Page 1

COM QUANTAS HISTÓRIAS FAZEMOS UM BIMESTRE?


Eu não tenho nenhum talento especial, sou apenas apaixonadamente curioso.

“Quantos anos vive um orangotango? “

“O tubarão como todo tipo de peixe?” “O camelo fica quantos dias sem tomar água mesmo?”

Albert Einstein


Iniciamos o segundo bimestre com a ideia de que montar uma frase com as palavras “criança” e “animais” só poderia vir acompanhada dos verbos “gostar”, “conhecer” e “aprender”. E foi assim que começamos a conversar e elaborar hipóteses sobre como eles respiram e como seria a alimentação de vários animais. Foram com muitas perguntas que recebemos o Dr. André Maldonado, veterinário e pai da Isabela. As crianças ouviam atentamente C-A-D-A palavra, explicação e curiosidade respondida pelo Dr. André e com todas as informações adquiridas, lá fomos nós ao Zoológico de São Paulo. Alguns dias antes do passeio, assistimos um documentário que o Cauê troux à escola sobre a história do zoológico e ficamos ainda mais ansiosos para ver os animais, observar seus hábitos e conhecer a cozinha que preparava os alimentos de todos os animais! No zoológico vimos cobras, pássaros, felinos, macacos e os olhos das crianças brilhavam a cada animal que víamos. No fim de tarde – quase no final do passeio – o hipopótamo nos deus um show que valeu pelo dia todo: entrou e saiu do tanque de água, ‘dançou’ e grunhiu! Aquilo foi demais para as crianças e todos comentavam do espetáculo na volta para a escola!


COMO OS ANIMAIS RESPIRAM?

Pesquisamos imagens, discutimos e montamos painĂŠis classificando os animais de acordo com a forma como eles respiram. O resultado ficou demais!


PASSEIO AO ZOOLÓGICO


Aquela aula começou com oralidade Vídeos, músicas e poemas foram entrando Do Patativa conhecemos sua humildade O cordel do nordeste chegou Luiz Gonzaga fomos conhecer E assim fomos nos familiarizando Seus amores, sua história, sua música Chegaram à nossa sala Em cada aula aproximada Vamos sobre ele escrever? A ideia de conhecer muito mais Em Exu nasceu, frequentou bailes de Pavão misterioso, o Nascimento de gala Jesus Sempre com sua sanfona, E árvore de dinheiro lemos ainda Pernambuco trazia na mala Mas as crianças pediam: “mais, mais!” Como não sou de hesitar Sem nos darmos conta Respondi: “Cuca em cordel, seja bem- O Nordeste estava aqui! vinda!” Maracatus, Patativas e cordeis Logo eles perceberam que plantando Quantos mais aprendíamos, ficava em cordel, tudo dá! mais gostoso E assim entraram na história espadas, Chegou a hora de um cordel escrever sons e até caqui As crianças não acreditavam: E histórias inéditas colecionamos em -“Mas escrever sobre o quê”? papéis. “Que tal sobre um monstro medroso?” E assim saíram Pokémon, viroses e fadas E com as palavras brincaram

O


Ao iniciar o projeto de Biografias, pensamos como apetecer as crianças a lerem sobre a vida de pessoas que eles sequer conheciam?! Tomando nosso livro didático como fio condutor, apresenteilhes Cecília Meireles, Andersen (que conheciam só suas histórias) e Portinari. Logo tomaram gosto pela coisa e, eu que pensava em surpreendê-los, fui surpreendida: resolveram que aprenderiam sobre Biografias lendo a coleção “Mortos de fama”. Daí em diante foram risadas, sustos, curiosidades e “carasde-não-acredito”. Com essa coleção sendo devorada pelas crianças, nossas aulas de biblioteca tornaram-se meios de dividir informações e confrontar dados. “Você sabia que a Cleópatra foi prima distante de Alexandre, o Grande?” “E você, sabia que Elvis inventou um jeito único de fazer música?” Até que um dia, descobrimos que esta coleção é traduzida do inglês, que tem mais de 30 títulos. Próximo desafio? Tentar lê-los em inglês. Ao pensar de que forma avaliaríamos as produções de textos dos alunos, tivemos a ideia de apresentá-los “O circo” (1928) , de Chaplin. Nada melhor do que conhecer uma personalidade, vendo o que ela fazia de melhor: Carlitos. No dia em que assistimos ao filme, as crianças seguravam as mãos contra a barriga de tanto rirem. Foi uma experiência deliciosa e renderam muitas ideias para o próximo semestre.


