Issuu on Google+

SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

diante dos relatos de encantamento e esperança da juventude em vista da JMJ Rio 2013; relatos de encantamento com a Pessoa P e proposta de Jesus Cristo segundo o estilo de Vida Religiosa Consagrada; expressões de alegria pelo serviço às juventudes nos seus us diversos aspectos religioso, sócio-político político e econômico; alegria diante das expressões de fé e de louvores à Mãe de Jesus nas diversas realidades; alegria em servir na paixão pelo Reino e de estar com os que sofrem.. São estas as expressões de alegria contidas co neste Convívio, espaçoo de vida comum, de familiaridade com Deus, com as Pessoas, Comunidades e Missão.

Noticiário das Servas de Maria Reparadoras

Província Nossa Senhora Aparecida Rua da Cascata, 47 - CEP.: 20530-080 20530 - Tijuca Rio de Janeiro/ RJ.

«Alegrai-vos vos sempre no Senhor!» (Fl 4,4) A recordação do XII Capítulo provincial, em junho deste ano, permanece ecoando em nossos corações. De fato foi um tempo de graça, no qual o Senhor nos fortaleceu na fé, situando-nos situando nos horizontes do Seguimento to de Jesus. Jesus Demos-lhe lhe graças pelos frutos que nasceram durante aqueles dias de intensa reflexão e perspectivas próximas futuras para a vida e missão da Congregação.. Certamente estes frutos não deixarão de se multiplicar no nosso empenho enho de sermos “Testemunhas nhas da presença transfigurante de Cristo, revitalizamos nossa identidade carismática no compromisso do Seguimento de Jesus Cristo e Missão pelo Reino”. Reino Com alegria, estamos stamos nos preparando para acolherr o novo Documento capitular, o qual nos ajudará a vivenciarr nossos compromissos para com a Pessoa, as Comunidades, Comunidades a Missão. É desta circularidade que provém a verdadeira Alegria legria que brota do encontro tro com o Ressuscitado, o nosso tesouro. tesouro Não o guardemos, portanto, para nós, ele é patrimônio de uma fé professada professad na coletividade: “O que vimos e ouvimos, isso nós anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco... Estas coisas oisas vos escrevemos, para que a vossa alegria seja plena” (1Jo 1,3-4). O anúncio desta fé professada na coletividade nos faz exultar de alegria aleg

A Redação

Preparai Caminho

o

No dia 27/07/2012, no Maracanãzinho/RJ, tive a oportunidade de participar da abertura do grande encontro em preparação ração a JMJ Rio 2013 com o tema: Preparai o Caminho.

É fascinante aos olhos do coração humano ver centenas de jovens, se entrelaçando nos imensos corredores e muitos portões, unidos nidos na mesma fé, fé extravasando ndo alegria pelo prazer de servir, acolhendo de forma muito calorosa todos os que ali chegavam, testemunhando com ousadia o compromisso com a vida cristã, cristã irradiando a convicção de que, dentro 1


SS

Convívio de um ano, neste chão carioca, os quatro pontos do universo juvenil, estarão se olhando e se abraçando fazendo amizades ades que serão marcadas por uma nova experiência de fé. fé

Jul./ago./set 2012

revolucionar a vida de cada uma e cada um de nóss adultos, a rever como e onde estamos investindo nossas nos energias. Somos convocadas/os a apostar no potencial desta juventude, nos colocando ando com dinamismo a serviço deles. E neste primeiro dia o evento terminou com a celebração da Santa Missa presidida pelo Bispo Dom Geovanni Angello, Núncio Apostólico no Brasil, seguida da oração oficial da JMJ Rio 2013. 2013 Irmã M. Zélia Rosseti

Entre esta multidão de jovens, estavam pais e mães em prontidão para oferecerem também eles, seus preciosos talentos em prol da mesma causa. Na abertura, uma linda dinâmica ocupou os quatro espaços vazios em torno da grande cruz situada no centro da arquibancada: jovens portando bandeiras de todos os países do

Experiência ência de PréPré JMJ Rio 2013

Foi com alegria que participei da pré JMJ no Maracanãzinho zinho/RJ, evento que marcou a contagem regressiva para a JMJ, Rio 2013. Foram muitos os participantes cipantes que, com entusiasmo, vivenciaram antecipadamente o que será a Jornada no próximo ano. Descreverei alguns aspectos que me tocaram profundamente: No segundo dia, 28 de julho à tarde, Pe. Jorjão, Arquidiocese do Rio R de Janeiro, marcou presençaa com um momento importante, interagindo com a multidão, relatando alguns impactos importantes que as JMJs anteriores provocaram em alguns jovens jove participantes. Destaco aqui o relato sobre Guido Vidal Franca Sehaffer,

mundo, faziam ecoar o espírito de comunhão, expressando em seus olhares o vislumbrar de um futuro a eles confiados e convocados para, para obedientes es ao mandato de Cristo, fazerem a mensagem do amor incondicional do Pai chegar a todas as nações, tornando possível unir povos das diferentes raças e credos em torno Dele, na busca de construir o mundo de paz, solidariedade e perdão. Com certeza, este e um acontecimento suscitado pelo Espírito Santo - Alma da Igreja, que vem 2


SS

Convívio de Volta Redonda – RJ, que desde criança ansiava por uma profissão que o levasse a ser alguém para ajudar os outros: queria ser policial, bombeiro, médico. Formou-se se em medicina no ano de 1998. Em 2002, iniciou os estudos para o sacerdócio, dócio, no Mosteiro de São Bento; em 2008, ingressou no Seminário São José. José Viveu a sua juventude com alegria curtindo todos dos os momentos com intensidadee e sendo exemplo para muitos outros. Numa JMJ, Guido motivou um jovem participante a doar a sua vida em favor de outros. Este, de fato, descobriu o sentido de sua vida e o valor também de doá-la. la. Hoje este jovem já é sacerdote. Guido, surfista, infelizmente te faleceu por afogamento na praia do Recreio dos Bandeirantes, exercendo seu esporte preferido, em 01/05/2009.. Guido como médico mé ajudou os pobres es e a população de rua. “Ele não ão chegou ao sacerdócio, sacerdócio mas deixou um sacerdote para a Igreja”. As JMJs têm contribuído para suscitar vocações sacerdotais e religiosas. Quem sabe também a JMJ Rio 2013, com a nossa participação, ajudará alguns jovens a descobrir a vocação do seguimento a Jesus Cristo. Dia 29, o Pe. Reginaldo Manzotti falou-nos nos sobre a importância import da missão e que a JMJ no Brasil fosse bem preparada. Portanto, a equipe organizadora fez um pedido ao Papa para que seja realizada uma semana missionária antes da JMJ Rio 2013, a fim de que os jovens se envolvam através de uma missão junto às famílias, prisões, etc. Assim, Assim como Igreja todos/as nós somos convidados a participar desta missão na semana que antecede a JMJ Rio 2013. Pe. Reginaldo falou também da importância da Palavra de Deus em nossa vida. “Bíblia na mão, mão Palavra

Jul./ago./set 2012

de Deus no coração e o pé na missão, pois sem a Palavra de Deus não há missão”. A Jornada não é um espetáculo, um show, mas uma nova evangelização. Temos mos que tirar as cinzas das brasas para que o fogo possa voltar com mais vigor; precisamos evangelizar; “a ausência dos jovens na política é um erro”, vocês precisam se envolver na política, e em todos os seguimentos da sociedade, disse o Pe. Reginaldo. Na política polít existe sim corrupção, mas nós, s, vocês jovens podem fazer a diferença, “vamos participar e limpar”. Nos três dias houve muita participação cipação e entusiasmo, tivemos um minúsculo sabor de JMJ. Um fato que chamou a atenção foi o grande número mero de voluntários presentes e atuantes com grande entusiasmo nos três dias. Todos eles serão voluntários na JMJ em 2013 A Arquidiocese do RJ está se empenhando enhando para a beatificação de Guido. Ir. Ilse Cecília Reichert

3


SS

Convívio Minha 1ª experiência de Retiro Espiritual

Jul./ago./set 2012

interpessoal, acho normal, pois sei que não somos perfeitos e que com as nossas qualidades e com os nossos defeitos somos capazes de viver viv bem e felizes.

No dia 19 de agosto participei do meu primeiro retiro, juntamente com a Associação Nossa Senhora das Dores, no CTL de Caetité-BA. Foi uma experiência nova para mim, conheci outras pessoas e um lugar diferente. Foi muito bom ter um momento para refletir a Palavra de Deus e contemplar a natureza e o silêncio. Chamou-me me a atenção o texto de Daniel 3, 51 que diz: “Então os jovens, a umaa só voz, puseram-se puseram a louvar, glorificar e bendizer a Deus na fornalha”. Mostra como é importante ter fé em Deus e saber esperar nEle. Apesar de todo sofrimento ou dificuldade devemos bendizer ao Senhor, pois só Ele é digno de todo louvor.

