Page 1

SS


CONVÍVIO

agosto 2011

MENSAGEM AOS RELIGIOSOS E ÀS RELIGIOSAS DO BRASIL Amado, amada de Deus, Irmão e Irmã de Vida Consagrada, TENHO SEDE!

O Papa João Paulo II definiu a Vida Consagrada como: “uma vida profundamente arraigada nos exemplos e ensinamentos de Nosso Senhor. Ela é um dom de Deus para a sua Igreja, por meio do Espírito Santo. A profissão dos conselhos evangélicos, característica da Vida Consagrada, faz com que os traços de Jesus pobre, casto, obediente, adquiram especial visibilidade no meio do mundo. A vivência dos conselhos evangélicos atrai o olhar dos fiéis para o mistério do Reino de Deus atuante na história com a sua plena realização no fim dos tempos”. (Exortação Apostólica pós sinodal –“VIDA CONSECRATA” – 1996 - João Paulo II – nº 1) A Vida Consagrada é um caminho de especial seguimento de Cristo. É um deixar tudo para estar com Cristo e colocar-se com Ele ao serviço de Deus e dos irmãos. É entrega total ao Senhor da vida, é acolhimento total de Cristo na própria vida e na vida da Igreja. O consagrado, a consagrada faz de Cristo o sentido total da própria vida; preocupa-se em reproduzir, na medida do possível, “aquela forma de vida que o Filho de Deus assumiu ao entrar no mundo” (LG 44). Às pessoas de vida consagrada Cristo pede uma adesão total, que implica o abandono de tudo, para viver na intimidade com Ele e segui-Lo para onde quer que Ele vá. O documento de Aparecida ensina que: “Num continente onde se manifestam sérias tendências de secularização, também na vida consagrada, os religiosos são chamados a dar testemunho da absoluta primazia de Deus e de seu Reino. A vida consagrada se converte em testemunha do Deus da vida em uma realidade que relativiza seu valor (obediência), é testemunha de liberdade frente ao mercado e às riquezas que valorizam as pessoas pelo ter (pobreza), e é testemunha de uma entrega no amor radical e livre a Deus e à humanidade frente à erotização e banalização das relações (castidade) (DA nº 219) Hoje a sociedade questiona a vida religiosa, principalmente através de duas perguntas: POR QUE SE CONSAGRAR? PARA QUE SE CONSAGRAR? Só há uma resposta à primeira pergunta: é por amor a Jesus, aquele sobre o qual repousa o Espírito do Pai; aquele em quem devemos manter os olhos fixos, pois, é Ele o autor e consumador de nossa fé; aquele que anuncia a verdade e denuncia a mentira e a injustiça sem desânimo, sem desfalecer, sem medo; aquele em quem devemos nos espelhar e seguir, olhando para seu exemplo de humildade, de perseverança, de obstinação, para assim, cumprir a missão que é dele e nossa, ou seja, guiados pela mão do Pai, ser um sinal da aliança de Deus com a humanidade, ser luz para os cegos que vivem nas trevas da ambição, do orgulho, da ignorância e do pecado e ser instrumento de libertação para os que vivem prisioneiros das injustiças humanas. Já temos assim a resposta à segunda pergunta: o para quê se consagrar? Para amar a Jesus e as pessoas a quem os consagrados são chamados a servir com humildade, característica de João Batista, o precursor que veio preparar os caminhos do Senhor. Como João Batista, o religioso é chamado a testemunhar que não é o Cristo, mas sim servo de Cristo e servidor do Reino de justiça, fraternidade e amor, cuja semente Jesus plantou na face da terra há 2000 anos.

2


CONVÍVIO

agosto 2011

Para melhor servir o povo de Deus com dedicação total, os religiosos assumem o compromisso de viver a castidade, pobreza e obediência, por livre vontade, reconhecendo que o único protagonista deste acontecimento é o Senhor, pois, estes votos somente ganham sentido se forem assumidos por amor a Jesus e por amor ao povo de Deus. Hoje, tem sentido profundo viver a castidade, a pobreza e a obediência, como denúncia contra a idolatria do corpo e do prazer, a idolatria do dinheiro e dos bens materiais e a idolatria do poder. Eis aí a beleza dos votos e da caminhada que os consagrados ou consagradas fazem, não atrás e nem à frente, mas ao lado do povo. Quando renovam os seus votos, o fazem para, unidos a Cristo de modo mais concreto, ser instrumento de luz no meio das trevas que dominam a vida e o mundo. Uma civilização de morte se impõe sobre a sede de viver e de ser feliz. A injustiça impera, aumentando o fosso entre aqueles que possuem muito e os que nada possuem. Os direitos dos cidadãos são lesados, a dignidade ofendida. A violência tomou conta da cidade e do campo. O aborto é legislado, as crianças abandonadas, os jovens dominados pelas drogas. A discriminação e o preconceito separam os irmãos dos irmãos, fazendo-os inimigos entre si. A poluição degrada o meio ambiente. A corrupção impregna as instituições e destrói a ética. Neste contexto sombrio que gera insegurança e medo, os cristãos e de um modo todo especial, os consagrados, as consagradas são chamados a serem os profetas da luz, os missionários da vida, semeadores do bem, os artífices da paz. O santo padre Bento XVI tem sempre lembrado aos consagrados que o mundo tem necessidade de Deus, mas não de um Deus qualquer, mas do Deus de Jesus Cristo, do Deus que se fez carne e sangue, que nos amou a ponto de morrer por nós, que ressuscitou e criou em si mesmo um espaço para o homem. Este Deus deve viver em nós, e nós nele. Esta é a nossa vocação. Somente assim o nosso agir produzirá frutos e frutos que permaneçam. Hoje, contemplando o mistério do crucificado, os consagrados acampam entre os empobrecidos, excluídos, injustiçados, negados pela história e pela sua inserção. Proclamam a inclusão de todas as culturas, etnias, crenças e classes sociais. Resgatam o rosto de Deus pobre e proclamam que sua misericórdia é infinita. Por isto, e muito mais, amado, amada de Deus, vocês merecem todo o nosso apoio, admiração, homenagem e oração, neste dia a vocês dedicado. Aceitem, portanto, da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, o nosso abraço, cheio de ternura e amor. Que neste dia, do nascente ao poente, todos os raios do sol, todos os pingos de chuva, todas as luzes da lua e das estrelas, todas as vozes, todas as mãos, todas as flores dos jardins, irradiem, reguem, iluminem, proclamem, aplaudam, enfeitem e perfumem este dia, em homenagem a vocês. Parabéns! Um bom dia e fiquem com Deus!

