Page 1

Goiânia - Go - Brasil * Ano II * Número 2 * Janeiro 2012 Tiragem 5000 Exemplares * Distribuição Gratuita


Palavra do Presidente O contato com a droga é algo sulreal, quem nunca teve um envolvimento profundo, não pode imaginar o que issorepresenta para um dependente, a vida ganha um novo “e maligno” sentido, nada é mais importante de que satisfazer o vicio, e não importa o que ele tenha de fazer satisfazer-se, no inicio o usuário consegue administrar, mas com o tempo fica impossível, pois todas as prioridades desaparecem, como se um torpor maligno se instalasse na mente do dependente, a coisa é tão complicada que o fato de ver o traficante causa cólicas instantâneas, é inevitável. Estamos diante de um desafio inimaginável, o governo não tem as respostas que a sociedade espera, o caos esta instalado em nossas cidades, jovens completamente entregues a droga, com o futuro comprometido, moram nas ruas como mendigos, crianças cada vez mais cedo tem tido contato com as drogas, o quadro é desesperador, mas não irreversível, cremos e temos como provar que a droga tem cura, eu sou uma prova viva de que é possível sair do fundo do poço. No ultimo ano dobramos nossa capacidade de atendimento, adquirimos duas kombis, finalizamos nossa quadra de esportes, implantamos um granja com duzentas galinhas, duzentos pintinhos e sessenta codornas, adquirimos uma academia de ginástica profissional, e cavamos um poço para a criação de peixes, foi um ano maravilhoso. 2012 é um ano de desafios, pois iniciaremos um trabalho de prevenção nas escolas, nada, é mais impactante do que o testemunho vivo, de alguém que passou por este tipo de inferno, para abrir os olhos dos

nossos jovens, de que a droga não é algo i n o fe n s ivo q u e n o s l eva a v i a g e n s maravilhosas, este trabalho de prevenção contará ainda com eventos públicos e esportivos e um trabalho voltado para as famílias em risco, estamos instalando um gabinete dentário para atendimento gratuito dos nossos alunos, precisamos adquirir uma chácara e uma caminhonete e fazer ampliação em nossas instalações para abrigar 100 alunos e o inicio da escola profissionalizante. Neste ano de 2012 completamos 10 anos, com certeza tivemos decepções com jovens que recaíram e morreram, outros que continuam aprisionados pelas garras malévolas da dependência, mas há também aqueles que se livraram completamente deste inferno e hoje depois de anos continuam firmes no propósito de não voltar ao vicio. Nestes dez anos é incontável o numero de pessoas que ajudamos, famílias que foram restauradas, corações que voltaram a sonhar, vidas que foram livres das cadeias invisíveis que as aprisionavam, pessoas que voltaram a acreditar em si mesmas, e foram capazes de dizer não aos convites insistentes daqueles que são portadores de desgraça. Preciso da sua ajuda como nunca, não tenho nenhum tipo de ajuda do governo, por enquanto, mas creio que uma hora ela chegará, trabalho por fé e amor, quero desafiálo(a), a de alguma maneira me ajudar, precisamos de tudo, alimento, roupas, moveis, dinheiro, enfim, qualquer coisa que possa ser útil. Quero agradecer a você que tem ajudado, ou vai ajudar, sem os voluntários anônimos, este trabalho não seria o que é. Muito Obrigado. José de Faria Costa


A Maldição do Novo Milênio "Seres humanos de todos os países estão passando por uma fase de degradação física e social cuja causa é dependência coletiva do Crack." De todas as drogas o Crack é a substância entorpecente que contém as características mais letais e violentas, e o maior perigo é a facilidade com que esta droga está se espalhando por todos os cantos do Brasil e do mundo por causa do seu preço acessível e uma bem montada rede de distribuição. De acordo com pesquisas feitas por ONGs que realizam acompanhamento da evolução do consumo de Crack no país, desde 1998 a droga saiu das grandes cidades para as cidades pequenas no interior do Brasil. Sendo que neste período também vem sendo notado o aumento do consumo de Crack por crianças. Os efeitos nocivos do Crack se alastra como uma doença contagiosa infectando pessoas de todas as classes sociais, homem, mulher, crianças, jovens, adultos e idosos, independente do grau de instrução ou condição social. Na camada mais pobre da população os efeitos sociais da dependência do Crack são ainda mais nocivos. Pois como a droga causa dependência após a primeira vez que é usada, pois ao ser inalada leva apenas 15 segundos para fazer afeito que dura apenas dois minutos, sendo que depois de 15 minutos o organismo já exige uma nova dose, o indivíduo tende a consumir a substância constantemente e de forma compulsiva. Isso faz com que o indivíduo aplique todo o seu tempo e economia no consumo e manutenção da dependência, deixando de ser produtivo, perde o emprego e a partir daí ele procura obter o recursos para sustentar o vicio através da prática de roubos, furtos., assaltos e outros tipos de crimes .Primeiro o viciado rouba os pertences e objetos das pessoas da família, e logo parte para roubar os desconhecidos, e dessa forma o índice de criminalidade aumenta consideravelmente.

