Issuu on Google+

Informativo da Cruz Vermelha Brasileira de Volta Redonda-RJ

Distribuição dirigida: Volta Redonda, Resende, Piraí, Pinheiral e Mendes - Setembro 2011 - Ano I - Nº 05

Doação de sangue Quando vermelho é a cor da esperança

Para Cristina Guimarães, coordenadora do Núcleo de Hemoterapia de VR, o maior desafio é garantir doadores espontâneos e regulares

D

Doar sangue é uma ação simples, mas que se torna grande porque salva vidas. É um ato de solidariedade que vai assegurar um estoque suficiente para atender a demanda de hospitais e centros de saúde. Infelizmente, segundo a Organização Mundial da Saúde, apenas 1,9% da população brasileira doa sangue regularmente. Muitos só doam quando são “convocados”, mediante a solicitação da família ou de amigos. Este número fica muito aquém das necessi-

dades dos hospitais, por conta das ocorrências de acidentes graves, complicações durante o parto, ou dos tratamentos de doenças como câncer. Ao longo dos anos, a prática hemoterápica no Brasil passou por várias normatizações, visando garantir a qualidade do material coletado. No entanto, hoje a maior dificuldade é garantir que mais pessoas se tornem doadoras espontâneas e regulares. Segundo a enfermeira coordenadora do Núcleo de Hemoterapia de VR, Cristina Guimarães do Nascimento, normalmente as pessoas são motivadas a doarem sangue pela “dor”, quando um familiar ou amigo está precisando. “Nosso desafio é que este doador retorne, para isso buscamos realizar um atendimento de excelência, para que ele seja bem orientado e acolhido”, explicou Cristina. Desde a década de 1980, a coleta de sangue

se tornou mais criteriosa, passando por um processo rigoroso de triagem. O candidato a doador, segundo explicou Cristina, é primeiramente cadastrado através de uma ficha com um código de barras, responde a um questionário e o segundo passo é uma entrevista. São realizados vários exames, tais como aferição da pressão arterial, verificação dos batimentos cardíacos, respiração, temperatura, entre outros. Se a pessoa estiver apta, serão coletados cerca de 400 a 450 ml de sangue. Em seguida o doador recebe um lanche para repor as calorias e é hidratado. Em um prazo de 48 horas, este material vai passar por exames sorológicos para atestar a sua qualidade. Dependendo do resultado, o doador poderá ser chamado para os encaminhamentos necessários. Em uma única doação são retirados 3 compo-

Fotos: Divulgação

nentes: hemácias (para os casos de anemia e acidentados); plasma (para pacientes internados no CTI) e plaquetas (para os casos de Dengue Hemorrágica e leucemias). Ou seja, um doador pode ajudar até três pessoas. Existem várias dúvi-

das e mitos em torno da doação de sangue, que podem afastar futuros doadores. Nesse caso, a informação é a melhor ferramenta. Procure o núcleo de hemoterapia e informe-se. Leia mais sobre o assunto na página11.

Leia nesta edição: Pág. 3 - Direito Internacional Humanitário e os desafios do Conflito Armado Contemporâneo - História do Rotary Club Pág. 4 - Entrevista com Berlindo Francisco de Melo, presidente do COMSEA-VR (Comitê de Segurança Alimentar) Pág. 5 - Biblioteca motiva leitura para cegos Pág. 9 - Oportunismo ou oportunidade? - Financiamento habitacional - Cursos da Filial de Volta Redonda Pág. 11 - Mitos e dúvidas sobre doação de sangue


www.cruzvermelhavr.org.br | cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br

2-

Palavra do Presidente

Luís Henrique Veloso Malta

SETEMBRO 2011

Socorrismo e civismo

Presidente da Cruz Vermelha de Volta Redonda

Onde estão os mais vulneráveis?

