Page 1

Boletim Informativo Pontos de especial interesse: Epidemia de Gripe A (H1N1). Plano de emergência interno da CSE. Missão e Visão da CSE, Lda.

Nesta edição: Pag. Trabalhadores Ano

do

2

Os melhores enfermeiros da CSE 3 T e s t e mun h o do melhor enfermeiro 3 do ano O nosso Director de Formação e Ensino 3 comenta Campanha ―Eu posso parar a Tuberculose‖ 4 Prémio ―Melhor estudante da Faculda- 5 de de Medicina‖ da UAN Tudo sobre Hipertensão Arterial 8 Celebração do Dia Internacional da 9 Mulher e Mundial do AVC Aniversariantes mês

do

10

Passatempo

Destaques para próximo número

10 o

11

Volume 1, Edição 1

Maio de 2009

Edital Este é o primeiro número do Boletim da Clínica Sagrada Esperança. Nasce, como tudo o que nasce desejado, cheio de sonhos e de objectivos. Cheio de Esperança, afinal… Gostaria de, desde já, demonstrar o meu total apoio aos colegas e colaboradores que de forma entusiástica se envolveram neste projecto. O meu compromisso, porque acredito na equipa, é de que tudo farei para que este não seja o primeiro e último número. Ao escrever estas palavras não pude deixar de recordar , independentemente da minha vontade ou consciência, do peso, da força, da designação da nossa Clínica. Primeiro , como homenagem à obra poética do nosso Primeiro Presidente. Depois, como símbolo da sagrada esperança de sermos capazes de ajudar a construir um País grande, em todos os sentidos da sua significação. A seguir, o significado que a CSE tem para todos os que a procuram e nela confiam, muito especialmente em situações extremas e, finalmente, (para só citar quatro), o que tem para todos os nossos trabalhadores e colaboradores que , no

dia-a-dia, tornam a CSE uma realidade credível. Este boletim pretende ser um instrumento para ajudar a realizar, isto é, a tornar real, qualquer um dos objectivos acima referidos. Para tal, veiculará informações que a todos interessam, quer aos que nela trabalham, quer aos que a procuram para se tratarem e/ou prevenirem doenças ou ainda receberem outros cuidados clínicos mas também aos que precisem de informações na vasta área da Saúde. Reconheço que este Boletim é um novo desafio a que nos propomos. Mas acredito nele e no seu futuro precisamente porque confio em que todos, funcionários e colaboradores da CSE, que, através do seu trabalho e dedicação do dia-adia, dão cumprimento à nossa Missão, tudo farão também para que ele se transforme numa ferramenta de cultura e solidariedade social. Espero esse mesmo espírito da parte de todos – Médicos, Enfermeiros, Técnicos, Auxiliares, Formadores e outros – que, diária ou esporadicamente, nos nossos espaços ou fora deles, trabalham para a dignificação e

o bom nome da CSE. Será esse espírito a fazer a diferença entre um simples bloco de folhas com informações esparsas e uma publicação que se procura pelo seu valor intrínseco e sentido de utilidade. Para atingir estas finalidades, que consideramos de grande utilidade social e se encontram integradas na Visão da CSE, esperamos, pois, o contributo de todos aqueles a quem o Boletim se dirige. Essa colaboração pode ser representada por uma crítica bem fundamentada e construtiva, uma informação válida e atempada, a expressão do desejo de ver tratado determinado assunto, um pedido de informação. Espero, pois, que os fundamentos e os desejos se concretizem, certo de que, também assim, estaremos a trabalhar em conjunto para a construção de uma Angola ainda melhor. E para todos que farão deste Boletim algo que valha a pena, desde já, o meu sincero Obrigado. Luanda, 20 de Maio de 2009 Pela Direcção da CSE

Décimo Conselho de Direcção Restrito da CSE Realizou-se no dia 23 de Abril de 2009 o Xº Conselho de Direcção Restrito da Clínica Sagrada Esperança, tendo sido discutidos importantes documentos orientadores da actividade da instituição: o Estatuto orgânico, cuja

inovação é a criação de departamentos como centros de responsabilidade, o novo Organograma e o novo Regulamento Interno. Foi deliberado criar uma comissão para elaborar um inquérito

com o objectivo de avaliar a satisfação dos profissionais da CSE em relação ao desenvolvimento da empresa e às condições de trabalho, assim como as suas perspectivas individuais de desenvolvimento profissional.


