Issuu on Google+

Notícias ao volante MENSAL VOLUME 1 , EDIÇÃO 1

JANEIRO DE 2014

O Código da Estrada

PONTOS DE

O novo Código da Estrada entra em vigor no dia 1 de Janeiro de 2014.

INTERESSE O dever de todos os condutores é atualizarem os seus conhecimentos para que, todos juntos, possamos diminuir a sinistralidade rodoviária.

AS NOVAS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA

O novo Código da Estrada vem atuar em várias vertentes, desde a uniformização nos procedimentos de circulação em rotundas, bem como alterar regras relativas aos ciclistas, ou relativas a condução sob a influência de álcool.

ESTRADA Zonas de

A sua Escola de Condução disponibiliza-lhe as principais alterações.

Zonas de coexistência

coexistência Circulação em rotundas Regras de velocípedes O Condutor e os Ciclistas Condução sob a influência de álcool

O Código da Estrada prevê a criação de zonas de coexistência. Estas serão zonas da via pública especialmente concebidas para utilização partilhada por peões e veículos, onde irão vigorar regras especiais de trânsito. Pretende-se zonas: ●

que

● ●

nestas

Os utilizadores vulneráveis (peões e ciclistas) possam utilizar toda a largura da via pública; Seja permitida a realização de jogos; Os condutores não comprometam a segurança ou comodidade dos utilizadores vulneráveis;

Os utilizadores vulneráveis se abstenham de atos que impeçam ou embaracem desnecessariamente o trânsito; Seja proibido o estacionamento, salvo nos locais onde tal for autorizado por sinalização; Os condutores cedam a passagem aos restantes veículos, sempre que saiam de uma zona residência ou de coexistência.

Vigore o limite máximo de velocidade de 20 km/h para todos os veículos; Os condutores moderem a velocidade em toda a zona de coexistência, tendo em conta as características específicas dos seus utilizadores (crianças, velocípedes, etc.)

O Governo tem o prazo de 90 dias para criar um sinal que informe todos os utentes do início da zona de coexistência.

Até lá, é como estas “zonas de coexistência” não existissem.


Página 2 Volume 1, Edição 1

Rotundas Os procedimentos de circulação nas rotundas são uniformizados passando a ser mais clara a via de trânsito a utilizar, de acordo com o número de vias de trânsito de acesso e o número de vias de trânsito interiores da rotundas.

Se pretende mudar de via de trânsito no interior da rotunda, observe os espelhos retrovisores para verificar se algum veículo circula na via para onde

Assim: Se pretender sair na primeira saída da rotunda, ocupe a via de trânsito mais à direita, tanto na aproximação da rotunda bem como na circulação no interior da mesma; - veículo amarelo

pretende mudar.

Para sair nas restantes saídas, utilize as restantes vias de trânsito, tal como sugere a imagem. O condutor só deve ocupar a via de trânsito mais à direita após passar a via de saída imediatamente anterior àquela por onde pretende sair; Antes de mudar de via, o condutor deve sinalizar a sua intenção com a luz de mudança de direção da direita (“pisca”), observar pelos espelhos retrovisores para ceder passagem aos veículos que já estejam a circular na via para onde pretende mudar.

N O T Í C I A S

A O

V O L A N T E


Volume 1, Edição 1

Página 3

Exceção à regra Os condutores de automóveis pesados, velocípedes e de veículos puxados por animais, podem circular sempre pela via de trânsito mais à direita, devendo contudo facultar a transição para a via mais à direita a todos os veículos que circulem normalmente no interior da rotunda e pretendam mudar de via.

10 novas regras para velocípedes 1. Ciclistas na via. Os velocípedes deixam de estar obrigados a circular na pista de velocípedes (ciclovia), podendo transitar na faixa de rodagem.

2. Intersecções. Nos cruzamentos e entroncamentos sem sinalização, os velocípedes passam a ter prioridade, tal como os restantes veículos a motor.

3. Berma. Os velocípedes deixam de estar obrigados a circular junto à berma. Agora, devem transitar pelo lado direito da faixa de rodagem, conservando uma distância de segurança para a berma.

4. Distância para ultrapassar. Para ultrapassar um velocípede, os condutores devem guardar uma distância lateral mínima de 1,50 metros e abrandar.