equipe a disposição. Estamos ainda fechando parcerias com universidades e outras instituições para garantirmos a qualidade desta pesquisa. Esta receptividade encontrada tem fortalecido os ânimos de nossa equipe, que acredita no potencial da Cruz Vermelha de auxiliar o poder público, conforme consta em seu estatuto. Nesta ação em especial, o desafio é, num segundo momento do projeto, implementar políticas que reduzam a pobreza sob os diversos aspectos, tais como desigualdade de gênero, geração de emprego,

segurança alimentar, agricultura familiar e programas de transferência de renda. Para isso, temos primeiro que identificar quem são estas pessoas, que muitas das vezes estão invisíveis aos olhos do Estado e da sociedade. São pessoas que também podem contribuir com o desenvolvimento do país se estiverem inseridas como cidadãs, com seus direitos e deveres. Incluí-las deve ser um compromisso de todos. Vamos à luta.

EXPEDIENTE Presidente: Luís Henrique Veloso Malta Vice-Presidente: Angela Maria Moura Brasil Tolomelli Diretor Tesoureiro: Paulo Pereira Tiburcio Diretor Tesoureiro Adjunto: Francisco Severino Contato para sugestão de matérias: Jornalista Responsável: Carla Beatriz de Souza Tiburcio MTB/DRT 17923/88 Assessoria de Comunicação Social Tel: 3076-2500 – ramal: 206 - E-mail: imprensa@cruzvermelhavr.org.br End.: Rua 40, nº 13 - Vila Santa Cecília - Volta Redonda - RJ

Agência Por Aqui - agencia@revistaporaqui.com.br Diretor Geral: Diego Campos Raffide Diretor de Arte: Eduardo Avila Web Developer: Thiago Okamoto Anuncie no jornal Folha Humanitária cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br Impressão: Gráfica Diário do Vale Tiragem: 4 mil exemplares Colaboradores: Flávio Tolomelli / Diego Batista / Marony Gomes / Igor Menezes / Paulo Freitas

O Jornal Folha Humanitária não se responsabiliza por conceitos e opiniões expressos nos artigos assinados

Mais uma vez nossos voluntários deram demonstração de solidariedade e reafirmaram o princípio de Humanidade. Em pleno feriado, contamos com 26 voluntários socorristas para prestar atendimento de primeiros socorros, durante o desfile cívico-militar no dia sete de setembro. Foram 17 atendimentos e alguns deles encaminhados para o hospital devido ao grau de complexidade. A nossa satisfação é saber que ao longo dos anos a Cruz Vermelha de Volta Redonda vem se tornando referência no

que tange ações de emergência pré-hospitalar em nosso município e regiões vizinhas. Um trabalho realizado com prazer e dedicação. Até a próxima.

Agência Por Aqui

Há um mês a Cruz Vermelha de Volta Redonda iniciou a elaboração de um projeto que visa mapear a pobreza extrema no município. Sabemos que não será fácil, mas à medida que o projeto vem tomando forma, vimos a necessidade de agregar mais parceiros para identificar onde está a população mais vulnerável e excluída de nossa sociedade. Por isso, neste primeiro momento já realizamos um contato com a Secretaria de Ação Comunitária, e fomos muito bem recebidos pelo secretário Munir Francisco, que prontamente colocou sua


SETEMBRO 2011

www.cruzvermelhavr.org.br | cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br

-3

Direito Internacional Humanitário e os desafios do Conflito Armado Contemporâneo “O direito humanitário é a última barreira ao aumento da violência sem limite.” François Bugnion A promoção e o fortalecimento do Direito Internacional Humanitário são preocupações centrais do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), no âmbito da sua tarefa e do mandato internacional para trabalhar em benefício da aplicação fiel do Direito Internacional Humanitário (DIH). Este papel tem muitas facetas, incluindo a disseminação do DIH e a promoção da ratificação dos tratados importantes, o monitoramento do respeito ao direito humanitário pelas partes em um conflito armado, como também a preparação de novos desdobramentos neste campo. Para o CICV, instituição ativa em todos os teatros de conflito ao redor do mundo, as normas do Direito Internacional Humanitário para a proteção

