul do estado de Minas Gerais. Até o fim de 2010 foram implantados quatro centros de distribuição, fator essencial para aumentar sua competitividade, já que a aceitação do produto tem sido excelente, superando as estimativas iniciais.

ENERGIA A CSN é uma das maiores consumidoras industriais de energia elétrica do país e mesmo assim é autossuficiente. Para isso, investe há mais de dez anos em projetos para garantir a geração própria. Em 2010, a receita líquida do segmento de energia atingiu R$ 113 milhões, em linha com a receita líquida registrada no ano anterior. Suas operações diversas asseguram uma capacidade de geração média de 428 MW, atendendo dessa forma à necessidade total de energia elétrica da Companhia. Seus ativos nesse segmento são a Usina Hidrelétrica de Itá, em Santa Catarina, em que a CSN detém 29,5%, correspondentes a 167 MW, por meio de uma participação societária de 48,75% na Itá Energética S.A.; a Usina Hidrelétrica de Igarapava, em Minas Gerais, com capacidade de 210 MW e participação de 17,9%; e a Central de Cogeração Termoelétrica, instalada na Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda, com capacidade instalada de 238 MW. Atenta ao crescimento que precisa suportar nos próximos anos, a Companhia está desenvolvendo o projeto para instalação de uma turbina de topo no alto-forno nº 3 da Usina Presidente Vargas, o que permitirá adicionar 18 MW à sua atual capacidade de geração. A CSN estuda ainda outros investimentos em energia para acompanhar os projetos de expansão e manter a autossuficiência.

030a045_port.indd 43

234% de aumento na receita

líquida de cimento em 2010

42

43

26/05/11 16:02


TranstĂŞineres no Porto de ItaguaĂ­

030a045_port.indd 44

26/05/11 16:02


44

030a045_port.indd 45

45

26/05/11 16:02


O6 DESEMPENHO

FINANCEIRO

Integração entre minas, usina e porto é feita pela ferrovia MRS Logística

046a055_port.indd 46

26/05/11 16:03


46

046a055_port.indd 47

47

26/05/11 16:03


Estoque de bobinas na filial CSN Paranรก

046a055_port.indd 48

26/05/11 16:03


Crescimento em 2010 com olhar para o futuro

A CSN acertou ao apostar na retomada do crescimento em 2010. Num cenário em que o Brasil teve aumento significativo do PIB de 7,6% e que as principais economias do mundo intensificaram esforços para recuperar as perdas de 2009, a CSN alcançou um recorde na receita líquida, com R$ 14,5 bilhões ou 32% superior ao de 2009.

Destaques consolidados (R$ milhões)

2009

2010

2010 x 2009 (Var%)

Receita Líquida

10.978

14.451

32%

Lucro Bruto

3.956

6.764

71%

EBITDA ajustado

3.621

6.355

76%

Margem EBITDA ajustada

33%

44%

11 p.p.

Lucro Líquido (R$ MM)

2.615

2.516

-4%

Dívida Líquida (R$ MM)

6.297

9.850

56%

Adequação às normas internacionais de contabilidade As Demonstrações Financeiras Consolidadas da CSN são apresentadas em conformidade com as normas internacionais de contabilidade (IFRS), emitidas pelo International Accounting Standard Board (IASB), também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e plenamente convergentes com as normas internacionais de contabilidade, emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e referenciadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), conforme Instrução CVM no 485 de 1º de setembro de 2010.

Processamento de aços planos na Prada Distribuição

14,5 bi é o recorde da CSN na

receita líquida em 2010

Receita líquida A receita líquida do ano de 2010 alcançou R$ 14.451 milhões, 32% acima da registrada em 2009, impulsionada pelo crescimento do volume vendido de produtos siderúrgicos e maiores preços praticados e pelo maior volume de vendas de minério de ferro no ano.

Custo dos produtos vendidos O custo dos produtos vendidos totalizou R$ 7.687 milhões em 2010, 9% superior em relação ao registrado no ano de 2009, basicamente em decorrência do maior volume de vendas de produtos siderúrgicos no ano, parcialmente compensado pela maior diluição dos custos fixos.

Despesas gerais e administrativas e outras operacionais Em 2010, a linha de “Outras Receitas e Despesas” apresentou resultado negativo de R$ 551 milhões, diante do resultado positivo de R$ 721 milhões em 2009. Essa variação negativa de R$ 1.272 milhão deve-se basicamente aos efeitos positivos não recorrentes do ganho de incorporação reversa da Big Jump Energy Participações S.A. pela Namisa e da adesão da CSN e suas subsidiárias ao Programa de Recuperação Fiscal (REFIS), registrados em 2009. No ano de 2010, as despesas com vendas, gerais e administrativas somaram R$ 1.215 milhão, um crescimento de 9% em relação a 2009, refletindo o maior esforço de vendas da Companhia.

046a055_port.indd 49

48

49

26/05/11 16:03


EBITDA O EBITDA ajustado apresentado neste relatório consiste no lucro líquido, excluído do resultado financeiro, imposto de renda e contribuição social, depreciação e amortização e do resultado de outras receitas e despesas operacionais, este último excluído por se tratar de item não recorrente da operação. R$ milhões

EBITDA e margem EBITDA ajustados

44%

3.6

21

6.3

55

33%

2009

2010

Apuração do EBITDA Consolidado (ajustado)

2009

2010

Lucro Líquido do Período

2.615

2.516

(-) Resultado Financeiro Líquido

246

1.911

(-) Contribuição Social

180

154

(-) Imposto de Renda

520

417

(-) Depreciações e Amortizações

780

806

(-) Outras Receitas (Despesas) Líquidas

(721)

551

EBITDA ajustado

3.621

6.355

No ano de 2010 o EBITDA ajustado totalizou R$ 6.355 milhões, um crescimento de 76% em relação aos R$ 3.621 milhões registrados no ano de 2009. A margem EBITDA ajustada em 2010 atingiu 44%, 11 p.p. superior em relação à margem EBITDA ajustada de 33% verificada em 2009. As diferenças entre os valores de EBITDA ajustado e margem EBITDA ajustada publicados anteriormente em BRGAAP e os agora publicados em IFRS são apresentadas a seguir (R$ milhões): R$ milhões

EBITDA ajustado (R$ Mi)

EBITDA ajustado

2009

2010

Margem EBITDA ajustada (%)

EBITDA ajustado (BRGAAP Publicado)

3.607

-

Efeito de convergência da prática contábil

14

-

EBITDA ajustado (IFRS)

3.621

6.355

Resultado financeiro e dívida líquida No ano de 2010 o resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 1.911 milhão, basicamente devido a: encargos de empréstimos e financiamentos, no total de R$ 1.808 milhão; variações monetárias e cambiais negativas de R$ 354 milhões, incluindo o resultado das operações com derivativos; atualização monetária das provisões fiscais no total de R$ 284 milhões.



Compensaram parcialmente esses efeitos negativos sobre o resultado financeiro os rendimentos sobre aplicações e demais receitas/despesas financeiras no valor de R$ 535 milhões, basicamente em função do maior caixa disponível. Evolução da dívida (em R$milhões) e relação dívida líquida / EBITDA ajustado

1,56

Dívida líquida

2T10

9

9.2 3T10

50

84

20

20 69 8.2

10 6.6 1T10

.08

.7 6

1 17.

75 15 . 97 6.2 Dívida bruta

046a055_port.indd 50

94

9

8 26 14 . 4T09

1,55

1,51

7

1,56

9.8

1,74

4T10

Dívida líquida / EBITDA ajustado

26/05/11 16:03


Em 31 de dezembro de 2010 a dívida líquida consolidada totalizou R$ 9,8 bilhões, um acréscimo de R$ 3,5 bilhões em relação aos R$ 6,3 bilhões registrados no fim de 2009. No fim de dezembro de 2010, a relação dívida líquida/EBITDA ajustado de 1,55x caiu 0,19x em relação àquela registrada no fim de 2009. Em 14 de julho de 2010 a CSN, por meio de sua subsidiária integral CSN Resources S.A., emitiu bonds no valor de US$ 1 bilhão, a uma taxa de 6,5% ao ano e vencimento em julho de 2020, conforme as regulamentações “Rule 144A e Regulation S” dos Estados Unidos. O preço de oferta foi de 99,096% e os bonds são garantidos pela CSN. Em 16 de setembro de 2010, a CSN, por meio de sua subsidiária integral CSN Islands XII Corp., emitiu bonds perpétuos no valor de US$ 1 bilhão, a uma taxa de 7,0% ao ano, conforme as regulamentações “Rule 144A e Regulation S” dos Estados Unidos. Esses bonds são garantidos pela CSN, sendo os recursos utilizados para quitação dos bonds perpétuos de US$ 750 milhões, emitidos em 2005 pela CSN Islands X Corp., que pagavam uma taxa de 9,50% ao ano. A seguir os vencimentos de empréstimos, financiamentos e debêntures (posição em 31 de dezembro de 2010):

31

779

1 .1 4

8

1.3

1.5

51

45 1.3

1.6

76 2016

66

22

2015

1.7

2014

2.2

88 1.9

2013

2 .1

2.0

2012

47

2 .1

88

66

Dívida consolidada* (R$ milhões)

2011

Casa de Pedra possui reservas de 3,4 bilhões de toneladas

2017

2018

2019

2020

Após 2020

* INCLUI ENCARGOS E CUSTOS DE TRANSAÇÃO

Bônus perpétuos

3.636 mi foram investidos em projetos de expansão e manutenção

Lucro líquido consolidado No ano de 2010, o lucro líquido de R$ 2.516 milhões foi 4% inferior ao lucro líquido de 2009. Os melhores resultados dos segmentos de siderurgia e mineração foram compensados pelo aumento das outras despesas operacionais, por conta dos ganhos não recorrentes registrados em 2009 e pelo aumento das despesas financeiras. As diferenças entre os valores do lucro líquido publicados anteriormente em BRGAAP e os agora publicados em IFRS são apresentadas a seguir (R$ milhões): R$ milhões Lucro Liquido

2009

2010

Lucro Líquido (BRGAAP Publicado)

2.599

-

Ajustes

16

-

Lucro Líquido (IFRS)

2.615

2.516

Investimentos No ano de 2010, os investimentos realizados pela CSN totalizaram R$ 3.636 milhões, dos quais R$ 2.201 milhões foram investidos em/por suas controladas ou controladas em conjunto, com destaque para: Transnordestina Logística: R$ 1.371 milhão; CSN Aços Longos: R$ 275 milhões; CSN Cimentos: R$ 249 milhões; MRS Logística: R$ 199 milhões.