Eu estou feliz por estar fazendo uma experiência de vida tão significativa. E com muita alegria agradeço a Deus D e a todos que me dão força. Francisca Aspirante – Caculé/BA

Vida comunitária e relações

Jéssica Cristina Cristi Aspirante – Caculé/BA

Conviver é uma arte A convivência com pessoas diferentes é algo muito importante para nosso crescimento pessoal e social. Para mim está sendo uma experiência rica, pois estou tende a oportunidade de poder observar as diferenças das d pessoas e ver que cada uma tem o seu jeito de ser. Embora tenho algumas dificuldades no processo de relacionamento

A experiência vivida no Postulinter Postulin tem me enriquecido muito. O conteúdo, a convivência, o todo dos encontros me proporcionaram, ao longo do ano, um grande crescimento humano e espiritual. No último Postulinter, acontecido nos dias 15 e 16 de setembro, aprofundamos sobre a maturidade afetiva, af uma energia que nos capacita de viver em relação e de criar vínculos. A temática 4


SS

Convívio apresentada pela Irmã Valdete foi de grande ajuda para o meu crescimento pessoal. A convivência fraterna com as jovens que estão na mesma etapa formativa me ajuda a sair sai de mim mesma, procurando viver a cada momento com intensidade e com dedicação. Agradeço a Deus e às irmãs que me proporcionaram esta experiência.

Jul./ago./set 2012

Vida Religiosa Consagrada “... eu também fui conquistado por Jesus Cristo” (cf. Fl 3,12). Ser conquistada por Jesus e responder com fidelidade no seguimento a Ele, continua sendo um grande desafio para a Vida Religiosa Consagrada. Somos chamadas continuamente a nos os apaixonar pela beleza do seu anúncio e da vida de Jesus e seguir testemunhando, viver o que Ele viveu anunciar o que Ele anunciou optar pelo que Ele optou e antes de tudo, optar por Ele. O reino do Pai e o Pai do reino eram o centro da vida e da missão de Jesus e para nós, consagradas Servas de Maria Reparadoras, não deve ser diferente, creio que aí está o sentido da nossa consagração: do dias, olhei o “Mais que comum dos mais que pude os rostos doss pobres, gastos pela fome, esmagadoss pelas humilhações, e neles descobri teu rosto, Cristo Ressuscita Ressuscitado!”

Rubielly Vieira da Rocha Pré-noviça noviça - Teresina PI

Semana missionária A experiência da visita missionária missionár às quatro comunidades de Itaperuçu nos n toca profundamente diante do grande contraste que presenciamos nesta n realidade eclesial. Itaperuçu é uma paróquia distante 40 km da Diocese de Curitiba. O povo, em geral, somente a formação do antigo Primário, sofree as consequências consequ do capitalismo e tem uma grande sede de Deus. A Missão nesta realidade é grande, os operários são poucos. Pedimos a Mãe Maria que olhe para seu povo e interceda do seu Filho Jesus, operários para a sua messe. messe

D. Helder Câmara

Que Maria a mulher fiel, nos inspire neste caminho de seguimento a seu Filho. Irmã M. Jaqueline S. Lima – SM

1º Acampamento da Vida Religiosa Consagrada Nos dias 07 a 10 de junho de 2012, a VRC do Piauí realizou o primeiro acampamento nas cidades de Monte Alegre e são Gonçalo, Diocese de Bom Jesus do Gurguéia, PI.

Irmã M. Adelina Curitiba PR

5


SS

Convívio O objetivo desta missão foi a Pastoral Vocacional, sem isolá-la la do contexto familiar. Assim tivemos, primeiramente, contato com c as famílias, visitando-as, as, rezando junto, escutandoescutando as, exaltando a importância da vida dos jovens,

Jul./ago./set 2012

semente lançada naqueles corações, germine.

Irmã M. Eva de Jesus Santos Teresina/PI suas decisões e postura diante da sociedade. Apesar das dificuldades e desafios, até mesmo na constituição do modelo familiar atual, não podemos esquecer esquece que é daí que surgem as vocações. Reconhecemos, portanto, a importância da orientação em relação às suas escolhas, discernimento vocacional. Neste sentido, nossa experiência nesta missão foi marcante. Não por que acrescentamos alguma novidade, mas pela acolhida a daquele povo simples e humilde, seu coração alegre e sensível à Palavra de Deus e à mensagem transmitida. Os jovens com os quais tivemos

Escola Vocacional Diocesana No final de semana de 08 a 09 de setembro aconteceu o encerramento da III Escola Vocacional da Diocese no Centro Diocesano João Paulo II, II na cidade de Joaçaba. ba. A Escola foi criada há 03 0 anos com os objetivos de ampliar o trabalho vocacional nas comunidades e paróquias; criar uma maior aproximação com os adolescentes e jovens para ajudá-los los a viver a fé cristã; formar novas lideranças, bem como aprofundar a espiritualidade e vocacional nas Pastorais. A Escola aconteceu em quatro finais de semana durante o ano, com 21 participantes de várias paróquias dispostas a cresceram na fé e na construção de suas comunidades. Na 1ª etapa foi trabalhado o tema: Realidade Juvenil, venil, na 2ª e 3ª etapas etapa o tema: Liderança e na 4ª etapa a Espiritualidade na animação vocacional. A assessoria da 4ª etapa foi realizada pela Sra. Rosana Alves que trabalha com os Maristas em Curitiba – PR.

contatos não foram muitos, porém muito receptivos da mensagem vocacional. Rezemos para que a

6


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

Primera Profesión Patricia Arias Grimaldes

Rosana explanou sobre a importância de vivermos a espiritualidade de forma autêntica e verdadeiramente cristã, pois esta diz respeito ao chamado à vida em todas as suas dimensões. A espiritualidade é essencialmente vocacional. Espiritualidade e vocação são um binômio inseparável. A espiritualidade é muito mu maior que as práticas religiosas e é uma das possibilidades de se obter um significado maior para a vida, a oportunidade de desenvolver potenciais e, de se realizar como ser humano emocional e intelectual. Que sejamos sempre pessoas realizadas emociona emocional e intelectualmente. No sábado, dia 08 de setembro, à noite, tivemos a missa presidida pelo Padre Davi Picolli em seguida foi feita a entrega dos certificados aos participantes com a presença do Dom Mário Marquez, Bispo Diocesano, e, em seguida, um jantar tar de confraternização entre os participantes da Escola e seus convidados. Aproveitamos a oportunidade para agradecer a todas as pessoas que ajudaram para que essa III Escola

Jesús le dijo a Simón Pedro: No temas, de ahora en adelante serás se pescador de hombres. Ellos atracaron las barcas a la orilla y abandonándolo andonándolo todo, lo siguieron (Lc 5.10-11). Después Jesús salió y vio a un publicano llamado Levi, que estaba sentado junto a la mesa de recaudaciónn de impuestos, y le dijo: “Sígueme”. El, dejándolo dejándo todo, se levanto y lo siguió (Lc 5,27-28). 5,27 La consagración derivada de la profesión de los consejos evangélicos se sitúa en el contexto y como actuación del seguimiento radical de Cristo, Cristo que es objeto dee una llamada particular que a su vez, conlleva un don particular que se hace capaz de dar una respuesta. La consagración es el acto con el cual Cristo casto, pobre y obediente, a través de la acción de su Espíritu y la mediación de la Iglesia, configura así, a

vocacional acontecesse. Obrigada a todos que trabalharam com entusiasmo e amor e a todos que participaram pela dedicação e responsabilidade. E até a IV Escola Vocacional em 2013! “O Bom Deus cuida de nós com carinho” (M.E)

de manera particular al si correspondido de la joven o del joven. Es por eso que con alegría celebramos este día junto a toda nuestra Familia F religiosa de Siervas de María Reparadoras, doras, la primera profesión de Hermana María Patricia, boliviana, que generosamente rosamente respondió al llamado. La celebración se llevo a cabo en la Iglesia Nuestra Señora del Rosario, capilla de la comunidad parroquial.

Coordenação Diocesana da Escola Vocacional

7


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

Acampamento com os adolescentes do Movimento Reparação

Estuvieron presentes Hna Angelica (Provincial NSG), Hna Corina (Provincial NSA), Hnas as Graciema, Augusta, Ilse, Maria ia de Jesús, Sandra, Dolores, Ana Aparecida y Jessica.

Colégio Elisa Andreoli

En un clima festivo, simple y sereno después de la celebración Eucarística, compartimos unos bocaditos y la torta junto a toda la comunidad parroquial festejando este lindo acontecimiento. Nos sentimos muy en comunión también con la comunidad de Noviciado de Firenzze que en este mismo día la novicia Sabina también realizaba su s primera profesión en nuestra Familia. F Damos gracias a Dios por tanto amor donado en este tiempo para con cada una ayudándonos a crecer, a seguir apostando porr la vida y la Vida Consagrada! También un gracias a las dos Provincias que en este trienio ayudaron en el camino formativo, a cada hermana que a través del contenido, la presencia y la oración se hicieron presente en la comunidad comun de Noviciado Latino- Americano.

