Issuu on Google+

2ยบ bimestre


Lemos a biografia de autores como Cecília Meireles, Andersen e de Monteiro Lobato. Escrevemos sobre a de pessoas da nossa família. Ampliamos nosso repertório conhecendo a vida e obra de Charles Chaplin. Assistimos o filme O Circo (1928) . Adoramos a cena onde Chaplin se prende na jaula do leão. O filme é muito divertido! Conheça um pouco de nós lendo trechos da nossa autobiografia.


Nasci em 20/07/2004 no Hospital Pro Matre em S達o Paulo. Adoro e sou 坦timo goleiro no futebol. Gosto de vermelho, branco e preto, as cores do S達o Paulo. Quando eu tinha 2 anos ganhei um super presente: Dudu, meu irm達ozinho! Trecho da autobiografia de Adriano


Nasci em São Paulo no dia 8 de agosto de 2004. Ganhei minha guitarra aos 4 anos. Não era a melhor de todas mas foi a melhor que já tive. Trecho da autobiografia de Francisco


Nasci aqui em São Paulo. Estudo no Colégio São Domingos e tenho muitos amigos como Murillo, Pedrinho, Pedro Bezerra e o Daniel. O esporte que mais gosto é o futebol. Faço aula na escola do Corinthians e já joguei contra o Flamengo. Vencemos por 4x0. Trecho da autobiografia de Flavio


Nasci no Hospital Esperan莽a no Recife com 2 quilos. No meu nascimento s贸 estavam meus tios e av贸s. Meu pai estava fazendo um show em S茫o Paulo e anunciou que eu nasci! Quando crescer quero ser estilista. Trecho da autobiografia de Mabel


Nasci na maternidade Pro Matre em São Paulo, capital no dia 20/01/2003. Após algumas semanas minha mãe descobriu que eu também sofria da mesma síndrome da minha irmã e então comecei a frequentar a Lara Mara. Eu gosto muito de fazer desenhos de roupas porque quero ser estilista. Trecho da autobiografia de Lucas Aguera


Nasci em Recife, Pernambuco no Hospital Esperanรงa no dia 5 de marรงo. Sou filho de Flavio Augusto e de Cristiana Novaes. Em 2011 fui ao maior show da minha vida: Paul McCartney . Trecho da autobiografia de Tom


Sou um garoto nascido em São Paulo. Quando completei 11 meses comecei a andar e subir nas coisas. Quando era bem pequeno queria ser biólogo marinho mas comecei a crescer e minha mãe começou a falar que eu desenho bem. Foi passando o tempo e eu acreditei! Trecho da autobiografia de Lucas Rezende


Nasci em São Paulo no dia 28/08/2004 numa noite de inverno com céu azul. Eu era um bebê de olhos grandes e curiosos. Gosto de viajar. No Brasil já fui para Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Nasci no mesmo ano do Facebook e quando crescer quero ser atriz de filme. Trecho da autobiografia de Maria Carolina


Nasci em Amsterdã e com um ano e meio fui morar em Barcelona. Meu pai é catalão e minha mãe brasileira. Em Barcelona estudei em uma escola trilíngue chamada English School. Eu gosto mais do São Domingos do que da English School. Lá, as meninas não podem brincar com os meninos e aqui sim. Minha aula preferida é Música! Trecho da autobiografia de Talula


Nasci em uma quinta feira Ă s 21h45. Com 4 anos cai de um brinquedo e perdi meu dente da frente. Demorou muito para crescer! Aos 6 anos fiz minha primeira viagem para a SuĂŠcia, Dinamarca e Portugal. Trecho da autobiografia de Lara


Nasci em um domingo. Com 1 ano e dois meses entrei na escola e com 3 anos e seis meses fui viajar para a Grécia. Com 4 anos ganhei um irmão. Agora, estou no 4º ano e quando crescer quero ser químico.

Trecho da autobiografia de João Pedro


Nasci em Curitiba na maternidade Victor do Amaral. Mudamos para São Paulo por causa da família. Quando eu crescer quero ser veterinária, cuidar dos animais. Deve ser bem legal ver como o animal está. Trecho da autobiografia de Maria Eduarda.