Página 2

Boletim Informativo

Trabalhadores do Ano A Direcção da CSE aproveitou a comemoração do 18º aniversário da clínica, que teve lugar no CERTIFICADOS DE ANTIGUIDADE Guiomar C. Branco– Administração passado dia 20 de Dezembro de 2008, para destacar e premiar alguns dos seus trabalhado- A direcção da Clínica aproveitou a opor- António da Costa – Transportes Rita Marlene dos Santos – Farmácia res e serviços. tunidade para prestar o merecido recoRita Teresa Caxinde – Serviços Gerais nhecimento aos trabalhadores mais anti- Irene Veiga – Direcção de Enfermagem gos da CSE. Assim, todos os trabalhado- Rosa José Conceição – Bloco Operatório MENÇÕES HONROSAS res que entraram para a instituição no Marquinha Agostinho – Serviços Gerais O reconhecimento pela dedicação, esforço, ano de 1990 foram distinguidos com um Etelvina Amélia da Costa – Puerpério Margarida Palma – Consulta Externa entrega ao serviço e cooperação com os demais Certificado: Ivone Mazamba – A. Permanente serviços da instituição, durante o ano de 2008, Jorge Pedro Ndemba – Manutenção tomou a forma da entrega de Menções Honro- Suzana de Fátima Belo – Esterilização Cristina dos Santos – PBX Telefones Teresa António – Serviços Gerais sas individuais e colectivas. Maria Lúcia Dias – Consulta Externa Domingas Manuel Júlio – Farmácia Florence Diná Horácio – Internamento Individuais Mariazinha Bumba – Serviços Gerais Maria Manuela – Anestesia Maria Fernandes Santos – Lavandaria Tempo de Serviço Edith Silveira – Direcção de Enfermagem Maria Deolinda Pires – UCD -Marquinha Paulo Agostinho Filomena Garrido – Pediatria-Suites Santa Félix – Centro M.Trabalhadores Antiguidade Maria Filomena Contreiras – Laboratório Josefina Feijó – Consulta Externa -Susana de Fátima Rodrigues Belo Maria Manuela da Costa – Cozinha Maria Carlota Ferreira – Contabilidade Por Desempenho Marcelina António – Serviços Gerais Antónia Jorge Lança – Cozinha -Nelson Changani – Arquivo Ruth Santana de Almeida – Farmácia Paulina Alves de Faria – Cozinha -Luís Filipe Lima – Centro Médico L.Sul Joana Pereira Dias – Laboratório Maria Conceição da Silva – Esterilização -Maria Madalena de Oliveira – Recepção -Eduardo Romeu – Informática Por Dedicação -José Armindo Pereira Colectivas Equipa Dedicada – Lavandaria Serviço Dedicado – Pastelaria Serviço Inovador – Radiologia Por Desempenho – Centro de Formação Equipa Revelação – Fikcit FUNCIONÁRIOS DO ANO 2008 Os trabalhadores que mais se destacaram nos diferentes serviços da Clínica, pelo cumprimento das regras e princípios estabelecidos e defendidos pela instituição, foram distinguidos com Diplomas de Funcionário do Ano 2008. Cardiopneumologia – Bernadeth de Oliveira Recepção/Consulta Externa – Osvaldo dos Santos Recepção/A. Permanente – Alcides da Silva Recepção/Farmácia – Edson Bandeira Recepção Laboratório – Paula Xavier Oftalmologia – Inocêncio Ernesto Dias Arquivo – Silva Kiala dos Santos Manutenção – Paulino Jamba Sambinga Laboratório – Maria de Fátima Manuel Radiologia – Alberto José Muacumbi Radiologia Funcionário Revelação – Silvério da Silva Transportes – António Pedro Agostinho Serviços Gerais A – Francisca Joaquina Neves Serviços Gerais B – Isaías Calei Aprovisionamento – Diogo Panovani Economato – Alberto Camati Cozinha – Esperança Francisco Neto Copa Doentes – Fátima Manuel Gomes Estomatologia – Josefa Dias dos Santos Centro Médico L. Sul – Fernando Costa Electromedicina – Gonçalves Eduardo Informática – António Manuel Administração– Maria Albertina Guimarães

Entrega de certificados de antiguidade à Enf.ª Suzana Belo(à esquerda) e à Enf.ª Custódia (à direita)

Entrega da Menção Honrosa por Dedicação ao Enf.º Armindo (à esquerda); Convívio entre os premiados (à direita)

Taças do Torneio de FUTSAL CSE 2008 Foram entregues os prémios correspondentes às equipas vencedoras e participantes no torneio de futebol de salão.

1º Lugar – Equipa da Administração 2º Lugar – Equipa dos Serviços Gerias Melhor Jogador – João (Equipa / SG) Melhor Guarda-redes – Joaci Sena (Equipa da Administração)


Volume 1, Edição 1

Página 3

Os melhores enfermeiros da CSE Os serviços de Enfermagem organizaram-se e realizaram um concurso no sentido de destacar os melhores enfermeiros da Clínica. Como resultado de um processo de participação voluntária, avaliação teórica dos conhecimentos e votação interna foram distinguidos os melhores enfermeiros da Clínica Sagrada Esperança 2008.