“O bom Deus cuida de nós com carinho espacial” (Madre Elisa Andreoli)

Nos dias 29 e 30 de junho de 2012, a equipe de Pastoral do Colégio realizou o Acampamento com os adolescentes do Movimento Reparação no Acampamento ampamento Batista Catarinense - São Miguel/Biguaçu – SC. O mesmo teve como objetivos: objetivo promover a integração entre os participantes em ambiente sadio e ao ar livre; oferecer oportunidades de crescimento pessoal; pessoal estimular o respeito mútuo, a cooperação e a vivência dos valores cristãos. As barracas foram montadas em espaços separados (masculino (ma e feminino) onde as regras estabelecidas (refletidas e aprovadas por todos/as) deveriam ser cumpridas pelos participantes. O acampamento foi um momento forte orte de convivência, recreação, reflexão e espiritualidade idade para os 52 participantes. Foi um momento mom propício para estreitar os laços de amizades, ades, demonstrando alegria por passaram um fim de semana diferente e unidos. Os adolescentes tiveram

Belo Horizonte 2 de septiembre de 2012 Hna M. Soledad Della Rosa y Comunidad Formadora

8


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

- “Que bom quee este ano vamos ter mais um acampamento. É muito legal!

uma boa oportunidade de integração entre si, com a natureza e com Deus. Durante toda a programação, o grupo foi oi dividido em equipes de trabalho. Alguns jovens colaboraram como monitores das equipes. Nos momentos de lazer, aconteceram gincanas animadas entre as equipes que fortaleceram o espírito de coletividade, participação e coresponsabilidade. Encerramos as atividades ividades do acampamento com a avaliação final, desmontando as barracas e um tempo livre para usufruir do lindo espaço e da exuberância cia da natureza. Ao final, todos/as estavam bastante cansados, pois foram dormir nas barracas bem mais tarde do que o de costume. cost Mas, estavam animados/as e na expectativa do próximo acampamento que será no nos dias 05 e 06 de outubro.

- “Gostei Gostei muito de todas as atividades que realizamos, principalmente da dinâmica di dos Monges. Também nos entrosamos mais com os colegas de outras turmas”. - “Gostei porque tivemos muitas brincadeiras que nos ajudaram no entrosamento e participação”. - “Foi MARAVILHOSO, pena que ficamos só uma noite aqui. Deveria ser mais dias”. - “O tempo e o clima também colaboraram bem. A equip equipe organizadora está de Parabéns”. Parabéns Ir. Nilce Masson

Projeto aprendendo em família

A experiência dos acampamentos tem sido muito positiva, por isso, em 2012 organizamos dois eventos. Seguem alguns comentários dos participantes do evento no momento da avaliação: - “Este Este acampamento foi ótimo! Gostei de todas as atividades e principalmente porque tivemos também momentos de oração”. - “Valeu apena, pois fiz novos amigos/as”. Adorei participar do acampamento! Foi minha primeira experiência. - “O local escolhido para o acampamento foi ótimo. O contato com a natureza é sempre muito bom”.

As Rodas de Conversa... As reuniões que acontecem no Colégio Nossa Senhora do Rosário, toda a última quinta-feira quinta de cada mês, possibilitam reunir as famílias com convivências semelhantes, trabalhar, em conjunto, inquietações, necessidades e sentimentos, discutir temas comuns e de interesse de todos, articular as várias famílias, fortalecendo-as as no exercício da busca de qualidade alidade de vida e possibilitam, ainda, novas aprendizagens, 9


SS

Convívio ampliando o leque de conhecimentos, ou mesmo adotando novas atitudes. Como funcionam as Rodas de Conversa? São enviados convites por e-mail e e por telefone para a participação dos responsáveis pelos los alunos bolsistas nas reuniões. É escolhido um tema sobre o assunto, quase sempre dado por um profissional convidado previamente, que dá abertura para um “bate-papo”.

Jul./ago./set 2012

mercadológica na formação crianças e adolescentes. adolescentes

das

Colégio N. Sra do Rosário, Projeto Social Aprendendo em Família

Quem no comando? Uma atividade que contribui na formação dos adolescentes e adultos inscritos na Casa do Projeto -SMR, em S. Margarida, intitulamos – Oficina Sócio-educativa, ducativa, numa roda de conversa descontraída e com dinâmicas diferentes, todas as sextas feiras antes da oficina de Violão

Relembrando... 2012, o tema No dia 3-5-2012, desenvolvido na Roda de Conversa foi “Saúde da Mulher”. O encontro foi presidido pela enfermeira, bombeira socorrista Danielle dos Santos Amorim. Na ocasião a enfermeira Danielle destacou para o grupo que a saúde da mulher exige uma série de cuidados e atitudes preventivas. Cada mulher tem uma história ria e uma bagagem hereditária que devem ser analisadas cuidadosamente com a supervisão de um médico, para garantir uma vida saudável e sem surpresas. Já no dia 28-6-2012, 2012, a Roda de Conversa provocou no grupo momentos de reflexão e discussão sobre o tema “Criança Criança e Consumo”. O trabalho buscou contribuir para o direcionamento de ações efetivas que possibilitem aos responsáveis maior discernimento na educação dos filhos e menor interferência da comunicação

administrada pelo Victor. A cada semana a Ir Monica e ou Andréia, Assistente Social, coordena a “roda”. Chega até você, orientada pela Andréia, a dinâmica, dinâmi chamada “Tempestade”. Assim se desenvolve: um comandante dava comando de direita e esquerda para o grupo e trocávamos o comandante a cada rodada, em seguida lançamos ao grupo as seguintes perguntas: Como se sentiu quando estava coordenando o grupo? Comoo se sentiu quando recebeu ordens? Os adolescentes e adultos presentes, expressavam seus sentimentos... Ah! no começo senti empolgação, empolgação disse um deles; fiquei meio duvidoso, vários partilharam; tranquilo, tranquilo poucos se revelaram desse jeito; com vontade no inicio cio de não fazer nada, mas 10


SS

Convívio depois “legal” outros socializaram esse sentimento. A Andréiaa lembrou ao grupo: “O estilo do comportamento dentro

Jul./ago./set 2012

“Encontrar Encontrar quem você ama é como encontrar-se.” encontrar Na comunidade de Nossa Senhora das Dores, no Bairro de Santa S Margarida,

da casa de projetos que a casa é nossa temos que zelar por ela e cuidar das pessoas que passam pela casa. Envolverem-se se como amigos que hoje recebem orientações de violão, nessa roda/oficina sócio-educativa educativa semanal, mas participativa. É esse o compromisso de seres “humanos

Campo Grande/RJ, no dia 19 de agosto, reuniram-se se duas turmas de catequese da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, cujos catequistas Sebastião César e Lourdes acompanharam na preparação à vivência da Eucaristia no cotidiano. Também a catequistaa Monica ajudou neste encontro especial para todos/as nós. As palavras chaves deste encontro foram: Palavra de Deus, Mistério pascal, Eucaristia; Comunhão partilha de vida, solidariedade; Presença significativa va de Maria com Jesus e conosco. Após a acolhida da dos 31 adolescentes (de 11 aos 15 anos) e dos catequistas, neste local parasidíaco com a visão do Bairro de Santa Margarida, envolvido pelos morros que o contornam ainda in natura, foi pedido aos participantes que montassem um varal com figuras sequenciadas adas sobre a vida de Jesus Cristo, segundo o que eles e elas se lembravam da História de Salvação. Foram divididos em dois grupos: um pregava as figuras, o outro observava em silêncio. Em seguida, a sinopse da Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, foi oi dada a continuidade da dinâmica inicial e cada um/a deveria

confiantes, gerando ambiente saudável”. Um “comando” a partir da confiança, acolhimento... Por enquanto nossa sa participação pára por aqui! Observem que entre os rostos dos “oficinantes de violão”... Encontram-se se os rostos da Andréia, Andréia Assistente Social e o Victor, nosso oficineiro. Fruto do primeiro projeto 2008. Ele recebeu instrução na oficina de violão olão um dos primeiros inscritos e agora partilha voluntariamente seu “Saber”. Andrea e Ir Monica. Caso de Projeto SMRSMR Santa Margarida-Campo Campo Grande RJ

11


SS

Convívio escrever na figura do próprio pé a resposta à seguinte pergunta: Quem é Jesus Cristo ou quem Ele le significa para mim?. As respostas foram retomadas no final do retiro, diante da Eucaristia, onde cada um partilhou, numa palavra, avaliando o que foi vivenciar neste dia. Houve Celebração da Palavra e da Eucaristia, pois nem sempre há Missa nesta comunidade. Logo após, foi apresentada uma parte do filme sobre Eucaristia, no qual frei José Ariovaldo daa Silva aprofunda sobre a “História da caminhada eucarística no mundo”.

