Page 1

Linguagem Visual


2


5

Índice

36

60

Elementos básicos da comunicação visual

Contrastes

Leis da Gestalt

Por cor

Unidade

Por tom

Segregação

Por formas

Unificação

Ponto

Por escala

Fechamento

Linha

Por tamanho

Continuação

Forma

Proximidade

Direção

48

 

Semelhança

Tom

Técnicas Visuais

Pregnância da Forma

Cor

Textura

Equilíbrio x Instabilidade

Dimensão

Simetria x Assimetria

Escala

Movimento

Regularidade x Irregularidade

Simplicidade x Complexidade

Unidade x Fragmentação

27 

Níveis de significado da mensagem visual

Representação

Abstração

Simbolismo

3


4


Elementos Básicos da Comunicação Visual Os elementos visuais constituem a substancia básica do que vemos. Uma das maneiras de se analisar uma obra visual, consiste em decompô-la em seus elementos constituintes para compreender melhor o conjunto.

Estes

elementos podem ser classificados em: conceituais, visuais e relacionais.

Como elementos conceituais tem-se:

5


Ponto É a unidade mais simples e irredutível da comunicação visual.

Qualquer ponto tem uma força visual grande de atração.

6


7


Linha Se define como uma cadeia de pontos tão próximos que não se pode distinguilos.

A linha pode adotar formas muito distintas para diferentes.

Pode

expressar

intenções

ser

indisciplinada, para aproveitar sua espontaneidade expressiva, delicada, ondulada, vacilante, indecisa, nervosa, etc.

8


9


Forma A linha descreve uma forma. Existem 3 formas básicas: círculo, triângulo equilátero e quadrado.

A partir de combinações e variações infinitas, derivamos todas as formas físicas da natureza e da imaginação humana.

10


11


Direção A

disposição dos elementos da linguagem visual num plano pode conduzir o olhar a um certo sentido espacial.

Todas

as formas básicas expressam 3 direções visuais: quadrado: horizontal e vertical

triângulo: diagonal Dependendo do círculo: curva modo como está relacionado com o observador, com o espaço que contém o objeto ou com os demais objetos.

12


13


Tom Quantidade relativa de luz existente em um ambiente ou numa imagem, definindo sua obscuridade ou claridade, ausência ou presença de luz. Temos uma relação de contraste entre o claroescuro. Sem esta relação não veríamos o mundo da maneira que ele nos aparenta.

14


Cor Provocada pela ação de um feixe de fótons sobre as células especializadas da retina, que transmite através de informação pré-processada no nervo ótico, impressões para o sistema nervoso.

As cores são obtidas aditivamente (cor/luz) ou subtrativamente (cor/pigmento).

16


A cor tem 3 dimensões que podem ser definidas e medidas:

Matiz ou croma = a cor em si.

Saturação = pureza relativa a uma cor, do matiz ao cinza.

Luminosidade / brilho / valor = g6radações tonais em decorrência da luminosidade. Para clarear, escurecer ou neutralizar uma cor, usa-se o branco, o preto e o cinza.

17


18


Textura É o elemento uma visual que também pode ser observado com outro sentido, o tato. A textura real permite à mão e ao olho uma sensação individual, com forte significado associativo. Se relaciona com a composição de

substância através de variações mínimas na superfície do material VA textura é um recurso amplamente utilizado na comunicação visual como simulação de materiais diversos na impressão em papel.

19


20


Dimensão Trabalha em conjunto com a linha e a forma para iludir o nosso olhar criando um efeito tridimensional, uma folha de papel, por exemplo. As três dimensões são: altura, comprimento e profundidade.

21


22


Escala Quando

trabalhamos com elementos visuais em uma área específica bidimensional, devemos prestar atenção na relação entre os tamanhos das imagens. Esta relação entre os tamanhos é a escala, também conhecida como proporção.

23


24


Movimento Percorrendo uma imagem com os olhos durante a observação seguindo uma ou várias direções (horizontal, vertical, inclinado e curva) estamos trabalhando também com o elemento básico do movimento.

25


26


NĂ­veis de Significado da Mensagem Visual

Ler

27


Expressamos

e recebemos mensagens visuais em três níveis:  Representação 

Abstração

 Simbolismo

Todos esses níveis de resgate de informações são interligados e se sobrepõem, mas é possível estabelecer distinções suficientes entre eles, de tal modo que possam ser analisados tanto em termos de seu valor como tática potencial para a criação de mensagens quanto em termos de sua qualidade no processo de visão.

28


Representação É o que vemos e identificamos baseado no meio ambiente e na experiência, a realidade é a experiência visual básica. Quanto mais representacional, mais especifica é, ou seja, é uma comunicação forte e direta dos detalhes.

29


30


Abstração O começo do processo de abstração ignora os detalhes irrelevantes, Na eliminação dos detalhes, até se atingir abstração total há 2 caminhos. -Quanto mais abstrata, mais geral e abrangente. -É uma redução do que vemos até ao básico e elementar.

31


32


Simbolismo São

sistemas de símbolos codificados criados arbitrariamente pelo homem com atribuição de significados. “Para ser eficaz, um símbolo não deve apenas ser visto e reconhecido, deve também ser lembrado e reproduzido“.

Dondis A Donis

33


34


35


Contraste Significa fundamentalmente distinção. É a distinção de um elemento em relação a outro.

É a técnica mais importante para o controle das mensagens visuais.