Dom Pedro Brito Guimarães, Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada

Brasília - DF, 21 de Agosto de 2011.

3


CONVÍVIO

agosto 2011

PROJETOS SOCIAIS DESENVOLVIDOS PELA CSMR NO BAIRRO ALTO – CURITIBA – PR

Como Tudo Começou... A iniciativa dos trabalhos sociais desenvolvidos no 34ª Romaria daBairro Terra Águas Altoe– das Curitiba - PR começou em 2004. Na ocasião as ações estavam voltadas para a evangelização atendimentos Nos dias 08 a 10 de julho, em Bom Jesus da Lapa, a e34ª Romaria da Terrapsicossociais e das realizados pela Ir. Adelina Bressan. Águas, com o tema “Mudar o sistema, não o clima”. Foram dias de grande partilha e troca atravéspenitência, das articulações grupos e de experiências de vida e de sonhos; dias Foi de oração, caminhada, com louvores e organizações católicas locais que a Congregação das pedidos de perdão à “mãe terra”, por tanto descaso e desrespeito. Servas de eMaria Reparadoras passou atender Nos plenários, a grande multidão pode escolher participar em um dos temasa em famílias moradoras das áreas empobrecidas do questão: Altoé –de Curitiba. * Bairro A terra quem mora e não de quem Atualmente CSMR atua em estreita parceria com a explora. Viver Mais, a Pastoral da Criança e a * Associação Rio São Francisco: quê revitalização? Social da Bertila eatravés * Ação Juventude: umParóquia grito deSanta esperança de de dois projetos sociais voltados para famílias em ressurreição. PROJETO SEMENTES LANÇADAS vulnerabilidade risco social. Trata-se * situação Avanços de e retrocessos na lutae quilombola. ENTREVISTA SÓCIO ECONÔMICA dos projetos “Sementes Lançadas” e “Leitura para * Mineração: progresso de quem? * Todos”. Outro mundo é possível, sonho de Deus, compromisso da gente. Projetos ... e vários membros da ANSD de AOs Irmã Ida, eu PROJETO “SEMENTES LANÇADAS”: Caculé, participamos, com grande proveito, desse último assunto. O trabalho visa através de ações sócio educativas Apareceu forte durante de a apresentação do tema, aumentar o consumo frutas, verduras e legumes, a promover prática deo Jesus que,da sempre renunciou , da aumento qualidade nutricional condenou e esteve em constante conflito comdieta o “poder” em sua época. A mudança parte da das famílias, levar as famílias a valorizar uma partilha, da organização de grupos. boa alimentação, possibilitar a escolha de alimentos O patrono desse plenário foi o padre nutritivos e de boa qualidade e estimular o uso do Jose Comblin, “ressuscitado”, como diz quintal o para o plantio de alimentos. povo, no início desse ano em curso. Segundo PROJETO “LEITURA PARA TODOS”: ele, profeta é aquele queLANÇADAS” ainda tem fé quando PROJETO “SEMENTES todosOFICINA a perdem. A fé,NOS dizQUINTAIS ele, é o jeito, Tendo a em vista que a leitura não é um assunto DE CULTIVO postura que assumimos diante das situações da escolar senão um conjunto de práticas sociais que vida. À medida que nos espelhamos na prática favorecem a qualidade de vida das pessoas e de Jesus, estamos buscando a transformação contribuem para a formação de uma cidadania, o do planeta e de nós mesmos. projeto “Leitura para Todos” tem o objetivo de Sinto-me agradecida a Deus pela incentivar, oportunizar, desenvolver o hábito e o oportunidade de ter estado com esse povão contato com o mundo da leitura de 50 famílias em que sofre, mas também crê, regaça as mangas, situação de vulnerabilidade e risco social do Bairro canta a canção da vida e está em constante caminhada. Alto – Curitiba. O projeto consta com uma mini biblioteca, Guanambí, 12/07/2011 atividades lúdicas e recreação. O acervo é possível por meio de doações de Irmã M. organizações e da comunidade. O Lurdes projetoFrigo propõe-se a incentivar o gosto pela leitura e fortalecer o vínculo familiar. PROJETO “LEITURA PARA TODOS” Junho de 2011 CIRCULO DE LEITURA 4


CONVÍVIO

agosto 2011

Vocação acertada vida feliz No dia 25 de junho, em Capinzal, aconteceu um grande encontro vocacional para jovens de toda a Paróquia. Estiveram presentes 98 jovens, meninas e meninos que demonstraram desejo e vontade de descobrir qual sua vocação. Nosso encontro contou com a ajuda de diversas pessoas que fizeram com que os mementos fossem únicos. Os temas trabalhados foram: vocação a nível psicológico, profissão x vocação, vocação religiosa, matrimonial e sacerdotal na Bíblia. Alegramos-nos com o evento e, com a graça de Deus, conseguimos dialogar sobre o desejo e aspirações de muitos destes jovens, os quais sentem motivados a participarem de outros encontros com estas temáticas. No dia 3 de julho, realizamos uma tarde de recreação e reflexão sobre a vocação à vida. A vida não se reduz ao simples existir. Há nela uma FORÇA interior que suscita disponibilidade, entrega de si, serviço, compromisso, busca de sentido... Todo ser humano é chamado a tomar sua vida nas próprias mãos e a se realizar como PESSOA. “VOCAÇÃO e um chamado particular dirigido a cada homem e mulher para obter seu livre acesso na imensma sinfonia que a vida prepara e realiza a todo instante.” Deus nos chamou à existência desde a eternidade. A vocação à vida, consiste em realizar, com ALEGRIA e LIBERDADE, o plano de Deus delineando por aqueles Dons e Qualidades que deu a cada um e a cada uma. Para finalizar o bloco de trabalhos vocacionais, realizamos, no dia 10 de julho, um encontro com os casais e agentes vocacionais da paróquia, no qual podemos, de forma dinâmica e descontraída, estudar o documento final do III Congresso Vocacional do Brasil. Nossa equipe pode contar com a presença de muitos casais representando as nossas comunidades, parceiras na missão.