Jul./ago./set 2012

Pai, nossa Luz, é a Paixão, é o Amor, carinho, respeito. Ele é o Pastor!” Lohayne Sobral: “Jesus é pra mim o ar que eu respiro. É um exemplo de pessoa como todas as pessoas deveriam ser. Jesus Cristo é meu tudo!” Lyncon Santos: Jesus é o Salvador, milagroso, puro, sincero, paz, amor, carinho. Ele é Poderoso, humildade. Jesus salva alva as pessoas porque Ele tem o poder de libertar, ajudar as pessoas. Eu amo Jesus!” Raissa Santos: “Deus Deus pra mim é paz na minha família. Amor, compaixão e consideração. Jesus pra mim é meu Pai e é tudo que eu tenho!” Laryssa da Silva: “Jesus Jesus Cristo para p mim é uma pessoa muito querida e amada. Ele traz paz e alegria. É um Jesus esus vivo que levo no meu coração e que amo muito em primeiro lugar!” Helen: Jesus é amor, Salvação, carinho, perdão. O Salvador do mundo. É paz, Vida Nova. Sem Jesus não somos nada, porque foi Ele E que salvou a humanidade de nossos pecados, morrendo na cruz. Ele morreu por nós. E porque Ele fez isso? Qual seria a razão disto? Por que ele gosta, ama a todos nós, assim como todos nós devemos amá-Lo!” amá

Alguns testemunhos dos adolescentes neste Retiro: Douglas Salles: “Jesus para mim significa amor, carinho, compaixão e saúde. Jesus é saudade. É nobre. É o carinho, Amor, mor, Honra, Paixão, Paixão Compromisso. É vida, é eterno”. Maria Mercês: “Jesus é paz, amor, humildade, carinhoso, milagroso, tenho muito orgulho de ser sua filha e sei que alguns também sentem orgulho de ser filhos dele. Eu amo muito a Jesus!”

Wessciany Sara: “Jesus Jesus Cristo pra mim im é um Pai misericordioso, milagroso, um exemplo de pessoa para todos. Ele sem nós continua tudo, nós sem Ele, não somos nada. Para mim, Jesus é um alguém essencial. É o ar que respiro, é minha vida! É aquele que eu amo e coloco em primeiro lugar. É o que temos que dar valor porque mesmo de tanto pecado da humanidade, foi Ele que morreu por nós e Ressuscitou!”

Lorran: “Jesus para mim é nossa Salvação!” Thiago Augusto: “Jesus para mim é amor, paz, alegria, a natureza, é tudo de bom e Corpo de Cristo!” risto!” Júlio: “Jesus é a paz; é o Pão da d Vida. É Aquele que nos conduz, é nosso 12


SS

Convívio Gustavo Pereira Andrade: “Jesus é o doador de minha vida. P. S. Jesus, a maior ior parte do meu amor é você!

Jul./ago./set 2012

impossível. É também a libertação e a cura. É o caminho para o Paraíso”. Paraíso Bianca: “Jesus Jesus pra mim é meu Pai Criador de todas as coisas co boas do mundo, além de estar sempre no meio de nós. Ele está sempre me protegendo. Sim, esse é o eterno amor, que deu sua vida inteira para salvar a humanidade!” Miguel: “Jesus veio à terra e salvou a todos nós!” Bruna: “Jesus Jesus pra mim é meu Pai, minhaa família e, principalmente, meu melhor amigo para todas as horas. Ele é tudo que há de bom: meu pai, meu irmão e até mesmo, meu tio, meu primo. Jesus é tudo na minha vida. O que eu sinto por Jesus não tem como dizer... porque o amor que eu sinto por Ele é uma coisa só minha e dEle e de mais ninguém!”

Thayná Nascimento Ozório: Jesus pra mim não é apenas Filho de Deus. Ele é uma pessoa que trouxe paz, amor e felicidade ao mundo!” Sabrina: “Jesus é a minha vida. É também o Pão da Vida sem Jesus, eu não vivo!”

Ingrid: “Jesus é a vida e a saúde porque sem ele não resistiríamos. Ele cura, ele faz tudo por você. E só o que Ele quer é a nossa Paz az!”

Júlio Cesar: “Jesus é para mim, a paz e o amor. Com a presença dele em meu coração mee sinto bem e feliz! Ele tem compaixão com todos e tem misericórdia.” Helen: “Jesus é o Salvador do mundo!” Vitor A. Andrade: “Jesus para p mim é o nosso Salvador na terra e no céu, nessa vida e na morte. Ele é o Filho de Deus, vivendo ou morrendo, sempre será erá nosso Salvador!” Guilherme: “Jesus é o Salvador de todos, mas Deus é também o nosso Pai. Jesus ajuda a todos nos piores e nos melhores momentos. É Ele que ajuda minha família!”

Larissa de Souza: “Jesus é o meu Salvador. Jesus é o enviado do Espírito ito Santo. É o Filho de Deus que O enviou para nos salvar e apagar nossos pecados. ados. Ele é a nossa vida. Ele habita no meu coração. Ele é o Filho do Criador do mundo. Jesus é o Pão da Vida. Jesus é tudo!

Maria: “Jesus Jesus é para mim a Salvação. A vida, o amor, a paz. Ele é um Pai, É uma pessoa que sempre se pode confiar e sempre estará comigo; mesmo nos momentos ruins. E é uma pessoa que consegue fazer o

Letícia de Souza: “Jesus “ é amor, esperança, saúde, Salvador, lvador, tudo que há de bom!” 13


SS

Convívio Larissa: Para mim, Jesus é nosso Salvador que fez uma coisa que ninguém fez por nós: salvou a humanidade! Jesus é como um Pai que muita gente não tem ou não conhece... Jesus é a Salvação, cura, libertação para todas as pessoas viciadas. Jesus é sempre novo, o melhor amigo que sempre nos ajuda nos momentos mais difíceis de nossas vidas. Ele faz o impossível acontecer. É o caminho para o céu e para uma vida bonita, feliz,, vida de amor, paz e partilha!

Jul./ago./set 2012

com o de colo e o pai das crianças apoiando a mão no ombro da esposa participando da “oferta”... Uma jovem ao meu lado ajoelha-se, ajoelha tira da bolsa uma flauta e parece preparar-se preparar para algo muito especial. Olha para a Virgem, lhe sorri confiante e começa mover os dedos deixando deixand fluir as primeiras notas da “Ave Maria” de Gounod. O espaço da capela aos poucos vai enchendo--se daquela doce melodia. Discretos olhares procuram e se encontra no mesmo ponto, na meiga jovem prestando sua homenagem a Maria. Os sentimentos bonitos e profundos ndos da jovem, aos poucos vão tomando todo o espaço e os sentimentos dos peregrinos irmãos presentes. De vez em quando, o olhar da jovem ergue-se se até a imagem de Maria numa comunicação celestial. É sua maneira de “estar” e de expressarexpressar se serenamente. Aliás, s, cada presente está ali, diante da Mãe manifestandomanifestando se com seu jeito próprio e oferece-lhe oferece o que trouxe: flores, velas, orações, sacrifícios, olhares, silêncios. Todos se sentem acolhidos, amados, perdoados, fortalecidos, podendo regressar às suas casas serenamente, porque a Mãe os acolheu, os entendeu, e lhes indicou o caminho a seguir: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5). Fátima é isso: é casa de todos, é encontro da Mãe com o filho/a, é experiência de vida, é lugar de formação, é espaço de reflexão, refle de silêncio, de retomada, é oportunidade para redescobrir o valor do tempo, é encontro de irmãos, de etnias, é lugar de adoração do mistério, de irradiação da misericórdia divina. Neste lugar o céu encontrou-se se com a terra através da inocência de três crianças.

Irmã Tereza Maria Lacerda

Experiência em Fátima/Portugal Sentada na capelinha das aparições, em silêncio diante da imagem de Nossa Senhora Fátima, tento colher o que se passa ao redor. Às 16:40h, calor de uns 35 graus, bancos lotados, fileiras de irmãos peregrinos em pé, formando do uma coroa vivente. Silêncio quase total. Observo: olhares fixos em

Maria, mãos dedilhando contas do rosário, lábios em movimento, mãe com bebê no colo percorrendo de joelhos o recinto das aparições, o irmãozinho maior de mãozinha dada

Irmã M. Lurdes Frigo

14


SS

Convívio 1º Encontro interestadual da ANSD

Jul./ago./set 2012

Dedo de prosa- foi no final da tarde da sexta feira, dia 07/09.

Descontração, alegria, diversificada foi a noite cultural. Abrilhantada Com os músicos vindos e a cantora também, de Santa Margarida. Os variados gêneros de pura MPB música popular brasileira:do forró, ao vanerão, do bolero ao frevo, dos anos 70 ao atual. Partilhamos também doces e salgados típicos do Sul, Sudeste, Nordeste.

Tivemos a visita de pessoas amigas, rezando e colaborando na preparação das refeições, foram elas: os jovens: Clara e o namorado Douglas. Ela, sobrinha da Leonora e da Ir Monica.

Para integrar um pouco entre nós, uma prosa descontraída... tinha gente com chima!!