046a055_port.indd 51

50

51

26/05/11 16:04


Central Termoelétrica (CTE), em Volta Redonda (RJ)

O saldo remanescente dos investimentos, R$ 1.435 milhão, foi aplicado na Controladora, cabendo destacar: manutenção e reparos: R$ 483 milhões; expansão da mina de Casa de Pedra: R$ 275 milhões; expansão do Porto de Itaguaí: R$ 139 milhões; melhorias tecnológicas: R$ 125 milhões.

Capital de giro O capital de giro aplicado no negócio totalizava R$ 2.844 milhões no fim de dezembro de 2010, um crescimento de R$ 770 milhões em relação ao fim de 2009, basicamente pelo acréscimo nos estoques, em decorrência do menor volume de vendas de produtos siderúrgicos. O prazo médio de recebimento de clientes passou de 31 dias no fim de dezembro de 2009 para 26 dias em dezembro de 2010, e o prazo médio de pagamento a fornecedores passou de 26 dias para 25 dias no mesmo período.

2.884 mi é o valor total do capital de giro

CAPITAL DE GIRO (R$ Milhões)

Dez/2009

Dez/2010

Ativo

3.130

3.963

Variação (4T10 x 4T09) 833

Contas a Receber

1.186

1.259

73

Estoques (*)

1.889

2.492

603

Antecipação de Impostos

55

212

157

Passivo

1.057

1.120

63

Fornecedores

504

521

17

Salários e Contribuições Sociais

134

165

31

Tributos a Recolher

333

398

65

Adiantamentos de Clientes

85

35

(50)

Capital de Giro

2.074

2.844

770

TURNOVER RATIO (Prazos Médios)

Dez/2009

Dez/2010

Variação (4T10 x 4T09)

Recebimento

31

26

(5)

Pagamento

26

25

(1)

Estoques

88

113

25

* ESTOQUES – INCLUI “ADIANTAMENTO A FORNECEDORES” E NÃO CONSIDERA ALMOXARIFADO”.

Resultado por segmento A Companhia atua de forma integrada em cinco segmentos de negócios: siderurgia, mineração, logística, cimento e energia. Os principais ativos que compõem cada segmento de negócios são apresentados a seguir: Siderurgia

Mineração

Logística

Cimento

Energia

Usina Presidente Vargas

Casa de Pedra

Ferroviária:

Volta Redonda

CSN Energia

Porto Real

Namisa (60%)

- MRS

Arcos

Itasa

Paraná

Tecar

- Transnordestina

LLC

ERSA

Portuária:

Lusosider

- Sepetiba Tecon

Prada (Distribuição e Embalagens) Metalic

As informações apresentadas referentes aos cinco segmentos de negócios da CSN são derivadas das informações contábeis, combinadas com alocações e rateio de custos entre os segmentos. A administração da CSN utiliza-se do EBITDA ajustado como indicador para medir a capacidade de geração de caixa recorrente de caixa operacional.

046a055_port.indd 52

26/05/11 16:04


Navio ancorado no Porto de ItaguaĂ­ (RJ): a CSN exporta minĂŠrio de ferro desde 2007

52

046a055_port.indd 53

53

26/05/11 16:04


A seguir as participações dos diversos segmentos na receita líquida e no EBITDA ajustado da Companhia: Receita líquida por segmento em 2010 (R$ milhões)

SIDERURGIA

MINERAÇÃO

LOGÍSTICA

67,0%

24,4%

6,5%

R$ 3.615

R$ 9.926

CIMENTO

ENERGIA 1,4%

R$ 957

R$ 202

0,7%

R$ 113

Participação do EBITDA ajustado de cada segmento no EBITDA ajustado consolidado de 2010 (R$ milhões)

SIDERURGIA

MINERAÇÃO 56,6%

R$ 3.776

LOGÍSTICA

CIMENTO

36,5%

5,8%

R$ 2.439

ENERGIA 0,1%

R$ 387

R$ 9

1,0%

R$ 69

A seguir os resultados consolidados da Companhia por segmento de negócio: R$ milhões Resultado consolidado

Ano 2010 Siderurgia Mineração

Logística portuária

Logística ferroviária

Energia

Cimento

Eliminações/ Corporativo

Consolidado

Receitas

9.926

3.615

119

838

114

202

(364)

14.451

Mercado interno

8.763

574

119

838

114

202

(364)

10.247

Mercado externo

1.163

3.041

-

-

-

-

-

4.204

Custo Produtos/Serv.Vendidos

(6.095)

(1.187)

(70)

(522)

(42)

(164)

393

(7.687)

Lucro Bruto

3.831

2.428

49

317

72

38

29

6.764

Despesas vendas e administrativas

(574)

(135)

(17)

(71)

(26)

(43)

(351)

(1.215)

Depreciação

519

146

6

103

23

14

(3)

806

EBITDA

3.776

2.439

38

349

69

9

(325)

6.355

Margem EBITDA

38%

67%

32%

42%

61%

4%

44%

R$ milhões Resultado consolidado

Ano 2009 Siderurgia

Mineração

Logística Portuária

Logística Ferrov.

Energia

Cimento

Eliminações/ Corporativo

Consolidado

Receitas

8.201

1.964

144

823

117

60

(330)

10.978

Mercado interno

7.046

247

144

823

117

60

(330)

8.107

Mercado externo

1.156

1.716

-

-

-

-

-

2.872

Custo Produtos/Serv.Vendidos

(5.572)

(1.179)

(76)

(464)

(43)

(61)

373

(7.022)

Lucro Bruto

2.629

784

69

358

73

(1)

43

3.956

Despesas vendas e administrativas

(491)

(108)

(14)

(58)

(25)

(16)

(403)

(1.116)

Depreciação

484

135

11

110

25

9

7

780

EBITDA

2.623

811

65

410

74

(8)

(353)

3.621

Margem EBITDA

32%

41%

45%

50%

63%

-13%

046a055_port.indd 54

33%

26/05/11 16:04


Detalhe da bobina de aço

MERCADO DE CAPITAIS Desempenho das ações No ano de 2010, as ações da CSN apresentaram desvalorização de 2%, enquanto no mesmo período o IBOVESPA teve valorização de 1%. Já na NYSE, os ADRs da CSN apresentaram uma rentabilidade de 8%, enquanto o índice Dow Jones apresentou uma valorização de 11%. Nos últimos cinco anos, as ações da CSN apresentaram um retorno ao acionista de 332%, mais do triplo da valorização de 107% do IBOVESPA no mesmo período. Em 2010, a média diária do volume financeiro negociado na BOVESPA com as ações da CSN foi de R$ 106 milhões. Já na NYSE, os volumes médios diários negociados com os ADRs da CSN atingiram US$ 88 milhões.

332% é o índice de retorno ao acionista nos últimos cinco anos

Rentabilidade – CSNA3 / SID / IBOVESPA / DOW JONES Nº de ações

2010

2009

1.483.033.685

1.510.359.220

Valor de Mercado Cotação de Fechamento (R$/ação)

26,67

27,11

Cotação de Fechamento (US$/ADR)

16,67

15,47

Valor de Mercado (R$ milhões)

38.884

39.522

Valor de Mercado (US$ milhões)

24.304

22.550

CSNA3

-2%

108%

SID

8%

168%

IBOVESPA

1%

83%

Dow Jones

11%

19%

Retorno total inclusive dividendos e JCP*

Volume Média diária (mil ações)

3.637

4.930

Média diária (R$ mil)

106.265

110.860

Média diária (mil ADRs)

5.360

7.214

Média diária (US$ mil)

88.710

83.492

FONTE: ECONOMÁTICA * OS DADOS FORAM AJUSTADOS RETROATIVAMENTE PELO DESDOBRAMENTO DE AÇÕES OCORRIDO EM 25 DE MARÇO DE 2010

046a055_port.indd 55

54

55

26/05/11 16:04


07

PERSPECTIVAS, ESTRATÉGIAS E

INVESTIMENTOS

056a059_port.indd 56

26/05/11 16:05


56

056a059_port.indd 57

57

26/05/11 16:05


A CSN investe em projetos de crescimento orgânico e está atenta às oportunidades de aquisição

A diversificação do portfólio de negócios, produtos e mercados, associada aos projetos de redução de custo, integração das operações e autossuficiência nos insumos críticos, segue sendo prioridade estratégica da CSN para manter a alta rentabilidade e a confiança adquirida dos atuais investidores e do mercado em geral nos últimos anos. Prova disso é que a CSN tem apresentado, consistentemente, resultados financeiros robustos e em 2010 as operações consolidadas geraram receita líquida anual de R$ 14,5 bilhões, novo recorde da Companhia, e margem EBITDA de 44%. Simultaneamente ao esforço de crescimento e aos investimentos, que ultrapassaram R$ 3,6 bilhões em 2010, a CSN tem promovido e planeja uma série de projetos de redução de custos e aumento de produtividade, a fim de melhorar cada vez mais sua competitividade e rentabilidade em todos os elos da cadeia. Destacam-se os projetos de excelência na siderurgia, como aumento na produção de coque, redução nos custos de transporte, redução e reaproveitamento de resíduos, eficiência energética, logística, entre outros. Esses projetos têm o potencial de reduzir de forma expressiva o custo de produção, em especial na Usina Presidente Vargas. Além dos projetos de crescimento orgânico, suportados por uma confortável situação corrente de caixa, a empresa permanece atenta às oportunidades de aquisição e aliança estratégica em todos os segmentos em que atua, no Brasil e no exterior, para acelerar a expansão e a geração de valor para seus acionistas.