5. Circular a par. Os condutores de velocípedes podem circular a par, exceto em vias de visibilidade reduzida e sempre que exista grande intensidade de trânsito. Não podem andar a par mais do que dois velocípedes. 7. Circular na berma. Os condutores de velocípedes podem optar por circular na berma, desde que tal não coloque em perigo ou perturbe o trânsito de peões. 9. Crianças nos passeios. Se desejarem, as crianças até aos 10 anos podem transitar pelos passeios (não é obrigatório), desde que não perturbem ou coloquem em perigo os peões.

6. Passagens para velocípedes. Os condutores passam a ter que ceder a passagem aos ciclistas nas passagens assinaladas para a travessia de velocípedes. 8. Cadeiras especiais. Os velocípedes podem ser equipados com uma cadeira especialmente concebida e homologada para o transporte de uma criança. 10. Corredor de circulação. Os velocípedes podem circular nos corredores de circulação (vias reservadas para veículos de transporte coletivo de passageiros), desde que a regulamentação municipal o autorize.


Volume 1, Edição 1

Página 4

Condução sob a influência de álcool O álcool é o inimigo número 1 dos condutores!

de serviço urgente, de transporte coletivo de crianças e jovens até aos 16 anos, de táxi, de automóvel pesado de passageiros ou de mercadorias ou de transporte de matérias perigosas.

O novo Código da Estrada vem alterar as regras de condução sob influência de álcool.

Para a generalidade dos condutores, é proibido conduzir quando a taxa de álcool no sangue é igual ou superior a 0,5 gramas de álcool por litro de sangue.

No que respeita a contraordenações, estes condutores são sancionados com:

Contraordenação grave e coima de 250,00 € a 1.250,00 €, se a TAS for igual ou superior a 0,2 g/l e inferior a 0,5 g/l; Contraordenação muito grave e coima de 500,00 € a 2.500,00 €, se a TAS for igual ou superior a 0,5 g/l e inferior a 1,2 g/l; Crime, se a TAS for igual ou superior a 1,2 g/l.

Esta taxa de álcool passa para 0,2 gramas por litro de sangue para os condutores em regime probatório (carta de condução provisória pelo período de 3 anos) e condutores de veículo de socorro ou

A condução com taxa de álcool elevada é a segunda causa de acidentes de viação em Portugal

ABERTAS INSCRIÇÕES: Certificado de Aptidão de Motoristas (mercadorias/passageiros) 140h/35h Transportes Coletivos de Crianças (inicial/contínua)

O Grupo IP5 veio dinamizar o ensino da condução em Aveiro. Tudo começou em 1998, com a aquisição da Escola de Condução Santos e Gamelas. Na altura, ainda existia todo o

Escola de Condução IP5

IP5, estrada que ligava Aveiro a Viseu, de onde são naturais os

Santos e Gamelas

donos do grupo.

Rua Magistério Primário, 24, 3800-212 Vera Cruz, Aveiro

Daí o mote para o nome do grupo. Tal como o IP5 passou a

234 422 436 | 939 515 530

auto-estrada, a A25, também nós crescemos. Gradualmente,

escoladeconducaosantosegamelas@hotmail.com

fomos conquistando a cidade e actualmente servimos os cidadãos também em mais duas escolas de condução:

Escola de Condução Aveirense Rua Mário Sacramento, 3810 Aveiro 234 429 838 | 939 515 531

Aveirense e Evoluir.

Todas as nossas aulas práticas são dadas em contexto real de condução e de forma personalizada, nos diferentes tipos de

ecaveirense@hotmail.com

vias de trânsito. A formação engloba as manobras específicas que caracterizam a condução no dia-a-dia, bem como todos os conhecimentos do veículo que o condutor deve ter quando

Escola de Condução Evoluir

tem a chave de um carro na mão!

Rua da Liberdade nº4 Glória 3810-126 Aveiro

Nós e os nossos veículos de instrução já cá estamos para te

234 371 732 | 919 865 769 escola_evoluir@hotmail.com

Site em const rução www.grupoip5.pt

formar como condutor... Só faltas tu!


Notícias ao Volante - Grupo IP5