Diego Batista

Responsável pelo Setor de Voluntariado da Filial de Volta Redonda

dsilva@cruzvermelhavr.org.br

foto: ©CICV/C. Von Toggenburg

Humanitário e os Desafios do Conflito Armado Contemporâneo” e que buscou reafirmar os princípios básicos do DIH e a garantia de que suas normas sejam adequadas para lidar com as circunstâncias da guerra contemporânea. Esta conclusão também está refletida no texto e nas recomendações que constam na Resolução 3 da Conferência sobre a Reafirmação e Implementação do DIH “Preservando a Vida Funcionária do CICV visita famílias deslocadas em decorrência do conflito em área e a Dignidade Humanas no extremamente pobre em Ciudad Bolívar, Colômbia Conflito Armado”. das vítimas de guerra são, como também o respeito. É quase comum hoje dizer em geral, suficientemente Esta é uma das grandes que vivemos em um mundo adequadas para responder conclusões de um relatório cada vez mais complexo, no aos desafios dos conflitos apresentado pelo CICV na 30ª qual os riscos e fatores da armados contemporâneos. O Conferência Internacional da violência armada são cada grande dilema a ser atendido Cruz Vermelha e do Crescente vez mais difíceis de prever e é conseguir um cumprimento Vermelho ocorrida em Gene- circunscrever. As realidades maior das normas por todas as bra, em novembro de 2007, do conflito armado no início do partes em um conflito armado, chamada “Direito Internacional novo milênio também muda-

ram, à medida que as guerras clássicas entre os Estados deram lugar a uma vasta gama de conflitos armados não internacionais altamente complexos, frequentemente com uma dimensão internacional, quase sempre com um impacto direto sobre os civis. Mesmo nos casos em que os combates são de baixa intensidade, as consequências humanitárias para a população civil são muito sérias. O direito humanitário é a última barreira nessa corrida aos extremos. Em 1999, por ocasião dos 50 anos das Convenções de Genebra, CICV fez uma enquete junto a 20 mil pessoas, vítimas civis e prisioneiros de guerra. A imensa maioria respondeu que o direito humanitário era a sua única proteção.

A ação social das instituições

Rotary Internacional

Mais de 100 anos de Ações Humanitárias pelo mundo O primeiro Rotary Club foi fundado em 23 de fevereiro de 1905 na cidade de Chicago, EUA e hoje está presente em mais de 200 países, em todos os continentes. Hoje conta com mais de 1,2 milhão de sócios com o pensamento e esforços voltados à compreensão mundial e ajuda humanitária. Foi fundado por quatro profissionais distintos que vislumbraram que com suas habilida-

des poderiam melhorar a vida de muitas pessoas. Norteados pelo seu lema principal DAR DE SI, ANTES DE PENSAR EM SI, os rotarianos executam seus projetos e parcerias com muita paixão e vontade. Um dos muitos grandes projetos que demonstra a abrangência e a força desse movimento é a Campanha Pólio Plus, que através de parcerias com o UNICEF, OMS

e a CDC já vacinou mais de 2 bilhões de crianças contra a poliomielite, reduzindo a incidência global da doença em 99%. Outro grande destaque dos trabalhos de Rotary são os programas para a juventude que se dividem em: INTERCÂMBIO DE JOVENS Programa que já levou vários jovens brasileiros a muitos

países e trouxe também para nosso país muitos jovens de várias culturas. INTERACT CLUB Grupo com os mesmos valores para jovens entre 14 e 18 anos. ROTARACT CLUB Para jovens entre 18 e 30 anos. E ainda, mas de forma mais modesta e inicial o programa para crianças, denominado