CRESCIMENTO EM MINÉRIO DE FERRO A CSN apresentou crescimento no volume de vendas de minério de ferro em 2010 e segue como segunda maior exportadora do Brasil. A produção própria chegou a 26,9 milhões de toneladas, e a empresa vem implementando os projetos de expansão na mina de Casa de Pedra e na Namisa de modo que atinja uma capacidade total de produção anual de 89 milhões de toneladas de minério de ferro. A capacidade da mina de Casa de Pedra atingirá 50 milhões de toneladas anuais, enquanto na Namisa os projetos de concentração e pelotização completarão a capacidade total. Paralelamente, a Companhia vem trabalhando na elevação da capacidade de embarque do Tecar, no Porto de Itaguaí, visando atingir 84 milhões de toneladas anuais de minério de ferro. Além dessas expansões, a Companhia está estudando incrementos de capacidade adicionais, tanto da mina de Casa de Pedra, que poderá atingir uma capacidade de 70 milhões de toneladas anuais de minério de ferro, quanto do Tecar, cuja capacidade total de embarque poderá chegar a 130 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.

CRESCIMENTO EM SIDERURGIA A produção de aço em 2010 atingiu 4,9 milhões de toneladas de aço bruto, aumentando em 15% a produção em relação ao ano anterior. A CSN trabalha na diversificação das ativida-

056a059_port.indd 58

26/05/11 16:05


Produção de estanho em Ariquemes (RO)

des siderúrgicas, com a entrada no segmento de aços longos. Por isso a construção de uma unidade em Volta Redonda, com capacidade de produção de 500 mil toneladas anuais, entre vergalhões e fios-máquina. Além dessa, a CSN planeja construir mais duas plantas de aços longos, cujos equipamentos já foram contratados, cada uma com capacidade de produção de 500 mil toneladas anuais. Com um incremento de 1,5 milhão de toneladas nessas três novas plantas e a retomada de 100% da produção da capacidade da Usina Presidente Vargas, 5,6 milhões, a empresa deve alcançar a marca de 7,1 milhão de toneladas de aço. Com relação ao mercado de aços planos, a CSN vem ampliando seus centros de serviços, com investimentos na ampliação da unidade de Porto Real, no estado do Rio de Janeiro, voltada para o setor automobilístico.

CRESCIMENTO EM NOVOS MERCADOS – CIMENTO Após ter concluído a construção de sua primeira fábrica de cimento, que deve atingir o ritmo pleno de produção de 2,4 milhões de toneladas até o fim de 2012, a CSN deverá iniciar, ainda no primeiro semestre de 2011, a produção de clínquer, em sua planta de Arcos (MG), reduzindo significativamente seus custos de produção. A CSN estuda outras alternativas de crescimento orgânico, para aumentar em até 4 milhões de toneladas anuais sua capacidade de produção integrada no Brasil Além disso, a Companhia mantém seu interesse em crescer no setor, visando obter uma participação relevante no mercado brasileiro e mundial, avaliando eventuais oportunidades de aquisição.

CRESCIMENTO – VERTICALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO Paralelamente, a CSN vem desenvolvendo importantes projetos buscando sempre a excelência operacional e a redução de custos, entre os quais pode-se destacar: a instalação de novas baterias de coque, visando a autossuficiência; a substituição da alimentação elétrica da Usina Presidente Vargas, de 138 KV para 500 KV, proporcionando maior estabilidade ao sistema e redução do custo de energia; a finalização da turbina de topo prevista para 2011, que acrescentará 18 MW à capacidade instalada de geração de energia elétrica da Companhia.

056a059_port.indd 59

58

59

26/05/11 16:05


08 GOVERNANÇA

CORPORATIVA

060a069_port.indd 60

26/05/11 16:06


60

060a069_port.indd 61

61

26/05/11 16:06


A CSN domina toda a cadeia produtiva do aรงo

060a069_port.indd 62

26/05/11 16:06


A CSN intensificou o diálogo com investidores

Relações com investidores

Se o ano de 2009 marcou a abertura e a ampliação de novos canais de comunicação com o mercado, 2010 foi a solidificação desses contatos. No ano passado a CSN teve importantes conquistas em sua comunicação com o mercado financeiro, melhorando a percepção dos investidores sobre os fundamentos da Companhia e contribuindo para a redução dos custos de captação. Entre essas conquistas, destacam-se: aumento da participação em eventos nacionais e internacionais. Em 2010 a empresa participou de 20 conferências com o mercado financeiro, o que representou cerca de 400 reuniões com investidores. Adicionalmente foram realizadas 280 reuniões e conference calls na sede da CSN, totalizando 680 encontros com acionistas; diversificação dos mercados com a realização de um Non Deal Roadshow em Tóquio, Hong Kong e Pequim; participação pelo quinto ano consecutivo da Expomoney SP, evento para investidores pessoa física; estreitamento de relações com analistas sell-side, com a realização de visitas às instalações da mina de Casa de Pedra, Porto de Itaguaí e Usina Presidente Vargas, proporcionando uma maior visibilidade de suas operações, estratégias e investimentos.

 



Ações da CSN 100% das ações da CSN são ordinárias, ou seja, cada ação equivale a um voto nas Assembleias de Acionistas da Companhia. Mais de 44% das ações da CSN são negociadas na BOVESPA e na NYSE.

Lei Sarbanes-Oxley

Composição acionária da CSN em 31/12/2010

CSN – Composição do capital social (%)

20,1% BOVESPA (OUTROS) 24,2% ADRS NYSE

47,1% VICUNHA SIDERURGIA S.A.

A Companhia está na fase final da Certificação dos controles internos relativos às Demonstrações Financeiras Consolidadas de 2010 (CSN e suas subsidiárias), em atendimento à seção 404 da Lei Sarbanes-Oxley (SOx). Em 2010, foram realizados testes para avaliar a eficácia dos controles internos da CSN (Usina Presidente Vargas, Casa de Pedra e Porto Real), CSN Cimentos, CSN LLC, CSN Export, CSN Europe (antiga CSN Madeira) e Prada, empresas consideradas relevantes para efeito de Certificação da SOx, tendo sua avaliação sido iniciada em agosto de 2010. Os gestores de cada processo (process owners) foram responsáveis pela execução de testes e pelo monitoramento dos pontos existentes. Cabe ressaltar que os processos de fechamento contábil e divulgação ao mercado financeiro e Entity Level são corporativos e contemplam todas as empresas CSN, exceto a Namisa, que possui estrutura própria para execução desses processos e atividades.

Código de Ética As empresas CSN dispõem de um Código de Ética desde 1998 que é entregue aos empregados por ocasião do treinamento de integração corporativa, quando é possível o esclarecimento de possíveis dúvidas. O Código de Ética das empresas CSN, além de reunir os padrões de conduta pessoal e profissional esperados nas relações mantidas com empregados, clientes, acionistas, fornecedores, comunidades, concorrentes e com o meio ambiente, é também uma declaração de nossa conduta corporativa e dos nossos compromissos. Suas diretrizes são públicas e podem ser encontradas no website da CSN, no endereço: www.csn.com.br. Um dos aspectos tratados em nosso Código de Ética, desde sua criação, é a orientação sobre “Negócios com Ações da Empresa”.

060a069_port.indd 63

2,1% BNDESPAR

0,9% CBS – CAIXA BENEF. 3,9% EMPREGADOS CSN RIO IACO PARTICIPAÇÕES S.A. 1,7% TESOURARIA

62

63

26/05/11 16:06


MEMBROS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Benjamin Steinbruch Presidente Jacks Rabinovich Vice-Presidente Alexandre Gonçalves Silva Antônio Francisco dos Santos Fernando Perrone Gilberto Sayão da Silva Yoshiaki Nakano

MEMBROS DA DIRETORIA EXECUTIVA Benjamin Steinbruch Diretor-Presidente Alberto Monteiro de Queiroz Netto Enéas Garcia Diniz José Taragano Paulo Penido Pinto Marques

Os fatos relevantes são divulgados no Brasil e nos EUA

Divulgação de atos e fatos relevantes A Companhia Siderúrgica Nacional tem Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante, que determina que toda divulgação seja feita com dados fidedignos, adequados e transparentes, com homogeneidade nos prazos previstos, conforme estabelecido pela Instrução CVM 358, de 3 de janeiro de 2002, atendendo também à seção 409 – Divulgação em Tempo Real, da SOx. Todo ato ou fato relevante é divulgado nos mercados em que as ações da empresa estão listadas, o brasileiro (BOVESPA) e o norte-americano (NYSE).