5


CONVÍVIO

agosto 2011

Certamente, um dos grandes desafios da animação vocacional é elaborar uma proposta que seja capaz de suscitar e formar vocações que assumam um compromisso baseado nas propostas evangélicas indicadas por Jesus Cristo. Esta é a missão da PV/SAV! A missão de suscitar e formar vocações que hoje se encontram nos diferentes setores da sociedade, dos ambientes universitários aos meios populares; dos aglomerados centros urbanos às zonas periféricas e rurais. Falamos de uma renovada missão vocacional, a exemplo dos discípulos de Jesus, André e Felipe, que comunicam e conduzem os demais até o Senhor. (cf. Jo 1, 35ss). Comemoramos 111 anos e a nossa missão continua! Que Madre Elisa e a Virgem Mãe acompanhem nosso trabalho e o Bom Deus cuide de cada uma de nós e das jovens que desejam viver o estilo de Vida Consagrada! Comunidade Nossa Senhora das Dores - Capinzal

MARIA NO CORAÇÃO DA IGREJA

SIMPÓSIO MARIANO 17 a 21 de julho de 2011 Colégio Arquidiocesano Marista de São Paulo

Na apresentação inicial, o Irmão Afonso Murad contextualizou o Simpósio de Mariologia como iniciativa da União Marista do Brasil ( UMBRASIL), no ANO MARIANO, para os maristas, com o intuito de ser uma experiência vital para os 300 participantes: consagradas/os, irmãos maristas em sua maioria de diversos lugares do Brasil e da América Latina: padres, irmãos e irmãs de várias congregações e funcionários/as de seus colégios, faculdades e obras sociais. Uma experiência mariana compreensível, credível e vivível;

6


CONVÍVIO

agosto 2011

cuidando para não ter cunho de maximalismo mariano e nem minimalismo mariano, mas reconhecendo-a como companheira no plano da salvação. A finalidade foi aprofundar estudos de Mariologia oportunizando reflexão e debates qualificados de temas presentes nas Sagradas Escrituras e as implicações decorrentes da presença de Maria na Igreja e no Instituto Marista, bem como a articulação desses temas com as questões contemporâneas. Realizado em parceria com os Padres e as Irmãs Maristas, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil ( CNBB), Conferência dos/as Religiosos/as do Brasil (CRB) e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Foi lançado o CD com cantos marianos durante o Simpósio, bem como o livro da União Marista do Brasil – UMBRASIL – Maria no Coração da Igreja, múltiplos olhares sobre a Mariologia, Ed. Paulinas - contendo as conferências: - Perfil de Maria numa sociedade plural – Ir. Afonso Murad, marista - Maria, a mulher – Ir. Lina Boff, Serva de Maria do Brasil - Perfil de Maria nos textos bíblicos – Ir. Maristela Tezza - Educar a piedade mariana – Ir. Joaquim Fonseca, marista - O perfil mariano da Igreja – Ir. Francisco das Chagas, marista - A Trindade e a Virgem Maria - uma relação de encontro, comunhão e missão – Leomar Antônio Brustolin - É sacerdote do Clero Diocesano de Caxias do Sul, RS. - Maria no diálogo Ecumênico – Pe.Marcial Maçaneiro. A proposta de aprofundar a reflexão sobre a presença de Maria na vida da Igreja do Brasil e nos carismas congregacionais, “tornando-a conhecida e amada como caminho que leva a Jesus” (Cf.C.4) Inspirados em Maria, queremos ser presença na vida das pessoas, em especial dos que mais necessitam. Como Jesus, ir ao encontro daqueles que estão à margem, fazê-los avançar para águas mais profundas (Cf. Lc 5,4). Celebrar a vida escutando a voz serena e presente da Mãe: Fazei tudo o que ele vos disser (Jo 2,5), nos motivando e convidando à transformação. A iniciativa justifica-se pela necessidade de uma formação embasa coerentemente sobre a presença de Maria na história do povo de Deus, em especial por reconhecermos que, pelo seu exemplo de discípula, esposa e mãe, conhecemos e vivenciamos o amor de Jesus Cristo. Somos, então, convidadas/os a descobri-la como peregrina na fé. Para saber mais a respeito do Ano Mariano, acesse ao site: WWW.anomariano.umbrasil.org.br

O nosso abraço agradecido por termos participado. Irmãs Monica G. Coutinho e Tereza M. Lacerda, smr

7


CONVÍVIO

agosto 2011

34ª Romaria da Terra e das Águas Nos dias 08 a 10 de julho, em Bom Jesus da Lapa BA, aconteceu a 34ª Romaria da Terra e das Águas, com o tema “Mudar o sistema, não o clima”. Foram dias de grande partilha e troca de experiências de vida e de sonhos; dias de oração, penitência, caminhada, louvores e pedidos de perdão à “mãe terra”, por tanto descaso e desrespeito. Nos plenários, a grande multidão pode escolher e participar em um dos temas em questão: * A terra é de quem mora e não de quem explora. * Rio São Francisco: quê revitalização? * Juventude: um grito de esperança e de ressurreição. * Avanços e retrocessos na luta quilombola. * Mineração: progresso de quem? * Outro mundo é possível, sonho de Deus, compromisso da gente. A Irmã Ida, eu e vários membros da ANSD de Caculé, participamos, com grande proveito, desse último assunto. A prática de Jesus apareceu fortemente durante a apresentação do tema, Ele que sempre renunciou, condenou e esteve em constante conflito com o “poder” em sua época. A mudança parte da partilha, da organização de grupos. O patrono desse plenário foi o padre José Comblin, “ressuscitado”, como diz o povo, no início desse ano em curso. Segundo ele, profeta é aquele que ainda tem fé quando todos a perdem. A fé, diz ele, é o jeito, a postura que assumimos diante das situações da vida. À medida que nos espelhamos na prática de Jesus, estamos buscando a transformação do planeta e de nós mesmos. Sinto-me agradecida a Deus pela oportunidade de ter estado com esse povão que sofre, mas também crê, regaça as mangas, canta a canção da vida e está em constante caminhada. Guanambí, 12/07/2011 Irmã M. Lurdes Frigo

