Issuu on Google+

RELATÓRIO DO 1ºB, PRODUZIDO A MUITAS MÃOS “PESSOAL, PRECISAMOS ESCREVER UM RELATÓRIO PARA OS PAIS DE VOCÊS, DANDO NOTÍCIAS DOS TRABALHOS QUE TEMOS FEITO NA ESCOLA. LEMBRAM-SE DA REUNIÃO DE PAIS QUE TIVEMOS? LEMBRAMSE DAQUELE DOCUMENTO QUE VIMOS NO COMPUTADOR, QUE PREPAREI PARA CONVERSAR COM AS FAMÍLIAS? ENTÃO, AGORA PRECISAMOS FAZER UM OUTRO DOCUMENTO. O QUE VOCÊS ACHAM QUE TEMOS PARA CONTAR PARA OS FAMILIARES DE VOCÊS?” PROFESSORA RENATA E ASSIM INICIOU A CONSTRUÇÃO DESSE RELATÓRIO ... UM FALA, OUTRO COMPLETA. UM OPINA, OUTRO DISCORDA E PRECISAMOS ENCONTRAR UM CONSENSO OU NÃO? A PROFESSORA COMO ESCRIBA DIGITA AS FALAS E OS ALUNOS ACOMPANHAM NO TELÃO E FAZEM AS CORREÇÕES NECESSÁRIAS NO TEXTO QUANDO, POR ACASO, NA PRESSA DA ESCRITA, OMITE ALGUMA LETRA, COLOCA LETRAS A MAIS.E AINDA, AS LEGENDAS DAS FOTOS FORAM ESCRITAS EM DUPLAS E, POSTERIORMENTE, REVISADAS PELOS PRÓPRIOS ALUNOS. COUBE AOS PROFESSORES ORGANIZAR TUDO ISSO!!! BOA APRECIAÇÃO, PROFESSORES E ALUNOS DO 1ºB


UM DIA DE TRABALHO NO 1ยบB. A ESCRITA DA ROTINA AJUDA A NOS ORGANIZARMOS NO TEMPO, NO ESPAร‡O E PREVER ACONTECIMENTOS.


1- CANTINHOS


2- RODA FAVORECER A APROXIMAÇÃO DOS ALUNOS, QUE SOUBESSEM O NOME UNS DOS OUTROS, QUE SE APROXIMASSEM POR AFINIDADES E INTERESSES COMUNS E, DA MESMA FORMA RECONHECESSEM AS DIFERENÇAS ERAM ALGUNS DOS NOSSOS OBJETIVOS NO INÍCIO DESTE DO ANO. OLHAR E CUIDAR DA CONSTRUÇÃO DE UM GRUPO QUE SE INICIAVA!


“A GENTE FEZ UM MÓBILE, PORQUE A GENTE TEVE UMA IDEIA DE SABER DAS COISAS SOBRE NÓS. A GENTE FEZ UMA VOTAÇÃO PARA SABER SE IA FAZER UM LIVRO OU UM MÓBILE E O MÓBILE GANHOU.”


3- JOGO DE NOMES “A GENTE ESTÁ FAZENDO FORCA PARA VER QUEM É O AJUDANTE DO DIA.”


ESCRITAS “A GENTE ESCREVE A

ROTINA DO DIA, PARLENDAS,

OS NOMES DOS AMIGOS...”


4- MÚSICA Contarei agora, por meio das memórias das crianças, um pouco do que conhecemos, pesquisamos, aprendemos nas aulas de música. Eles se lembraram de pequenos e significativos pedaços dessas vivências: imagens, sons, palavras, gestos e emoções que procurei complementar, contando sobre a linguagem musical. Sigam as cores da música: vermelho para as lembranças dos alunos e azul para as lembranças da professora.

Eu me lembro...


Do grão de areia... A Estrela do Mar foi a primeira música e história que conhecemos este ano. As músicas contam histórias e esta fala de um amor quase impossível com um final misterioso. As imagens e a marcha-rancho se misturaram na memória das crianças e quando querem que eu conte e cante de novo, resumem tudo pedindo, o grão de areia. Ouçam a música: http://www.youtube.com/watch?v=NmNvL6qrC3g&feature=related

Do Eco... Fazemos uma brincadeira de exploração dos sons corporais, com imitação e improviso que se chama ECO. Este exercício é feito em roda e cada criança pode entrar no meio e propor um som. Geralmente ele vem acompanhado de movimentos e muita graça.