Enfermeiros do Ano por Serviço 1º Lugar Gisela Nóbrega (Internamentos) 2º Lugar Roygue Alfredo (A. Permanente)

Oftalmologia– Maurício Sebastião Casa de Repouso – Samba Nymi Consultas Externas – Nicolau Mfinda Suites Piso2 – Luzia Campos S.Novas/Isolamento – Fortunato Adão Pediatria – Rosa Naquinta Verónica Bloco Operatório – Maria Manuela UCD – Eva Marcos Obstetrícia – Francisca Clemente CM Luanda Sul – Mirabel Graça CallCenter EM – José António Tito

O enfermeiro do ano Roygue Alfredo, Enfermeiro do Serviço de Atendimento permanente da CSE. No âmbito da avaliação de desempenho dos Profissionais de Enfermagem proporcionada pela Clínica Sagrada Esperança, tive o prazer e a Honra de ser eleito como o Melhor Enfermeiro do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) e 2º Melhor Enfermeiro da Clínica Sagrada Esperança.

Venho, pois, por intermédio deste Boletim, agradecer a Deus por este momento ímpar, à minha família e aos meus colegas que, de forma directa ou indirecta, contribuíram para a concretização deste feito. Foi um momento muito importante na minha carreira como profissional desta área e deu-me imenso prazer te merecido a atribuição deste

prémio numa instituição de tamanho reconhecimento Nacional e Internacional. ―Por vezes é penoso cumprir o dever, mas nunca é tão penoso como não cumprilo‖. Por isso procuro todos os dias justificar a responsabilidade que me foi atribuída, tendo como padrão cuidar dos doentes, salvaguardar o bom nome da Instituição e elevá-lo ao mais alto nível.

O melhor enfermeiro do SAP de 2008

“Por vezes é penoso cumprir o dever, mas nunca é tão penoso como não cumpri-lo”

O nosso Director de Formação e Ensino comenta: Jerome Groopman– Como Pensam os Médicos, Casa das Letras, 1ª edição, 2007 A infalibilidade na prática médica é uma utopia e não há artes mágicas que suportem um diagnóstico correcto e bem elaborado, embora o exercício da Medicina seja, de facto, uma Arte. Apesar de todos os esforços tecnológicos e científicos actuais, uma boa parte da Medicina ainda se restringe à tentativa do médico na descoberta de um diagnóstico. A experiência, o exercício baseado nas evidências e, sobretudo, o senso comum ajudam o médico nas suas decisões. No entanto, retomo a pergunta de J. Groopman: Como deve pensar um médico? Existem

receitas,

fórmulas,

algoritmos clínicos e protocolos padronizados que ―programem‖ o médico a actuar do mesmo modo em diversas situações clínicas e limitem os erros decorrentes das armadilhas de cognição? É, em nosso entender, muito improvável. Em saúde os erros são irreparáveis e, muitas vezes, irreversíveis. O autor penetra na ―mente do médico‖ e conduznos para uma realidade que nada tem de assombrosa: a competência não é dada apenas por uma sólida formação técnica, mas é indissociável da boa capacidade de comunicação, da intuição clínica, da escuta activa, das emo-

ções e, sobretudo, do reconhecimento dos erros cometidos, o que permite o feedback necessário para os evitar a posteriori. É um livro interessante, bem escrito e que deve ser leitura obrigatória para todos, médicos, estudantes de Medicina e leigos. Foi um presente de Natal de valor inolvidável. Para leitura adicional recomendamos vivamente A. Damásio – O Erro de Descartes: Emoção, Razão e Cérebro Humano (Mem Martins, Europa-América, 1995). Fortunato Silva

Vencedor Quill Award 2007


Página 4

Boletim Informativo

Informações sobre a Epidemia de Gripe A (H1N1) A gripe A (H1N1) também designada por gripe ―suína‖ devido a sua origem em porcos, é uma doença causada por um vírus que afecta o sistema respiratório.

O Vírus da Gripe A (H1N1)

“ A Gripe A (H1N1) não se transmite às pessoas pelo consumo de carne de porco”

Os sintomas da doença são febre alta, tosse e/ou dores na garganta, dores no corpo, calafrios, cansaço, e em alguns casos, vómitos e diarreia. Esses vírus se propagam de pessoa a pessoa, através de pequenas gotas projectadas ao tossir ou espirrar. Também se pode contrair a doença por contacto com superfícies contaminadas com os vírus (por exemplo mãos, maçanetas das portas, lenços de tecido e de papel).

mais eficazes. Para as pessoas que estão em contacto ou com grandes probabilidades de virem a estar expostas a um doente, recomenda-se a lavagem regular das mãos com água e sabão, manter uma distância de pelo menos 2 metros do infectado, ou se tiver de cuidar de um doente, usar máscara facial e luvas. Segundo dados da Organização

Mundial da Saúde (OMS), até ao dia 22 de Maio de 2009, 42 países reportaram 11168 casos de gripe A (H1N1) e um total de 86 mortes. O México reportou 3892 casos, com 75 mortes; os EUA 5764 casos, 9 mortes; o Canadá 719 casos, 1 morte; A Costa Rica 20 casos, 1 morte. Não foi confirmado nenhum caso em África.