Em 2004, no dia 1º de julho, na madrugada de quinta feira nasce Tiago de Melo Franco Arakaki (eu), na maternidade Pro Matre em São Paulo. Moro em São Paulo, torço pelo Santos Futebol Clube. Aprendi a jogar bola no meu prédio com os adolescentes. Comecei a estudar no Colégio São Domingos no 2º ano. Em 2013 eu “voei”! Trecho da autobiografia de Tiago


Nasci no dia 2/04/2004 em Amsterdã, bem cedo. Depois de 2 anos vim para o Brasil. Quando morava na Holanda minha mãe vivia me levando para andar de bicicleta. Tenho 9 anos, um irmão chamado Ivan, uma mãe chamada Brazilia, um pai chamado Jorge e o mais importante, um cachorro chamado Pepe! Trecho da autobiografia de Maíra.


Nasci no dia 21/08/2004 em São Paulo. Fazia natação mas agora jogo beisebol no Gigantes onde meu pai é técnico. Também faço dança Taiko, que é uma dança instrumental de origem Okinaruana. No beisebol torço para o New York Yankees e no futebol para o Corinthians. Trecho da autobiografia de Daniel


Nasci no dia 17 de agosto de 2004 e meus pais choraram demais. Até fazer 7 ou 8 anos morava na avenida Matarazzo e estudava no Clube do Mickey . Depois fui para a Gente inocente. A maioria dos amigos que tenho são de lá. Agora estou no Colégio São Domingos com bons amigos e uns que não gosto tanto. Trecho da autobiografia de Pedro Bezerra


Nasci na rua Paraíso na maternidade Santa Joana. Quando meu pai me colocava no berço eu esperava que ele fosse para a cama e pulava na minha cesta de brinquedos. Minha primeira viagem de avião fiz com 1 ano para o Rio, onde fui para o Pão de Açúcar. Trecho da autobiografia de Pedro Silva.


Nasci no dia 12/09/2004 na maternidade São Luís na cidade de São Paulo. Seis meses depois comecei engatinhar e fui para o meu primeiro colégio, o Guaiuna. Faço futsal, sou ala ofensiva, meu professor é o Bernardo. Adoro jogar futebol e quando crescer quero ser jogador. Trecho da autobiografia de Murillo


No dia 25 de outubro eu nasci com um grande sol! Nasci em 2003 e quando crescer quero ser músico. Quando era bebê, meus pais me deixavam no berço escutando In my life dos Beatles. Meus ídolos são Paul McCartney, Gene Simmons e outros. Trecho da autobiografia de Tomás


Nasci no hospital São Luís às 9 horas da noite no dia 18 de setembro, estava calor e era 2003. Meu nome é Maria Clara Grossi Matias. Sou filha de Stela Matias e Ricardo dos Santos Matias. Quando era pequena vivia enterrada nos brinquedos e minha primeira chupeta era amarela. Com 5 anos mudei para Perdizes e entrei no Colégio São Domingos. Trecho da autobiografia de Maria Clara


Sou Pedro Oliveira Gonçalves, moro em São Paulo no bairro de Perdizes. Estudo no Colégio São Domingos que é uma escola bem divertida! Segundo minha mãe, fui um presente para ela. Quero ser jogador de futebol do Real Madri!

Trecho da autobiografia de Pedro Gonçalves.


Sou Caio Alcântara de Matos. Meus pais são Cristiano e Rúbia. Nasci em 22/09/2003 em Londres, Inglaterra. Desde pequeno era moleque mas agora não sou tanto. Quando tinha 1 ano fui morar em Recife. Na noite em que cheguei, comecei a pular na cama dos meus avós. Sempre me chamavam de “cabra corredor”. Agora, estudo no Colégio São Domingos, tenho vários amigos e gosto das aulas de HB. Quando crescer quero ser cientista como meu pai. Trecho da autobiografia de Caio.