E a jovem Sra. Marilena, a mesma é orientada pela Ir. Graciema, no exercício EVC. Os membros dos mesmos grupos, preparando uma apresentação do cotidiano das reuniões mensais, atividades que o grupo realiza como ANSD. O resultado dessa atividade –

15


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

celebrei meu Compromisso. Agradeci e agradecerei sempre a cada membro da ANSD. Cleonice Grupo de Santa Margarida Valeu demais todo o processo de organização, para o 1º Encontro Inter Estadual ANSD, no Triênio. Como Associada e atuando nos dois conselhos-Santa Margarida e NSS- dos sete grupos- percebo cada vez mais que na unidade, no diálogo, na comunicação e na partilha tudo é possível. E acrescento: Irmã, agradeço todo carinho, disponibilidade e doação. Você conseguiu o primeiro dos muitos passos que ainda virão como irmã conselheira que vê e acredita que nós associadas/os somos capazes de fazer a nossa caminhada. Você é LUZ, é RAIO, ESTRELA E LUAR, como diz a letra da música cantada pelo Vando. Obrigada por sua LUZ! Um beijão da irmã e amiga (Moa) Leonora Na carona da Leonora, agradeço ao Mauricio, secretário; ao Cesar, responsável e a ela, Leonora, a ecônoma, pelo empenho/disponibilidade de pessoas fiéis ao compromisso de amar, servir e reparar. Prá sempre agradecimentos moniquianos. Quero lhes agradecer pelo Encontro que nos proporcionou, obrigado pelos corações lindos que vocês têm, cheios do coração de Maria! A simplicidade, a naturalidade, o carinho, junto com o carisma mariano, fez desse Encontro, momentos cheios de unidade em Cristo e Maria. Um Grande abraço mariano! Chico e Salvador

A oração da manhã do dia 07, orientada pela Ir Maria Antonia, foi uma experiência boa, pois eu estava num período que não conseguia ficar equilibrada/olho fechado... Mas após a oração a Irmã fez um exercício de equilibro corpo e mente e eu consegui realizar. A Cida de Belo Horizonte, numa conversa descontraída, falou pra mim: “Eu amei te conhecer” foi uma sensação muito boa, pois firmamos laços de amizade/unidade. No sábado, dia do meu compromisso, comecei o dia com uma indisposição intestinal- de tanta emoção que estava sentindo, pois era o dia do meu SIM para a ANSD. Recebi de presente, e todos do grupo, um presente na hora do café, a mesa já estava posta com o presente: uma caneca escrita “Madre Elisa”, o grupo de Florianópolis nos deu. Um momento que me tocou neste dia foi a dinâmica, realizada pelo grupo de Florianópolis, “o corredor do carinho”, onde caminhávamos de olhos fechados, num corredor feito pelos membros, ouvindo frases sobre nós, recebendo carinho, beijos, abraços, afagos. Sentime confiante, pois senti a demonstração de carinho através dos gestos e mensagens que íamos recebendo enquanto passávamos. À noite na hora do meu sim ao Filho de Maria e a ela também, a felicidade de fazer parte desta grande família ANSD, foi enorme, 16


SS

Convívio Vôo de graça, exercício feito na oração da manhã, ficou como o nome desses dias de profunda alegria e de sentir-se sentir família com vontade de voar para casa, mas de voltar trazendoo os que não puderam vir. E já começamos a preparação para o 2º Encontro... Até!!

Jul./ago./set 2012

Espero spero que os grupos continuem se fortalecendo com os membros atuais e também com os novos que com certeza hão de vir com a proteção de Maria Santíssima e a presença do nosso Pai Celestial acompanhando os nossos caminhos, pois somente quando acreditamos que podemos fazer a diferença é que a reparação acontecerá concretamente em nossas vidas. Devemos viver em constante reparação, pois reparar é mudar a si e aos outros através de atitudes e exemplos, sermos melhores. Somente quando acreditamos que podemos fazerr a diferença é que a reparação agirá em nosso meio. E não esqueçam que: “O bom Deus cuida de todos nós com carinho especial”. Madre Elisa Andreoli. Um abraço cordial e fraterno

Gruposs regionais da ANSD

“Em tudo amar, servir e reparar” (Madre Elisa Andreoli) Caros amigos, esse 1º Encontro InterInter Estadual, realizado na Casa de Retiro do Mendanha em Campo mpo Grande no Rio de Janeiro neiro foi maravilhoso e de suma ma importância para partilharmos nossas experiências enquanto grupo, conhecermos um pouco mais do outro e também para o fortalecimento do grande grupo. Foi um encontro de oração, aprofundamento, de convivência, ência, partilha e comunhão. E, nesta comunhão, constituímos, com as Servas de Maria Reparadoras, uma família com diferentes expressões, mas com um único objetivo; crescer na espiritualidade mariana para que possamos compreender a importância da nossa missão. O carinho com que fomos recebidos não tem preço, nem como mensurar. Foi lindo, mágico e confortante. Nossos momentos de oração contribuíram para o crescimento pessoal e espiritual dos grupos presentes e com isso renovamos esse crescimento, acreditando que quanto mais crescermos na espiritualidade, cada dia mais compreenderemos o tamanho da nossa fé. Essa confraternização com grupos de outras comunidades fez com que dividíssemos experiências e inquietações e com isso, crescemos e evoluímos ainda mais.

Denise Cardoso

Experiência de Deus Que lindo dia celebramos hoje! A Assunção ão de Nossa Senhora, como nosso modelo no seguimento de Jesus. Desde cedinho, sentimos a presença forte de Maria em nossa caminhada,

pelo semblante de cada cad associado/a. Era ra ainda madrugada quando nos reunimos nas praças e esquinas de 17


SS

Convívio Caculé para esperarmos o transporte. Caia uma forte neblina. Ficamos um pouco preocupados com om o atraso do transporte, mas correu tudo bem, pois Maria providenciou o melhor. A neblina nos acompanhou até o Centro de Treinamento nto para Líderes (CTL) de Caetité. Para melhor surpresa, fomos acolhidos pela beleza da natureza e o canto dos pássaros. Sentimos assim, agraciados pela Divindade do Criador. O momento de oração na Capela do Santíssimo foi muito forte, refletimos muito sobre a presença de Maria em nossas vidas. Caminhado pelo jardim, ardim, o sol apareceu de surpresa e fui aquecida pelo seu calor e pela força do Espírito Santo. Fiquei observando o poder da criação, tinha árvores de todo tipo, inclusive árvores cujas folhas secas estavam caindo. E o vento soprava todo forte, levava todoss os gravetos, folhas e todas as impurezas para serem renovadas para produzirem novos frutos. Neste instante, pedi a Deus que, aquele vento forte tirasse todo o entulho e gravetos que nos poluem e assim seríamos renovados e convertidos no amor de Deus para acolhermos os frutos e dons do Espírito Santo, para ara dedicarmo-nos dedicarmo inteiramente aoo Senhor, no encontro de irmãos e irmãs, inclusive com todos associados e familiares. Achei interessante que durante toda a manhã, o sol sempre se escondia e a neblina aparecia. a. Quando concluímos o nosso retiro o sol brilhava forte e fomos aquecidos e coroados com a força do Espírito Santo e o amor de Maria. Concluo dizendo que o nosso retiro foi muito abençoado. Louvado seja Deus por tudo que vivemos.

Jul./ago./set 2012

Angústia e esperança de uma mulher de fé

“Agradeço-Tee ó Deus por toda a minha vida,, pelas maravilhas que operaste em mim, pelos filhos que me deste,, pelo meu esposo, pela convivência em meu lar. Peço-te, Peço Senhor, a graça de estar e sempre ao lado do da minha família, família pois me confiaste a missão de cuidar. cu Abençoa-me, me, para que eu possa cumprir esta missão. Acredito, Senhor, que talvez eu esteja em falta com as minhas obrigações de cristã,, por conta dos tropeços que o destino tem me dado no decorrer deste este ano. Tu bem sabes que tenho passado por momentos mentos difíceis. Há H alguns meses descobri em meu corpo um elemento estranho, estranho o qual desencadeou para um câncer de mama. Desde então minha vida saiu um pouco dos eixos. No primeiro momento o desespero foi inevitável, me vi perdida, sem forças, num verdadeiro abismo e com uma dor absurda. Não sabia o que fazer, fazer aonde ir, a quem procurar. Foram dias terríveis. Eu me perguntava: Por quê? O que eu fiz? O que fez transformar naquele nódulo maligno, que estava fazendo eu e toda a minha família sofrer tanto?? Mas eu não tinha resposta. Não tinha um conhecimento profundo sobre estaa doença, apenas sabia o que ouvia falar, que era uma doença perigosa e que mata com muita facilidade, conheci pessoas que

Ana Alves R. Oliveira Cota Co Caetité/BA 18


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

me transmitiam paz e tranquilidade. Sofri muito! Mais uma vez me enchi de tristeza e desânimo, inconformada. Muitos dias sem forças para continuar a luta. Precisava urgente de muitas orações e forças dos amigos que não mediram esforços para me ajudar a sair mais uma vez do buraco. Hoje estou aqui junto aos meus irmãos de caminhada, o grupo Nossa Senhora da Assunção de Caculé. Depois de alguns momentos de oração comunitária, fizemos o momento de oração pessoal onde me senti tocada depois de ler alguns trechos bíblicos sugeridos no roteiro. Fazendo uma retrospectiva de alguns meses da minha vida consegui colocar no papel o que gostaria de falar em grupo, mas até então não tinha conseguido. Sei que não vou conseguir ler, mas tudo bem. Durante este período doloroso tenho certeza que Nossa Senhora esteve intercedendo por mim junto a seu Filho Jesus e que a cada lágrima que descia em minha face estava Ela enxugando e me abraçando carinhosamente. Essa experiência mariana tem me ajudado muito e como é gratificante pertencer a uma família cuja protetora é a Mãe de Jesus, Mãe das Dores, Mãe que jamais abandona seu filho! Sei que Ela e seu Filho Jesus estarão me amparando e me guiando nesta luta contra o câncer e rumo à vitória da cura, a que tanto espero. A caminhada ainda é longa e preciso muito de todos meus amigos e associados de todos os grupos para ter forças e incentivo que, com certeza, vem através das orações de todos e das bênçãos de Deus.