Assembleia Geral de Acionistas Uma vez por ano, conforme estabelece a legislação, a Assembleia Geral de Acionistas, órgão soberano, reúne-se ordinariamente para deliberar, entre outras matérias, sobre a eleição dos membros do Conselho de Administração, a apresentação das contas pelos administradores, as demonstrações financeiras, a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de dividendos. Sempre que necessário, a Assembleia Geral de Acionistas reúne-se extraordinariamente para deliberar sobre matérias que não são de sua competência ordinária.

Conselho de Administração O Conselho de Administração é composto, atualmente, de sete membros, sendo cinco deles independentes, reunindo-se ordinariamente nas datas previstas e extraordinariamente sempre que necessário. O mandato dos membros do Conselho de Administração é de um ano, com possibilidade de reeleição. O papel do Conselho de Administração consiste em definir e acompanhar as políticas e estratégias da Companhia, acompanhar os atos da Diretoria Executiva e decidir sobre assuntos relevantes para os negócios e operações da CSN. É responsável pela eleição da Diretoria Executiva e pode, se necessário, criar comitês especiais de assessoramento para auxílio na execução de suas atividades.

Diretoria Executiva A gestão da CSN e a condução geral de seus negócios são realizadas pela Diretoria Executiva, conforme as políticas e estratégias definidas pelo Conselho de Administração. A Diretoria Executiva é formada atualmente por cinco diretores executivos, sendo um o diretor-presidente. A Diretoria Executiva se reúne periodicamente, ficando a cargo de cada diretor executivo determinadas operações, processos fundamentais e/ou negócios da empresa. O mandato dos diretores executivos é de dois anos, permitida a reeleição.

Comitê de Auditoria O Comitê de Auditoria tem autonomia para a tomada de decisões no que se refere às disposições da Lei Sarbanes-Oxley – seções 301 e 407. Algumas de suas atribuições principais são: revisar, considerar e recomendar ao Conselho de Administração a indicação, remuneração e contratação de auditor externo, bem como supervisionar a atuação das auditorias interna e externa. Com relação à contratação de auditores externos, são adotados procedimentos visando assegurar que não ocorram conflitos de interesse, dependência ou perda de objetividade do auditor no seu relacionamento com a CSN.

060a069_port.indd 64

26/05/11 16:06


Canteiro de obras da ferrovia Nova Transnordestina

Auditoria Interna A CSN dispõe de serviços de Auditoria Interna, com atuação independente dentro da Organização, que assessora e relata fatos relevantes ao Conselho de Administração, ao Comitê de Auditoria e à Diretoria Executiva. Visa analisar a correta aplicação de recursos e prevenção de riscos ao patrimônio das empresas CSN, provendo apoio ao cumprimento dos resultados planejados, com melhoria dos processos e controles internos, seja para melhorar a performance financeira e operacional das empresas CSN, seja para prevenir riscos de perdas, fraudes e, consequentemente, o comprometimento da sua imagem.

Auditores independentes No exercício de 2010, os auditores independentes que prestaram serviços à CSN e suas controladas – KPMG Auditores Independentes – foram contratados para serviços adicionais ao exame das demonstrações financeiras. É entendimento, tanto da Companhia quanto dos seus auditores independentes, que tais serviços, representados basicamente por laudos de avaliação, suporte técnico e revisões do preenchimento de declarações do imposto de renda, não afetam a independência dos auditores. Os serviços adicionais contratados não ultrapassam 10% do valor total dos honorários de auditoria externa. Os serviços prestados pelos auditores externos, adicionalmente ao exame das demonstrações financeiras, são previamente apresentados ao Comitê de Auditoria, para que se conclua, à luz da legislação pertinente, se tais serviços, pela sua natureza, não representam conflito de interesse ou afetam a independência e objetividade dos auditores independentes. Nos termos da Instrução CVM 480/09, em ata de reunião realizada em março de 2011, a Diretoria Executiva declara que discutiu, reviu e concordou com as opiniões expressas no parecer dos auditores independentes e com as demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2010.

060a069_port.indd 65

64

65

26/05/11 16:06


Operação em Casa de Pedra

060a069_port.indd 66

26/05/11 16:06


GESTÃO DE RISCOS É preciso identificar, mensurar e reportar os riscos que ameaçam o atingimento dos objetivos de negócios da empresa. Para isso, a Companhia Siderúrgica Nacional, que atua em um mercado globalizado e cada vez mais complexo, mantém uma área de Riscos Corporativos formada por profissionais especializados que monitoram, de forma independente, todas as ações da empresa. Depois de um amplo trabalho de mapeamento de riscos e avaliação de controles internos, que foi iniciado em 2008, a empresa reduziu significativamente o número de deficiências de controles. Além disso, em 2010 foram incorporadas algumas outras empresas a esse mapeamento de controles, sobretudo a CSN Cimentos e a CSN LLC, com sede nos Estados Unidos. A área de Riscos Corporativos da CSN tem como objetivo garantir o atendimento aos requisitos da Lei Sarbanes-Oxley (seções 302 e 404), além de manter a administração da Companhia e seus acionistas sempre informados sobre os riscos inerentes aos processos de negócio. Os controles internos existentes na CSN, responsáveis pela mitigação dos riscos, são executados pelas áreas operacionais e monitorados pelas áreas de Riscos Corporativos e Auditoria Interna, vinculada ao Conselho de Administração da Companhia, e pelos auditores externos independentes. Além das medidas austeras de prevenção e contingência de riscos, a CSN é uma empresa altamente líquida, com R$ 10,2 bilhões em caixa, o que assegura que a Companhia está bem resguardada em caso de algum acidente de percurso.

Riscos de mercado O setor siderúrgico é, por natureza, bastante cíclico, devido às oscilações de demanda e oferta, causadas por flutuações macroeconômicas mundiais. Quedas expressivas de demanda por aço nos mercados atendidos pela Companhia, no Brasil e no exterior, que acompanham as tendências dos setores automotivo, de construção civil, de utilidades domésticas e de embalagens, podem causar impacto em suas operações. A Companhia, no entanto, costuma atravessar esses ciclos sem grandes impactos nos negócios, pois possui vantagens competitivas, atuando em mercados diversificados, com baixos custos de produção e operações integradas, englobando entre outros, mineração, transporte ferroviário, operações portuárias, fabricação de cimento e geração de energia elétrica.

Riscos de fornecimento de matérias-primas A operação da CSN é considerada integrada por utilizar matérias-primas e ativos próprios, como o minério das minas de Casa de Pedra, Namisa, Arcos e ERSA, as ferrovias MRS e Transnordestina Logística, os terminais portuários (Tecar e Sepetiba Tecon) e os ativos de geração de energia elétrica. Em função dessa integração, a Companhia é considerada autossuficiente nos processos de produção de aço. Nesse sentido, os únicos insumos adquiridos de terceiros no mercado externo são o carvão metalúrgico (100%) e o coque (cerca de 25% do consumo), além do zinco e do alumínio, adquiridos no mercado interno. Adicionalmente, para se proteger de eventuais práticas abusivas de preço por parte de seus fornecedores, a Companhia procura diversificar a procedência dos principais insumos importados (carvão e coque).

060a069_port.indd 67

66

67

26/05/11 16:06


Produtos da fábrica de Porto Real

Riscos de concorrência Há alguns anos a siderurgia mundial vive momentos de intensa transformação, marcados por fusões e aquisições que buscam aumentar a competitividade de diversas formas, principalmente pela redução de custo, e as empresas brasileiras não estão imunes a esse movimento. Para diminuir esse risco, a própria empresa estuda fusões e aquisições de empresas no Brasil e fora dele. Como faz a CSN com a participação em duas laminadoras extrangeiras – a CSN LLC, nos Estados Unidos, e a Lusosider, em Portugal. A presença na América do Norte e na Europa garante, a longo prazo, expansão e estreitamento de laços com clientes estrangeiros. Além disso, a CSN busca estar cada vez mais próxima de seus clientes, oferecendo-lhes produtos de maior valor agregado e mais adequados às suas necessidades, com relação à qualidade, aos serviços e aos prazos de entrega.

Riscos cambiais Como opera e capta recursos no exterior, a Companhia tem parte de suas receitas (exportação: minério de ferro e aço) e custos (importação de insumos: carvão e coque e equipamentos) em moeda estrangeira. Como resultado, a Companhia está sujeita a variações de taxas de juros e câmbio. Para atenuar esses possíveis efeitos negativos, administra o risco das flutuações dos valores em reais que serão necessários para pagar as obrigações em moeda estrangeira, utilizando instrumentos financeiros diversos, incluindo caixa aplicado em dólares e derivativos (contratos derivativos sem alavancagem financeira, a exemplo de opções de compra e venda), principalmente swaps e contratos futuros.

Riscos ambientais Tendo em vista a natureza do processo produtivo, as siderúrgicas são obrigadas a cumprir uma série de exigências da rígida legislação ambiental brasileira, que visa controlar as emissões atmosféricas, os efluentes hídricos e a manipulação e destinação dos resíduos sólidos, para resguardar a saúde humana e ambiental. Mais que atender às exigências da legislação, a CSN adota uma postura preventiva e proativa nas questões ambientais, buscando antecipar eventuais riscos e/ou problemas.