Nenhuma forma de Gripe se transmite as pessoas pelo consumo de carne ou outros produtos derivados do porco, uma vez que os vírus são inactivados no processo de cozedura da carne. Não há actualmente vacina disponível, mas a administração de antivirais pode atenuar a doença e permitir uma recuperação mais rápida. O Tamiflu é dos antivirais

Mapa da distribuição mundial dos casos confirmados e mortes por Gripe A (H1N1)- Segundo dados da OMS a 22/Maio/2009– 6h00

Campanha “Eu posso parar a Tuberculose” Alusivo à comemoração do dia Mundial da Tuberculose (24 de Março), a Clínica Sagrada Esperança realizou, de 24 de Março a 3 de Abril de 2009, uma campanha de sensibilização com o slogan, ―Eu posso parar a Tuberculose‖ adaptado do slogan da OMS ―I am stopping TB‖. Os principais objectivos deste evento foram sensibilizar os profissionais de saúde e utentes para a importância do controlo, prevenção e tratamento da Tuberculose, promover reflexão sobre a

Tuberculose, e partilhar o conhecimento entre os profissionais da CSE. A coordenação/ Organização desta campanha esteve ao cargo da Dra. Marta Leal, Enf. Rita Rebelo, Prof. Dra. Maria Helena Pereira, Dra. Marta Chaves, Enf. Paula Coelho, Enf. Gisela Nóbrega e Enf. Beleza Virgílio. Dentre as actividades desenvolvidas destacam-se: 1) inquérito diagnóstico (pré-campanha) aplicado a profissionais da CSE sobre os conhecimentos relativos à Tuber-

culose; 2) acções de sensibilização directa junto dos profissionais e utentes (distribuição de folhetos informativos e afixação de cartazes com informação relevante sobre a doença); 3) quatro sessões clínicas com uma assistência total de 97 profissionais de saúde, onde se abordaram a epidemiologia, o papel dos hospitais no controlo, critérios de diagnóstico e terapêutica da Tuberculose.; 4) acções de formação e sensibilização, em que estiveram presentes 46 profissionais, e; 5) concurso ―STOP Tuberculose‖.

Poster vencedor da campanha “Eu posso parar a Tuberculose”

O Poster vencedor

O concurso ―STOP Tuberculose‖, que decorreu no âmbito da comemoração do dia mundial da Tuberculose, foi extensível a todos os profissionais da CSE, individualmente ou em grupo, e consistia numa apresentação gráfica livre, em tamanho míni-

mo A3, sob o tema ―Eu posso parar a Tuberculose‖.

feita por votação directa pelos participantes da Campanha.

O prazo de entrega terminou no dia 19 de Março de 2009 e foram submetidos oitos posters em tamanho A3.

O poster com o maior número de votos foi o do Laboratório de Análises clínicas da CSE, da autoria das Dra.s Ângela dos Santos, Gisela Aleixo e Marta Epalanga.

A eleição do melhor poster foi


Volume 1, Edição 1

Página 5

Visita ao Lar do Beiral Enquadrada nas jornadas alusivas ao dia 19 de Março, Dia do Pai, funcionários representando a Clínica Sagrada Esperança (CSE) realizaram, na manhã do dia 9 de Abril, uma visita ao Lar de Terceira Idade do Beiral, localizado no município do Rangel, em Luanda. A equipa da CSE foi constituída pelos funcionários Guiomar Castelo Branco (Relações Públicas); Luzia Marcelo (Grupo Desportivo e Cultural); Maria Albertina Guimarães (Administração) e Marta Leal (Serviço Social).

A referida equipa foi recebida pela Directora do Lar Beiral, Guiomar Damião, pela Assistente Social do Lar, D. Marisa, e por um grupo de cerca de 100 idosos residentes no lar. Foi feita a oferta de 2 volumes de roupa para homem (com cerca de 100 camisas e 100 calças), roupas de mulher, cerca de 25 armações de óculos (dada a alta prevalência de defeitos de refracção nesta faixa etária) e cerca de 50 lápis de carvão.

Foi feita a apresentação das instalações do Lar, com particular atenção à sala de ocupação de tempos livres, apetrechada com espaços de costura, trabalhos manuais, trabalhos de cestos, espaço musical e de leitura. Ficou a promessa de regresso para novas visitas.