ROTARY KIDS. Volta Redonda tem 5 clubes de Rotary e 2 de Rotaract. Em uma sala na sede da Cruz Vermelha de VR, o Rotaract Volta Redonda Capital Sul se reúne todos os sábados, às 15h30. Informações: www. rotary.org Igor Menezes Bastos da Silva Sócio Fundador Rotaract Club Volta Redonda Capital Sul


4-

www.cruzvermelhavr.org.br | cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br

SETEMBRO 2011

“Considero um passo importante a inserção do direito à alimentação na Constituição Federal” Foto: Divulgação

N

esta edição, o presidente do Comitê Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Volta Redonda (COMSEA-VR), Berlindo Francisco de Melo, fala sobre este órgão criado em 2003 por um decreto do prefeito Neto. Atualmente, cerca de 50 entidades são beneficiadas por ações de arrecadação de alimentos. Confira: Folha Humanitária Há quanto tempo existe o COMSEA-VR e qual é a sua importância hoje no combate a fome em Volta Redonda? O COMSEA de Volta Redonda foi instituído pelo decreto Nº 9.776 de 21 de outubro de 2003. É um órgão deliberativo vinculado ao gabinete do prefeito, com a finalidade de deliberar e propor políticas, programas e ações

Berlindo Francisco de Melo

que configuram o direito humano à alimentação, como parte integrante do direito de cada cidadão, visando a erradicação da miséria e da fome no âmbito do município de Volta Redonda. FH- Como o comitê está estruturado e qual é seu trabalho? É composto por 20 representantes da sociedade civil e 10 representantes governamentais, todos com seus respectivos suplentes. O mandato é de dois anos. Tem duas comissões permanentes: política emergencial, responsável pelo desenvolvimento de propostas de caráter emergencial e suplementar, visando atender à demanda imediata e de risco da população. E de política estrutural, responsável pelo desenvolvimento de propostas voltadas para as causas

profundas da fome e da pobreza, como a geração de emprego, o acesso à saúde e à educação. FH - Quantas pessoas são atendidas pelo trabalho do comitê? Hoje são mais de 118 instituições inscritas no Fórum de Segurança Alimentar e Nutricional. Em torno de 50 entidades, que processam ou distribuem alimentos, são beneficiadas por ações como:

Fonte: PNAD 2009, IBGE

arrecadação de alimentos não perecíveis em eventos patrocinados pela Prefeitura; banco de alimentos; parceria com a Cruz Vermelha de Volta Redonda no envio de alimentos à população em ações emergenciais; parceria com o Governo Municipal. É importante relatar que em 2010, arrecadamos em torno de 144 toneladas de alimentos não perecíveis. FH - O que falta para o comitê se tornar conselho? Estamos junto com o Prefeito Neto em processo para transformação do Comitê para Conselho, o que provavelmente deverá se consumar ainda esse ano. FH - Avalie o combate a fome no Brasil? O Brasil é um dos países que se dispôs a trabalhar para atender ao primeiro objetivo das Metas do Milênio até 2015, que é erradicar a pobreza extrema e a fome. Considero um dos passos importantes nesta conquista, a recente inserção do direito

à alimentação no artigo 6º da Constituição Federal, que consagra a alimentação como um direito constitucional. FH - O que falta para melhorar este trabalho? Uma das metas para esse ano, discutida durante a III Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de VR, ocorrida em julho, é a elaboração em parceria com o Governo Municipal, de um Sistema e Plano de Segurança Alimentar e Nutricional, que irá reforçar o direito do ser humano à alimentação, por meio dos programas já existentes e da criação de novas políticas públicas voltadas para uma alimentação mais saudável. Abaixo as condições de Insegurança Alimentar nas principais regiões do País, segundo dados do IBGE:


SETEMBRO 2011

www.cruzvermelhavr.org.br | cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br