060a069_port.indd 68

26/05/11 16:06


Riscos legais A CSN tem ações na Justiça referentes a reclamações cíveis, trabalhistas e ambientais, além da cobrança de impostos e contribuições federais, estaduais e municipais. Com relação a esses processos, a Companhia tinha, no fim de 2010, cerca de R$ 2,5 bilhões provisionados e R$ 2,7 bilhões em depósitos judiciais, e não existe certeza quanto aos resultados desses processos. A Companhia procura também atenuar seus riscos legais através de procedimentos de consultoria preventiva, acompanhamento da legislação, participação em consultas públicas referentes a processos de elaboração e aperfeiçoamento de normas que impactem suas atividades e presença em órgãos de classe e entidades representativas empresariais.

Riscos de seguros Visando a adequada mitigação dos riscos e face à natureza de suas operações, a Companhia e suas controladas contratam diferentes tipos de apólices de seguros. As apólices são contratadas em linha com a política de Gestão de Riscos e são similares aos seguros contratados por outras empresas do mesmo ramo de atuação. As coberturas dessas apólices incluem: Transporte Nacional e Internacional, Responsabilidade Civil Transportador, Importação, Exportação, Seguro de Vida e Acidentes Pessoais, Saúde, Frota de Veículos, D&O (Seguro de Responsabilidade Civil – Administradores), Responsabilidade Civil Geral, Riscos de Engenharia, Riscos Diversos, Crédito à Exportação, Seguro Garantia e Responsabilidade Civil – Operador Portuário. A Companhia renovou também os seguros de danos materiais e lucros cessantes para suas unidades e controladas com as seguintes exceções: Usina Presidente Vargas, Casa de Pedra, Mineração Arcos, CSN Paraná, Tecar (possui seguro de danos materiais), que se encontram em fase de negociação com seguradoras e resseguradores no Brasil e no exterior para obtenção, colocação e integralização das demais apólices.

Riscos de crédito A exposição ao risco de crédito com instrumentos financeiros é administrada pela restrição de contrapartes em instrumentos derivativos para instituições financeiras de grande porte, com respeitável qualidade de crédito. Dessa forma, a administração acredita que o risco de não cumprimento pelas contrapartes é pequena.

060a069_port.indd 69

68

69

26/05/11 16:06


O9

INOVAÇÃO

A CSN desenvolveu, em 2010, 42 novas embalagens metálicas para o mercado

070a073_port.indd 70

26/05/11 16:07


70

070a073_port.indd 71

71

26/05/11 16:07


A CSN investe em novos processos e produtos inovadores

Firme na proposta de agregar mais valor ao produto final e estar cada vez mais próxima de seus clientes, atuando em toda a cadeia produtiva do aço, a Companhia Siderúrgica Nacional investe na criação de projetos inovadores para ter soluções criativas envolvendo produtos e serviços. Para isso, o montante total investido em 2010 nas atividades de Pesquisa & Desenvolvimento foi de R$ 57 milhões. Os investimentos dão resultados em forma de inovações. Um deles é o desenvolvimento do aço pré-pintado para tanques de combustíveis organometálicos aplicados em automóveis, substituindo os tanques de plástico. O produto tem maior conformabilidade, soldabilidade e resistência à corrosão, com uma demanda prevista de 500 mil tanques por ano. Outro projeto desenvolvido e que vem encontrando crescente aceitação no mercado é o aço laminado a frio CSN Extra Fino® para novas aplicações em produtos da linha branca e móveis de aço, respondendo a uma tendência mundial. No segmento da construção civil, foram marcantes a consolidação de nova aplicação do aço CSN pré-pintado na fabricação de novos sistemas construtivos de montagem rápida utilizados em larga escala nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), no Rio de Janeiro, e o uso do CSN Steelcolors®, aço pré-pintando especial para aplicação em fachadas, no estádio Beira-Rio em Porto Alegre, uma das sedes para a Copa do Mundo de 2014.

INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

R$em pesquisa 57 mie

desenvolvimento em 2010

No segmento automotivo, o conceito de inovação, desenvolvimento de produtos e novas aplicações vem sendo objeto de prioridade absoluta e como exemplo podemos citar o aço Dual Phase, que tem como característica principal a redução de peso dos automóveis, permitindo à indústria fabricar veículos mais leves, seguros e com redução de emissão de CO2. Além do aço Dual Phase, foram desenvolvidos novos aços de alta resistência, como Bake Hardening, aços refosforados e microligados, bem como novos aços de elevada conformabilidade para peças expostas, como o Aço Super Ultra Baixo Carbono estabilizado ao Titânio.

MINERAÇÃO

Novas tecnologias também no processamento mineral

070a073_port.indd 72

No negócio mineração, a empresa vem investindo de forma consistente nos estudos tecnológicos e nas avaliações de aplicações de novas tecnologias na área de processamento mineral, com o objetivo de aumentar a produção e a qualidade dos seus produtos, bem como maximizar o aproveitamento do minério lavrado através do incremento das recuperações mássicas e metálicas nos processos. Na prática, com suas operações ainda em fase inicial, essa tecnologia de concentração magnética com alta intensidade (WHIMS) está atualmente viabilizando o beneficiamento dos rejeitos da planta da mina de Casa de Pedra, transformando parte deles em pellet feed. Desde 2006 e nos últimos cinco anos, os consistentes desenvolvimentos de estudos tecnológicos na região demonstraram a viabilidade dos projetos de plantas de beneficiamento para a produção de pellet feed a partir das ocorrências dos itabiritos pobres disponíveis na mina de Casa de Pedra.

26/05/11 16:08


A lata de aço comemorou 200 anos em 2010, mas permanece inovadora. Sua tecnologia permite a concepção de novos formatos e soluções para produtos específicos

EMBALAGENS No segmento de embalagens a CSN tem investido na consolidação de um moderno centro de inovação que permite maior proximidade com os clientes, apresentando novas propostas, conceitos e design em embalagens de três peças expandidas, com formatos inovadores. A CSN tem aumentado sua participação entre as grandes marcas da indústria de alimentos. Em 2010, dentro da estratégia de inovação, a Companhia desenvolveu 42 novas embalagens metálicas, inclusive para micro-ondas, e muitas delas já estão nas prateleiras dos supermercados e nas farmácias de toda a América Latina e mesmo no resto do mundo. A Companhia também apoiou a iniciativa de lançamento do livro 200 Anos da Embalagem de Lata, lançado no último ano.

070a073_port.indd 73

72

73

26/05/11 16:08


10

RECURSOS HUMANOS

19 mil empregados atuam na Companhia

074a081_port.indd 74

26/05/11 16:09


74

074a081_port.indd 75

75

26/05/11 16:09


As políticas de RH são orientadas para performance e liderança

074a081_port.indd 76

26/05/11 16:09


Desenvolver pessoas é o foco do modelo de RH

Não se faz uma das cinco maiores empresas do Brasil e das mais rentáveis do mundo sem um modelo de Gestão de Pessoas que promova o desenvolvimento e a capacitação de seus empregados. Num cenário nacional em que a escassez de mão de obra especializada e qualificada é um dos grandes desafios para manter a competitividade, a CSN investe e aposta em estratégias que começam já na formação do indivíduo até sua manutenção e aprimoramento constantes. A Companhia e suas controladas terminaram o ano de 2010 com um incremento de 12,7% no número de empregados, que agora somam 19 mil. O modelo para gerir recursos humanos da empresa é baseado em cinco pilares: atrair; alinhar e engajar; avaliar; desenvolver; reconhecer e recompensar. Há um esforço de dimensionar a estrutura de pessoal a ser implementada em cada área. Foi desenvolvido um conjunto de indicadores de excelência para avaliar, antes da implementação, quantas pessoas são necessárias a um projeto, diminuindo o impacto da mão de obra terceirizada no decorrer do projeto. Pela primeira vez dentro da Companhia isso é analisado segundo critérios de mercado. As políticas de gestão, além de compatíveis com o ambiente competitivo, são fortemente orientadas para a performance e a liderança, tendo como suporte os conceitos de aprendizagem e disseminação do conhecimento.

ATRAIR, ALINHAR E DESENVOLVER Seleção, capacitação e desenvolvimento Os cinco pilares de Gestão de Pessoas da CSN (atrair; alinhar e engajar; avaliar; desenvolver; reconhecer e recompensar) têm como sustentação o investimento em projetos de desenvolvimento. Os programas diversos investem na qualificação profissional para contribuir no crescimento das pessoas e da Organização. Se somadas, todas as atividades de treinamento em 2010 atingiram um total de 2,08 milhões de homens-hora. O desafio de formar e manter mão de obra de qualidade para o futuro do país e acompanhar os planos de expansão da Companhia faz com que vários desses programas sejam para jovens iniciando no mercado de trabalho. Destaque para o novo Programa de Trainees e o Programa Jovens Profissionais, que têm como objetivo a atração de talentos recém-formados ou com até dois anos de formação, para atender às demandas técnicas da empresa. Houve mais de 15 mil inscrições para a seleção de 40 trainees e 85 jovens profissionais. O programa de estágio é direcionado para estudantes de cursos superiores e técnicos das mais diversas especialidades, tendo como objetivo integrar os jovens ao mundo corporativo. Em 2010, a Companhia preencheu aproximadamente 500 vagas em todas as unidades da CSN e controladas. O Programa Capacitar tem como objetivo investir na capacitação de jovens com idade entre 18 e 24 anos que concluíram o ensino médio, qualificando-os para o mercado de trabalho. O sucesso do programa, que em 2010 teve a participação de 568 jovens nas áreas de mineração, siderurgia, cimentos e logística, fez com que a CSN decidisse expandir para toda a Companhia. O Programa de Aprendizagem visa qualificar e incorporar à formação dos jovens competências que favoreçam o prosseguimento de seus estudos, ampliando a perspectiva de inserção e permanência no mercado de trabalho, além de oferecer cursos profissionalizantes organizados em parceria com o Senai.