8


CONVÍVIO

agosto 2011 XII ROMARIA DA TERRA E DA ÁGUA

Nos últimos dias 30 e 31 de julho, aconteceu, na Diocese de Campo Maior, uma das oito dioceses do Nordeste IV, a décima segunda Romaria da Terra e da Água, cujo tema foi: SALVAR A TERRA E A ÁGUA É SALVAR A VIDA. Foi uma experiência muito forte ver multidões que se preocupam, refletem e rezam buscando possíveis caminhos para salvar a vida do planeta. Pena que ainda são minorias e um pouco tarde, mas talvez para esta minoria já seja muito. Esta iniciativa não deve ser apenas da CNBB do Nordeste Quatro, mas de todo o povo de Deus, de todo ser humano que usufrui destes dons que Deus dá na gratuidade e ainda assim o ser humano, por ganância lucrativa usa e abusa, destruindo a obra da criação. Umas das coisas que me marcaram muito foram a simplicidade, a generosidade e a acolhida daquele povo. Cada paróquia da cidade de Campo Maior acolheu uma das demais Dioceses, que são: Bom Jesus, Picos, São Raimundo Nonato, Oeiras, Floriano, Teresina e Parnaíba. Em cada paróquia aconteceu um seminário, cujos temas foram: - 1º A vida como Deus criou - 2º Êxodo: Mobilidade Humana - 3º A criação de Deus virou mercadoria - 4º Mudanças Climáticas: Causas e efeitos - 5º Como está nosso meio ambiente - 6º Vamos salvar a vida? Nova mentalidade Ao término dos seminários houve, no mesmo espaço, um momento de mística, leitura orante da Palavra de Deus. No fim do dia o grande abraço do açude e depois o animado show com o cantor e compositor Zé Vicente. Na manhã do dia 31, às cinco horas, foi celebrada a Eucaristia ao ar livre, onde teve a participação de uma grande multidão e envio dos romeiros e romeiras. Foi uma experiência gostosa de convivência, partilha e reflexão de uma questão urgentíssima que é não somente refletir, mas partir para uma ação concreta – continua sendo um desfio - em favor da vida do planeta.

9


CONVÍVIO

agosto 2011

Hino da 12º Romaria da terra e da água do Piauí Na criação Deus nos confiou. Pra uma missão Ele nos enviou /: Cuidar da terra e de todas as criaturas, Preservar a natureza pra termos vida futura. /: Salvar a terra, salvar a água Salvar o planeta, salvar a vida.:/ A terra, a água, fogo e o ar, quatro elementos que não podem faltar /: para ter a natureza em equilíbrio precisamos ser ativos para o mundo preservar. Infelizmente a ganância e o poder, mesmo sabendo a herança que vai ter / : vão devastando a caatinga e o cerrado, a vida fica de lado, o futuro é perecer. Essa prática nociva e perversa destrói a fauna e a flora que ainda restam. /: secam os rios, as lagoas e vertentes, ora seca, ora enchente acabando com a floresta. Romeiro e romeira caminhante, seja fermento desta grande romaria /: unamos forças em nossa comunidade, viva o campo e a cidade, viva a terra em harmonia. Santo Antônio, patrono desta romaria, com a interseção da Virgem Maria /: nos abençoe nessa longa caminhada, ilumine nossa estrada, tendo Cristo como guia. Letra e música: Gregório Borges, co-participação: Gilvan Santos Ir. Maria Eva de Jesus Santos Teresina, Piauí

10


CONVÍVIO

agosto 2011

Ressonâncias dos Exercícios espirituais SMR ♣ Foi uma bênção fazer o retiro no Centro de espiritualidade, neste recinto aconchegante, acolhedor. Já na chegada senti alegria interior. Senti-me amada pelo Senhor, por Maria, Madre Elisa, pelas irmãs todas. Foi um retiro especial, dinâmico. Todos os textos bíblicos e dos nossos documentos foram iluminadores. As reflexões se tornaram suaves e profundas. Outro ponto forte, foi a Eucaristia e as colocações do Pe. Piero. Foram também muito válidos os momentos de Adoração Eucarística e de partilha. A dinâmica para acolher com amor cada manhã, valeu, foi ótima. Na unidade e a saudade dos dias de oração e de ternura vividos aqui, desejo para cada irmã uma boa missão. Um abraço. Irmã M. Severina Lanhi

♣ Neste retiro senti forte a presença do Espírito Santo clareando os caminhos que vivi desde 1966, até os dias de hoje. Fico com as últimas palavras do Pe. Piero: “O pão de ontem está duro, o de amanhã está para ser feito, o de hoje é vida, é novo e mole para ser comido”. Quero sentir todo o sabor que nele existe. O importante é o pão de hoje! Amar, viver e lutar, reparando e construindo a presença fiel e perseverante na oração a fim de descobrir as riquezas nas diversidades de dons. As fotos das comunidades que irmã Isa nos transmitiu foram para mim sinal vida concreta. O amor e o perdão pode ser nossa atitude cotidiana. Que Deus abençoe cada irmã por este retiro. A equipe está de parabéns. ♣ Fiz um retiro especial, muito, muito feliz, incorporada no coração da Trindade divina, no espaço das SMR, debruçada em profundos mergulhos do nosso carisma e espiritualidade, na escuta silenciosa da Palavra de Deus, numa atitude e no molde da Mãe de Jesus. Subi ao Tabor da nossa beleza e profunda participação no mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, a exemplo de Maria aos pés das infinitas cruzes da humanidade da nossa casa Planeta que “geme as dores de parto” (CF 2011). Contemplando, aprofundando, avaliando a caminhada, espelhando-me na madre fundadora, nas irmãs que me antecederam, e naquelas que estão a caminho hoje, que continuam crescendo na concepção, na prática, na alegria, e na felicidade de viver. A Congregação está de parabéns por este Projeto de retiro, buscando beber da fonte, fazendo acontecer a simbiose na incorporação do nosso carisma. Foi bom ver a

11


CONVÍVIO

agosto 2011

competência das co-irmãs dirigindo e orientando o retiro, em todas as dimensões, neste lugar privilegiado do Centro de espiritualidade. Que o coração que arde pelo fogo do amor nunca se apague anunciando a Boa Nova através do testemunho da ação e da palavra. Axé. Aleluia. Amém. Agradeço pelas apetitosas refeições, pelo ambiente bem preparado, agradável; pelo silêncio, o jardim encantador, o canto constante dos pássaros; pela acolhida mútua, a temperatura agradável, as orientações de irmã Maria Antonia conduzindo-nos à integração com o universo na biodiversidade e do cosmo entrando em sintonia com Deus. Irmã M. Ida Marcon.