Do jogo da memória dos sons... Jogamos um jogo da memória do som, reconhecendo o timbre e a localização do som no espaço. Coloquei pedrinhas, arroz e, sementes dentro dos tubinhos de filmes das máquinas fotográficas antigas e brincamos ouvindo o som e o silêncio que às vezes aparecia e surpreendia.

Do jogo da memória dos sons... Jogamos um jogo da memória do som, reconhecendo o timbre e a localização do som no espaço. Coloquei pedrinhas, arroz e, sementes dentro dos tubinhos de filmes das máquinas fotográficas antigas e brincamos ouvindo o som e o silêncio que às vezes aparecia e surpreendia.

Da flauta de cenoura ao Mahnah Mahnah... Assistimos aos vídeos: http://www.youtube.com/watch?v=8N_tupPBtWQ http://www.youtube.com/watch?v=EzX01lLGxMQ, que são bons exemplos de vozes humanas e timbres inusitados. Faz parte do processo de aprendizagem pesquisar em fontes diferentes, conteúdos que estamos estudando: livros, músicas gravadas, vídeos e audição de concertos.

Do Rap do cavalo... Um dia um aluno fez numa “lição de Casa” que virou o rap do cavalo. Ele gravou um cd no estúdio que tinha em sua casa, criou letra, melodia, ritmos com sons de boca o beat box e ficou ótimo! As crianças gostam e se surpreendem por ter sido feita por uma criança quase da idade deles.


Do Rap do cavalo... Um dia um aluno fez numa “lição de Casa” que virou o rap do cavalo. Ele gravou um cd no estúdio que tinha em sua casa, criou letra, melodia, ritmos com sons de boca o beat box e ficou ótimo! As crianças gostam e se surpreendem por ter sido feita por uma criança quase da idade deles.

Das danças e das brincadeiras da onça e do peixe-piá... Dançamos cirandas e cacuriás (dança do Maranhão e de Pernambuco). Gosto de contar que pessoas de todas as idades gostam de entrar. Velhos, jovens, mulheres com nenê na barriga, todos entram na dança.


Do Pedro e o Lobo... As crianças gravaram este conto que é uma obra do compositor russo Serguei Prokofiev, usando o corpo e instrumentos agrupados por semelhanças timbrísticas. Elas adoraram todo o processo: escolher os instrumentos para os personagens, ensaiar, gravar e ouvir.

Do pega-pega lerdo... As crianças inventaram este nome para a música Koi Txangaré dos índios Suruí que gosto de usar para vivenciar o andamento lento e que tem uma marcação forte e lenta no tambor. Todos vivenciam este andamento com o corpo, regidos pela gravação tensa e dissonante, interpretada pelo grupo Mawaca.

Do forte e do fraco... Nas aulas de prática instrumental, tocamos tentando prestar atenção na intensidade das execuções. Logo em seguida registramos os símbolos inventados que representaram o forte e o fraco para o grupo. Esta notação simbólica é uma experiência anterior à escrita formal, a qual virá nos anos seguintes.


“A GENTE SE DIVERTE MUITO NO PARQUE: JOGANDO FUTEBOL, TEM GENTE QUE ADORA PULAR CORDA, BRINCAMOS MUITO DE PEGA-PEGA E PEGA-GELO E TAMBÉM NO BALANÇO DE PNEU.”