36


Contraste de Cor Quando

duas cores diferentes entram em contraste direto, o contraste intensifica as diferenรงas entre ambas. O contraste aumenta quanto maior for o grau de diferenรงa e maior for o grau de contraste quando uma cor estรก rodeada por outra.

37


38


Contraste de Tom Com o tom, a claridade ou a obscuridade relativas de um campo estabelecem a intensidade do contraste.

Podemos ter contraste entre tons. A divisão de um campo em partes iguais pode demonstrar um contrate tonal, uma vez que o campo é dominado pelo peso maior, ou seja, o tom mais escuro.

No caso, branco e preto, a sensação é de que o preto domina a maior área.

39


40


Contraste de Formas Por meio de uma composição antagônica, ou seja, que tenha opostos, a dinâmica do contraste poderá ser prontamente demonstrada em cada exemplo visual básico que dermos. Se o objeto for atrair a atenção, a forma irregular, imprevisível. Ao serem justapostas, as texturas desiguais intensificam o caráter único de cada uma.

41


42


Contraste de Escala É produzido pelo uso de elementos a diferentes escalas das normais ou de proporções irreais, conseguindo-se o contrates por negação da percepção aprendida.

43


44


Contraste de Tamanho Quando um elemento ĂŠ grande ou pequeno, pesado ou leve. Sempre comparativamente a outro elemento.

Implica uma comparação, sempre entre dois ou mais elementos. Pode ser natural, ampliado ou reduzido.

45


47


Técnicas Visuais As

técnicas visuais oferecem uma grande variedade de meios para a expressão visual do conteúdo, podendo ser atribuídos múltiplos significados a uma composição através da polaridade da mesma.

Estas são as técnicas mais comuns e que se encontram agrupadas em pares, transparecendo os opostos de cada uma:

48


Equilíbrio x Instabilidade O equilíbrio constitui um dos elementos mais importantes das técnicas visuais. É uma estratégia de design em que existe um centro de suspensão a meio caminho entre dois pesos.

Por

sua vez a instabilidade corresponde a uma ausência de equilíbrio, constituindo uma formulação visual extremamente inquietante e provocadora.

49


EquilĂ­brio Instabilidade

50


Simetria x Assimetria A simetria corresponde ao equilíbrio axial. É uma formulação visual totalmente resolvida, em que cada unidade situada de um lado de uma linha central é rigorosamente repetida do outro lado.

A assimetria é considerada um "equilíbrio precário", e pode ser obtido através da variação de elementos e posições que equivale a um equilíbrio de compensação.

51


Simetria

Assimetria 52


Regularidade x Irregularidade A regularidade constitui o favorecimento da uniformidade dos elementos e o desenvolvimento de uma ordem baseada em algum princípio ou método constante e invariável.

Em oposição temos a irregularidade que, enquanto técnica visual, enfatiza

o inesperado e o insólito, sem ajustarse a nenhum plano decifrável.

53


Regularidade Irregularidade

54


Simplicidade x Complexidade A simplicidade baseia-se numa técnica que compreende a uniformidade das formas elementares, sem complicações ou elaborações exageradas.

Já a complexidade é construída com base em várias unidades elementares, resultando num difícil processo de organização do significado no âmbito de um determinado padrão.

55


Simplicidade

Complexidade

56


Unidade x Fragmentação A unidade é um equilíbrio adequado de elementos diversos numa totalidade que se percebe visualmente. A junção de muitas unidades deve harmonizar-se de modo tão completo que passe a ser vista e considerada como uma única coisa.

A fragmentação é a decomposição dos elementos e unidades de uma composição visual em partes separadas, que se relacionam entre si mas que conservam o seu carácter individual.

57


Unidade Fragmentação

58


Leis da Gestalt A psicologia da Gestalt é um movimento que atua na área da teoria da forma. O design utiliza as leis da Gestalt o tempo todo, muitas vezes até de forma inconsciente. Ele ajuda as pessoas a assimilarem informações e entenderem as mensagens que são passadas.

Em termos mais gerais, é o conjunto de entidades físicas, biológicas, fisiológicas ou simbólicas que juntas determinam que uma configuração unificada do objeto é maior que a soma de suas partes.

60


Unidade Uma unidade formal que pode ser identificada em um Ăşnico elemento que se encerra em si mesmo ou como parte de um todo.

61


Segregação Capacidade perceptiva de separar, identificar, evidenciar, notar ou destacar unidades em um todo.

62


Unificação A unificação se apresenta quando ocorre harmonia, equilíbrio visual, ordenação e coerência no estilo formal do objeto como um todo.

63


Fechamento O fator de fechamento ocorre para a formação de unidades, ou seja, nossa percepção espacial finaliza a unidade.

64


Continuação Define-se como a impressão visual de como as partes se sucedem por meio da organização perceptiva, sem quebras ou interrupções.

65


Proximidade Elementos 贸pticos pr贸ximos tendem a ser vistos juntos constituindo um todo.

66


Semelhança A igualdade da forma e da cor desperta a tendência de se construir unidades e estabelecer grupos de partes semelhantes.

67


Pregnância da Forma Qualquer padrão de estímulo tende a ser visto de tal modo que a estrutura resultante é tão simples quanto o permitam as condições dadas.

68


69


70


71


Aqui vocĂŞ encontra os melhores livros sobre DESIGN 72


Revista  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you