Nasci em 13/02/2004. Quando fui para o berçário chorei por 1h15 minutos! Tive uma babá chamada Neusa. Atualmente, minhas banda favoritas são Beatles, Guns n’ Roses e ACDC. Tenho uma banda chamada Sem Fronteira na qual sou o guitarrista. Comecei a tocar guitarra em 2012 com o professor Douglas Froeming. Quando crescer quero ser músico profissional. Trecho da autobiografia de Arthur


Nasci no dia 8/05/2004 no Hospital Albert Einstein. Minha mãe se chama Patrícia Rossi e meu pai Rubens Franco. Fiz hipismo por 2 anos e hoje faço aula de teatro e circo. Estudo no Colégio São Domingos e estou lá desde o inicio do ano. É a primeira vez que mudo de escola. Já viajei para Bariloche, Rio Grande do Sul, Minas Gerais. Trecho da autobiografia de Carolina


A cigarra e a formiga Talula Uma cigarra No verão Estava tocando Seu violão Quando apareceu uma formiga Carregando um pedaço de pão A cigarra perguntou: Por que você trabalha tanto? E a formiga respondeu: Para no inverno ter um manto! E a cigarra voltou Para seu canto.

Cordel do cordel (Produção em grupo)

É legal ser cordelista e também repentista

É tudo improvisado e também declamado Adoro fazer isso! O cordel é divertido e também “legalzito”!

A cigarra e a formiga Murillo Um dia a cigarra Cantou uma canção E com essa canção Feita no violão A cigarra disia estar com fome E no inverno foi pedir pão E as formigas Bravas disseram não Pois a cigarra só pensava Em tocar sua canção!


A biblioteca é um espaço de tranquilidade para a leitura. Gostamos de ler vários livros diferentes como: Coleção Mortos de fama, cordéis, histórias já conhecidas e ainda uma coleção que fala de vários cientistas.


Brincamos com nossos pais!


Histórias e brincadeiras “Se criança governasse o mundo... Todos poderiam pintar e bordar.” Foi isso que aconteceu na Semana Mundial do Brincar, durante nosso encontro de Histórias e Brincadeiras. Convidamos pais e mães dos alunos dos 4ºs anos para brincarem no nosso quintal. Quem pôde aceitar nosso convite se divertiu pra valer. Todos foram embora pedindo BIS! No entanto, criança não governa o mundo e alguns pais e mães não puderam estar conosco na tarde do dia 21 de maio. Nós repetiremos a experiência, com certeza. Mas, enquanto o “repeteco” não acontece, compartilhamos os depoimentos das crianças e as fotos de um dia em que todos puderam pintar e bordar.


Eu achei legal, porque a m達e da Carol e minha brincaram de twister. (Lucas A.)


“A gente brincou de várias coisas. Alguns pais brincaram de polícia e ladrão com a gente. Eles foram os policiais e entenderam como a gente brinca. Quando eles brincavam devia ser diferente de como nós brincamos. Alguns deles eram muito rápidos!” (Maria Clara)

“Eu gostei que os pais vieram brincar de polícia e ladrão com a gente. Alguns dizem que estão muito velhos pra isso, mas se divertiram.” (Murilo)

“Eles usaram boas estratégias para nos capturar.” (Adriano)


“Alguns pais ficaram no quintal, ajudando as crianças a fazer brinquedos, brincando de telefone sem fio, chinelão, detetive, bolhas de sabão, elástico, pés de lata, etc...” (Murilo, Pedro B. , Lucas A. e Maria Clara)


Neste 2º bimestre vivemos intensamente o Maracatu. Estudamos sobre as raízes dessa manifestação, sobre os componentes do cortejo suas simbologias, musicas e vestimentas. Em oficinas coletivas construímos adereços como estandartes, calungas, coroas, enfeitamos roupas, tocamos, cantamos e dançamos.

No Brasil Tem festas pra chuchu Uma delas se chama A festa do Maracatu A outra é a festa junina Onde não se come caju!