♣ Esta semana de retiro nos proporcionou a progressiva conformação a Cristo que nos convoca para amar, servir e reparar, a exemplo de Santa Maria, mulher, mestra de vida, a quem Madre Elisa se inspirou constantemente, a fim de deixar Deus conduzir nossa história sob o dom do discernimento que vem do Espírito Santo. O primeiro dia: Ser discípula amada por Deus é privilégio, e mais ainda, sentir-me aconchegada no regaço de Deus que fez uma aliança eterna, e esta aliança me leva a reconhecer a virtude da caridade que perpassa o conhecimento humano, norteia minha vida de consagrada e ajuda-me a viver esse valor como essência na vida comunitária. Na continuidade dos outros dias e nos diversos momentos de contemplação dos textos bíblicos, falas, partilhas, fui fazendo um caminho da experiência do Amor em minha vida e na vida de Elisa como pessoa e como história da Congregação. Isto reforçou em mim o desejo de crescimento com a Trindade que é exemplo de comunidade, e a Sede do abandono nas mãos do Pai, deixando-O conduzir minha vida, minha história; também expressar a ação de graças a Ele através dos meus pensamentos, palavras, obras, e o desejo de continuar sendo lâmpada onde estou; sendo discípula de Cristo, a exemplo da Mãe Maria, que “deixou a Vida entrar no mundo e o mundo entrar na vida”. Nos dias de deserto, mesmo na fragilidade e, em alguns momentos obscuros, foi possível fazer experiência e confirmar que: as relações têm como “pano de fundo” a graça, a misericórdia, a justiça, a paz e o amor que vem de Deus; que esses valores nos impulsionam a ter uma relação de amor construtivo onde somos enviadas. Ao rezar e rever a fórmula da minha consagração, despertou em mim o desejo de pedir ao Senhor que não “deixe inacabada essa obra”, e de renovar meu empenho no cotidiano, sem perder de vista meu ponto de partida, de fazer os reparos, deixar “cortar ou podar” para dar mais frutos ainda; de ser discípula de Jesus Cristo em amorosa reparação cooperando conforme o desígnio de Deus. Diante de tantas graças do Senhor, minha prece de gratidão por tudo e por todas que me ajudaram nestes dias. Jesus me provoca a ir e anunciar com os seus mesmos sentimentos, com e como a Mãe Maria, a ser testemunha do amor alegre do Ressuscitado, inspirando-me também no percurso de Madre Elisa através de sua vida e sua história.

12


CONVÍVIO

agosto 2011

Discípulas de Jesus Cristo como mulheres de comunhão e de serviço, reparadoras e dedicadas a santa Maria. Partindo do tema do nosso retiro, por sinal muito sugestivo e oportuno para uma boa experiência de oração e de encontro com Deus, foi um contínuo apelo de Deus na vivência da comunhão e do serviço reparador. A equipe foi muito feliz na forma de expor o conteúdo e de ajudar-nos a fazer a experiência de Deus também à luz dos textos referentes à experiência de Deus na vida de madre Elisa, cujas palavras, exemplo e testemunho iluminam nossa vida. É com alegria que partilho, em poucas palavras, um entre tantos textos rezados nos exercícios espirituais nos dias 14 a 22, dos quais todos me levaram a fazer uma profunda experiência de Deus. “... seu rosto resplandeceu como o sol, suas vestes tornaram-se brancas como a luz”. Todo ser humano é chamado a fazer experiência de Deus, a estar com Deus e ser reflexo de Deus no mundo. A partir do texto da Transfiguração, Mt 17,1-9, rezado e saboreado, refleti sobre as sábias palavras do Padre Piero “Deus não quer que eu ilumine o mundo todo, mas que eu seja lâmpada acesa aqui onde estou, onde Deus me chamou”. Parece tão simples, todavia isto requer de mim uma contínua busca daquilo que mantém a lâmpada acesa. Requer perseverança e cultivo da intimidade com Deus. Isto é o bastante para que o mundo todo seja iluminado pela lâmpada de cada homem e mulher que busca esta luz em Deus e que são reflexo da mesma. Querer iluminar o mundo todo é muita pretensão, pois nem mesmo o sol, com todo o seu esplendor, consegue iluminar o mundo todo ao mesmo tempo, mas quando uma parte está iluminada, a outra aguarda serenamente pela aurora que vai chegar. Também para a mulher e o homem de fé, a noite faz parte da própria existência, porém sem jamais deixar de ser reflexo de Deus, sem jamais desistir de buscar a luz e de ser luz para tantos, porque há uma luz que nunca se apaga, Jesus Cristo (cf. Jo 8,12). Esta é a única luz que ilumina o mundo todo ao mesmo tempo, a luz sem ocaso, onde não existe treva, mas sempre luz, onde não existe noite, mas sempre dia. O povo que andava nas trevas viu uma grande luz, uma luz raiou para os que habitavam uma terra sombria (Is 9,1). Todos já fomos e somos iluminados por esta luz, basta mantermos a chama acesa. Ir. Maria Eva de Jesus Santos Teresina, Piauí

13


CONVÍVIO

agosto 2011

EM BUSCA D’AGUA

Q

ueridas irmãs, desde 05 de Junho até 04 de agosto

deste ano, pude desfrutar de um presente maravilhoso concedido a mim por nossa Província. Estive em Brasília participando do VIII PROFOLIDER promovido pela CRB Nacional. Este, fruto do CETESP, vem a ser “um programa que aprofunda temas específicos da Vida Religiosa Consagrada, desenvolvidos em espaços comunitários de troca de experiência, vivência humana e espiritual, em vista de uma maior interação da pessoa consagrada e suas relações com a Instituição, com a realidade e sua espiritualidade/missão”. O curso foi ministrado em 04 módulos: a Pessoa e a Instituição; a Realidade; Teologia da Vida Consagrada; Espiritualidade e Missão. Cada um destes módulos com temas desenvolvidos por assessores que vieram das várias realidades do Brasil, trazendo suas reflexões e inquietando-nos no mais profundo do nosso ser. Para mim este curso foi um tempo de graça, foi um sair em busca d’água como a “mais sedenta de todas as mulheres”, mais ainda, foi um estar em contato com a FONTE e aumentar a minha sede de amar. O sentir-me em contato, em companhia de Deus/FONTE, foi uma experiência inenarrável. Foi uma força que veio de dentro, que está dentro! Está na essência do meu ser, da minha identidade pessoal, cultural, congregacional. Aqui compreendi que quando alguém esquece de seu ser ou de sua essência, o resultado é uma crise de identidade. É, é esta a tal crise que estamos vivendo a VRC neste momento e que está levando muitas de nós ao desânimo pessoal e comunitário e que vem refletindo em nossa missão, dando a impressão de que tudo o que fizemos não valeu nada. Pois é, esta crise nós podemos combatê-la, redescobrindo nossa identidade e ressignificando nosso ser e agir na Igreja e no mundo, construindo novos vínculos institucionais em seus vários contextos histórico, cultural, religioso e social. Claro que sabemos que esse caminho de superação passa por Deus e que o caminho de Deus passa por nossas emoções, sentimentos, paixões, medos e nossos problemas. O estarmos “conectadas” ao nosso corpo, às nossas emoções e sentimentos nos qualifica nas relações e nos ajuda no caminho da superação e da vivência de uma espiritualidade terapêutica e encarnada capaz de superar toda e qualquer crise. Envio para vocês, através do Convívio, síntese de alguns dos vários temas que foram trabalhados durante o curso. Queira Deus, encontrem um tempinho para ler. Garanto que vale a pena. Irmã M. Marlene Matos