haviam morrido por causa do câncer de mama. Depois de alguns dias, me senti mais calma e me conformei, pois não tinha outro jeito. Então procurei um hospital especializado para o caso há mais de seiscentos km de distância. Lá comecei o tratamento e foi onde conheci pessoas com problemas iguais a mim e outras com o problema bem mais avançado. Vi o sofrimento de jovens tendo que retirar o seio, enquanto o meu não foi necessário. Vi que o meu problema e o meu sofrimento não eram maiores que os dos outros. Continuei a luta contra o câncer de mama, superando o medo e o desespero. Muitas viagens, muitos exames e consultas. Minha família sofrendo junto comigo, chorando às escondidas, mas me apoiando e dando-me forças. Minha mãe dizia: “não se preocupe minha filha, pois muita gente já se curou do mesmo problema. Com fé em Deus você também vai se curar”. Meu pai sempre calado, expressava a tristeza apenas pela sua fisionomia. Não tocava no assunto, era o jeito e a natureza dele. Meus irmãos sempre me visitavam e não paravam de ligar. Na rua eu sentia que algumas pessoas me olhavam com curiosidade, outras com compaixão. Meus filhos tristes, acho que não entendiam bem, mas me viam triste. Meu esposo dizia pra eu ter fé em Deus e o resto a gente corria atrás. Meus amigos, sempre em oração pra me transmitir forças. Chegou o dia da cirurgia. Correu tudo bem e após alguns dias de repouso eu já estava tranquila e feliz, continuando com o tratamento. De repente o destino novamente me deu outra rasteira, tirou de mim uma das minhas forças: meu pai, meu protetor, abaixo de Deus, que me aconselhava com delicadeza, torcia por mim e pela minha cura, sua paciência e sabedoria

Marilene Soares de Souza Correia ASND, Grupo local N. S. da Assunção Caculé/BA

19


SS

Convívio Comunhão Cultural

Jul./ago./set 2012

e Márcia, fizeram a representação da Anunciação, levando o público a participar cantando: Maria de Nazaré. Prosseguindo, o, o grupo musical formado por membros da comunidade Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora das Dores, apresentaram sucessos da Música Popular Brasileira (MPB), animando assim toda platéia que participava com palmas e cantorias. O professor de violão, Victor, tor, que também foi aluno no Projeto em Santa Margarida, atende as duas comunidades As professoras do Recanto Mãe da Esperança fizeram uma representação das “Sete Dores de Maria”, onde contava toda trajetória sofrida pela Mãe de Jesus, desde a Profecia de d Simeão até ao sepulcro revivendo, assim, a dor de uma mãe ao ver o sofrimento do Filho amado. Elas agradeceram a contribuição da Congregação das Servas de Maria Reparadoras que as possibilita atuar profissionalmente com a educação dos mais pequeninos como com pediu Jesus Cristo, tendo Maria como aquela que cuidou e ensina a cuidar da vida com esperança. Encerrando a noite, a jovem Cintia de Mello, cuja família é originária do bairro de Santa Margarida fez, através de performance, uma parte da peça teatral que acontece na Escola Nossa Senhora do Teatro, na Rua da Constituição, no Centro do RJ, todas as sextas-feiras feiras até o mês de outubro.

Dentro dos festejos de nossa madroeira Nossa Senhora das Dores, realizou-se se na noite do dia 15 de setembro a Noite Cultural, iniciando com a Santa Missa, celebrada pelo Pe. Vicente sscc e animada pelo grupo musical da comunidade. Em seguida teve inicio as apresentações da noite, animada por: Leonora Gomes Coutinho ,da comunidade Nossa Senhora Aparecida cida (Santa Margarida) e Maurício Andrade da comunidade Nossa Senhora das Dores, ambos da Associação Nossa Senhora das Dores. Foi uma noite de comunhão e entretenimento com as diversas comunidades. O evento iniciou-se iniciou com a participação das turmas das catequistas: quistas: Márcia, Lucia, Jarderly, Dulce e Rose; cuja turma das crianças menores apresentaram cantando em homenagem a Maria, o famoso e conhecido canto: “Maezinha do Céu”, seguida de uma representação da Coroação de Nossa Senhora. Dando prosseguimento, o conjunto co musical de alunos do Colégio Nossa Senhora do Rosário, da Pastoral da Juventude Estudantil (PJE), apresentou com a colaboração de Jardely tocando e cantando um hino alusivo a Mãe Maria: “A Escolhida”; seguido de uma linda poesia intitulada “Dores de Maria”, muito bem recitada pelo aluno Nilson Pereira da Silva. Outro grupo de crianças da catequese, juntamente com as catequistas Lúcia 20


SS

Convívio Foi intitulado de: O “Vôo para a Liberdade”, que arrancou aplausos de todos os presentes. A peça é intitulada “A solidão” da grande poetisa Clarice Lispector. Com certeza foi um momento único, onde toda a comunidade se fez presente, criando um clima de comunhão, solidariedade e participação. Maria foi e é a causa desse evento onde todos puderam congregar e vivenciar um pouco mais ma de sua história, dando-nos nos força e luz para seguirmos em nossa caminhada.

Jul./ago./set 2012

sediar Copas de Mundo e outros eventos de grande porte. Na unidade com estas famílias e companheiros de caminhada, participaram desta celebração: diversas iversas denominações religiosas; várias Congregações de Vida Consagrada

Mauricio de Andrade Silva ANSD/RJ Integradas com o povo em sua dor; representantes do governo de Nova Iguaçu e outras entidades. A emoção que envolveu tanto a caminhada com palavras fortes de alguns dirigentes e representantes sentantes da Pastoral da Juventude daquela Diocese e de outras como: Volta Redonda, Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (D. Orani enviou uma carta de solidariedade que foi lida durante a celebração), e tantas outras comunicações de vários lugares... lugar A comunhão unhão nas dores e nas alegrias, ressaltou D.. Luciano Bergamin, da Diocese de Nova Iguaçu: Iguaçu o que vocês sentem, nós sentimos! O que vocês querem, nós queremos, que a justiça aconteça. Não pedimos vingança, mas Justiça! O ápice da celebração que foi f diversificada, foi ao entrar os painéis com as fotos dos seis jovens encontrados primeiramente (ao todo, foram nove jovens assassinados cruelmente); o choro silencioso se transformou em soluços e gritos. Um pai pediu à mulher que se retirassem porque nãoo estava mais aguentando ao ver o rosto do filho estampado no

O clamor dos jovens da Baixada Fluminense se eleva até Deus No dia 16 de setembro, domingo dom às 15h, as Paróquias da Diocese de Nova

Iguaçu, bem como Dioceses vizinhas, amigos e parentes participaram de uma caminhada pela paz em memória dos seis jovens Douglas, Vitor, Patrick, Christian, Glauber e Josias, assassinados barbaramente por 20 traficantes há uma semana em Mesquita na Baixada Fluminense. Flumin Houve repercussão internacional a insegurança do Brasil que se arvorou e propalou orgulho Nacional em 21


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

painel que passava no meio deles (como se fosse preso numa cruz). Este pai foi consolado pela família e pelas pessoas próximas, assim

Vamos dar um basta, com as nossas relações de amor e Amizade, vividos em manifestações concretas de cuidado com a vida: protegendo aos mais incautos e cuidando cuidand de quem deus coloca nas nossas vidas através da história que escrevemos juntos! Basta de egolatria e individualismo que a sociedade impõe para manipular com seus interesses capitalistas, a relação humana. Basta, diremos se vivermos as razões de nossa fé!! Sem medos do que a reação destes infames “desconhecidos” escondidos por trás de armas e drogas e violências, dominam aos medrosos que não se arriscam como tantos que doaram suas vidas no grande ofertório diário para imitar o Bom Pastor que deu a vida por suas ovelhas.

conseguiu permanecer junto na dor lancinante. Uma avó desesperou-se desesp ao ver a foto do neto carregado até o palanque onde estava o altar e passou mal. Foi socorrida pela SAMU que estava presente... Deus sempre escuta o clamor de seu povo! A história humana e da Salvação que se entrecruzam e é uma só, é permeada da manifestação nifestação divina em consolar, proteger, cuidar e carregar no colo, com entranhas maternas resgatando a dignidade da vida doada por Ele. Basta de mortes provocadas pela violência de quem se julga dono da vida de outrem! Basta de irmão matando irmão para ficar com seus bens materiais ou simplesmente para ficar com seu “território” de comando, seja pintado de vermelho ou como se autodenominam de ADA = amigos dos amigos (que amizade de morte é essa?)- Amizade gera vida e superabundandemente de amor e misericórdia órdia infinita por ser expressão de ser criado à imagem e semelhança de Deus (cf. Gn 1,27). ). Basta de território marcado por cercas invisíveis de domínios inventados por mentes doentias... O remédio é um só: o mundo Deus deu para todo ser humano que vem a este ste mundo. E quando a gente voltar para Deus, só será levado daqui: o amor e a bondade vivida.