NAS AULAS DE PORTUGUÊS...


MARACATU Tivemos a oportunidade de aprofundar nossas investigações sobre Maracatu através de bate-papos descontraídos com pais de colegas que são importantes músicos do gênero.

Os alunos conheceram um pouco mais sobre Pernambuco, histórias contadas pelos caboclos de lança, o surgimentos da mistura de gêneros com o Maracatu, além de oficinas de batuques.


E OS EUROPEUS CHEGARAM AO BRASIL...


MATEMÁTICA BRINCANDO...


TRILHA, BATALHA...


Trazer diferentes jogos às aulas de Matemática foi uma excelente ideia. As aulas transformaram-se em momentos dinâmicos e de troca de ideias e experiências. Pudemos trabalhar – e brincar! – com colegas que não estávamos habituados e dessas atividades fizemos novos laços.


Histórias e brincadeiras “Se criança governasse o mundo... Todos poderiam pintar e bordar.” Foi isso que aconteceu na Semana Mundial do Brincar, durante nosso encontro de Histórias e Brincadeiras. Convidamos pais e mães dos alunos dos 4ºs anos para brincarem no nosso quintal. Quem pôde aceitar nosso convite se divertiu pra valer. Todos foram embora pedindo BIS! No entanto, criança não governa o mundo e alguns pais e mães não puderam estar conosco na tarde do dia 21 de maio. Nós repetiremos a experiência, com certeza. Mas, enquanto o “repeteco” não acontece, compartilhamos os depoimentos das crianças e as fotos de um dia em que todos puderam pintar e bordar.


“Na última terça-feira de maio o 4º ano convidou nossos pais para brincar com a gente. Eu só brinquei de polícia e ladrão, mas outras pessoas brincaram de outras coisas como: queimada, telefone sem fio, outras fizeram bolha de sabão e algumas meninas brincaram de pular corda. No polícia e ladrão os pais eram polícia e os filhos ladrão. Nós fugíamos muito e também fomos pegar muitas vezes, mas acho que nós vencemos! No final tido mundo foi no terraço, teve guerra de detergente. Foi muito divertido esse dia! Valeu a pena ter chamado os pais.” (Joca)


“Foi muito divertido, brinquei com os pais da Carol, com a mãe da Isa, os meus pais e a Lara. Brincamos de detetive. Era um mistério porque o detetive não conseguia achar quem era o assassino. Depois brincamos de telefone sem fio que foi muito engraçado porque meu pai disse uma frase na brincadeira que era assim: a brincadeira está boa, mas eu tenho que trabalhar porque tenho quatro filhos para sustentar.” (Mariana)


Foi bem legal, eu brinquei com o pai da Raquel e a gente brincou de construir brinquedos. Eu construí uma cama para as bonecas. Os pais conheceram várias brincadeiras e a gente também. Tiveram crianças que ensinaram a brincar de “pula elástico”. (Manoela)

“Foi emocionante ver os pais e as mães brincando com as crianças e como crianças. Foi o horário que os pais nos entenderam.” (Raquel)


“Minha mãe se chama Silvia, ela ao chegar na escola correu aos meus braços e disse: - Do que você quer brincar? Eu logo respondi: -Polícia e ladrão! Eu fiquei impressionada! Nunca vi ela correr tão rápido! Mas uma hora cansamos, e fomos brincar de bolinha de sabão e bambolê. Gostei daquele dia! “(Gabrielli)

“Foi difícil fugir da minha mãe, dos pais do Bruno, do pai do Júlio, do pai do Cauê e do Padrasto do Joca.” (Pedro Lourenço)