14


CONVÍVIO

agosto 2011

Crescendo como pessoa: Harmonizando os relacionamentos “Obrigada Senhor, porque nasci para viver a consciência primeira de apreciar, valorizar; reconhecer o melhor nas pessoas ou no mundo ao meu redor; afirmar pontos fortes, sucessos e potencialidades passados e presentes; perceber aquelas coisas que dão vida (saúde, vitalidade, excelência) a todos os relacionamentos. Amém”. Como vivemos os nossos relacionamentos em nossas comunidades? Que atitudes geram auto-respeito, autovalor e autoestima nos nossos relacionamentos? Que vícios (fofoca, raiva, apego, arrogância) geram uma grande violência sobre o eu e sobre os outros prejudicando a dignidade do eu e o respeito pelo outro em nossas comunidades? Portanto, este é o momento auspicioso para experimentar e rever qual a base sobre a qual se apóia todo o seu esforço para construir relacionamentos firmes, duradouros e harmoniosos em direção à meta de viver aqui- e – agora o Reino dos Céus. Quanto mais esclareço no meu íntimo e na vivência comunitária a meta em perceber o fundamento de uma construção de relacionamentos saudáveis, mais realizo no meu coração que as minhas ascensões e quedas nas relações interpessoais dependem das minhas ações. Se as minhas ações são nobres e boas, então o meu estado de espírito é também, elevado. Ao contrário, se minhas ações viciosas, poluídas, erradas, a minha queda, também é patente. Assim, se toda a minha vida está baseada em minhas ações, então o meu esforço é principalmente voltado para a mudança de meu comportamento. Eu não tenho o poder para mudar o comportamento de ninguém. O máximo que eu posso realizar é inspirar a mudança do comportamento da outra através da expressão do meu exemplo. Se eu mudar o meu comportamento concentrando a minha mente, na qualidade de minhas ações, então me permito enxergar que quando existe uma transformação verdadeira do eu, tudo que está ao meu redor também se transforma. Vivo com isso o ditado tão feliz que diz: “quando eu mudo para melhorar todo o mundo muda”. Para ocorrer, portanto, esta transformação, tenho que aprender a arte de agir corretamente. Tanto a espiritualidade, quanto a psicologia nos ensinam que a arte primeira de agir corretamente nas relações interpessoais implica na capacidade de apreciar a mim mesmo, os outros e a vida ao redor de forma positiva. Todos nós temos a capacidade de apreciar a riqueza de uma vida valorosa, a beleza das qualidades de alguém que admiramos ou que não admiramos tanto, o poder dos sentimentos e pensamentos positivos. Este apreço acaba por se transformar numa benção para tudo e todas que estão na minha convivência. O poder de nossas bênçãos de apreço não diminui com a idade ou com alguma doença. Ao contrário, elas se tornam mais poderosas à medida que envelhecemos. Quando abençoamos alguém com uma visão positiva, tocamos a bondade guardada nessa pessoa e desejamos

15


CONVÍVIO

agosto 2011

que ela se desenvolva. As bênçãos de uma visão positiva fortalecem e alimentam a vida da mesma maneira que a água regada em solo seco é capaz de fazer brotar a vida. Aquelas que abençoam os seus relacionamentos encontram na vida uma força, um lugar do qual sentem fazer parte, um abrigo contra uma vida sem sentido, vazia e solitária. Realizar esforços para construir relacionamentos saudáveis na vida comunitária aproxima-nos umas das outras e de nosso eu verdadeiro. Quando as pessoas são abençoadas com a excelência nos relacionamentos, descobrem que sua vida é importante, que há algo nelas digno de receber uma benção. E quando abençoamos o outro, podemos descobrir que isso também é válido para nós! Há muitas maneiras de abençoar para servir e assim fortalecer a vida ao nosso redor: através da amizade, maternidade, trabalho verdadeiro do eu, da gentileza, compreensão, generosidade, aceitação, etc. Não importa como façamos, o ato de servir nos abençoará. Quando oferecemos nossas bênçãos de vida fraterna com generosidade, a luz do mundo ganha força ao nosso redor e dentro de nós. Amparamos e reformamos o mundo com as nossas bênçãos. Só somos capazes de abençoar e apreciar a outra quando também nos sentimos abençoadas e apreciadas. Apreciar a vida a partir de uma visão positiva é muito mais celebrá-la do que procurar endireitá-la. Para isso é preciso valorizar a vida como ela é e aceitar aquilo que não podemos compreender. É preciso desenvolver a capacidade de reconhecer e usufruir a alegria fraterna e comunitária. Não é o nosso criticismo, indignação, fofoca ou a nossa raiva que nos permitem seguir em frente e promover mudanças. O mais importante é reconhecer que não estamos sozinhas na tarefa de reconstruir o mundo. “Servir, portanto, baseia-se na premissa de que qualquer vida é digna de nosso apoio e devoção enquanto expressão de amor, justiça, respeito, paz e responsabilidade.” Ter a outra da minha comunidade como um Dom de Deus e uma benção em toda a família congregacional, em seu foco mais amplo, é a descoberta sistemática daquilo que dá vida mais efetiva e mais construtivamente capaz em termos humanos. A apreciação positiva da minha irmã que comigo a excelência comunitária envolve de uma maneira central, a arte e a prática de reconhecer o que fortalece a capacidade de aprender, antecipar e intensificar o seu e o meu potencial positivo. Este Dom de Deus envolve centralmente a mobilização positiva e incondicional frequentemente estabelecido na convivência entre as pessoas que buscam uma meta elevada. Quando faço o exercício da apreciação positiva de forma intensa e verdadeira, a vida comunitária deixa de ser uma tarefa árdua. Abandono à prática do exercício de uma imaginação focada numa visão negativa, na rejeição e no criticismo. Busco fundamentalmente, efetivar uma união construtiva entre as pessoas com o foco nas suas: conquistas, recursos, potenciais inexplorados, inovações, pontos fortes, pensamentos 16


CONVÍVIO

agosto 2011

elevados, oportunidades, valores vividos, tradições, competências estratégicas, históricas, expressões de sabedoria, visões de um futuro promissor.

Para você, quais são as três forças principais que formam a essência positiva enquanto base de sustentação dos relacionamentos em sua comunidade?