Na solidariedade com os jovens da Baixada, com a indignação diante da contra-cultura cultura e morte de tantos homens e mulheres que somente querem viver com dignidade e sustentar suas famílias no amor e na bondade é que nós queremos viver!

22


SS

Convívio Por opção ção preferencial se quer prevenir do que reparar se preciso for!

Jul./ago./set 2012

ofrecerles cariño encontré una buena práctica en seguir el ejemplo de la hermana Marlene y saludarles todas las mañanas. Poco a poco fui reconociendo a los más cariñosos y más adelante al resto que fueron perdiendo la timidez inicial. Durante Dur este tiempo fui aprendiendo más sobre el colegio, sus inicios, quienes llevaban más tiempo, … Mis tareas pronto se fueron perfilando, ayudar en la carga y descarga, repartición de los libros del material escolar, ayuda en el kiosco, arreglo de las computadoras, putadoras, ayuda en las salas de computo y video, preparación de la feria… Cada día tenía su aquel, uno llegaba al colegio sin saber como se desarrollaría el día y luego el tiempo se pasaba volando. Muchas veces surgía un problema que parecía grave pero luego lu en seguida aparecía alguien echando una mano y se resolvía sin problema. En esos días se celebró: la asamblea de padres con la invitación al Chupe de anchoveta, el aniversario del colegio, la inauguración de las competiciones deportivas, Semana Santa... Santa.. El tiempo libre empecé a dedicarlo a mis lecturas, primero libros que me traje y después libros de la biblioteca de casa, ahondando en temas más espirituales. Los primeros fines de semana los dediqué: a quedar con el amigo de mi familia, a ir a la playa, a hacer turismo por el centro, a ir con Marlene al Encuentro Juvenil Espiritual. También la hermana Filomena me invitó a ir a la Adoración los Jueves en la parroquia del niño Jesús y más tarde me enseñó como rezar a la virgen a través del rosario. Otro de mis objetivos en este viaje era acercarme más a Dios y en algunos aspectos creo que he ido dando grandes pasos. Después llegó la hermana Jessica y me invitó a Lunahuana con su

Rio de Janeiro, 16 de setembro de 2012 Irmãs Eunice Antunes de Campos Isa Schirlene Prates Nunes e Tereza Maria Lacerda

Experiencia xperiencia en Lima con las SMR y Fe y Algría - 65 ros días que llegue quede Los primeros muy impresionado con la zona, todavía recuerdo cuando Daniel me traía en el taxi y a medida que íbamos hablando y avanzando veía más pobreza en la zona. Cuando subí por primera vez al mirador me quedé consternado por la pobreza y sentí una gran pena por las dificultades que debían de estar pasando aquellas familias en el día a día. Pero por aquel entonces no ponía cara a la gente y yo me sentía un “gringo” a los ojos de los demás. Por lo demás las hermanas me acogieron con mucho cariño riño en su casa y me llevaron a conocer parte del centro de la ciudad. Poco a poco fueron pasando los primeros días en el colegio y yo me esforzaba en ser útil, ese era uno de mis objetivos, sentirme útil en mi trabajo para los demás. Como no conocía a los alumnos y quería 23


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

Muchas gracias por haberme permitido vivir esta experiencia! Un fuerte abrazo y que te vaya muy bien allá donde vayas Marcos

familia. Ahí le fui conociendo más y llegamos a entablar una buena amistad. Jessica fue el principio de un punto de inflexión ya que a partir de ahí empecé a tratar más con las profesoras, perder la timidez y aflorar más mi sentido del humor. Yo comenzaba mi primer viaje en solitario por el Norte de Perú. El viaje lo disfruté bastante, era la primera vez que hacía un viaje en solitario durmiendo cada dos días en una ciudad distinta y planificándome las cosas que quería ver y hacer. Era divertido y te permitía reflexionar…, aún así en algunos ratos eché en falta compañía… Todo no se puede tener! A mi vuelta ya veía Peru con otros ojos, yo ya no me veía tan “gringo” y me acostumbré más al entorno. Mi relación con las profesoras, alumnos y colaboradoras del colegio fue aumentando hasta sentirles como parte de una gran familia. Se fueron desarrollando actividades como el día de la madre, la feria del colegio, Pentecostés, el día de la pintura de la empresa Boehringer. Mi última semana se pasó volando ya que todo el día estaba ocupado realizando mis tareas, entre las cuales destacar que estuve charlando con los chicos de secundaria que era con los que menos había tratado hasta el momento. Una de las preguntas que más se repitió por parte de los alumnos fue que es lo que me llevo del Perú. Y yo sin duda contesto que la gente ya que lo que más me ha impresionado es como se mueve el colegio con el esfuerzo de todos, empezando por el sacrificio de las hermanas, el compromiso de las profesoras, el buen trabajo de los colaboradores y la buena disposición de los alumnos. Juntos hacen que el colegio avance con fe y alegría.

47ª Assembleia da CRB Regional RJ Vida Religiosa A loucura que Deus escolheu para confundir o mundo (cf. 1Cor 1,27

Nos dias 22 e 23 de agosto de 2012, no Colégio Santa Teresa de Jesus, na Tijuca/RJ, vivenciamos dias significativos com a colaboração dos participantes da Regional. A Ir. Maria Helena Lomeu, até então Presidente, após a oração de abertura, agradeceu a colaboração das Congregações que compõem a Regional e falou dos desafios encontrados. Falou também sobre a participação da VR na Jornada Mundial da Juventude Rio 2013. Em seguida foram apresentados os Projetos que estão sendo desenvolvidos na Regional. Logo após, senhor Nevio, membro do ISER, apresentou a análise de conjuntura sócio-política-econômica do Brasil e do mundo. Segundo o Nevio, esta loucura que é a Vida Consagrada consiste em escolher e prestar serviço à humanidade sem gerar lucro, sem se preocupar com o poder: não ser elitista, ególatra, não gerar divisões de ricos e pobres, cultura de morte. O que confunde o mundo é esta loucura do serviço das servidoras e servidores da humanidade, como Jesus Cristo, transformando os níveis socioeconomico-politico e religioso, por viver a fraternidade e a proposta do banquete messiânico, onde toda pessoa é convidada de honra. A síndrome da crise é a “noite escura” que falava São João da Cruz, mas o que 24


SS

Convívio anima a Vida Consagrada é a esperança no amor em quem acreditamos e que dá sentido de viver. De fato, existem “vagalumes”, sinais da vida que quer nascer e se realizar em todo o universo! Por sua vez, D. Roberto Lopes, vigário episcopal para a VR na Arquidiocese do RJ, apresentou sua visão sobre o estilo da Vida Consagrada, ressaltou desde a origem a vida de comunhão e fraternidade, baseada na oração e missão, como os primeiros Apóstolos. Quanto ao futuro da VRC, disse que ela sempre existiu e sempre existirá, mas temos que melhorar a qualidade de vida de nossa consagração, melhorar nossas relações humanas, viver o “Amai-vos “Amai uns aos outros” que Jesus nos deixou como herança. Após um discernimento, procedeu-se procedeu à Eleição da nova Diretoria, resultando eleitos: Pe. Valentim Fagundes des de Meneses (MSC), Presidente; te; Ir. Regina Maria Cavalcanti (RA); Ir. Marcela rcela Candido Batista (USCM); Ir. Cecília Maria Amorim (FDZ); Frei Paulo Roberto Gomes (OFMC).

Jul./ago./set 2012 LIVRO: FORMAÇÃO AO ALCANCE DE UM CLIQUE Queridas irmãs, este livro está interessante. ressante. Compartilho Compar com vocês um pouco do que tirei dele. Abraços, Ir. Marlene

A cultura digital não existe fora de nós, mesmo que não a usemos, ela nos envolve, nos contagia. Ela se instalou em nossas vidas e tornou-se a arena em que se manifesta grande gr parte do agir humano em suas conotações sócio-emocionais, emocionais, da qual ninguém pode prescindir. A “rede”, ”, novo ambiente de vida, provocou uma modificação nos estilos de vida, nos processos de construção do conhecimento, das próprias necessidades e expectativas expectat da humanidade atual. Esse “novo mundo” originou uma alteração nos relacionamentos cotidianos, no modo de pensar e de sentir, nas trocas econômicas em escala global e local, na práxis política e religiosa, nas expressões lúdicas e recreativas, nas formas as de conhecimento e da transmissão do saber. A internet ainda é uma criança; muitos a vêem como apocalíptica (perdição) e outros como integrada (salvação). Tanto uma como a outra é a visão do profeta de um olho só, pois a internet possui essa dupla vertente verten e não só uma delas. Todos estão enredados. Esta rede invisível produz mudanças profundas bem reais/visíveis, tanto individual quanto social.