074a081_port.indd 77

76

77

26/05/11 16:09


261 bolsas foram concedidas para cursos técnicos

Para mostrar seu compromisso de reconhecer e valorizar, a Companhia prioriza o recrutamento interno. No ano de 2010, 42% das vagas foram preenchidas internamente, proporcionando um processo justo e claro, estimulando o desempenho e a capacitação. A empresa também identificou que investir na adaptação do novo empregado e no entrosamento com seus pares gera maior produtividade. Para isso, foi desenvolvido o Programa de Integração Corporativa para os Executivos, permitindo o conhecimento da missão, visão, valores e cultura da organização. Em relação ao desenvolvimento e à retenção de talentos, foram concedidas 73 vagas de MBA em instituições de grande renome nacional, para as quais foram indicados profissionais de grande talento e oriunNovo canal de comunicação interna, o Mural Eletrônico tem 36 telas espalhadas nas unidades dos do Programa de Trainees. Também em 2010, a empresa concedeu 241 bolsas para cursos superiores e 261 bolsas para cursos técnicos, contribuindo dessa forma no crescimento profissional e pessoal dos empregados. Os trainees que ingressaram no programa em 2008 continuaram em 2010 participando de diversas ações de desenvolvimento. Com o término do programa, tiveram a oportunidade de apresentar ao corpo diretivo o Projeto Aplicativo que desenvolveram ao longo do programa, cujo objetivo era a solução de problemas corporativos ou a melhoria de processos da Companhia. Em 2010, também foi criado o Programa Ciranda do Conhecimento, que tem como objetivos promover a aprendizagem contínua, disseminar o conhecimento e ampliar o capital intelectual da Organização. O programa é ministrado por multiplicadores internos que possuem conhecimentos específicos em diversas áreas acadêmicas. Essa transferência de conhecimento propiciou o desenvolvimento dos empregados e dos próprios instrutores, que foram desenvolvidos em novas competências e habilidades, além de serem reconhecidos pelo grupo. Com o objetivo de suportar a expansão e a sustentabilidade dos negócios da Companhia, foi desenvolvido um programa de identificação, avaliação e desenvolvimento de potenciais gestores.

ENGAJAR Comunicação interna Para melhorar o desafio que é fazer uma empresa de 19 mil empregados se comunicar com rapidez e transparência, a CSN lançou em 2010 mais um importante veículo: o Mural Eletrônico. Foram instaladas 36 telas nas 14 principais unidades da empresa. Os murais informam com muita agilidade notícias corporativas e locais, dados sobre os mercados em que atuamos, além de notas sobre o Brasil e o mundo. Dos canais já existentes, a intranet abriga informações sobre a empresa e suas políticas por meio das versões eletrônicas do Código de Ética, do Manual da Organização e do Manual do Comportamento Seguro. Além disso, os empregados recebem notícias atualizadas sobre os projetos da Companhia pelo jornal Matéria-Prima, um veículo bimestral, com tiragem de 25 mil exemplares, que é enviado para a casa de cada empregado. Campanhas internas apoiadas em materiais como outdoors e cartazes também levam informações sobre as diversas atividades da CSN em suas unidades.

074a081_port.indd 78

26/05/11 16:09


Segurança no trabalho Em 2010 a CSN alcançou seu menor índice de frequência de acidentes com pessoal nos últimos oito anos. Para isso, intensificou seus esforços no sentido de disseminar cada vez mais a cultura de segurança no trabalho, objetivando a preservação da integridade e da saúde dos empregados próprios e contratados. Os resultados desse empenho fizeram com que, em 2010, a CSN obtivesse uma redução, comparativamente a 2009, de 22,2% (de 3,65 para 2,84) na taxa de frequência de acidentes com pessoal. Essa melhoria está diretamente ligada a ações da Companhia para aprimorar seu Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Operacional. O programa adota as seguintes medidas: avaliação de risco do posto de trabalho, programa de higiene ocupacional, análise de riscos das instalações e processos, programa de visitas diárias aos postos de trabalho, padronização de atividades, auditoria de qualidade focada em 5S, investigação e análise de acidentes e incidentes, certificação de mão de obra, diagnóstico de trabalho operacional, análise crítica dos processos operacionais, disseminação do manual de comportamento seguro, programa de observação comportamental, gerenciamento das contratadas, adequação das condições de uso do espaço de trabalho e auditorias.

A CSN investe para disseminar a cultura de segurança no trabalho

074a081_port.indd 79

78

79

26/05/11 16:09


5.757 empregados e contratados receberam treinamento em segurança

Vale destacar algumas ações e resultados em 2010: 

Implantação do Programa Top Segurança, com o objetivo de reconhecer os empregados destaque de segurança da Diretoria Executiva de Produção (DEPRO), estimulando-os para o comprometimento e a prática do comportamento seguro, do trabalho em equipe, do direcionamento de esforços na redução de acidentes e da busca pela excelência em segurança. O programa culminou com um evento para os empregados e familiares sobre “Comportamento seguro, um valor pessoal”. Treinamento em parceria com fabricantes nacionais de motocicletas utilizadas pela Companhia e por empresas contratadas, contribuindo para a formação de uma cultura de segurança dos motociclistas. Após o início desse programa em setembro, o número de acidentes nesse tipo de veículo se reduziu de dois por mês para zero, até o fim do ano. Redução significativa de 38,7% (de 62 para 38) no número de acidentes de trajeto, suportado pelo incremento das ações de comportamento seguro no trajeto, que educou e conscientizou os empregados a desenvolver a prática de comportamento seguro no trânsito. Treinamento de 5.757 empregados da CSN e contratadas (incremento de 30% em relação a 2009) no Centro de Treinamento em Segurança da Escola Técnica Pandiá Calógeras, pertencente à Fundação CSN, objetivando a sensibilização do trabalhador (desenvolvimento da percepção de risco) na execução das atividades de forma segura. Reconhecimento da Segurança do Trabalho na CSN por associação de conceituadas entidades, com o recebimento da “Comenda de Honra e Mérito de Segurança e Saúde do trabalho 2010” por ser indicada como melhor siderúrgica nessa área.

   

AVALIAR Rumo Certo – Gestão de Competências Para subsidiar a tomada de decisão em relação às pessoas, a CSN desenvolve ações específicas para acompanhar os níveis de competências de seus empregados. As competências são o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes demonstradas pelo empregado. As dez competências são divididas em três blocos: Core (“competências essenciais”), Sustentabilidade e Negócios. Em 2010, todos os empregados dos níveis executivo, superior e administrativo foram treinados quanto às competências mapeadas em 2009, bem como sobre como proceder nas etapas do novo processo de avaliação, batizado de Rumo Certo. Além disso, para dar suporte aos gestores no processo de avaliação, foi realizado um Workshop de Feedback, com o objetivo de fornecer técnicas e ferramentas que auxiliassem no processo, subsidiando um desenvolvimento eficaz e diferencial dos empregados.

RECONHECER E RECOMPENSAR Participação nos resultados O programa de participação nos resultados busca assegurar melhoria contínua dos resultados da empresa e o aumento da geração de valor para o acionista, por meio da ênfase na performance e no desenvolvimento de estratégias. Os gestores e os empregados são avaliados pelos indicadores de resultados da empresa, da unidade de negócio em que estão inseridos, e pelo desempenho específico, sempre alinhados aos mapas estratégicos e ao GVA®. Tal balanceamento entre os resultados permite que a remuneração variável seja baseada na efetiva contribuição de cada área na realização das metas estratégicas definidas pela empresa, garantindo a premiação dos melhores desempenhos.

074a081_port.indd 80

26/05/11 16:09


Escrit贸rio corporativo da CSN, em S茫o Paulo (SP)

80

074a081_port.indd 81

81

26/05/11 16:09


11

RESPONSABILIDADE

AMBIENTAL

Reserva da Cicuta mantida pela CSN, em Volta Redonda

082a087_port.indd 82

20/05/11 16:51


Veja a localização da Reserva no mapa

82

082a087_port.indd 83

83

20/05/11 16:51


Os bugios em reserva florestal da CSN

082a087_port.indd 84

20/05/11 16:51


Em 2010, a CSN criou um conselho de sustentabilidade

A Responsabilidade Ambiental integra a missão e os valores da CSN e é um dos pilares de sua estratégia de negócio. A empresa busca a melhoria contínua de seus processos, para obter ganhos consistentes em seu desempenho ambiental. Com a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta para a Usina Presidente Vargas, o ano de 2010 marcou o início de um plano de três anos para uma série de melhorias operacionais na siderurgia. Um projeto que, mais do que um termo para renovação das licenças operacionais da usina, é uma oportunidade que a CSN tem para fazer toda a atualização de sua principal operação e superar inclusive os limites exigidos pela legislação, buscando se tornar referência de melhores práticas industriais no setor. São investimentos da ordem de R$ 216 milhões que alçam a Companhia ao grupo dos maiores investidores do Brasil na área. Em 2010, foram desembolsados R$ 336 milhões em projetos ambientais, entre investimentos de capital e custeio. Montante superior aos R$ 291 milhões investidos em 2009. Além da Certificação Ambiental ISO 14.001 em suas principais unidades, a CSN busca constantemente a integração de suas atividades, eliminando desperdícios e aumentando a eficiência energética de suas diversas unidades industriais.