Plano de Emergência Interno (PEI) da CSE O PEI tem por objectivo preparar e organizar os meios existentes para a garantia da salvaguarda da vida dos ocupantes da CSE caso ocorra uma situação perigosa, nomeadamente de incêndio, de radiação térmica, gases tóxicos, asfixiantes ou sufocantes, explosões, descarga eléctrica, falha energética, inundações, desabamentos, ameaças de bomba, acções de sabotagem ou vandalismo. Os edifícios hospitalares, tais como outros, estão sujeitos a acontecimentos que podem levar a situações de emergência. A sua principal característica é terem um número elevado de ocupantes, incluindo doentes sem mobilidade ou com capacidade diminuída de percepção e de reacção a uma situação de emergência. A CSE está a preparar a implementação do Plano de Emergência Interno (PEI), com o apoio do ITSEMAP/ SUCH (Serviço Comum dos Hospitais)

de forma a assegurar a capacidade da CSE intervir de imediato em articulação atempada com as entidades externas de socorro, nomeadamente Corporações de Bombeiros, Polícia Nacional e Protecção Civil. Será realizado, de 15-26 de Junho de

2009, um conjunto de acções de implementação do PEI destinadas a todos os profissionais da CSE. Consulte o Cronograma no Centro de Formação da CSE e participe nas acções de formação.

Prémio de melhor estudante do Ano da Faculdade de Medicina A Clínica Sagrada Esperança e a Associação dos Estudantes da Faculdade de Medicina de Luanda(AEFML) em coordenação com a Direcção da Faculdade de Medicina da UAN, criaram o prémio CSE para o melhor estudante do ano da Faculdade Medicina. O prémio, de periodicidade anual, destina-se a contemplar o estudante que se distinguir no contexto da sua formação global, nela salien-

tando as vertentes académica, científica, cívica e cultural. Este ano, o prémio foi entregue no dia 4 de Março, no âmbito das VI Jornadas Científicas e Estudantis da Faculdade de Medicina e distinguiu o estudante Cláudio Mbala, que terminou o quinto ano com média do ano de 16 valores, como o melhor estudante do ano da Faculdade de Medicina. O prémio era composto por

um Computador portátil, uma impressora e parte em valor monetário. Para os próximos anos os interessados deverão formalizar a sua candidatura ao prémio através de alguns documentos, dentre os quais: 1)requerimento dirigido à AEFML; 2) Curriculum Vitae, e 3) Declaração de notas discriminadas do ano que terminou.

O Estudante premiado


Página 8

Boletim Informativo

Perguntas e respostas sobre Hipertensão Arterial O que é a Hipertensão Arterial (HTA)?

Alimentos saudáveis para prevenir a Hipertensão Arterial

É uma doença caracterizada pelo aumento da pressão arterial. Valores de pressão arterial superiores a 140X90 denotam HTA. Quais são os sintomas de HTA?

“Deve ser sempre o médico, depois de observar o doente a indicar a medicação adequada para controlar a HTA”

Normalmente a HTA é ―silenciosa‖ por muito tempo, ou seja, sem determinar sintomas. Por vezes, ocorrem sintomas vagos e comuns a outras doenças, tais como dores de cabeça, tonturas, cansaço e sangramento nasal. Por isso, meça a sua pressão arterial periodicamente. O que é que provoca a HTA?

Curso “Técnicas de Gestão” No âmbito da formação contínua, teve início em Fevereiro do ano passado o Curso de Técnicas de Gestão, cujos destinatários foram as chefias intermédias da CSE. O 1º módulo foi Cultura Organizacional, versando aspectos como o conceito de organização, a análise SWOT, a análise organizacional, as funções e a comunicação da empresa, a Missão , a Visão e a imagem da empresa. O 2º módulo, ministrado em Março de 2009, foi Avaliação do Desempenho, cujo

conteúdo primou pela relevância da avaliação, elementos-chave e requisitos básicos, estabelecimento de um sistema de avaliação, relação salário-desempenho, registo de dados, medição do desempenho, a descoberta do potencial e a Entrevista de Avaliação. Estes módulos foram ministrados pelo Eng.º J. B. Malheiro, consultor-formador com larga experiência em gestão empresarial. Participaram no Curso 57 formandos.

De uma maneira geral, a HTA, resulta de factores e hábitos de vida. No entanto, há doenças que podem estar associadas a ela, como a diabetes, obesidade, apneia do sono, a doença renal crónica, dentre outras. Há factores de risco que podem ser controláveis, como a obesidade, tabagismo, alcoolismo, alimentos com muito sal, sedentarismo e stress. Pode-se prevenir a HTA? Na maior parte dos casos, sim. Basta mudar o estilo de vida. A prática de exercício, cuidados com a alimentação, abandono do tabagismo e procura de uma vida mais calma.

Quais são os perigos da HTA? Quando não tratada, pode causar aumento do tamanho do coração, dilatações dos vasos sanguíneos(aneurismas), endurecimento das artérias (arteriosclerose), rotura de vasos sanguíneos e doença dos rins, cérebro e olhos. Como se trata a HTA? Embora não exista cura para a HTA, existe um controlo eficaz, baseado quer na reformulação dos hábitos de vida, quer em medicação. Este tratamento acompanha , praticamente, o doente, até ao fim da sua vida. A CSE ajuda-o a cuidar da sua pressão arterial.