Ir. Tereza Ma Lacerda

25


SS

Convívio No uso da internet encontramos oportunidades e riscos. Oportunidades: 1. Comunicar e partilhar 2. Exprimir-se a si mesmo 3. Conhecer-se e dar-se a conhecer 4. Aprender em mobilidade 5. Construir um saber comum – “wikipedia”- liberdade e colaboração são as palavras que melhor definem esta enciclopédia on-line. De fato, o lema de Wikipedia é: “A enciclopedia livre que todos podem editar”. 6. Novo espaço para o anúncio do Evangelho. É uma forma nova e não só um meio. 7. Acesso rápido a informação.

Jul./ago./set 2012

oportunidades da tecnologia. Obvio que esta não pode substituir a atividade do formador, mas são tecnologias da mente que possuem uma repercussão fundamental nos sujeitos, nos processos cognitivos e educativos, porque constituem um fator social e cultural de desenvolvimento integral e de mudança. Devemos nos envolver pela rede, porem sem deixar nos capturar. Os jovens são os nativos digitais (já nasceram usando a tecnologia cibernética), já os adultos são os imigrantes digitais. Devemos aprender a utilizar estes meios e valorizar a competência tecnológica das jovens que entram para a VR, pois as mídias digitais podem potencializar o processo formativo e contribuir para a formação.

Riscos: 1. Comunicar e partilhar sem dedicar um minuto para estar só consigo mesmo 2. Exibicionismo – se constrói uma vitrine de si mesmo – narcisismo digital – utilizamos a internet para tornar-nos a nós mesmos as notícias 3. A grandiosidade ou onipotência – depressão pela ausência e exaltação pela presença – on X off 4. Sexualidade ao toque de um clique – vulgariza a sexualidade 5. Dependência da internet – não é uma patologia, mas um sintoma. A dificuldade está no mundo real, na dificuldade das relações interpessoais. 6. Risco de perder o controle da própria privacy (privacidade) 7. Relacionalidade parcial – “digo aquilo que me parece”. 8. Dispersão e fragmentação – usa e joga fora, aceito/não aceito, bloqueio, deleto... O que significa a formação nos tempos da Web para a VRC? Significa reconhecer que podem existir novos modos de pensar a formação, integrando as estratégias tradicionais com as novas

Porque a rede internet nos atrae? Porque ela parece ter entendido a necessidade relacional inata em cada pessoa humana e tornou-se um enorme potencial de práticas comunicativas. A rede é feita de acordo como pensamos como dois neurônios que se encontram (sinapse= ponto de conexão entre duas células/neurotransmissores). Entretanto, essa ampla possibilidade de comunicação que gera uma nova modalidade relacional capaz de romper os limites geográficos, gera também uma superficialidade nas relações, os laços tornam-se cada vez mais frágeis e voláteis, difíceis de alimentar por períodos prolongados. Uma identidade nova e irreal pode ser criada para quem quiser, onde cada um pode esconder-se se ocultando em um nickname (apelido) isto é, num pseudônimo e numa identidade ideal. 26


SS

Convívio

Jul./ago./set 2012

significa mergulhar, pois sua modalidade de conhecimento tornouse simultânea, podendo atingir, ao mesmo tempo, diversas fontes de conhecimento, que vão, pouco a pouco, integrando-se uma na outra. Neste caso, como podemos atuar na formação? Nesse sentido é preciso educar para ter também a coragem de desconectar, ajudando-os a decidir o que procurar, como localizar, como tratar e usar para o fim específico que dirige a pesquisa. É ajudar a transformar as informações em conhecimento e o conhecimento em ação. É fazer ver que toda comunicação autêntica cresce e amadurece no encontro pessoal, na lógica de uma relação sensivelmente dialógica e maiêutica. É levar a fazer a passagem dialética da conexão à comunhão para uma integração genuína e vital entre o espaço digital e o contato humano. A atualidade, marcada pela incerteza, precariedade e mobilidade pede uma requalificação da missão evangelizadora, e, especificamente da formação na e para a VR. Isto implica uma adesão conformativa gradual e progressiva de toda a vida para a pessoa de Cristo. Na formação colocam-se os fundamentos para viver a vida consagrada com plenitude, onde a pessoa se converte ao Verbo de Deus até as profundezas do seu ser e, ao mesmo tempo, aprende a arte de procurar os sinais de Deus nas realidades do mundo. Entretanto se percebe uma formação light, isto é: ligeira, na qual os responsáveis cansam-se por vezes a pedir algum sacrifício ou renúncia às pessoas. O esforço formativo não encontrará profundidade e firmeza senão a partir de uma experiência renovada de Deus.

Por detrás do anonimato e mistério as novas redes sociais fazem surgir os verdadeiros semblantes e nomes, histórias, paixões, relações de homens e mulheres reais. As relações mediadas pela rede, se não tem integração na realidade da vida comum, se não continua no cotidiano, permanecerão incompletas. Portanto deve ser superada a demarcação nítida e a contraposição entre a realidade off-line de todos os dias, dos contatos diretos, e aquela mediada pela tecnologia: as duas dimensões são convidadas a harmonizar-se e integrar-se com a maior intensidade possível numa vida de relações plenas e autenticas. Outra alteração trazida pela internet diz respeito ao modo de conhecer e aprender. A leitura de um texto tradicional, como um livro, um artigo de jornal, acontece de forma linear. O olho percorre da esquerda para a direita e depois vai para a linha seguinte, lendo a informação do inicio ao fim de maneira seqüencial. A internet nos apresenta o hipertexto que permite uma conexão livre entre informações postas em pontos diversos no mesmo documento e promove uma consulta personalizada, guiada pela lógica do pensamento. O hipertexto obriga a uma leitura não sequencial, mas de acordo com os próprios centros de interesse. A presença de pontos essenciais (palavras-chave, botão, etc.), com um simples clique no mause, liga entre si os vários elementos textuais ou polimidiáticos (uma imagem, uma referência sonora, etc.). Assim, a linguagem digital transforma a estrutura do pensamento e produz uma mudança relativa em nossa modalidade cognitiva e de expressão, particularmente aquela dos chamados “nativos digitais”. Para esses nativos, conhecer, hoje, 27


SS

Convívio Destacamos 04 características da personalidade da formadora/formador: 1. Convicta de sua vocação: vocação porque experimentou que a fé consiste na adesão pessoal a Cristo. Ela se traduz depois em testemunho temunho convincente do seguimento. É um crescimento contínuo na experiência de Deus e na identidade pessoal e vocacionalvocacional carismática. Uma convicção que surge de dentro da pessoa e encontra seu princípio articulador e vivificante na opção de fundo da vida consagrada. 2. Credível/confiável – coerente com os princípios que professou praticante dos valores que proclama. 3. Competente – é a capacidade de ajudar o formando a reconhecer as áreas obscuras presentes na própria vida num percurso de purificação das próprias motivações. Requer viver o empenho de formar-se se para formar. 4. Contente – O formador deve manifestar toda a alegria do próprio pertencimento diário e fiel ao Senhor. Deve ser uma pessoa satisfeita com a própria vocação, nunca entediada ou medíocre – vivend vivendo o aburguesamento e a vida como rotina, mas feliz porque atraída pela beleza indescritível do seguimento de Cristo.

Jul./ago./set 2012

Feliz Aniversário, Irmãs Irmãs!! Setembro 07. Ir. M. Terezinha Perotoni 10. Ir.. M. Zilma da Silva (jun) 10. Ir. M. Alice C. D'Anciães 14. Ir. M. Jandira Ana Bielski 15. Ir. M. Corina Bressan 18. Ir. M. Monica Coutinho 18. Ir. M. Rita M. Andrade 25. Ir. M. Paula Grezele Outubro 01. Ir. Iriná Maria Magagnim 11. Ir. M. Ignez Gambin 14.. Ir. M. Valdete Guimarães 26. Ir. Regina M. de F. Freire 29. Ir. M. Eva de Jesus Santos

Sumário rio Alegrai-vos vos sempre no Senhor Preparai o caminho Experiência de Pré-JMJ Minha 1ª experiência xperiência de retiro Conviver é uma arte Vida comunitária e relações ções Semana missionária Vida Religiosa Consagrada 1º Acampamento da VRC Escola vocacional Primeira Profissão Religiosa Movimento Reparação Projeto aprendendo em família Quem está no comando Encontrar quem você ama Experiência em Fátima Encontro da ANSD Em tudo amar, servir e reparar Experiência de Deus Angústia e esperança Comunhão cultural O clamor dos jovens da Baixada Experiência com as SMR Assembleia da CRB A Formação ao alcance de um clique Aniversariantes

Não há nada em nós que não diga o que somos!

28

1 1 2 4 4 4 5 5 5 6 7 8 9 10 11 14 15 17 17 18 20 21 23 24 25 28


Convívio nº 2 - 2012