Segurança monitora as reservas florestais

Conselho de Sustentabilidade Criado em 2010, o Conselho de Sustentabilidade reuniu-se trimestralmente para traçar estratégias e debater, planejar e avaliar o desempenho da CSN nas questões sociais, ambientais e econômicas. O Conselho avalia todos os projetos, tem poder de veto e conta com o envolvimento pessoal do presidente do Conselho de Administração, Benjamin Steinbruch, além dos seguintes membros: José Taragano, Marcelo Behar, Marcos Barreto, Thomaz Zanotto, Gerson Scheufler, Carlos Nobre, Fábio Feldman, Adalberto Veríssimo, Ricardo Abramovay, Bertha Becker, Tasso Azevedo. Se 2010 foi o ano da criação do Conselho, projeta-se para 2011 que cresça sua influência nas decisões e nos rumos da empresa.

SGA A CSN segue no esforço de implementar em toda a Companhia o Sistema de Gestão Ambiental. Em 2010, ele foi expandido para outras unidades, como por exemplo a Prada Embalagens. A Transnordestina e o Tecon também iniciaram o processo no mesmo ano.

Mineração Em suas operações, a CSN busca a consolidação de iniciativas sustentáveis de desenvolvimento local e regional, integrando os diferentes interesses das partes envolvidas. Como uma nova diretriz da empresa, já como consequência do Conselho de Sustentabilidade, o projeto de expansão da mineração está pensado estrategicamente desde o começo com forte peso em proteção do meio ambiente. Ele prevê atender às demandas da comunidade de Congonhas (MG), sobretudo nos impactos locais em emissões atmosféricas, recursos hídricos, conjunto paisagístico e ruído.

082a087_port.indd 85

84

85

20/05/11 16:51


CSN mantém o 0800 Linha Verde para questões ambientais de suas áreas

082a087_port.indd 86

20/05/11 16:51


Energia A CSN é uma das maiores consumidoras de energia do Brasil e mantém a firme política de ser autossuficiente em recursos, apostando em hidrelétricas, fonte de energia considerada limpa, e termoelétricas que reaproveitam os gases siderúrgicos residuais. Em 2010, continuaram as obras de instalação de uma turbina de recuperação de pressão de gases do topo do alto-forno nº 3, que possibilitará, através do aproveitamento da energia cinética dos gases, um aumento de 18 MW na geração de energia na Usina Presidente Vargas.

Qualidade do ar, recursos hídricos, resíduos sólidos e áreas de preservação

A CSN é autossufiente

A CSN realiza monitoramento de suas em energia elétrica emissões, bem como tem buscado oportunidades associadas a Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDLs). Nos últimos dez anos a Companhia vem trabalhando para atingir nível próximo a 90% de reaproveitamento da água captada, tendo em 2010 começado um mapeamento completo na malha hídrica da Usina Presidente Vargas. No que diz respeito a resíduos, dentro da política de reutilizar recursos, quase 99% dos subprodutos da Companhia são reaproveitados comercialmente. Em 2010, essa área gerou um faturamento de R$ 212 milhões. Destaque para a adição de escória na produção de cimento, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa associados à produção de cimento. A CSN ainda atua fortemente para recuperar o passivo ambiental de suas atividades anteriores à privatização, bem como na recuperação de áreas de preservação e fomento a projetos de recuperação da ARIE (área de relevante interesse ecológico) da Cicuta e Replanta Guandu.

R$ 336 mi

investidos em políticas ambientais em 2010

Programas ambientais – Transnordestina Dentre os projetos ambientais em implantação na construção da ferrovia, merece destaque o Programa de Arqueologia, que descortinou uma grande quantidade de dados referentes à pré-história do Nordeste. Cerca de 90 mil peças foram coletadas nos sítios arqueológicos escavados, envolvendo objetos de pedra lascada, cerâmicas indígenas e um sem-número de utensílios relacionados ao mundo sertanejo, envolvendo a mobilização de cerca de 60 pesquisadores. O trabalho conjunto com entidades e universidades prevê exposição do material recuperado voltado para a educação patrimonial das comunidades da área de influência do empreendimento.

0800 LINHA VERDE A CSN valoriza a responsabilidade socioambiental e pretende que a relação com a comunidade seja transparente. Para isso, mantém a Linha Verde, um atendimento telefônico gratuito (0800 282 4440) que fica à disposição da sociedade para reclamações, críticas e sugestões na questão ambiental referentes à Companhia.

082a087_port.indd 87

86

87

20/05/11 16:51


12

RESPONSABILIDADE

SOCIAL Atividade com crianรงas do Projeto Garoto Cidadรฃo em Volta Redonda

088a093_port.indd 88

26/05/11 16:13


88

088a093_port.indd 89

89

26/05/11 16:13


R$ 81 mi em investimentos

sociais desde 2006

A Fundação CSN chega aos 50 anos investindo em pessoas

A responsabilidade social está nos valores da CSN. No ano do aniversário de 70 anos da Companhia, a Fundação CSN completa 50 anos de atuação com a missão de desenvolver políticas socialmente responsáveis. O valor investido entre os anos de 2006 e 2010 ultrapassa R$ 81 milhões. Em 2010, os investimentos foram de R$ 14,9 milhões nas áreas de educação, cultura e esporte. Mais do que patrocinar ações nesses setores, a CSN está preocupada com o impacto social nas comunidades em que atua. Por isso destacou uma gerência dentro da área de projetos para diagnosticar os anseios locais. Verificou-se que as principais demandas são de desenvolvimento profissional. Em algumas delas, as operações da CSN tornam-se naturalmente a principal oportunidade de emprego, o que aumenta a responsabilidade e a chance de capacitar a população local.

PATROCÍNIOS Além das iniciativas propostas e executadas pela Fundação, a CSN patrocinou em 2010 projetos culturais e esportivos de entidades e empresas, rigorosamente selecionados, utilizando os mecanismos de incentivo fiscal. Entre outros projetos, foram patrocinados: a exposição “Lúcio Costa – O Arquiteto”, junto às comemorações dos 50 anos de Brasília; o livro Direitos Humanos – Imagens do Brasil; o projeto de construção da Biblioteca Brasiliana na USP, com o acervo de Guita e José Mindlin; os filmes Tropa de Elite 2 e Eu e Meu Guarda-Chuva; a implantação de dois Núcleos de Educação através do Esporte, do Instituto Passe de Mágica. Na área da Infância e Adolescência, a CSN apoiou projetos de instituições inscritas junto aos Conselhos Municipais de Direitos da Criança e do Adolescente. Entre as entidades apoiadas, podemos destacar o GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer), com seu projeto de ampliação das instalações, e o Instituto Deco 20, do jogador de futebol do Fluminense.

    

ENSINO PROFISSIONALIZANTE Em Volta Redonda (RJ) e Congonhas (MG), a CSN mantém tradicionais instituições de ensino profissionalizante, maximizando a utilização de recursos humanos locais em suas operações. A Escola Técnica Pandiá Calógeras (ETPC), em Volta Redonda, prepara profissionais para o mercado de trabalho e também para o vestibular. Em 2010, foram 1.073 alunos matriculados, e a ETPC ofereceu 238 bolsas de estudo integrais e 169 parciais de 50%. Realizou ainda o Curso Capacitar Siderurgia, com cinco turmas, cada uma com duração de quatro meses e total de 178 alunos, selecionados por meio de concurso. O curso é gratuito e os alunos ainda recebem uma bolsa de um salário mínimo federal por mês enquanto estão estudando. Em Congonhas, o Centro de Educação Tecnológica General Edmundo Macedo Soares e Silva (CET) contribui há quase 50 anos na capacitação técnica dos estudantes, oferecendo profissionais treinados para as empresas da região do Alto Paraopeba. Em 2010, ofereceu 65 bolsas integrais e 15 bolsas parciais nos cursos médio/técnico e técnico. O CET estabelece também parcerias com entidades externas, como o PEP (Programa de Educação Profissional, do Governo de Minas) e a prefeitura municipal de Congonhas, que possibilitaram que 185 alunos estudassem com bolsa integral. Outras 48 bolsas integrais foram ofertadas dentro do Curso de Aprendizagem Industrial, patrocinado pela CSN. Esses 48 alunos receberam também uma ajuda de custo mensal durante o curso.

088a093_port.indd 90

26/05/11 16:13


O Projeto Hotel-Escola Bela Vista, em Volta Redonda, oferece capacitação em serviços de hotelaria para jovens em situação de risco social na região sul-fluminense, na faixa etária de 18 a 25 anos. A cada semestre, por meio de parceria com os Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) das prefeituras do sul-fluminense, são selecionados 80 jovens para participar do projeto. É importante ressaltar que a região conta com grande demanda por mão de obra qualificada para o setor de serviços, de maneira que grande parte dos jovens que passam pelo HotelEscola saem do curso já empregados por hotéis, restaurantes, hospitais e empresas de eventos da região. Dez por cento das vagas do curso são reservadas a jovens que estão cumprindo medidas socioeducativas a partir de parceria com o Degase/RJ.