INGLÊS English with Music! A partir de uma conversa com a profa Mônica de música, decidimos trabalhar juntas num projeto que envolvesse música e inglês. O primeiro objetivo foi melhorar a pronúncia dos alunos para que cantassem corretamente "Rock my soul." Como mostrar a importância e influência do soul para nossos alunos? Usando vídeos de diferentes versões dessa música, começamos a descobrir que conhecíamos bastante de rock e que muitos conheciam ícones como: The Beatles, Elvis Presley, Queen, Iron Maiden, Led Zeppelin e tantos outros. Exploramos o site oficial do filme "Yellow Submarine" dos Beatles e para a satisfação de todos nós, um alunos nos emprestou o filme para que assistimos juntos durante as aulas de inglês! O que vocês acompanham pelas fotos é o resultado da ilustração que nossos alunos fizeram em grupo dos trechos da música "Yellow Submarine" Começaremos a explorar nas próximas aulas os cantores e bandas que eles têm sugerido: Queen, Bob Dylan, ACDC, Pink Floyd... garantimos que será uma viagem tão empolgante quanto navegar pelos Mares do Tempo, de Buracos ou dos Monstros.


OUR CLASSES...


EDUCAÇÃO FÍSICA Os jogos estratégicos ofereceram situações de discussão e criação de estratégias, a necessidade do trabalho em equipe na busca por uma melhor participação, a importância em se deslocar nos diferentes espaços e também em compreender as regras que organizam os jogos propostos. A competição e a cooperação caminham juntas, momento em que podemos contribuir e aprender mais sobre o fazer junto. Sendo este um dos grandes desafios trabalhados neste grupo e que aos poucos estamos analisando os jogos realizados e a participação das equipes.

Nessa perspectiva, procuramos direcionar as discussões para que os alunos tenham compreensão da necessidade das regras, das estratégias, das questões sobre trabalho coletivo e individual, tanto no âmbito da organização dos jogos em quadra, quanto nos grupos sociais aos quais pertence. Outro momento importante e de muito empenho de todos os alunos foram as produções apresentadas na belíssima Festa Junina deste ano. Os jogos estratégicos serão retomados e ampliados na sequência do nosso trabalho. Professor Vanderlei Sanches


MÚSICA Tem uma frase que costumamos usar aqui no São Domingos, que é “Nutrição Estética”. Caminhamos com os estudos, com os temas enredados a outras linguagens e com os conteúdos específicos a cada matéria, mas as produções de sentidos são construídas dia-a-dia com os alunos e aquilo que nos alimenta, justamente é a nutrição estética. Este bimestre, vivenciamos: oficina de dança, canto, percussão corporal, de maracatu. Recebemos os mestres de Justinópolis, os quais trouxeram histórias, músicas, danças da cultura Moçambique e Congada. Pais de alunos também vieram falar sobre Maracatu e contar suas histórias de infância e escolhas musicais. Vimos com os ensaios, com as aulas de ritmos do Maracatu Nação, construção de instrumentos e com a integração dos segmentos (crianças de 3, 5, 9 e adolescentes de 14 anos), um corpo coletivo se harmonizando. O canto em uníssono nos emocionou bastante, assim como o comprometimento de todos. Salve nossa “Nação Domingos”!!!


ARTES Neste 2º bimestre vivemos intensamente o Maracatu. Estudamos sobre as raízes dessa manifestação, sobre os componentes do cortejo suas simbologias, musicas e vestimentas. Em oficinas coletivas construímos adereços como estandartes, calungas, coroas, enfeitamos roupas, tocamos, cantamos e dançamos.


SOMOS O 4° ANO B... Bruno Fornes do Nascimento Borges Cauê Siqueira de Cardoso Fabrízio Rondon Pinheiro Gabrielli Batista Rosenberg Isabela Maria Bicudo Ferreira Maldonado Isadora Toledo Casco João Pedro Kostov Mero Joaquim Pires Sant’Ana de Souza Júlio Focesi Pelicioni de Moraes Lara Medeiros Schlumbom Lucas Aguida Mazzatto Lucas Fernandes Balsini Luis Guilherme Mota Nishimoto Luísa Nascimento Spada e Souza Luiza Angi Ejzenbaum Manoela Ferreira Finotti Mariana Holtz Amato Pedro Machado Lourenço Rafael Marcon Krainovic Raquel Sperandéo Ordaz Vito Sangiacomo Novelli Yuri Kauai de Carvalho Lima

Nossos professores: Ariane Camila Eloíse Flávia Mônica Vander Vivian Wilma

Relatório 4°B - junho 2013  

Relatório 4°B - junho 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you