5- PARQUE


“BRINCADEIRA, CHORADEIRA PRA QUEM VIVE UMA VIDA INTEIRA...” PÉ DE NABO – PALAVRA CANTADA

BRINCADEIRA ... O RECREIO É UM MOMENTO DE ENCONTROS E DESENCONTROS. ENCONTROS DAS “VELHAS” AMIZADES E INÍCIO DAS NOVAS. ENCONTRO COM O SOMAR E O DIVIDIR AO MESMO TEMPO. ENCONTRO DO CRIATIVO COM AS DESCOBERTAS. ENCONTRO COM O DESENCONTRO, COM AS DESAVENÇAS E AS OUTRAS POSSIBILIDADES DE RELACIONAR-SE. ENCONTRAR-SE NO OUTRO. ENCONTRAR-SE NO BRINCAR. ESTAR LIVRE PARA CRIAR E RECRIAR NOVAS FORMAS DO BRINCAR. PULAR CORDA, SUBIR NO BRINQUEDÃO, CONSTRUIR CABANAS COM TECIDOS, BRINCAR NO BALANÇO, CORRER, JOGAR QUEIMADA, PULAR AMARELINHA E TANTAS OUTRAS BRINCADEIRAS FAZEM DO RECREIO UM MOMENTO DE BONS ENCONTROS E DESENCONTROS ORA INTERMEDIADO PELOS ADULTOS E ORA SOLUCIONADOS POR ELES MESMOS. PATRICIA E THAIS


6- H.B Nos nossos encontros o “Pátio da Paz”, mais conhecido como “Pátio da Goiabeira”, transforma-se em um verdadeiro quintal. Neste quintal, ouvimos “histórias de boca”, fazemos outras brincadeiras com palavras, como parlendas e lenga lengas, construímos alguns brinquedos que voam, como aviões de papel e barangandão arco íris, brincamos de faz de conta com fantasias, cabra ou cobra cega, jogo da velha...

Jogo da velha com os saquinhos de “Cinco Marias”


Jogamos queimada lesma Para brincar, não é preciso dividir os participantes em times ou riscar linha no chão para criar campos adversários. Nesta brincadeira cada criança pode queimar todas as outras. A bola (feita de meia ou de jornal e fita crepe) deve bater no corpo do amigo (menos na cabeça), antes de cair no chão. Aquele que for queimado vira “lesma” (fica abaixado), esperando ser salvo. Para voltar ao jogo, alguém precisa jogar a bola para o que está queimado.


Parlendas de pular:

Aprendemos a pular e bater corda.

“O homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores, põe a mão no chão. Senhoras e senhores, pule de um pé só. Senhoras e senhores, dê uma rodadinha e vá pro olho da rua!”

“Coca Cola Pepsi cola Quantos anos você tem? 1, 2, 3, 4...”

Escalamos e transformamos nossa goiabeira num divertido balanço.


7- HISTÓRIA

“NÓS LEMOS TRÊS HISTÓRIAS DE MISTÉRIO, UMA COLEÇÃO. UM LIVRO DA ÂNGELA LAGO QUE TEM VÁRIAS

HISTÓRIAS DE MISTÉRIO, UM LIVRO PUBLICADO PELO PESSOAL DO 4 ºANO DO COLÉGIO. AGORA, ESTAMOS LENDO UM LIVRO FESTA DE ANIVERSÁRIO. POR

ENQUANTO, ESTÁ UMA HISTÓRIA NORMAL, SEM NADA DE MISTÉRIO. SERÁ QUE O MISTÉRIO VEM NO FIM? NO MEIO? NO CAPÍTULO 6?”


AINDA TEM MAIS TRABALHOS! MAS NEM TUDO NO MESMO DIA...


8- ALIMENTAR O RELÂMPAGO “A GENTE ESTÁ CUIDANDO DO RELÂMPAGO. UMA MARIA FARINHA DA NOSSA ESCOLA. TODO MUNDO JÁ DEVE SABER QUE A GENTE TEM UMA MARIA FARINHA E QUE O NOME DELE É RELÂMPAGO. ESSE NOME FOI ESCOLHIDO POR VOTAÇÃO.”


O QUE APRENDEMOS COM ESSE ESTUDO? -PENSÁVAMOS QUE MARIA FARINHA COMIA ARTÊMIA, UM BICHINHO PEQUENININHO PARECIDO COM CAMARÃO, MAS COME CARNE DE PEIXE MORTO; -PENSAMOS PRIMEIRO QUE FOSSE UMA FÊMEA, MAS É UM MACHO. O GIBA DESCOBRIU ISSO PORQUE SEGUROU NA MÃO E VIU A FORMA DEBAIXO DA BARRIGA;