Os jogos estratégicos ofereceram situações de discussão e criação de estratégias, a necessidade do trabalho em equipe na busca por uma melhor participação, a importância em se deslocar nos diferentes espaços e também em compreender as regras que organizam os jogos propostos. A competição e a cooperação caminham juntas, momento em que podemos contribuir e aprender mais sobre o fazer junto. Sendo este um dos grandes desafios trabalhados neste grupo e que aos poucos estamos analisando os jogos realizados e a participação das equipes. Nessa perspectiva, procuramos direcionar as discussões para que os alunos tenham compreensão da necessidade das regras, das estratégias, das questões sobre trabalho coletivo e individual, tanto no âmbito da organização dos jogos em quadra, quanto nos grupos sociais aos quais pertence. Outro momento importante e de muito empenho de todos os alunos foram as produções apresentadas na belíssima Festa Junina deste ano. Os jogos estratégicos serão retomados e ampliados na sequência do nosso trabalho. Professor Vanderlei Sanches


O pai da Mabel, Lucio conversou com a gente sobre o maracatu . Ele é um guitarrista muito importante da banda Nação Zumbi e contou para nós que sua banda misturou maracatu com rock e despertou a atenção de todos para os ritmos brasileiros.


O China, pai do Tom, ensinou maracatu e falou sobre o início de sua banda. Eles construíam os

próprios instrumentos e quando viajavam para São Paulo, que era mais

frio

que

no

Recife,

precisavam embrulhar as alfaias em cobertores.


Tem uma frase que costumamos usar aqui no São Domingos, que é “Nutrição Estética”. Caminhamos com os estudos, com os temas enredados a outras linguagens e com os conteúdos específicos a cada matéria, mas as produções de sentidos são construídas dia-a-dia com os alunos e aquilo que nos alimenta, justamente é a nutrição estética. Este bimestre, vivenciamos: oficina de dança, canto, percussão corporal, de maracatu. Recebemos os mestres de Justinópolis, os quais trouxeram histórias, músicas, danças da cultura Moçambique e Congada. Pais de alunos também vieram falar sobre Maracatu e contar suas histórias de infância e escolhas musicais. Vimos com os ensaios, com as aulas de ritmos do Maracatu Nação, construção de instrumentos e com a integração dos segmentos (crianças de 3, 5, 9 e adolescentes de 14 anos), um corpo coletivo se harmonizando. O canto em uníssono nos emocionou bastante, assim como o comprometimento de todos. Salve nossa “Nação Domingos”!!!


Conversamos com o veterinĂĄrio AndrĂŠ Maldonado sobre os

animais


Quando fomos ao zoológico vimos um monte de animais como macacos, tigre siberiano e outros.

Conversamos sobre sua alimentação, visitamos a cozinha de lá onde são preparadas as “refeições” doa animais. Aprendemos muito!


Visitamos também o biotério onde alguns animais são criados para

servirem de alimento para outros. Alguns

acharam

estranho por lá!

o

clima

bem


Inglês com música! A partir de uma conversa com a profa Mônica de música, decidimos trabalhar juntas num projeto que envolvesse música e inglês. O primeiro objetivo foi melhorar a pronúncia dos alunos para que cantassem corretamente "Rock my soul." Como mostrar a importância e influência do soul para nossos alunos? Usando vídeos de diferentes versões dessa música, começamos a descobrir que conhecíamos bastante de rock e que muitos conheciam ícones como: The Beatles, Elvis Presley, Queen, Iron Maiden, Led Zeppelin e tantos outros. Exploramos o site oficial do filme "Yellow Submarine" dos Beatles e para a satisfação de todos nós, um alunos nos emprestou o filme para que assistimos juntos durante as aulas de inglês! O que vocês acompanham pelas fotos é o resultado da ilustração que nossos alunos fizeram em grupo dos trechos da música "Yellow Submarine" Começaremos a explorar nas próximas aulas os cantores e bandas que eles têm sugerido: Queen, Bob Dylan, ACDC, Pink Floyd... garantimos que será uma viagem tão empolgante quanto navegar pelos Mares do Tempo, de Buracos ou dos Monstros.


At茅 a pr贸xima!


Relatório 4ºC - junho 2013