Campanha de vacinação chega ao fim O risco de exposição ao Vírus da Hepatite B é particularmente elevado nos profissionais de saúde. No âmbito do programa da CSE de prevenção das doenças transmissíveis, o Centro Médico dos Trabalhadores da CSE (CMT-CSE ) e o Gabinete de Saúde Ocupacional(GSO), organizaram uma campanha de vacinação contra a Hepatite B e tétano, que teve início a 20 de Outubro de 2008. Antes da campanha realizouse uma palestra de esclarecimento sobre a importância da prevenção e procedeu-se a distribuição de folhetos informativos sobre os cuidados a

ter após exposição a fluidos corporais de doentes infectados. A 3ª e última dose das vacinas foi administrada no final do mês de Abril de 2009. Foram administradas um total de 2076 doses de vacina contra a hepatite B e 1994 doses contra o tétano. Apenas 44.7% dos trabalhadores completaram as 3 doses da Vacina contra a Hepatite e 39% contra o Tétano e apenas estes estão realmente imunizados. Está programada para Outubro a campanha de vacinação

A campanha de vacinação. Enf.ª Alicia a vacinar a Dra. Nídia Madeira(à esquerda) e o Sr. Bula(centro). Colectivo de trabalhadores a aguardar a vacinação (à direita)


Volume 1, Edição 1

Página 9

Grupo Desportivo e Cultural da CSE (CSE-GD) Estrutura

É um grupo desportivo com a seguinte estrutura organizacional: Coordenador: Silvério Ceita Coordenador adjunto: Gervásio de Carvalho. Sub - coordenadores: Obde de Carvalho e Luzia Marcelo. Núcleo Central: Alcides, Albertina, Elsa, Maria, Rosa Domingos e Edna Viegas.

Objectivos

-Ser um grupo continuamente dedicado à promoção da saúde e bem-estar dos trabalhadores da CSE.

-Planear e organizar acções de promoção do desporto e exercício, de forma a melhorar os níveis físicos e a motivação dos trabalhadores da CSE. -Ser um grupo de utilidade e confiança por todos os que utilizam e trabalham nos serviços de CSE.

Actividades desenvolvidas

-Cerca de 30 jogos de Futebol 11 realizados desde 2004. Participação em vários torneios de futebol salão. -Duas participação em quadrangulares de futebol de salão, com

convites do Ministério da saúde (Gabinete da Vice-Ministra) e do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgico Extractiva, eléctrica e Química (STMEQ). -Primeira excursão alusiva ao dia internacional do trabalhador em 2009 com prática desportiva; - Voleibol de Praia - Futebol de Praia - Barra de Lenço - Corrida de Estafeta - Jogo de Força - Ringue - D.J. - Almoço de Confraternização

Grupo participante da Marcha do Dia Internacional da Mulher O convívio entre os trabalhadores

Jogo da Força

Actividades da CSE em prol do Dia Internacional da Mulher e Mundial do AVC O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março tem origem nas manifestações femininas por melhores condições de trabalho e direito de voto, no início do século XX, na Europa e nos Estados Unidos da América. A data foi adoptada pelas Nações Unidas em 1975, para lembrar tanto as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres como as discriminações e as violências a que muitas mulheres ainda estão sujeitas em todo o mundo. O Grupo Desportivo e Cultural da CSE(CSE-DC), no âmbito desta data, promoveu no dia 09/03/2009 uma caminhada para os trabalhadores da CSE. Apesar de constituir o género mais representativo da CSE, a campanha teve, curiosamente, uma fraca participação feminina: apenas com 9 presenças de entre cerca de 600 trabalhadores. Este caminhada foi realizada fundamentalmente com dois objectivos: 1) manifestação de solidariedade para com as mulheres africanas em geral e angolanas em particular que enfrentam demasiados problemas mas que, apesar disso, se mostram bastante batalhadoras; 2) reconhecimento do papel desempenhado pelas

mulheres no seu dia-a-dia como mãe, esposa, trabalhadora, educadora, doutora etc. — O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma das causas mais importantes de mortalidade e de incapacidade. Alusiva ao Dia Mundial do AVC, celebrado a 31 de Março, os trabalhadores da CSE realizaram no passado dia 04 de Abril uma caminhada com

o lema ―vamos todos prevenir doenças e melhorar a nossa condição física.‖ A intenção da caminhada foi lembrar a data e promover a saúde, pois o exercício regular é uma das medidas recomendadas para prevenção do AVC. Foi com muito entusiasmo que podemos observar uma grande participação e empenho dos trabalhadores.