PROJETOS SOCIOCULTURAIS Projeto Garoto Cidadão Iniciado em 1999, o objetivo do projeto é estimular o desenvolvimento social, educacional e emocional de seus participantes por meio da cultura e, assim, favorecer a formação de cidadãos bem informados, sensibilizados para perceber o mundo com consciência crítica. O projeto é voltado para crianças e adolescentes da rede pública de ensino (entre 6 e 16 anos) em situação de vulnerabilidade social. O projeto acontece em parcerias com os governos locais e funciona no contraturno da escola, oferecendo oficinas de música, teatro, dança, artes visuais, inclusão digital e aulas de português e matemática. O ano de 2010 foi destaque por aumentar o número de beneficiados e baixar o custo per capita do projeto. O número de crianças e adolescentes quase dobrou em relação a 2009, atingindo o total de 1.904 participantes. Desde 2007, o custo per capita do projeto vem sendo reduzido paulatinamente. No ano de 2010, o custo da operação per capita/mês caiu de R$ 221,47 para R$ 136,10, uma redução de 38,6%, sem comprometimento da qualidade do atendimento. O Projeto Garoto Cidadão está presente em Itaguaí e Volta Redonda (RJ), Congonhas e Arcos (MG), Araucária (PR) e Mogi das Cruzes (SP), cidades onde a CSN está presente. Em 2011, o processo de expansão será continuado, com previsão de inauguração de unidades no Nordeste.

1.904 jovens atendidos pelo

Projeto Garoto Cidadão

Um Caminhão para Jorge Amado Reconhecido internacionalmente como um dos grandes escritores brasileiros, o baiano Jorge Amado foi, em 2010, a estrela do Projeto Um Caminhão para Jorge Amado em Três Momentos. A iniciativa é a segunda da série depois do sucesso do Projeto Um Caminhão para Ziraldo – Ziraldo de A a Z, que, entre 2006 e 2009, percorreu 20 estados brasileiros e foi visto por um público estimado de 360 mil pessoas. Trata-se de um caminhão-palco itinerante que visita diversas cidades com apresentações de teatro. Por meio das artes cênicas, apresenta ao público dois textos clássicos de Jorge Amado: Capitães da Areia e O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá.

Centro Cultural Fundação CSN Com o objetivo de disseminar e ampliar o acesso da comunidade de Volta Redonda às artes, o Centro Cultural tem o desafio da transformação social através da cultura. Suas ações envolvem a promoção de seminários, oficinas, workshops, palestras, exposições, apresentações musicais e teatrais, além de exibições de filmes. O Projeto Galeria de Arte, por meio de suas exposições, cursos, oficinas e seminários, estimula e promove artistas que trazem propostas inovadoras de arte contemporânea, aliando a investigação e o debate da prática artística, além de realizar importante ação educativa junto às redes públicas de ensino da região.

088a093_port.indd 91

90

91

26/05/11 16:13


Orquestra Jovem se apresentou para mais de 7 mil pessoas

Orquestra Sinfônica Jovem da Fundação CSN Uma orquestra formada por 85 jovens músicos em situação de vulnerabilidade social. Selecionados por edital público, os participantes são inseridos na formação orquestral, complementando o aprendizado com as atividades das oficinas de canto coral, técnica vocal, teoria e percepção musical e história da música. Em 2010, a Orquestra apresentou os espetáculos Concerto Especial com Wagner Tiso e Lô Borges, Concerto de Agosto, O Mundo Maravilhoso de Monteiro Lobato, todos em Volta Redonda (RJ); Natal de Luz, em Petrópolis (RJ); e apresentação do Concerto Beatles Sinfônico, em Mogi das Cruzes (SP). O público total chegou a 7.300 espectadores.

Orquestra de Tambores de Aço Formada por integrantes da Orquestra Sinfônica Jovem e da Comunidade, oriundos, sobretudo, do Projeto Oficinas Culturais, a Orquestra de Tambores de Aço da Fundação CSN é uma das pioneiras no estilo Steel Drums no Brasil. Criada em 2008, já realizou apresentações para um público de cerca de 5 mil espectadores. Destaques em 2010: a Expo Aço (abril); recepção ao príncipe da Bélgica (maio); concerto em Volta Redonda (setembro).

Oficinas culturais As oficinas culturais são orientadas por produtores e artistas, entre músicos, atores, pintores e dançarinos, possibilitando que crianças, jovens e adultos tenham acesso a atividades culturais. Em 2010, as oficinas atenderam cerca de 1.200 pessoas da comunidade, inclusive jovens encaminhados por convênios firmados com APAE e Degase/RJ.

Projeto Fonoteca A Fundação possui um valioso acervo fonográfico, composto de 16 mil discos de 33 e 78 rotações e mais 3 mil partituras, material da extinta Rádio Siderúrgica Nacional, de Volta Redonda. O acervo, restaurado, é disponibilizado para a comunidade para pesquisa, lazer e preservação da memória do rádio. Em 2010, o Projeto Fonoteca passou a ministrar cursos livres voltados para jovens em cumprimento de medidas socioeducativas a partir de parceria com o Degase/RJ.

PROJETOS SOCIOESPORTIVOS Programa Esportivo Social (PES) O Programa Esportivo Social da Fundação CSN (PES), iniciado em 2010 com apoio do Ministério do Esporte e do CONANDA, consiste em desenvolver uma série de atividades para 320 crianças e adolescentes, e seus familiares, em situação de vulnerabilidade social, oriundas da rede pública de ensino das cidades de Volta Redonda, Barra Mansa e Barra do Piraí (RJ). Por meio de cursos, palestras educativas e oficinas, são desenvolvidas as modalidades esportivas de futebol, voleibol, badminton, tênis e judô para jovens de 7 a 18 anos. As atividades ocorrem nos espaços esportivos do Recreio do Trabalhador, que a Fundação CSN mantém em Volta Redonda.

088a093_port.indd 92

26/05/11 16:13


Alexandre Luiz Silva dos Santos, violoncelista da Orquestra Jovem, se apresenta em Volta Redonda

088a093_port.indd 93

92

93

26/05/11 16:13


CRÉDITOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

PRESIDENTE Benjamin Steinbruch CONSELHEIRO Jacks Rabinovich CONSELHEIRO Antônio Francisco dos Santos CONSELHEIRO Fernando Perrone CONSELHEIRO Alexandre Gonçalves Silva CONSELHEIRO Yoshiaki Nakano CONSELHEIRO Gilberto Sayão da Silva

RELAÇÕES COM INVESTIDORES Diretor de Relações com Investidores

DIRETORIA EXECUTIVA

DIRETOR - PRESIDENTE Benjamin Steinbruch DIRETOR EXECUTIVO Paulo Penido Pinto Marques DIRETOR EXECUTIVO Enéas Garcia Diniz DIRETOR EXECUTIVO Alberto Monteiro de Queiroz Netto DIRETOR EXECUTIVO José Taragano

COMUNICAÇÃO CORPORATIVA Gerente de Comunicação Corporativa

Marcos Barreto / marcos.barreto@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7434

Paulo Penido Pinto Marques / paulopenido@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7454

Assessora de Imprensa

David Moise Salama / david.salama@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7588

Especialista em Comunicação Corporativa

Gerente de Relações com Investidores

Especialistas de Relações com Investidores

Claudio Lopes Pontes / claudio.pontes@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7592 Fabio Romanin / fabio.romanin@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7598

Analistas de Relações com Investidores

Fernando Tavares de Campos/ fernando.campos@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7591 Stephan Antonio Szolimowski / stephan.antonio@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7593

Geral invrel@csn.com.br Auditores Independentes

KPMG Auditores Independentes

ADR

Flávia Ferreira da Silva / flavia.ferreira@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7434 Priscila Lenci Boccia / priscila.boccia@csn.com.br Tel.: (55 11) 3049-7241

CRÉDITOS RELATÓRIO ANUAL 2010 Diretoria Executiva Administrativa, Diretoria Executiva de Tesouraria, Diretoria Executiva de Produção, Diretoria Executiva de Projetos, Diretoria Corporativa Institucional, Diretoria de Operação de Minério de Ferro, Diretoria de Controladoria, Diretoria de Auditoria, Diretoria de Logística, Diretoria de Mercado Interno, Diretoria de Mercado Externo, Diretoria de Recursos Humanos, Diretoria Industrial de Cimento, Diretoria de Suprimentos, Diretoria Jurídica, Diretoria de Planejamento e Gestão, Gerência Geral de Meio Ambiente, Gerência de Riscos Corporativos, Fundação CSN.

Depósito: Banco JP Morgan Endereço: 4 New York Plaza, 13th floor – New York – NY 1 Chase Manhantan Plaza, 58th floor – New York – NY NY 1 0005

Editado por

Atendimento aos Acionistas

Coordenação Verde S.A. Edição Mob36 Projeto Gráfico Casa36 Produção Gráfica Jairo da Rocha Fotografias Agência Nitro, acervo CSN, Getty Images

O atendimento aos acionistas é realizado pelo Banco Itaú, Custodiante das ações da CSN.

Pessoalmente nas agências centralizadoras:

 ão Paulo (SP) – Rua Boa Vista 176, subsolo – Centro S  io de Janeiro (RJ) – Rua Sete de Setembro, subsolo – Centro R B  rasília (DF) – SCS QD3, ed. D’Angela, 30 – bloco A, sobreloja – Centro B  elo Horizonte (MG) – Av. João Pinheiro, 195, térreo – Centro Porto Alegre (RS) – Rua Sete de Setembro, 746, térreo – Centro S  alvador (BA) – Av. Estados Unidos, 50, ed. Sesquicentenário – Centro Curitiba (PR) – Av. João Negrão, 65, sobreloja – Centro

Central de Atendimento ao Acionista: (55 11) 5029-7780

13_creditos.indd 102

Diretoria de Relações com Investidores Gerência de Comunicação Corporativa

e Creative Commons (linha do tempo)

JORNAIS DE DIVULGAÇÃO DOS ATOS SOCIETÁRIOS EM 2010 A CSN divulga seus Atos Societários nos seguintes jornais: Valor Econômico Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro

20/05/11 17:05


CSN | Relatório Anual 2010