Biblioteca Municipal de Barra Mansa desenvolve projeto de leitura com cegos

A Biblioteca Municipal de Barra Mansa vem desenvolvendo um projeto de leitura interessante. Trata-se de leitura para cegos. Em parceria com o CEAT, é feita uma leitura semanal com o grupo de cegos e pessoas com baixa visão. A obra a ser lida em capítulos é escolhida pelo grupo, por votação. Um dos objetivos do pro-

jeto é despertar o indivíduo para o prazer da leitura, já que a Biblioteca Municipal dispõe de um importante acervo direcionado para cegos. O projeto, elaborado pela professora Sadda de Figueiredo Raffide, com a supervisão da coordenadora da Biblioteca, Maricélia Magalhães Cardoso, é voltado também aos alunos da rede municipal regular de ensino, que oportunamente serão convidados a participar. O CEAT (Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado) atende a alunos especiais em geral. Além de fazer atendi-

mento aos cegos no Centro Educacional Vereador Carlos Campbell situado na Rua Cristóvão Leal, 104, a instituição dispõe entre outras da Escola Profissionalizante Professora Didi Coutinho que atende a indivíduos especiais a partir de 16 anos. Lá são ministrados cursos de jardinagem, culinária, artes, artesanatos etc. O serviço de culinária inclusive atende à comunidade aceitando encomendas de doces, balas, bolos e salgados, pelo telefone (24) 33227609, tudo isso feito pelos alunos com supervisão dos professores. Fonte: Revista Por Aqui Edição nº 30 - Setembro 2011

-5

NOTA DE ESCLARECIMENTO A Cruz Vermelha Brasileira- Filial de Volta Redonda – RJ, gostaria de esclarecer a seus leitores e à população em geral que, durante a CAMPANHA SOS CHUVAS, que neste ano de 2011, teve como alvo de ajuda a Região Serrana do Estado do Rio, recebeu, triou e levou cerca de 300 toneladas para aquela Região, apoiando, não apenas uma, mas nove cidades atingidas pelas enchentes e desmoronamentos (Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Três Rios, Areal, São José do Rio Preto, Bom Jardim, Itamonte e Sapucaia). A mídia tem veiculado notícias sombrias sobre desvios, descaso, e até venda dessas doações na cidade de Teresópolis. Lamentamos esses fatos e informamos que, até onde ia nosso compromisso e nossas possibilidades, cumprimos a nossa missão de apoio aos poderes públicos daqueles municípios. A Diretoria.

Campanha do Brinquedo Brincadeira é coisa séria Doe brinquedos em perfeito estado na sede da Cruz Vermelha de Volta Redonda


Agência Por Aqui


Agência Por Aqui


Agência Por Aqui

Agência Por Aqui


SETEMBRO 2011

www.cruzvermelhavr.org.br | cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br

-9

A•R•G•U•M•E•N•T•O•S

Oportunismo ou oportunidade? Estive em Juiz de Fora, onde acontecia naquele fim de semana a “Parada da Cidadania e do Orgulho Gay”, e onde acontece anualmente o concurso “Miss Brasil Gay”. No anedotário popular, algumas cidades do Brasil ostentam o título de “cidade de gays”, onde a água é responsável pelo número de gays lá existentes. Brincadeiras à parte, o certo é que Juiz de Fora, não incluída no rol

de cidade de gays, enxergou a possibilidade de incrementar o turismo na cidade, e abraçou a causa. Resultado: os hotéis lotados, o comércio feliz da vida, faturando “horrores”, a cidade reconhecida como acolhedora, enfim, todo mundo feliz e alegre, inclusive os participantes da Parada. O apoio é tão grande por parte do Poder Público (parabéns!) a ponto de se isolar a