CSE promove convívio alusivo ao Dia Internacional dos Trabalhadores A Clínica Sagrada Esperança, através do seu grupo desportivo, realizou no dia 2 de Maio uma excursão à Barra do Kwanza (Restaurante Inbomdeiro), que contou com a participação de mais de 100 pessoas incluindo trabalhadores, familiares e amigos. As actividades tiveram início às 6h, com partida do Largo do Baleizão, e chegada por volta das 9h30. Foi um momento de confraternização e diversão onde o objectivo foi o de tornar os trabalhadores das diversas áreas e serviços cada vez mais próximos. O almoço teve início as 13h e os excursionistas puderam saborear das mais diversas iguarias oferecidas pela casa.

Salto da corda

A garrafinha

O almoço

Realizaram-se várias actividades desportivas e culturais. Do ponto de vista desportivo houve a corrida de estafeta, voleibol e futebol de praia, natação, jogo de força e até a garrafinha. Quanto a cultura, o bom ritmo da música e a perícia dos excursionistas deram azo a momentos inesquecíveis de boa dança, onde as tradicionais Semba, Kizomba e Kuduro foram as danças dominantes. No final da excursão era visível no rosto de todos excursionistas uma alegria contagiante onde o coro era ―Queremos outra excursão‖.

As passadas

Os bons comentários no serviço, mostravam a alegria e a boa disposição dos trabalhadores no momento de reatar as actividades O cansaço e alegria do fim do dia


Página 10

Boletim Informativo

Parabéns a você!!! (Aniversariantes do mês de Maio) Álvaro R. Panzo (2/Maio)

Alice Lameirão (9/Maio)

Internamento

Celestino Salve (21/Maio)

Transportes

Laurinda Contreiras (3/Maio) Cozinha

Call center

Cecília Manuel (12/Maio)

Lavandaria

Vasco Matemba (22/Maio)

Call center

João L. Silva (3/Maio)

Cozinha

Neusa António (13/Maio)

G.Compet.

Alice Zangui (23/Maio)

C.Externa

Domingos Ambriz (4/Maio)

S.Admin.

Makiesse Catarina (14/Maio) Partos

Rita Lourenço (24/Maio)

G.Compet.

Deolinda Manuel (4/Maio)

Laboratório

Pedro Quiassungua (15/Maio) Cozinha

Joaquim Bengui (24/Maio)

internamento

Rosa A. Ebo (4/Maio)

S.Gerais

Luvualo João (16/Maio)

Elsa Maria (25/Maio)

C.Finanças

Radiologia

Rodrigues Domingos (5/Maio) Anestesia

Palmira Francisco (17/Maio) Secretariado

Cundi Namenguene(25/Maio) Internamento

Santos Domingos (5/Maio)

Luísa Filipe (18/Maio)

Pré-reforma

Maria Cristelo (26/Maio)

Domingas Pancada (6/Maio) S.Gerais

Evaristo Mendes (18/Maio)

Aprovisionam. Ana Francisco (27/Maio)

Cozinha

Mariazinha Bumba (6/Maio)

Pedro Benga (18/Maio)

Esterilização

Paulo Muanza (28/Maio)

Radiologia

Gertrudes Fernandes(6/Maio) UCD

João Sarmento (19/Maio)

Transportes

Alberto Camati (29/Maio)

Aprovisionam.

Américo Diogo (6/Maio)

CMLS

Inês de Carvalho (19/Maio)

Recepção

Inácio Temu (30/Maio)

Transportes

Ana Cassinda (7/Maio)

Alojamentos Luís Julião (19/Maio)

Transportes

Jaime Paulino (31/Maio)

C.Repouso

Edson Bandeira (7/Maio)

Farmácia

José Sandeleya (20/Maio)

Farmácia

Silva Cuinhe (31/Maio)

CMLS

Denilson Pinto (8/Maio)

Recepção

Verónica Martins (20/Maio)

Laboratório

S.Gerais S.Gerais

Anedotas Por telefone. - Bom dia, é da recepção? Eu gostaria de falar com alguém que me desse informações sobre um doente. Queria saber se está melhor ou pior… - Qual é o nome do doente? - Chama-se Martins Damião e está internado na suite 302. - Um momento, vou transferir a ligação para o gabinete de enfermagem… - Bom dia, sou a enfermeira Lourdes. O que deseja? - Gostaria de saber a situação clínica do doente Martins Damião na suite 302, por favor! - Um minuto, vou localizar o médico residente. - Aqui é o Dr. Carlos, no que posso ajudalo? - Bom dia, doutor. Preciso informações sobre a saúde do Martins Damião que está internado há três semanas na suite 302. - Ok, meu senhor, vou consultar o processo clínico dele... Um instante só! Hummm! Aqui está: ele comeu bem hoje, a pressão arterial e pulso estão estáveis, responde bem à medicação prescrita e até amanhã estaremos desligando todos os aparelhos. Continuando bem, o médico responsável dará a alta em três dias. - Ahhhh, Graças a Deus! São notícias maravilhosas! Que alegria! - Pelo seu entusiasmo, deve ser alguém muito próximo, certamente da família!? - Não, sou o próprio Martins Damião telefonando aqui da suite 302! É que todos entram e saem deste quarto e ninguém me diz nada. Só queria saber como estou... Dúvidas médicas. - Doutor o que tenho? - Não se preocupe meu amigo. Qualquer dúvida esclareceremos na autópsia.