Nas camadas sociais da classe média alta para cima os efeitos do Crack afeta em maior grau o viciado, com leve reflexo psicológico nos familiares mais próximos que procuram dar apoio. Neste caso o usuário tem mais condições de reverter o processo vicioso em clínicas de recuperação, e em 70% dos casos o usuário retoma a vida normal longe da droga. O uso ininterrupto do Crack leva a pessoa a óbito após dois anos de uso. Sendo que o efeito do último estágio é a perda total da lucidez. Isso quando o viciado sobrevive a um ataque cardíaco, a um enfisema ou cirrose. Há casos em que o usuário sofre de falência múltipla dos órgãos cujos efeitos são semelhantes aos sintomas da AIDS. De acordo com levantamentos feitos nos últimos três anos houve um aumento de cerca de 70% na quantidade de usuários em relação ao ano de 2009, quando se iniciou o acompanhamento da evolução do uso do Crack no Brasil, e esse número tem como reflexo o aumento da demanda por atendimento de dependentes na rede pública de saúde, e conseqüentemente majorando os gastos dos municípios, dos estados e da federação com o tratamento destas pessoas. Essa pessoas são tratadas dos efeitos colaterais da droga, já que o Crack tem efeito degenerativo no organismo, mas os viciados não recebem tratamento para anular a dependência, e sempre acabam voltando a unidade médica.


Hoje Em Dia.... Temos inúmeros motivos para comemorar, 2011 foi um ano de muitas conquistas, triplicamos o numero de alunos internados, temos hoje mais de cinquenta alunos em nossas duas unidades, Goiânia

Tanque de Peixe e a Quadra ao fundo

Nova Kombi e a Alegria da Galera

que tem se apresentado em muitas igrejas, e já sonham para este ano a gravação do CD, começamos uma granja que hoje tem duzentas galinhas, duzentos pintinhos e sessenta codorna, construímos o tanque de peixes que já esta pronto para receber os

quase 40 e Uberaba mais de 10, oferecemos tratamento físico, psicológico e espiritual, por entendermos a necessidade de cada um deles para a completa restauração do individuo. Adquirimos duas kombis, uma 2010 outra

Dispensa Cheia

Kombis

alevinos, o piso da nossa quadra de esportes foi finalizado e adquirimos uma academia de musculação profissional, ganhamos cinco computadores, as aulas de computação em breve será realidade, nossos alunos já tem aula de inglês e corte de cabelo, nossa meta é oferecer vários cursos para que ao sair sejam profissionais, temos feito o

2007, hoje contamos com três kombis sendo a mais antiga 2007, além de um reboque novo, equipamentos de som para os ensaios do grupo de louvor do CRVN

Horta

Musculação como Terapia


i n i c i a re m o s a e s c o l a p ro f i s s i o n a l i z a n t e , implantaremos uma casa de apoio para que os alunos que concluírem o programa não volte imediatamente para casa, pois as velhas amizades é um risco de recaída, ofereceremos o trabalho de acompanhamento junto às família pois entendemos a importância deste envolvimento no tratamento. Não temos recursos para tal, mas, temos um sonho, e nos movemos em direção a ele, trabalhamos

Futebol como Terapia trabalho preventivo, nos locais de grande consumo levando comida, cobertores, e oferecendo o tratamento àqueles que aceitam. Apesar de tantas conquistas nossos olhos estão voltados para o futuro, os desafios não são poucos mas não desistiremos, infelizmente não temos nenhum tipo de ajuda governamental, estamos procurando estes recursos tão anunciados, mas a verdade é que até o momento ainda não descobrimos o “caminho das pedras”, para ter acesso a eles, mas isso não será impedimento para que alcancemos nossas metas.