-ELE FICA ESCONDIDO QUANDO TEM MUITA GENTE E QUANDO É DE DIA, PORQUE CARANGUEIJO É UM ANIMAL NOTURNO; -ELE SE CAMUFLA NA AREIA PARA SE ESCONDER DE ANIMAIS FEROZES E DE PESSOAS OU ANIMAIS QUE PEGAM PARA MATAR; -ELE SE CHAMA MARIA FARINHA, PORQUE SE CAMUFLA NA AREIA QUE É DA COR DELE E A AREIA PARECE UMA FARINHA; -ELE USA SUAS PINÇAS PARA COMER E UMA É MAIOR DO QUE A OUTRA. UMA, A GRANDE, É PARA SE DEFENDER E A PEQUENA É PARA COMER; -SE ELE QUEBRA A PINÇA, NASCE OUTRA;

- NÓS JÁ SABEMOS QUE ELE É UM ANIMAL DE ÁGUA SALGADA. A GENTE ESTÁ COLOCANDO NO AQUÁRIO ÁGUA DO BEBEDOR E ELE ESTÁ VIVENDO BEM .


9- LIVRO DE MATEMÁTICA “AS LIÇÕES DO LIVRO DE MATEMÁTICA SÃO DE PADRÕES. TAMBÉM TEM AS FORMAS GEOMÉTRICAS.”


10 – EDUCAÇÃO FÍSICA

A exploração dos jogos simbólicos aconteceu no momento em que os alunos brincaram, organizando uma situação imaginária (montar a barraca no acampamento, juntar materiais e fazer uma vara de pescar...), imitando (bichos, pessoas...), criando (monstros e heróis...) e representando personagens (vendedor de carro, dono do restaurante...), como em nosso acampamento, zoológico e na cidade.


Exploramos muitas brincadeiras, mas o grupo demonstrou algumas dificuldades em se deslocar

pelo

espaço,

momento

em

que

ocorriam

muitos

choques.

Diante

desta

situação fomos trabalhando com este corpo em movimento que está sempre próximo de

outros,

percebendo

retomando

e

quais

conseguindo

seriam

os

realizar

cuidados

necessários.

brincadeiras

que

Aos

antes

poucos

não

estamos

conseguíamos

desenvolver.

No Próximo trimestre, teremos muitas novidades, como: Olimpíadas – Londres 2012 e o trabalho de coordenação motora.


Nas aulas de artes nós aprendemos a pintar com vários materiais como: tinta, canetinhas e lápis de cor. Nós desenhamos sem borracha e pintamos nossos retratos no espelho com tinta. Também observamos e desenhamos nossos colegas com se fossemos artistas e eles os modelos, fizeram pose e tudo mais. Nessa atividade nós reparamos melhor como eles são: o formato do rosto, a cor do cabelo, a boca e até a orelha. Fizemos muitos desenhos sobre a guerra e a paz do Portinari. Na exposição nós vimos que ele pinta o sentimento das mães que estavam chorando, os animais ferozes, os rostos tristes e também as brincadeiras. Nas aulas de artes nós gostamos de ver, fazer, conhecer várias artes.

11 – ARTES


12- TCHAU!!! ISSO É PARTE DAS TANTAS POSSIBILIDADES DE NOSSAS TARDES. UM RECORTE ESCOLHIDO COM O GRUPO PARA APRESENTAR À VOCÊS NOSSA ROTINA. UM PESSOAL INTENSO, CHEIO DE ALEGRIA E ENERGIA E MUITA HISTÕRIA PARA CONTAR. SOMANDO ISSO TUDO TEMOS MUITAS POSSIBILIDADES DE TRABALHO: ORA AJUSTES, ORA MOMENTOS DE ESTABELECER REGRAS, ORA TEMPOS DE SE DEDICAR MUITO PARA APRENDER ALGO QUE AINDA É UM DESAFIO, MOMENTOS DE MUITAS RISADAS, CONVERSAS E BRINCADEIRAS. MOMENTOS DE MISTÉRIO, MEIA LUZ. FOMOS AO MUSEU. FIZEMOS PIQUENIQUE. TIVERAM HORAS QUE FOMOS PRA COZINHA, PARA O LABORATÓRIO, TRABALHAMOS NO COMPUTADOR, EMPRESTAMOS LIVROS DA BIBLIOTECA... É MUITA

HISTóRIA PARA TÃO POUCO TEMPO.

TEREMOS MUITO MAIS PELA FRENTE. PESSOAL DO

1ºB.


1º ano B - 1º Trimestre 2012