G.P.Custos

Sabia que O autor mais idoso, 92 anos, a ter publicado numa revista médica foi o Sir Richard Doll. O seu último artigo, publicado em 2004 (BMJ 2004;328:1519-) foi sobre o impacto do tabagismo na mortalidade. Esse estudo concluiu que em média, o fumador morre 10 anos mais cedo que o não fumador. Outra conclusão do estudo foi que se o fumador interromper aos 60, 50, 40, e 30 anos, respectivamente, aumenta cerca de 3, 6, 9 ou 10 anos a sua vida.

O léxico nipónico não con tin h a n en hu m vocábulo que exprimisse agradecimento até à ida dos portugueses ao arquipélago do Japão no séc. XVI altura em que adoptaram a palavra portuguesa "obrigado" que hoje aparece na língua japonesa como "arigato".

SUDOKU N.º1

Nos primeiros dias de amamentação é secretado um tipo de leite, o colostro, que é um líquido amarelado, mais espesso que o leite maduro, formado em pequenas quantidades, mas suficientes para alimentar nos primeiros dias uma criança normal. O colostro contém mais anticorpos, e glóbulos brancos (células de defesa) que o leite maduro e confere à criança a primeira imunização natural contra a maior parte das bactérias e vírus.

Instruções básicas de sudoku O sudoku consiste em preencher uma grade de 81 espaços dividida em nove blocos. O objectivo do jogo é completar os espaços em branco com algarismos de 1 a 9, de modo que cada número apareça apenas uma vez na linha, grade e coluna. Nenhum número pode ser repetido e todos os números de 1 a 9 devem estar presentes. Não há lugar correcto ou errado para começar a resolver o sudoku, mas é importante aproveitar blocos que estejam com mais números.

A solução deste exercício será apresentada no segundo número do Boletim.


Volume 1, Edição 1

Destaques para o próximo número Comemoração do Dia Internacional da Criança (1 de Junho) Faltas ao Serviço e consequências com base na Lei Geral do Trabalho Curso para a Parentalidade O nosso Director de Formação e Ensino comenta: O Erro em Medicina Estudo da Apneia do Sono Ressonância Magnética Densitometria Óssea

Escreva-nos O nosso e-mail: cse.boletim@gmail.com

Responsáveis por este número Equipa Técnica: Edna Viegas Esmael Tomás Fortunato Silva Marta Leal Revisão: Maria do Carmo Cruz Participaram neste número: Nídia Madeira Roygue Alfredo Silvério Ceita Luzia Marcelo Hipólito Calulu

Página 11


A Saúde é o bem mais precioso. Cuidar dela é a nossa razão de ser.

CLÍNICA SAGRADA ESPERANÇA, LDA

A Clínica Sagrada Esperança é uma instituição de serviço público, dotada de personalidade jurídica, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, com fins nãolucrativos. Tem a sua sede em Luanda e está localizada na Ilha de Luanda, Avenida Mortala Mohamed. Inaugurada em 1991, foi premiada em Abril de 2005 com a Medalha de Ouro da Foundation for Excellence and Business Pratice, situada em Genebra, Suíça.

Endereço electrónico da CSE: sagradaesp@ebonet.net

Endereço electrónico do Boletim: cse.boletim@gmail.com

MISSÃO Prestar cuidados de saúde diferenciados em regime de ambulatório e internamento, com qualidade, em tempo útil, na perspectiva de eficiência e eficácia, promovendo a melhoria contínua das prestações de cuidados, o aperfeiçoamento profissional e a satisfação dos seus colaboradores. Participar no ensino e formação de quadros superiores, designadamente no ensino pré e pós-graduado de médicos e enfermeiros, na formação de farmacêuticos e bioquímicos, quadros médios técnicos de saúde, em regime de estágios, em colaboração com as entidades públicas e privadas de educação em saúde, bem como na formação de quadros de higienização, de serviços gerais e de logística. Desenvolver acções de investigação clínica quer na área de saúde pública quer na área hospitalar VISÃO

Estamos na internet! www.cse-ao.com

A Clínica Sagrada Esperança pretende ser, cada vez mais e de forma gradual e segura, uma verdadeira, justa e adequada referência na prestação de serviços de saúde em Angola, visando: a satisfação dos clientes, o desempenho interno enquanto instituição de saúde, a qualidade dos cuidados prestados, o envolvimento dos funcionários, a responsabilidade social.

A não esquecer este Mês

CSE | Boletim Informativo N.º 1 | Maio 2009  

Visite-nos em www.cse-ao.com

CSE | Boletim Informativo N.º 1 | Maio 2009  

Visite-nos em www.cse-ao.com

Advertisement