com transparência e amor, quando acreditamos intensamente coisas sobrenaturais começam a acontecer, pessoas se levantam para ajudar, portar se abrem e milagres acontecem, precisamos de voluntários que sonhem conosco, este é um convite a você que deseja fazer algo por esta situação que precisa ser mudada em nosso pais. Trabalho, vontade de trabalhar e experiência não falta, por isso precisamos de parceiros, para que juntos possamos alcançar o maior numero de pessoas possíveis, temos dez anos de experiência e muitos resultados positivos, conheça nosso trabalho pessoalmente ou através da nossa pagina www.crvn.org. Contamos com a vossa ajuda.

Refeitório Este ano realizaremos a ampliação de nossas instalações, com a construção de mais um banheiro com capacidade para cinco chuveiros e cinco vasos sanitários, construiremos mais sete alojamentos com capacidade de internarmos mais 42 alunos, construiremos as salas para a escola de profissionalização, renovaremos nossa cozinha e refeitório, além de uma reforma total em todo nosso complexo que possui uma área construída de quase 1000 metros quadrados, compraremos outra chácara para iniciarmos o programa de internação compulsiva, iniciaremos o trabalho de prevenção nas escolas e nas praças, compraremos uma caminhonete para buscar as doações recebidas, vamos inaugurar um gabinete dentário para atendimento dos alunos,

Granja


e d

b u

G E R G

a d i lic

P

Perder totalmente a dignidade. Não experimente essa sensação. O crack é uma droga tão devastadora que pode viciar logo na primeira vez. E, se você está curioso para experimentar, saiba que no caso do crack a expressão "a curiosidade mata" é verdadeira. Entre os usuários, são comuns as histórias de violência, de prostituição, de roubos e assassinatos, dentro e fora de casa. Rapidamente, o crack acaba com tudo o que existe de mais valiosa na vida de uma pessoa. Dinheiro, bens materiais, trabalho, amigos, família e o que é pior: a dignidade.

CRACK Nem Pensar


O Ambiente que se Vive Pode Influenciar na Recaída Um estudo revela que as atividades e o ambiente que usuários de drogas freqüentam podem influenciar na possibilidade de recaídas. A pesquisa foi feita pelo ICB-USP (Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo). O biólogo André Veloso Lima Rueda disse à agência USP que as memórias que determinado local carrega influem no desejo do consumo da droga e, por conseqüência, na recaída do paciente. Segundo ele, “o uso de drogas leva a alterações duradouras no cérebro. Entre as alterações está a sensibilização comportamental, que permeia a dependência”. Acredita-se que em função disso, apesar de o dependente não sofrer mais com os sintomas da abstinência após deixar de consumir a droga, ele ainda pode apresentar desejo por ela. Testes com camundongos revelaram que condições ambientais e as atividades ocupacionais são capazes de diminuir alterações relacionadas a este desejo e, possivelmente, contribuir para melhorar a qualidade de vida do dependente. - Os testes comprovaram que o animal que estava exposto a diferentes estímulos, sensoriais e motores, sofreu modificações de comportamento e no sistema nervoso que se contrapõem às promovidas pelo tratamento com a droga. Os animais que possuíam a possibilidade de realizar atividades físicas tiveram a sensibilização

comportamental ao etanol inibida. Um efeito comum entre as drogas é a alteração de funções cerebrais, que normalmente geram prazer ou causam vício. O caminho para a dependência química, segundo Rueda, está relacionado ao gostar, em primeiro lugar, depois ao desejo de consumir a droga (querer) e, por último, à dependência química (necessitar). Uma vez que a pessoa já desenvolveu a dependência e depois parou de fazer uso da droga, o desejo permanece e é alimentado por estímulos sensoriais ligados à droga. Por isso, manipulações ambientais poderiam ajudar a diminuir as possibilidades de recaída. Rueda diz que as atividades que geram prazer para o dependente poderiam auxiliar a diminuir o valor do incentivo associado ao uso da droga. Atividades esportivas, terapia e atividades profissionais que envolvam valores motivacionais são extremamente importantes para a qualidade de vida de um dependente recuperado, de acordo com o pesquisador. - Ao invés de um dependente químico de etanol beber whisky religiosamente às 17h como fazia antes, agora ele pode jogar futebol com os amigos. É preciso quebrar com hábitos que gerem recaídas e trocá-los por outras atividades que proporcionem prazer para a pessoa. por André Veloso Lima Rueda