Obrigada, Deus! Obrigada pela vida, por esse chão que permite que eu me enraíze cada vez mais nas profundezas do meu eu mais profundo. Obrigada, Deus, por essa imensidão do céu azul, que me permite um descanso, um alívio... Um alívio na caminhada! Obrigada por estas árvores que estão ao meu redor que me inspiram e que me transmitem oxigênio para eu viver! Obrigada, Deus, por este sol que me aquece, me ilumina... Obrigada, Deus, pelo aconchego desse lugar, por eu ter a possibilidade de ver! Simplesmente eu quero agradecer, agradecer as maravilhas, tantas maravilhas que o Senhor faz em minha vida. Obrigada, Deus, pela capacidade imensa de acolher, de amar, sobretudo amar! Essa capacidade que nos aproxima, que nos dilata, que nos corrói, que nos faz sofrer e alegrar. Obrigada, Deus, pelo canto deste pássaro, e por este outro que caminha na minha direção com harmonia, com a beleza, com a singeleza, simplicidade, e que vem comendo o fruto que está à espera dele mesmo. Obrigada, Deus, obrigada por esse ar, ar que eu respiro que me traz a doçura e a beleza, de tanta vida. Obrigada, Deus, por estar neste lugar e poder ainda mais me conhecer assim como sou!

17


CONVÍVIO

agosto 2011

Obrigada Deus, meu Deus, quero somente agradecer, por tantos sinais, tantos sinais da tua presença. Obrigada, Deus, pela capacidade de poder decodificar esses sinais da sua presença e partir cada vez mais na confiança. Obrigada, Deus, mais uma vez obrigada por este canto de pássaro! Que delicioso escutar sua melodia, sinal do teu amor, da tua presença. Obrigada, Deus, mais uma vez te agradeço Pelo teu imenso amor, pela tua doçura, pela tua candura! Obrigada, meu Pai e meu Deus, pelas pessoas que aqui estão que me apontam novos caminhos, novas possibilidades. Obrigada, Deus, por eu ser um ser de partilha de vida de dom! Obrigada, Jesus, por fazer parte desse universo, eu como a fagulha, como uma ponta, como quê? Algo tão pequeno tão frágil... neste mundo imenso... Obrigada, Deus, porque és o meu Deus! Simplesmente por ser meu Deus! Obrigada, Deus, pela existência de pessoas maravilhosas! Obrigada, Deus, porque nós fomos criados à sua Imagem e semelhança no amor, do amor e para o amor. Obrigada, Deus, pela capacidade de escuta e também de ser escutada... Pela força do amor que me faz amar e também me leva a querer ser amada e a captar o amor que as pessoas me dão. Obrigada, Deus, pelas tuas entradas na minha vida, as tuas entradas que são sempre entradas da beleza, do contentamento. Obrigada, Deus, pelos movimentos que sinto em meu coração, em meu corpo nestes dias que aqui estou. Obrigada, Deus, porque são movimentos que me fazem expandir o ser, movimentos que me ajudam a ser mais, não no sentido de ser mais do que outras pessoas, mas de ser mais para as outras pessoas no serviço, no amor, na doação... Obrigada, Deus, por este sentimento tão lindo que vai dentro de mim. Obrigada, Deus, porque tu nos fizeste um pouco parecidos uns com os outros nas nossas fraquezas, debilidades para que a gente

18


CONVÍVIO

agosto 2011

não se sentisse tão só! Mas também nos fizeste com uma generosidade no coração que nos faz às vezes apalpar uma ponta do que é um ser tão imenso que é o teu ser! Obrigada, Deus, te agradeço meu Pai, por tantas maravilhas! Obrigada, Deus pela vida! Pela coragem de viver! Pelo despertar do sentido da sensibilidade! Obrigada, Deus, obrigada Deus, por me criar com um coração largo, largo, largo e ao mesmo tempo um coração que não se entende, que às vezes, ah...! É Deus, tu és o meu Deus! Tu és o meu Deus e isso me deixa feliz, isso me deixa tranquila porque a partir de Ti, sei em quem acreditei! Sei que eu não estou neste universo por acaso, mas que Tu me fizeste para dele desfrutar e ao mesmo tempo que este universo pudesse desfrutar do meu ser. Obrigada, Deus, obrigada, Deus, Obrigada, Deus!

Irmã M. Marlene Oliveira Matos, SMR

19


CONVÍVIO

agosto 2011

Que o Deus da paz esteja com todos vocês que aí se encontram para juntos partilhar novas experiências, e que buscam se fortalecer para, em suas paróquias, fazer germinar a semente do novo. Acreditamos que, assim como os jovens em nossa paróquia de Caculé enfrentam vários desafios e obstáculos para viverem inseridos na igreja como cristão, os jovens de vossas paróquias enfrentam o mesmo, porém não devemos desanimar. Devemos entender que somos o presente da humanidade, que precisamos ser luz para os outros jovens. E que cada um de nós tem a importante missão de evangelizar. Existe uma música que diz o seguinte: “O rosto de Deus é jovem também, e o sonho mais lindo é ele quem tem. Deus não envelhece, tampouco morreu, continua vivo no povo que é seu. Se a juventude viesse a faltar o rosto de Deus iria mudar” (Jorge Trevisol). Estas são frases que mostram a responsabilidade que cada um de nós tem para com a juventude de nossa paróquia. Fazê-la conhecer o nosso Deus com o nosso jeito, com a nosso rosto. Nossa paróquia de Caculé conta com cinco grupos de base da Pastoral da Juventude na zona urbana que se encontram semanalmente e que promovem encontros de formação, momentos de oração e momentos de confraternização com festas típicas de nossa região (forrozão, carnaval) e outras comemorações além de participar das celebrações promovidas pela paróquia ou onde formos convocados. Não foi possível irmos todos, mas aquele que enviamos é sinal do desejo e da alegria de estarmos unidos como igreja jovem. Aqui em nossa paróquia ficaremos unidos a todos vocês pela oração e pelo amor de Cristo. O papa João Paulo II, em uma carta aos jovens dizia a seguinte frase: “Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos”. Então veja que responsabilidades têm. Não devemos nos fechar na igreja ou em casa, temos que ir ao encontro de nossos irmãos jovens, que andam perdidos e que precisam ser encontrados, mas encontrados pelos filhos da luz, que com seu testemunho e vivenda cristã, conseguira atingi-los e despertá-los para uma vida de 20


CONVÍVIO

agosto 2011

conversão e de esperança. Façamos a diferença neste mundo tão igual em consumismo e comodismo. Sejamos JOVENS MISSIONÁRIOS DE JESUS CRISTO. Um grande abraço de todos os jovens de nossa paróquia e da coordenação e assessoria de nossa Pastoral da Juventude de Caculé – BA.

Coordenação Paroquial: Maria da Conceição, Diego, Wandilson e Fernando.