Atenção! Novos Cursos Berçarista/Babá/Baby Sister Curso básico de cuidado e assistência ao bebê e à criança de zero a 6 anos. Carga horária: 32 horas (cinco sábados com aulas teóricas e práticas). Horário: 12h às 17h. Investimento: R$150,00 + 1Kg de alimento Pré-requisitos: maior de 18 anos, Ensino Médio completo. Para inscrição: Cópias do RG, CPF e do certificado de conclusão do Ensino Médio. Primeiros Socorros Carga horária: 40 horas. Horário: sábado de 8h30 às 17h Investimento: R$80,00 + 1Kg de alimento Cuidador de Idosos Carga horária: 60 horas - Horário: sábado de 8h30h às 17h Investimento: R$120,00 + 1Kg de alimento Resgate Carga horária: 60 horas - Horário: sábado de 8h30 às 17h Investimento: R$160,00 + 1Kg de alimento Pré-requisito: ter o certificado do curso primeiros socorros. Feridas com técnicas de curativos Carga horária: 12 horas - Horário: sábado de 8h30 às 17h Investimento: R$70,00 + 1Kg de alimento Aplicação de Injetáveis Carga horária: 16 horas Horário: sábado de 8h30 às 17h Investimento: R$100,00 + 1Kg de alimento Público alvo: profissionais da área de saúde. Estão incluídos nos valores: inscrição, apostila e certificado aos aprovados.

área da Parada com o total apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal, e, diga-se de passagem, com o maior respeito à iniciativa. Isto é Democracia: respeito às minorias, sem idiossincrasias, muito menos hipocrisia. Por outro lado, leio na coluna do Ancelmo Gois (O Globo) que o governador Sérgio Cabral foi à Espanha reivindicar para o Rio de Janeiro a edição 2013 da Jornada Mundial da Juventude, o que, segundo Gois, o Papa Bento XVI já confirmou. Oportunismo ou Opor-

tunidade? Sou obrigado a reconhecer que o Governador tem visão de oportunidade, buscando para o Rio de Janeiro (cidade ainda maravilhosa), apesar dos pesares, turismo alternativo, a exemplo de outras cidades no Brasil e no mundo, que perceberam a importância do turismo na formação do Produto Interno Bruto (PIB) do País, dos Estados e dos Municípios. Porque não municipalizar o turismo, destinando aos municípios, dentro do orçamento da União, verbas

Flávio Tolomelli Secretário Geral da Cruz Vermelha de Volta Redonda

ftolomelli@cruzvermelhavr.org.br

fixas de acordo com a população, através do Fundo de Participação dos Municípios, sem interferência do Poder Central? Dessa forma, os municípios terão liberdade de optar pelo turismo que a sua vocação natural, e de acordo com a população, aprovar, via Câmara Municipal.

Financiamento habitacional O sonho da casa própria Outro dia, assisti na TV, uma reportagem sobre financiamento habitacional, onde 48% dos entrevistados apontaram a burocracia do processo como um entrave para buscar o crédito nas instituições financeiras. O resultado da enquete demonstra que, quase metade das pessoas interessadas em adquirir ou construir um imóvel, ainda tem a percepção de algo complexo e inacessível. Durante quase 30 anos como funcionária da Caixa, tive a possibilidade de assinar milhares de contratos habitacionais, fazendo a minha parte, para cumprir a missão da Caixa, em melhorar a qualidade de vida da população. Ao aposentar-me da Caixa recebi

o convite para administrar o Correspondente Caixa Aqui Negocial na Cruz Vermelha de Volta Redonda, parceira em alguns serviços prestados por aquela instituição bancária, tendo assim a oportunidade de continuar atuando em abertura de contas, empréstimo consignado e também no crédito imobiliário. Posso garantir que um financiamento não é complicado, e se esbarramos ainda em alguma burocracia, há de se compreender que estamos tratando da aquisição de um imóvel, e todas as partes devem ter o resguardo de que o negócio está correto, que as determinações legais foram cumpridas, e que, ao final do processo, o imóvel estará registrado em nome

do comprador, que o valor será repassado ao vendedor, trazendo assim satisfação e segurança para as partes envolvidas. A Caixa desburocratizou muito, ao longo do tempo, o crédito imobiliário; atualmente não pede certidões pessoais, solicitando apenas uma certidão do imóvel, necessária para a engenharia em sua avaliação. Outras certidões são pedidas sim, pelo cartório, para proceder ao registro, finalizando então a transferência da propriedade do imóvel negociado. Marony Gomes Representante do Correspondente Caixa Aqui Negocial na Cruz Vermelha de VR


Conheça o único Shopping financeiro do Brasil!