Ministro Defende Internação Compulsória O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que a pasta considera a internação compulsória de usuários de drogas um mecanismo fundamental em situações onde há risco de vida. A prática está prevista no conjunto de ações para o enfrentamento ao crack que o governo lançou hoje. Para que seja possível alcançar os usuários de drogas, Padilha explicou que os consultórios na rua previstos no plano do governo serão formados por equipes multissetoriais e serão responsáveis pela avaliação da necessidade de internação de cada usuário atendido. "São eles (os profissionais de saúde) que têm capacidade de avaliar

individualmente essas pessoas, oferecer o projeto de tratamento e colocá-las em unidades adequadas para abrigo e acolhimento. Essas regras valem para adultos e crianças", disse. "Precisamos ter tipos de atendimentos diferentes para casos diferentes." A previsão do governo é que 308 consultórios na rua sejam entregues até 2014. Padilha lembrou que o Estatuto da Criança e do Adolescente já prevê a ferramenta de internação involuntária - ou seja, mesmo quando o paciente não concorda - quando a medida é adotada para a proteção à vida.


Alimento e Cobertor se importam, independentemente da circunstâncias que vivem. É gratificante ver os olhos que brilham diante de uma atitude de carinho ou de um prato de comida, já que todo o dinheiro que conseguem tem destino certo, o crack, tentamos convencer alguns a se internar, mas a resistência é grande e outro fator alarmante é que a maioria são casais que juntos conheceram o crack e juntos vivem nas ruas, Dentro do trabalho social desenvolvido pelo Centro de Recuperação Vida Nova, temos quinzenalmente, levado alimento, cobertores e

uma palavra de esperança, àqueles que estão vivendo nas ruas por causa do vicio. Nossa equipe de voluntários sai em uma de nossas kombis para o centro da cidade onde o número de

usuários de crack é enorme, nosso principal objetivo, é levar um pouco de alento e conscientizá-los de que é possível sair daquela situação, mostrando que existem pessoas que

alguns se dispuseram a internação, mas com a condição de que a mulher fosse internada também, e como os centros de recuperação para mulheres são raros esbarramos nesta dificuldade, mas alguns se interessam verdadeiramente. Acreditamos na recuperação, por isso buscamos meios de alcançar o maior numero de pessoas possíveis, temos visto resultados maravilhosos, o que nos motiva a trabalhar arduamente para assim como centenas de jovens que foram recuperados no CRVN outros possam ter o mesmo destino.


Obreiros Paul Willians, 34 anos, natural de Goiânia- GO, casado, usou Maconha, Cocaína e Álcool por 10 anos, se converteu em 2005 e tem se dedicado na recuperação de dependentes químicos. Obreiro CRVN

Marcos Mendes, 34 anos, natural de Londrina - PR, casado, foi usuário de Maconha, Cocaína, Crack e Álcool, por 15 anos, chegou no Centro de Recuperação em 26/09/2009 e hoje tem ajudado outras vidas a saírem dos vícios.

Obreiro CRVN

Rubens, 29 anos, nascido na cidade de Sampaio-TO, solteiro, usou Maconha, Cocaína, Crack e Álcool durante 14 anos de sua vida, internou no Centro de Recuperação Vida Nova no dia 25/04/2011, se recuperou e desde então tem auxiliado aos novos alunos do Centro de Recuperação.

Marcos Vinicius, 30 anos, nasceu em Goiânia-GO, solteiro, foi viciado em Maconha e fez o uso da droga por 07 anos, mas no dia 28/04/2011 Deus mudou sua história ao se internar no Centro de Recuperação Vida Nova e hoje já liberto tem ajudado outras vidas.

Obreiro CRVN

Obreiro CRVN

Guilherme Santos Lavoratti, 24 anos, natural da cidade de Ji-Paraná-RD, solteiro, durante 05 anos foi usuário de Maconha e Cocaína, sua internação aconteceu no 26/11/2010, cumpriu o período de 09 meses como aluno e hoje se encontra como obreiro do Centro de Recuperação.

Obreiro CRVN


CRVN 10 Anos  

Centro de Recuparação Vida Nova

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you