Diretora espiritual: Ir Neide Assessores: Pedro, Cana e Wellington

Ecos da Espiritualidade ecológica Hoje eu fui para um retiro na Congregação das Servas de Maria Reparadoras. Saí de casa 7:30 e cheguei na Congregação 8:00. Fui muito bem recebido pelas irmãs da Congregação. Ao chegar fomos conhecer o sítio, depois fizemos uma pequena reunião. Já oramos e brincamos, pois as irmãs são muito divertidas. Lanchamos e depois fizemos mais brincadeiras. Eu não vejo a hora de ver como esse dia irá acabar. É tão bom! Pedro Paulo Comunidade São Mateus – Guaratiba RJ

Senhor Jesus, Deus de amor, te agradecemos pelo dom da vida que existe de maneira vegetal, animal e mineral. Dai-nos, Senhor, a capacidade de perceber e, principalmente, cuidar dessa diversidade de vida. Percebendo que somos integrados e responsáveis um pelo outro. Que tenhamos o amor e o comprometimento de Maria, para que assim estejamos sempre em constante harmonia. Amém! Marianna Ramos Francisco Comunidade São Mateus – Guaratiba RJ

21


CONVÍVIO

agosto 2011

Bom Senhor, estou em um encontro onde estamos refletindo sobre Espiritualidade ecológica. De início, tivemos uma bela reflexão sobre nós mesmos. Tivemos uma experiência de oração de integração com a natureza, na qual o grupo se encontrou também com todos os jovens e adultos que estavam em um retiro para catequistas. Foi muito bom, foi uma experiência grandiosa. Logo em seguida fomos todos para um breve lanche, e todos comeram e ficaram saciados. Depois nós retornamos e a irmã Monica nos orientou com belas dinâmicas. Logo em seguida fizemos um percurso pelo sítio e rezamos sobre as dores de Nossa Senhora. Sua bênção e um abraço. Fernando da Silva Caculé- BA

As primeiras novas posturas que devemos assumir e a de respeito e amor pela vida e pela natureza à nossa volta. Se aprendermos a respeitar e amar, independente de sermos respeitados e cuidarmos da natureza independente de outros cuidarem ou não, tudo vai melhorar. Isabela Santos Comunidade São Mateus – Guaratiba RJ

Meu Deus, nós agradecemos a ti pela natureza, que o Senhor nos deu de presente, não só para desfrutarmos de seus frutos, mas também para respeitá-la e cuidarmos dela. Que todas as pessoas tenham consciência e aprendam a glorificar a sua obra. Amém. Gabriela Saldanha Campo Grande RJ

Ó Pai, que tudo criou e que tudo cria, ajuda-nos a nos conscientizar sobre a maneira como cuidamos de tudo o que nos deste; amar-nos uns aos outros e, principalmente, a tudo o que nos foi dado por ti para que assim preservemos este magnífico mundo. Leandro de Oliveira Comunidade São Mateus – Guaratiba RJ Encontro das juventudes no Centro de Espiritualidade Dias 06 e 07 de agosto

22


CONVÍVIO

agosto 2011

A experiência vivida com as irmãs Servas de Maria Reparadoras

Há quase um ano e meio iniciei uma caminhada na Congregação das Servas de Maria Reparadoras, inicialmente com acompanhamento vocacional, depois, morando na casa das irmãs. As experiências vividas até então são muitas, partilharei as mais intensas que estão me ajudando no fortalecimento da vocação. Uma experiência significativa é a de buscar a Deus todos os dias na oração e no meu irmão/a, de anunciar a boa nova às pessoas que não conhecem o verdadeiro amor que vem de Deus. A vivência com as irmãs me ensina a cada vez mais me conhecer e conhecer o outro, procurando viver a cada momento com intensidade e com dedicação. Essa vivência me permite perceber o quanto é importante a cada dia vivermos unidos. Além da convivência fraterna com as irmãs ressalto as formações que venho recebendo como de grande ajuda para o meu crescimento. Na formação humana tenho a oportunidade de me conhecer melhor, de perceber meus limites, minhas necessidades, potencialidades e, principalmente, os verdadeiros valores da vida religiosa. Assim, tenho a coragem de me lançar nessa experiência vocacional a fim de encontrar a vontade de Deus em minha vida. Aprofundando um pouco da história da Congregação também senti crescer em mim o desejo de ser Serva de Maria Reparadora, de fazer parte desta família que aprendi amar. A pastoral também enriquece minha experiência. Ajudo na catequese, nos coroinhas e dou aulas de reforço junto às crianças pobres do bairro, e que, de fato, me deixa muito feliz. Aprofundando e vivenciando esta experiência junto às irmãs e às pessoas aqui do bairro, sinto que quero dar continuidade à experiência de Deus em minha vida como Serva de Maria Reparadora aproveitando as oportunidades que tenho de encontrar Deus em todas as coisas. Rubielly Vieira da Rocha

23


CONVÍVIO

agosto 2011

JULHO 05. Ir. Ângela Dallapria 07. Ir. Adelina Bressan 13. Ir. M. Elizabete 17. Ir. Maura Muraro 25. Ir. Ilze Scopel 26. Ir. Enir Richetti 28. Ir. Nair C. Reichert 29. Ir. Maria Soledad

SETEMBRO 07. Ir. Terezinha Perotoni 10. Ir. Zilma da Silva 14. Ir. Jandira Bielski 15. Ir. Corina Bressan 18. Ir. Monica Coutinho 18. Ir. Rita M. Andrade 22. Ir. Luisa Gatto 25. Ir. Paula Grezele

AGOSTO 04. Ir. Avany da Silva 06. Ir. Aléssia Rossi 06. Ir. Cecília Macarini 13. Ir. Filomena Rodrigues 21. Ir. Ana Aparecida Ferreira 24. Ir. Elivete da Silva 24. Ir. Rosaura Fabbri

SUMÁRIO Mensagem aos religiosos e religiosas..............................02 Projetos sociais..................................................................04 Vocação acertada, vida feliz............................................05 Maria no coração da Igreja.............................................06 34ª Romaria da Terra e das Águas..................................08 XII Romaria da Terra e da Água......................................09 Hino da 12º Romaria da terra e da água do Piauí.........10 Ressonâncias dos Exercícios espirituais SMR.................11 Discípulas de Jesus Cristo................................................13 Em busca d’água...............................................................14 Crescendo como pessoa...................................................15 Obrigada, Deus.................................................................17 Juventude...........................................................................20 Ecos da Espiritualidade ecológica....................................21 A experiência vivida com as Irmãs SMR........................23 Aniversários.......................................................................24

24

Informativo Convívio n.3 - 2011  

Informativo da Congregação das Servas de Maria Reparadoras, Província Nossa Senhora Aparecida. Número 03 de 2011.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you