Por Paulo Freitas

Somos mais que uma corretora. Mais que um banco. Somos o primeiro shopping financeiro do país. Agora, tudo o que você precisa para realizar seus projetos de vida está reunido em um só lugar. A XP, há dez anos, inova e transforma o jeito de o brasileiro investir. Simples e sem “financês”, ensinamos aos nossos clientes a pensar diferente, a ver o mercado de uma forma diferente, a investir diferente. A XP em números: • Maior corretora independente do Brasil. • Mais de R$ 3,5 bilhões sob custódia. • Mais de R$ 15 bilhões movimentados por mês e mais de R$ 180 bi por ano. • Mais de 100 mil clientes. • Maior programa de educação financeira do Brasil – 500 mil alunos treinados

A Investtop é parceira da XP Investimentos, garantindo ao cliente completa segurança na escolha de seus investimentos. Em seu escritório oferecem diversos tipos de cursos e palestras que vão do nível básico ao avançado, beneficiando tanto investidores iniciantes quanto os mais qualificados. Com uma proposta inovadora, essas empresas oferecem todos os produtos do shopping financeiro, com um atendimento personalizado, análise de perfil e acompanhamento dos investimentos em tempo real.

paulo@investtop.com.br Analista de mercado financeiro e sócio gerente da Investtop

As pessoas investem na poupança com a intenção de construir um patrimônio, mas a maioria não sabe que se considerarmos a inflação, nossa rentabilidade torna-se quase zero, com isso seu dinheiro não tem a rentabilidade que você acredita ter. Na Investtop buscamos alocar o investimento certo para cada perfil, preocupados com os objetivos de cada cliente. Aquele paradigma que diz que “só rico investe na bolsa de valores” não existe mais, sendo possível fazer investimentos de R$100,00 em nossos fundos de ações, uma ótima forma de construir uma aposentadoria. Além dos produtos apresentados, a XP também trabalha com seguros. É parceira das principais seguradoras do país para oferecer os melhores produtos do mercado e indicar os mais adequados ao seu perfil ou de sua empresa. Faça uma cotação sem compromisso e conheça os melhores preços e produtos. Entre em contato com um dos especialistas e monte sua carteira de investimentos. Todos os seus investimentos em um só lugar.

Saiba mais sobre nossos investimentos para cada perfil: Conservador: Investidores que querem estabilidade e boa liquidez nos investimentos. Têm como objetivo preservar seu patrimônio e não aceitam oscilações de curto prazo. É indicado alocar 80% do patrimônio em ativos de renda fixa que podem chegar a 1% de rentabilidade ao mês. Veja no gráfico um comparativo da Renda Fixa XP com a poupança. Moderado: Investidores que querem estabilidade e boa liquidez. Mais do que preservar, buscam a valorização de seus investimentos e estão dispostos a assumir pequenos riscos. Para este tipo de perfil são indicados Fundos Multimercado e Fundos Imobiliários.

Agressivo: Investidores que buscam excelente valorização de seus investimentos. Estão dispostos a arriscar e aceitam possível rentabilidade negativa no curto prazo para obter ganhos maiores no futuro. O indicado para este perfil são investimentos direto em ações e fundos de ações.

Rua 33, 121 - Sala 102 - Vila Sta Cecília, Volta Redonda Tel.: (24) 3343-6521 - www.investtop.com.br


SETEMBRO 2011

www.cruzvermelhavr.org.br | cruzvermelhavr@revistaporaqui.com.br

- 11

No Brasil os procedimentos hemoterápicos recebem constante regulamentação

N

os últimos 25 anos, no Brasil, o processo de coleta e armazenagem do sangue e seus derivados passou por vários avanços científicos, tecnológicos e, consequentemente, por mudanças legais, a fim de aprimorar e garantir a qualidade deste materiais. A Lei nº 7.649, de 25 de janeiro de 1988, foi um passo importante nesse sentido, quando estabeleceu a obrigatoriedade do cadastramento dos doadores de sangue, bem como a realização de exames laboratoriais no sangue coletado, visando prevenir a propagação de doenças. Outro marco desta história foi a criação da

chamada Lei do Sangue (Lei 10.205), sancionada no dia 21 de março de 2001, que instituiu a Política Nacional de Sangue, Componentes e Hemoderivados, regulamentando o parágrafo 4° do Artigo 199 da Constituição Federal, relativo à coleta, processamento, estocagem, distribuição e aplicação do sangue, seus componentes e derivados e a criação do Sistema Nacional de Sangue, Componentes e Derivados (Sinasan). Recentemente, a Portaria MS nº 1.353, de 13.06.2011, aprovou o Regulamento Técnico de Procedimentos Hemoterápicos, com o objetivo de regular a atividade no país.

Clube 25

Motivar os jovens para uma vida saudável e solidária A Cruz Vermelha Brasileira também dá sua contribuição neste contexto, visto que sua marca também está associada à doação de sangue. Várias filiais no Brasil desenvolvem um projeto chamado Clube 25 que tem o objetivo de motivar os jovens de 18 a 25 anos para que doem sangue regularmente. O projeto do Movimento Internacional da Cruz Vermelha que surgiu em

1989, no Zimbábue, África, tem como estratégia diminuir o índice de infectados pelo vírus HIV, através da promoção de hábitos saudáveis, e fidelizar os jovens para doação de sangue. Em outros países, o projeto também é realizado visando ampliar o número de doadores voluntários no mundo (cerca de 93 milhões, segundo a OMS), mas ainda insuficiente para atender a demanda.

Fontes: http://blog.fundacaotelefonica.org.br/?p=1694 http://portal.saude.gov.br/portal/saude/Gestor/area.cfm?id_area=1296 http://pegasus.fmrp.usp.br/projeto/legislacao/port_min_1353.pdf http://www.cvbsp.org.br/franca/clube25.html

Mitos e dúvidas mais comuns - Existe algum risco na doação? Não. Utiliza-se apenas material descartável. - Engorda ou emagrece? Não engorda, nem emagrece. Não vicia e faz bem para a consciência. - Engrossa ou afina o sangue? Não engrossa, nem afina. - A mulher pode doar durante o período menstrual? Sim. - Tomei vacina para Hepatite B, posso doar sangue? Só pode doar 48 horas após ter recebido a vacina. - O uso de medicamentos pode ser impedimento para doar sangue? Deve se analisado caso a caso, informe-se no serviço de hemoterapia. - Quanto tempo o organismo leva para repor o sangue doado? O organismo repõe o volume doado nas primeiras 24 horas. - É necessário estar em jejum? Não. O doador deve estar alimentado e descansado. Evite alimentos gordurosos. - Quem estiver gripado pode doar? Deve aguardar 14 dias após a cura. - Qual é o tempo entre uma doação e outra? Homens: no máximo quatro vezes por ano, sendo uma vez a cada dois meses. Mulheres: no máximo três vezes por ano, sendo uma vez a cada três meses. - Qual é a idade? Ter entre 16 e 67 anos. Os menores de 18 devem ter uma autorização dos pais ou responsável. - Quanto devo pesar para ser doador? Pesar mais do que 50 Kg. Informações: Núcleo de Hemoterapia de Volta Redonda (ao lado do Hospital São João Batista), de 2ª a 6ª feira, até 16 horas. A coleta é realizada de 07 horas às 13 horas.



Folha Humanitária - Setembro 2011